ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

 

Bolsonaro comenta julgamento sobre homofobia no STF, e pergunta: ‘Não está na hora de termos um evangélico no Supremo?’. Parte de paredão de mina da Vale desaba, mas não afeta barragem em MG. O desemprego cai, mas ainda atinge 13,2 milhões de brasileiros. Pela 1ª vez em 10 anos, a Bovespa fecha no azul em maio. Número de fumantes cai 40% no Brasil nos últimos 12 anos. Investigada na Lava Jato, a Braskem vai devolver R$ 2,8 bi ao governo e à Petrobras. Em SP, a Justiça libera o uso de patinetes sem capacete.

INTERNACIONAIS

Tiros nos EUA

Equipes de socorro respondem a chamado após tiroteio na prefeitura de Virginia Beach, nos EUA — Foto: Kaitlin McKeown/AP

Equipes de socorro respondem a chamado após tiroteio na prefeitura de Virginia Beach, nos EUA — Foto: Kaitlin McKeown/AP

Um assassino abriu fogo em um complexo de prédios da Prefeitura de Virginia Beach, nos EUA, e matou 11 pessoas. Ele era um ex-funcionário e também morreu no tiroteio. Ainda não está claro se ele se matou o foi morto pela polícia. Ao menos 6 pessoas ficaram feridas, entre elas um policial.

 

NACIONAIS

‘Evangélico no STF?’

'Não está na hora de termos um evangélico no STF?', questiona Bolsonaro

‘Não está na hora de termos um evangélico no STF?’, questiona Bolsonaro

O presidente Bolsonaro disse que o STF “está legislando” ao discutir a equiparação de homofobia ao crime de racismo, e questionou se não estaria na hora do Supremo ter um ministro evangélico. A declaração do presidente recebeu aplausos de pastores e bispos que participavam de um evento evangélico em Goiânia.

“Com todo respeito ao Supremo Tribunal Federal, eu pergunto: existe algum, entre os 11 ministros do Supremo, evangélico? Cristão assumido? Não me venha a imprensa dizer que eu quero misturar a Justiça com religião. Todos nós temos uma religião ou não temos. E respeitamos, um tem que respeitar o outro. Será que não está na hora de termos um ministro no Supremo Tribunal Federal evangélico?”, disse.

No dia 23, o STF formou maioria pela criminalização da homofobia e transfobia. Na ocasião, chegou a 6 o número de ministros da que votaram pela equiparação do preconceito contra a comunidade LGBTI como racismo. Ainda restam cinco votos, e o julgamento deve ser retomado nas próximas semanas.

Deslizamento em mina da Vale

Parte de talude de mina da Vale se desprende em Barão de Cocais nesta sexta-feira (31). — Foto: Reprodução/TV Globo

Parte de talude de mina da Vale se desprende em Barão de Cocais nesta sexta-feira (31). — Foto: Reprodução/TV Globo

Parte do paredão de uma mina da Vale, em Barão de Cocais (MG), desabou durante a madrugada. Segundo a Defesa Civil, o trecho tem 600 m², o que equivale a 1% da estrutura que pode se romper. A mineradora informou que que a parte do talude que caiu ficou no fundo da cava e não provocou reflexos na barragem Sul Superior, a 1 km de distância.

Reforma da Previdência

O relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara, deputado federal Samuel Moreira disse que pretende conversar com líderes partidários para construir um parecer com “tendência de ser aprovado pela maioria”. A proposta do governo recebeu mais de 200 sugestões de mudança, e o relatório deve ser apresentado da semana que vem ou no início da semana seguinte.

Lava Jato

O governo assinou um acordo de leniência com a Braskem, investigada na Operação Lava Jato, e a empresa vai devolver R$ 2 bilhões à União e R$ 800 milhões a Petrobras. Em troca, a Braskem terá redução de multas, e poderá voltar a receber subsídios e empréstimos do governo federal.

Combustíveis mais baratos

A Petrobras informou que vai reduzir o preço médio dos combustíveis nas refinarias a partir de amanhã. O valor médio do litro do diesel vai ficar 6% menor e passará a ser vendido a R$ 2,1664. O preço da gasolina vai cair 7,16%, para R$ 1,8144.

Desemprego

Evolução da taxa de desemprego
Índice no trimestre móvel, em %
12,912,912,712,712,412,412,312,312,112,111,911,911,711,711,611,611,611,6121212,412,412,712,712,512,5fev-mar-abr/18mar-abr-mai/18abr-mai-jun/18mai-jun-jul/18jun-jul-ago/18jul-ago-set/18ago-set-out/18set-out-nov/18out-nov-dez/18nov-dez-jan/19dez-jan-fev/19jan-fev-mar/18fev-mar-abr/1902,557,51012,515
Fonte: IBGE

O desemprego teve queda de 12,5% no trimestre encerrado em abril, mas ainda atinge 13,2 milhões de brasileiros, segundo o IBGE. O nº de subutilizados atingiu recorde de 28,4 milhões. Total de desalentados, aqueles que desistiram de procurar emprego, também bateu recorde e chegou a 4,9 milhões. Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado (12,9%), a taxa de desemprego caiu 0,4 ponto percentual.

Bovespa no azul

Pela 1ª vez desde 2009, a bolsa fechou o mês de maio no positivo. Apesar de ter encerrado a sexta-feira em queda de 0,44%, a Bovespa teve uma alta acumulada mensal de 0,7%. Já o dólar, fechou o dia em queda, a R$ 3,92, e encerrou o mês estável.

Dia mundial sem cigarro

Aviso em maço de cigarro — Foto: G1/G1

Aviso em maço de cigarro — Foto: G1/G1

Mais de 90% da população brasileira não tem o hábito de fumar. Segundo pesquisa do Ministério da Saúde divulgada nesta sexta, Dia Mundial Sem Tabaco, 9,3% dos brasileiros afirmavam ser fumantes em 2018. Nos últimos 12 anos, a quantidade de pessoas que fumam caiu 40% no país.

Novela dos patinetes

Empresa de aluguel de patinetes tenta derrubar decreto em SP

Empresa de aluguel de patinetes tenta derrubar decreto em SP

A Justiça de SP determinou a suspensão da obrigatoriedade do uso de capacete pelos usuários de patinetes elétricos. A decisão, em 2ª instância, é uma resposta a um recurso de uma das empresas que atuam na cidade. O uso dos veículos passou a ser regulamentado nesta semana e mais de 500 patinetes foram recolhidos das ruas.

Fonte: G1
Por Blog do BG

“Se tiver arma de fogo, é para usar”, diz Bolsonaro a caminhoneiros

Em almoço de pouco mais de quarenta minutos com caminhoneiros em um restaurante de beira de estrada em Anápolis (GO), o presidente Jair Bolsonaro disse estar “comendo o pão que o diabo amassou”, mas que só muda se cassarem seu mandato. “Eu estou comendo o pão que o diabo amassou. Não loteamos ministérios, bancos oficiais e estatais. (…) Só muda se alguém cassar o meu mandato”, afirmou o presidente a um caminhoneiro que disse acreditar que falta boa vontade em Brasília.

Bolsonaro chegou ao restaurante ‘Presidente – Posto e Churrascaria’ por volta de 12h30 acompanhado do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, do líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL), e do porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo de Barros. Pela manhã, o presidente cumpriu agenda em Goiânia, onde se reuniu com representantes do governo e participou de um culto na Assembleia de Deus.

Rodeado por cerca de 30 caminhoneiros, Bolsonaro incentivou o grupo a dar entrada no pedido de porte de arma de fogo, se comprometeu a acabar com os radares móveis – “para dar uma folga para o policial rodoviário” – e disse que pretende aumentar a validade da carteira de motorista para dez anos e passar o limite de pontos para 40. Na maior parte do almoço, Bolsonaro ficou em silêncio comendo rodízio de carne. A maioria das perguntas feitas pelos caminhoneiros foi respondida pelo ministro da Infraestrutura.

Ao entrar no tema “porte de arma de fogo”, Bolsonaro perguntou para um grupo de caminhoneiros que estava sentado à sua frente na mesa quantos eram favoráveis à medida. Três levantaram a mão em resposta ao presidente. “No decreto, eu acabei com a comprovação da efetiva necessidade. Por enquanto, está um pouco caro ainda, mas vamos diminuir isso aí. Mas já abriu as portas, dá entrada… Tem um tempo de dois ou três meses para conceder o porte. Eu coloquei lá como profissão de risco (caminhoneiros). Quanto mais arma, mais segurança. Se tiver arma de fogo, é para usar”, explicou.

Questionado por um caminhoneiro sobre a existência de algum projeto que permita reduzir o preço do diesel para a categoria, Bolsonaro respondeu: “O que mais pesa no combustível é o ICMS, que é do Estado. Não é a gente. Por isso que eu trabalho para privatizar o refino. Quanto mais tiver concorrência, melhor. Tá ok?”.

Depois de ser questionado por um caminhoneiro sobre se há algum dispositivo na proposta de reforma da Previdência que inclua a categoria, Bolsonaro teve de consultar o líder do governo na Câmara. “Não, especificamente, não”, disse o deputado Major Vitor Hugo. “Antes dos 65 anos não conseguimos aposentar?”, retrucou o caminhoneiro. “Não”, respondeu o presidente.

Almoço de Bolsonaro com caminhoneiros custou R$ 1,7 mil
O almoço, realizado de última hora no Posto Presidente, custou R$ 1.694,00 e foi pago pela Secretaria de Administração do Presidência da República. “Foi aleatória (a ida para o restaurante). Foi feito levantamento de ontem para hoje de onde teria mais caminhões neste horário, eu estava vindo de Goiânia e paramos aqui para conversar com os caminhoneiros”, explicou o presidente sobre o encontro.

Ao final do encontro, Bolsonaro disse que a conversa foi “bastante cordial”. “Eles têm seus problemas. Passam por nós muitos deles. E para muitos estamos buscando soluções e, para outros, buscaremos”, contou a jornalistas após o almoço. Questionado sobre os protestos contra o contingenciamento de verbas na educação realizados pelo País nesta quinta-feira, 30, disse: “Ah, vamos falar sobre caminhoneiros, vai…”

Estadão Conteúdo

Comments

Proibição de fumar em público salvou vida de 15 mil crianças, aponta Inca

As leis brasileiras que proibiram fumar em locais fechados e criaram ambientes livres de fumo pouparam a vida de 15,1 mil crianças de até um ano entre 2000 e 2016, segundo estudo apresentado hoje (31) no Instituto Nacional de Câncer (Inca).

A pesquisa Legislação de Ambientes Livres de Fumaça de Tabaco e Mortalidade Infantil, que envolveu instituições brasileiras e estrangeiras, foi apresentada hoje (31) durante a comemoração do Dia Mundial Sem Tabaco, na sede do instituto.

O estudo foi apresentado pelo médico André Szklo, que representou a divisão de pesquisa populacional do Inca. Também assinam o artigo a Imperial College of London, o Erasmus Medical Centre, a International Union Against Tuberculosis and Lung Diseases e a Universidade de São Paulo (USP).

Segundo Szklo, a criação de ambientes sem tabaco produziu uma queda média de 5,2% da mortalidade infantil nos municípios brasileiros. “As cidades com maiores taxas de pobreza e menores níveis de escolaridade foram as mais beneficiadas com redução da mortalidade infantil, mostrando como essa política ajudou a reduzir a desigualdade social.”

Lugares fechados

A proibição de fumar em lugares públicos fechados passou a valer para todo o país em 2014, mas, antes disso, alguns estados e cidades se anteciparam e fizeram leis com restrições totais ou parciais. Os pesquisadores apontam que, se desde os anos 2000, todo o país tivesse adotado a restrição de fumar em locais fechados, o número de vidas poupadas seria ainda maior, chegando a 25 mil.

Segundo Szklo, a atuação da indústria do tabaco foi determinante para atrasar a proibição total do fumo em locais fechados no Brasil. A pesquisa cita documentos que mostram que o setor questionou os malefícios do fumo passivo e buscou influenciar o Legislativo a afrouxar as restrições, que eram debatidas.

“Essa manipulação e essa omissão retardaram a implementação da lei de proibição total, causando mais mortes e mais custos para a saúde, fazendo com que mulheres grávidas não parassem de fumar, e que a população estivesse ainda mais exposta ao fumo passivo em ambientes coletivos.”

Comemoração

Em seu discuso, a diretora-geral do instituto, Ana Cristina Pinho Mendes Pereira, destacou que 90% dos casos de câncer de pulmão estão relacionados ao tabagismo, que é considerado uma epidemia.

“É o fator de risco com mais alto nível de evidência científica”, afirmou.

“Apesar de todo conhecimento científico acumulado nas últimas décadas, a epidemia tabagística continua sobrecarregando os sistemas de saúde, empobrecendo populações, comprometendo a saúde de fumantes e não fumantes, crianças, adolescentes, jovens e da população, que é exposta à fumaça.”

Na oportunidade, os pesquisadores alertaram que, além de provocar câncer no pulmão, o hábito de fumar está relacionado ao agravamento de doenças respiratórias e também a casos de doença pulmonar obstrutiva crônica.

Agência Brasil

 

Dólar cai 1,33% e fecha em R$ 3,92, menor valor desde 30 de abril

O dólar fechou maio em R$ 3,9255, a menor cotação desde 30 de abril. Na semana, a moeda recuou 2,23%, o que reduziu a valorização no mês para apenas 0,11% – a menor alta mensal desde fevereiro. O pregão desta sexta-feira, 31, teve a primeira parte dos negócios influenciada por fatores técnicos, que foi a disputa pela definição da taxa referencial Ptax do mês, que é usada em contratos cambiais e nos balanços de empresas. Na parte da tarde, a influência foi do cenário externo, dia em que o dólar caiu ante boa parte das moedas fortes e de emergentes, em meio a novos temores de piora da economia mundial.

O real foi uma das moedas que mais ganhou força nesta sexta ante o dólar no mercado financeiro internacional, dia em que a moeda americana subiu forte no México (+2,32%), após o presidente Donald Trump ameaçar tarifar produtos do país vizinho, deslocando, ao menos temporariamente, o foco da guerra comercial da China para a economia mexicana. Inicialmente, os operadores temiam que a forte alta do dólar no México, que chegou a superar os 3%, pudesse contaminar o real, mas aconteceu o oposto.

Em dia de agenda local esvaziada, profissionais de câmbio observam que o anúncio de Trump acabou beneficiando o real. Investidores internacionais rebalancearam carteiras reduzindo posições no México e aumentando em outros emergentes, movimento que tende a continuar. Por isso, mesmo após o fim da disputa pela Ptax, vencida pelos vendidos, que defendem a queda do dólar, a moeda americana manteve o ritmo de baixa. “O aumento das tarifas tem condições de empurrar a economia mexicana para a recessão”, observam os estrategistas do banco espanhol BBVA. O Instituto Internacional de Finanças (IIF), com sede em Washington, destaca que a renda fixa brasileira já atraiu compradores estrangeiros nas últimas semanas.

No Brasil, o clima político mais ameno e a expectativa de avanço da reforma da Previdência ajudou o dólar a sair de níveis perto de R$ 4,10 para R$ 3,90, na mínima desta sexta, em apenas dez dias. “O presidente Bolsonaro parece estar suavizando seu discurso para conseguir passar a reforma”, afirma o estrategista em Nova York do banco de investimentos Brown Brothers Harriman (BBH), Win Thin. Ele destaca que um passo importante foi o encontro de Bolsonaro esta semana com representantes dos outros Poderes, que prometeram firmar um pacto para o País voltar a crescer.

Estadão Conteúdo

Comments

Petrobras reduz preço da gasolina em 7% e do diesel em 6% nas refinarias

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse nesta sexta-feira, 31, que não há espaço para ideologias e paixões no Judiciário. Em evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista, ele reforçou que os juízes têm papel moderador e o objetivo único de obedecer à lei e à Constituição. A posição de Toffoli acontece após o presidente Jair Bolsonaro ter criticado a atuação da Corte no julgamento sobre criminalização da homofobia, que já tem maioria formada, favorável.

“Por isso não há lugar para paixões, ideologias e vontades. Juiz não pode ter vontade. Se tiver vontades, sai da magistratura, vai para política, para movimentos associativos, vai para o Executivo, vai ser candidato”, afirmou.

Mais cedo, em evento religioso em Goiânia, o presidente Bolsonaro disse que o STF estaria legislando sobre o assunto, apontando que essa seria uma função do Congresso. Disse ainda que talvez seja o momento de ter um ministro evangélico.

Toffoli destacou ainda que já há maioria formada (seis votos a zero) em relação à criminalização da homofobia, ainda que o julgamento não tenha acabado. “Já está sinalizada a discussão”, afirmou.

O ministro do STF Alexandre de Moraes já havia rebatido as críticas no início da tarde de hoje, também sob o discurso de que o Judiciário tem papel de moderador. Ele ressaltou que a Constituição é clara em relação à discriminação. E minimizou a declaração sobre um possível ministro evangélico. Para Moraes, a indicação de ministros é feita pelo presidente e é natural ter um nome alinhado ideologicamente com o governo.

Questões tributárias

Toffoli disse ainda defender o enxugamento das questões tributárias na Constituição Federal. Segundo ele, o atual sistema tributário está “completamente ultrapassado”. Isso, aliado à excessiva constitucionalização do tema, gera uma grande judicialização do assunto, disse ele.

No evento da Fiesp, ele destacou que há hoje R$ 1 trilhão em discussão no STF sobre matérias tributárias. “O STF tem sido diuturnamente acionado para tratar da responsabilidade fiscal dos entes federativos e inúmeras questões tributarias”, disse, completando:

“Tenho conversado com autoridades do Executivo e Legislativo nessa linha: nas reformas, diminuam o texto da Constituição, não o aumentem”.

Comments

Alexandre de Moraes, do STF, rebate Bolsonaro e diz que lei protege minorias

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal) afirmou que a Corte não está legislando no caso da criminalização da homofobia, que voltará a ser analisada pelos magistrados no começo de junho.

Ele foi questionado por repórteres, depois de um almoço no IASP (Instituto dos Advogados de São Paulo), sobre as declarações do presidente Jair Bolsonaro, que questionou se o STF não estaria “legislando” ao tratar da questão.

“Não há nada de legislar. O que há é a aplicação da efetividade da Constituição, [que é] protetiva de uma minoria que no Brasil sofre violência tão somente por sua orientação sexual”, afirmou Moraes.

“O Brasil é o quarto país do mundo com maior índice de agressões a pessoas tão somente em virtude de sua orientação sexual. Não é possível continuar com isso”, diz o magistrado.

Moraes explicou que o Congresso já criou leis para inibir o preconceito “contra mulher, contra crianças, contra idosos, contra o consumidor, contra pessoas com deficiência e contra qualquer outro tipo de discriminação. Ou seja, o Congresso legislou sobre todas [as formas de preconceito]. E se quedou inerte em relação a outra [contra os homossexuais] que é uma interpretação possível de preconceito em geral, que já está na lei”.

Questionado se o momento conservador por que passa o país não poderia prejudicar a análise de pautas mais liberais, ele disse: “Não porque não é o governo que julga. Quem julga é o Supremo Tribunal Federal. Quem faz a pauta é o STF”.

Moraes comentou também a afirmação de Bolsonaro de que talvez seja a hora de nomear um ministro evangélico para o STF.

“Ele, sendo presidente da República, pode escolher aquele que entender que seria o perfil ideológico mais próximo de seu governo. Isso ocorre no Brasil, nos EUA. Cabe ao Senado aprovar. São declarações normais, cada presidente tem o direito constitucional de escolher ministros do STF”, afirmou.

O magistrado disse também que não se incomodou com as afirmações de Bolsonaro de que o STF talvez esteja legislando, função que é do Congresso Nacional.

“De forma alguma. Cada poder, executivo, legislativo e judiciário, cada poder tem o seu entendimento. No âmbito de suas atribuições, cada um dos poderes deve efetivar a Constituição. O fato de o presidente não concordar, é direito dele. Assim como o Legislativo pode não concordar. Assim como o próprio Supremo, quando declara a inconstitucionalidade de uma lei, não concorda com o poder Legislativo. Isso faz parte do próprio jogo democrático. Não me incomoda de forma alguma”, diz o ministro.

Mônica Bergamo/Folha de S.Paulo

 

LOCAIS

Prefeitura de Parnamirim conclui nova iluminação de led na Avenida Olavo Montenegro

Foi concluída na noite desta sexta-feira (31), pela Prefeitura de Parnamirim, a nova iluminação pública de LED da Avenida Olavo Montenegro, em Nova Parnamirim.

O prefeito Rosano Taveira acompanhado do secretário de Serviços Urbanos, Charles Quadros, do secretario chefe do Gabinete Civil, Woney França e do presidente da Câmara Municipal, Irani Guedes e demais colaboradores estiveram na Avenida Olavo Montenegro, em Nova Parnamirim, para a entrega da nova iluminação de led.

No local, além da instalação das luminárias com 150 Lâmpadas de LED de 150w e 10 novos postes de concreto. Equipes da secretaria realizaram, também, a instalação de nova rede elétrica o que permite que a avenida conte agora com iluminação dos dois lados. O valor total do serviço foi de R$ 247.711,22.

“Hoje estamos entregando a nova iluminação da Olavo Montenegro, já instalamos em outros bairros e vamos expandir o serviço de iluminação de LED na cidade, além de investir em câmeras de monitoramento no nosso município, para trazer mais segurança e tranquilidade para todos” – disse o Prefeito Rosano Taveira.

Além da Olavo Montenegro, a Semsur já realizou a instalação de novas luminárias na Comunidade do Planaltinho, em Jardim Planalto e nos bairros de Rosa dos Ventos, Passagem de Areia, Vale do Sol, Centro, Boa esperança, Primavera e Liberdade.

Fonte: Blog do BG

 

Por Leonardo Erys, G1 RN

 

Tatiana Van Campo e Ana Paula — Foto: Arquivo pessoal

Tatiana Van Campo e Ana Paula — Foto: Arquivo pessoal

A empresária e cabeleireira Tatiana Van Campo voltou ao seu salão de beleza, localizado no bairro Ponta Negra, Zona Sul de Natal, na noite de sexta-feira passada (24) para buscar uma bolsa que tinha esquecido. Antes mesmo de entrar, deu de cara com uma moradora de rua comendo lixo na calçada, bem em frente ao seu estabelecimento. Comovida com a cena, Tatiana ofereceu abrigo e comida à mulher, de nome Ana Paula, uma transexual de aproximadamente 40 anos, que fez um pedido especial: queria fazer a sobrancelha. Em troca, ela oferecia limpar o salão.

Tatiana Van Campo e duas funcionárias – Jéssica Mendes e Lílian Soraya – fizeram mais. Três dias depois, na segunda-feira (27), Ana Paula reapareceu e ganhou da equipe uma transformação completa de beleza. A história foi compartilhada pela dona do salão na internet e viralizou como um ato de solidariedade.

“Eu nunca a tinha visto e aquela cena me doeu muito. Foi muito triste. Ela estava mal, suja, e eu não podia deixar aquilo passar batido. Foi mais forte que eu”, lembra Tatiana sobre quando a acolheu pela primeira vez.

Ana Paula quando chegou ao salão de beleza — Foto: Arquivo pessoal

Ana Paula quando chegou ao salão de beleza — Foto: Arquivo pessoal

Enquanto jantavam no salão de beleza no primeiro encontro entre elas, Ana Paula contou que mora na rua há mais de 25 anos, desde que foi expulsa de casa por sua orientação sexual. “Nós fizemos a transformação para tentar diminuir um pouco a dor dela”, conta Tatiana. “Quando estava indo embora, ela sorriu e externou uma gratidão tão grande por nós”, lembra.

O salão de beleza de Tatiana Van Campo tem em uma classe mais elitizada o seu público-alvo. E a transformação de Ana Paula aconteceu com o local em pleno funcionamento. “Na hora que ela entrou, algumas clientes olharam, ficaram com aquela cara meio de surpresa, algumas até pensaram que fosse um assalto. Mas logo depois todas elas se contagiaram com a transformação”, explica Tatiana. “Em nenhum momento eu pensei que isso de alguma forma pudesse afastar a clientela. Nem passou pela minha cabeça”, diz.

A surpresa também foi grande para a própria Ana Paula, que desconfiou ao ser presenteada com esse gesto. “Ela pegou na minha mão e me disse que éramos anjos e perguntou se poderia me abraçar. Nos abraçamos bastante”, diz.

Ana Paula após a transformação — Foto: Arquivo pessoal

Ana Paula após a transformação — Foto: Arquivo pessoal

A empresária, que também ministra cursos, quer seguir ajudando a moradora de rua. Ela vai dar um curso profissionalizante gratuito para que Ana Paula se capacite a trabalhar em salões de beleza. Outros auxílios também já foram dados com a repercussão do caso. “Ela ganhou um tratamento dentário de uma dentista trans em São Paulo que se comoveu com o fato”, relata a empresária.

Tatiana não queria divulgar a história, à princípio, mas foi convencida por uma funcionária a fazer. “Tenho uma funcionária que também é transexual e que achou importante que divulgássemos a história, como forma de mostrar essa história pessoal e incentivar outras pessoas a fazerem coisas parecidas”, diz. “A gente sentiu uma onda muito grande de amor com a Ana Paula. Queremos fazer isso mais vezes, com outras pessoas”.

Fonte: G1 RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0