EM INSTANTES: Império Serrano já desponta na Avenida

RESUMO

  • Sete escolas fazem neste domingo a primeira noite de desfiles
  • Os desfiles começam às 22h e serão transmitidos ao vivo pela TV Globo e pelo G1.
  • Cada escola terá de 65 minutos a 75 minutos para mostrar o seu carnaval.

ACOMPANHE

Começa o desfile do Império Serrano

Close na rainha!

Quitéria Chagas, do Império Serrano

Quitéria Chagas, do Império Serrano (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O governador de São Paulo João Doria está na Marquês de Sapucaí para assistir os desfiles neste domingo

O governador de São Paulo João Doria está na Marquês de Sapucaí para assistir os desfiles neste domingo (Foto: Henrique Coelho/G1Rio)

Henrique Coelho@Henriqueg112

Doria posa para fotos com coordenadores da Lei Seca antes de entrar no camarote do Governador do Rio, Wilson Witzel na Sapucaí

Veja outros Tweets de Henrique Coelho

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ver imagem no Twitter

Marcelo Moreira@mmoreira1

Coreógrafa Claudia Mota faz sua oração final antes do desfile do Império.

Alba Mendonça@albamendonca1

Setor 1 começa a cantar o samba da Império antes do esquenta.

Elaine Babo, musa do Império, dá os toques finais na fantasia. Ela vem perto das baianas, e seu look se chama ‘Seja domadora da sua vida’.

Elaine Babo, musa do Império

Elaine Babo, musa do Império (Foto: Marcos Serra Lima/G1)

Fonte: G1

Por G1 Rio


Rio entra em estágio de atenção por causa da chuva forte

Rio entra em estágio de atenção por causa da chuva forte

A Prefeitura declarou estágio de atenção às 17h40 deste domingo de carnaval (3) por causa da forte chuva que cai na cidade. Nas próximas horas, a previsão é de chuva forte e muito forte, acompanhada de raios e rajadas de vento, segundo o Centro de Operações.

O que você precisa saber:

  • Prefeitura declarou estágio de atenção às 17h40.
  • Foram registrados 28 alagamentos, principalmente na Zona Sul.
  • Previsão é de chuva forte e muito forte, raios e rajadas de vento.
  • Defesa Civil acionou sirenes em 54 comunidades, com 12 deslizamentos.
  • Houve desabamentos em 3 imóveis, com um ferido.
  • Hospital de Bonsucesso ficou alagado.
  • A Defesa Civil recebeu 69 chamados.

Segundo o Centro de Operações, choveu neste domingo quase 30% da média de chuva esperada para o mês de março.

Até 22h, 28 bolsões d’água foram registrados, principalmente nos bairros da Zona Sul da cidade, como São Conrado, Leblon, Jardim Botânico e Lagoa. Também foram registrados bolsões em bairros da Zona Norte da cidade, como o Rio Comprido.

Durante a chuva, o Hospital de Bonsucesso ficou inundado. Segundo a direção, no entanto, os pacientes não foram afetados e a emergência continua aberta.

A Defesa Civil acionou sirenes em 54 comunidades e registrou três desabamentos em imóveis na cidade por causa das chuvas, mas de baixa gravidade.

Por volta das 18h, houve o desabamento de um imóvel na Rua Getúlio Machado, na Vila Cosmos, Zona Norte do Rio. Uma vítima com escoriações, foi atendida pela ambulância. Às 18h45, caiu o muro de uma casa na Avenida Ministro Edgar Romero, em Madureira, Zona Norte do Rio. Ninguém se feriu.

Uma piscina de uma cobertura rompeu e inundou um dos apartamentos, num prédio na esquina da Rua Barão da Torre com Jangadeiros, em Ipanema, zona sul do Rio. Não há informações de vítimas.

O temporal começou quando milhares de pessoas desfilavam em blocos na Zona Sul e na Zona Norte. Várias ruas estão alagadas.

No Simpatia é Quase Amor, em Ipanema, os foliões continuaram a festa mesmo com a Avenida Vieira Souto alagada. Mas o desfile teve que ser encerrado antes do tempo.

Temporal durante o desfile do Simpatia é Quase Amor em Ipanema — Foto: Reprodução

Temporal durante o desfile do Simpatia é Quase Amor em Ipanema — Foto: Reprodução

Na Tijuca, as ruas ficaram alagadas e os foliões que desfilavam no bloco Marcha Nerd ficaram ilhados na Praça Xavier de Brito.

Previsão de mais chuva

Segundo o Centro de Operações, a Zona de Convergência de Umidade (ZCOU) em conjunto com ventos em altos níveis da atmosfera favorecem a formação de núcleos de chuva na região da Baixada Fluminense, e estes já atuam no município. Já houve registro de chuva muito forte em diversos pontos da cidade.

View image on TwitterView image on TwitterView image on TwitterView image on Twitter

Centro de Operações Rio

@OperacoesRio

CHUVA MUITO FORTE no Rio nas estações da Penha (23,4 mm), Irajá (21,2 mm), São Cristóvão(19,8 mm), Copacabana e Piedade.

Núcleos de chuva forte seguem atuando sobre o Rio.

Fique atento às recomendações:

Alagamentos

Ruas em vários bairros do Rio de Janeiro estão alagadas. A expectativa é que mais alagamentos ocorram com a previsão de mais chuva para as próximas horas.

Chuva alaga Rua Barão da Torre, em Ipanema

Chuva alaga Rua Barão da Torre, em Ipanema

Temporal alaga ruas da Tijuca

Temporal alaga ruas da Tijuca

Temporal alaga ruas no Humaitá

Temporal alaga ruas no Humaitá

Chuva forte alaga Linha Amarela, na altura de Del Castilho

Chuva forte alaga Linha Amarela, na altura de Del Castilho

Pessoas fogem da chuva do lado de fora do Sambódromo no Centro do Rio — Foto: Rodrigo Gorosito/G1

Pessoas fogem da chuva do lado de fora do Sambódromo no Centro do Rio — Foto: Rodrigo Gorosito/G1

Ônibus fica preso em rua alagada de Del Castilho, Zona Norte do Rio — Foto: Viviane Mateus

Ônibus fica preso em rua alagada de Del Castilho, Zona Norte do Rio — Foto: Viviane Mateus

Rio entra em estágio de atenção por causa da chuva — Foto: GloboNews

Rio entra em estágio de atenção por causa da chuva — Foto: GloboNews

chuva alagamento temporal rio de janeiro — Foto: Reprodução/G1

chuva alagamento temporal rio de janeiro — Foto: Reprodução/G1

Chuva forte provoca transtornos pela cidade do Rio

Chuva forte provoca transtornos pela cidade do Rio

Fonte: G1

 

Cobertura dos blocos de carnaval de São Paulo


RESUMO

  • Mais de 50 blocos desfilaram pelas ruas da capital paulista neste domingo (3)
  • Saia de Chita, Explode Coração, Prato do Dia e Ritaleena foram alguns dos destaques

ACOMPANHE

Rafael Miotto@miottorafa

Glória Groove dominando o Teatro Municipal.

Rafael Miotto@miottorafa

Muita confusão no Bloco das Gloriosas. Empurra-empurra na Xavier de Toledo, a rua não está comportando tanta gente.

Bloco Ilú Obá de Min faz música em homenagem a Marielle Franco no carnaval de SP https://glo.bo/2Tpuz65

G1 – São Paulo

@g1saopaulo

Bloco Ritaleena chega ao fim com público pedindo mais músicas e gritando palavras de ordem contrao governo Bolsonaro no ritmo da bateria. Manifestação envolveu pessoas que estavam próximas do bloco e durou mais de 1 minuto.

Ver imagem no Twitter

Rafael Miotto@miottorafa

Entrada do metrô Anhagabaú na Xavier de Toledo está fechada. Bloco das Gloriosas toca na rua.

G1 – São Paulo

@g1saopaulo

Bloco Ritaleena homenageou Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro assassinada no ano passado

Rafael Miotto@miottorafa

Um ‘mar’ de gente no Vale do Anhagabaú.

Fonte: G1

“Somos nós que pedimos que os militares venham”, diz ministro de Bolsonaro

Em entrevista ao Estadão, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, defendeu a escolha de militares para ocupar cargos de confiança na gestão Jair Bolsonaro.

Segundo o ministro, como não há um banco de dados de servidores para ocupar os cargos, a solução inicial encontrada pelo governo foi buscar militares na reserva das Forças Armadas.

“Quando precisamos substituir inúmeras pessoas e trazer gente confiável, com capacidade técnica, carreira ilibada é muito difícil”, disse ao Estadão.

“Somos nós que pedimos as indicações e que eles venham. Não são eles se impondo”, afirmou. “Há uma gama enorme de cargos de confiança, muito mal preenchidos, muitos deles aparelhados, ou com grau de comportamento questionável.”

O Antagonista

Comments

Fechamento da fronteira do Brasil com a Venezuela entra no décimo dia

O fechamento da fronteira entre Brasil e Venezuela entrou hoje (3) no décimo dia ainda sem solução à vista. O presidente venezuelano Nicolás Maduro anunciou no dia 21 de fevereiro o fechamento da fronteira com o Brasil.

Na quarta-feira (27), o governador de Roraima, Antonio Denarium, reuniu-se com o governador do estado de Bolívar, Justo Nogueira Pietri, para discutir a reabertura da fronteira terrestre. No encontro, eles conversaram sobre tratativas comerciais que possibilitem abastecer as cidades fronteiriças de Pacaraima e Santa Elena de Uairén. Ambos demonstraram preocupação com o desabastecimento de produtos básicos para as duas regiões.
Segundo o secretário adjunto de Comunicação do governo de Roraima, Ricardo Amaral, os representantes venezuelanos ficaram de levar o pleito de restabelecimento das relações comerciais na fronteira terrestre para o governo central da Venezuela, mas ainda não houve resposta.

De acordo com Amaral, não há registros recentes de casos de conflitos entre manifestantes e forças de segurança observados nos primeiros dias de fechamento da fronteira. “O maior impacto é para os comerciantes da fronteira porque, com a crise econômica e a escassez de produtos, os venezuelanos vinham comprar insumos do lado brasileiro”, disse.

Ontem (1º), Maduro afirmou, no Twitter, que sua determinação é promover, de forma pacífica, a cooperação e compreensão dos países com respeito e fraternidade. Ele não mencionou as reuniões do autodeclarado presidente venezuelano, Juan Guaidó, com os presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benítez, do Paraguai, ocorridas em momentos distintos.

Agência Brasil

 

Candidaturas de laranjas levam Congresso a propor fim de cota para mulheres

Foto: Agência Brasil

A revelação do esquema de candidaturas femininas de fachada simplesmente para que partidos atingissem o percentual mínimo de candidatas trouxe de volta ao Congresso a discussão sobre a cota de vagas para mulheres nas eleições.

No primeiro mês de trabalho do Legislativo foram apresentados dois projetos que levam em consideração o desvio de recursos a partir de candidaturas de laranjas.

O primeiro acaba com o Fundo Especial de Financiamento de Campanha, o chamado fundo eleitoral. O outro, da semana passada, extingue o percentual mínimo de candidatas.

Se aprovados até outubro, podem já valer para as eleições municipais de 2020.

Desde 2009, mulheres precisam ser 30% das candidaturas registradas por um partido.

Além disso, no ano passado, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu que as legendas deverão reservar pelo menos 30% dos recursos do fundo eleitoral para financiar candidaturas femininas. O mesmo percentual passou a ser considerado em relação ao tempo de propaganda eleitoral no rádio e na TV.

No entanto, como a Folha mostrou em reportagens neste ano, partidos usaram mulheres como candidatas laranjas nas últimas eleições.

Uma das siglas que adotou a prática foi o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, eleito com o discurso de ética e fim da corrupção.

Diante das denúncias, Gustavo Bebianno, que presidiu o partido na época das eleições, foi demitido do cargo de ministro da Secretaria-Geral, e o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, teve sua manutenção no cargo questionada por aliados do governo.

Reportagem da Folha publicada em 4 de fevereiro revelou que Álvaro Antônio, deputado federal mais votado em Minas Gerais, patrocinou um esquema de quatro candidaturas de laranjas, todas abastecidas com verba pública do PSL. O caso é investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público do estado e levou o ministro a reivindicar no STF (Supremo Tribunal Federal) foro especial —o que foi negado.

“No momento em que se estabeleceu o percentual de 30% para as mulheres, está claro agora que acabaram sendo conduzidos recursos para mulheres sem grande potencial eleitoral que servissem justamente de guarda-chuva para as campanhas dos marmanjos”, afirma Major Olímpio (SP), líder do PSL no Senado e presidente da legenda em São Paulo.

Ele é autor do projeto que acaba com o fundo eleitoral. Hoje, os candidatos recebem recursos desse fundo, do fundo partidário e de doações de pessoas físicas.

Olímpio diz que a obrigatoriedade da cota gera candidaturas sem consistência, “simplesmente para preencher um vazio”.

“[Para] Cada mulher que você não consegue nos 30%, você está perdendo candidatura masculina. É comum os partidos falarem ‘oh, cara, eu quero legenda para ser candidato num partido’. ‘Então, me arrume mais duas mulheres’”, afirma.

Já o projeto que acaba com a cota de mulheres foi apresentado pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA). Ele justifica que a participação feminina nas últimas eleições não se mostrou diferente do patamar histórico.

No ano passado, o número de mulheres registradas pelos partidos ficou próximo ao mínimo exigido por lei —30,7% dos pedidos de registro para a disputa aos cargos de deputado estadual e 31,59% para as vagas de deputado federal.

“Parto do princípio que as mulheres querem ter igualdade com os homens. Se querem igualdade, não precisa ter cota”, afirma Coronel.

No Congresso, há mulheres que concordam com ele.

“Sou contra qualquer tipo de estipulação de cotas, seja para questões de raça, de opção sexual, de gênero. Penso que as cotas, antes de incluir, excluem, são preconceituosas”, afirma Selma Arruda (PSL-MT).

“Se não temos mulheres suficientes porque elas não se interessam ainda, por questão cultural, de entrar na política, não será impondo cotas que nós vamos conseguir”, afirma a parlamentar de Mato Grosso, estado que elegeu apenas uma senadora —ela— e uma deputada federal.

Atualmente, apenas 12 dos 81 senadores são mulheres, 15%. Na Câmara, são 77 deputadas e 436 deputados (15%).

O líder do Solidariedade na Casa, deputado Augusto Coutinho (PE), que comanda uma bancada com duas mulheres e 13 homens, também se diz contra as cotas. “É mais um desses puxadinhos brasileiros que só criam problema.”

“No mundo ideal a gente não precisaria de cota para absolutamente nada. Meu sonho é que nós não precisemos de cotas para que as mulheres tenham espaço na política brasileira”, afirma a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), líder do governo no Congresso e presidente do PSL Mulher.

Para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é preciso aprovar um projeto de lei que regulamente a distribuição de recursos do fundo eleitoral, sem alterar o percentual destinado às mulheres.

“O problema foi aprovar sem o Legislativo. O que precisamos é ter uma lei que deixe clara a regra da distribuição dos recursos sem mudar os 30% das mulheres”, afirma.

A possibilidade de acabar com a cota foi considerada absurda por alguns parlamentares de ambos os gêneros, que criticam o fato de se usar as candidaturas de laranjas como pretexto para retroagir na legislação em vigor.

“O problema é o crime, não o princípio. A reserva de vagas é um princípio para garantir a paridade da participação feminina nas eleições”, afirma o líder da minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).
“É uma desculpa de quem nunca admitiu mulher na política para retroceder e fazer o que eles querem, a nossa exclusão do cenário”, diz a senadora Eliziane Gama (PPS-MA).

“O que falta é fiscalização, investigação, punição para quem faz. E não retirar um direito conquistado, que foi muito difícil conseguir”, afirma a líder do PP no Senado, Daniella Ribeiro (PB).

Agência Brasil

Comments

Juíza ordena ‘imediata conclusão’ de ação contra ex-diretor da Dersa

Após a reconsideração do ministro Gilmar Mandes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a juíza Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Federal de São Paulo, determinou nesta sexta-feira, 1, a ‘imediata conclusão’ da ação penal na qual o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza é réu sobre supostos desvios de R$ 7,7 milhões que deveriam ser aplicados na indenização de moradores impactados pelas obras do Rodoanel Sul e da ampliação da avenida Jacu Pêssego. Neste processo, Vieira de Souza é acusado pelos crimes de peculato (desvio de recursos públicos), inserção de dados falsos em sistema de informação e formação de quadrilha. A denúncia é da força-tarefa da Lava Jato São Paulo.

“Em razão da decisão proferida em 1 de março de 2019 na Medida Cautelar no Habeas Corpus nº. 167.727 – São Paulo que tramita perante o E. Supremo Tribunal Federal, que reconsiderou a decisão liminar proferida naqueles mesmos autos em 13/02/2019, tornam-se prejudicados os pedidos formulados pelas defesas dos réus após a apresentação das alegações finais escritas, e assim, estando os autos em termos, determino a imediata conclusão da ação penal para prolação de sentença de mérito”, afirmou a magistrada.

Na quinta-feira, 7, o ex-diretor da Dersa completa 70 anos de idade, o que vai reduzir o prazo prescricional pela metade. O prazo é estabelecido pelo artigo 109 do Código Penal.

Em 13 de fevereiro, Gilmar ordenou novas diligências no processo, como depoimentos e análise de documentos. O despacho acolhia pedido da defesa de Vieira de Souza e adiou o fim do processo.

A ação já estava em fase de alegações finais e, segundo a Lava Jato, se novas diligências tivessem que ser feitas, parte dos crimes corria o risco de prescrever. Com a reconsideração do ministro, a juíza Maria Isabel do Prado já pode sentenciar novamente Vieira de Souza, que está preso por ordem da Operação Lava Jato do Paraná, sob suspeita de lavagem de dinheiro e de operar propinas a políticos do PSDB.

O ministro reconsiderou sua decisão liminar e afirmou que a nova decisão se dá sem prejuízo a nova análise quando seu mérito for julgado. Gilmar acolheu relatório em que a juíza Maria Isabel do Prado afirmou que as diligências não são novas e, aquelas que não foram feitas, são inviáveis.

“Neste juízo prévio e provisório típico do exame de medida liminar, no qual a tutela provisória pode ser, a qualquer tempo, revogada ou modificada, considero relevantes as informações prestadas pelo Juízo da 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo/SP (Ação Penal 0002176- 18.2017.4.03.6181), no sentido de que, “sem rediscutir o reconhecimento da preclusão, irrelevância ou impertinência dos requerimentos pela decisão apontada com coator objeto da medida impetrada, tais diligências já estão satisfeitas nos autos ou restariam prejudicadas”, anotou Gilmar

No dia 25 de fevereiro, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, havia alertado o ministro sobre o ‘risco de prescrição’ e pediu o julgamento em mesa. Na manifestação, Raquel informou que a ação estava pronta para sentença e que Vieira de Souza já havia apresentado suas alegações finais no processo.

Condenação

Na Justiça Federal em São Paulo, Paulo Vieira de Souza sofreu um duro revés na quinta, 28. A juíza Maria Isabel do Prado, da 5.ª Vara Federal o sentenciou a 27 anos de prisão pelos crimes de cartel e fraudes em licitações no Rodoanel e em obras da Prefeitura de São Paulo.

A magistrada ainda impôs o pagamento de 2002 dias-multa, ‘aumentados ao triplo’, sendo que cada dia-multa é fixado em cinco salários mínimos à época do fato criminoso. Segundo a acusação, os crimes teriam ocorrido entre 2004 e 2015.

De acordo com a magistrada, o prejuízo causado por Paulo Vieira de Souza ‘tomou proporções avassaladoras, com provas cabais de locupletamento ilícito a custas do erário público’. “Sobreleva notar a infinidade de creches, escolas, hospitais e outras obras públicas que poderiam ter sido realizadas em benefício da população”.

“Com efeito, torna-se evidente a influência política e prestígio que exercia o acusado no interior da Dersa, no que favorece a prática de tal ilícito, pois retrata maior dissimulação para se chegar a tais configurações”, escreve.

Nova denúncia

Paulo Vieira de Souza virou réu novamente na sexta, 1. O juiz federal Diego Paes Moreira, da 6ª Vara Federal, aceitou uma denúncia da força-tarefa da Lava Jato São Paulo contra o ex-diretor da Dersa por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Segundo os procuradores, de um montante de R$ 126 milhões atribuídos a Vieira de Souza em contas da offshore Groupe Nantes, na Suíça, de sua propriedade, pelo menos R$ 27 milhões seriam oriundos de esquema de corrupção durante sua gestão na Dersa. O alvo desta denúncia é diferente da investigação da força-tarefa da Lava Jato no Paraná.

“Esta denúncia (da Lava Jato São Paulo) se limita a investigar as corrupções do momento que o senhor Paulo Vieira de Souza era diretor de Engenharia da Dersa. As corrupções solicitadas e efetivamente pagas de 2007 até 2010, pelo menos, e as lavagens de dinheiro decorrentes, seja na lavagem interna ou no recebimento no exterior ou remessa de dinheiro para o exterior até 2010, mas que continuam até hoje ocultos e não repatriados pelo senhor Paulo Vieira de Souza”, explicou o procurador André Lasmar.

Na acusação formal apresentada à 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, Paulo Vieira de Souza é apontado como autor de pelo menos oito fatos de corrupção: cinco no Rodoanel Sul, dois no Sistema Viário e um na Estrada Parque. Caso seja condenado por todos os fatos de corrupção e lavagem de dinheiro que lhe foram imputados, Vieira de Souza poderá receber uma pena total de 194 anos de prisão.

Delação

Nas mãos dos investigadores da Lava Jato em Curitiba, estão documentos sobre conta atribuída a ele pela qual passaram R$ 130 milhões. A força-tarefa suspeita que o dinheiro teria beneficiado ex-diretores da Petrobrás e políticos.

Paulo Vieira já foi preso três vezes no último ano e deixou a cadeia duas vezes por decisões do ministro Gilmar. Documentos apreendidos em sua casa mostram que, em sua primeira detenção, na penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo, ele fez um diário, no qual relatou a possibilidade de delatar, além de pedidos de seus próprios familiares contar ‘o que sabe’.

“Acabe com isso, negocie com o MP, negocie sua soltura, o trancamento dos inquéritos e o que mais souber. Por favor, por favor, a minha mãe, minha irmã e eu não devemos mais entrar nisso”, diz sua filha Priscila, em carta apreendida pela Operação Lava Jato.

Estadão Conteúdo

Comments

Idade mínima para a aposentadoria já subiu em 55 países

A definição de uma idade mínima na aposentadoria, de 62 anos para mulheres e 65 para homens, como prevê a reforma da Previdência proposta pelo atual governo, é realidade em vários países.

Estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) mostra que pelo menos 55 deles aumentaram a idade para pedir o benefício entre os anos de 1995 e 2017.

Na Europa e na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), muitos países estão reformando seus sistemas de seguridade social desde a década de 1990.

No caso dos países emergentes, a reforma no Chile, na década de 1980, acabou servindo de modelo para diversos países na América Latina e para nações em desenvolvimento, afirmaram os pesquisadores Rogério Nagamine e Otávio Sidone.

O levantamento mostra que há tentativas de estabelecer uma idade mínima no Brasil desde a década de 1990.

As tentativas, frustradas, ocorreram nos governos FHC, Lula, Dilma e Temer. Os pesquisadores do Ipea afirmam que dados da Fiap (Federação Internacional dos Administradores de Fundos de Pensão) mostram que, entre 1995 e 2017, pelo menos 76 países aumentaram a taxa de contribuição previdenciária.

Além disso, 55 elevaram a idade de aposentadoria e 60 ajustaram a fórmula de cálculo dos benefícios, reduzindo o valor pago aos segurados.

Na proposta do governo, a aposentadoria vai exigir, além da idade mínima, 20 anos de contribuição ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

O valor do benefício será igual a 60% média salarial do segurado, mais 2% para cada ano de contribuição acima dos 20 anos mínimos. Dessa forma, para ter a aposentadoria integral, será preciso ter contribuído por pelo menos 40 anos para a Previdência.

Confira alguns países que mudaram as regras

Austrália: A idade mínima é de 65 anos e está subindo gradualmente para 67 de 2017 até 2023. A alíquota de contribuição está aumentando de 9% para 12%, entre 2013 e 2020.

Bélgica: A idade da aposentadoria é de 65 anos. Há previsão na lei para subir para 66 anos, em 2025, e 67 anos, em 2030.

Coreia do Sul: A idade mínima está em 61 anos e aumentará para 65 anos até 2034.

Dinamarca: A idade será elevada de 65 para 67 anos, entre 2019 e 2022. Até 2030, deverá subir para 68 anos.

Estados Unidos: A idade mínima é de 66 anos, subindo, aos poucos, para 67 anos até 2027.

Grécia: Não havia idade mínima e, em 2012, foi estabelecida em 67 anos para homens e mulheres. A partir de 2021, será ajustada de acordo com mudanças na expectativa de vida a cada três anos.

Folhapress

 

Contribuinte pode aproveitar feriado para preparar declaração do IR

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O programa para fazer a Declaração do Imposto de Renda deste ano já está disponível desde a última semana. Assim, quem quiser aproveitar o feriado prolongado do carnaval pode juntar os documentos, preencher os dados e deixar tudo pronto para enviar a declaração entre as 8h do dia 7 de março e as 23h59 de 30 de abril deste ano, pela internet.

Quem tem restituição para receber, quanto mais cedo enviar mais rapidamente recebe o valor. Entretanto, quem deixa para os últimos dias recebe maior correção pela taxa básica de juros, a Selic. Além disso, as restituições são liberados prioritariamente para idosos acima de 80 anos, contribuintes entre 60 e 79 anos, pessoas com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Lotes de restituição

As restituições do Imposto de Renda serão feitas em sete lotes, a partir de junho deste ano: o primeiro sairá no dia 17 de junho; o segundo em 15 de julho; o terceiro, no dia 15 de agosto; o quarto em 16 de setembro; o quinto, no dia 15 de outubro; o sexto em 18 de novembro; e o sétimo em 16 de dezembro.

Programa

A declaração pode ser feita de três formas: pelo computador, por celular ou tablet ou por meio do Centro Virtual de Atendimento (e-CAC). Pelo computador, será utilizado o Programa Gerador da Declaração – PGD IRPF2019, disponível no site da Secretaria da Receita Federal.

Também é possível fazer a declaração com o uso de dispositivos móveis, como tablets e smartphones, por meio do aplicativo “Meu Imposto de Renda”. O serviço também está disponível no e-CAC no site da Receita, com o uso de certificado digital, e pode ser feito pelo contribuinte ou seu representante com procuração.

O contribuinte que tiver apresentado a declaração referente ao exercício de 2018, ano- calendário 2017, poderá acessar a Declaração Pré-Preenchida no e-CAC, por meio de certificado digital. Para isso, é preciso que no momento da importação do arquivo, a fonte pagadora ou pessoas jurídicas tenham enviado para a Receita informações relativas ao contribuinte referentes ao exercício de 2019, ano-calendário de 2018, por meio da Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (Dirf), Declaração de Serviços Médicos e de Saúde (Dmed), ou a da Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias (Dimob).

Segundo a Receita, o contribuinte que fez doações, inclusive em favor de partidos políticos e candidatos a cargos eletivos, também poderá utilizar, além do Programa Gerador da Declaração (PGD) IRPF2019, o serviço “Meu Imposto de Renda”.

Para a transmissão da Declaração pelo PGD não é necessário instalar o programa de transmissão Receitanet, uma vez que essa funcionalidade está integrada ao IRPF 2019. Entretanto, continua sendo possível a utilização do Receitanet para a transmissão da declaração.

O serviço Meu Imposto de Renda não pode ser usado em tablets ou smartphones para quem tenha recebido rendimentos superiores a R$ 5 milhões.

Obrigatoriedade

Estará obrigado a apresentar a declaração anual o contribuinte que, no ano-calendário de 2018, recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70. No caso da atividade rural, quem obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50

Declarantes

Também estão obrigadas a apresentar a declaração pessoas físicas residentes no Brasil que no ano-calendário de 2018

– Receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00;

– Obtiveram, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;

– Pretendam compensar, no ano-calendário de 2018 ou posteriores, prejuízos com a atividade rural de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2018;

– Tiveram, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00;

– Passaram à condição de residentes no Brasil em qualquer mês e nessa condição encontravam-se em 31 de dezembro; ou

– Optaram pela isenção do Imposto sobre a Renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato.

CPF de dependentes

Neste ano, é obrigatório o preenchimento do número do CPF de dependentes e alimentados residentes no país. A Receita vinha incluindo essa informação gradualmente na declaração. No ano passado, era obrigatório informar CPF para dependentes a partir de 8 anos.

Dados sobre imóveis e carros

Em 2019, não será obrigatório o preenchimento de informações complementares em Bens e Direitos relacionadas a carros e casas. A previsão inicial da Receita era que essas informações passassem a ser obrigatória neste ano, mas devido à dificuldade de contribuintes de encontrar os dados, o preenchimento complementar não precisa ser feito.

Desconto simplificado

A pessoa física pode optar pelo desconto simplificado, correspondente à dedução de 20% do valor dos rendimentos tributáveis, limitado a R$ 16.754,34.

Deduções

O limite de dedução por contribuição patronal ficou em R$ 1.200,32, devido ao reajuste do salário mínimo. No ano passado, o limite era R$ 1.171,84. Se não houver nova lei, este é o ultimo ano em que há a possibilidade dessa dedução de contribuições pagas ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por patrões de empregados domésticos com carteira assinada. Essa medida começou a valer em 2006 para incentivar a formalização dos empregados domésticos.

A dedução por dependente é de, no máximo, R$ 2.075,08 e, para instrução, de R$ 3.561,50.

Os contribuintes também podem deduzir valores gastos com saúde, sem limites, como internação, exames, consultas, aparelhos e próteses, e planos de saúde. Nesse caso é preciso ter recibos, notas fiscais e declaração do plano de saúde e informar CPF ou CNPJ de quem recebeu os pagamentos.

As chamadas doações incentivadas têm o limite de 6% do Imposto de Renda devido. As doações podem ser feitas, por exemplo, aos fundos municipais, estaduais, distrital e nacional da criança e do adolescente, que se enquadram no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Segundo a Receita, neste ano o formulário sobre as doações ao ECA vai ficar mais visível.

Aqueles que contribuem para um plano de previdência complementar – Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e Fundo de Aposentadoria Programada Individual (Fapi) – podem deduzir até o limite de 12% da renda tributável.

Expectativa da Receita

A Receita espera receber neste ano 30,5 milhões de declarações. No ano passado, foram entregues 29,27 milhões. Do total previsto para 2019, a expectativa é que entre 700 mil e 800 mil declarações sejam feitas por tablets e smartphones. Em 2018, 320 mil declarações foram feitas por meio de dispositivos móveis.

A Receita promete acelerar o processamento da declaração este ano. Assim, o contribuinte pode checar no e-CAC se há alguma pendência na declaração e fazer correções.

No site da Receita, é possível conferir uma série de perguntas e respostas sobre a declaração deste ano.

Depois do Prazo

A declaração depois do prazo deve ser apresentada pela internet, utilizando o PGD IRPF 2019 ou o serviço “Meu Imposto de Renda”, ou em mídia removível, nas unidades da Receita Federal, durante o seu horário de expediente.

A multa para quem apresentar a declaração depois do prazo é de 1% ao mês ou fração de atraso, lançada de ofício e calculada sobre o Imposto sobre a Renda devido, com valor mínimo de R$ 165,74, e máximo de 20% do Imposto sobre a Renda devido.

Agência Brasil

Comments

Além do presidente da Vale, outros três diretores também são afastados

O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, e três diretores da mineradora foram afastados por decisão do Conselho de Administração da empresa. Segundo nota divulgada à imprensa, os pedidos de afastamento foram feitos pelos próprios executivos, depois de recomendações do Ministério Público Federal, da Polícia Federal, do Ministério Público de Minas Gerais e da Polícia Civil do estado.

A decisão de aceitar os pedidos de afastamento foi tomada entre a noite de sexta-feira (1º) e a madrugada de ontem (2). A presidência interina da empresa já foi assumida pelo diretor executivo de Metais Básicos da Vale, Eduardo de Salles Bartolomeo, conforme plano de interinidade previamente discutido.

Além de Schvartsman, foram afastados Gerd Peter Poppinga (diretor executivo de Ferrosos e Carvão), Lucio Flavio Gallon Cavalli (diretor de Planejamento e Desenvolvimento de Ferrosos e Carvão) e Silmar Magalhães Silva (diretor de Operações do Corredor Sudeste).

Claudio de Oliveira Alves, atual diretor de Pelotização e Manganês, ocupará interinamente a função de diretor executivo de Ferrosos e Carvão, e Mark Travers, atual diretor Jurídico, de Relações Institucionais e Sustentabilidade de Metais Básicos, ocupará interinamente a função de diretor executivo de Metais Básicos.

“A Vale informa também que seu Conselho de Administração permanece em prontidão, na busca de um relacionamento transparente e produtivo com as autoridades brasileiras, visando ao esclarecimento dos fatos, à reparação apropriada dos danos e à integridade da empresa, e que manterá a sociedade e os mercados informados sobre qualquer fato novo”, diz a empresa em nota.

Presidente interino

O presidente interino da Vale, Eduardo Bartolomeo, estava na Diretoria Executiva de Metais Básicos da empresa desde 1º de janeiro de 2018. Antes disso, no entanto, já havia passado por outras diretorias. De 2004 a 2006, foi diretor do Departamento de Operações Logísticas e, de 2007 a 2012, foi diretor executivo na empresa.

De setembro de 2016 a dezembro de 2017, integrou o Conselho de Administração da Vale como representante do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Graduado em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 1988, tem títulos de MBA pela Universidade Católica de Leuven, na Bélgica, e pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos.

Agência Brasil

Comments

Carnaval de Brasília tem sistema de segurança unificado

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O governo do Distrito Federal tem esquema de segurança unificado durante o carnaval. Este ano, pela primeira vez, o Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), que antes tinha uma atuação mais esporádica, em eventos de logística mais complexa, está sendo mobilizado em caráter permanente, como núcleo principal do sistema.

O novo formato de segurança deve atender a um público que deve passar de 1,6 milhão de foliões, dos quais, espera-se, 25 mil sejam turistas. A programação da festa, realizada entre os dias 2 e 5 de março, compreende mais de 200 blocos de rua.

De acordo com a assessoria de imprensa do governo distrital, o Ciob foi inaugurado em junho do ano passado e é formado por 20 órgãos, incluindo a Defesa Civil, a Secretaria de Cultura, forças de segurança, Metrô e Companhia Energética de Brasília (CEB). O coordenador de Operações da Subsecretaria de Operações Integradas, tenente-coronel Márcio Vasconcelos, explica que a aproximação entre as diferentes áreas proporcionará uma melhor organização das equipes.

“Os órgãos trabalharão com base em três vertentes, objetivos: diminuição do tempo-resposta [de atendimento dos agentes]; otimização dos meios materiais e humanos, já que se consegue saber quem se manda e em que quantidade se manda; e, em terceiro lugar, o estabelecimento de protocolo de atuação”, esclarece Vasconcelos.

Ao todo, mais de 2 mil agentes compõem o efetivo da Polícia Militar. Além disso, cerca de 450 câmeras fazem o monitoramento de todo o perímetro do Distrito Federal. “As câmeras auxiliam as equipes de campo na prevenção [de crimes], porque podemos informar coisas que não conseguem ver e identificar pessoas”, afirma o tenente-coronel.

A cada dia, um profissional fica responsável pela operação de segurança. Além disso, caso as equipes necessitem de reforço, o Gabinete Integrado de Acompanhamento, que é acionado em situações de crise, pode ficar em estado de prontidão.

Em 2017, a folia na capital federal reuniu, em seus 229 eventos, 746 mil pessoas. Durante o período, constatou-se um nível de criminalidade menor do que o ano anterior.

Foram registradas 437 ocorrências, ante 562 no carnaval 2016. Embora tenham caído os números de roubo, tentativas de homicídio e tentativas de latrocínio, balanço da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal revelou um aumento nos crimes relacionados a danos ao bem público.

Em outro levantamento, de 2017, a pasta divulgou que, em 74% dos roubos cometidos contra a pedestres, o alvo dos bandidos era o aparelho celular. “Deve-se manter objetos de valor em locais de difícil acesso e evitar usar bolsas com abertura virada para trás, como mochilas”, recomenda Vasconcelos.

Fonte: Blog do BG

 

Por G1 RN

 

Shows movimentam polos de carnaval em Natal — Foto: Prefeitura de Natal/Divulgação

Shows movimentam polos de carnaval em Natal — Foto: Prefeitura de Natal/Divulgação

O Carnaval de Natal conta com uma programação que abrange todos os gostos musicais neste domingo (3), com shows distribuídos nos polos da festa montados da capital potiguar. As atrações vão desde os shows de nomes nacionais como Titãs, a potiguar Roberta Sá e Sidney Magal, passando pela banda Grafith e pelos blocos, como o tradicional As Kengas.

O polo de Ponta Negra será animado pelo rock do Titãs, que encerra a programação iniciada às 16h pelo Bloco Suvaco do Careca, na região. Também se apresentam no bairro os blocos Baiacú Astral, Turma do Mar e Se Brincar eu Pego.

As Kengas seguem a tradição dos seus desfiles descontraídos no Centro Histórico da capital, às 15h30. A programação no polo será feita pelo Sidney Magal, que tem show marcado para as 20h.

Já em Petrópolis, os amantes de Música Popular Brasileira contarão com show da potiguar Roberta Sá, além do bloco Submarino Amarelo.

Na redinha a atração principal do palco Buiú é a banda Grafith, que anima os foliões a partir das 23h. Quem também se apresenta por lá é Carol Sant’anna, mais cedo. Blocos de carnaval, Gabriel Ciríaco e Yran Barr se apresentam na praça do Cruzeiro. Capilé e Nana Nenem fazem a festa no polo da região Oeste.

Programação completa deste domingo (3)

Polo Petrópolis

  • 18h Bloco Submarino Amarelo (Av. Floriano Peixoto 284)
  • 20h Banda Do Submarino Amarelo
  • 22h Roberta Sá

Polo Ponta Negra

  • 16h Bloco Suvaco Do Careca (Praia Shopping – Orq Dragões No Frevo)
  • 16h Bloco Baiacú Astral (Orla De Ponta Negra)
  • 16h Bloco Turma Do Mar (Orla De Ponta Negra)
  • 16h Bloco Se Brincar Eu Pego (Catita Praia)
  • 20h Du Souto
  • 22h Titãs

Polo Redinha (Palco Buiú)

  • 21h Carol Sant’anna
  • 23h Grafith

Polo Redinha (Palco Cruzeiro)

  • 12h Bloco As Raparigas (Pça Do Cruzeiro – Orq Frevo Do Papão)
  • 16h Bloco Sem Preconceito Eu Vou – (Pça Do Cruzeiro – Orq Pipando No Frevo)
  • 16h Bloco Banda Do Siri (Pça Do Cruzeiro – Orq Metais No Frevo E Clarin Triunfal)
  • 21h Gabriel Ciríaco
  • 22h Yrahn Barreto

Polo Centro Histórico (palco Praça 7 De Setembro)

  • 15h30 Bloco As Kengas (Bardalos – Orq Tradição Do Folião)
  • 16h15 Bloco Educação No Trânsito
  • 16h30 Laryssa Costa
  • 20h Sidney Magal

Polo Zona Oeste

  • 18h45 Bloco Educação No Trânsito
  • 19h Nana Nenem
  • 21h30 Capilé

Diversos

  • 16h Bloco Alegria Das Dunas (Conselho Comunitário Do Pq Das Dunas V E Vi – Orq Unidos No Frevo)

Circuito Praia (Praia Do Meio)

  • 14h Banda Detroit E Rildo Lima
  • 16h Banda Dubê

Fonte: G1RN

Deixe uma resposta