TARIFA COBRADA PELO CIRCULAR DA UFRN É SUSPENÇA PELA JUSTIÇA

Por g1 RN

 

Ônibus circular da UFRN — Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV CabugiÔnibus circular da UFRN — Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV Cabugi

Uma decisão judicial desta sexta-feira (17) determinou que a Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal e o Sindicato das Empresas de Transporte Urbanos suspendam a cobrança da tarifa nos ônibus que fazem o transporte circular na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

A decisão do juiz Francisco Seráphico da Nóbrega Coutinho, da 6ª Vara da Fazenda Pública de Natal, atendeu a um pedido feito dentro de uma ação popular aberta pela deputada federal Natália Bonavides (PT), com tutela de urgência.

Ao g1, a Secretaria de Mobilidade Urbana afirmou que ainda não foi notificada da decisão.

O magistrado entendeu que o município não seguiu os trâmites previsto pela legislação municipal para suspender a linha 588 e criar a linha “Alimentador UFRN“.

De acordo com ele, uma lei municipal de 2020, define que decisões do tipo devem passar pelo Conselho Municipal de Transporte e só podem valer 120 dias após o pedido da empresa responsável.

“Da mesma forma, eventual mudança tarifária também exige a participação do Conselho Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, sob pena torná-la inócua”, disse o magistrado na decisão.

“O perigo de dano, por sua vez, também restou comprovado, uma vez que se trata de linha de ônibus utilizada por parcela significativa da população e, em sua maioria, estudantes de baixa renda, de modo que a vigência do ato impugnado causa prejuízo financeiro diário aos cidadãos”, apontou.

Na determinação à prefeitura, à STTU e ao Seturn, o juiz ainda determinou multa equivalente ao “dobro da vantagem auferida com eventual cobrança indevida após a ciência desta decisão”.

Confusão

A linha de ônibus circular que atende o campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) voltou a funcionar no dia 1º de dezembro, porém passou a cobrar tarifa de R$ 3,20. A medida surpreendeu estudantes da universidade, porque até então o serviço era gratuito.

A linha estava suspensa desde que as aulas presenciais da universidade foram paralisadas, no início da pandemia da Covid-19. A instituição está em um processo de retomada gradual das atividades presenciais e já tinha solicitado o retorno da linha ao município.

A Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) justificou a mudança pela necessidade de equilíbrio financeiro para a operação.

Diante da alteração, estudantes fizeram protestos no dia seguinte em frente à STTU. Na ocasião, a secretária Daliana Bandeira afirmou que a gratuidade do transporte deveria ser retomada em 2022.

Na ocasião, os representares do DCE e estudantes cobraram que a gratuidade no transporte voltasse de forma imediata, alegando que isso tem dificultado a vida dos jovens estudantes.

Eles também citaram o período da pandemia, em que a situação econômica principalmente dos estudantes de famílias pobres piorou consideravelmente.

Representantes do Seturn, por sua vez, apontaram que neste momento de crise as contas para as empresas concessionárias do transporte público “não estão fechando”.

Deixe uma resposta