CARNAÚBA DOS DANTAS NO RN É RECONHECIDO POR LEI COMO “TERRA DA MÚSICA”

Por G1 RN

 

Estátua em homenagem da Tonheca Dantas, em Carnaúba dos Dantas, RN — Foto: FJA/DivulgaçãoEstátua em homenagem da Tonheca Dantas, em Carnaúba dos Dantas, RN — Foto: FJA/Divulgação

Há 150, no sertão seridoense, nascia o compositor e maestro Antônio Pedro Dantas, mais conhecido como Tonheca Dantas, que faleceu em 1940.

A programação em homenagem ao filho mais ilustre de Carnaúba dos Dantas, foi aberta na quinta-feira (10) com a sanção de uma lei que reconhece o município como “Terra da Música” no Rio Grande do Norte.

Uma escultura de Tonheca Dantas com oito metros de altura, assinada pelo artista plástico Guaraci Gabriel, foi inaugurada nesta sexta-feira (11).

“Evidente que minha geração não teve o prazer de conhecer Tonheca Dantas, mas o conhecemos pela beleza da sua produção artística, que é rica, variada e de grande qualidade. Algumas pessoas podem até não conhecer Tonheca Dantas, mas já ouviram sua valsa mais famosa, Royal Cinema”, disse a governadora Fátima Bezerra (PT).

O projeto de lei foi apresentado pelo deputado estadual Hermano Morais e aprovado pela Assembleia Legislativa em maio. O título é um reconhecimento à vocação musical do município, em especial a duas pessoas que levaram o nome do Rio Grande do Norte para o mundo: Tonheca Dantas e o seu primo Felinto Lúcio Dantas.

“Infelizmente a pandemia não permitiu que fizéssemos uma festa ainda mais grandiosa. Fico muito honrado de poder contribuir para que essa homenagem seja à altura da grandeza da obra de Tonheca. A lei institui aquilo que já é reconhecido pelo povo potiguar”, disse o deputado.

Um dos membros da comissão organizadora das comemorações aos 150 anos de Tonheca Dantas, Pedro Brito destaca que a região Seridó potiguar é um celeiro de música,

“Dizem que o Seridó é uma civilização, talvez sejamos civilizados porque lá estudamos desde que nascemos, estudamos música. Se há uma linguagem universal no planeta é a música”, disse, lembrando que comumente crianças são vistas solfejando lições.

Tonheca Dantas

Nascido em 13 de junho de 1871, em Carnaúba dos Dantas, Antônio Pedro Dantas, conhecido como Tonheca Dantas, faleceu em 07 de fevereiro de 1940 em Natal. Foi um compositor e maestro brasileiro, músico autodidata, autor de uma obra de mais de mil peças musicais até hoje executadas pelas bandas filarmônicas do Brasil afora e até mesmo no exterior. É de sua autoria a Valsa Royal Cinema, obra imortalizada, que compôs para um cinema da cidade de Natal.

Seu repertório autoral é formado principalmente pelo gênero musical valsa, mas também dobrados, maxixes, hinos, xotes, polcas, marchas e outros gêneros musicais orquestrados. São obras famosas também a Valsa Delírio, a suíte Melodia do Bosque, Valsa A Desfolhar Saudades, a marcha solene Republicana, dobrado Tenente José Paulino, Embaixador na Paraíba, Correio do Norte.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo CARNAÚBA DOS DANTAS NO RN É RECONHECIDO POR LEI COMO “TERRA DA MÚSICA”

VITÓRIA DE JOE BIDEN É RECONHECIDA TAMBÉM PELO PRESIDENTE DO MÉXICO

 

Presidente mexicano reconhece vitória de Joe Biden nos EUA

López Obrador revela que ligou para o presidente-eleito norte-americano depois que o Colégio Eleitoral confirmou o resultado da eleição, na 2ª

INTERNACIONAL

Da EFE

Lopez Obrador foi um dos últimos líderes mundiais a parabenizar Biden

Sáshenka Gutiérrez / EFE – 15.12.2020

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, finalmente reconheceu, nesta terça-feira (15), a vitória de Joe Biden nas eleições dos Estados Unidos do mês passado, depois que o Colégio Eleitoral americano ratificou o democrata como presidente eleito.

Durante entrevista coletiva no Palácio Nacional, o presidente mexicano revelou que ontem à noite, “uma vez terminada a sessão do conselho eleitoral dos Estados Unidos e tomada uma resolução a favor de Biden”, ele enviou uma carta ao democrata como “presidente eleito dos Estados Unidos da América”.

Reconhecimento tardio

López Obrador, que manteve uma boa relação com Donald Trump, foi até agora um dos poucos líderes que ainda não havia parabenizado Biden e pediu que as acusações de fraude eleitoral feitas pelo atual presidente sem provas fossem esclarecidas.

Na coletiva, o presidente mexicano leu a carta enviada a Biden ontem à noite após obter mais de 270 votos do Colégio Eleitoral necessários para ratificá-lo como o próximo presidente dos Estados Unidos.

Na carta, ele celebra a posição de Biden sobre questões de imigração e deseja que “em breve” eles possam discutir este e outros assuntos.

De fato, em meio ao período de transição, o México negociou com o governo de Trump o levantamento das acusações de tráfico de drogas contra o general mexicano Salvador Cienfuegos, que pôde retornar ao México em liberdade enquanto era investigado pela Procuradoria-Geral daquele país.

Até então, López Obrador estava justificando seu não reconhecimento de Biden na Doutrina Estrada, uma política externa histórica consagrada na Constituição mexicana com base na não intervenção nas políticas internas de outros países.

Assim como López Obrador, o presidente russo, Vladimir Putin, também só reconheceu hoje a vitória de Biden, quando parabenizou o democrata

 

Continuar lendo VITÓRIA DE JOE BIDEN É RECONHECIDA TAMBÉM PELO PRESIDENTE DO MÉXICO

APÓS LONGA BATALHA PARA PROVAR SER FILHA DE EX-REI, DELPHINE BÖEL É RECONHECIDA COMO PRINCESA DA BELGICA

 

Delphine Böel, a mulher reconhecida como princesa da Bélgica após longa batalha para provar ser filha de ex-rei

Romance de 18 anos entre o ex-rei da Bélgica e uma baronesa resultou no nascimento de uma mulher que, 52 anos depois, finalmente foi reconhecida como princesa.

INTERNACIONAL

por 

BBC NEWS BRASIL

Artista belga Delphine Boël dizia desde 2005 que Albert 2º era seu pai

AFP

Uma artista belga alcançou um triunfo judicial que lhe permitirá receber o título de princesa da Bélgica.

Delphine Boël, de 52 anos, lutou durante sete anos para provar que é filha do ex-monarca belga Albert 2º, que em janeiro passado finalmente reconheceu ser seu pai. Ele manteve um relacionamento com uma baronesa antes de assumir o trono da Bélgica.

Um tribunal de Bruxelas decidiu a favor de Boël e atribuiu a ela todos os direitos como filha legítima de Albert 2º, incluindo o título de princesa da Bélgica.

Ela terá, portanto, os mesmos direitos e títulos que os outros descendentes de seu pai.

A mãe de Boël, a Baronesa Sybille de Selys Longchamps, admitiu que teve um caso de 18 anos com ele antes de o ex-monarca receber a coroa.

Os rumores de um possível filho fora do casamento real começaram em 1999, após a informação ter sido publicada em uma biografia não autorizada publicada naquele mesmo ano sobre a esposa de Albert 2ª, a Rainha Paola.

O processo

Boël revelou quem era seu pai biológico durante uma entrevista em 2005, mas foi somente cinco anos depois, em 2013, quando ele perdeu sua imunidade com a abdicação do trono, que se abriu um processo para reconhecimento de paternidade.

O advogado de Boël disse à imprensa na última quinta-feira (01/10) que Boël estava “encantada” com a decisão do tribunal.

“Uma vitória no tribunal nunca substituirá o amor de um pai, mas oferece um sentimento de justiça”, disse Marc Uyttendaele, advogado de Boël.

“Muitas outras crianças que passaram por experiências semelhantes podem encontrar forças para enfrentá-las “, acrescentou.

Boël e seus dois filhos podem agora ter o sobrenome de seu pai, Saxe-Cobourg.

Como resultado da decisão, em caso de morte de Albert 2º, a mulher terá direito a parte da herança, assim como os outros três filhos do ex-monarca: príncipe Laurent, princesa Astrid e Philip, o atual rei da Bélgica.

Apesar do novo título, Boël não receberá nenhum dote real, mas Albert 2º terá que pagar quase 3,4 milhões de euros (R$ 23 milhões) para cobrir as despesas legais, segundo o jornal local De Standaard.

Reações

A baronesa Longchamps afirmou que o caso com o então Príncipe de Liège durou de 1966 a 1984.

E garante que ele esteve presente durante a infância de Boël.

Após a morte de seu irmão mais velho, em 1993, aos 62 anos, Albert 2º subiu inesperadamente ao trono.

Permaneceu no cargo até julho de 2013, quando abdicou por motivos de saúde em favor de seu primogênito, Philip.

Depois de deixar o trono, o homem de 86 anos rejeitou ordens judiciais de se submeter a testes de DNA e enfrentou multas de quase US$ 6 mil por dia por se recusar a fazê-lo.

Em janeiro, ele anunciou que reconhecia Delphine Boël como filha depois de “conhecer os resultados dos testes”.

A Bélgica tem uma monarquia constitucional na qual o rei desempenha um papel principalmente cerimonial.

Continuar lendo APÓS LONGA BATALHA PARA PROVAR SER FILHA DE EX-REI, DELPHINE BÖEL É RECONHECIDA COMO PRINCESA DA BELGICA

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar