DENTRO DAS AÇÕES EM ALUSÃO AO OUTUBRO ROSA PREFEITURA DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE FAZ MUTIRÃO DE MAMOGRAFIA

Outubro Rosa: São Gonçalo faz mutirão de mamografia

10 out 2021

Outubro Rosa: Prefeitura de São Gonçalo realiza mutirão de mamografias - Prefeitura de São Gonçalo do Amarante

Dentro das ações em alusão ao Outubro Rosa, a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), está realizando mutirão de mamografias, para detecção precoce do câncer de mama.

Estão sendo oferecidas 500 mamografias para mulheres de 50 a 69 anos. Para realizar o exame, é necessário procurar encaminhamento médico na unidade de saúde da comunidade.

Os exames serão realizados no próprio município, no Hospital Belarmina Monte.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo DENTRO DAS AÇÕES EM ALUSÃO AO OUTUBRO ROSA PREFEITURA DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE FAZ MUTIRÃO DE MAMOGRAFIA

AUXÍLIO EMERGENCIAL SERÁ PRORROGADO ATÉ OUTUBRO, SEGUNDO ANUNCIOU O GOVERNO

Governo anuncia extensão do auxílio emergencial por mais três meses, até outubro

Anteriormente, o prazo seria encerrado no fim de julho

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Atualizado 05 de julho de 2021 às 17:57

Governo Federal prorroga auxílio emergencial por mais três meses

O governo anunciou nesta segunda-feira (5) que vai prorrogar o auxílio emergencial por mais três meses, até outubro. Anteriormente, o prazo seria encerrado no fim de julho.

Para possibilitar a atualização, o presidente Jair Bolsonaro editou decreto que prorrogação do pagamento do auxílio, instituído pela Medida Provisória 1.039, de 18 de março de 2021.

Os valores dos pagamentos continuam os mesmos, podendo variar de R$ 150 a R$ 350.

O benefício atinge quase 40 milhões de brasileiros.

“Economia voltando a crescer, vacinação em massa. Esses meses adicionais, que levam a sete meses a prorrogação, é para dar a proteção enquanto atingimos a vacinação em massa, já que o ministro queiroga prevê que, em três meses, a gente tenha o controle epidemiológico”, disse Paulo Guedes, ministro da Economia, em discurso após o anúncio.

No anúncio sobre a prorrogação, feito no fim da tarde desta segunda-feira, Bolsonaro disse também que o governo negocia uma atualização do valor do Bolsa Família para o ano que vem.

Histórico

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de Covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos duraria, inicialmente, quatro meses. As famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Continuar lendo AUXÍLIO EMERGENCIAL SERÁ PRORROGADO ATÉ OUTUBRO, SEGUNDO ANUNCIOU O GOVERNO

PROJETO DE LEI DE PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS FOI ENTREGUE À CÂMARA PELO GOVERNO

Governo entrega Projeto de Lei de privatização dos Correios à Câmara

O Ministério das Comunicações havia apresentado uma proposta ao Planalto em outubro, mas o texto nunca foi encaminhado

Ligia Tuon, do CNN Brasil Business, em São Paulo

 Atualizado 24 de fevereiro de 2021 às 22:38

Governo entrega Projeto de Lei de privatização dos Correios à Câmara

 

Um dia depois de enviar ao Congresso Nacional Medida Provisória (MP) de privatização da Eletrobras, o governo federal entregou nesta quarta-feira (24), em ato simbólico, o Projeto de Lei dos Correios ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira.

Assim como fez ontem, o presidente Jair Bolsonaro foi pessoalmente ao Congresso. Também compareceram à cerimômia os ministros da Economia, Paulo Guedes, e das Comunicações, Fabio Faria.

O Ministério das Comunicações havia apresentado uma proposta de privatização dos Correios à Secretaria de Assuntos Jurídicos em outubro, mas o texto nunca foi encaminhado.

A proposta envolve a quebra do monopolio postal dos Correios e a abertura do mercado a outras empresas.

Na prática, além de possibilitar a desestatização dos Correios, o texto também define a obrigatoriedade do cumprimento de metas de universalização e qualidade dos serviços, além de estabelecer que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) será a Agência Reguladora dos serviços postais, informou a secretaria de comunicação (Secom) do Planalto por meio de nota. “Desta forma, o Governo garante que a prestação do serviço postal não será deteriorada”, diz.

Ainda de acordo com a Secom, em paralelo à tramitação do projeto, serão realizados os debates e estudos para a definição do melhor modelo de desestatização, que pode ser, por exemplo, a venda direta, a venda do controle majoritário ou de apenas parte da empresa.

O processo inclui a análise pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) e a participação da sociedade e do mercado por meio de audiências públicas. Por fim, o edital será remetido ao Tribunal de Contas da União (TCU) e liberado para a realização do leilão tão logo seja aprovado pela Corte.

O envio foi formalizado dias depois de Bolsonaro ser aconselhado a encaminhar a discussão à casa legislativa para desviar o foco da troca de comando da Petrobras, anunciada na sexta-feira e recebida com tensão pelos investidores.

Processo difícil

O governo Bolsonaro fala em privarizar os Correios desde a campanha presidencial, mas economistas e especialistas no assunto sempre disseram que não seria um processo fácil. Primeiro, porque o projeto demanda uma mudança na Constituição, cujo trâmite é mais demorado no Congresso.

E, segundo, por questões práticas, que passam por assegurar que os serviços prestados a regiões mais distantes e, por isso, potencilamente pouco lucrativas à iniciativa privada, continuem sendo prestados.

Além disso — com estato de empresa estatal desde 1969, durante a ditadura militar, e em torno de 100 mil funcionários —, os Correios não são um negócio rentável e acumulam um histórico de regalias, ineficiência e falta de transparência em relação aos balanços financeiros.

A empresa precisariam passar por uma reestruturação interna, o que também enfrentaria obstáculos, já que mexe com interesses políticos.

Fonte: CNN

Continuar lendo PROJETO DE LEI DE PRIVATIZAÇÃO DOS CORREIOS FOI ENTREGUE À CÂMARA PELO GOVERNO

NO MÊS DE OUTUBRO EM NATAL O PREÇO DA CESTA BÁSICA SOBE 3,42%. OS VILÕES FORAM O TOMATE E O ÓLEO DE COZINHA

Por Julianne Barreto, Inter TV Cabugi

 

Óleo de cozinha impulsionou aumento no preço da cesta básica — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi Óleo de cozinha impulsionou aumento no preço da cesta básica

O preço da cesta básica aumentou 3,42% em Natal no mês de outubro em comparação com o mês de setembro. No ano, esse crescimento é de 13,81%.

Os dados estão na Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos publicada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) na sexta-feira (6).

De acordo com a pesquisa, no mês de outubro, a cesta básica custou R$ 436,76 na capital potiguar. A cesta básica aumentou em 15 capitais do país neste período.

Apesar do crescimento, o preço de Natal é o menor entre as 17 capitais analisadas na pesquisa. São Paulo tem a cesta básica com o maior custo: R$ 595,87.

O aumento no mês de outubro é impulsionado principalmente pela alta no valor do tomate, que foi de 43,92%, do óleo, que aumentou 11,35%, e também do arroz, que subiu 9,67%.

Subiram de preço também a farinha (2,97%), a manteiga (0,74%) e a carne (0,54%).

Segundo a pesquisa, nesse período, 12 quilos de tomate passaram de R$ 30,60 para R$ 44,04 em outubro. Uma garrafa com 900 ml de óleo passou de R$7,40 para R$ 8,24. Um pacote com 3,5 kg de arroz subiu de R$ 17,17 para R$18,83.

Supermercados de Natal e Mossoró, inclusive, têm limitado a venda de garrafas de óleo de cozinha por cliente. Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios (Sincovaga-RN), a medida é para evitar a falta do produto e também um aumento ainda maior de preço, por causa da dificuldade de abastecimento no mercado.

“Nós sabemos que o dólar subiu muito e a soja foi toda vendida para o exterior e que a safra do próximo ano já está todo vendida também. Além disso, houve um aumento no consumo, porque o auxílio emergencial deu mais poder de compra às famílias de baixa renda. Ou seja, diminuiu a oferta e aumentou o consumo”, explicou Geraldo Medeiros Junior, presidente do Sincovaga-RN.

Caíram de preço

Por outro lado, caíram de preço o leite (-2,66%), o açúcar (-2,44%), o pão (-2,19%), o feijão (-1,30%), a banana (-0,56%) e o café (-0,19%).

Segundo o Diese, o valor cobrado em uma cesta básica em Natal representa 45,18% do salário mínimo líquido e o trabalhador precisa exercer sua função por 91 horas e 57 minutos para poder comprá-la.

Aumento no ano

Além do aumento no mês, a cesta básica acumula um crescimento de preço no ano. De janeiro a outubro, o valor somado dos alimentos subiu 13,81%. O valor médio da cesta básica aumentou de R$ 381 para R$ 436 neste período.

Tomates impulsionaram aumento dos preços no mês de outubro — Foto: UnsplashTomates impulsionaram aumento dos preços no mês de outubro

Para os economistas, esse aumento não deve continuar nos próximos meses. Por causa de uma maior produção de alimentos, a safra brasileira de grãos começa a sair no final do ano.

Os especialistas acreditam ainda que a demanda caia por conta do fim do auxílio emergencial, previsto para dezembro, o que vai diminuir o poder de compra de muitas famílias.

“Por causa da pandemia, temos um número de desempregados muito grande. Então, a demanda de produtos vai diminuir”, explicou o economista Robspierre do Uó.

Considerando os últimos 12 meses analisados pelo Dieese, o aumento é ainda maior: de 27,74%.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo NO MÊS DE OUTUBRO EM NATAL O PREÇO DA CESTA BÁSICA SOBE 3,42%. OS VILÕES FORAM O TOMATE E O ÓLEO DE COZINHA

DE JULHO À OUTUBRO O CRESCIMENTO DA MALHA AÉREA DO RN É DE 169%

RN apresenta crescimento de 169% da malha aérea de julho a outubro

24 set 2020

RN apresenta crescimento de 169% da malha aérea de julho a outubro

 

O turismo no Rio Grande do Norte apresenta sinais positivos de retomada. De acordo com dados da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), a malha aérea do estado apresenta um crescimento de 169%, analisando os meses de julho a outubro. A oferta atual de voos potiguar já corresponde a 63% da malha aérea planejada pré-pandemia para o mês de outubro, considerando apenas os voos domésticos. Os números apresentam um aumento expressivo para o setor e mostram que o Rio Grande do Norte se consolida como destino seguro, em resposta ao trabalho realizado desde o início da pandemia, com a criação do Plano de Retomada do Turismo, os protocolos de biossegurança e aquisição do Selo Safe Travel, chancela internacional do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC).

A partir de outubro, o Rio Grande do Norte estará conectado aos principais aeroportos do sudeste, centro-oeste e nordeste do Brasil, com ligações diretas de Fortaleza, Salvador, Recife, Rio de Janeiro (Galeão), São Paulo (Guarulhos) e Brasília. As principais companhias aéreas nacionais (GOL, LATAM e AZUL) retornaram e ampliaram as operações no estado. O Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves também volta a receber o voo Natal/Lisboa/Natal, com aproximadamente 50% da malha programada, para este período, antes a pandemia.

Para a secretária de turismo do Estado, Ana Maria da Costa, este é o momento de investir em promoção do destino. “Destinar recursos para a divulgação do Rio Grande do Norte é fundamental, no governo da professora Fátima Bezerra, foi possível incluir o turismo no orçamento estadual. Estamos confiantes na retomada deste setor que movimenta uma cadeia de 52 segmentos e emprega milhares de pessoas”, ressaltou.

Ações de promoção

O Governo do Estado por meio da secretaria de Turismo (Setur) e da Empresa de Promoção Turística Potiguar (Emprotur) lançaram nesta terça-feira (22) a campanha Visite o Rio Grande do Norte, voltada para o fortalecimento do turismo regional. A ação de marketing abrange onze estados: RN, PB, PE, CE, AL, BA, SE (RJ, SP, MG e DF). Pesquisas apontam que a atividade turística, neste momento de retomada, ocorrerá primeiramente em viagens curtas, feitas de carro, com uma média de até 600 km de distância da residência, principalmente aos finais de semana e feriados.

Os meios de hospedagem dos principais destinos turísticos do Rio Grande do Norte, também apresentam números positivos de ocupação. De acordo com o Departamento de Inteligência e Pesquisas da Emprotur, o estado registrou 91%, a taxa de ocupação média, durante o último feriado prolongado (07 de setembro). Foram analisados hotéis das cidades de Natal, Mossoró, Tibau do Sul/Pipa, São Miguel do Gostoso, Galinhos, Touros, Maxaranguape, Baía Formosa e Martins.

O turista local é predominante, seguido dos estados de Pernambuco, Paraíba e Ceará, com tempo médio de dois dias de permanência. Esse movimento confirma algumas expectativas sobre a retomada do turismo, itinerários mais curtos (distância e permanência) e mercados de proximidade. Outro fator positivo na pesquisa é a presença de turistas de São Paulo e Minas Gerais, que mesmo em menor volume, indicam que o turismo nacional dá sinais de retomada.

Entre as ações de promoção e marketing planejadas para o último trimestre de 2020 e para 2021, destacam-se ações promocionais com companhias aéreas, campanhas nos canais de vendas das maiores operadoras do país, participação em feiras de turismo, captação de voos charters, ações promocionais nos shoppings das cidades de Mossoró/RN e Campina Grande/PB. Está prevista ainda a vinda de jornalistas, fotógrafos e influenciadores nacionais para viverem a experiência potiguar. E para fomentar o mercado de eventos, outro importante segmento dentro da cadeia do turismo, a Setur preparou um tarifário promocional de comercialização do Centro de Convenções de Natal com até 40% de desconto.

Eventos

Mais um impulso à economia e ao turismo potiguar, foi o anúncio da retomada gradual para o setor de eventos corporativos e de convenções, autorizado pelo Governo do Estado a partir desta terça-feira (22). A portaria publicada em edição extraordinária do Diário Oficial do Estado, na segunda-feira (21), estabelece um cronograma com cinco fases para a retomada.

A primeira fase libera uma frequência máxima simultânea de até 100 pessoas nos eventos. A fase seguinte permite, a partir de 06 de outubro, que os eventos possam ter até 400 pessoas; a fase três, no dia 20 de outubro, permite até 700 pessoas. Já no dia 03 de novembro, a fase quatro alcança até mil pessoas. E a última fase do cronograma, no dia 17 de novembro, permitirá até três mil pessoas, mas apenas para eventos em ambientes abertos.

O cumprimento do cronograma de retomada está condicionado aos indicadores da pandemia do coronavírus no RN. Caso a Secretaria de Saúde detecte uma tendência de crescimento da doença, após a liberação das atividades, as fases podem ser adiadas ou reestabelecidas fases anteriores.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo DE JULHO À OUTUBRO O CRESCIMENTO DA MALHA AÉREA DO RN É DE 169%

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar