A NOVA REITORA ELEITA DA UERN FOI A PROFESSORA CECÍLIA MAIA LEITE

Cicília Maia é eleita a nova Reitora da UERN

12 maio 2021

DeFato.com - Politica

Com 63,45% dos votos válidos, a professora Cicília Maia Leite foi eleita hoje a nova reitora da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Ela vai administrar a universidade no quadriênio 2021-2025. Com a conquista, ela passa a ser a terceira mulher a chegar à reitoria da UERN, em 52 anos de história, sendo a segunda pelo voto direto. O resultado foi anunciado na manhã desta terça-feira, durante reunião da Comissão Eleitoral e todos os candidatos que participaram do pleito.

Com o encerramento da apuração dos votos da consulta à comunidade acadêmica, ocorrida nesta segunda-feira (10) de forma virtual, Cicília Maia alcançou 2.218 votos (63,45%), contra 1.094 (24,10%) do professor Paulinho Silva, e 650 (12,45%) do professor Adalberto Veronese, seus concorrentes. O resultado colocou a professora Cicília Maia em vantagem nos três segmentos da universidade (estudantil, técnico e docente).

Ao seu lado, ela terá o professor Chico Dantas, eleito Vice-Reitor com 62,16% dos votos válidos. Companheiro de chapa de Cicília, Chico Dantas obteve 2.157 (62,16%) votos, contra 1.141 (21,15%) da professora Kelânia Freire, e 654 (12,17%) da professora Maria José Vidal.

O resultado da consulta deve ser homologado pelo Conselho Universitário (CONSUNI), que encaminhará lista tríplice à governadora Fátima Bezerra, responsável pela nomeação dos novos dirigentes da universidade. A posse da nova reitora e do novo vice-reitor ocorrerá no dia 28 de setembro de 2020, durante a Assembleia Universitária. A data marca também o fim da gestão dos professores Pedro Fernandes (reitor) e Fátima Raquel Rosado Morais (vice-reitora e, atualmente, reitora em exercício).

Perfil

Profª Cicília Maia – Reitora eleita da UERN

Cicília Raquel Maia Leite é natural do município de Mossoró/RN. Graduada em Ciência da Computação pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN (2003), é Mestre em Engenharia Elétrica, pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG (2005), Doutora em Engenharia Elétrica e da Computação, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN (2011), e possui Pós-Doutorado no Massachusetts Institute of Technology – MIT/EUA (2013).

Servidora efetiva da UERN desde 2006, é professora Adjunta IV, lotada no Departamento de Informática, Faculdade de Ciências Exatas e Naturais (FANAT), no Campus Central, onde ministra aulas no curso de graduação em Ciência da Computação. Professora permanente do Programa de Pós- Graduação em Ciência da Computação – Associação Ampla UERN/UFERSA, tem experiência em pesquisas em Engenharia de Software, Informática Médica e Tecnologias Assistivas. É líder do grupo de pesquisa em Engenharia de Software (GES/UERN) e do Núcleo Tecnológico de Engenharia de Software (NTES/UERN). Participa de estudos com pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Estadual Paulista (UNESP) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). É organizadora dos livros: Novas tecnologias aplicadas à saúde –desenvolvimento de Sistemas Dinâmicos – Conceitos, aplicações e utilização de técnicas inteligentes e regulação (2019); Plenitude e Completude de Fazer Ciência (2018); Novas Tecnologias Aplicadas à Saúde: Integração de Áreas Transformando a Sociedade (2017).

Com experiência no campo da gestão universitária, desempenhou funções diversas na UERN. Foi Assessora de Captação de Recursos e Diretora de Pesquisa e Inovação da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação; Pró- Reitora de Recursos Humanos e Assuntos Estudantis (PRORHAE); Subchefe do Departamento de Informática – DI/FANAT; Diretora da Diretoria de Admissão, Registro e Controle Acadêmico da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação – DIRCA/PROEG; Assessora Técnica da Reitoria; e atualmente exerce a função de Chefe de Gabinete da Reitoria da UERN. É conselheira eleita, representante da categoria docente, do Conselho Diretor da Fundação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – CD/FUERN (2019-2021). Tem participação em conselhos, comissões, fóruns e colegiados da universidade.

Prof. Chico Dantas – Vice-Reitor eleito da UERN

Francisco Dantas de Medeiros Neto é seridoense, natural do município de Serra Negra do Norte/RN. Graduado em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN (2001), é mestre em Sistemas e Computação pela mesma Universidade (2004) e doutor em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUCRIO, em colaboração com a Universidade de Lancaster/Reino Unido (2013).

Servidor efetivo da UERN desde 2005, é professor adjunto, lotado no Departamento de Ciência da Computação do Campus da UERN, em Natal, onde atua no curso de graduação em Ciência da Computação. É membro colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação – PPGCC/UERN/UFERSA.

Em 2006, coordenou a implantação do Núcleo Avançado de Educação Superior da UERN, na cidade de Santa Cruz. Em 2013, assumiu a coordenação do PPgCC da UERN/UFERSA. Integrou o Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE/UERN) e é membro nato do Conselho Universitário (CONSUNI/UERN). Atualmente, é diretor do Campus da UERN, em Natal.
Tem ministrado cursos de capacitação no uso de plataformas tecnológicas para ensino por meio de acesso remoto para as comunidades discente e docente. Tal iniciativa foi estendida para toda rede básica de ensino do Rio Grande do Norte, por meio de projeto de extensão que atendeu mais de 7.000 professores. É membro da Diretoria da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), tendo sido escolhido em processo eleitoral, de âmbito nacional. É o editor responsável pela Revista Computação Brasil da SBC.

Enquanto Diretor da UERN Natal, o professor Chico Dantas elaborou e executou projetos com foco na promoção da qualidade de vida da comunidade do Campus. Destaca-se o evento “Sexta do Café”, que é um encontro mensal dedicado ao lazer e à confraternização da comunidade do Campus de Natal. Na oportunidade, promoveu uma agenda de recepção de parlamentares estaduais para apresentação dos resultados e indicadores da UERN.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo A NOVA REITORA ELEITA DA UERN FOI A PROFESSORA CECÍLIA MAIA LEITE

PRAZO FINAL DA 2ª CHAMADA DO SISU FOI DIVULGADO EL UFRN

UFRN divulga prazo final da 2ª Chamada do SISU

UFRN divulga 2ª Chamada do SiSU – Portal HD

Os candidatos que manifestaram interesse em compor a lista de espera da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e foram convocados na 2ª Chamada do Sistema de Seleção Unificada (SiSU-2021) devem efetuar o envio eletrônico da documentação no dia 10 de maio, prazo final para submissão de documentos, pelo Portal SIGPS.

Na 2ª Chamada do SiSU-2021, foram convocados os aprovados dentro das vagas, além dos candidatos suplentes, que irão compor o cadastro reserva, de acordo com as regras estabelecidas no edital. O candidato suplente que não enviar a documentação para cadastramento não participará do cadastro reserva e não será convocado para ocupar vagas ociosas, caso surjam. Nessa perspectiva, os convocados que não fizeram a submissão de documentos nos dias 5 e 6 de maio poderão fazê-la no dia 10 de maio.

Já os estudantes que submeteram a documentação e receberem e-mail com todos os documentos obrigatórios constando como “validado” não precisam realizar mais nenhuma operação. Até sexta-feira, 14 de maio, o cadastro será efetivado e a comunicação ocorrerá por e-mail.

Quem submeteu a documentação e receber e-mail com algum documento constando como “negado” precisa verificar a observação associada à negativa e retificar o documento no dia 10 de maio. Já os candidatos que não receberem e-mail devem consultar sua caixa de “spam”. Caso não encontrem a comunicação, podem acessar o Portal SIGPS e consultar o status da submissão. A análise dos documentos, pela Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), ocorrerá até domingo, 9 de maio.

Vagas

Do total de 7.106 vagas disponibilizadas na primeira chamada, cerca de 71% foram preenchidas. Dessa forma, aproximadamente, 2 mil vagas deverão ser ocupadas pelos estudantes da lista de espera, obedecendo a ordem de classificação, desde que tenham enviado a documentação no período definido para cadastro. A convocação da 2ª Chamada e todas as informações sobre o SiSU na UFRN estão disponíveis no site SiSU-UFRN.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo PRAZO FINAL DA 2ª CHAMADA DO SISU FOI DIVULGADO EL UFRN

EDUCAÇÃO: 2ª CHAMADA DO SISU FOI DIVULGADA PELA UFRN

UFRN divulga 2ª Chamada do SiSU

Foto: Cícero Oliveira

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) disponibilizou na noite da última segunda-feira, 3 de maio, a 2ª Chamada dos candidatos que optaram por participar da lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), divulgada no site www.sisu.ufrn.br. A recepção dos documentos para cadastro dos convocados acontecerá entre 5 e 6 de maio no endereço www.sigps.ufrn.br, onde deverão enviar os documentos exigidos em edital, com oportunidade de retificação no dia 10. Caso haja cadastro de um número maior de candidatos que a quantidade de vagas em aberto, haverá a formação de cadastro de reserva.

“Os candidatos que compõem a convocação da 2ª. Chamada, inclusive os suplentes interessados em participar do cadastro de reserva, devem enviar os documentos neste período, pois as vagas não preenchidas após a segunda chamada serão direcionadas aos estudantes que tenham realizado o cadastro”, ressalta a pró-reitora de Graduação da UFRN, Maria das Vitórias Vieira de Sá. A divulgação das listas com os nomes dos candidatos que irão preencher as vagas ociosas acontecerá nas datas definidas no edital, onde também está disponível a relação de documentos necessários para o cadastro.

Assim como na primeira chamada, o cadastro e matrícula da segunda chamada do SiSU serão 100% remotos, em virtude da pandemia da Covid-19. Os convocados que não enviarem a documentação correta serão eliminados do processo seletivo e não serão incluídos em cadastro de reserva para nova convocação. Pedidos de cadastramento em prazos, horários e locais diferentes dos indicados no edital não serão aceitos.

Vagas

Do total de 7.106 vagas disponibilizadas na primeira chamada, cerca de 71% foram preenchidas. Dessa forma, aproximadamente, 2 mil vagas deverão ser ocupadas pelos estudantes da lista de espera, obedecendo a ordem de classificação, desde que tenham enviado a documentação no período definido para cadastro. A lista de espera e todas as informações sobre o SiSU na UFRN estão disponíveis no site www.sisu.ufrn.br.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo EDUCAÇÃO: 2ª CHAMADA DO SISU FOI DIVULGADA PELA UFRN

EM CAICÓ, FILHO DE LAVADEIRA É APROVADO EM 1º LUGAR NO CURSO DE MEDICINA NA UFRN

Por Isaiana Santos, Inter TV Costa Branca

 

Em Caicó, filho de lavadeira é aprovado em primeiro lugar em Medicina
Em Caicó, filho de lavadeira é aprovado em primeiro lugar em Medicina

O primeiro sinal de um aprovado no Sisu é a cabeça raspada e a testa riscada com o nome do curso. O de Luiz Gustavo de Oliveira, de 19 anos, é Medicina. E, no caso dele, representa muita superação. Além de toda a adaptação necessária em um ano de pandemia, ele contou com uma ajuda especial: a dedicação da mãe, dona Francileide Marques, que trabalha como lavadeira e também como boleira.

São cerca de 14 horas de trabalho por dia para conseguir ajudar nos estudos do filho. “Eu acordava muito cedo para lavar roupa. Lavava, passava. Quando dava umas 5h30, já soltava as roupas para ir para os bolos. Minha casa é pequena. Eu carregava a batedeira para dentro do meu quarto, cobria com um pano de prato e fechava as portas para ele não ouvir”, conta a mãe.

Por causa da dificuldade financeira dos pais, Luiz Gustavo contou com a ajuda de uma tia, que financiava os estudos dele. Em 2019, concluiu o Ensino Médio, concorreu também ao curso de Medicina, mas não passou.

No ano passado, conseguiu uma bolsa de estudos em um cursinho da cidade. Foram várias noites de sono perdidas, mas a recompensa veio. O jovem fez o Enem e atingiu 940 pontos. Com apenas 19 anos, foi aprovado em primeiro lugar no curso de Medicina da UFRN em Caicó.

“Eu encontrava as vezes com Luiz indo de bicicleta para a escola. Eu passava de carro para ir trabalhar e achava ele no caminho”, relata o professor Rhodriggo Mendes

“Sábados, domingos, que ficava ali fazendo simulados, algo extremamente cansativo. E agora, estou colhendo os frutos. Isso é o que vem na minha mente”, diz o rapaz.

A história de Luiz Gustavo é praticamente a mesma de milhares de potiguares que tentam, através dos estudos, dar uma vida melhor aos pais.

“Minha mãe e meu pai acordam às 4h da manhã para começar a trabalhar em um trabalho que às vezes vai acabar umas 22h, 22h30. Isso é muito cansativo para ela. O mais rápido que eu conseguir tirar minha mãe dali, eu vou tirar. Essa era minha motivação. Era ver meus pais, saber que o que eles estavam fazendo era muito mais difícil do que eu estava fazendo, que era estudar”, afirma o jovem.

“É por você mainha, por você pai, vocês que trabalham muito por mim e estão orgulhosos de mim. Isso tudo é por vocês”, declarou Luiz.

“É muita felicidade, muita gratidão. Eu sabia que esse dia ia chegar”, disse Francileide. “Estou me sentindo feliz”, resumiu o pai do novo universitário, José Procópio.

Continuar lendo EM CAICÓ, FILHO DE LAVADEIRA É APROVADO EM 1º LUGAR NO CURSO DE MEDICINA NA UFRN

ENTRETENIMENTO: PROJETO MOVIMENTO SINFÔNICO DA ORQUESTRA DA UFRN INICIA SUA TEMPORADA 2021

Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte inicia temporada 2021

Redação / Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Divulgação/Arquivo

Inspiradora, a música, ao longo dos anos, tem comprovado a sua importância e eficácia para o desenvolvimento do bem-estar. E, mais do que isso, uma aliada da mente humana, promovendo equilíbrio, concentração e raciocínio. É, pois, sabendo do seu importante papel perante a humanidade e na capacidade de auxílio para perpassar as dificuldades com mais leveza, que a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte – OSRN inicia em março a temporada 2021 do Projeto Movimento Sinfônico.

Para este mês, a OSRN traz a música Barroca como destaque. E para estudar e homenagear o estilo, a Orquestra promove videoaula, com o maestro Linus Lerner que convida o renomado Paulo Bosísio, no “Programa Formação”, dia 30 de março, às 19h. Gratuita e com vagas limitadas, os interessados podem se inscrever através do Sympla, a partir desta quarta-feira (24).

Violonista, concertista, camerista e pedagogo, Paulo Bosísio, ocupa cadeira vitalícia nº 8 da Academia Brasileira de Música e é um dos mais destacados nomes do cenário musical brasileiro. Carioca, nascido em 1950, Paulo estudou com Yolanda Peixoto e, posteriormente, como bolsista do Governo Alemão, com Berta Volmer e Max Rostal. Formou-se com grau máximo e distinção, obtendo o diploma de “Konzertexamen” – o título mais alto conferido a um instrumentista na Alemanha. Na qualidade de concertista, apresentou-se em turnê por diversas cidades da Europa; solou com todas as maiores orquestras brasileiras e realizou importantes turnês camerísticas como primeiro violino do “Quarteto Paulo Bosisio”, do “Quarteto da Universidade Federal Fluminense” e com o duo “Paulo Bosisio – Lílian Barreto”. É professor da Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), e convidado em diversos seminários de música por todo o país. O maestro da OSRN, Linus Lerner comenta: “Bosísio é formador dos professores de quase todo o Brasil. Grandes nomes da música passaram por ele e alguns de seus alunos foram premiados em importantes concursos internacionais e nacionais”. O músico estreou diversas obras em primeira audição, a maioria dedicada a ele, tornando-se um dos mais empenhados executantes de música brasileira contemporânea.

Já no dia 31 de março, estreia a temporada 2021 da série Vídeo Homenagem, no canal oficial da Orquestra, no YouTube. O primeiro do ano é uma homenagem aos 350 anos de Tomaso Albinoni e conta com participação especial de Durval Cesetti tocando órgão, além de percorrer por patrimônios arquitetônicos do Rio Grande do Norte que contém a arte barroca.

Música Barroca

O Barroco foi uma tendência artística que primeiro se desenvolveu nas artes plásticas, logo após, na literatura, no teatro e, por fim, na música. A palavra ‘barroco’, de origem portuguesa, significa pérola ou joia de formato irregular. Muito utilizada para designar o estilo da arquitetura e da arte do século XVII. Na música, o termo passou a ser aplicado pelos músicos para indicar o período da história da música, como o aparecimento da ópera, Orfeu de Monteverdi, em 1607 e do oratório, até a morte de Johan Sebastian Bach, em 1750.

Também foram criadas a fuga, a suíte, a sonata e o concerto. Uma época considerada de maior extensão da música ocidental, no qual, a música instrumental passa a ter a mesma importância da vocal. Dentre as características mais importantes do estilo barroco estão: o do baixo contínuo, contínuo, do contraponto e da harmonia tonal, em oposição aos modos gregorianos até então vigente. Com ritmo enérgico, melodias cheias de ornamentos, contraste de timbres de instrumentos e contraste de sonoridade forte e suave constituem a música barroca.

A Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte tem o Governo do Estado do RN como seu principal mantenedor. E a temporada 2021 é realizada através do projeto Movimento Sinfônico por meio do patrocínio via incentivo fiscal da Companhia Energética do Rio Grande do Norte – Cosern e Instituto Neoenergia, mediante Lei Câmara Cascudo do Governo do Estado do RN, da Unimed Natal, Hospital do Coração e Prefeitura do Natal, por meio da Lei Djalma Maranhão. O projeto Movimento Sinfônico é uma realização da OSRN / Fundação José Augusto e da MAPA Realizações Culturais. Apoio G7 Comunicação.

Fonte: Portal da Tropical-Notícias

Continuar lendo ENTRETENIMENTO: PROJETO MOVIMENTO SINFÔNICO DA ORQUESTRA DA UFRN INICIA SUA TEMPORADA 2021

NOVO CONCURSO PÚBLICO DA UFRN OFERECE 21 VAGAS PARA OS CAMPUS DE NATAL,CAICÓ, SANTA CRUZ E CURRAIS NOVOS

UFRN tem novo Concurso Público com 21 vagas

02 mar 2021

Concurso UFRN: saiu edital com 53 vagas para professor

Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), disponibilizou recentemente, o edital do Concurso Público, que visa à contratação de Técnico Administrativos em educação, a fim de atuar no Campus Natal, Campus de Caicó, Campus de Santa Cruz e Campus de Currais Novos.

Há oportunidades para odontólogo (1), enfermeiro (1), médico/psiquiatria (2), médico/área ortopedia (1), médico/área pediatria (1), médico/anestesiologia (1), médico/cirurgia geral (1), contador (2), pedagogo (1), técnico em contabilidade(2), técnico de laboratório/área biotério (1), técnico de laboratório/área química (1), técnico em tecnologia da informação (2) e assistente em administração (4).

Requisitos

Podem se candidatar, profissionais que tenham curso superior completo em enfermagem, diploma em odontologia, diploma de curso superior em medicina, reconhecido pelo mec, residência médica em psiquiatria, residência médica em ortopedia ou título de especialista na área, residência médica em pediatria, residência médica em anestesiologia, residência médica em cirurgia geral ou em área cirúrgica básica, diploma de conclusão de curso superior em ciências contábeis, diploma de curso superior em pedagogia e pós-graduação lato sensu na área de currículo ou práticas pedagógicas ou educação inclusiva, ensino médio profissionalizante completo na área de contabilidade ou ensino médio completo acrescido de curso técnico em contabilidade, ensino médio profissionalizante completo na área de zootecnia ou veterinária, ensino médio profissionalizante completo em química, curso técnico completo na área de informática, tecnologia da informação ou eletrônica com ênfase em sistemas computacionais, curso técnico completo integrado ou concomitante na área de informática, tecnologia da informação ou eletrônica com ênfase em sistemas computacionais e ensino médio profissionalizante completo.

Remuneração

Os aprovados, que terão jornada de trabalho de 40 horas terá remuneração de R$ 4.180,66, corresponde ao vencimento básico inicial, auxílio alimentação no valor de R$ 458,00, podendo ser acrescido de vantagens, benefícios e adicionais previstos na legislação.

Já os contratados de carga horário de 20 horas semanais receberão remuneração mensal de R$ 3.666,54 correspondente ao vencimento básico e auxílio alimentação no valor de R$ 458,00, podendo ser acrescido de vantagens, benefícios e adicionais previstos na legislação. após a entrada em exercício, os servidores da carreira de técnico administrativo em educação que comprovarem nível de escolaridade formal superior.

Pedidos de participações

As inscrições serão feitas, exclusivamente, via internet, a partir das 8h do dia 03 de maio de 2021 até às 23h59 do dia a 07 de junho de 2021, observando o horário local de Natal. O pedido de participação possui taxa no valor de R$ 80,00.

Os candidatos inscritos, que se adequarem aos requisitos podem solicitar a isenção da taxa a partir do dia 3 de maio de 2021, até o dia 23 do mesmo mês.

Provas e validade

Composto por provas objetivas e redação, as mesmas são formadas por conteúdos de língua portuguesa, legislação, conhecimentos específicos e redação. As provas serão aplicadas no dia 04 de julho de 2021, nos municípios de Natal, Caicó, Currais Novos e Santa Cruz, no Estado do Rio Grande do Norte.

A prova discursiva composta por redação exigirá que o candidato produza um texto explicativo/expositivo ou argumentativo, em prosa, segundo o padrão culto da língua portuguesa escrita, com base em uma situação comunicativa determinada.

O prazo de validade do concurso será de dois anos, prorrogável por igual período, conforme conveniência da UFRN.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo NOVO CONCURSO PÚBLICO DA UFRN OFERECE 21 VAGAS PARA OS CAMPUS DE NATAL,CAICÓ, SANTA CRUZ E CURRAIS NOVOS

REITOR DA UFRN RECOMENDOU QUE OS COLEGIADOS AVALIEM A POSSIBILIDADE DE SUSPENDER, TEMPORIAMENTE, AS ATIVIDADES PRESENCIAIS POR DUAS SEMANAS

Por G1 RN

 

Reitoria Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) — Foto: Cícero OliveiraReitoria Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) — Foto: Cícero Oliveira

O reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, recomendou que os colegiados dos cursos avaliem a possibilidade de suspender temporariamente as atividades presenciais pelas próximas duas semanas diante do agravamento da pandemia no estado.

A recomendação consta em mensagem enviada neste sábado (27) à comunidade universitária sobre as medidas contra à Covid-19. O reitor cita que é necessário reduzir para o “mínimo possível” as atividades presenciais neste período.

“Neste sentido, preocupados com a situação da pandemia, decidimos recomendar que os colegiados avaliem se as atividades práticas presenciais de componentes curriculares podem ser suspensas temporariamente, ou ofertadas de maneira remota, desde que a suspensão não traga prejuízos ainda maiores para o enfrentamento da pandemia”, diz o reitor na mensagem.

“Entendemos e, obviamente, concordamos que é necessário reduzir para o mínimo possível as atividades presenciais nas próximas duas semanas”

A carta aponta que o comitê científico da UFRN entende que a “a oferta de atividades presenciais na instituição deve continuar condicionada à deliberação dos colegiados de curso e plenários de departamento”.

O reitor destacou no texto que UFRN tem trabalhado o calendário acadêmico no formato remoto e oferta algumas atividades práticas de forma presencial – essas precisam ser aprovadas pelas instâncias universitárias competentes e terem condições estabelecidas no Protocolo de Biossegurança da instituição.

José Daniel Diniz Melo atenta ainda que a maior parte das atividades que estão sendo ofertadas presencialmente são da área da saúde e que muitos dos estudantes contribuem no combate à pandemia no estado. “Não é demais reiterar que a UFRN já vem funcionando em formato remoto, tanto nas suas atividades acadêmicas como nas administrativas”, diz.

“E que a excepcionalidade de algumas atividades práticas presenciais acham-se circunscritas a alguns cursos da área da saúde e podem permitir, inclusive, que estudantes de graduação e de pós-graduação contribuam com o enfrentamento da situação atual”.

O gestor falou ainda que o retorno no formato online no ano passado se deu porque “os prejuízos da suspensão das atividades de ensino são muito grandes”. A volta do período letivo 2020.1 aconteceu em setembro.

“As aulas atualmente ministradas na UFRN, são, portanto, em formato remoto como previsto nas resoluções 062/2020 e 105/2020 do Conselho de Ensino, Pesquisa Extensão (Consepe) e, apenas excepcionalmente, com algumas atividades práticas realizadas de forma presencial”.

Na mensagem, o reitor cita também algumas ações de enfrentamento à Covid-19 realizadas pela UFRN, como a realização de mais de 70 mil testes da covid-19, a produção de álcool 70%; a participação dos hospitais universitários, com atendimento 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e o desenvolvimento de aplicativos para gestão de leitos e aplicação de vacinas.

Veja mensagem na íntegra

“Desde o início da pandemia, em março do ano passado, tivemos que adotar várias medidas acadêmicas e administrativas, entre elas a instalação do Comitê Covid-19 para assessorar a gestão e monitorar o cenário da pandemia; a suspensão das atividades presenciais, por tempo indeterminado, a partir de 17 de março de 2020; a realização de testes da covid-19 (mais de 70 mil exames já realizados). Além dessas, destacam-se igualmente a produção de álcool 70%; a participação dos Hospitais Universitários, com atendimento 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS), como parte da estratégia de combate ao novo coronavírus; o desenvolvimento de aplicativos para gestão de leitos e aplicação de vacinas e a reorganização das atividades administrativas com a publicação de um protocolo de biossegurança para orientar as unidades na oferta de atividades presenciais.

Sabemos que os prejuízos da suspensão das atividades de ensino são muito grandes, especialmente para os estudantes. Neste sentido, iniciamos em junho de 2020, um Período Letivo Suplementar Excepcional, com oferta de componentes curriculares de forma facultativa para docentes e estudantes, no formato remoto. Nesse ínterim, fizemos o planejamento para a retomada do semestre, buscando, inclusive, criar as condições para acompanhamento das aulas por parte dos estudantes e oferecendo capacitação aos docentes para atuarem em formato remoto. Retomamos, em setembro, o semestre 2020.1, também de forma remota, aprovando, nos meses de novembro e dezembro, resoluções que dispõem sobre a regulamentação das atividades de ensino para os períodos seguintes.

As aulas atualmente ministradas na UFRN, são, portanto, em formato remoto como previsto nas resoluções 062/2020 e 105/2020 do Conselho de Ensino, Pesquisa Extensão (Consepe) e, apenas excepcionalmente, com algumas atividades práticas realizadas de forma presencial, cumprindo rigorosamente a orientação de que sejam realizadas “desde que sejam asseguradas as condições de biossegurança e observadas as normas vigentes em relação à emergência em saúde pública, sendo a oferta condicionada à aprovação pelos colegiados de curso e plenários de departamento e à homologação pelos respectivos centros ou unidades acadêmicas especializadas.”

O recente agravamento da situação da pandemia no nosso Estado, com o significativo aumento do número de casos e possibilidade de colapso de leitos nas unidades hospitalares, tem levado as autoridades de saúde a buscarem o aumento na disponibilização de leitos de terapia intensiva, enquanto se recomenda que gestores estaduais e municipais intensifiquem as medidas de restrição de circulação de pessoas. No esforço de atuar de modo eficaz nesse processo, nosso Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) abriu recentemente 10 leitos de terapia intensiva para covid-19.

Hoje foi publicado pela Exma. Sra. Governadora do Estado, o Decreto n° 30.383, que “dispõe sobre medidas temporárias de distanciamento social e institui o toque de recolher no âmbito do Estado do Rio Grande do Norte, e dá outras providências.”

Logo que tomamos conhecimento da publicação do referido decreto, convocamos o Comitê Covid-19 da UFRN, que se manifestou no sentido de que a oferta de atividades presenciais na instituição deve continuar condicionada à deliberação dos colegiados de curso e plenários de departamento, além da homologação dos respectivos centros ou unidades acadêmicas especializadas, em conformidade com a Resolução do Consepe.

Não é demais reiterar que a UFRN já vem funcionando em formato remoto, tanto nas suas atividades acadêmicas como nas administrativas. E que a excepcionalidade de algumas atividades práticas presenciais acham-se circunscritas a alguns cursos da área da saúde e podem permitir, inclusive, que estudantes de graduação e de pós-graduação contribuam com o enfrentamento da situação atual. Não sendo demais também lembrar que para o planejamento dessas atividades foi necessária uma preparação dos centros e unidades acadêmicas especializadas, de maneira a atender às recomendações do Protocolo de Biossegurança da Instituição.

Importa dizer que diante do agravamento das circunstâncias da covid-19 no nosso Estado, entendemos e, obviamente, concordamos que é necessário reduzir para o mínimo possível as atividades presenciais nas próximas duas semanas. Apesar de todos os cuidados observados, sabemos que até mesmo o deslocamento das pessoas deve ser reduzido neste período, na medida do possível. Neste sentido, preocupados com a situação da pandemia, decidimos recomendar que os colegiados avaliem se as atividades práticas presenciais de componentes curriculares podem ser suspensas temporariamente, ou ofertadas de maneira remota, desde que a suspensão não traga prejuízos ainda maiores para o enfrentamento da pandemia

Gostaríamos de finalizar reiterando que temos a perfeita noção de que enfrentamos dias muito desafiadores. E sem prejuízo de atividades que, no âmbito da instituição possam ajudar de forma concreta a melhorar a situação a partir das medidas oportunamente baixadas pelo Governo do Estado – uma vez que, não dispondo ainda de vacinas para toda população, a necessidade do distanciamento social tem sido recomendada como alternativa para tentar evitar o colapso dos nossos sistemas de saúde – pedimos a todas as pessoas para que contribuam com este processo. Isto é gesto de cidadania, responsabilidade e respeito ao próximo. Aproveito o ensejo para dirigir os nossos agradecimentos a toda nossa comunidade universitária pela dedicação, compreensão e paciência nesta jornada tão incomum e difícil.”

Decretos

A prefeitura de Natal determinou o fechamento da orla marítima da cidade durante os fins de semana, como forma de tentar reduzir as aglomerações e a contaminação pelo novo coronavírus. O novo decreto sobre o assunto foi publicado no Diário Oficial do Município no sábado (27) após publicação do governo, que determinou toque de recolher no estado e recomendou medidas aos municípios

Por outro lado, a prefeitura não seguiu o fechamento das escolas, determinado pelo estado, e autorizou a realização de aulas em formato presencial e remoto em todos os níveis de ensino, desde que seguido os protocolos de distanciamento, uso de máscara e higienização.

O município também determinou alteração no horário de funcionamento de parte do comércio, especialmente para evitar aglomerações no transporte público.

As áreas de lazer dos condomínios residenciais devem permanecer fechadas, em especial as áreas de piscina e de churrasqueira.

Cenário no RN

De acordo com o Regula RN, plataforma que monitora em tempo real as internações no estado, o Rio Grande do Norte tinha 88,34% dos leitos críticos ocupados, sendo a Região Oeste a região que mais preocupa no momento, com 91,8%. A consulta foi realizada neste domingo às 8h30.

Na quinta-feira (25), a governadora admitiu que o sistema de saúde da Grande Natal colapsou e pediu aos prefeitos dos municípios medidas mais rígidas para evitar que isso se espalhe pelas demais regiões e se agrave ainda mais na Região Metropolitana.

Exemplo disso é que alguns pacientes não têm conseguido sequer ser internados. Na quinta-feira, uma idosa de 93 anos precisou ser intubada dentro da ambulância depois de ficar cinco horas sem receber atendimento em um hospital particular.

Neste sábado, o próprio governo publicou um decreto que proíbe circulação de pessoas entre 22h e 5h em todo o estado, além de determinar suspensão de eventos e até atividades religiosas.

Sem vagas na Grande Natal, os pacientes estão sendo transferidos de avião para o interior do estado. Pelo menos sete já foram internados em leitos em Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros. Ao todo, somados às transferências por ambulâncias, 31 pessoas foram reguladas nos últimos dias da Grande Natal para o interior pela falta de vagas.

Além disso, há um crescimento de 60% na internação de pessoas abaixo dos 60 anos de idade. Atualmente, quase metade dos internados em leitos críticos não são idosos.

A superlotação dos hospitais na Grande Natal também se reflete nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que já operam acima dos 100% de ocupação. Pelo cenário, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal decidiu tornar todos os 30 leitos clínicos do Hospital dos Pescadores exclusivos para pacientes com Covid-19.

Veja também: ‘Apavorados’, ‘entrando em colapso’, ‘semanas muito difíceis’… No vídeo abaixo, veja as falas de autoridades estaduais e municipais sobre o avanço da pandemia no Brasil.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo REITOR DA UFRN RECOMENDOU QUE OS COLEGIADOS AVALIEM A POSSIBILIDADE DE SUSPENDER, TEMPORIAMENTE, AS ATIVIDADES PRESENCIAIS POR DUAS SEMANAS

UFRN CONFIMA CIRCULAÇAO DE NOVAS VARIANTES DO CORONAVIRUS NO RIO GRANDE DO NORTE

Por G1 RN

 

UFRN confirma variantes do Coronavírus no RN
UFRN confirma variantes do Coronavírus no RN

O Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) confirmou neste sábado (20) que novas variantes do coronavírus estão circulando no Rio Grande do Norte. A pesquisa foi realizada por meio do sequenciamento genético e está analisando 91 amostras do SARS-CoV-2, provenientes do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

De acordo com o IMT, com materiais genéticos coletados nos meses de dezembro de 2020 e janeiro e fevereiro de 2021, foi possível identificar a linhagem P1, que foi inicialmente encontrada em Manaus, além da linhagem P2, descrita no Rio de Janeiro e que está se disseminando pelo Brasil.

diretora do IMT-UFRN, Selma Jerônimo, conta que as amostras foram coletadas em dezembro de 2020 e as variantes vêm circulando no Nordeste desde esse período, o que mostra a importância da manutenção da vigilância. Como as novas mutações do vírus estão associadas a uma possível maior dispersão, ela também reforça a importância das medidas de prevenção, como distanciamento social, higiene das mãos e uso de máscaras.

A pesquisa foi financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pelo Ministério da Educação (MEC), com a colaboração de pesquisadores do Laboratório de Bioinformática do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC-MCTI), Ana Tereza Vasconcelos; do IMT-UFRN, Selma Jerônimo e Francisco Freire; do Departamento de Biologia Celular e Genética (DBG-UFRN), Lucymara Fassarella Agnez Lima e Katia Castanho Scortecci; além do Laboratório de Biologia Molecular da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), coronavírus — Foto: Anastácia Vaz

Selma Jerônimo também alertou sobre o “aumento importante” na quantidade de testes positivos para Covid-19 desde dezembro de 2020, chegando a 64% de exames positivos realizados pela unidade em fevereiro de 2021.

Sesap faz alerta

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) recebeu a confirmação sobre a circulação das novas linhagens do SARS-CoV-2, o que faz o estado entrar em alerta. “O governo do estado e a Sesap reforçam a importância de intensificar todas as medidas de controle da transmissão do vírus, evitando aglomerações, intensificando as medidas de vigilância, isolamento de todos os sintomáticos, o reforço do isolamento social, o uso correto da máscara em todos os espaços públicos e privados para que a gente consiga conter essa segunda onda e reduzir o número de casos e consequentemente de internação, nesse momento em que a lotação dos hospitais públicos e privados encontram-se nos seus limites máximos”, disse Cipriano Maia, secretário de Estado da Saúde Pública.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo UFRN CONFIMA CIRCULAÇAO DE NOVAS VARIANTES DO CORONAVIRUS NO RIO GRANDE DO NORTE

PONTO DE CORTE É ALTERADO PARA INGRESSO PELO SISU NA UFRN PARA MANTER CRITÉRIO DE INCLUSÃO VIGENTE

UFRN flexibiliza notas mínimas para ingresso pelo Sisu 2021; saiba detalhes

Desembargados negaram recurso da defesa de Ronnie Lessa por unanimidade

Redação 09/02/2021 | 17:39

Resultado de imagem para UFRN flexibiliza notas mínimas para ingresso pelo Sisu 2021Alunos aprovados na UFRN pelo Sisu 2020 – Foto: Anastácia Vaz

Levando em consideração as dificuldades que o contexto da pandemia da Covid-19 ocasionou na educação, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe-UFRN) aprovou nesta terça-feira, 8 de fevereiro, a flexibilização das notas mínimas exigidas, excepcionalmente na edição 2021, no Sistema de Seleção Unificada (SiSU). Dessa forma, a decisão visa preservar o critério de inclusão social vigente na UFRN, que busca promover a democratização e a ampliação de acesso dos alunos da rede pública à instituição de ensino. A alteração no ponto de corte das notas tem como base o entendimento de que, em decorrência da pandemia, as dificuldades de acesso às ferramentas necessárias para realização do ensino, sobretudo para os estudantes de escolas públicas, impuseram uma desigualdade de condições de estudo. Diante desse contexto, excepcionalmente na edição do SiSU 2021, a nota mínima nas provas de todas as áreas do conhecimento (Biomédica, Humanística I e II, Tecnológica I e II) foi flexibilizada. A medida visa possibilitar um maior preenchimento de vagas, especialmente nos cursos de menor procura que poderiam ficar com vagas ociosas devido à pandemia. Vagas do BI em Humanidades Para o primeiro período letivo de 2021, o Consepe aprovou ainda a oferta de 50 vagas para o Bacharelado Interdisciplinar (BI) em Humanidades, que foi criado recentemente e está vinculado ao Instituto Humanitas de Estudos Integrados (IH-UFRN). O curso será o primeiro BI na área de humanas na UFRN, sendo criado com o objetivo de formar um profissional “apto a atuar em equipes interdisciplinares nas áreas de pesquisa, assessorias, planejamento, projetos de intervenção”, capacitados a propor e manejar metodologias, dados, análises e tecnologias sociais, de forma eficiente e criativa, a partir de sua formação humanística e científica como profissional generalista interdisciplinar, conforme o Projeto Pedagógico do Curso.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo PONTO DE CORTE É ALTERADO PARA INGRESSO PELO SISU NA UFRN PARA MANTER CRITÉRIO DE INCLUSÃO VIGENTE

CENTRO ACADÊMICO DE HISTÓRIA DA UFRN DENUNCIA PROFESSORA POR FALA RACISTA EM AULA ONLINE

Aluna denuncia fala considerada racista de professora da UFRN

Resultado de imagem para Aluna denuncia fala considerada racista de professora da UFRN

O Centro Acadêmico de História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) denunciou uma fala considerada racista de uma professora durante aula nesta terça-feira 2. O Centro publicou uma nota de repúdio no perfil do Instagram contando detalhes do ocorrido.

Segundo o CA, a docente, que leciona a disciplina de Historiografia Brasileira, deu a entender que existe culpa dos povos negros pela sua própria escravidão nas colônias americanas. Na ocasião, uma aluna questionou a fala da professora e como resposta a docente teria acusado a estudante de persegui-la por ser “branca, intelectual e de classe média”. Ainda segundo a publicação, a professora teria dito que a aluna havia praticado “racismo reverso”. De acordo com o CA, a professora disse ainda que não é racista “já que se casou com um homem negro”.

“Racismo reverso” é um termo usado para descrever supostos atos de discriminação e preconceito perpetrados por minorias raciais ou grupos étnicos historicamente oprimidos contra indivíduos pertencentes à maioria racial ou grupos étnicos historicamente dominantes. No entanto, segundo historiadores, o termo seria uma contradição porque seria preciso que a população branca tivesse sido submetida ao mesmo período de privações e condições que os negros para defender a existência de um suposto “racismo reverso”.

O Centro pediu que os alunos denunciem os casos na Ouvidoria da UFRN. Casos de injúria racial praticados pela professora são recorrentes, segundo alunos que comentaram a publicação feita pelo CA.

“Gente, essa pessoa já deveria tá fora da academia desde 2007… Tive uma péssima experiência no curso de ciências sociais quando ela ‘confundiu’ crianças negras com animais ao analisar as pinturas do Debret”, comentou um deles.

“Recorrente o comportamento horrível dela, não só diversos comentários racistas como também humilhação de alunos e cometer erros e não assumir a culpa, mas transferir pros alunos” escreveu outro aluno.

“Pessoalmente já presenciei outro caso de assédio por parte da professora citada durante um seminário da mesma disciplina, onde dois colegas de turma (2017.1) foram humilhados após a apresentação. Falta de profissionalismo, bom senso e comprometimento na formação de novos historiadores!”, relatou um estudante.

Vereadora de Natal comenta caso
A vereadora Brisa Bracchi (PT) comentou o caso em seu perfil do Twitter dizendo que estava revoltada com o caso. “Revoltante o que ocorreu ontem numa turma do curso de História da UFRN! A professora relativizou o modo de produção escravista e acusou uma aluna negra de praticar “racismo reverso” por ter discordado dela. A professora ainda disse que não era racista por ter casado com um negro. Até quando?”, escreveu.

Ouvidoria da UFRN
Questionada pela reportagem do Agora RN se havia recebido denúncias envolvendo o caso, a Ouvidoria da UFRN disse que não pode comentar sobre situações específicas. E completou dizendo que, caso a denúncia seja formalizada na Ouvidoria, a demanda será encaminhada para a autoridade competente após análise.

O órgão recomendou que qualquer denúncia seja feita pelo canal oficial (falabr.cgu.gov.br).

AGORA RN

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo CENTRO ACADÊMICO DE HISTÓRIA DA UFRN DENUNCIA PROFESSORA POR FALA RACISTA EM AULA ONLINE

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA PROCESSO SELETIVO DE CADASTRO DE RESERVA DE PROFESSORES SUBSTITUTOS NA UFRN

Por G1 RN

 

Reitoria UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) — Foto: Cícero Oliveira/UFRNReitoria UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) — Foto: Cícero Oliveira/UFRN

A Universidade Federal do Rio Grande do (UFRN) abriu um processo seletivo para o cadastro de reserva de professores substitutos. Os cargos são para o Magistério Superior e do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas em uma plataforma da UFRN até o próximo dia 3 de fevereiro (veja o edital). O caminho para o acesso é acessar a área de “Meus concursos” e em seguida “Concursos abertos”, onde se deve selecionar o “Anexo II”. A taxa de inscrição é R$ 50.

As vagas para os cadastros de reservas são para Natal, Macaíba, Santa Cruz, Currais Novos e Caicó. O regime de trabalho é de 20 ou 40 horas semanais.

A atuação no ensino será de acordo com a necessidade da instituição expressa no plano de trabalho a ser definido pela unidade de lotação do servidor e no contrato de trabalho.

Em razão da declaração de estado de calamidade pública em todo o território nacional, estabelecido pela União por meio do Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, as provas do processo seletivo simplificado serão realizadas, em sua totalidade, na forma remota.

As provas serão aplicadas nos dias 26 de fevereiro e 12 de março.

A remuneração será fixada com base no valor dos vencimentos da carreira do Magistério Superior, de acordo com a vaga pretendida, observados o regime de trabalho contratado e a titulação do aprovado.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA PROCESSO SELETIVO DE CADASTRO DE RESERVA DE PROFESSORES SUBSTITUTOS NA UFRN

FAMÍLIAS QUE OCUPARAM PRÉDIO DA UFRN TÊM PROMESSA DE CASAS CONSTRUÍDAS PELO GOVERNO

Por G1 RN

 

Famílias ocupam prédio da antiga Faculdade de Direito da UFRN, na Zona Leste de Natal. Prédio é tombado como patrimônio histórico. (Arquivo) — Foto: DivulgaçãoFamílias ocupam prédio da antiga Faculdade de Direito da UFRN, na Zona Leste de Natal. Prédio é tombado como patrimônio histórico. (Arquivo) — Foto: Divulgação

Famílias que ocuparam o prédio histórico da antiga Faculdade de Direito da Universidade do Rio Grande do Norte (UFRN) na Ribeira, Zona Leste de Natal, serão assistidas socialmente e receberão casas de um programa de moradia do governo do estado. Ainda serão aplicados aproximado de R$ 16 mil por mês em custeios sociais, conforme definição de atribuições dos órgãos públicos em audiência conduzida pela Justiça Federal na última sexta-feira (18).

Segundo o governo do estado, as famílias deverão deixar a ocupação até a próxima terça-feira (22). Até lá, a Prefeitura deve indicar um local para alocá-las ou instituir um aluguel social, enquanto imóveis são construídos pelo estado.

As 30 famílias serão contempladas com casas do Programa Estadual Promoradia Viver Melhor, que, segundo a Companhia Estadual de Habitação e Desenvolvimento Urbano (Cehab), leverão 12 meses para ser entregues. Enquanto isso, o município de Natal fica responsável pela realocação dos moradores.

A Cehab informou que já encaminhou ao município a relação das 30 famílias que se enquadraram nas exigências legais e serão beneficiadas com a casa própria. O investimento do Governo do RN para a construção das moradias é de R$ 1,6 milhão.

As 120 pessoas que ocupam o prédio também passam a ser assistidas pelo Restaurante Popular e Programa do Leite, além de receberem cestas básicas.

“Tudo o que era de responsabilidade do Governo do Estado foi pactuado e feito. Isso ficou claro na audiência. Agora é só seguir com o cronograma do Promoradia Viver Melhor e possibilitar a essas pessoas uma moradia digna”, afirmou o diretor-presidente da Cehab, Pablo Thiago Lins.

A ocupação

O prédio da Antiga Faculdade de Direito da UFRN é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), passou mais de 15 anos desocupado e estava em processo de restauração., até ser ocupado por famílias ligadas ao Movimento de Lutas nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) na madrugada do dia 30 de outubro. Segundo a universidade, as famílias correm riscos ao permanecerem no local.

A Justiça Federal chegou a determinar duas vezes a reintegração de posse, mas no dia 11 de dezembro autorizou as cerca de 60 famílias a permanecerem no local por mais uma semana. Nem todas terão direito a moradia, por não se encaixarem nos parâmetros dos programas de habitação.

Na nova audiência desta sexta-feira (18), a nova previsão de saída ficou para a terça-feira (22).

Continuar lendo FAMÍLIAS QUE OCUPARAM PRÉDIO DA UFRN TÊM PROMESSA DE CASAS CONSTRUÍDAS PELO GOVERNO

INTERFACE PARA RASTREAMENTO DE CÂNCER DE MAMA É CRIADO POR ALUNOS DA UFRN

Alunos da UFRN criam interface para rastreamento de câncer de mama

Redação/Portal da Tropical

 – Atualizado em: 

Alunos vencem competição internacional desenvolvendo interface que investiga presença do câncer de mama em sangue de paciente | Foto: Cedida/UFRN

Estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) desenvolveram uma interface de rastreamento de câncer de mama que utiliza apenas uma gota de sangue da paciente para apontar um diagnóstico. A ideia, que já é desenvolvida há três anos por um grupo de pesquisadores da UFRN, acaba de vencer o primeiro lugar global na Bayer Digital Campus Challenge 2020, competição internacional patrocinada pela Bayer (empresa química e farmacêutica), na qual estudantes de todo o mundo apresentam inovações para a empresa.

Os alunos Ingrid de Moura Câmara (Química do Petróleo), João Vitor Medeiros Mariz (Química Licenciatura) e Raíssa Vanessa de Oliveira Silva (Química Licenciatura) batizaram o projeto de IRACEMA. “Além de fazer referência a uma grande obra da nossa literatura, o termo também se encaixa como sigla para Interface de RAstreamento do CâncEr de Mama”, explica Ingrid. Para ela a interface é eficaz pois automatiza a parte estatística do modelo quimiométrico. “Todos os processamentos escolhidos pelo grupo de pesquisa tiveram os melhores resultados e mostram de maneira simples, rápida e com baixo custo o resultado da análise de sangue”, afirma.

O grupo foi orientado pelo professor do Instituto de Química (UFRN) Kássio Michell Gomes de Lima, que dedicou os últimos anos ao desenvolvimento e aplicação do exame conhecido como bioespectroscopia e outras técnicas multivariadas de classificação, na busca por um diagnóstico alternativo ou complementar à mamografia. “Neste trabalho os alunos apresentaram uma proposta de implementação da bioespectroscopia aliada com técnicas de classificação multivariada para rastreamento primário do câncer de mama como uma proposta de inovação tecnológica. Os alunos apresentaram brilhantemente diretamente a empresa Bayer, destacando as potencialidades da técnica bem como um modelo de negócio a ser estudado pela empresa visando sua implantação na rotina”, sugere o professor Kassio.

A Bayer Digital Campus Challenge 2020 reuniu estudantes das áreas de ciência, tecnologias, engenharia, matemática, economia ou humanidades, que puderam apresentar inovações, com a promessa de que a Bayer irá comprar e capitalizar as melhores ideias e invenções e poderá usá-las para desenvolver tecnologias para a saúde. Neste ano, se inscreveram 1.223 participantes de 81 países, que formaram 577 equipes. Na final do evento, transmitida ao vivo nesta quarta-feira, 02 de dezembro, a equipe da UFRN teve vinte minutos para apresentar a IRACEMA e mais dez minutos para responder às perguntas do júri. Logo após foi anunciada como a vencedora global.

Segundo o site da BAYER a equipe da UFRN será recompensada com uma viagem para as cidades de Berlim, Barcelona ou Boston, além de receber uma mentoria especial.

Challenge

A competição reuniu estudantes universitários e recém-formados sem restrição de idade ou nacionalidade, que apresentassem ideias de como as novas tecnologias digitais podem melhorar a saúde das pessoas. Os grupos formados deveriam ter de dois até cinco pessoas e os eixos temáticos deveriam focar em Machine & Deep learning; Data Science; Cloud Computing and IT Security; Digital Therapeutics; Além da possibilidade da empresa comprar e capitalizar as ideias propostas.

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo INTERFACE PARA RASTREAMENTO DE CÂNCER DE MAMA É CRIADO POR ALUNOS DA UFRN

COM SALÁRIO QUE PODE CHEGAR À R$ 6,9 MIL, FUNPEC OFERTA 11 VAGAS PARA PROFISSIONAIS DE TI

Funpec oferta 11 vagas para profissionais de TI; salário pode chegar a R$ 6,9 mil

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Resultado do processo seletivo, bem como todas as etapas da triagem, serão publicadas no site da Funpec

A Fundação Norte-rio-grandense de Pesquisa e Cultura (Funpec), instituição de apoio à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), está com processo seletivo aberto para contratação de profissional em Tecnologia da Informação (TI) para atuar em regime celetista. São ofertadas 11 vagas, para diferentes perfis, com remunerações que variam entre R$2.894,00 e R$6.968,00.

As inscrições para a seletiva são gratuitas e seguem abertas até a próxima segunda-feira (9). Para candidatar-se, o interessado deve preencher e assinar o formulário de inscrição, disponível no site da Funpec, e enviá-lo (digitalizado e em formato PDF), junto à documentação solicitada no edital nº10/2020 para o e-mail ps102020@funpec.br. Os arquivos devem ser digitalizados em uma única mensagem.

Além disso, de acordo com o certame, do total de vagas destinadas para cada cargo, 5% são destinadas às pessoas portadoras de deficiência.

Os candidatos selecionados atuarão no projeto acadêmico Smart Retail, conduzido no âmbito do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), sob carga horária semanal de 40 horas, desenvolvendo atividades relativas à programação de sistemas de informação e análise de desenvolvimento de sistemas.

Perfis

O total de vagas ofertadas apresentam-se em oito perfis diferentes de atuação, divididos em dois grupos. O primeiro trata-se de Programadores de Sistemas da Informação, cujas vagas distribuem-se da seguinte maneira: 1 para desenvolvimento front-end; 1 para desenvolvimento back-end; 2 vagas para testes; e 1 para infraestrutura/devops.

Já o segundo grupo volta-se a Analistas de Desenvolvimento de Sistemas (Júnior e Pleno) e divide-se da seguinte forma: 2 vagas para desenvolvimento front-end (Analista Júnior); 1 para desenvolvimento back-end (Analista Júnior); 2 vagas para desenvolvimento full-strack (Analista Júnior); e 1 para arquitetura de software (Analista Pleno).

As atividades a serem desenvolvidas pelos selecionados, os requisitos básicos para cada um dos cargos, bem como as comprovações necessárias, estão detalhadas no Anexo I do edital.

Seleção

O processo de seleção será realizado por meio de três etapas (todas de caráter eliminatório e classificatório) e consistirá na análise de currículo, avaliação técnica, e entrevista técnica. A primeira fase será aplicada a todos os candidatos cujas inscrições tenham sido deferidas e levará em consideração os critérios de pontuação definidos no Anexo II do edital.

A avaliação técnica será realizada somente com os candidatos aprovados na primeira etapa, sendo composta por uma prova sobre os conhecimentos e habilidades específicas para o cargo e experiências técnicas na área. O teste será aplicado de forma on-line em dia, horário, e duração a serem definidos pela Funpec.

Já a terceira etapa, a entrevista técnica, também será realizada de forma remota e avaliará, por meio da apresentação de um desafio técnico (proposto antes da conferência), conhecimentos e habilidades específicas para o cargo e experiências na área.

O resultado do processo seletivo, bem como todas as etapas da triagem, serão publicadas no site da Funpec.

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo COM SALÁRIO QUE PODE CHEGAR À R$ 6,9 MIL, FUNPEC OFERTA 11 VAGAS PARA PROFISSIONAIS DE TI

CALENDÁRIO ACADÊMICO APROVADO PELA UFRN PARA 2021 É NO FORMATO REMOTO

UFRN aprova calendário acadêmico com ensino remoto para 2021

Redação/Portal da Tropical

 – Atualizado em: 

Universidade Federal do Rio Grande do Norte | Foto: Bethoven Padilha

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aprovou, nesta quinta-feira (5), a resolução sobre o novo Calendário Universitário. O documento regulamenta as atividades de ensino de graduação, no formato remoto, para os períodos letivos de 2020.2, 2021.1 e 2021.2.

Atualmente, a UFRN está realizando, no formato remoto, o período letivo 2020.1, que iniciou em fevereiro de 2020, foi suspenso devido à pandemia da covid-19 e retomado para ocorrer de 8 de setembro a 19 de dezembro de 2020. Dessa forma, dando seguimento ao calendário, o Consepe aprovou a realização do período 2020.2, de 18 de janeiro a 30 de abril de 2021; as atividades de 2021.1, de 7 de junho a 18 de setembro de 2021; e o período letivo de 2021.2, de 18 de outubro de 2021 a 19 de fevereiro de 2022.

De acordo com a resolução, os próximos períodos letivos (2020.2, 2021.1 e 2021.2) seguirão na modalidade de ensino remoto. Contudo, o formato poderá ser alterado por decisão do Consepe, considerando o cenário da pandemia da covid-19, “desde que asseguradas as condições de biossegurança e observadas as normas vigentes relativas à emergência em saúde pública”.

A decisão do Conselho foi tomada levando em consideração a Declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional da Organização Mundial da Saúde (OMS), em virtude do novo coronavírus; a legislação vigente sobre normas educacionais excepcionais adotadas durante o estado de calamidade pública; o parecer do Conselho Nacional de Educação; a portaria do Ministério da Saúde sobre a Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional em decorrência da covid-19; o Protocolo de Biossegurança da UFRN; além de normativas da instituição de ensino.

Atividades remotas

Os professores utilizarão a Turma Virtual do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), plataforma oficial para registro e controle acadêmico, mas fica autorizado o uso de outras ferramentas virtuais. Os planos de curso deverão ser adequados à oferta em formato remoto e disponibilizados pelas coordenações aos estudantes antes do período de matrícula no Sigaa. Já para os cursos da modalidade a distância fica assegurado o uso do ambiente virtual de aprendizagem Moodle Mandacaru Acadêmico, utilizado na oferta de componentes curriculares e atividades acadêmicas a distância.

Para as atividades de interação online síncronas [em tempo real] com os alunos, os docentes deverão respeitar os dias e horários registrados para a turma no Sigaa, ficando dispensada a exigência de realização de uma avaliação escrita individual, de forma presencial. A frequência e a participação dos estudantes serão verificadas de acordo com o acompanhamento das atividades propostas pelo professor.

Não serão realizados cancelamentos de curso por abandono, decurso de prazo ou insuficiência de desempenho acadêmico relacionados aos períodos letivos 2020.2, 2021.1 e 2021.2.

Atividades práticas e estágios

Respeitando a diversidade dos cursos da Universidade, os componentes curriculares de natureza prática ou a parte prática dos componentes poderão ser realizadas, se houver aprovação pelos colegiados de cursos e plenários de departamentos e homologação pelos centros ou unidades acadêmicas especializadas, assegurando as condições de biossegurança. Para este mesmo tipo de atividade, o regulamento prevê ainda a possibilidade de adaptação dos componentes práticos ao formato remoto, desde que seja elaborado plano de curso específico, aprovado pelo colegiado de curso e apensado ao Projeto Pedagógico de Curso.

Já as atividades práticas que não puderem ser ofertadas em formato remoto poderão ser desmembradas como novos componentes curriculares, de modo que a parte prática será ofertada posteriormente à parte teórica. Sobre os estágios que formam turmas, incluindo os internatos, poderão ser realizados, se aprovados e homologados pelas instâncias acadêmicas indicadas na resolução, desde que assegurados o acompanhamento docente, a qualidade da formação e as condições de biossegurança disponibilizadas pelos campos de estágio.

Inclusão e Assistência Estudantil

Os materiais didáticos deverão ser disponibilizados pelos docentes, considerando as limitações das condições de isolamento social impostas pela pandemia da covid-19, ficando autorizada a utilização dos meios digitais e virtuais para a disponibilização dos materiais. Quando necessário, os conteúdos utilizados nas atividades ou a forma de comunicação devem ser adaptados, atendendo aos estudantes com algum tipo de deficiência ou com Necessidades Educacionais Específicas, considerando as orientações da Secretaria de Inclusão e Acessibilidade (SIA).

Por meio do programa de pacote de dados MEC/RNP ou de edital interno da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae), será concedido plano de dados móveis para o acompanhamento de atividades acadêmicas em formato remoto a estudantes de graduação que estejam matriculados em componentes curriculares dos períodos letivos 2020.2, 2021.1 e 2021.2; em situação de vulnerabilidade socioeconômica; e classificados como Prioritários no Cadastro Único da UFRN.

Já o auxílio instrumental será voltado a alunos de graduação ingressantes nos períodos letivos 2020.2, 2021.1 e 2021.2; em situação de vulnerabilidade socioeconômica; classificados como Prioritários no Cadastro Único da UFRN; e que estejam matriculados nesses períodos, visando subsidiar a aquisição de equipamento para acompanhar as aulas em formato remoto. O benefício poderá também ser concedido a estudantes não ingressantes nesses períodos, que não tenham sido contemplados em edital anterior, a depender da disponibilidade orçamentária e obedecidos os critérios estabelecidos em resolução. A condição de residente universitário não desautoriza a solicitação do auxílio instrumental.

Fonte: Portal da Tropical- Notícias

Continuar lendo CALENDÁRIO ACADÊMICO APROVADO PELA UFRN PARA 2021 É NO FORMATO REMOTO

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL NA ÁREA DE INOVAÇÃO TEM DUAS PARTICIPANTES DA ECT DA UFRN

Estudantes da UFRN participam de competição internacional na área de inovação

Redação/Portal da Tropical

 – Atualizado em: 

Educação na UFRN | Foto: Cícero Oliveira

Duas estudantes da Escola de Ciência e Tecnologia (ECT), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) estão participando do programa Red Bull Basemant, uma espécie de competição internacional que reúne representantes de países de todo o mundo, com o objetivo eleger as melhores ideias inovadoras para aplicar no ambiente universitário. Ana Augusta de Carvalho Rangel e Luíza Bastos Moreno representam o Brasil e a UFRN com um projeto na área de inovação tecnológica.

“A gente resolveu aplicar nossos conhecimentos em um projeto voltado à UFRN e aos seus estudantes” diz Ana Augusta, explicando a ideia que consiste na criação de uma plataforma com informações sobre os projetos da UFRN nas áreas de pesquisa e extensão e outros da própria comunidade estudantil que, colocados de forma acessível para todos os estudantes, possibilita uma  maior integração e interação entre eles.

Segundo ela, muitos dos seus colegas estudantes têm ideias que não põem em prática porque, sozinhos, não dominam todas as habilidades necessárias. Hipoteticamente explica: “Se um aluno de Administração precisar resolver um problema usando, por exemplo, ferramentas tecnológicas as quais não domina; por meio da plataforma, que pretendemos disponibilizar, ele poderá buscar a ajuda de um estudante de Engenharia da Computação, de maneira que possa tocar sua ideia.”

A plataforma Konect propõe centralizar a criatividade e habilidades do universitário, transformando-as em resultado para o ecossistema. Além disso, todos os resultados dos projetos dispostos serão constantemente atualizados promovendo a transparência na comunidade universitária sobre produções que forem desenvolvidas a partir dos projetos como artigos, patentes etc.

As autoras acreditam que a plataforma Konect, além de incentivar  o protagonismo na sociedade, também vai  incentivar a execução de ideias inovadoras.

A seleção dos projetos que concorrem no Red Bull Basemant acontece até esta quinta-feira (29).  E qualquer pessoa pode votar no projeto das alunas da ECT, bastando para isso acessar o link com o vídeo de apresentação do projeto na competição: https://basement.redbull.com/pt-br/projects/3342

Continuar lendo COMPETIÇÃO INTERNACIONAL NA ÁREA DE INOVAÇÃO TEM DUAS PARTICIPANTES DA ECT DA UFRN

TIJOLO ECOLÓGICO FEITO COM RESÍDUOS DE SAL É DESENVOLVIDO POR CIENTISTAS DA UFRN

Por G1 RN

 

Tijolo ecológico foi produzido por cientistas da UFRN — Foto: UFRNTijolo ecológico foi produzido por cientistas da UFRN — Foto: UFRN

Cientistas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) anunciaram nesta sexta-feira (23) que desenvolveram um tijolo solo-cimento ecológico, que é produzido através de um resíduo proveniente da produção de sal. O produto resultante do estudo rendeu um pedido de patente da instituição.

O tijolo ecológico é feito a partir da combinação de cimento, solo laterítico e carago, que é o resíduo da produção do sal. Em função desse último elemento, os pesquisadores da UFRN acreditam que a descoberta pode ter um impacto também econômico no estado, já que o RN concentra 95% da produção de sal do Brasil.

“O resíduo incorporado da indústria salineira é o carago, a primeira camada que se forma nos tanques de evaporação. No momento da colheita do sal, ele não é utilizado, ficando em pilhas nas salinas, sem um destino correto”, explicou Priscylla Cinthya Alves Gondim, uma das inventoras.

“Além da importância tecnológica da inovação e da relevância econômica, há também o aspecto da sustentabilidade, pois provoca a diminuição de impactos ambientais”.

A pesquisadora explicou que o carago foi analisado durante um ano, através de ensaios, momentos nos quais o resíduo foi inserido no tijolo com oito composições diferentes e testes seguindo as normas da ABNT.

Segundo Priscylla, a melhor dessas oito produções foi escolhida para a solicitação da patente, mas “em todas as composições obtivemos excelentes resultados, cerca de três vezes a mais que a resistência padrão exigida pela norma”.

Os materiais se mostraram viáveis em alvenaria de vedação, ou seja, as que são dimensionadas para suportar o próprio peso. Além da UFRN, participam da pesquisa os Institutos Federais do RN e de Alagoas.

Produção de baixo custo

Segundo o grupo de cientistas da UFRN, o tijolo ecológico pode ser utilizado para construção de casas populares e proporcionar maior acesso à moradia para populações de baixa renda.

Isso porque a elaboração do produto é realizada de forma simples, através da confecção de um material de baixo custo e de fácil produção, além de não necessitar de mão de obra qualificada.

O pesquisador Wilson Acchar, que supervisiona o Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia dos Materiais da UFRN, explicou que a combinação do carago – que é uma substância de dimensão grossa e lamelar – com o cimento e o solo laterítico – ambos com granulometrias fina e esférica – deu um bom empacotamento ao material formado.

De acordo com o pesquisador, isso melhorou a coesão entre as partículas, facilitando o trabalho com o material.

No aguardo do patenteamento, a pesquisadora Priscylla Gondim diz que isso significa que o “produto foi eficiente e eficaz” e “que poder ser replicado e inserido no mercado”.

Pedido de patente

Segundo a UFRN, o pedido de patente do tijolo integra o portfólio da vitrine tecnológica da instituição ao lado de quase 300 outras novas tecnologias. Segundo publicação de setembro do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), a UFRN foi, em 2019, uma das 15 instituições com mais pedidos de patentes no Brasil.

Além de Wilson e Priscylla, integram o grupo de inventores do tijolo ecológico Sheyla Karolina Justino Marques e João de Medeiros Dantas Neto.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo TIJOLO ECOLÓGICO FEITO COM RESÍDUOS DE SAL É DESENVOLVIDO POR CIENTISTAS DA UFRN

UFRN DESENVOLVE ESTUDO QUE POSSIBILITA UMA AVALIAÇÃO MAIS COMPLETA DE LESÕES DO NERVO FACIAL

Tecnologia desenvolvida por estudo da UFRN melhora avaliação de lesão do nervo facial

Nervo facial é um dos nervos cranianos presentes no corpo humano e é responsável, por exemplo, pela mímica facial e parte da sensação gustativa da língua

Por Redação – Publicado em 21/07/2020 às 18:07

Uma escala de avaliação de lesões do nervo facial, que possibilita avaliar mais parâmetros e assim escolher melhor o tratamento, é a mais nova descoberta científica oriunda de estudo desenvolvido em um programa de pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O nervo facial é um dos nervos cranianos presentes no corpo humano e é responsável, por exemplo, pela mímica facial e parte da sensação gustativa da língua. Um dos cientistas envolvidos no estudo, Lucídio Clebeson de Oliveira, explicou que, em virtude disso, uma lesão neste nervo pode levar a perda do paladar, paralisia facial e diminuição do piscamento ocular.

“A escala pode ser utilizada para uma avaliação mais completa de lesões do nervo facial. Para isso, a invenção refere-se a de lesão do nervo facial, constituída por itens que avaliam: a abertura ocular espontânea, reflexo das vibrissas ao toque e levantamento da pálpebra superior, sendo de extrema importância para uma avaliação mais fidedigna e completa. Com mais parâmetros, é possível escolher melhor o tratamento”, explicou o professor da UERN.

O estudo utilizou ratos durante a fase de testes, visto que o mecanismo cerebral que comanda os comportamentos de homens e ratos serem muito parecidos.

Ele pontuou também que atualmente há duas escalas consolidadas na literatura: escala de observação do fechamento ocular e reflexo de piscamento e avaliação do reflexo das vibrissas ao toque. A nova escala avalia a manutenção da força do músculo palpebral, através do levantamento da pálpebra superior com a utilização de uma pinça, onde avalia-se a resistência exercida para realizar o fechamento ocular, avaliação que leva em consideração itens como abertura ocular espontânea, reflexo das vibrissas ao toque e levantamento da pálpebra superior. A classificação compreende quatro parâmetros, desde “resistência ausente” até “resistência normal”.

O estudo é vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Psicobiologia e rendeu um depósito de pedido de patente, denominado “Escala para avaliação de lesão do nervo facial”. O registro de propriedade intelectual foi realizado pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) em cotitularidade com a UFRN, tendo como autores, além de Lucídio, os pesquisadores Jeferson Cavalcante, Fausto Guzen. José Rodolfo Lopes de Paiva Cavalcanti, Rodrigo Dias Alves, Eligleidson José Vidal de Oliveira, Eudes Euler de Souza Lucena e João Paulo Costa Fernandes. O projeto foi desenvolvido pelo doutorando do UERN no Laboratório de Neurologia Experimental-LabNeuro da Faculdade de Ciências da Saúde (FACS/UERN).

A UFRN mantém atualmente um portfólio com mais de 250 pedidos de patentes, dos quais 22 já foram concedidos. Este último número, inclusive, garante à Universidade a liderança nas regiões Norte e Nordeste em termos de instituições de ensino. Para o diretor da Agência de Inovação (AGIR) da UFRN, Daniel de Lima Pontes, é relevante que os pesquisadores e alunos tenham a sua disposição instrumentos para garantir a propriedade intelectual do conhecimento produzido e, neste aspecto, uma das opções são as patentes.

Dentro da Universidade, a AGIR é a unidade responsável pela avaliação dos requisitos de patenteabilidade, tais quais a novidade, capacidade inventiva, aplicação industrial e suficiência descritiva. Embora pontue que é importante que os pesquisadores saibam reconhecer as características de um invento patenteável, Daniel Pontes frisou que a Agência de Inovação propicia esse suporte aos cientistas, bem como trabalha também na transferência dessa tecnologia, pois “a ideia é levar ao setor produtivo e à sociedade, o conhecimento que desenvolvemos na academia”. Não obstante o período de pandemia, as demandas dentro da Agência de Inovação continuam sendo recebidas pela equipe através do e-mail patente@agir.ufrn.br.

Continuar lendo UFRN DESENVOLVE ESTUDO QUE POSSIBILITA UMA AVALIAÇÃO MAIS COMPLETA DE LESÕES DO NERVO FACIAL

EDUCAÇÃO:A UFRN FOI LISTADA ENTRE AS 40 MELHORES UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA

UFRN é listada entre as melhores da América Latina

 EDUCAÇÃO

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi listada entre as 40 melhores instituições de ensino superior da América Latina e do Caribe pelo Times Higher Education (THE). O ranking mundial destacou a qualidade de 166 instituições de ensino da região e a UFRN conquistou a 39° colocação.

O ranking incluiu universidades de 13 países da América Latina e do Caribe e selecionou as 166 melhores instituições da região com base em 13 indicadores de desempenho, avaliando aspectos de ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais.

A UFRN ficou entre as quatro melhores do Nordeste brasileiro, junto à Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Federal do Ceará (UFC). Outras instituições nordestinas que conseguiram entrar na lista foram a Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade de Fortaleza (Unifor), Universidade Estadual do Ceará (UECE), Universidade Federal do Piauí (UFPI), Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) e a Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

De acordo com o THE, o Brasil é mais uma vez o país mais representado no ranking, com 61 instituições, seguido pelo Chile com 30 e pela Colômbia com 23. Na listagem geral, a Pontifícia Universidade Católica do Chile ocupa a liderança, pelo segundo ano consecutivo, e a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade de Campinas (Unicampi) figuram como segunda e terceira colocadas, respectivamente. Confira o ranking no site.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo EDUCAÇÃO:A UFRN FOI LISTADA ENTRE AS 40 MELHORES UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA

CIENTISTAS DA UFRN DESENVOLVEM PRODUTO PARA COMBATE AO AEDES AEGYPTI

UFRN desenvolve produto farmacêutico para combate ao Aedes aegypti

Em fase de testes, o produto farmacêutico é uma formulação que contém uma substância sintetizada com base em um produto natural presente no óleo de canela e que pode ser utilizada em diferentes formas, líquida ou sólida

Por Redação – Publicado em 08/07/2020 às 17:39

Produto tem facilidades relativas à possibilidade de aplicação do produto diretamente no mosquito na forma de spray, ou mesmo ser utilizado nos carros “fumacê”

Um grupo de cientistas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) desenvolveu uma nova tecnologia para o combate ao Aedes aegypti. Em fase de testes, o produto farmacêutico é uma formulação que contém uma substância sintetizada com base em um produto natural presente no óleo de canela e que pode ser utilizada em diferentes formas, líquida ou sólida.Um dos inventores envolvidos, o professor Leandro De Santis Ferreira, pontuou que o produto tem facilidades relativas à possibilidade de aplicação do produto diretamente no mosquito na forma de spray, ou mesmo ser utilizado nos carros “fumacê”, como também para eliminar larvas em ralos e pratos de plantas sendo que a forma sólida tem vantagem no transporte, armazenamento e maior prazo de validade.

“O produto possui tanto atividade larvicida, contra as larvas do mosquito, durante a etapa do seu desenvolvimento, bem como atividade inseticida, contra o mosquito na fase adulta. Assim, conseguimos desenvolver formulações com diferentes formas, líquidas e sólidas, que permitem uma aplicação mais eficaz de uma substância derivada de um produto natural, que possui atividade em diferentes estágios de desenvolvimento do vetor de diversas doenças graves. Além disso, o desenvolvimento das formulações pode prolongar a ação da substância. A substância possui atividade em larvas e no próprio mosquito adulto, em um cenário em que as substâncias comumente utilizadas ou apresentam toxicidade para o meio-ambiente ou já selecionaram os mosquitos resistentes e não são mais tão eficazes”, explicou Leandro De Santis.

O Aedes aegypti é vetor de diversas doenças endêmicas do nosso país como Dengue, Zika e Chikungunya. Segundo o Ministério da Saúde, até o final de maio deste ano, já foram notificados no Brasil quase 800 mil casos de dengue, 35 mil de Chikungunya e mais de três mil notificações de Zika. “A forma mais eficaz de combater estas doenças é controlar o mosquito responsável pela transmissão de todas estas doenças, uma vez que o processo para o desenvolvimento de medicamentos eficazes e vacinas é demorado e caro”, afirmou Addison Ribeiro de Almeida, servidor técnico-administrativo da UFRN que também integra o grupo de cientistas.

Além dos dois, completam a equipe envolvida, Waldenice de Alencar Morais Lima, Cícero Flávio Soares Aragão, Wilken Cesar Galdencio da Silva, Damião Pergentino de Sousa, Lorena Carneiro Albernaz e Laila Salmen Espindola. O estudo é vinculado ao Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas (PpgCF) da UFRN e rendeu um depósito de pedido de patente, denominado “Formulações líquidas e sólidas contendo cinamato de pentila, processo de obtenção e uso das mesmas para o controle de insetos hematófagos”, com co-titularidade dividida entre a UFRN, a Universidade Federal da Paraíba e a Universidade de Brasília.

“É relevante destacar que o patenteamento foi importante para a formação de recursos humanos na área de farmácia, contribuindo com a formação acadêmica de um servidor da UFRN, o qual concluiu mestrado defendendo dissertação de mestrado em 2020, com a formação de um aluno de graduação que realizou iniciação científica e defendeu trabalho de conclusão de curso de farmácia, além da formação científica de outros dois alunos do curso de graduação de farmácia que realizam iniciação científica neste projeto”, relatou Leandro De Santis.

Para a também professora do Departamento de Farmácia da UFRN, Waldenice de Alencar Morais Lima, esse processo de patenteamento apresenta relevância acadêmica por permitir a proteção da tecnologia desenvolvida no projeto, bem como a possibilidade de retorno à Universidade e sociedade por todo o suporte e investimento fornecido. Por sua vez, o também docente Cícero Flávio Soares Aragão acrescentou que “o patenteamento e a posterior publicação dos resultados em artigo científico de alto impacto, além de participação em eventos e em outros meios de divulgação, podem despertar o interesse de empresas para continuidade de estudos visando a futura comercialização do produto”. As próximas fases de desenvolvimento do produto objeto do pedido de patente são estudos em um processo de produção em maior escala, ou seja, que garanta a atividade da substância e ausência de toxicidade quando produzido e utilizado em quantidades maiores o que é necessário quando se pensa em produção para a comercialização do produto.

Continuar lendo CIENTISTAS DA UFRN DESENVOLVEM PRODUTO PARA COMBATE AO AEDES AEGYPTI

UFRN REGISTRA TERREMOTOS NO OCEANO ATLÂNTICO

UFRN registra dois terremotos em meio ao Oceano Atlântico

Abalos aconteceram na quinta-feira (16) e neste sábado (18)

Triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo

O Laboratório de Sismologia da UFRN (LabSis) registrou dois novos tremores na região chamada dorsal meso-oceânica. O primeiro evento, de magnitude 4.6, aconteceu na quarta-feira (15). O epicentro foi localizado a aproximadamente 1.940 quilômetros de Natal.

O segundo terremoto, de magnitude 4.9, ocorreu neste sábado (18), com epicentro a aproximadamente 1.550 quilômetros da capital potiguar.

O mapa de localização epicentral dos eventos está na figura em destaque. A estrela amarela representa o epicentro do evento do dia 15. A estrela vermelha representa o epicentro do evento deste sábado.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo UFRN REGISTRA TERREMOTOS NO OCEANO ATLÂNTICO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar