ÚLTIMAS NOTÍCIAS DESTA QUARTA-FEIRA

Por G1

 

A presença de estados e municípios na reforma da Previdência divide a Câmara. E a previsão é de colapso financeiro se forem excluídos das mudanças. Deputados aprovam a PEC que engessa o Orçamento, e a falta de acordo no Congresso adia a votação da medida que libera crédito de R$ 249 bi para o governo. Bolsonaro diz que, por ele, motoristas só perderiam a CNH com 60 pontos. Celular de Moro é hackeado. Brasil registra 65,6 mil assassinatos em 2017, maior nível já registrado. Caixa corta juros do financiamento de imóveis.

NACIONAIS

Previdência nos estados

Samuel Moreira (PSDB), relator da comissão especial da Reforma da Previdência na Câmara — Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Samuel Moreira (PSDB), relator da comissão especial da Reforma da Previdência na Câmara — Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara, Samuel Moreira, disse que os deputados estão “bem divididos” sobre a aplicação aos servidores estaduais e municipais das regras de aposentadoria previstas na proposta do governo. Parte dos parlamentares resiste, e não quer bancar o desgaste político com as bases.

Prefeitos e governadores se mobilizam para manter estados e municípios na reforma. O governador de SP, João Doria, criticou a possibilidade e afirmou que se eles saírem haverá um forte comprometimento fiscal para todos. “A eventual possibilidade de excluir estados e municípios seria um desastre para o país”, disse.

A proposta do governo federal prevê economia de R$ 350 bilhões em 10 anos para os estados se os servidores estaduais não forem excluídos das regras de aposentadoria previstas no texto.

‘Regra de ouro’

Sessão da Comissão Mista de Orçamento do Congresso nesta quarta-feira (5) — Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Sessão da Comissão Mista de Orçamento do Congresso nesta quarta-feira (5) — Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Sem acordo, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) adiou para a semana que vem a votação do projeto de lei que autoriza um crédito de R$ 248,9 bilhões para o governo, com o objetivo de evitar o descumprimento da chamada “regra de ouro”. Previsto na Constituição, o mecanismo impede que o governo contraia dívidas para pagar despesas correntes, como salários e benefícios sociais, que sem esse dinheiro correm riscos já a partir da semana que vem.

Orçamento Impositivo

Câmara aprova a PEC do Orçamento Impositivo

Câmara aprova a PEC do Orçamento Impositivo

A Câmara concluiu a votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) do Orçamento Impositivo, que obriga o governo a pagar emendas parlamentares e tira do Executivo o poder para remanejar despesas. Trecho com aval de deputados e senadores seguirá para promulgação do Congresso; demais pontos serão reanalisados no Senado.

Código de Trânsito

O presidente Bolsonaro disse que a quantidade de pontos necessárias para se cassar uma carteira de habilitação poderia chegar a 60 se dependesse apenas dele. Ontem, Bolsonaro foi pessoalmente à Câmara entregar um projeto com mudanças no código de trânsito. Entre as alterações, está a ampliação de 20 para 40 pontos o limite para suspensão da CNH.

Outra proposta tira a multa de motoristas de carros sem cadeirinha infantil, um dos pontos criticados por entidades. O equipamento pode reduzir os acidentes com crianças em até 60%, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, o número de mortes de crianças em carros caiu 12,5% desde que uso do item se tornou obrigatório, em 2008, segundo o Ministério da Saúde.

Casa própria

A Caixa Econômica reduziu a taxas de juros do financiamento para compra de imóveis. O banco também anunciou novas possibilidades para renegociação de empréstimos em atraso. Para os empréstimos concedidos por meio do Sistema Financeiro de Habitação, a taxa passou de 8,75% para 8,5%. O banco tem 589 mil contratos em atraso e espera recuperar até R$ 1 bi neste ano com renegociação de dívidas.

Ataque hacker

O celular do ministro Sérgio Moro foi alvo de uma tentativa de invasão hacker, segundo o Ministério da Justiça. A Polícia Federal investiga a invasão, e a linha do ministro já foi abandonada. O celular teria sido hackeado por volta das 18h de ontem, quando Moro atendeu uma ligação feita pelo próprio número dele.

Atlas da violência

Atlas da Violência mostra crescimento do número de assassinatos no Brasil em 2017

Atlas da Violência mostra crescimento do número de assassinatos no Brasil em 2017

O Brasil teve 65.602 pessoas assassinadas em 2017, o maior nível já registrado. É o que revela o Atlas da Violência, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. São 1.707 mortes a mais que as divulgadas pelas autoridades de segurança.

Pela 1ª vez, o Atlas fez também um capítulo para mostrar a violência contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais. No último ano, diferentemente dos demais grupos, como idosos e crianças, houve crescimento de 127% de denúncias de homicídio contra a população LGBTI+.

Também teve isso…

Fonte: G1
Por Blog do BG

CCJ do Senado vota na quarta parecer sobre projetos que sustam decreto de armas

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado deve votar na próxima quarta-feira (12) o relatório do senador Marcos do Val (Cidadania-ES) sobre os projetos de decreto legislativo (PDLs) que suspendem o decreto com as novas regras sobre armas de fogo editado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Na reunião de hoje (5), o parlamentar, favorável ao decreto, concluiu a leitura do seu relatório, sugerindo a rejeição dos PDLs. Além disso, os senadores Major Olímpio (PSL-SP) e Juíza Selma (PSL-MT) apresentaram um requerimento solicitando a realização de audiência pública para discutir as novas regras. O pedido, no entanto, foi rejeitado por 16 votos a 4.

Major Olímpio lamentou a rejeição do requerimento. “Eu pedi a audiência pública para trazer mais argumentos. O sentimento que tive hoje foi de que não quiseram a audiência pública porque já estão decididos a rejeitar o relatório”, disse.

Para o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor de um dos PDLs, o requerimento visava apenas a adiar a votação. “Era uma atitude meramente protelatória”, disse o senador. Para ele, o placar “já está decidido” e deverá ser o mesmo da votação do requerimento.

Senadores do PT, PSDB, Podemos, Democratas, Rede, PDT e MDB votaram juntos contra o requerimento.

Se o relatório de Marcos do Val for rejeitado, será lido o voto em separado de Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), favorável à suspensão do decreto de Bolsonaro. Fabiano Contarato (Rede-ES) também apresentou voto em separado, no mesmo sentido. Após passar pela CCJ, o relatório aprovado irá a plenário. Para Major Olímpio, se a sociedade não se mobilizar, o decreto presidencial pode sofrer uma derrota no Senado.

Comments

Lula e entorno tentam reduzir expectativa sobre semiaberto

O entorno do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está se cercando de cuidados em relação ao parecer do Ministério Público Federal (MPF) favorável à ida do petista para o regime semiaberto.

A ordem é não falar sobre estratégias em curso para pagar a multa de R$ 2,4 milhões aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao ex-presidente nem sobre o local onde Lula poderia trabalhar caso seja transferido para o regime semiaberto.

Advogados e pessoas próximas ao ex-presidente temem que a divulgação dessas informações sirva de munição para adversários tentarem dificultar a saída do petista, preso em Curitiba desde o dia 7 de abril do ano passado depois de ser condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva no caso do triplex do Guarujá.

Na terça, em entrevista as blogs “Tutameia” e “Diário do Centro do Mundo”, o próprio Lula tratou de baixar as expectativas em relação ao parecer do MPF.

“Eu não sei (se vou sair). Deixa eu contar uma coisa para vocês. Eu não gosto de alimentar expectativa. Não tem nada pior para um preso do que expectativa frustrada. Quando você está livre, você marca o encontro com uma namorada ou namorado, e ele não comparece, você fica fulo da vida, vai num bar, toma uma cachaça ou um uísque e você fica normal. Mas, quando você está preso e tem uma expectativa e ela não acontece…”, avaliou o ex-presidente.

Na entrevista, Lula disse que não aceitaria ser obrigado a usar tornozeleira eletrônica. “Tornozeleira é para bandido ou pombo”, disse ele. Em dois pareceres encaminhados ao STJ no dia 29 de maio, o MPF afirma que Lula já pode progredir para o regime semiaberto – quando o condenado sai da prisão para trabalhar durante o dia e retorna à noite.

O entendimento do MPF é de que o tempo que o petista já cumpriu em Curitiba (um ano, um mês e 28 dias completados nesta quarta-feira, 5) deve ser descontado da pena de oito anos, 10 meses e 20 dias imposta pelo STJ em abril. Com isso, a punição cairia para menos de oito anos de prisão, pena mínima para que o condenado seja enviado ao regime fechado.

Caso o STJ acolha os argumentos da defesa e do MPF e decida que Lula tem direito a migrar para o semiaberto, o petista ainda precisa pagar a multa de R$ 2,4 milhões e conseguir um emprego que justifique as saídas diárias.

Segundo o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, uma possibilidade é o ex-presidente trabalhar no próprio Instituto, onde dava expediente desde que deixou a Presidência da República até a véspera da prisão. “É uma possibilidade, mas quem vai decidir isso é a juíza de execução. De qualquer forma, acho que não é difícil conseguir um emprego para o Lula”, disse Okamotto.

De acordo com ele, ainda não há discussão sobre como fazer para arrecadar os R$ 2,4 milhões da multa, que é objeto de recursos por parte da defesa de Lula. “A empresa (OAS) já fez acordo de leniência e pegou os prejuízos à Petrobras. O apartamento já foi leiloado. Vão cobrar pela terceira vez?”, questionou Okamotto.

Estadão Conteúdo

Comments

Mulher que acusa Neymar quebra o silêncio: ‘Fui vítima de estupro’

A mulher que acusa o atacante Neymar de estupro falou pela primeira vez sobre o caso nesta quarta-feira, em entrevista ao SBT. E indicou que o jogador iniciou as agressões que teriam culminado em estupro por se negar a usar preservativo.

Najila Trindade Mendes de Souza, que tem depoimento marcado para esta quinta-feira, na 6..a Delegacia de Polícia da Mulher, em São Paulo, quebrou o silêncio antes e deu detalhes sobre os encontros com o jogador em um hotel em Paris. Segundo ela, o jogador passou passagens e hotel para a mulher ir para a França.

– Fui vítima de estupro. Agressão juntamente com estupro – disse ao SBT.

De acordo com a suposta vítima, durante a relação sexual, Neymar se recusou a usar preservativo e se irritou. Ainda segundo a mulher, foi quando começaram as agressões contra ela.

O Globo

 

Vacina da gripe: entenda por que não há contraindicações

O Ministério da Saúde recomendou que Estados e municípios estendam a vacinação contra o vírus da gripe para toda a população. A vacinação seguirá enquanto durarem os estoques.

“Mesmo abrindo para a toda população, é fundamental que os grupos prioritários continuem procurando o posto de vacinação”, enfatiza Helena Sato, diretora de imunização da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. As vacinas são destinadas a um grupo prioritário, mais suscetível ao agravamento de doenças respiratórias. Pertencem a esse segmento crianças, gestantes, idosos, pacientes crônicos, profissionais de saúde e professores, entre outros.

Há muitas dúvidas sobre a vacinação e casos de contraindicação. Confira abaixo alguns esclarecimentos sobre a imunização contra o vírus Influenza:

Quem não pode tomar a vacina da gripe?

Hoje, não há contraindicação para a vacina da gripe, porque o imunizante contra o vírus Influenza é uma vacina morta e inativada, afirma Helena. “De modo geral, vacinas que temos contraindicação são vacinas como a do sarampo, que usa partes do vírus vivo.”

O Ministério da Saúde afirma que a vacina é contraindicada apenas para crianças menores de seis meses. No caso de pessoas com alergia severa a ovo, é preciso tomar a vacina em ambiente hospitalar com oferta de tratamento de emergência e urgência.

Do que é feita a vacina da gripe?

Ela é composta de fragmentos do vírus Influenza, o vírus que causa a gripe. A vacina possui os vírus H1N1, H3N2 e B.

A vacina da gripe tem um vírus vivo?

Não. A vacina contra o vírus Influenza é feita somente de partes do vírus Influenza. Por sua vez, vacinas contra outras doenças podem conter o vírus vivo, porém atenuado. “A vacina contra o sarampo é um exemplo de vacina com vírus atenuado. Ele não é forte o bastante para causar doença, mas é o suficiente para estimular a resposta imunológica e produzir anticorpos”, explica a diretora de imunização.

Por que a vacina da gripe deve ser tomada todo ano?

A vacina da gripe é anual porque é feita sob medida com os principais vírus Influenza que estão em circulação no hemisfério sul naquele ano. “Muitas vezes, a vacina do hemisfério norte é diferente da nossa. Isso porque o inverno ocorre em períodos diferentes do ano”, explica Helena.

A vacina pode causar gripe?

Isso é um mito. A vacina da gripe protege contra o vírus Influenza. Já o resfriado, muito comum no inverno, é um quadro leve de tosse e coriza nasal. Ele é causado pelo Rinovírus, que ainda não possui vacina.

“Quem se infecta pelo vírus da gripe, o vírus Influenza, pode evoluir com complicações para pneumonia e internação hospitalar”, diz Helena. “E os grupos prioritários têm risco maior de desenvolver as complicações. Por isso, devem se vacinar.”

Quem amamenta pode tomar a vacina da gripe?

Sim. A contraindicação para grávidas ocorre apenas no caso de vacinas com o vírus vivo, pois ele pode ser passado de mãe para filho. O mesmo ocorre para mães lactantes. No caso da gripe, porém, isso não ocorre, uma vez que a vacina contém apenas partes do vírus.

Quem toma vacina pode comer ovo?

Não há restrição ao consumo de ovo para quem tomar a vacina da gripe. Até então, as equipes de saúde afirmavam que a alergia a ovo era uma contraindicação à vacina, uma vez que o processo de fabricação da vacina utiliza ovos.

Hoje, no entanto, até mesmo pessoas que apresentaram reação alérgica leve, como urticárias, podem procurar o posto de vacinação. Há casos atípicos de alergia grave, com falta de ar e vômitos. Nesses casos, a pessoa deve tomar a vacina em ambiente hospitalar. “Por isso, é bom avisar à equipe de vacinação se você já teve uma reação alérgica muito forte, e ela tomará as providências.”

Quem toma a vacina da gripe pode tomar corticoide?

Não há contraindicação para pessoas que tomam remédios com corticoide.

Quem toma a vacina da gripe pode tomar antibiótico?

Não há contraindicação para pessoas que tomam antibióticos.

Quem toma vacina da gripe pode beber álcool?

Não há contraindicação para pessoas que ingerem bebidas alcoólicas.

Por que não pode tomar a vacina da gripe gripado?

Não há essa contraindicação. A vacina da gripe está liberada.

Quem está no grupo prioritário do governo?

Segundo o Ministério da Saúde, o público-alvo é formado por gestantes, puérperas, crianças entre 6 meses e 6 anos, idosos, indígenas, professores, trabalhadores de saúde, pessoas com comorbidades, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade, além de profissionais de segurança e salvamento.

Estadão Conteúdo

Comments

[FOTO] Pai de Neymar diz que filho se defendeu de mulher que lhe daria garrafada; veja parte da cena do hotel

O pai do atacante Neymar detalhou nesta quarta-feira mais informações sobre o incidente entre o atacante e a mulher que o acusa de estupro. Em entrevista ao programa Cidade Alerta, da TV Record, ele afirmou que a possível agressão ocorrida em um quarto de hotel em Paris foi na verdade um ato para o jogador se defender e evitar ser atingido por uma garrafa de vinho.

O canal divulgou uma imagem retirada de um vídeo gravado durante o segundo encontro em Paris entre Neymar e a garota que o acusa de estupro. O material mostra que o jogador está deitado em uma cama, com as pernas para o alto e em direção à moça, que está de pé e próximo ao atacante. Na entrevista ao vivo concedida ao programa, o pai do camisa 10 confirmou a veracidade da imagem.

“Isso é um vídeo que foi ‘printado’ (captura de uma imagem). É um vídeo que vai provar que o Neymar foi agredido. Ela provoca uma agressão nele para que ele pudesse revidar. Quando ele percebe que está acontecendo uma armação, uma armadilha, ele se joga para trás na cama, porque ia levar uma garrafada”, disse o pai do jogador. “Nunca vi um agressor ficar por baixo em uma briga”, comentou.

Segundo o pai de Neymar, o atacante se encontrou com a garota pela segunda vez, mas foi embora logo depois, ao notar que havia um celular no ambiente, apoiado em um móvel e ligado para registrar imagens. O advogado contratado inicialmente pela denunciante, José Edgard Cunha Bueno, também confirmou ao Estado a existência desta gravação.

“Ele entra no quarto e o celular já estava gravando. Para nós eria bom que esse vídeo aparecesse. Isso que a gente está tentando fazer”, comentou o pai do atacante do Paris Saint-Germain. Além da denúncia por estupro, Neymar também responde a um crime virtual, por ter divulgado imagens de nudez da garota sem a autorização dela.

O programa também trouxe a informação de que a defesa de Neymar contratou uma equipe de dermatologistas para avaliar as imagens existentes no laudo da Polícia sobre o caso de agressão e estupro. Segundo a TV Record, os médicos contratados pelo jogador avaliaram que as marcas vermelhas existentes nas nádegas e na coxa da mulher são fruto de um procedimento estético para remover estrias.

Comments

AGU volta a defender novo decreto de armas de Bolsonaro

A Advocacia-Geral da União voltou a defender o decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que flexibiliza o porte e a posse de armas. Perante à ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, o órgão opina pela improcedência de ação movida pela Rede Sustentabilidade contra a medida do Planalto.

Em ação, a Rede sustenta que “ao flexibilizar as regras de porte e aquisição de armas e munições aos colecionadores, atiradores e caçadores, põe em risco a segurança de toda a sociedade e a vida das pessoas”.

A AGU também se manifestou contra uma ação do PSOL, que pede o reconhecimento de inconstitucionalidade do decreto, e também está sob relatoria de Rosa.

Segundo o partido, a medida do governo se deu “sem amparo científico, indo de encontro à construção de uma sociedade solidária, em ato que excede o mero poder regulamentar, em verdadeira usurpação ao poder de legislar do Congresso Nacional, violando, desta forma, garantias básicas do Estado Democrático de Direito”.

A AGU rebate e diz que “a argumentação articulada na peça vestibular carece de respaldo mínimo”. “Com efeito, a autora tenta consolidar uma presunção hipotética de crescimento do número de mortes violentas no Brasil, baseado na premissa incorreta de que o porte e a posse de armas teriam sido autorizados de forma generalizada pelas normas questionadas”.

“Todavia, tais fatos estão absolutamente desprovidos de lastro fático-probatório”, sustenta.

Para a AGU, “por outro lado, conforme exposto em preliminar, praticamente todas as normas impugnadas de maneira especificada não mais estão em vigor, diante das alterações substanciais decorrentes da edição do Decreto nº 9.797/2019”. “Eventual suspensão da vigência das normas revogadas provocaria, inclusive, insegurança jurídica quanto à produção dos efeitos das novas normas revogadoras, já vigentes no cenário normativo nacional”.

“Conclui-se, portanto, pela ausência dos pressupostos necessários à concessão da medida cautelar pleiteada na presente arguição de descumprimento de preceito fundamental”, afirma.

Depois de contestações na Justiça e no Congresso, o presidente Jair Bolsonaro publicou no dia 22 de maio, várias retificações no chamado Decreto de Armas, editado no início deste mês para facilitar o porte de armas no País. As correções constam de dois novos decretos.

Segundo o governo, o novo texto inclui “vedação expressa” à concessão de armas de fogo portáteis, como fuzis e carabinas, ao cidadão comum.

Estadão Conteúdo

Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

Por G1 RN

 

Sessão aconteceu nesta quarta-feira (5) — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Sessão aconteceu nesta quarta-feira (5) — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Os vereadores aprovaram na sessão desta quarta-feira (5) da Câmara Municipal de Natal cinco das 32 emendas do projeto de lei que visa regulamentar os aplicativos de transporte na capital potiguar. Três delas foram rejeitadas no início da sessão – elas já haviam sido descartadas na Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final, há dois dias. A votação agora vai seguir nesta quinta-feira (6).

As emendas 10, 11, 14, 19 e 30 foram aprovadas nesta quarta, mas duas delas (a 10 e a 19) tratavam do mesmo tema. Os pontos aprovados nesta tarde pelos vereadores são relacionados à realização de um cadastro que deve ser feito pelos motoristas de aplicativo na Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito Urbano (STTU).

Assim, os motoristas passarão a ter uma carteira de identificação para que possam trabalhar nos aplicativos de transporte. Esse registro será feito por parte das empresas dos aplicativos e não de forma individual pelos motoristas, segundo o que ficou definido.

Entre as emendas descartadas já no início da sessão está uma que tentava limitar o número de profissionais que trabalha como motorista de aplicativo na capital potiguar. Essa emenda já havia sido descartada em sessões anteriores pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final.

Protesto dos motoristas de aplicativo na Câmara de Natal — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Protesto dos motoristas de aplicativo na Câmara de Natal — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

A galeria da Câmara Municipal de Natal ficou lotada para acompanhar a votação das emendas. Motoristas de aplicativos e taxistas, interessados neste debate, acompanharam a sessão e manifestaram suas posições com cartazes. Uma das ruas que dá acesso à Câmara foi fechada e um telão colocado do lado de fora para que os que não conseguiram entrar pudessem acompanhar a sessão. Não houve confusões.

Taxistas também se manifestaram na galeria — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Taxistas também se manifestaram na galeria — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Telão foi colocado do lado de fora da Câmara para que interessados acompanhassem votação — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Telão foi colocado do lado de fora da Câmara para que interessados acompanhassem votação — Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Projeto de lei

A vereadora Nina Souza (PDT) é a autora do substitutivo ao projeto protocolado inicialmente pelo então vereador Sandro Pimentel (Psol), atualmente deputado estadual. As mudanças apresentadas por ela adequam a proposta à Lei Federal nº 13.640, aprovada no ano passado.

Caso o projeto de lei seja aprovado, os motoristas de aplicativo deverão passar por um curso de formação e serão registrados na Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal, para poderem exercer a atividade na cidade. Entre as mudanças, também está a criação de uma taxa de 1% sobre o valor de cada viagem, paga ao poder público municipal.

A taxa deverá ser a título de “Uso do Sistema Viário Urbano” e a soma, paga ao município mensalmente. Caso as empresas não paguem o valor, poderão perder o credenciamento junto ao poder público.

Fonte: G1 RN

Por G1 RN

 

Mulheres de detentos da Penitenciária de Alcaçuz fazem protesto no Centro Administrativo do Governo do RN — Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi

Mulheres de detentos da Penitenciária de Alcaçuz fazem protesto no Centro Administrativo do Governo do RN — Foto: Acson Freitas/Inter TV Cabugi

Mulheres de detentos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, que fica em Nísia Floresta, na Região Metropolitana, realizaram um protesto nesta quarta-feira (5). A manifestação aconteceu no Centro Administrativo do Governo do Estado, em Natal.

Com faixas e cartazes, elas reivindicavam melhores condições na unidade para os presos e também a separação dos presidiários por facções. Dentro a Penitenciária Estadual de Alcaçuz estão homens ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) e ao Sindicato do Crime do RN (SDC).

Nesta quarta, os presidiários iniciaram um motim na unidade prisional, que foi controlado logo em seguida. As mulheres dos presos estão acampadas no Centro Administrativo há 10 dias e, durante o protesto, fecharam as entradas e saídas de veículos.

Massacre

O Complexo Penitenciário de Alcaçuz, que inclui a Penitenciária Estadual de Alcaçuz e o Presídio Rogério Coutinho Madruga, foi palco de um massacre em janeiro de 2017, quando 26 presos foram assassinadosem uma rebelião envolvendo membros de duas facções criminosas que atuam noi estado. Na época, presos membros do PCC, encarcerados no pavilhão 5, invadiram o pavilhão 4, onde estavam presos membros do Sindicato do Crime do RN. O controle da unidade só foi retomado 14 dias depois.

Fonte: G1 RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0