Por G1

 

O que João de Deus disse à polícia sobre seu patrimônio e as denúncias de abuso sexual. As idas e vindas no convite a Cuba e Venezuela para a posse de Bolsonaro. A confirmação do acordo bilionário entre Boeing e Embraer. E mais: Gabriel Medina bicampeão mundial de surfe, as buscas por Cesare Battisti e os crimes que chocaram o Brasil na retrospectiva do G1.

INTERNACIONAIS

Gabriel Medina é bicampeão mundial de surfe

Vídeo incorporado

World Surf League

@wsl

Congratulations @gabriel1medina, 2018 World Champion! 🏆🏆 // Parabéns Gabriel Medina Bi-Campeão Mundial! 🏆🏆@jeep

O brasileiro Gabriel Medina venceu Jordy Smith e conquistou o título mundial de surfe ainda nas semifinais do Pipe Master Havaii. Depois de se tornar o primeiro brasileiro a ser campeão em 2014, o surfista agora volta a fazer história como o único atleta nascido no Brasil a ser bicampeão.
Medina disputava o título com o australiano Julian Wilson, que também está na semifinal, mas a classificação à final da etapa já garantiu a conquista para o brasileiro, independentemente do resultado do rival.
“Foi um ano muito intenso, estou muito feliz agora. Eu não consigo encontrar palavras, só tenho que agradecer aos meus fãs e para a minha família. Eu sempre venho aqui para fazer o meu melhor, eu acredito nos planos de Deus, eu tenho fé nisso, e eu tive um bom dia. Eu estou muito feliz de ter feito isso novamente. Isso é para o Brasil”, disse em entrevista ao Globoesporte.com
Fonte: Blog do BG
 

NACIONAIS

Mais de 500 denúncias

São mais de 500 as denúncias de abuso sexual contra João de Deus, que será investigado também por lavagem de dinheiro, segundo o Ministério Público e a Polícia Civil de Goiás. No depoimento que prestou ontem, após ser preso, o médium afirmou que foi ameaçado antes das primeiras acusações e voltou a negar os crimes. Ele disse também que não sabe exatamente quantos carros e casas tem e que desconhece as movimentações de R$ 35 milhões em suas contas, razão apontada pelo MP para pedir sua prisão. O advogado de João de Deus pediu hoje à Justiça que ele seja libertado.

Desconvite

O Itamaraty confirmou que a equipe do governo de transição convidou e depois desconvidou Cuba e Venezuela para a posse de Bolsonaro, em 1º de janeiro. Segundo o ministério, a orientação inicial era chamar todos os países que têm relações diplomáticas com o Brasil. Depois houve um novo pedido, para desconvidar os dois países.

Reserva indígena

O presidente eleito afirmou hoje que poderá rever a demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima. A informação foi publicada pelo jornal Valor Econômico, e Bolsonaro falou sobre o assunto durante a inauguração de uma escola da PM no Rio de Janeiro. Segundo ele, a área da reserva pode ser explorada de “forma racional”.

“É a área mais rica do mundo. Você tem como explorar de forma racional. E no lado do índio, dando royalty e integrando o índio à sociedade.”

Sistema S

Já o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu “meter a faca” nos repasses do governo ao chamado “Sistema S”, administrado por entidades empresariais e formado por instituições como o Sesc, o Sesi e o Senai, que oferece cursos profissionalizantes. Diante de uma plateia de empresários no Rio de Janeiro, Guedes sugeriu um corte de até 50% nos recursos.

Procura-se

Após receber denúncias anônimas, a Polícia Federal acionou seu departamento de antiterrorismo para procurar Cesare Battisti em SP. Em vão. Os agentes foram a dois endereços, mas nada encontraram. O italiano continua foragido e será extraditado quando for preso.

Boeing-Embraer

As gigantes Embraer e Boeing aprovaram os termos do acordo que prevê a criação de uma nova empresa de aviação comercial. Avaliado em US$ 5,26 bilhões, o negócio será dividido assim: 80% será da companhia americana e 20%, da brasileira. O acordo ainda precisa de aprovação do governo brasileiro, o que deve acontecer somente na gestão de Jair Bolsonaro. As ações da Embraer subiram quase 3%.

Incêndio em Manguinhos

Manguinhos — Foto: Reprodução/TV Globo

Manguinhos — Foto: Reprodução/TV Globo

Foi um susto. Um incêndio na refinaria de Manguinhos, no Rio, atingiu 10 caminhões-tanque e provocou labaredas enormes e uma coluna de fumaça que pôde ser vista de outros pontos da cidade. As chamas foram controladas após 2 horas, e ninguém se feriu. Segundo a empresa, o fogo começou quando um dos veículos descarregava combustível.

Filipinas pela 4ª vez

Catriona Gray acena após ser coroada Miss Universo 2018 — Foto: Athit Perawongmetha/Reuters

Catriona Gray acena após ser coroada Miss Universo 2018 — Foto: Athit Perawongmetha/Reuters

A filipina Catriona Gray, de 24 anos, venceu o Miss Universo em cerimônia realizada na Tailândia. É o 4º título conquistado por seu país. A brasileira Mayra Dias ficou entre as 20 semifinalistas. A novidade deste ano foi a espanhola Angela Ponce, primeira transexual a disputar o concurso. Olha ela aí embaixo:

Angela Ponce, da Espanha — Foto: Lilian Suwanrumpha/AFP

Angela Ponce, da Espanha — Foto: Lilian Suwanrumpha/AFP

Crimes que marcaram

A vereadora Marielle Franco, o motorista Anderson Gomes, a advogada Tatiane Spitzner, o jogador Daniel e os meninos Joaquim e Kauã foram vítimas de crimes que chocaram o Brasil neste ano. O vídeo abaixo relembra esses e outros casos:

15 crimes que abalaram o Brasil em 2018

15 crimes que abalaram o Brasil em 2018

Também teve isso…

 

Vacina experimental contra HIV funciona em macacos, aponta novo estudo

Vacina contra HIV testada em macacos rhesus protege contra o vírus — Foto: Creative Commons
Uma nova pesquisa, publicada na revista “Immunity”, mostra que a estratégia experimental de vacina contra o HIV desenvolvida por pesquisadores da Universidade da Califórnia funciona em primatas não- humanos.
O novo estudo mostra que os macacos rhesus podem ser estimulados a produzir anticorpos neutralizantes contra uma cepa do HIV que se assemelha à forma viral resiliente que mais comumente infecta pessoas, chamada de vírus Tier 2. A pesquisa também fornece a primeira estimativa de níveis de anticorpos neutralizantes induzidos pela vacina necessários para proteger contra o HIV.
“Descobrimos que anticorpos neutralizantes que foram induzidos pela vacinação podem proteger os animais contra vírus que se parecem muito com o HIV no mundo real”, diz Dennis Burton, presidente do Departamento de Imunologia e Microbiologia da Scripps Research e diretor científico da Iniciativa International de Vacina contra a Aids (IAVI).
Embora a vacina esteja longe de testes clínicos em humanos, o estudo fornece uma prova de conceito para a estratégia de vacina contra o HIV que Burton e seus colegas vêm desenvolvendo desde os anos 90.
O objetivo dessa estratégia é identificar as áreas raras e vulneráveis ​​do HIV e ensinar o sistema imunológico a produzir anticorpos para atacar essas áreas. Estudos conduzidos por cientistas da Scripps Research mostraram que o corpo precisa produzir anticorpos neutralizantes que se ligam ao trímero de proteína do envelope externo do vírus.
Para apoiar esta ideia, os cientistas descobriram que poderiam proteger os modelos animais do HIV, injetando-os com anticorpos neutralizantes que foram produzidos no laboratório.
O desenvolvimento da vacina
O desafio, então, era fazer com que os animais produzissem os próprios anticorpos neutralizantes. Para fazer isso, os cientistas precisavam expor o sistema imunológico ao trímero de proteína do envelope, treinando-o efetivamente para identificar esse alvo e produzir os anticorpos corretos contra ele.
Mas houve um grande problema. O trímero do envelope do HIV é instável e tende a desmoronar quando isolado. Como os cientistas poderiam usá-lo como um ingrediente em uma vacina? Um grande avanço veio em 2013, quando cientistas projetaram geneticamente um trímero mais estável, ou SOSIP.
“Pela primeira vez, tivemos algo que se parecia muito com o trímero de proteína do envelope do HIV”, diz Matthias Pauthner, pesquisador associado da Scripps Research e co-autor do novo estudo.
Os cientistas rapidamente avançaram com o projeto de uma vacina experimental contra o HIV que continha este trímero SOSIP estável. Seu objetivo com o novo estudo era ver se esse tipo de vacina poderia realmente proteger os animais da infecção.
O teste em macacos
A equipe testou a vacina em dois grupos de macacos rhesus. Um estudo anterior usando a mesma vacina mostrou que alguns macacos imunizados naturalmente desenvolveram baixos níveis de anticorpos em seus corpos, enquanto outros desenvolveram altos níveis após a vacinação.
A partir deste estudo, os pesquisadores selecionaram e revacinaram seis macacos com baixos níveis e seis macacos com altos níveis. Eles também estudaram 12 primatas não imunizados como seu grupo de controle.
Os primatas foram então expostos a uma forma do vírus chamado SHIV, uma versão artificial do HIV que contém o mesmo trímero de envelope que o vírus humano.
Esta cepa particular do vírus é conhecida como um vírus Tier 2 porque se mostrou ser difícil de neutralizar, bem como as formas de HIV que circulam na população humana.
Os pesquisadores descobriram que a vacinação funcionava nos animais com altos níveis. Os macacos conseguiram produzir níveis suficientes de anticorpos neutralizantes contra o trímero da proteína do envelope para prevenir a infecção.
“Desde que o HIV surgiu, esta é a primeira evidência que temos de proteção baseada em anticorpos contra um vírus Tier 2 após a vacinação. Uma questão agora é como podemos obter esses altos níveis em todos os animais?”- Matthias Pauthner, pesquisador associado da Scripps Research e co-autor do estudo.
O foco nos níves de anticorpos tornou-se especialmente importante, pois os pesquisadores viram a proteção contra o HIV diminuir à medida que os níveis caíram nas semanas e meses após a vacinação. Ao rastrear os níveis enquanto expunham continuamente os animais ao vírus, os pesquisadores determinaram os níveis de anticorpos necessários para manter o HIV sob controle.
O futuro
É importante ressaltar que o estudo também mostrou que os anticorpos neutralizantes, mas não outros aspectos do sistema imunológico, eram a chave para parar o vírus. Pauthner diz que esta é uma descoberta importante, uma vez que outros laboratórios se concentraram no potencial das células T e outras defesas do sistema imunológico para bloquear a infecção.
No futuro, os cientistas estão procurando melhorar o projeto da vacina para testes em humanos e manter os níveis de anticorpos altos. “Há muitos truques imunológicos que podem ser explorados para tornar a imunidade mais duradoura”, diz Pauthner.
Os pesquisadores estão buscando uma estratégia para obter anticorpos amplamente neutralizantes (bnAbs) que possam neutralizar muitas cepas do HIV, em vez da única cepa descrita nesses estudos. “Esta pesquisa dá uma estimativa dos níveis de bnAbs que podemos precisar para induzir através da vacinação, a fim de proteger contra o HIV em todo o mundo”, diz Burton.
G1
 

‘Discoporto’ – (FOTOS): como relatos de eventos sobrenaturais levaram cidade brasileira a criar aeroporto para disco voador


Discoporto de Barra do Garças, em Mato Grosso – uma escultura simulando uma espaçonave com um boneco representando um ET na cor laranja. BBC NEWS BRASIL
Detalhes de uma noite de 1996 ainda continuam presentes na memória do empresário Lauro Aquino, de 41 anos. Ele relata que jogava baralho com os amigos, em 3 de março daquele ano, quando avistou uma luz intensa passando pelo céu. “Toda a vila onde moro ficou iluminada. A avenida ficou lotada de gente apontando para cima e tentando entender o que era aquilo que sobrevoava a nossa cidade”, relembra.
“Era algo muito grande, mas ninguém sabia o que era”, diz o empresário. Para Lauro e os amigos, tratava-se de um objeto voador não identificado, um óvni.
O suposto evento aconteceu em Barra do Garças, em Mato Grosso, cidade natal de Lauro. No município, que tem pouco mais de 60 mil habitantes, relatos sobre óvnis são constantes. Entre as inúmeras lendas sobre o assunto, há moradores que contam casos de pessoas que teriam sido abduzidas. Os casos, porém, nunca foram comprovados.
A situação que Lauro conta ter vivenciado em 1996 não foi o primeiro relato do tipo feito por moradores da cidade mato-grossense, localizada na divisa com Goiás. Muitos outros habitantes do município também afirmam ter avistado óvnis na região.
“Esses relatos são milenares. Há muito tempo, eles estão presentes em contos de indígenas que vivem na região”, diz o psicólogo Ataíde Ferreira, presidente da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (Ampup), à BBC News Brasil.
Há décadas, ufólogos e pesquisadores brasileiros vão a Barra do Garças para investigar os inúmeros relatos sobre óvnis na região.
As constantes narrativas de moradores sobre óvnis e os diversos estudos feitos na cidade motivaram a criação de um local destinado a possíveis pousos dos objetos voadores: o discoporto.
O aeroporto para discos voadores foi um projeto apresentado por Valdon Varjão, já falecido, então vereador da cidade. Em setembro de 1995, os parlamentares da Câmara do Município aprovaram a iniciativa por unanimidade.
Varjão costumava explicar que o discoporto era uma forma de fomentar o turismo do município – além de facilitar contatos com extraterrestres.

Localizado em uma área rural, o discoporto conta com um painel ilustrativo e uma imagem de um alienígena verde com uma placa ‘bem-vindo’. BBC NEWS BRASIL
Genito Ribeiro Narrativas frequentes de moradores sobre óvnis motivaram a criação do discoporto Os relatos sobre óvnis
Depois da experiência em 1996, Lauro comenta ter avistado outros objetos voadores não identificados no céu de Barra do Garças. “São muitas histórias que presenciei por aqui. Antes, eu não acreditava, era cético, até que comecei a ver essas luzes com frequência.”
Ele comenta que uma das vezes mais recente em que viu um suposto disco voador foi em 7 de agosto do ano passado. Na data, estava com a família, em uma comemoração, quando viu um objeto sobrevoando Barra do Garças. “Nós estávamos em uma festa e vimos algo passando pelo céu com muita rapidez”, diz.
O jornalista Genito Ribeiro dos Santos, de 47 anos, também relata ter avistado objetos não identificados no céu de Barra do Garças. “Eu era totalmente cético em relação a isso, até ver pela primeira vez. Fui surpreendido quando fui fazer uma gravação na Serra do Roncador, aqui na cidade, e uma luz veio para cima do carro em que eu estava com outros profissionais. Por trás da luz, que mudava de cor a todo instante, havia algo sólido e brilhoso. Esse objeto perseguiu o nosso veículo por, mais ou menos, três minutos”, conta à BBC News Brasil.
“Quando descemos a serra e retornamos à cidade, estávamos completamente espantados. As pessoas pensavam que tínhamos usado algum tipo de droga, mas nunca consumimos essas coisas. O que vimos era algo muito real, que ficou a, mais ou menos, 100 metros de distância do nosso carro”, acrescenta.
Os relatos sobre os óvnis na cidade têm uma característica em comum: envolvem a Serra do Roncador – que tem início em Barra do Garças e vai até o Sul do Pará. O lugar, que possui cachoeiras, trilhas e grutas com pinturas rupestres, é considerado místico por muitas pessoas.
Localizada no paralelo 15 graus Sul, linha imaginária que passa por lugares considerados místicos, a Serra do Roncador acumula histórias misteriosas. A mais conhecida é o desaparecimento do coronel inglês Percy Fawcett, em 1925. Ele estava em busca de uma suposta cidade perdida, a qual denominou de Z, quando adentrou a serra. Foi a última vez em que foi visto.
“A Serra do Roncador está entre as regiões milenares de acontecimentos estranhos. As histórias inusitadas ajudam a povoar a imaginação das pessoas, especialmente os esotéricos, que fazem interpretações que são, comumente, baseadas no achismo”, afirma Ataíde Ferreira.
Em razão dos inúmeros relatos sobre possíveis óvnis relacionados à serra, estudiosos interessados no assunto e ex-militares da aeronáutica criaram, há cerca de 18 anos, o Núcleo Araguaia de Pesquisas Ufológicas do Roncador (Napur).
“Nosso principal objetivo é discutir os assuntos ufológicos da região”, explica o engenheiro civil Rubens Machado, que há 15 anos preside o Napur. Segundo ele, as reuniões do núcleo, que costumavam ser semanais, não acontecem há meses, em razão da falta de tempo dos membros do grupo.
O núcleo de pesquisas nunca chegou a uma conclusão sobre os relatos de óvnis na região. “O que temos de concreto são apenas os relatos de pessoas que dizem ter visto naves com luzes. Há, inclusive, um amigo que diz ter visto um ser extraterrestre”, comenta Machado.
Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas No discoporto, há um painel representando espaçonaves e alienígenas verdes O discoporto
Em meio às constantes narrativas sobre objetos não identificados na cidade, Valdon Varjão propôs a criação do discoporto. Para alguns, tratava-se de uma sandice. Outros, porém, apoiaram a iniciativa. Para o então vereador, que dizia nunca ter avistado um óvni no céu de Barra do Garças, o projeto era uma estratégia para legitimar os relatos de moradores e atrair turistas.
O discoporto foi inaugurado em abril de 1997, em uma área de 2,2 mil metros quadrados do Parque Estadual da Serra Azul, que possui cachoeiras e serras. O parque, localizado em Barra do Garças, está na mesma região da Serra do Roncador.
Para a criação do discoporto, em meio a céu aberto, foi feita uma réplica de um disco voador, além de uma pintura de uma reprodução de um extraterrestre e um painel com um objeto voador e um ET, no qual há um espaço para as pessoas colocarem a cabeça. Segundo a Prefeitura do município, não foram utilizados recursos públicos, pois os itens que compõem o lugar foram concedidos por Varjão.
Moradores de Barra do Garças contam que o vereador cedeu duas antenas parabólicas de sua empresa, para a criação da réplica do disco voador, e outros objetos para as artes colocadas na área do aeroporto de óvnis. Outras pessoas também doaram materiais recicláveis para a construção do espaço.
Os painéis e a réplica de disco voador foram feitos por Genito Ribeiro, que também é artista plástico. Ele afirma que se inspirou em artes que viu pela televisão em grandes estúdios de animação, como o da Walt Disney. “A nave foi feita a partir de sucatas. Na época, o Varjão havia dito que não tinha disponibilidade financeira para construir o discoporto. Ele dizia que mesmo sem recursos, teríamos que fazer algo. Então, juntamos o que tínhamos no momento.”
“Para os primeiros painéis, utilizamos itens como chapas de compensado e tinta acrílica. A nave foi feita com aproveitamento de materiais como chapas de zinco, tela de galinheiro, rodas de carros para a base, entre outros objetos”, diz Ribeiro. Segundo o jornalista, Varjão pagou os serviços artístico com recursos próprios. “Foi um valor irrisório, porque eu já fazia trabalhos para as empresas dele. O Varjão não queria usar dinheiro público na obra.”
Os painéis e a réplica de disco voador, colocados em abril de 97, eram considerados provisórios. Na época, eles foram feitos em virtude da repercussão causada pela aprovação do projeto de criação do discoporto na cidade.
Havia a expectativa de que fosse feita uma obra maior. No entanto, segundo a secretária de Turismo do município, Mônica Porto, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema) não permitiu a realização de uma intervenção maior, em razão de possíveis danos ambientais.
“Esses ícones iniciais foram colocados apenas para não frustrar os visitantes, até que fosse feita a construção na área. Mas como o parque é estadual, a Sema não autorizou, não foi possível fazer uma intervenção conforme planejado”, explica Mônica. Assim, a estrutura que era para ser provisória, tornou-se fixa, com algumas pequenas alterações, como substituições de materiais, ao longo dos anos.
“Anos depois da inauguração do discoporto, fizemos algumas reformas, aproveitando o que estava lá e incluindo uma estrutura um pouco mais resistente. Nesta época, a Prefeitura pagou cerca de R$ 5 mil para a manutenção do lugar”, diz Genito Ribeiro.

O jornalista Genito mostra um quadro que pintou, baseado na experiência que relata ter tido com óvnis – no quadro, uma nave oval brilhante sobrevoa um carro. BBC NEWS BRASIL
Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas O jornalista Genito mostra um quadro que pintou, baseado na experiência que relata ter tido com óvnis – no quadro, uma nave oval brilhante sobrevoa um carro Aumento no turismo
O discoporto atraiu a atenção da imprensa e fez com que Barra do Garças conquistasse fama como a cidade do aeroporto para óvnis. “Até veículos internacionais vieram aqui para mostrar a história do primeiro aeroporto para discos voadores”, diz o biólogo e guia turístico da secretaria de Turismo do Município, Fernando Penteado.
(mais…)
Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

NOVELA: Beto Rosado consegue decisão importante no TSE, mas Mineiro ainda continua deputado eleito

O deputado federal Beto Rosado conseguiu nesta segunda-feira (17) uma decisão importante no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que determinou que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julgue novamente o registro de candidatura de Jorge Mussi Kericlis Kerinho com todos os documentos anexados. Por enquanto, Fernando Mineiro continua como deputado federal eleito, mas essa medida pode ajudar a ser considerada a cadeira deputado eleito nas eleições desse ano para Beto Rosado.
O ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acolheu o recurso de Kerinho reconhecendo que ele entregou toda a documentação no prazo, anulou o acórdão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que negava o registro de candidatura de Kerinho (PDT) e determinou que o TRE volte a julgar o registro de candidatura. Só que dessa vez, com todos os documentos que foram anexados.
A efeito prático, a medida ainda mantém Mineiro como deputado eleito. Só que, se o TRE decidir votar pela manutenção do registro de candidatura a partir da análise de todos os documentos, todos os 8.990 votos de Kerinho passam a ser contabilizados e Beto Rosado passa a assumir a vaga, porque a coligação dele passa a ter a maior sobra em relação a do PT. Retirando, assim, o mandato de Mineiro.
Agora a defesa de Kerinho volta as atenções para o TRE que poderá colocar um ponto final na novela julgando, novamente, pelo deferimento ou não do registro de candidatura.

Por G1 RN

 


Polícia Rodoviária Federal realizou Operação Carnatal 2018 na capital potiguar neste fim de semana — Foto: Divulgação/PRF

A Polícia Rodoviária Federal autuou 34 pessoas por embriaguez ao volante na operação Carnatal, realizada na capital potiguar entre a quinta-feira (13) e o domingo (16). A PRF montou barreiras para coibir os crimes de trânsito na BR-101, próximo ao local da micareta.

Segundo a polícia rodoviária, 1.085 carros foram fiscalizados e 793 submetidos ao bafômetro. Trinta e quatro carteiras de habilitação foram recolhidas, por crimes diversos, e 92 veículos foram apreendidos por irregularidades.

Por G1 RN

 


Fagner é uma das atrações do 'Natal em Natal' nesta semana — Foto: Divulgação

Fagner é uma das atrações do ‘Natal em Natal’ nesta semana — Foto: Divulgação

Começa nesta segunda-feira (17) o ciclo de shows gratuitos dentro da programação do ‘Natal em Natal 2018’ no pólo da Cidade Alta. Entre os nomes confirmados na programação da prefeitura, estão artistas de peso como Raimundo Fagner, Alexandre Pires e Waldonys. Entre os nomes locais, personalidades como Dodora Cardoso.

Do instrumental ao choro, passando pelas tradições da cultura popular, forró e MPB, a programação atende a vários gostos e estilos, através de uma parceria do município com o movimento Viva Centro. Entre os no

Nesta segunda (17), as atrações se concentram no palco da Rua João Pessoa. Mas também haverá muita música ao longo da semana, no palco da avenida Deodoro da Fonseca, com atrações nacionais e locais e vai até a inauguração do Espaço Cultural K-Ximbinhop (Travessa Pax) e música no Espaço Cultural Ruy Pereira (lateral do IFRN).

Confira a programação

Polo Natalino Cidade Alta

Palco João Pessoa

Dia 17

  • Daniel e Rubi- 16h
  • Orquestra de Cordas do Sesc – 17h
  • Pastoril Bom Pastor – 17h30
  • Coral do Sebrae e Coral Sons da Terra- 18h
  • Grupo Choro do Elefante – 19h

Dia 18

  • Grupo de Música RN Vida (Sesc) – 17h
  • Boi de Reis do Bom Pastor – 17h
  • Wagner Buchexa- 17h
  • Debinha Ramos- 18h30

Dia 19

  • Dança do Pastoril (Sesc) – 17h
  • Alexandre Moreira- 17h30
  • Banda Leão de Judá – 18h30

Dia 20

  • Amanda Duarte – 17h
  • Carmem e Levi – 18h

Dia 21

  • Sávio Filgueiras – 17h

Dia 22

  • Flávio Lucena e Chico Tárcio- 17h

Dia 23

  • Álisson Brazuka – 13h30

Palco Deodoro

Dia 20

  • Yrahn Barreto- 21h
  • Raimundo Fagner- 22h

Dia 21

  • Ribeira Boêmia – 19h
  • Alexandre Pires – 21h30

Dia 22

  • Dodora Cardoso – 21h
  • Waldonys – 22h

Palco Espaço Cultural K-Ximbinho

Dia 22

  • Coletivo Garagem- 15h
  • RN Autoral de Samba e Choro – 16h
  • Jubileu Filho e Luna Hesse – 17h
  • Laryssa Costa – 18h
  • Raphael Almeida – 19h
  • Priscila Matos – 20h
  • Bethoven e Choro do Elefante – 21h
  • Joca Costa – 22h
  • Carlos Zens e Choro do Caçuá – 23h

Dia 23

  • Fuxico de Feira – 00h
  • Batuque de um Povo – 1h

Palco Espaço Cultural Ruy Pereira

Dia 22

  • Rodolfo Amaral – 16h
  • Silveirinha Kosta – 18h

Polo Natalino Zona Sul (Palco Ponta Negra)

Dia 29

  • Catita Choro e Gafieira – 21h
  • Claudia Leite – 22h30

Polo Natalino Zona Norte

Palco Nélio Dias

Dia 27

  • Arquivo Vivo – 20h
  • Dorgival Dantas – 22h

Dia 28

  • Kanelinha & CPI do Forró – 19h
  • Quarteto Linha – 20h30
  • Banda Grafith- 22h

Palco Redinha – Reveillon

Dias 31/12 e 01/01

  • Luizinho Nobre – 23h
  • Carlos Zens – 0h30
  • Jaina Elne – 1h40
  • Debinha Ramos – 02h50
  • Perfume de Gardênia – 04h

Polo Natal Zona Leste (Palco Santos Reis)

Dia 02/01

  • Pretta – 21h

Dia 03/01

  • Panka de Bakana – 21h

Dia 04/01

  • Grupo Batuque Resistência – 21h
  • Luizinho Nobre – 21h30

Dia 05/01

  • As Nordestinas – 21h
  • Isaque Galvão – 22h30

Fonte: G1RN

Deixe uma resposta