Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

EMPRESA DE TECNOLOGIA EM SÃO PAULO DECIDIU SEM CORTE NOS SALÁRIOS REDUZIR DE CINCO PARA QUATRO DIAS DE TRABALHOS SEMANAL

Por EPTV 2

 

Empresa de Franca reduz jornada semanal de trabalho para 4 dias e estabelece folga às quartas-feiras | Ribeirão Preto e Franca | G1Empresa de Franca, SP, oferece folga a funcionários às quartas-feiras

Com a justificativa de aumentar a produtividade dos funcionários, uma empresa de tecnologia em Franca (SP) decidiu reduzir, sem corte nos salários, a jornada semanal de trabalho de cinco para quatro dias.

Desde março, ainda em período de testes, as cerca de 40 pessoas que trabalham no grupo, além do fim de semana, folgam às quartas-feiras.

“O maior objetivo de ter essa folga na semana é proporcionar momentos de cultura, de lazer, de conexão com a família, conexão pessoal, e fazer as pessoas ficarem mais revigoradas para trabalhar melhor nos outros dias que elas precisam trabalhar”, explicou o diretor Leandro Pires.

Além de manter a remuneração original, a empresa incentiva o descanso no meio da semana com um vale de R$ 400 para usar em aplicativos de música, filmes, livrarias, cinemas, teatros e shows.

“Eu achei [a iniciativa] muito boa. Nesse tempo que eu tenho, eu consigo resolver alguns problemas e também curtir. Com isso eu fico muito feliz e consigo programar melhor. Por enquanto, por exemplo, eu estou fazendo aula de bateria, também estou passeando um pouco mais, tem sido bastante legal”, contou o programador Gustavo da Silva Gomes.

Jornada reduzida

A jornada reduzida já é uma realidade em outros países, mas, no Brasil, a NovaHaus, que desenvolve sites e programas comerciais para computador em Franca, é uma das primeiras.

Segundo o advogado especialista em direitos trabalhistas Renato Barufi, normalmente o que se tem percebido é que as empresas voltadas para a área tecnológica são as que têm iniciado esse movimento, mas não é algo fácil de ser implementado.

“[…] Nós brasileiros, e o mundo inteiro, já estamos acostumados com a jornada de cinco dias, mas me parece que pode ser uma tendência nos próximos anos. Nós temos outros países, como Japão, Inglaterra e Estado Unidos, que já têm pesquisas avançadas nesse setor, entendendo que quando eu diminuo a carga horária do empregado, ele tende a trabalhar mais focado e ser mais produtivo”, diz.

Fase de teste até novembro

A iniciativa surgiu depois do período da pandemia, em que os funcionários estavam em home office. Desde março, os donos do negócio testam a implementação do modelo, que foi negociado com o sindicato da categoria.

“A gente ficou remoto até fevereiro desse ano e quando a gente retomou ao trabalho presencial, a gente não quis que as pessoas perdessem o tempo que ficavam em casa, com a família, então proporcionamos um dia na semana para que elas pudessem ficar com os familiares”, explica Pires.

Após os testes, que devem se encerrar em novembro, a diretoria irá avaliar se mantém essa jornada. Mas, ao que tudo indica, a semana reduzida veio para ficar, já que tem apresentado resultados positivos em relação à produtividade dos funcionários.

Para a animadora 2D Larissa Hamuy, que está há 11 anos na empresa, a estratégia tem sido benéfica, pois quebra a rotina, evita o estresse e o cansaço, o que se reflete na rotina de trabalho das equipes.

“Tirar essa folga no meio da semana é indescritível, porque você tira um tempo para você. Eu estou me cuidando mais, estou descansando mais, e eu sinto que a equipe está rendendo mais. Vale a pena, recomendo para todas as empresas”, comemora.

Salário mantido

As novidades não impactam na remuneração dos colaboradores. Segundo o especialista Barufi, a alteração é possível, desde que o empregado receba como se estivesse trabalhando os cinco dias semanalmente.

“A lei trabalhista coloca um limite máximo de jornada, que é oito horas diárias e 44 horas semanais. Então, se o empregado está recebendo um salário como se trabalhasse oito e 44, mas trabalhando menos, isso é benéfico para o empregado, e tudo que é benéfico para o empregado a lei brasileira vai permitir”, explica.

Barufi ressalta que, uma vez feita a mudança na jornada, a empresa não pode mais voltar atrás. A exceção é se o empregado for contratado por horas de trabalho ou em regime de tempo parcial, ou seja, em que ele trabalha no máximo 30 horas por semana.

“Se o patrao instituiu essa jornada de apenas quatro dias de trabalho na semana, aqueles empregados que lá estão trabalhando não podem voltar a trabalhar mais de quatro dias e manter o mesmo salário. Se [o patrão] quiser que eles voltem a trabalhar cinco dias, ele precisa aumentar o salário.”

Continuar lendo EMPRESA DE TECNOLOGIA EM SÃO PAULO DECIDIU SEM CORTE NOS SALÁRIOS REDUZIR DE CINCO PARA QUATRO DIAS DE TRABALHOS SEMANAL

UTILIDADE PÚBLICA: GOVERNO EDITA MEDIDA PROVISÓRIA COM AÇÃO PARA REDUZIR TEMPO DE ESPERA NO ATENDIMENTO DE BENEFICIÁRIOS NO INSS

Governo anuncia medidas para reduzir filas do INSS

Segundo o órgão, há um estoque de 762 mil agendamentos pendentes da fila da perícia médica

Lorenna Rodrigues,

do Estadão Conteúdo

Fila em agência do INSS: novos prazos só começam a contar em 6 meses 

A Secretaria-Geral da Presidência da República informou que o presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória com ações para reduzir o tempo de espera no atendimento a beneficiários do INSS.

De acordo com o órgão, a medida tenta combater os efeitos da pandemia do coronavírus que, com o fechamento de agências da Previdência Social, levou o tempo de espera de agendamento de perícia médica de 17 dias, em janeiro de 2020, para 66 dias atualmente.

A principal mudança prevista na MP é a previsão de que poderá ser dispensada a emissão de parecer da perícia médica federal quanto à incapacidade laboral, sendo o benefício concedido com base em atestados e laudos médicos.

Por outro lado, segurados que estejam recebendo auxílio-acidente concedido judicial ou administrativamente estarão obrigados, sob pena de suspensão do benefício, a submeter-se a exame médico, processo de reabilitação profissional ou tratamento.

“O valor projetado para as despesas com os Programas, avaliado em R$ 40,3 milhões, já está previsto na Lei Orçamentária”, informou a secretaria.

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: GOVERNO EDITA MEDIDA PROVISÓRIA COM AÇÃO PARA REDUZIR TEMPO DE ESPERA NO ATENDIMENTO DE BENEFICIÁRIOS NO INSS

SAIBA COMO SE PROTEGER DOS FATORES QUE AUMENTAM OS RISCOS DE PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS NO OUTONO

Por Mariana Garcia, g1

 

Fatores típicos da estação como o ar mais seco e a poluição podem prejudicar o desempenho das defesas naturais do nosso sistema respiratório. — Foto: IlustraçãoFatores típicos da estação como o ar mais seco e a poluição podem prejudicar o desempenho das defesas naturais do nosso sistema respiratório. — Foto: Ilustração

outono começou no domingo (20) e fatores típicos da estação, como o ar mais seco e a poluição, podem prejudicar o desempenho das defesas naturais do nosso sistema respiratório.

“O tempo frio e seco, habitual do outono e do inverno, leva a um ressecamento das vias aéreas, o que aumenta a dificuldade de formar o muco de forma adequada. Isso diminui a capacidade de defesa da via contra microrganismos”, explica o pneumologista Frederico Fernandes, diretor da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia.

As infecções mais comuns no outono são as virais, como gripe e resfriado. “Em geral, esses vírus circulam mais a partir de abril, maio, com uma grande incidência de influenza (gripe) no final de maio e começo de junho. Começa no outono e se estende até o inverno”, diz Fernandes.

O pneumologista acredita que, com a flexibilização das máscaras, essas infecções virais aumentarão em 2022. Por isso, é essencial que pessoas com sintomas de infecção respiratória continuem se protegendo e, por consequência, protegendo o próximo.

Infecção bacteriana

Outro tipo de infecção frequente é a bacteriana: amigdalite, faringite, sinusite e pneumonia.

“Se uma virose respiratória começa a ficar mais arrastada, não melhora depois de três dias, ela pode ter se transformado em bacteriana. É preciso atenção caso os sintomas se prolonguem“, alerta o pneumologista.

Os sinais de alerta são: febre alta persistente, queda no estado geral de saúde (como a falta de apetite), dificuldade para respirar ou respiração trabalhosa e sintomas que não melhorar a partir do terceiro dia.

Já as manifestações alérgicas mais comuns são a rinite, asma e bronquite. Alguns gatilhos frequentes da estação são: mudanças de temperatura, baixa umidade do ar, mofo, poeira, ácaros.

Dicas para prevenir os problemas respiratórios

Apesar de não ser possível prevenir algumas formas de infecção, algumas atitudes podem reduzir a chance de contágio:

  • Lavar as mãos frequentemente
  • Lavar o nariz com soro fisiológico pelo menos três vezes ao dia
  • Manter hábitos saudáveis (boa noite de sono, exercício físico e alimentação balanceada)
  • Tomar bastante líquidos
  • Umidificar o ambiente
  • Estar com as vacinas em dia
  • Evitar ambientes fechados ou mal ventilados
  • Evitar ambientes poluídos
  • Evitar acúmulo de poeira e mofo em casa
  • Evitar cobertores e malhas que soltam pelos
Continuar lendo SAIBA COMO SE PROTEGER DOS FATORES QUE AUMENTAM OS RISCOS DE PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS NO OUTONO

POLÍTICA: INICIATIVA DE REDUZIR O VALOR DO CACHÊ DA LEI ROUANET DEIXA ARTISTAS LACRADORES DESESPERADOS

Decisão do governo é o mais duro golpe nos beneficiários das “tetas gordas” da Lei Rouanet

Imagem em destaque

Por essa a turma de artistas que sempre usou e abusou das tetas gordas da Lei Rouanet não esperava.

A iniciativa fabulosa e inteligentíssima do Secretário Nacional de Cultura, Mário Frias, e do Secretário de Fomento à Cultura, André Porciuncula, de reduzir drasticamente o valor do cachê da Lei Rouanet é mais um justo e duro golpe na galera de lacradores.

Na semana passada foi anunciado que a Lei Federal de Incentivo à Cultura, passará a ter um teto de R$ 3.000 para pagamentos de artistas individualmente.

A mudança visa acabar com os grandes cachês e exterminar a ‘mamata’.

Rodrigo Lorenzoni, atual secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo da Prefeitura de Porto Alegre, em três tuítes, explicou com extrema precisão a questão:

“A decisão do governo Jair Bolsonaro, através das ações do Mário Frias e do André Porciuncula, de reduzir drasticamente o valor do cachê da Lei Rouanet é mais um justo e duro golpe naqueles que defendem e se beneficiam de um estado com tetas gordas para amamentar elites.

Um governo que se dispõe a servir tem que olhar para os que mais precisam.

Acreditem, a gritaria dessa hipócrita e egoísta elite cultural brasileira é proporcional aos milhões de reais de dinheiro público que vão deixar de receber de mão beijada.

E como diz o Felipe Pedri (Secretário Nacional do Audiovisual) os esforços devem ser para aqueles que estão iniciando e que valorizam a nossa cultura local identificada com as verdadeiras origens do povo brasileiro. Viva a cultura brasileira! Avante, Brasil de verdade!”.

Perfeito!

Confira:

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo POLÍTICA: INICIATIVA DE REDUZIR O VALOR DO CACHÊ DA LEI ROUANET DEIXA ARTISTAS LACRADORES DESESPERADOS

SEGUNDO MINISTRO DO MEIO AMBIENTE, O BRASIL SAIRÁ NA FRENTE EM NEUTRALIDADE DE CARBONO ATÉ O ANO DE 2050

Brasil vai sair na frente no desafio de reduzir emissões, diz ministro após COP26

Joaquim Leite, ministro do Meio Ambiente, destacou que o país “foi líder” nas articulações sobre o mercado do carbono, uma das apostas do governo federal

João de Marida CNN*

Em São Paulo

 Atualizado 13/11/2021 às 20:22

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, afirmou à CNN neste sábado (13) que o Brasil “sairá na frente” de outros países no desafio global em reduzir emissões de gases, a chamada neutralidade de carbono até o ano de 2050 — um dos acordos do relatório final da COP26.

“Criamos as bases do programa de crescimento verde com 10 ministérios, e é um comitê interministerial que olha para redução de emissões/neutralidade de carbono até 2050, conservação de floresta nativa e para uso racional de recursos naturais”, disse.

À CNN, após o encerramento da COP26, em Glasgow, na Escócia, e aprovação do novo acordo global sobre o clima, Leite destacou que o país “foi líder” nas articulações sobre o mercado do carbono, uma das apostas do governo federal no encontro.

“Em quase todos os biomas brasileiros você vai poder gerar crédito de carbono por proteger a floresta nativa. O setor privado vai desenvolver projetos, e nosso objetivo é exportar créditos”, avaliou. “Fomos elogiados pela atuação, pois fizemos  papel de líder no mercado de carbono. Representantes da China, União Europeia e EUA vieram ao nosso estande, deixando claro a participação do Brasil”.

O ministro do Meio Ambiente destacou que, além da conservação das florestas nativas, o Brasil conta com dois setores que serão “exportadores” de créditos de carbono: papel/celulose e o etanol, segundo ele.

“Dois setores exemplos para o mundo, que com certeza vão gerar créditos de carbono, gerar mais projetos sustentáveis e empregos verdes para o Brasil. Esse era o desafio que tínhamos na COP26”, concluiu.

Créditos de carbono

Uma das principais discussões realizadas na COP26 foi sobre o crédito de carbono. O motivo do debate é que esse mercado pode ser uma alternativa para ajudar países e empresas a diminuírem a emissão de gases de efeito estufa.

O desafio de países em manter o aumento da temperatura média do planeta abaixo de 2ºC é um ponto central na conferência. E um dos caminhos é justamente transformar as emissões em negócio.

Nações e empresas têm metas ambientais. Dessa forma, aqueles que conseguirem diminuir a poluição para além desses objetivos com a redução da emissão de carbono geram créditos e têm direito de vender o excedente.

A lógica é incentivar setores da economia a se descarbonizar. No Brasil, a estimativa é que o mercado de carbono possa trazer receitas de até US$ 100 bilhões ao Brasil, segundo um estudo do ICC Brasil, braço da International Chamber of Commerce no país.

Redução de combustíveis fósseis

Depois de uma maratona de negociações, a COP26 (Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas) aprovou neste sábado (13), em Glasgow, na Escócia, um acordo sobre o clima no planeta que inclui, pela primeira vez na história, uma referência aos combustíveis fósseis e seu papel na crise climática.

O texto final aponta explicitamente para o carvão, que é o maior contribuinte individual para as mudanças climáticas. Em todas as 25 COPs anteriores, nunca um acordo havia mencionado carvão, petróleo ou gás, ou mesmo combustíveis fósseis em geral, como impulsionadores — muito menos a principal causa — da crise climática.

Emocionado, o presidente da COP26, Alok Sharma, fez o anúncio do acordo com golpes de martelo. Ele emendou oralmente o rascunho mais recente do texto atenuando a linguagem em torno dos combustíveis fósseis depois de objeções feitas pela Índia e o Irã. O acordo final se refere a uma “redução” do carvão, em vez de uma “eliminação”.

Havia profundas divisões entre as nações sobre questões-chave, incluindo o uso dos termos sobre combustíveis fósseis e a quantia de dinheiro que o mundo desenvolvido deveria pagar ao Sul Global para ajudá-lo a se adaptar à crise climática. Isto impediu que a cúpula terminasse na sexta-feira (12), data inicialmente prevista para o encerramento.

(*Com informações de Isabella Faria, da CNN)

Continuar lendo SEGUNDO MINISTRO DO MEIO AMBIENTE, O BRASIL SAIRÁ NA FRENTE EM NEUTRALIDADE DE CARBONO ATÉ O ANO DE 2050

PRESOS DA PENITENCIÁRIA EM CIDADE DO RN TRABALHAM EM LIMPEZAS DE ESPAÇOS PÚBLICOS PARA REDUZIR PENA

Por g1 RN

 

Presos da Penitenciária de Pau dos Ferros, no Alto Oeste, trabalham na capinagem de áreas públicas — Foto: CedidaPresos da Penitenciária de Pau dos Ferros, no Alto Oeste, trabalham na capinagem de áreas públicas — Foto: Cedida

Presos da Penitenciária Estadual de Pau dos Ferros concluíram nesta semana a limpeza e capinagem da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e do terreno do Hospital Regional do município.

O serviço é realizado por meio de um convênio entre a Prefeitura e a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) dentro do projeto Reciclando Vidas.

Na próxima semana, eles deixarão as celas para prestar serviços de limpeza nos bairros, supervisionados de perto pelos policiais penais e com aval da Justiça.

De acordo com a Seap, todas as atividades são informadas à Justiça para que a pena dos presos envolvidos na ação possa ser remida em um dia para cada três dias trabalhados. Na primeira etapa do programa, trabalham oito internos.

Mão de obra carcerária

O convênio de cooperação para inclusão de mão de obra carcerária em ciclos produtivos de confecção de bens e prestação de serviços, assinado com a prefeitura de Pau dos Ferros, foi formalizado em setembro.

“O preso que dava trabalho, agora trabalha”, disse o secretário Pedro Florêncio.

Os presos já prestaram serviços no Cemitério Público, preparando-o para as visitas do Dia de Finados, e na sede da Secretaria de Obras da cidade.

No cronograma de atividades estão a limpeza de ruas nos bairros da Sema, Nações Unidas e Aluísio Diógenes.

A SEAP firmou convênios com outras secretarias de Estado que permitem o trabalho de limpeza, reforma e manutenção de prédios públicos.

Por meio das parcerias foi possível consertar mil carteiras escolares e dezenas de macas hospitalares, além de reformar os hospitais Maria Alice Fernandes, Giselda Trigueiro e João Machado.

Internos do sistema penitenciário também reformaram a Casa de Apoio Esperança e a Escola Estadual Tiradentes, sede do Grupamento dos Bombeiros Mirins.

Eles também fizeram capinagem e limpeza na Escola Machadão de Ponta Negra, no Laboratório de Análises Clínicas, no Hospital Tarcísio Maia, no Instituto de Neuro Ciências e no Parque Industrial de Macaíba.

Em Mossoró, a SEAP implantou o Projeto Cultivando a Cidadania, que produz mudas de cajueiro para os afetados pela seca, e o cultivo de hortaliças orgânicas para doação a instituições carentes da região.

A pasta identificou os internos que trabalhavam como pedreiro, marceneiro, encanador, soldador, mecânico, eletricista, pintor, vidraceiro, gesseiro, agricultor, costureiro, técnico em ar condicionado, serralheiro, vidraceiro, cozinheiro, funileiro, carpinteiro, e assistentes de serviços gerais. Eles são classificados em relação a disciplina e voluntários para se candidatarem ao serviço.

Continuar lendo PRESOS DA PENITENCIÁRIA EM CIDADE DO RN TRABALHAM EM LIMPEZAS DE ESPAÇOS PÚBLICOS PARA REDUZIR PENA

NO COP26 PAÍSES IRÃO DISCUTIR MEDIDAS PARA EVITAR ESCALADA DO AQUECIMENTO GLOGAL

Líderes vão debater propostas para reduzir aumento da temperatura

COP26 começa neste domingo (30), na Escócia, com o objetivo de discutir medidas para evitar a escalada do aquecimento global

INTERNACIONAL

Fábio Fleury, do R7

Usinas de carvão, como esta na Índia, ainda respondem por 40% da eletricidade do mundo

DIVYAKANT SOLANKI / EFA – EPA – 13.10.2021

COP 26, como é conhecida a 26ª Conferência da ONU para mudanças climáticas, começa neste domingo (31) em Glasgow, capital da Escócia e vai acontecer ao longo das próximas duas semanas. Chefes de Estado e autoridades de diversos setores, como meio-ambiente, indústria e ONGs do mundo todo estarão reunidos para discutir medidas para tentar reduzir a escalada do aquecimento global.

De acordo com um relatório publicado em agosto pelo IPCC, o painel da ONU sobre mudanças climáticas, o mundo segue um curso “catastrófico” que provocará um aumento na temperatura média de 2,7°C até o final do século. Isso causaria danos possivelmente irreversíveis no ciclo de chuvas, derretimento das calotas polares, desequilíbrio de temperaturas e outros problemas ambientais sérios.

Em Glasgow, os participantes da COP vão debater soluções em uma tentativa de conter o aumento da temperatura para, no máximo, 1,5°C até 2050. A principal proposta é que as 191 nações que assinaram o Acordo Climático de Paris em 2015 neutralizem suas emissões de gás carbônico, um dos principais causadores do efeito estufa.

Dessa forma, o principal objetivo é não apenas formalizar um acordo para que as nações reduzam as suas emissões nesse período, mas encontrar mecanismos para que os países que mais contribuem para a poluição se comprometam com isso. Segundo o relatório do IPCC, 113 dos 191 participantes do Acordo de Paris atualizaram seus compromissos e deverão reduzir suas emissões em 12% até 2030.

Outro ponto importante que será discutido é uma redução gradual no uso do carvão mineral como forma de geração de energia. A substância é uma das mais poluidoras e ainda é utilizada em larga escala, respondendo por cerca de 40% da geração de eletricidade em todo o mundo, de acordo com o relatório Carbon Brief.

Uma das metas da COP26 será regulamentar o Artigo 6º do Acordo de Paris, que estabelece as bases para um mercado mundial de créditos de carbono, uma alternativa global de cooperação, onde um país pode compensar suas emissões de CO2 com créditos gerados por outra nação, por exemplo em um grande projeto de reflorestamento.

Outra questão que será tratada é financiamento ambiental, que na assinatura do Acordo de Paris foi estipulado como investimentos mundiais de US$ 100 bilhões (cerca de R$ 564 milhões) até 2020 para a redução de emissões. No entanto, diversos países, como os EUA, ficaram abaixo do prometido e a quantia não foi atingida.

Também serão debatidos avanços no campo da energia limpa, especialmente no transporte urbano, como uma priorização para pesquisa e produção de carros elétricos e movidos a outras fontes de energia limpa.

Continuar lendo NO COP26 PAÍSES IRÃO DISCUTIR MEDIDAS PARA EVITAR ESCALADA DO AQUECIMENTO GLOGAL

PRESIDENTE DA CHINA DESEJA COMEÇAR REDUZIR EMISSÕES POLUENTES ATÉ 2030

 

China quer limitar a menos de 20% uso de energias fósseis até 2060

O carvão é uma fonte muito poluente e responsável por 60% da produção de energia elétrica do país

INTERNACIONAL

 Da AFP

Pessoas caminham perto de usina de energia movida a carvão em Shenyang, na China

TINGSHU WANG/REUTERS – 29/09/2021

China quer limitar a menos de 20% o uso de energias fósseis até 2060, segundo o plano que inclui vários objetivos para alcançar a neutralidade nas emissões de carbono, publicado neste domingo pela agência oficial de notícias Xinhua.

O presidente chinês, Xi Jinping, deseja começar a reduzir as emissões poluentes até 2030 e alcançar a neutralidade de carbono 30 anos depois, afirma o plano.

O documento, publicado uma semana antes do início da reunião de cúpula mundial sobre o clima COP26, também inclui o objetivo de que, até 2030, 25% da energia total consumida seja procedente de fontes renováveis.

Para 2030, as emissões de CO2 produzidas por unidade do PIB devem registrar queda de mais de 65% na comparação com os níveis de 2005. Além disso, os geradores de energia eólica devem alcançar uma capacidade instalada superior a 1,2 bilhão de KW, segundo a agência de notícias.

Em abril, Xi Jinping afirmou que o país controlaria de maneira rígida os projetos de centrais de energia elétrica que utilizam carvão e reduziria progressivamente o consumo desta matéria-prima.

O carvão é uma fonte muito poluente e responsável por 60% da produção de energia elétrica do país.

Escassez de energia elétrica

Em setembro, na Assembleia Geral da ONU, o presidente chinês também se comprometeu a parar de construir centrais de carvão no exterior.

Porém, em meio a uma grave escassez de energia elétrica causada pelo aumento do preço do carvão, do qual o país é muito dependente, a China está aumentando sua produção de carvão em 6%.

No início da semana, a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reformas (NDRC) informou que em setembro foram autorizadas 53 minas, com o objetivo de aumentar a capacidade de produção em 220 milhões de toneladas anuais.

 

Continuar lendo PRESIDENTE DA CHINA DESEJA COMEÇAR REDUZIR EMISSÕES POLUENTES ATÉ 2030

BRASIL E ARGENTINA FECHAM ACORDO PARA CORTAR TARIFA DO MERCOSUL

Brasil e Argentina anunciam acordo para reduzir tarifas do Mercosul

Fonte do Itamaraty afirmou que 75% do ‘universo tarifário’ pode ser afetado por mudanças na política econômica do bloco

INTERNACIONAL

 por AFP

Paraguai e Uruguai também precisarão aprovar acordo feito por Brasil e Argentina

ISAC NÓBREGA / PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Brasil e Argentina anunciaram nesta sexta-feira (8) um acordo para reduzir em 10% a tarifa externa comum do Mercosul “em um universo muito amplo de produtos”, numa guinada após meses de tensões sobre a reforma do bloco.

“O acordo de tarifa externa comum do Mercosul, que será agora levado aos sócios — tão importantes quanto Brasil e Argentina — Paraguai e Uruguai, permitirá a diminuição de 10% de um universo muito amplo de produtos”, anunciou o chanceler brasileiro, Carlos França, após receber, em Brasília, o colega argentino, Santiago Cafiero.

Cafiero ressaltou a importância desse tema vital para a flexibilização do bloco e disse que alguns setores “sensíveis” estão excluídos, como as indústrias têxtil e automotiva. Os ministros não detalharam em seu comunicado quantos produtos essa redução abrange, mas uma fonte do Itamaraty explicou que inclui 75% do “universo tarifário”.

O chanceler brasileiro disse, ainda, que o acordo, que será apresentado ao Uruguai e ao Paraguai, dá “liberdade para que os países possam, inclusive, ir além desse universo tarifário para a baixa tarifaria”.

A Argentina era tradicionalmente relutante em modificar a redução da tarifa, contrariando o proposto por Brasil e Uruguai, enquanto o Paraguai se mostrou aberto ao diálogo.

A imprensa brasileira interpretou esse acordo como uma derrota para o ministro da Economia, Paulo Guedes, que defendeu primeiro uma redução de 50% e depois de 20% em duas partes.

A redução da elevada tarifa externa comum a importações de países terceiros, que atualmente é de 13% a 14%, em média, tem sido um dos temas mais espinhosos do bloco nos últimos anos.

Continuar lendo BRASIL E ARGENTINA FECHAM ACORDO PARA CORTAR TARIFA DO MERCOSUL

ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: ANEL FLORESTAL AO REDOR DE MADRI REDUZIRÁ NÍVEIS DE CALOR E EMISSÕES DE CO2

A preocupação dos gestores da mega metrópole Madri, capital da Espanha deveria ser a de todos os gestores públicos das grandes cidades ao redor do mundo. A ideia é excelente e pode realmente reverter o quadro de  degradação do nosso ecossistema de uma forma geral. O projeto visa construir um enorme anel florestal ao redor da cidade para reduzir os níveis de calor e as emissões de CO2. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer esse projeto magnífico!

Madri está plantando um enorme anel florestal ao redor da cidade para reduzir os níveis de calor e reduzir as emissões de CO2

Quer você seja dos Estados Unidos e a chame de “Circular” ou da Europa e a chame de “Circular”, Madri logo a chamará de “via verde”, já que a capital espanhola pretende combater a ilha de calor de sua cidade envolvendo-se com um mar de verde.

Seu projeto de floresta urbana envolverá o plantio de quase meio milhão de árvores em um perímetro de 46 milhas (75 km) ao redor da cidade. Quando as árvores atingem a maturidade, devem absorver cerca de 175.000 toneladas de CO2 por ano.

Pinheiro negro, faia, zimbro espanhol e várias espécies de carvalho podem ser encontrados no meio árido da Espanha, onde fica a capital espanhola, e são essas árvores nativas que requerem pouca água ou condições de solo especializadas que irão constituir a nova floresta.

“O que queremos fazer é melhorar a qualidade do ar em toda a cidade, combater o efeito ‘ilha de calor’ que está acontecendo dentro da cidade, absorver as emissões de gases de efeito estufa geradas pela cidade e conectar todas as massas florestais existentes que já existem na cidade ”, disse Mariano Fuentes ao Euronews .

Como conselheiro do meio ambiente e desenvolvimento urbano de Madrid, Fuentes explicou que, para as cidades que expelem três quartos de todo o CO2 causado pelo homem, que tendem a absorver muito mais calor e ar pobre do que o campo circundante, métodos de combate às alterações climáticas e à degradação ambiental geral precisa ser variado.

“Tem que ser uma estratégia global”, acrescentou Fuentes. “Não se trata apenas de carros, mas também de uma estratégia de pedestres, a criação de corredores ambientais em todos os bairros … e acima de tudo … para envolver os cidadãos nesta nova cultura verde, é essencial para cada cidade enfrentar o futuro próximo da melhor maneira condições. ”

Especialistas garantiram aos repórteres que “não é um parque”, mas certamente para os madrilenos amantes da natureza, será um lugar de descanso, sombra e habitat de pássaros que trabalhará dia e noite para absorver o excesso de calor e limpar o ar do megafone europeu -cidade.

ASSISTA o vídeo da EuroNews…

Fonte: Só Notícia Boa

 

Continuar lendo ECOLOGIA E MEIO AMBIENTE: ANEL FLORESTAL AO REDOR DE MADRI REDUZIRÁ NÍVEIS DE CALOR E EMISSÕES DE CO2

ECONOMIA: COSERN ORIENTA CLIENTES A EVITAREM DESPERDÍCIO DE ENERGIA POR MEIO DE AÇÕES SIMPLES

Veja dicas para economizar energia e reduzir impactos da bandeira tarifária vermelha na conta de luz

Redação / Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Com a decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de manter a bandeira tarifária vermelha no patamar 2 anunciada na última sexta-feira (25), a Cosern reforça e orienta os seus clientes a evitarem o desperdício de energia por meio de ações simples no dia a dia, tais como manter lâmpadas desligadas quando não estiver no ambiente e retirar os aparelhos da tomada sempre que não estiver utilizando.

A distribuidora disponibiliza manuais e publicações sobre uso eficiente num aplicativo especial para smartphones. Bastar procurar “Publicações Neoenergia” e baixar gratuitamente.

“Os nossos clientes podem economizar energia com mudanças de hábitos ou investindo em aparelhos mais eficientes, lembrando que o investimento inicial se paga com a redução do valor da conta de luz”, afirma a gerente de Eficiência Energética da Neoenergia, Ana Christina Mascarenhas.

Entre as orientações da Cosern, utilizar a luz natural nos cômodos sempre que possível, abrindo portas e janelas. Quando for escolher as lâmpadas, o consumidor deve preferir os modelos mais econômicos, que são as de LED, capazes de proporcionar uma economia de até 78% se comparada com as halógenas, que substituíram as incandescentes, e 40% em relação às fluorescentes compactas.

Ao comprar eletrodomésticos, a orientação da Cosern é optar pelos modelos mais eficientes, que apresentam o Selo Procel ou que tenham a classificação de consumo de energia “A” estabelecida pelo Inmetro. É importante comparar o consumo descrito na etiqueta, porque a variação de uma marca para outra pode ser de até 50% entre aparelhos com a mesma capacidade.

No caso da geladeira, durante o uso, as principais dicas são: evitar deixar a porta aberta por mais tempo que o necessário e não colocar alimentos quentes dentro do refrigerador nem secar roupas e panos na parte de trás. Os refrigeradores duplex frost free de 342 litros são 50% mais econômicos que os side by side de 501 litros. A capacidade do refrigerador impacta no consumo de energia elétrica.

Chuveiro elétrico e ar-condicionado

Quando usarem ar-condicionado e chuveiro elétrico, os clientes devem ficar atentos à temperatura. Para economizar no banho, podem passar menos tempo, desligar a torneira enquanto se ensaboam e deixar o chuveiro na posição “verão”, que consome até 30% menos de energia. Isso vale também para o ar-condicionado: quanto mais alta a temperatura do termostato, menor o consumo. Quando não estiver usando o ar-condicionado no inverno, por exemplo, é recomendado desligar no disjuntor do quadro geral de energia, pois o stand-by também consome energia.

No banho, um minuto a menos no chuveiro elétrico de 5.500 W faz diferença no final do mês. Se a casa tiver quatro pessoas, a economia mensal com esse minuto a menos no banho equivale ao uso de 8 (oito) lâmpadas LED de 9W durante cinco horas diárias por 30 dias.

Ferro de passar roupas

O modelo do ferro de passar roupas também faz muita diferença. O consumo dobra quando utilizamos o ferro a vapor em relação ao ferro a seco e, se utilizar vaporizador, esse consumo multiplica por seis vezes. Cabe ainda destacar que alguns ferros a vapor possuem um dispositivo de desligamento automático que atua após 15 minutos de inatividade (posição vertical), evitando o desperdício de energia e protegendo contra possíveis incêndios.

Segundo estudo realizado pelo Inmetro e pelo MDIC, a economia de energia quando se opta por acumular roupas ou passar tudo de uma vez é muito pequena comparada com passar roupa todo dia. Isso quer dizer que o consumidor pode escolher passar poucas peças por dia sem que isso aumente significativamente sua conta de energia.

Mais dicas

No ventilador de teto que tem três posições de velocidade – baixa, média e alta –, a posição média em alguns modelos economiza metade da energia gasta na posição alta. Esses equipamentos também têm o selo Procel e o ideal é comprar os mais eficientes.

Deve-se atentar para o uso de micro-ondas para descongelar alimentos: aumentando o tempo de uso, como a potência do forno é alta, o consumo mensal é impactado. Se for adquirir algum equipamento novo, prestar atenção no consumo na etiqueta do Inmetro, pois existem diferenças de potência de até 70% entre os modelos – quanto maior o volume, maior o consumo.

Nas lavadoras de roupa, as que lavam e secam com abertura frontal, usando água quente, o consumo de energia pode triplicar em relação as que apenas lavam apenas com água fria.

O que significa a bandeira tarifária?

As contas de luz estão vindo com valor extra devido à decisão da Aneel de acionar a bandeira tarifária vermelha para compensar os custos relacionados à menor geração hidrelétrica na estação seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN).

No mês, a cada 100 kWh consumidos, os clientes terão um custo adicional que pode ser consultado na parte de “Informações Importantes” da conta luz.

No Brasil, a energia hidráulica representa quase 60% da matriz elétrica – ou seja, mais da metade da capacidade instalada vem da água. Isso quer dizer que nos períodos de estiagem, outras fontes precisam ser acionadas, principalmente a térmica, elevando o custo.

Quando a geração nas hidrelétricas está em condições favoráveis, não há aumento e a bandeira é verde. Porém, se houver a necessidade de utilizar mais outras fontes, podem ser acionadas as bandeiras: amarela (aumento de R$ 1,343 a cada 100 kWh) e vermelha no patamar 1 (acréscimo de R$ 4,169, como foi em maio de 2021) ou no patamar 2.

Tarifa Social

Descontos de até 65% na conta de luz são oferecidos aos clientes classificados com baixa renda, por meio da Tarifa Social. Têm direito ao benefício os consumidores inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e que tenham renda familiar mensal por pessoa menor ou igual a meio salário mínimo.

As distribuidoras da Neoenergia fazem a inscrição de forma proativa, mas, se o CPF que aparece na fatura não for o mesmo que o do representante da família no cadastro nacional, é necessário solicitar a inclusão. O pedido pode ser feito através dos canais de atendimento digitais das concessionárias, como o site (www.cosern.com.br) e o WhatsApp (84) 3215-6001.

Continuar lendo ECONOMIA: COSERN ORIENTA CLIENTES A EVITAREM DESPERDÍCIO DE ENERGIA POR MEIO DE AÇÕES SIMPLES

PRIMEIRA USINA TERMOSSOLAR DA AMÉRICA LATINA FOI INAUGURADA NO DESERTO DO ATACAMA NO CHILE

Chile inaugura primeira usina termossolar da América Latina

Instalação vai gerar eletricidade para ajudar o país a reduzir as emissões de dióxido de carbono até 2050

INTERNACIONAL

por AFP

Usina foi construída em uma área de 700 hectares no deserto do Atacama, no Chile

DIVULGAÇÃO VIA AFP – 8.6.2021

Chile inaugurou nesta terça-feira (8) a primeira usina termossolar da América Latina, o Cerro Dominador, em meio ao deserto do Atacama, o mais árido e com maior radiação solar do mundo, um projeto que visa alcançar a neutralidade de carbono prometida até 2050.

Em uma área circular de mais de 700 hectares, mais de 10.600 helióstatos (espelhos) cercam uma torre de 250 metros de altura no topo da qual os raios do sol são refletidos. Lá está um receptor que contém sais fundidos, que são aquecidos a mais de 560 graus Celsius para gerar o vapor de água que aciona uma turbina que gera 10 MW de eletricidade limpa.

Esta infraestrutura é combinada com uma planta fotovoltaica adjacente e ambas somam um total de 210 MW de energia renovável.

“Isso nos permitirá economizar mais de 600 mil toneladas de emissões de CO2 por ano. Isso equivale ao que 300 mil carros emitem em um ano”, disse o presidente do Chile, o conservador Sebastián Piñera, durante a inauguração do projeto, cuja construção começou em 2014 e tem capacidade para gerar energia 24 horas por dia.

3 mil metros de altitude

Licitada pelas empresas espanholas Abengoa e Acciona, a usina termossolar está localizada perto do município de María Elena, cerca de 200 quilômetros a leste da cidade costeira de Antofagasta, no meio do deserto de Atacama, cerca de 3 mil metros acima do nível do mar, no norte do país.

Piñera afirmou que se trata de um novo passo no compromisso do Chile de renovar sua matriz energética até 2050 e alcançar até lá a meta de neutralidade de carbono assumida no Acordo de Paris sobre o clima, ou seja, passar a ter zero emissões líquidas de CO2.

Para cumprir o compromisso, acrescentou o presidente, o país sul-americano concentra seus esforços em descarbonizar a matriz energética, substituindo o carvão por energias limpas, eletrificar o transporte público e melhorar a eficiência energética, além de proteger e ampliar as florestas.

“Em 2021, vamos inaugurar mais projetos de energia limpa no Chile do que em toda a história anterior de nosso país pois este é um desafio urgente”, disse Piñera.

Fonte: R7

Continuar lendo PRIMEIRA USINA TERMOSSOLAR DA AMÉRICA LATINA FOI INAUGURADA NO DESERTO DO ATACAMA NO CHILE

TRIBUNAL HOLANDÊS ORDENA, A GIGANTE DO PETRÓLEO SHELL, REDUÇÃO NA EMISSÃO DE CO2 EM 45% ATÉ O FINAL DE 2030

Tribunal holandês exige que Shell reduza em 45% as emissões de CO2

Ação inédita considerou a petrolífera como responsável por parte das mudanças climáticas e exige cumprimento do Acordo de Paris

INTERNACIONAL

 por AFP

Tribunal condenou a empresa a reduzir emissões em 45% até 2030

BEN STANSALL / AFP – ARQUIVO

A gigante do petróleo Shell deve reduzir suas emissões de CO2 em 45% até o final de 2030, ordenou um tribunal holandês nesta quarta-feira (26), após a denúncia de um conjunto de organizações de defesa do meio ambiente.

O caso, chamado “o povo contra a Shell”, pode se tornar um precedente nos tribunais do mundo todo, onde denúncias semelhantes estão se multiplicando.

“O tribunal ordena a Royal Dutch Shell que reduza suas emissões de CO2 até o final de 2030 em 45% líquido, em relação a 2019”, declarou o juiz durante uma audiência em Haia.

A denúncia foi apresentada em abril de 2019 por Milieudefensie, a filial holandesa da organização internacional Amigos da Terra. Mais de 17.000 holandeses se uniram à denúncia como parte civil.

Junto a outras seis ONGs, entre elas Greenpeace e ActionAid na Holanda, Milieudefensie acusou a Shell de não fazer o suficiente para se alinhar ao Acordo de Paris de combate à mudança climática e denunciou a “destruição do clima” por parte da Shell, uma das maiores empresas de petróleo do mundo.

A empresa afirma que já está tomando medidas para apoiar a transição energética. A Shell também acredita que este processo é uma decisão política e que não há base legal para as denúncias das ONGs.

A empresa “vai recorrer da decepcionante decisão judicial”, disse um comunicado.

A Milieudefensie alega que é impossível cumprir o Acordo de Paris sem que “os grandes poluidores, como a Shell”, sejam legalmente obrigados a tomarem medidas.

“Dia histórico”

A decisão judicial provocou grande satisfação entre dezenas de ativistas que se reuniram nas portas do tribunal, observou um repórter da AFP.

“É um dia histórico”, explicou Donald Pols, diretor da filial holandesa da ONG Amigos da Terra.

“É a primeira vez na história que um juiz decide que um grande poluidor, a Royal Dutch Shell, deve parar de provocar uma mudança climática que é perigosa”, acrescentou.

As organizações ambientais pediam ao tribunal holandês que ordenasse a Shell a reduzir suas emissões de CO2 em 45% até 2030, “em linha com os objetivos traçados no Acordo de Paris sobre o clima”.

Em fevereiro passado, a multinacional anglo-holandesa anunciou que planeja reduzir – em comparação com 2016 – sua intensidade de carbono líquido (que desconta das emissões as capturas de carbono realizadas por planos financiados pela mesma empresa) em 20% até 2030, em 45% até 2035 e completamente (100%) até 2050. Antes, suas metas eram reduzir 30% até 2035, e 65%, até 2050.

Acionistas se posicionam

Nesta quarta-feira os acionistas da ExxonMobil e Chevron votaram a favor de forçar as gigantes petrolíferas norte-americanas a lutar de maneira mais energética contra a mudança climática.

Na ExxonMobil, pelo menos dois em cada quatro candidatos ao conselho indicados pela empresa de investimento Engine N° 1, que lançou uma campanha no final de 2020 pedindo à empresa que apostasse menos em petróleo e gás e mais em energia renovável, conseguiram o cargo.

Os acionistas da empresa também votaram favoravelmente em uma resolução, apresentada pelo BNP Paribas, que exige que a ExxonMobil faça um relatório explicando se suas atividades de lobby estão alinhadas com os objetivos do Acordo de Paris.

No caso da Chevron, que também realizou sua assembleia geral anual nesta quarta-feira, uma proposta pedindo à empresa que reduzisse as emissões de gases de efeito estufa de seus produtos recebeu 61% de aprovação, apesar da oposição do conselho.

‘Enorme responsabilidade’

Desde o Acordo de Paris assinado em 2015, cujo objetivo é manter o aumento da temperatura abaixo de 2°C em relação à era pré-industrial, muitas indústrias se comprometeram a reduzir suas emissões de CO2. No entanto, segundo as ONGs, não estão fazendo o suficiente.

“As grandes empresas poluentes como a Shell têm uma enorme responsabilidade no combate à mudança climática”, disse a diretora-executiva da ActionAid na Holanda, Marit Maij, antes do anúncio da decisão da corte.

Em outro julgamento histórico aberto pela organização ambiental Urgenda, o Tribunal Supremo holandês ordenou ao Estado, no ano passado, que reduza suas emissões de gases causadores do efeito estufa em pelo menos 25% até o final de 2020.

Especialmente vulnerável às consequências da mudança climática porque parte do país está abaixo do nível do mar, a Holanda se comprometeu a reduzir suas emissões de dióxido de carbono em 49% até 2030.

Fonte: R7
Continuar lendo TRIBUNAL HOLANDÊS ORDENA, A GIGANTE DO PETRÓLEO SHELL, REDUÇÃO NA EMISSÃO DE CO2 EM 45% ATÉ O FINAL DE 2030

VISANDO REDUZIR EMISSÃO DE GASES DO EFEITO ESTUFA, PARLAMENTO DA FRANÇA APROVA O PROJETO ECONOMIA VERDE

Parlamento da França aprova projeto por economia verde

País almeja reduzir a emissão de gases do efeito estufa em cerca de 40%, em comparação a 1990, até 2030

INTERNACIONAL

 por Reuters – Internacional

Projeto tem o objetivo de tornar a economia francesa mais sustentável

REUTERS/SARAH MEYSSONNIER

A Assembleia Nacional da França aprovou nesta terça-feira (4) um projeto de lei abrangente contra mudanças climáticas que impedirá futuras expansões de aeroportos, proibirá aquecedores de terraços ao ar livre e diminuirá resíduos de embalagens.

A França almeja reduzir as emissões de efeito estufa em 40% até 2030 na comparação com os níveis de 1990, mas ativistas ambientais dizem que o país está se arrastando. Em um veredicto histórico em fevereiro, um tribunal determinou que o governo francês precisa fazer mais para combater a mudança climática.

Depois de mais de 200 horas de debate em comissões parlamentares e na câmara baixa, parlamentares aprovaram o projeto de lei por 332 votos a 77.

“Ao invés de grandes palavras e objetivos imensos e inalcançáveis que só geram resistência social, estamos adotando medidas eficazes”, disse a ministra do Meio Ambiente, Barbara Pompili, à câmara.

A legislação vem na esteira de uma consulta popular durante a qual 150 membros do público sugeriram dezenas de medidas para conter as emissões.

Diversos participantes criticaram o presidente francês, Emmanuel Macron, por diluir suas ideias, mas a um ano da eleição presidencial e vendo partidos verdes se saindo bem em outras partes da Europa, Macron espera que o projeto de lei reforce suas credenciais ambientais.

O Greenpeace disse que a legislação não foi longe o suficiente.

“É uma lei que poderia ter sido adequada 15 anos atrás (…) Em 2021, não bastará para enfrentar com eficiência o aquecimento global”, disse Jean-François Julliard, chefe do Greenpeace da França.

Fonte: R7
Continuar lendo VISANDO REDUZIR EMISSÃO DE GASES DO EFEITO ESTUFA, PARLAMENTO DA FRANÇA APROVA O PROJETO ECONOMIA VERDE

A CASA BRANCA AINDA ESTÁ DANDO OS RETOQUES FINAIS EM SEU PLANO PARA REDUZIR AS EMISSÕES DE GASES DO EFEITO ESTUFA DOS EUA

Mundo espera divulgação da meta climática dos EUA antes da cúpula

Encontro de Biden com líderes mundiais tem o objetivo de mostrar o compromisso norte-americano com as questões ambientais

INTERNACIONAL

 por Reuters – Internacional

Governo Biden tem pressionado outros países a estabelecer metas para reduzir emissões

CHRIS KEANE/REUTERS – FOTO DE ARQUIVO

A Casa Branca ainda está dando os retoques finais em seu plano para reduzir as emissões de gases de efeito estufa dos EUA até 2030, antes de uma cúpula esta semana com líderes mundiais, incluindo Vladimir Putin, da Rússia, e Xi Jinping, da China.

O governo do presidente Joe Biden tem pressionado outros países a estabelecer metas ambiciosas para reduzir suas emissões, mas ainda não revelou seu próprio plano. Antes do início da cúpula na quinta-feira, a Casa Branca deve anunciar uma meta para cortar as emissões em cerca de 50% até 2030, em comparação com os níveis de 2005.

“Ainda resta muito tempo antes do início da cúpula”, disse um funcionário do governo a repórteres na quarta-feira (22), quando pressionado sobre a meta, conhecida como Contribuição Nacionalmente Determinada ou NDC, na sigla em inglês.

Os Estados Unidos têm sido o maior emissor histórico de gases do efeito estufa e atualmente estão atrás apenas da China. Sua meta será observada de perto como um sinal de quão seriamente Biden leva em conta a mudança climática. Ele prometeu restaurar a liderança dos EUA nas questões sobre o aquecimento global depois que o ex-presidente Donald Trump retirou o país do acordo climático de Paris.

Biden trouxe os EUA de volta ao acordo de Paris em janeiro, e a cúpula de dois dias foi projetada para mostrar um compromisso norte-americano e global renovado de limitar o aquecimento do planeta a 1,5 ºC acima dos níveis pré-industriais, a fim de evitar impactos climáticos cataclísmicos.

Uma ordem executiva de Biden que direcionará o Tesouro dos EUA e outras agências importantes para desenvolver uma estratégia sobre os riscos relacionados ao clima para ativos financeiros públicos e privados era inicialmente esperada esta semana, mas está atrasada, disse uma fonte familiarizada com a situação.

“Nos próximos dias e horas, muitos outros aumentos de ambição serão articulados”, disse o enviado internacional para o clima, John Kerry, em um evento organizado pelo Washington Post na manhã de quarta-feira.

Nas últimas 24 horas, Kerry anunciou medidas que ajudarão os Estados Unidos a reduzir sua participação nas emissões globais.

Ativistas, algumas corporações e outros líderes mundiais querem uma meta agressiva dos EUA, e alguns reagiram cedo para dizer que um corte de cerca de 50% não seria suficiente.

“Embora muitos aplaudam o compromisso do presidente de reduzir as emissões dos EUA em pelo menos metade até 2030, temos a responsabilidade de dizer a verdade: não está nem perto do suficiente”, afirmou Evan Weber, diretor político do influente grupo de jovens ativistas do Movimento Sunrise, acrescentando que a promessa reportada “será uma sentença de morte para nossa geração e para os bilhões de pessoas na linha de frente da crise climática nos Estados Unidos e no exterior.”

Líderes de todo o mundo estão participando da cúpula, que será realizada virtualmente por causa da pandemia covid-19.

Fonte: R7

Continuar lendo A CASA BRANCA AINDA ESTÁ DANDO OS RETOQUES FINAIS EM SEU PLANO PARA REDUZIR AS EMISSÕES DE GASES DO EFEITO ESTUFA DOS EUA

GOVERNO DO RN PUBLICOU NOVO DECRETO COM RESTRIÇÕES PARA REDUZIR AGLOMERAÇÕES E A PRESSÃO POR LEITOS CRÍTICOS DE UTI

Por G1 RN

 

Governo do RN anuncia toque de recolher (arquivo) — Foto: Sandro MenezesGoverno do RN anuncia toque de recolher (arquivo) — Foto: Sandro Menezes

O governo do Rio Grande do Norte publicou neste sábado (27), no Diário Oficial, o novo decreto com restrições para reduzir aglomerações e a pressão por leitos críticos de UTI para Covid-19.

Toque de recolher em todo o estado, suspensão de aulas presenciais, missas e cultos, fechamento de parques, estão entre as medidas. O decreto tem validade até 10 de março e traz ainda uma série de recomendações aos municípios.

Confira as medidas:

  • Toque de recolher que proíbe a circulação de pessoas em todo o estado, entre 22h e 5h. O texto afirma que as forças de segurança deverão promover operações constantes com o objetivo de garantir a aplicação da medida (confira o detalhamento abaixo);
  • Suspensão das aulas presenciais a partir de 1º de março nas unidades das redes pública estadual e privada de ensino, incluindo instituições de ensino superior, “devendo manter o ensino remoto”. Porém, as escolas e instituições de ensino fundamental das séries iniciais e do ensino infantil poderão funcionar em sistema híbrido ou por meio remoto, conforme a escolha dos pais ou responsáveis.
  • Suspensão de atividades em parques públicos, centros de artesanato, circos, parques de diversões, museus, bibliotecas, teatros, cinemas e demais equipamentos culturais a partir de 1º de março;
  • Suspensão de eventos corporativos, técnicos, científicos, esportivos, convenções, shows ou qualquer outra modalidade de evento de massa, inclusive locais privado, como os condomínios edilícios a partir de 1º de março;
  • Suspensão de atividades recreativas em clubes sociais e esportivos a partir de 1º de março;
  • Suspensão do funcionamento do Centro de Convenções de Natal;
  • Suspensão de atividades coletivas de qualquer natureza como cultos, missas e congêneres em igrejas, espaços religiosos, lojas maçônicas e estabelecimentos similares a partir de 1º de março. Os locais poderão ficar abertos exclusivamente para orações e atendimentos individuais, respeitado distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas e limitação de uma pessoa para cada cinco metros quadrados de área, com, no máximo, 20 pessoas no recinto;
  • Proibição do transporte de passageiros em pé no Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal.

Toque de recolher

O toque de recolher restringe a circulação de pessoas nas ruas das 22h às 5h. Dessa forma, as pessoas ficam proibidas de circular pelas ruas dentro desse horário, salvo em caso de alguns serviços:

  • serviços públicos essenciais (como segurança, saúde, entre outros)
  • farmácias;
  • indústrias;
  • postos de combustíveis;
  • hospitais e demais unidades de saúde e de serviços odontológicos e veterinários de emergência;
  • laboratórios de análises clínicas;
  • segurança privada;
  • imprensa, meios de comunicação e telecomunicação em geral;
  • funerárias;
  • exercício da advocacia na defesa da liberdade individual;
  • serviços de alimentação, exclusivamente para delivery;
  • serviços de transporte coletivo urbano.

Trabalhadores que estão indo de casa para o trabalho ou do trabalho para casa também podem circular.

Aulas presenciais

O decreto publicado pelo governo determina a suspensão das aulas presenciais nas escolas públicas da rede estadual e nas escolas privadas. No entanto, as aulas presenciais na rede estadual não foram retomadas em 2021 e estão suspensas desde março de 2020 no Rio Grande do Norte.

Recomendações aos municípios

O decreto do governo do estado traz ainda uma série de recomendações aos municípios como o fechamento, nos finais de semana e feriados, de acessos às praias, lagoas, cachoeiras, balneários, clubes, rios e similares.

Confira todas as recomendações aos municípios:

  • Proibição de funcionamento de bares e restaurantes, de segunda-feira a sexta-feira, das 22h às 06h. A venda e o consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos também deve ser proibido nesse período.
  • Suspensão, durante os finais de semana e feriados, do funcionamento de restaurantes, lanchonetes, barracas de praia, praças de alimentação, praças de food truck, bares e similares, exceto para entrega ou no formato em que o consumidor pega o produto e leva para casa;
  • Suspensão das aulas presenciais nas escolas da rede pública municipal de ensino, com possibilidade de adoção do sistema híbrido ou por meio remoto para as escolas e instituições de ensino fundamental das séries iniciais e do ensino infantil;
  • Suspensão, nos finais de semana e feriados, do acessos às praias, lagoas, cachoeiras, balneários, clubes, rios e similares, bem como piscinas, inclusive aquelas em locais de uso coletivo;
  • Reorganização das feiras livres, de modo a assegurar o distanciamento social;
  • Os municípios devem disciplinar o funcionamento do transporte coletivo urbano, para evitar aglomerações e demanda concentrada em determinados horários.
  • Realização de campanhas de divulgação e esclarecimento da atual situação da pandemia, inclusive da superlotação da rede hospitalar, bem como da necessidade de adoção de medidas sanitárias, como uso de máscaras e distanciamento social

Pandemia

De acordo com o Regula RN, plataforma que monitora em tempo real as internações no estado, o Rio Grande do Norte tem 89,4% dos leitos críticos ocupados, sendo a Grande Natal a região que mais preocupa, com 90.1%. A consulta foi realizada neste sábado (27) às 09h.

Na quinta-feira (25), a governadora admitiu que o sistema de saúde da Grande Natal colapsou e pediu aos prefeitos dos municípios medidas mais rígidas para evitar que isso se espalhe pelas demais regiões e se agrave ainda mais na Região Metropolitana.

O boletim da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) desta sexta-feira (26) indica que o RN tem 415 pessoas internadas em leitos críticos no estado, um a menos do que na quinta-feira (25), quando o estado bateu novo recorde de internações desde o início da pandemia. O número mais alto atingido na primeira onda havia sido de 363 pessoas, em 28 de junho.

Somados ao internados em leitos clínicos, atualmente são 761 pacientes – o maior número já registrado. O boletim indica ainda que 100% dos leitos críticos da rede privada em todo o estado estão ocupados. Não há mais vagas.

Exemplo disso é que alguns pacientes não têm conseguido sequer ser internados. Na quinta-feira, uma idosa de 93 anos precisou ser intubada dentro da ambulância depois de ficar cinco horas sem receber atendimento em um hospital particular.

Sem vagas na Grande Natal, os pacientes estão sendo transferidos de avião para o interior do estadoPelo menos sete já foram internados em leitos em Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros. Ao todo, somados às transferências por ambulâncias, 31 pessoas foram reguladas nos últimos dias da Grande Natal para o interior pela falta de vagas.

Além disso, há um crescimento de 60% na internação de pessoas abaixo dos 60 anos de idade. Atualmente, quase metade dos internados em leitos críticos não são idosos.

A superlotação dos hospitais na Grande Natal também se reflete nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que já operam acima dos 100% de ocupação. Pelo cenário, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal decidiu tornar todos os 30 leitos clínicos do Hospital dos Pescadores exclusivos para pacientes com Covid-19.

anúncio das restrições no Rio Grande do Norte segue na esteira do que vem ocorrendo em outras regiões do país, como na capital de São Paulo; em Araraquara, no interior paulista; na Bahia; no Paraná; e Rio Grande do Sul.

Na manhã desta sexta-feira (26), o Governo do RN publicou uma portaria recomendando a suspensão do atendimento presencial externo nos órgãos e entidades da administração pública estadual direta e indireta por conta do agravamento da pandemia no estado.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo GOVERNO DO RN PUBLICOU NOVO DECRETO COM RESTRIÇÕES PARA REDUZIR AGLOMERAÇÕES E A PRESSÃO POR LEITOS CRÍTICOS DE UTI

EXPORTAÇÃO DE SOJA PARA A CHINA TEM UM PESO SIGNIFICATIVO NA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA

China deve aumentar produção de grãos no país e reduzir importações

Anúncio é um alerta principalmente para os produtores de soja, já que a exportação do grão para o país asiático é representativa

ECONOMIA

 Do R7

Exportação da soja para a China tem um peso significativo na balança comercial brasileira

PIXABAY

A China aumentará sua capacidade de garantir o abastecimento de grãos e produtos agrícolas importantes, disse a agência estatal de notícias Xinhua neste domingo.

Ela afirmou que a China diversificará as importações de produtos agrícolas e apoiará as empresas a se integrarem às cadeias de abastecimento de produtos agrícolas globais.

A Xinhua disse ainda que a mensagem foi incluída em um documento oficial “nº 1” que define as prioridades de Pequim para o ano.

Fonte: R7

Continuar lendo EXPORTAÇÃO DE SOJA PARA A CHINA TEM UM PESO SIGNIFICATIVO NA BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA

MECANISMO DE RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL NÃO INVASIVO PODE REDUZIR A NECESSIDADE DE INTERNAÇÕES DE PACIENTES COM COVID-19 EM UTIS

 

Capacete criado no CE pode reduzir internações em UTI por Covid-19 em até 60%

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo

Atualizado 19 de fevereiro de 2021 às 08:5

Elmo pode reduzir em 60% a necessidade de internação em UTIElmo, mecanismo de respiração artificial não invasivo, pode reduzir em 60% a necessidade de internação em UTI, de acordo com testes Foto: Tatiana Fortes/Governo do Ceará

Com a alta de casos e internações causadas pelo novo coronavírus no Brasil desde o fim de 2020, voltou a crescer também a demanda por leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e por equipamentos como respiradores e ventiladores pulmonares.

Pensando em tratar pacientes com insuficiência respiratória, incluindo a causada pela Covid-19, pesquisadores do Ceará desenvolveram o Elmo, um mecanismo de respiração artificial não invasivo que pode reduzir em 60%, de acordo com a comprovação dos testes, a necessidade de internação em UTI e a intubação de pacientes com Covid-19.

Recentemente, a Secretaria da Saúde do Ceará doou ao estado do Amazonas – que enfrentou a partir das primeiras semanas de janeiro o momento mais grave da pandemia – 65 unidades do aparelho e capacitou profissionais da saúde para utilizá-lo em pacientes internados com o novo coronavírus.

Mas, afinal, como o Elmo funciona e por que ele pode ser uma ferramenta importante para desafogar os sistemas de saúde em todo o país?

O equipamento envolve toda a cabeça do paciente e é fixado no pescoço em uma base que veda a passagem de ar. Com a aplicação de oxigênio e ar comprimido, o Elmo gera uma pressão positiva (em relação à pressão atmosférica) que ajuda pacientes com dificuldade de oxigenação.

Dessa forma, ele é indicado para o tratamento de pacientes com quadro clínico moderado, mas também auxilia casos que começam a evoluir para gravidade.

“A ideia do Elmo surgiu em abril de 2020, na primeira onda da pandemia aqui no Brasil, como uma iniciativa de várias instituições para achar soluções para a falta de respiradores e leitos”, explicou à CNN o médico pneumologista e intensivista Marcelo Alcantara Holanda, Superintendente da Escola de Saúde Pública (ESP) do Ceará e idealizador do Elmo.

“Mas, em vez de produzir um respirador mecânico do zero, algo que nunca foi feito no Ceará, coloquei essa ideia de fazer um capacete que pudesse ser uma interface, um dispositivo para administrar oxigênio com segurança ao mesmo tempo em que fornece uma pressão nas vias aéreas, facilitando a entrada e a saída de ar no pulmão que está doente”, completou.

Raul Gonzalez Lima, professor titular da Poli-USP, afirmou que, por ser desenvolvido com um material flexível, o capacete é benéfico para pacientes que precisam de fluxo contínuo de ar e oxigênio.

“Não tenho todos os detalhes da tecnologia do Ceará, mas quando você coloca pressão no material que eles utilizam isso aumenta o volume do capacete, que funciona bem para um fluxo contínuo de ar e oxigênio”, afirmou.

Força-tarefa pelo equipamento

Holanda destacou que foi montada uma força-tarefa que, só na fase de prototipagem, contou com a participação de mais de 40 pessoas entre pesquisadores, voluntários e equipe de apoio da ESP, da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade de Fortaleza (Unifor).

“O Elmo surgiu do espírito solidário entre pessoas e instituições. Isso foi fundamental para uma ideia inovadora ser aplicada com êxito na solução de um problema grave”

Marcelo Alcantara Holanda, idealizador do Elmo

“Demos uma contribuição muito significativa e continuamos com novas ideias para melhorar a qualidade do equipamento, já que essa é, digamos, a versão 1.0”, afirmou Holanda.

“A tendência é que ele seja aperfeiçoado. Em Fortaleza o pessoal está muito empolgado para fazer melhorias progressivas e, à medida que o Elmo é usado em larga escala e colhemos dados, podemos aperfeiçoá-lo.”

Ele explicou ainda que, por não depender de respiradores, o equipamento tem um custo relativamente baixo – estimado entre R$ 1,2 mil e R$ 1,5 mil.

Além disso, o Elmo pode ser esterilizado e reutilizado em outros pacientes, além de aumentar a segurança dos profissionais de saúde, já que, por ser vedado, não permite a proliferação de partículas de vírus.

“Também é eficiente para outras situações em que o problema do pulmão for a oxigenação, como em pneumonias e outras situações comuns, como um edema pulmonar.”

Passo a passo da instalação do Elmo nos pacientes
Passo a passo da instalação do Elmo nos pacientes
Foto: Reprodução/Esmaltec

Autorização da Anvisa e produção em série

Depois de ser testado por cinco meses ao longo de 2020 em pacientes no Hospital Leonardo da Vinci, em Fortaleza – comprovando sua eficácia no tratamento de insuficiência respiratória –, o equipamento recebeu em outubro aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para produção em escala industrial, que ficou a cargo da emprsa Esmaltec.

“Fomos convidados pela Unifor para integrar o time de desenvolvimento do capacete hiperbárico, através da parceria com pesquisadores, universidades e entidades de saúde e a nossa equipe de engenheiros fez o projeto dos componentes exclusivos e investimos em moldes de injeção específicos e únicos para esse produto”, afirmou Marcelo Pinto, diretor superintendente da Esmaltec, em nota.

A empresa afirmou que ficou encarregada pela parte fabril, pela comercialização e pelos registros de patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), o que foi feito em julho. Já a produção do Elmo foi iniciada em dezembro.

Também em dezembro, a Esmaltec doou 250 unidades do capacete de respiração para utilização na rede pública do Ceará. Desses, 200 foram destinados a hospitais públicos e 50 para a Escola de Saúde Pública (ESP). Neste ano, mais 300 aparelhos foram doados à Secretaria da Saúde cearense. Já a rede privada de saúde recebeu 100 unidades do Elmo.

Segundo a Pinto, a linha de produção da empresa tem capacidade para atender uma demanda de até 100 peças/dia – até o momento, já foram enviados mais de 700 unidades para secretárias e hospitais, das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

“Estamos recebendo consultas de vários hospitais e instituições da área da saúde de todas as regiões do pais. O grande desafio durante o processo foi garantir um equipamento acessível a todos, principalmente quando se compara com preços de ventiladores hospitalares que tem preços bem elevados”, completou, destacando que o Elmo é comercializado por menos de R$ 2 mil.

“Nossa participação nesse projeto não busca a lucratividade, isso fazemos como fabricante de eletrodomésticos da linha branca. O que nos motiva com o Elmo é gerar valor à sociedade e contribuir para o bem estar das pessoas.”

Uso no Amazonas

Depois de doar 65 unidades do equipamento para o governo do Amazonas – que devem beneficiar 10 unidades de saúde amazonense –, a Secretaria da Saúde do Ceará realizou, no começo de fevereiro, o treinamento de 74 profissionais de saúde amazonenses para usar o capacete de respiração assistida.

A fisioterapeuta e bolsista da ESP Ingrid Sá foi uma das três responsáveis pela capacitação de médicos, enfermeiros e fisioterapeutas, além de engenheiros clínicos no Amazonas.

À CNN, ela destacou a parceria entre os dois governos e o interesse dos profissionais amazonenses em utilizar o Elmo nos pacientes com Covid-19.

“O Elmo será mais um recurso para ajudar [os profissionais do Amazonas] no tratamento dos pacientes com Covid-19. Além de não ser invasivo e ter baixo custo, acreditamos que ele será importante para ajudar nas internações”, afirmou.

Além da parte teórica sobre o funcionamento do aparelho, os profissionais passaram por uma simulação com um voluntário para experimentar o uso do capacete em situação próxima à realidade.

“Nossa orientação para eles foi que não deixem o Elmo para uso apenas em último caso e, sim, que o utilizem assim que a lista de recomendações [para uso do capacete] começar a ser preenchida”, explicou Sá.

Ela destacou ainda que foi criado um grupo focal por meio de um aplicativo de comunicação para que os profissionais no Ceará possam dar suporte durante os primeiros usos no Amazonas.

Para participar do treinamento, Sá, a também fisioterapeuta Betina Santos e a enfermeira Rebeca Bandeira foram imunizadas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

À CNN, a Secretaria da Saúde do Ceará esclareceu que a doação dos aparelhos foi feita a pedido do governo amazonense. A pasta afirmou ainda que os hospitais que quiserem adquirir o Elmo devem entrar em contato diretamente com a empresa responsável.

Já a Secretaria de Saúde do Amazonas informou que recebeu 40 unidades do aparelho e que “está providenciando a distribuição delas entre as unidades da capital”.

Equipamento semelhante

Raul Gonzalez Lima é coordenador de uma parceria da USP com a iniciativa privada que desenvolve um capacete que, adaptado a um respirador artificial, dispensa o uso do tubo endotraqueal em pacientes internados em UTIs.

O aparelho, batizado de Escafandro, teve alguns protótipos testados ao longo de 2020, incluindo a produção de um lote piloto, mas ainda não entrou em produção em larga escala.

À CNN, Lima afirmou que a equipe está trabalhando na modificação de alguns subsistemas e na simplificação de seu uso. Ainda não há, porém, um prazo para a conclusão dessas modificações.

Ele explicou ainda que o Escafandro, por ser destinado a pacientes já internados em UTI, se difere do Elmo por ter como objetivo trabalhar com um fluxo pulsado de ventilação.

“Alguns pacientes estão com músculos da respiração fadigados e, portanto, precisam de um descanso. Para eles, a respiração pulsada ajuda muito, porque é uma pressão positiva que se impõe para entrar no pulmão e, com isso, os músculos acabam relaxando e descansando, o que é benéfico para sua recuperação.”

Fonte: CNN

 

Continuar lendo MECANISMO DE RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL NÃO INVASIVO PODE REDUZIR A NECESSIDADE DE INTERNAÇÕES DE PACIENTES COM COVID-19 EM UTIS

O PRESIDENTE BOLSONARO DESAFIOU O GOVERNADOR DE SÃO PAULO JOÃO DÓRIA A REDUZIR A REDUZIR IMPOSTOS ESTADUAIS SOBRE COMBUSTÍVEIS

Bolsonaro desafia Doria a zerar imposto sobre combustível

Emilly Behnke, da Agência Estado

15 de janeiro de 2021 às 20:18

Jair Bolsonaro em BrasíliaO presidente Jair Bolsonaro: guerra aberta com Doria Foto: Reprodução/CNN

O presidente da República, Jair Bolsonaro, desafiou nesta sexta-feira, 15, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), a reduzir os impostos estaduais sobre combustíveis. O presidente afirmou que “topa” reduzir os tributos federais sobre combustíveis caso Doria e demais governadores também reduzam os impostos incidentes de competência dos Estados.

“Eu topo zerar todos os impostos federais de combustível. Eu topo, se os governadores fizerem a mesma coisa”, disse Bolsonaro em entrevista ao apresentador José Luiz Datena. “Eu zero hoje (os do) governo federal, se o Doria zerar os impostos do combustível, sem problema nenhum”, declarou.

Na quinta, em live nas redes sociais, Bolsonaro citou que tem conversado com os ministérios da Infraestrutura, Economia e Minas e Energia sobre o preço dos combustíveis e do gás de cozinha.

Nesta sexta-feira, o presidente também repetiu que a Câmara de Comércio Exterior (Camex) deverá zerar a tarifa de importação de pneus, em prol de caminhoneiros.

Ele comentou ainda que uma outra medida da Camex irá zerar a taxa de importação de cilindros de oxigênio, em falta no Amazonas, onde a situação da pandemia da covid-19 se encontra agravada.

A Camex deve se reunir ainda nesta sexta, após as notícias do aumento, há três semanas, do imposto de importação de cilindros de oxigênio terem tido forte repercussão negativa, para tentar reverter a alíquota.

ICMS

O desafio a Doria sobre os impostos que incidem em combustíveis foi uma reação de Bolsonaro ao aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em São Paulo. No ano passado, a Assembleia Legislativa (Alesp) autorizou a redução linear de 20% nos benefícios fiscais concedidos a setores da economia como medida de ajuste fiscal.

“Eu, governo federal, diminuímos o imposto de quase tudo”, comentou. “Agora tem governador que está aumentando o ICMS como o de São Paulo, eu tiro aqui, o cara aumenta aí, e quando dá problema o cara quer jogar no meu colo”, comentou.

Nesta sexta-feira, Doria publicou decretos que mantiveram os benefícios fiscais para alimentos, insumos agrícolas e remédios genéricos na cobrança do ICMS. Ele também retirou o limite mensal para isenção do imposto sobre a cobrança de energia elétrica em imóveis rurais. Na avaliação de Bolsonaro, a medida ocorre por “pressão” já que a população estava insatisfeita.

“Não tinha nem que ter aumentado. Quando você aumenta, por exemplo, o ICMS de combustível, reflete em tudo. Tudo tem frete em cima disso aí”, disse Bolsonaro. O presidente também voltou a negar que haja a possibilidade de tabelamento de preços por conta do aumento nos preços de produtos da cesta básica, como ocorreu com o arroz no fim do ano.

Continuar lendo O PRESIDENTE BOLSONARO DESAFIOU O GOVERNADOR DE SÃO PAULO JOÃO DÓRIA A REDUZIR A REDUZIR IMPOSTOS ESTADUAIS SOBRE COMBUSTÍVEIS

SEGUNDO GUEDES, PARA REDUZIR DÍVIDAS GOVERNO PODE ATÉ VENDER RESERVAS INTERNACIONAIS

Guedes diz que governo pode vender reservas internacionais para reduzir dívida

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília

 Atualizado 19 de novembro de 2020 às 22:25

STF vai analisar pedido de afastamento de Paulo Guedes do Ministério da Economia - Economia - iG

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que para reduzir a relação da dívida pública sobre o Produto Interno Bruto (PIB), o Brasil pode até vender “um pouco” de reservas internacionais do Brasil, de cerca de US$ 350 bilhões. 

As reservas internacionais em dólar servem como uma espécie de seguro para momentos de crise e garante que aquele país terá moeda estrangeira para cumprir suas obrigações com o resto do mundo.

Caso o Banco Central venda parte do montante que tem em dólar, o país terá mais moeda doméstica à sua disposição. Ou seja, ele pode usar o recurso para comprar papéis da dívida pública brasileira, o que reduziria o estoque da mesma.

“Você só precisa de US$ 400 bilhões, se você tiver uma moeda supervalorizada. Se o dólar contra o real é R$ 1,80 e a taxa de juros é de 17%, então muita arbitragem está acontecendo: pessoas moram fora e emprestam para o nosso governo aqui e ai você precisa de um monte de reservas para manter as pessoas calmas. Esse não é nosso caso”, disse ele.

“Nós estamos mudando a política. Queremos uma política fiscal apertada e o dinheiro fácil, com câmbio alto”, explicou o ministro.

Apesar de ter reduzido a dívida pública de 76,5% do PIB para 75,8% do PIB no primeiro ano de governo, a equipe econômica terá que lidar com um salto no endividamento público este ano. Isso porque os gastos com o combate à pandemia devem levar a dívida para cerca de 96% do PIB até o fim do ano.

Fonte: CNN

Continuar lendo SEGUNDO GUEDES, PARA REDUZIR DÍVIDAS GOVERNO PODE ATÉ VENDER RESERVAS INTERNACIONAIS

MENOR NÍVEL DE COMPROMETIMENTO COM A FOLHA DA ALRN É CHEGADO, APÓS REDUÇÃO DE DESPESAS

Assembleia reduz despesas e chega a menor nível de comprometimento com a folha

01 out 2020

Assembleia reduz despesas e chega a menor nível de comprometimento com a folha

 

No seu mais recente demonstrativo de despesas, a Assembleia Legislativa conseguiu reduzir ainda mais os custos com as despesas de pessoal. Os dados foram publicados no Diário Eletrônico 515, de terça-feira (29). Os números são relativos ao segundo quadrimestre de 2020 e revelam que o Legislativo do RN chegou a 2.09% do seu orçamento com as despesas da folha.

Isso significa que o Legislativo Estadual já pode, por exemplo, programar o próximo concurso público para contratação de servidores efetivos, conforme explica o diretor-geral da Casa, Augusto Carlos Viveiros. “Com esse índice estamos livres para providenciar concurso e todas as ações necessárias relativas à contratação de pessoal”, disse ele.

O diretor explicou que há três limites, o de 2,14%, quando o gestor precisa ficar em alerta; o de 2,26%, o prudencial e o limite máximo de 2,38%”, afirma. Augusto Carlos Viveiros afirmou que, em relação à possibilidade de concurso, já solicitou à Coordenadoria de Gestão de Pessoas o levantamento das vagas existentes, geradas pelas recentes aposentadorias dos servidores mais antigos. “Estamos felizes e comemorando porque é fruto do trabalho em equipe e da austeridade da gestão, norteada pelo Planejamento Estratégico.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo MENOR NÍVEL DE COMPROMETIMENTO COM A FOLHA DA ALRN É CHEGADO, APÓS REDUÇÃO DE DESPESAS

EUA VAI REDUZIR TROPA NA ALEMANHA POR ACHAR QUE BERLIM TEM SE APROVEITADO DA SEGURANÇA E DO COMERCIO DE WASHINGTON

EUA vão retirar quase metade dos soldados da Alemanha

País tem cerca de 34,5 mil militares em território alemão e cerca de 11,9 mil homens serão deslocados para outros países ou voltarão para casa

INTERNACIONAL

Da EFE

Trump diz que Alemanha não paga pelos soldados Trump diz que Alemanha não paga pelos soldados

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Mark Esper, anunciou nesta quarta-feira (29) que o país retirará cerca de 11,9 mil militares da Alemanha, com parte sendo realocada para outros países integrantes da Otan, principalmente, Bélgica e Itália.

“O plano atual do Comando da Europa deslocará aproximadamente 11,9 mil militares da Alemanha, de forma que será fortalecida a Otan e se assegurará a dissuasão da Rússia”, disse o integrante do governo americano, em entrevista coletiva concedida no Pentágono.

Soldados deslocados

Ao todo, os EUA conta com efetivo com cerca de 34,5 mil homens no território Alemanha. Desses, de acordo com Esper, 5,6 mil serão transferidos para outros países que integram a Aliança do Pacífico Norte e pouco mais de 6 mil voltarão para o país de origem.

Muitos dos repatriados farão partes de grupos rotativos que retornarão para a Europa no futuro.

Esper explicou na entrevista coletiva que os realocados serão movidos para centros de operação fora da Alemanha e dividirão espaço com parceiros da Otan como Bélgica e Itália.

‘Alemanha não paga’

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou no mês passado a intenção de reduzir as tropas do país na Alemanha, em represália ao que considera insuficiente gasto do governo do país europeu em defesa.

Além disso, o chefe de governo americano considera que Berlim se aproveita de Washington em questões comerciais.

“A Alemanha é delinquente. Não paga suas taxas, não paga as taxas da Otan. Não tem intenção de pagar e tem se aproveitado dos Estados Unidos durante muitos anos no comércio, na defesa e em tudo mais”, disparou Trump.

A Alemanha é o país da Europa com mais tropas americanas, totalizando 52 mil homens, sendo 34,5 mil soldados efetivos, enquanto os demais são funcionários civis do Departamento de Defesa americano.

Fonte: R7

 

Continuar lendo EUA VAI REDUZIR TROPA NA ALEMANHA POR ACHAR QUE BERLIM TEM SE APROVEITADO DA SEGURANÇA E DO COMERCIO DE WASHINGTON

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho