DEZESSEIS FALSOS MÉDICOS FORAM IDENTIFICADOS NO RN EM MENOS DE QUATRO ANOS PELO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO

Por Inter TV Cabugi

 

MPF identificou 16 médicos falsos no RN desde 2018
MPF identificou 16 médicos falsos no RN desde 2018

Uma investigação do Ministério Público Federal do Rio Grande do Norte (MPF-RN) identificou e denunciou, no período de quatro anos, pelo menos 16 falsos médicos atuando no estado.

Nesta semana, o caso mais recente foi relatado pelo MPF. Era um profissional que, além do exercício ilegal da profissão, foi denunciado por falsificação de documentos públicos, uso de documentos falsos e fraude processual.

Segundo a investigação do MPF, o homem apresentou diploma de medicina e certificações falsos, supostamente emitidos por instituição da Bolívia, para obter a revalidação no Brasil, junto à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ele atuou nove anos como médico no Brasil.

Universidades brasileiras e inquéritos policiais têm identificado fraudes semelhantes envolvendo diplomas de medicina falsos de universidades bolivianas. É uma espécie de padrão, segundo o MPF-RN.

“Existe uma quadrilha composta por advogados, tanto brasileiros quanto bolivianos, e falsificadores, que ofereciam esse serviço a pessoas que não tinham graduação em medicina e nem queriam passar pelo sacrifício de fazer um curso de graduação em medicina e depois obter uma especialização”, explicou o procurador da República Kleber Martins.

“Então, eles ofereciam a essas pessoas, mediante pagamento de dezenas de milhares de reais, o fornecimento do diploma falso de formado em medicina por uma faculdade boliviana”.

Com o diploma oficial de uma faculdade boliviana em mãos, esses falsos médicos buscavam e passavam na revalidação para atuar em território nacional. No estado, apenas a UFRN tem autoridade para revalidar o diploma – após o resultado de aprovação em uma prova nacional.

“Posteriormente essas pessoas requeriam inscrição nos conselhos regionais de medicina pelo Brasil e a partir de então passavam a exercer a profissão embora não tivessem preparação para ser médicos”, reforça o procurador da República Kleber Martins.

Em nota, a UFRN disse que “realiza a revalidação dos diplomas utilizando o resultado do Revalida, que é um exame de responsabilidade do Governo Federal. Nesse sentido, a instituição de ensino recebe da gestão federal o nome dos candidatos aprovados”.

Em caso de suspeita de fraude, a universidade informou que “encaminha as informações aos órgãos competentes (Ministério Público e Polícia Federal) para averiguar a veracidade dos dados repassadas pelos revalidandos”.

Em investigação aprofundada feita pela UFRN, ficou constatado que 14 eram falsos, todos supostamente emitidos por uma mesma faculdade boliviana. No caso referente à última descoberta do MPF, a universidade confirmou que se tratava de uma falsificação.

Esses casos deram origem a inquéritos policiais e, como resultado, várias condutas já foram judicializadas.

As investigações policiais demonstram que a UFRN não é a única instituição de ensino vítima de fraudes envolvendo universidades bolivianas. Pelo menos outros 41 supostos graduados teriam fraudado diplomas de medicina supostamente emitidos por universidades bolivianas.

Continuar lendo DEZESSEIS FALSOS MÉDICOS FORAM IDENTIFICADOS NO RN EM MENOS DE QUATRO ANOS PELO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO

SAÚDE: ACABA HOJE TERÇA-FEIRA (17) O PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA 2ª ETAPA DO REVALIDA 2022

Revalida 2022: prazo de inscrição para a 2ª etapa acaba hoje

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nesta terça-feira (17), acaba o período de inscrições na segunda etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2022. Os interessados devem se inscrever por meio do Sistema Revalida. O pagamento da taxa poderá ser feito até o dia 20 próximo.

Provas
A prova de habilidades clínicas será aplicada nos dias 25 e 26 de junho. Os locais de aplicação e a quantidade de vagas disponíveis serão informados ao participante também por meio do sistema do exame, no momento da inscrição.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) destaca que, se o limite de uma determinada cidade for atingido, o sistema desabilitará a opção pelo local. Dessa forma, o interessado deverá optar por outro lugar de preferência, conforme disponibilidade de vagas.

Como previsto em edital, para a garantia das condições logísticas e de segurança do exame, o Inep poderá acrescentar, suprimir ou substituir cidades de aplicação. Caso isso ocorra, o participante será realocado para uma cidade próxima que possua a estrutura e os requisitos adequados. Durante o período de inscrição, os interessados também poderão solicitar atendimento especializado.

Revalida
Aplicado pelo Inep desde 2011, o objetivo do Revalida é avaliar habilidades, competências e conhecimentos necessários para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS). O ato de apostilamento da revalidação do diploma é atribuição das universidades públicas que aderirem ao instrumento unificado de avaliação representado pelo Revalida.

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo SAÚDE: ACABA HOJE TERÇA-FEIRA (17) O PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA 2ª ETAPA DO REVALIDA 2022

MÉDICOS QUE FAZEM PARTE DA COOPERATIVA MÉDICA DO RN SUSPENDERAM ATENDIMENTOS PELO SUS POR FALTA DE PAGAMENTOS

Por g1 RN — Natal

 

Médicos de cooperativa suspendem atendimento na rede pública de Natal por atraso de pagamento da prefeitura — Foto: Allan TorresMédicos de cooperativa suspendem atendimento na rede pública de Natal por atraso de pagamento da prefeitura — Foto: Allan Torres

Médicos que fazem parte da Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte suspenderam o atendimento SUS em vários hospitais de Natal. Eles alegam atraso no repasse feito pela prefeitura.

Os procedimentos de alta e média complexidade – incluindo as cirurgias eletivas – estão suspensos desde o último dia 5.

Em comunicado destinado aos médicos de alta e média complexidade, a Coopmed-RN informou que “não recebeu nenhum repasse referente ao SUS que encontra-se em atraso” e que, “sendo assim, manteremos a paralisação até que tenhamos alguma sinalização do pagamento”.

A dívida com 200 médicos é referente a três meses de atraso e chegaria a R$ 3,5 milhões, segundo a Coopmed.

Em Natal, há convênio vigente com hospitais da Liga Contra o Câncer, Rio Grande, Memorial, Paulo Gurgel, Hospital do Coração e Varela Santiago.

No Hospital Rio Grande, por exemplo, houve redução de 75% nas cirurgias cardíacas, oncológicas e ortopédicas.

g1 tentou contato com a prefeitura de Natal, através da Secretaria Municipal de Saúde, mas até a última atualização desta matéria não houve retorno.

Continuar lendo MÉDICOS QUE FAZEM PARTE DA COOPERATIVA MÉDICA DO RN SUSPENDERAM ATENDIMENTOS PELO SUS POR FALTA DE PAGAMENTOS

VARIEDADES: GRAVIDEZ DE MULHER COM TETRAPARESIA FOI CONSIDERADO UM DESAFIO PARA OS MÉDICOS QUE A ACOMPANHARAM

Por g1 RN

 

Thainá e Aylan — Foto: Ascom ISDThainá e Aylan — Foto: Ascom ISD

Os estímulos sensoriais externos ao ventre mais comuns sentidos pela maioria das grávidas ao redor do mundo, para ela, jamais foram experimentados. O primeiro abraço, o ato de amamentar, segurar o filho com os próprios braços, sentir os corações batendo juntos no calor do colo, assim como é comum às mulheres intuitivamente minutos após o parto, eram incógnitas que se transformaram em fantasmas e que a perseguiram ao longo da gestação.

Neste domingo (8), no seu primeiro Dia das Mães como mãe, Thainá da Silva Lourenço, de 21 anos, tem muito a comemorar. Há quase oito anos, um disparo de arma de fogo a deixou com tetraparesia e mudou sua vida para sempre.

O tiro sofrido por Thainá quando ela tinha 13 anos provocou uma lesão medular na primeira vértebra torácica, um pouco abaixo do pescoço, que a deixou sem sensibilidade e ordenados a partir desse ponto.

Sua sobrevivência é considerada um milagre. Ela passou dois meses internada, dos quais 15 em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 22 intubada.

“O atestado de óbito dela chegou a ser preenchido. Os médicos não acreditavam que ela fosse sobreviver. Um deles perguntou se eu sabia rezar. Ele disse que era para eu entregar nas mãos de Deus, pois a situação era muito grave. Num determinado momento, ela teve uma certidão de nascimento e de óbito. Só faltava a assinatura do médico”, relembra Telma da Silva, mãe de Thainá.

Após o período mais crítico da hospitalização, Thainá deu início ao processo de reabilitação no Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (Anita), uma das unidades do Instituto Santos Dumont (ISD), em Macaíba.

Uma equipe multiprofissional formada por fisioterapeutas neurofuncionais, psicólogos, urologista e neurologistas davam suporte no reaprendizado das atividades de vida diária. No início de 2021, a surpresa: o teste de gravidez deu positivo.

Gravidez

“Eu nunca havia acompanhado uma paciente com qualquer tipo de deficiência. Nós não tínhamos noção de como o útero iria contrair, quais eram os riscos do parto cesariana, do parto normal. Foi um grande e surpreendente aprendizado”, afirmou a preceptora fisioterapeuta do ISD, Larissa Varella, especialista em saúde da mulher, que acompanhou Thainá durante a gestação e no pós-parto.

O trabalho desenvolvido por Larissa Varella e Heloísa Britto, também preceptora fisioterapeuta, possibilitaram o fortalecimento do tronco e dos membros superiores da paciente, tornando o sonho de segurar o bebê real, além de estimular o correto funcionamento das funções intestinal e vesical.

Conforme Larissa Varella, a gravidez de Thainá envolveu ainda mais riscos, em função da lesão medular ter afetado o funcionamento do corpo do pescoço para baixo, do que a gestação em uma mulher sem deficiência.

“Nós também precisamos trabalhar o pós-parto na fisioterapia dela. Tivemos que fazer um trabalho de adaptação e treinamento para que ela conseguisse segurar o bebê com firmeza, realizando a movimentação dele com segurança para troca de fraldas, amamentação… E ela conseguiu. Ela cuida do filho com muito zelo e independência. Isso é gratificante, pois foi um trabalho que mobilizou muitos profissionais”, destaca.

A gestação de Thainá foi considerada tranquila pela equipe de especialistas que a acompanhou, os ginecologistas obstetras Thaíse Lopes e Reginaldo Freitas Jr. Entretanto, na reta final, uma diabetes gestacional fez os planos dos médicos mudarem e a realização do parto cesárea foi a saída para manter mãe e filho seguros.

Além disso, a rede pública de saúde no Rio Grande do Norte não dispõe de estrutura para realização de partos normais tão particulares quanto o de Thainá. Essa ausência acendeu um alerta.

“Realizar o acompanhamento do pré-natal de Thainá foi desafiador. Afinal de contas, nunca tinha feito o pré-natal de uma paciente com o grau de lesão medular que ela apresenta. Ao mesmo tempo, foi uma oportunidade de aprendizado e crescimento profissional. O trabalho da equipe multiprofissional do Anita foi preponderante no sucesso do caso. Hoje, vendo Thainá chegar ao Anita com o bebê no colo, vê-la amamentando é de uma gratidão enorme. É uma sensação de missão cumprida, realmente, de atenção ao cuidado integral à mulher que a gente presta no nosso serviço”, relata Thaíse Lopes.

Maternidade

Ayllan, filho de Thainá, nasceu a termo no dia 14 de outubro de 2021, após uma cesariana assistida por parte da equipe de ginecologia e obstetrícia que a acompanhou no ISD durante a gestação. O Dia das Mães deste tem um sabor especial para ela.

“É uma mistura de emoções, porque ser mãe não é fácil. Mas, ao mesmo tempo, é gratificante saber que existe uma pessoinha que é como se fosse o nosso coração fora da gente, para falar a verdade. Eu estou muito feliz em ter ele, mesmo com as dificuldades do dia a dia e espero que ele cresça bem, que consiga ser feliz ao meu lado e que sinta orgulho da mãe que tem. Espero que ele veja o esforço que eu faço e me reconheça um dia”, declara Thainá.

Ginecologistas obstetras Thaíse Lopes e Reginaldo Freitas Jr — Foto: Ascom ISD

Para a avó de Aylan, que tem outros cinco netos, este 8 de Maio é dia de alegria e agradecimento. “É emocionante viver esse dia. Ela sempre está com ele e eu estou muito feliz tendo ela e ele comigo. Ela tem se mostrado uma mãe muito comprometida. Meu sentimento é de gratidão por tudo o que já vivemos até aqui”, afirma Telma, mãe de Thainá.

Acolher

Em 2021, o Instituto Santos Dumont deu início ao desenvolvimento do Cuidado Perinatal para Pessoas com Deficiência (Acolher), projeto idealizado pelo diretor-geral, o ginecologista obstetra Reginaldo Freitas Jr.. A primeira paciente atendida pela equipe que integra o Projeto Acolher foi Thainá da Silva Lourenço.

“Ainda há muitos direitos a serem, efetivamente, garantidos às pessoas com deficiência. A equidade no acesso aos serviços de saúde sexual e reprodutiva está entre esses direitos que precisam ser garantidos. Essa é uma das dimensões da inclusão que merece maior visibilidade. O direito ao livre exercício da sexualidade deve ser universal e incluir as pessoas com deficiência”, declara Reginaldo Freitas Jr..

Ele relembra, ainda, que de ter dito a Thainá, desde a primeira consulta no Acolher, que isso é um direito dela e não há porque reforçar as ideias de culpa, vergonha ou doença quando se discute a autonomia das pessoas com deficiência na decisão de engravidar ou não.

“Não se trata de negligenciar o cuidado com a saúde nas situações nas quais a gravidez pode colocar em risco a vida da mulher, mas de oferecer espaço para diálogo, informação, empoderamento e protagonismo para escolhas conscientes. Sabemos dos desafios, do quanto ainda precisamos aprender e de como precisamos evoluir, combatendo nossos preconceitos, inclusive o capacitismo, mas isso não pode nos impedir de começar a fazer, de articular essa linha de cuidado no sistema de saúde. Esse processo é absolutamente interdisciplinar e interprofissional, precisamos da sinergia de muitos saberes e fazeres e estamos formando essa equipe”, assegura o diretor-geral do ISD.

O discurso dele é reforçado por outros profissionais. “É importante pensar o quão negligenciadas são as mulheres com deficiência. A gente precisa falar sobre isso, colocar essa temática em debate. As mulheres com deficiência, dependendo de qual seja a deficiência, podem engravidar sem riscos maiores. A mulher tem direito à vida independente, ao casamento, a escolher ser mãe”, defende Larissa Varella.

Para a fisioterapeuta Heloísa Britto, que fez a reabilitação neurológica, é necessário mudar o pensamento coletivo para que as pessoas com deficiência sejam efetivamente integradas à sociedade. “Nós, que trabalhamos com reabilitação física, reconhecemos e valorizamos a participação social. A gente reabilita um indivíduo após uma lesão, por exemplo, ou habilita um indivíduo que tenha uma lesão congênita para que ele tenha uma vida social possível. Existe uma expressão mais nova chamada capacitismo, que é o pouco reconhecimento das pessoas em relação às suas capacidades. As pessoas com deficiência têm potencialidades. O capacitismo é olhar para elas e achar que elas não são capazes. É olhar para um cadeirante e julgá-lo como “coitado”. É preciso olhar para essas pessoas e enxergar nelas, autonomia, capacidade de fazer”, sublinha a fisioterapeuta.

O diretor-geral do ISDN Reginaldo Freitas Jr. falou sobre o receio, mas destacou a confiança e o empenho durante todo o processo de gestação e pós-parto dela.

“Thainá confiou em nós, foi nossa grande parceira e generosamente nos ensinou sobre a construção de uma relação de cuidado que compartilhou medos, objetivos, frustrações, alegrias e sucessos comuns a todos os envolvidos. Sim, também tivemos muito medo. Quanto mais estudávamos, mais incertezas emergiam. O que sabemos é uma gota no oceano que ainda desconhecemos. Não consegui dormir nos dois dias que antecederam o parto dela. Levantava para pesquisar evidências que nos ajudassem a decidir sobre via de parto, tipo de anestesia e medicações, por exemplo, mas nada disso se compara à alegria de vê-la sorrindo para Ayllan e transformada na mulher-mãe que ela é hoje. É ela que tem sido nossa grande professora”, enfatiza Reginaldo Freitas Jr.

Continuar lendo VARIEDADES: GRAVIDEZ DE MULHER COM TETRAPARESIA FOI CONSIDERADO UM DESAFIO PARA OS MÉDICOS QUE A ACOMPANHARAM

POTIGUAR QUE FEZ TRANSPLANTE DE PULMÃO RECEBE ALTA DEFINITIVA DO HOSPITAL E MÉDICOS CONSIDERAM UM MILAGRE

Por g1 RN

 

Ana Raiane com o marido e os filhos — Foto: Arquivo da famíliaAna Raiane com o marido e os filhos — Foto: Arquivo da família

Foram 60 dias respirando com auxílio de pulmão artificial (ECMO) por causa de complicações da Covid, um transplante de pulmão, e mais de 8 meses internada em São Paulo. Após essa longa jornada, a potiguar Ana Raiane dos Santos, de 32 anos, recebeu alta definitiva do Hospital Albert Einstein, na capital paulista, e voltou para casa em São Vicente, no interior do RN, nesta segunda (25).

“Deus está me abençoando com minha volta pra casa. Recebi minha alta definitiva. Estou muito bem graças a Deus, meu pulmãozinho está guardado, está sendo bem cuidado e agora eu vou ter a oportunidade de cuidar da minha família, dos meus filhos, da minha casa”, disse Ana.

Para o cirurgião cardiovascular especialista em ECMO, Dr. Renato Max, que implantou o pulmão artificial em Raiane, a recuperação dela é um ‘exemplo de resiliência e coragem’.

“Mesmo diante de todas as dificuldades, o medo de ir pra SP, ela foi, quis lutar contra essa doença, e venceu. A gente tem convicção de que presenciou um milagre. Um milagre conduzido pela fé da Raiane, pela fé da equipe, pela força de vontade dela e também da família”.

Ele explicou que Ana Raiane só precisará ficar indo a São Paulo de 3 em 3 meses para exames mais complexos e avaliação da equipe transplantadora. Em Natal, ela terá acompanhado médico especializado, e ficará fazendo exames de rotina, provavelmente no Hospital Onofre Lopes.

Relembre o caso

Ana Raiane foi diagnosticada com Covid em maio de 2021, quando estava grávida. Após o nascimento da filha na maternidade Januácio Cicco, em Natal, teve uma piora no quadro e precisou ser intubada. Quando a situação se agravou, foi necessário o tratamento com ECMO, em manejo liderado pelo cirurgião cardiovascular Renato Max e pelo intensivista Hugo Paiva. Os dois médicos também foram os responsáveis por conseguir a vaga para a continuidade do tratamento no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Após 60 dias com o suporte respiratório da ECMO, ela seguiu em agosto para a capital paulista com o marido, Carlos Henrique, que fez campanha nas redes sociais para conseguir custear o necessário para o tempo previsto de tratamento da esposa, que seria, a princípio, de um ano. A equipe médica de Natal se responsabilizou por custear o equivalente à hospedagem em São Paulo por sete meses. O restante necessário (para transporte e alimentação) que era exigido pelo serviço social do transplante pulmonar foi conseguido através das doações, rifas e outros meios que a família buscou.

Em São Paulo, a equipe que assumiu o caso, chefiada pelo cirurgião torácico Marcos Samano, chegou a retirar a ECMO da paciente, mas ela, assim como já havia acontecido em Natal, não suportou ficar sem o aparelho, e foi necessário reimplantar e aguardar pelo transplante.

No dia 31 de agosto, apareceu um doador compatível, e foi feita a cirurgia de imediato. Após alguns dias, a ECMO foi retirada, e ela se manteve com respirador mecânico, que foi removido da paciente após algumas semanas. Atualmente, Ana Raiane respira sem ajuda de nenhum equipamento ou oxigênio suplementar.

No final do ano, a equipe médica que acompanhava o caso liberou o retorno de Ana Raiane a São Vicente, no interior do Rio Grande do Norte, como um “presente de Natal”, para que ela possa ver a filha mais uma vez. O último encontro com a bebê de sete meses havia acontecido no leito da UTI da Promater, em Natal, no dia 7 de agosto.

Em janeiro Ana Raiane voltou para São Paulo e continuou em tratamento pós-transplante, com fisioterapia respiratória e motora, fonoaudiologia e avaliação da função pulmonar. Ela retornará para a capital paulista no dia 12 de janeiro, e deve permanecer lá até a alta definitiva – o que ainda não há previsão para acontecer.

A potiguar é uma das oito pessoas no Brasil que fizeram transplante de pulmão em decorrência do agravamento da Covid-19. Desse grupo, quatro sobreviveram. “É, portanto, um dos poucos casos de sucesso no mundo de transplante pulmonar por síndrome de angústia respiratória ocasionada pelo vírus SARS-COV2”, destacam os médicos.

Continuar lendo POTIGUAR QUE FEZ TRANSPLANTE DE PULMÃO RECEBE ALTA DEFINITIVA DO HOSPITAL E MÉDICOS CONSIDERAM UM MILAGRE

CIÊNCIA E TECNOLOGIA: NOVA TÉCNICA RETIRA O PULMÃO, EXTIRPA O TUMOR E RECONECTAM NOVAMENTE NO CORPO DO PACIENTE

CIÊNCIA E TECNOLOGIA: NOVA TÉCNICA RETIRA O PULMÃO, EXTIRPA O TUMOR E RECONECTAM NOVAMENTE NO CORPO DO PACIENTE

 

Esperança contra o câncer de pulmão. Em vez de esperar por um doador, médicos de Israel conseguiram retirar o pulmão de um paciente, “limpar” os tumores e depois recolocaram o órgão saudável no corpo do homem.

O procedimento cirúrgico foi feito com sucesso no Hospital Beilinson e “pode mudar a maneira” como os cânceres são tratados ultimamente.

O paciente, que não teve o nome revelado, tem aproximadamente 40 anos. Ele foi hospitalizado após um tumor no pulmão esquerdo bloquear a artéria principal, levando ao colapso.

No Centro Médico Rabin, em Petah Tikva, os médicos perceberam que o pulmão ficaria ressecado até que surgisse um doador para um possível transplante.

“Se tivéssemos simplesmente cortado o pulmão, aguardando um transplante, o paciente continuaria com risco de vida”, disse Yuri Faischowitz, diretor da Unidade de Cirurgia Cardiotorácica de Beilinson, ao Dr. Itai Gal, da Ynet News. .

O câncer de pulmão é um dos cânceres mais mortais, apesar de as taxas de mortalidade da doença terem diminuído no mundo desde os anos 90.

Esperança

Durante a cirurgia, no mês passado, o homem continuou a respirar pelo pulmão bom, enquanto o outro era desconectado, limpo do tumor e reconectado – após inflá-lo para garantir que continuasse funcionando e que o tecido estava saudável.

A “limpeza” dos órgãos humanos dos tumores dessa maneira está em um estágio inicial e os cirurgiões disseram que pode mudar o tratamento do câncer e, em alguns casos, evitar a necessidade de transplantes de pulmão, risco de rejeição e o tempo de espera.

“O novo método pode mudar a maneira como os pacientes tratam o câncer no mundo”, diz o professor Dan Arav, que participou da cirurgia junto com Faischowitz.

O professor afirmou que o procedimento pode ser aplicado também a outros órgãos e outras formas de câncer.

Isso aumenta a esperança de pacientes que hoje teriam poucas opções de tratamento.

Com informações do Ynet News e GNN

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo CIÊNCIA E TECNOLOGIA: NOVA TÉCNICA RETIRA O PULMÃO, EXTIRPA O TUMOR E RECONECTAM NOVAMENTE NO CORPO DO PACIENTE

SAÚDE: FUNCIONÁRIOS DA SAÚDE PÚBLICA DO RN PARALISARAM AS ATIVIDADES NESTA SEGUNDA-FEIRA POR TEMPO INDETERMINADO

Greve dos médicos da saúde pública do RN começa nesta segunda-feira

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Letícia França

Os funcionários que trabalham, nos serviços públicos de saúde do Rio Grande do Norte nesta segunda-feira do Norte, a paralisação das atividades por tempo indeterminado. Na semana passada, atuavam em estado de greve de greve e segunda, segunda-feira, já em estado de quinta-feira (24 de dezembro), data de início desta feira.

De acordo com o Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed), com a decisão, fica suspensa a realização de consultas ambulatoriais e realização de cirurgias eletivas. Já o atendimento de urgência de sofredor de 30% no quadro de profissionais.

Conforme informado, do presidente Geraldo Ferreira, do presidente tomando os cuidados para minimizar os transtornos à população que precisa dos serviços de saúde. “Os atendimentos de urgência e emergência serão preservados para que a população não sobre ainda mais, castigada por um governo que não cuida da saúde”, afirmou.

Ainda em segundo lugar, pelo menos, 2,000, reivindicam a inclusão de internível de 3%, reajustados pelo Plano de Cargos, Remuneração e Remuneração (PCCR), paridade salarial entre ativos e aposentados e gratificação por qualificação.

Em assembléia realizada no dia de alteração categoria17 de proposta de envio pelo secretário de Saúde, Cipriano Ma, com relação às mudanças, Plano de Mudanças e Rem. internível e inclusão da gratificação por especialização.

No entanto, de acordo com o Simed, no dia 2 de março o comunicado foi divulgado que a inclusão da divulgação do Estado havia sido elaborada para a proposta do Governo do Estado. Rio Grande do Norte (Separar o estado de atendimento da Secretaria de Estado) Por causa disso mesmo dia, os problemas de saúde, decidirão o estado de atendimento da Secretaria de Saúde, com a pressão de uma negociação por parte do Estado do Rio Grande do Norte (Se). Passados ​​dois dias, sem nenhuma recepção contraproposta da secretaria, os médicos então iniciaram o início da greve com a paralisação nos atendimentos para esta feira.

Posicionamento da Sesap

A Sesap informou ao Portal da Saúde Tropical que, durante a manhã desta feira, ainda não foram observadas alterações nos serviços de atendimento no âmbito da saúde pública do RN. Em nota, a secretaria explicou também que, a respeito da identificação dos médicos sobre o incentivo à qualificação, “a qual diz que a seguir a legislação deve ser feita a partir da qualificação da qualificação superior à exigência de carga” .

“Ressalte-se ainda que cerca de 10% do quadro de médicos apresentação documentação e o Sindicato dos Médicos não respondeu às convocações para a elaboração do novo Plano de todos os carros, Carreiras e Remuneração, reivindicando a mudança para finalização e finalização e ”, afirmou a Sesap.

Com relação ao interno, a Sesap destacou que, em negociação com o sindicato, foi acertado o reajuste de 2% a partir de abril e um acréscimo de 0,5% a partir de dezembro, levando em conta a paridade entre ativos e inativos. “Os médicos receberam seguidos reajustes, até 2018, em quatro anos seguidos de aumento, o que não ocorreu como outras categorias. A gestão da Sesap reforça sua provisão em negociação e manterá diálogo com a categoria, reforçando a necessidade de manutenção do melhor atendimento à população”, concluiu em nota.

Continuar lendo SAÚDE: FUNCIONÁRIOS DA SAÚDE PÚBLICA DO RN PARALISARAM AS ATIVIDADES NESTA SEGUNDA-FEIRA POR TEMPO INDETERMINADO

GOVERNO UCRANIANO ENCAMINHOU AO BRASIL PEDIDO DE SUPRIMENTOS MÉDICOS A SEREM ENVIADOS AO PAÍS EM MEIO A GUERRA

Ucrânia pede suprimentos médicos ao Brasil; lista inclui respirador e monitor de sinais vitais

Relação será encaminhada ao Ministério da Saúde; governo quer embarcar os itens em avião da FAB que decolará rumo à Polônia no dia 7

Kenzô Machidada CNN

Em Brasília

O governo ucraniano encaminhou ao Ministério das Relações Exteriores do Brasil um pedido de suprimentos médicos a serem enviados ao país em meio a guerra. A CNN teve acesso à lista de 18 itens, que inclui aparelhos respiratórios para adultos e crianças e monitores de sinais vitais. A relação foi enviada pelo Itamaraty ao Ministério da Saúde nesta semana para que a pasta indique como o governo brasileiro pode atender a demanda.

A expectativa é a de que os técnicos da Saúde respondam a solicitação até o fim de semana, para que os suprimentos possam ser embarcados no primeiro avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que vai resgatar brasileiros na Ucrânia. A aeronave sairá de Brasília na próxima segunda-feira (7), às 15 horas.

A relação das necessidades médicas da Ucrânia também inclui desfibrilador, aparelho para fazer eletrocardiograma, instrumentos cirúrgicos e até fonte de luz portátil para realizar exames nas vítimas da guerra.

Continuar lendo GOVERNO UCRANIANO ENCAMINHOU AO BRASIL PEDIDO DE SUPRIMENTOS MÉDICOS A SEREM ENVIADOS AO PAÍS EM MEIO A GUERRA

SAÚDE: HOJE 18 DE FEVEREIRO É COMEMORADO O DIA NACIONAL DE COMBATE AO ALCOOLISMO

Dia de Combate ao Alcoolismo: médicos alertam sobre danos à saúde

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A sexta-feira, para muitos, é o dia de tomar uma cervejinha com os amigos ou outra bebida para relaxar das atividades do dia a dia. Mais da metade da população brasileira, 55%, têm o costume, mostra pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro do Fígado (Ibrafig), sendo que 17,2% declararam aumento do consumo durante a pandemia de covid-19, associado a quadros de ansiedade graves por causa do isolamento social.

Hoje, 18 de fevereiro, é o Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo, os dados destinados a conscientizar sobre os danos e doenças que o consumo de bebidas alcoólicas podem causar, tanto em homens quanto em mulheres pode causar.

De acordo com o levantamento da Ibrafig, uma em cada três pessoas no país consome álcool pelo menos uma vez na semana. O consumo de bebidas alcoólicas foi pesquisado8% dos consumidores brasileiros na pesquisa. Os dados foram levantados com base na resposta de 1,9 mil pessoas, nas cinco regiões do país. O estudo ainda mostra que, em média, os brasileiros ingerem três doses de álcool por ocasião, o que representa 450ml de vinho ou três latas de cerveja.

Fatores podem depender de um psiquiatra, diz o psiquiatra Maksud Diversos, da Clínica Ame.C. “Fatores que podem ocorrer violência precoce, entre uma dependência, ou início do uso, condições preliminares associadas, outros estudos prévios, culturais como condições associadas, o uso de diversão, histórico de abuso, dependência, curiosidade, dependência sexual associada”.

Maksud é da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e especialista em Saúde Pública, Dependência Química e Psiquiatria Integrativa pelo Centro de Atenção Psicossocial (Caps) e pelo Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (Nasf-AB).

Ele lembra que as consequências do longo prazo do alcoolismo são negativas sobre a saúde física e psíquica e, na maioria das vezes, causam graves em todos os limites da vida – laboral, familiar ou social. “Como exemplo, podemos citar hepatite, cirrose, hipertensão, o aumento do risco de acidente vascular diverso isquêmico, distúrbios sexuais, demência, abstinências severas, depressão, ansiedade e psicoses induzidas pelo álcool”.

As bebidas no final da semana, geralmente não começam na sexta-feira e também não terminam no domingo, levam muita gente a crer que depende do álcool, mas o consumo habitual pode causar danos à saúde, alertou o médico.

“Nesse, inicialmente, não caracteriza uma dependência alcoólica, podendo, porém, ser entendido como nocivo de bebida alcoólica. O uso nocivo é um padrão de danos à saúde, físico (como normal) ou mental (como o padrão de defeitos à saúde). Padrões nocivos de uso são frequentemente criticados por outras pessoas e estão associados a consequências sociais adversários de vários tipos”.

Danos
O detalhado como o álcool atua no cérebro. “Quando a pessoa bebe se sente relaxada, já que sua percepção diminui. No entanto, o consumo regular dos níveis de serotonina no cérebro, um dos responsáveis ​​pela sensação de prazer e bem-estar. Sendo assim, o álcool agrava a ansiedade e principalmente, a depressão”.

A psicóloga Monica Machado, mantidaa pela Universidade Ame.C, reforça que o consumo frequente de bebidas alcoólicas dos responsáveis ​​pelo controle das crises de ansiedade regular São, responsáveis ​​pelos responsáveis ​​pelo controle de ansiedade de São Paulo, responsáveis ​​pela elevação das vulnerabilidades ao controle de ansiedade.

Por isso, acrescenta-se, o requerente a relação entre ansiedade e ajuda na busca de respostas mais concretas para bebidas alcoólicas como consequências do uso intensivo de bebidas alcoólicas e do transtorno de ansiedade”.

O inverso pode acontecer, ou seja, quem não tem distúrbios com o consumo excessivo de álcool. “A dependência em álcool pode ser uma das razões para o desenvolvimento de distúrbios, como a ansiedade, mas essa situação é complexa, já que a situação também pode levar à dependência provável”, afirma Mônica.

Além dos corpos e dos corpos, o coolismo pode ser tão poderoso quanto os mesmos que a pessoa. “Mesmo sóbrio, o paciente dependente de álcool, principalmente após vários anos de uso da susbtância, tende a apresentar diversos déficits cognitivos que podem, inclusive, se tornar permanentes. Por exemplo, de memória, construção de novos problemas, redução da capacidade de abstração e resolução de problemas importantes para a construção de problemas, alerta Maksud.

Mulheres e
álcool O alcoolismo atinge e mulheres, mas, elas, os problemas de saúde para maior rapidez, afirma o médico. “Pesquisadores que as mulheres têm maior capacidade física ao álcool. De acordo com os cientistas, as mulheressi disponíveis. Além disso, a gordura retém o álcool, enquanto a água ajuda a dispersá-lo. Logo, graças a seus níveis naturalmente mais gordos e mais baixos de água resposta fisiológica ainda mais complicados”.

Sendo assim, completa, “mulheres que consomem álcool em excesso também tendem a desenvolver dependência e outros problemas de saúde com mais rapidez que os homens. Elas costumam começar a beber mais tarde que os homens, mas levam muito menos tempo para se tornarem dependentes e apresentarem doenças hepáticas ou cardíacas, por exemplo.

Tratamento
Segundo o psiquiatra, o tratamento para o alcoolismo geralmente é feito com acompanhamento médico e terapêutico alguns e alguns medicamentos podem contribuir. “Quando bem calculada e administrada, os medicamentos são bons tratamentos do alcoolismo, pois ajudam no processo de abstinência e prevenção das recaídas. O álcool estimulante atividade atividade opióide endógena ao promover a liberação dos peptídeos endógenos na sináptica. Existe um tipo de tratamento que atua como antagonista nos receptores opióides. Dessa forma, uma administração de antagonistas opióides reduziria o consumo de álcool por meio do bloqueio pós-sináptico de alguns receptores”.

Tratamento gratuito
Alcoólicos Anônimos (AA): o grupo de ajuda mútua é referência no apoio ao alcoólatra que quer parar de beber. A é gratuita e um dos grandes princípios é o sigilo. Presente no Brasil há 80 anos, o Alcoólicos Anônimos possui reuniões em quase todas as cidades do Brasil.

Caps – AD: os Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas são unidades de saúde feitas para atender gratuitamente quem precisa tratar o alcoolismo. O acompanhamento é feito por médicos, psicólogos e terapeutas. Também há abertura para a participação da família.

Quando o dependente mora em uma cidade que não tem o Caps – AD, pode procurar uma unidade tradicional (que cuida da saúde mental) ou uma unidade básica de saúde de seu município para fazer o tratamento. Se houver necessidade de necessidade, é o próprio Capturar a legislação e encaminha para alguma instituição associada.

Prevenção
Para quem não quer ser dependente, algumas atitudes podem contribuir para inibir o uso excessivo de álcool, observar Monica Machado.

“Primeiramente é necessário identificar pessoas com maior tendência a dependências e, para isso, procurar a ajuda de um profissional capacitado. Existem algumas pessoas que consomem álcool para bebidas alcoólicas para parar em casa; evite situações onde acha que irá perder o controle do uso; aprenda a dizer não ou peça ajuda enquanto não tenha esse controle; escolha um dia para deixar de beber e confinar o consumo de álcool a determinadas circunstâncias. E novamente, o principal: adquira ajuda profissional adequada”.

Outra atitude, o psiquiatra, é evitar o contato com bebidas na adolescência. “Quanto mais dependência, menor o risco com bebidas alcoólicas. Alguns anos de estudos aprenderão que antes dos adolescentes começarão a ser quatro vezes mais risco do que quem inicia mais uso, após os 2. Também já foi relatado na literatura que os riscos do consumo médico foram feitos cerca de 14% a partir do início do consumo. Isso ocorre pela vulnerabilidade que ocorre por conta própria da idade”, diz Maksud.

Fonte: Portal da Tropical _ Notícias

Continuar lendo SAÚDE: HOJE 18 DE FEVEREIRO É COMEMORADO O DIA NACIONAL DE COMBATE AO ALCOOLISMO

MÉDICOS EXPLICAM QUE A ÔMICRON AFETA AS CÉLULAS DAS VIAS AÉREAS SUPERIORES E TEM ALTA CAPACIDADE DE DISSEMINAÇÃO

Médicos explicam os motivos para o crescimento da variante Ômicron no Brasil

Cepa afeta mais as células das vias aéreas superiores e tem alta capacidade de disseminação

Karina Toledo

da Agência Fapesp

Brasil tem apresentado recordes sucessivos de casos diários de Covid-19Brasil tem apresentado recordes sucessivos de casos diários de Covid-19Foto: Myke Sena/MS

“Cepa de Deus”, “vírus vacinal” e “presente de Natal antecipado” foram alguns dos termos usados para descrever a variante Ômicron do SARS-CoV-2 no fim de 2021, quando ela foi identificada na África do Sul.

Estudos têm sugerido que essa linhagem do novo coronavírus é de fato menos agressiva que as anteriores, entre outros fatores, por ter uma capacidade menor de invadir o tecido pulmonar. Por outro lado, a maior afinidade com as células das vias aéreas superiores parece ter conferido à Ômicron um poder de disseminação que tem sido comparado ao do sarampo – um dos patógenos mais contagiosos já descritos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Ômicron contamina cem pessoas a cada três segundos no mundo.

No Brasil isso tem se refletido em recordes sucessivos de casos diários de Covid-19. Somente na sexta-feira (28), foram registradas 269.968 novas infecções. A média móvel de casos nos sete dias anteriores foi de 25.034.806.

Para especialistas ouvidos pela Agência Fapesp, o fato de o número de internações e mortes por Covid-19 não estar crescendo na mesma proporção deve-se mais à imunidade prévia da população – seja pela vacinação ou por infecções anteriores – do que às características intrínsecas do vírus.

“Nos indivíduos não vacinados a doença não é tão leve, podendo causar óbitos e lesões importantes. A questão é que esse vírus tem encontrado um hospedeiro diferente, que já não é virgem de exposição”, afirma o médico Paulo Saldiva, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Esta também é a opinião de Elnara Negri, pneumologista do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo. “É uma variante muito parecida com as anteriores. A questão é que no Brasil a gente tem a felicidade de ter uma população com uma boa cobertura vacinal. O único paciente que precisei intubar nesta onda, até o momento, não era imunizado. E ele desenvolveu uma pneumonia por SARS-CoV-2 com trombose de microcirculação clássica. Na grande maioria dos atendidos, a doença teve um curso bom e considero a vacina a grande responsável”, diz.

Em parceria com os colegas do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP, entre eles Saldiva, Negri foi uma das primeiras pessoas no mundo a levantar a hipótese de que distúrbios de coagulação sanguínea estariam na base dos sintomas mais graves da Covid-19 – entre eles insuficiência respiratória e fibrose pulmonar. Ela ressalta que mesmo entre pessoas vacinadas, principalmente em idosos e indivíduos com comorbidades, a Ômicron pode causar coagulopatia.

“Se ao redor do sexto dia de sintomas, em vez de melhorar, o paciente começar a ter febre, dor lombar e uma piora no cansaço ou mal-estar é hora de ir ao médico e colher exames para ver se há coagulopatia”, alerta.

O infectologista Esper Kallás, da Faculdade de Medicina da USP, destaca que nos locais em que a cobertura vacinal é mais baixa o número de hospitalizados por pela doença tem aumentado de forma significativa.

Um exemplo é o Distrito Federal, onde a taxa de ocupação dos leitos nas unidades de terapia intensiva (UTIs) atingiu novamente 100%. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde do DF, 90% dos internados por Covid-19 não se vacinaram ou estão com a imunização incompleta.

Em outros seis estados – Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte – a ocupação nas UTIs está acima de 80%. No caso das UTIs pediátricas a situação já é crítica em pelo menos três estados: Mato Grosso do Sul, Maranhão e Rio Grande do Norte.

A tendência também é de alta no número de mortes: foram 284 nesta segunda-feira (31), totalizando 627.138 óbitos desde o início da pandemia. A média móvel de mortes também aumentou em mais de 200% em relação a duas semanas atrás.

Voo às cegas

Os especialistas consultados pela reportagem afirmam que a escassez de testes para diagnóstico e o apagão de dados no Ministério da Saúde – causado por um ataque cibernético ocorrido no dia 10 de dezembro – têm dificultado avaliar com precisão como a onda da Ômicron está evoluindo no país.

“A gente está meio perdido em relação à taxa de letalidade, por exemplo, que é uma informação importantíssima e que pode ajudar a convencer as pessoas a se vacinar”, diz Saldiva.

Segundo o pesquisador, o problema também é reflexo do baixo investimento em vigilância epidemiológica nos estados. “No auge da pandemia, a falta de recursos humanos foi suprida aqui no estado de São Paulo pela comunidade acadêmica, que trabalhou de forma voluntária. Mas as equipes agora se desmobilizaram”, conta.

Na semana passada, segundo pesquisadores do Imperial College London, do Reino Unido, a taxa de transmissão do SARS-CoV-2 no Brasil chegou a 1,78 – o maior índice desde julho de 2020. Isso significa que cada cem pessoas infectadas estão transmitindo o vírus para outras 178. O grupo britânico não calculava o índice para o Brasil desde dezembro de 2021, devido ao apagão de dados no Ministério da Saúde.

Estimativas da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, apontam que o Brasil pode atingir o pico de 1,3 milhão de infectados por dia pela Covid-19 em meados de fevereiro. As projeções incluem não só casos positivos confirmados, mas também estimativas de quem se infectou e nem chegou a testar.

O que mudou

Na primeira onda da pandemia, em 2020, a perda de olfato e paladar era considerada um dos principais indícios de infecção pelo SARS-CoV-2. Negri conta que esse sintoma já não tem sido observado e, por outro lado, a dor de garganta passou a ser algo bem mais recorrente. “Febre e tosse ainda são comuns. Alguns pacientes também apresentam diarreia”, relata.

A pediatra Ana Escobar relata algo parecido entre as crianças, a maioria ainda não vacinada. “Começa em geral com uma dor de garganta, depois febre – que pode chegar a 39°C e durar dois ou três dias –, dor de cabeça e no corpo. Lá pelo quarto dia a criança já está bem. Às vezes, a tosse se mantém até o décimo dia”, conta.

Embora nessa população a apresentação da doença não tenha mudado de forma significativa, destaca a médica, a quantidade de crianças acometidas é proporcionalmente muito maior com a Ômicron. “Então é normal que aumentem também as internações, principalmente entre aquelas que têm alguma patologia de base, como doenças pulmonares crônicas, reumatológicas ou câncer”.

Werther Brunow de Carvalho, coordenador das UTIs pediátricas e neonatais do Instituto da Criança, vinculado ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, ressalta que a Ômicron – assim como as cepas anteriores – pode causar síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica, condição caracterizada por febre persistente e inflamação em diversos órgãos, como coração, intestino e pulmão.

“O percentual de crianças que desenvolve a síndrome é menor com a Ômicron, mas pode acontecer. E por isso não há dúvida de que devemos vacinar”, afirma Carvalho.

O médico conta que no Hospital Santa Catarina, onde também atua, o número de crianças atendidas com sintomas de infecção respiratória dobrou em janeiro em relação ao mês anterior. “Além do SARS-CoV-2, há casos de influenza, rinovírus, parainfluenza e vírus sincicial respiratório”, conta.

As gestantes e as puérperas seguem sendo uma das populações de maior risco para as formas graves da Covid-19, informa a obstetra Rossana Pulcineli, professora da USP e integrante do Observatório Obstétrico Brasileiro (OOBr). Dados divulgados pelo grupo no ano passado, antes da chegada da Ômicron, apontam que a chance de óbito de uma gestante não vacinada é 526% maior do que a de uma completamente imunizada.

“Entre as hospitalizadas sem vacina, 15% faleceram. O número cai para 9% entre as que receberam uma dose do imunizante e para 3% entre as com o esquema vacinal completo”, conta.

Segundo a médica, embora a Ômicron cause quadros mais leves, principalmente nas gestantes imunizadas, o número de internações por síndrome gripal voltou a crescer nessa população, passando de 147 em novembro para 1.643 em janeiro, segundo os dados mais recentes do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe).

Entre as hospitalizadas, 43,5% têm diagnóstico confirmado de Covid-19, 4,8% de gripe (influenza H3N2) e em 51,6% a causa não foi definida, o que reflete a baixa disponibilidade de testes para diagnóstico.

“Já é sabido que gestante responde mal à influenza e não houve monitoramento nenhum quando os casos começaram a aumentar. Ficamos semanas sem dados atualizados em um momento crítico como este”, diz Pulcineli, que também ressalta a importância de as gestantes tomarem a terceira dose da vacina.

No que se refere a tratamentos com eficácia comprovada, Kallás conta que já há dois aprovados para uso no país: o antiviral remdesivir e os anticorpos monoclonais. “Mas são medicamentos caros e não tem sido feito um esforço por parte do governo para torná-los acessíveis à população”, conta.

Confira orientações do Ministério da Saúde diante do diagnóstico de Covid-19

Fonte: CNN

Continuar lendo MÉDICOS EXPLICAM QUE A ÔMICRON AFETA AS CÉLULAS DAS VIAS AÉREAS SUPERIORES E TEM ALTA CAPACIDADE DE DISSEMINAÇÃO

DESEMBARGADOR ASSINA LIMINAR QUE IMPEDE PARALISAÇÃO DE MÉDICOS DA REDE DE SAÚDE DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

Prefeitura de SP obtém liminar que impede paralisação de médicos

Sindicato da categoria previa paralisação nesta quarta-feira (19)

Iuri Pitta

da CNN

 

Liminar assinada pelo desembargador Guilherme Gonçalves Strenger, vice-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, impede a paralisação de médicos da rede de saúde da Prefeitura de São Paulo nesta quarta-feira (19), conforme aprovado em assembleia do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp). A decisão é desta terça-feira (18).

Na semana passada, profissionais da atenção primária à saúde (APS) decidiram convocar a paralisação e um ato em frente à Prefeitura, no centro da capital paulista, na tarde desta quarta-feira. Eles reivindicam mais contratações nas unidades básicas de saúde (UBS), condições mínimas de trabalho e discussão sobre reforço dos quadros de profissionais.

Na segunda-feira (17), dirigentes do Simesp se reuniram com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), mas não houve acordo para suspensão da greve. O presidente do Simesp, Victor Dourado, disse em vídeo após a reunião que “as nossas demandas com relação não só a contratação, mas a novas estruturas de saúde para dar conta da demanda espontânea também não foram atendidas” e que “não foi apresentado nenhum plano de contingência ou de reposição dos profissionais afastados”.

A prefeitura, por sua vez, afirmou após o encontro que expos “as medidas adotadas pela secretaria para promover melhorias no atendimento à população nas unidades de saúde e nas condições de trabalho dos profissionais, entre elas o pagamento de horas extras”.

Sem acordo com os profissionais, a Prefeitura foi à Justiça pedir a liminar para determinar “que a integralidade dos médicos da atenção primária à saúde no Município de São Paulo não interrompa as suas funções e as prestem em sua total normalidade, garantindo a continuidade do serviço essencial de saúde pública, vedando-se qualquer paralisação, ainda que parcial, das atividades até o julgamento definitivo deste dissídio”.

Na decisão, o vice-presidente do TJ atendeu a Prefeitura e afirmou que, embora o Supremo Tribunal Federal (STF) considere os servidores públicos de saúde “titulares do direito de greve”, “ocorre, contudo, que entre os serviços públicos há alguns que a coesão social impõe sejam prestados plenamente, em sua totalidade”.

“Destarte, a prestação de serviços públicos essenciais, nos termos do artigo 10 da lei 7.783/89, não pode sofrer interrupção, sob pena de danos irreparáveis à população que deles necessita, especialmente ‘diante de uma PANDEMIA mundial, com aumento progressivo das contaminações em razão da variante ômicron e da propagação das síndromes gripais pelo H3N2’”, afirmou o desembargador.

“Vale dizer, não obstante a greve seja um direito social que encontra guarida constitucional, o cenário atualmente vivenciado é de extrema excepcionalidade, em que hospitais e leitos se encontram sobrecarregados, com altas taxas de ocupação e enormes filas de pacientes na espera de atendimento, em razão do recrudescimento da pandemia causada pela Covid-19 e do surto de síndromes gripais decorrentes do vírus da influenza.”

Para Strenger, “a greve dos médicos municipais se afiguraria abusiva, na medida em que a paralização nos serviços de saúde pública no Município de São Paulo, a esta altura, ainda que parcialmente, poderá causar dano irreparável ou de difícil reparação aos cidadãos, até mesmo levá-los ao óbito pela falta de atendimento”.

O desembargador também determinou uma audiência de conciliação para o dia 27 de janeiro, às 14h, por teleconferência, para se chegar a um acordo entre médicos e Prefeitura.

O que diz a prefeitura

Em nota, a prefeitura informou que a ação foi movida para “manter a assistência em saúde à população em um momento crucial de enfrentamento da pandemia de Covid-19”.

O texto diz ainda que na segunda (17), após reunião do secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, com representantes da categoria, “o prefeito Ricardo Nunes autorizou que o pagamento de 100% do banco de horas acumuladas até 31 de dezembro do ano passado seja efetuado ainda neste mês, com os salários de janeiro. Além disso, a partir de agora, todas as horas extras e plantões extras serão pagos dentro da folha de pagamento do respectivo mês, inclusive para os servidores”.

A nota segue dizendo que Aparecido informou no encontro que “todas as organizações parceiras já receberam autorização para contratação de 700 profissionais de saúde, incluindo médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem para atender ao aumento de demanda nas unidades de Atenção Básica”.

Entre outras medidas, a prefeitura informa que, como parte do Plano de Contingência Hospitalar, “foram reservados 1.110 leitos exclusivamente para o tratamento de pacientes com Covid-19”.

Continuar lendo DESEMBARGADOR ASSINA LIMINAR QUE IMPEDE PARALISAÇÃO DE MÉDICOS DA REDE DE SAÚDE DA PREFEITURA DE SÃO PAULO

BOAS NOTÍCIAS: UM TRANSPLANTE FANTÁSTICO E UMA CORAGEM MUITO MAIOR TRADUZIDO EM VIDA

Uma cirurgia de alto risco envolvendo o transplante do coração de um porco para um homem é o destaque desta quarta-feira, aqui na coluna BOAS NOTÍCIAS. Cirurgiões da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, fizeram um procedimento inédito no mundo. Eles transplantaram o coração de um porco geneticamente modificado em um homem que tem uma doença terminal e morreria sem o procedimento. Convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes dessa fantástica operação.

Médicos fazem 1º transplante com coração de porco para humano

Pela primeira vez, médicos conseguiram fazer um transplante de coração de porco para um humano vivo.

A esperança dos cientistas é que esse tipo de tecnologia venha a abrir portas para facilitar os transplantes entre animais e humanos no futuro, diminuindo a fila de pessoas que precisam de um novo órgão.

O paciente, David Bennett, tem uma doença terminal e morreria sem o procedimento, por isso ele decidiu arriscar. A cirurgia, feita na Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, durou oito horas.

O coração veio de um porco geneticamente modificado para não apresentar algumas substâncias que causam rejeição em humanos, além de outras características para encaixar perfeitamente no paciente. Os médicos comemoraram, mas com cautela.

“Está funcionando e parece normal. Estamos muito animados, mas não sabemos o que o amanha vai trazer. Isso nunca foi feito antes”, explica Bartley Griffith, diretor do programa de transplante da Universidade, em entrevista ao jornal The New York Times.

Em outubro de 2021, outro time de médicos americanos conseguiu fazer um transplante de fígado de porco para humano, mas o paciente estava com morte cerebral.

Procedimento de risco

O paciente David decidiu apostar no procedimento inédito por falta de opções.

“Eu quero viver. Sei que é um tiro no escuro, mas é minha última chance”, disse, antes do procedimento, aos profissionais envolvidos na cirurgia.

Ele já tinha esgotado todos os tratamentos possíveis e estava muito doente para se qualificar para um transplante tradicional.

Griffith, que é o responsável pelo estudo, conta que sugeriu o procedimento a David em dezembro, mas não sabia se o paciente estava entendendo como seria a cirurgia. “Foi quando ele perguntou se iria grunhir”, lembra o médico.

O filho de David também não acreditou que o pai estava falando sério quando contou sobre o coração de porco.

“Ele estava no hospital há mais de um mês, e eu sei que é normal que os pacientes entrem em delírio. Pensei que não havia chance de isso acontecer”, conta.

Durante a cirurgia, os médicos perceberam que o coração não cabia perfeitamente, e tiveram que fazer algumas modificações na hora para fazer o órgão funcionar corretamente.

David deve ser desligado da máquina na quinta-feira (13/1).

Segundo os médicos, o órgão está funcionando como esperado e, no momento, já faz a maior parte do trabalho. David está sendo monitorado para qualquer sinal de rejeição do órgão, e infecções.

Cautela

Apesar do sucesso, os médicos pedem cautela. É preciso acompanhar o desenvolvimento do paciente — David está acordado, mas ligado a uma máquina que ajuda o coração a bater corretamente, o que é normal para pessoas que passam por esse tipo de procedimento.

“É importante ter perspectiva e entender que demora muito tempo para amadurecer uma tecnologia como esta”, explica David Klassen, chefe médico da United Network for Organ Sharing, uma organização americana que promove os transplantes.

Com informações do Metrópoles

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: UM TRANSPLANTE FANTÁSTICO E UMA CORAGEM MUITO MAIOR TRADUZIDO EM VIDA

ESCALA DE MÉDICOS SEM OBSTETRAS DEIXA PACIENTES SEM ATENDIMENTOS NA MATERNIDADE DE PARNAMIRIM

Por Anna Alyne Cunha, Inter TV Cabugi

 

Maternidade Divino Amor não teve médicos obstetras no plantão diurno e noturno da sexta-feira (7) em Parnamirim — Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV CabugiMaternidade Divino Amor não teve médicos obstetras no plantão diurno e noturno da sexta-feira (7) em Parnamirim — Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV Cabugi

falta de médicos obstetras deixou pacientes sem atendimento na Maternidade Divino Amor, em Parnamirim, na região metropolitana de Natal, ao longo da sexta-feira (7).

Segundo funcionários, o plantão diurno e noturno não teve nenhum profissional na escala e até o início da noite pelo menos oito mulheres foram reguladas para outros hospitais. Ainda de acordo com os servidores, a escala de especialistas está desfalcada desde o início de dezembro.

A Prefeitura de Parnamirim reconheceu o problema e disse que a rede materno infantil do estado também está encontrando dificuldade de manter as escalas. O problema envolveria o contrato com uma cooperativa médica.

“Todas as questões com a cooperativa e os contratos estão sendo revistas. O município está vivenciando essa situação com preocupação, seriedade e responsabilidade”, informou a nota do município.

“As ações concretas para a resolução imediata, tais como, contratação de empresa especializada para o fechamento das escalas estão sendo tomadas e serão implementaras ainda nesse mês. Independente disso, estamos garantindo o acolhimento, além das diretrizes estabelecidas no protocolo de classificação de risco para qualquer paciente independente da presença do obstetra de plantão”, afirmou o município.

Na manhã deste sábado (8), a escala da maternidade estava completa, com três obstetras – dois do quadro efetivo e outro de uma nova cooperativa contratada pelo município. Porém o plantão noturno ainda não tinha previsão de médico obstetra.

Espera angustiante

A cabelereira Aniely Beatriz já chegou à 40ª semana de gestação. Na semana passada, ela procurou a Maternidade Divino Amor e recebeu orientação para realizar parto por meio de cirurgia cesariana neste sábado (8). Desde a sexta-feira (7) ela tenta atendimento no hospital de Parnamirim e não consegue.

O médico disse que eu viesse hoje, para fazer a cesárea, mas o outro médico já diz outra coisa. Já estou com 40 semanas. Fico angustiada. E se acontecer alguma coisa com nosso filho?
— Aniely Beatriz, paciente

O marido de Aniely, o barbeiro Erivan Silva Castilho, também está aflito com a situação. Na sexta (7), o casal chegou a ser encaminhado para a Maternidade Escola Januário Cicco, em Natal, mas a unidade devolveu a paciente para Parnamirim, por só cuidar de casos mais graves.

“Não tinha médico (na sexta, 7), mandaram a gente para a Januário Cicco, mas quando chegamos lá, também não aceitaram e mandaram a gente de volta. A gente fica preocupado, porque não pode passar da data de nascer e já está com mais de 9 meses. O médico disse que tinha que nascer hoje”, declarou.

Outra mulher grávida que esteve na maternidade Divino Amor nesta sexta-feira (7) e pediu para não ser identificada afirmou que está com 41 semanas e 1 dia de gestação. A indicação de cirurgia já foi dada, mas como não está com dores, não foi enquadrada como urgência.

A paciente foi encaminhada para Ceará-Mirim, mas resolveu voltar a tentar atendimento na unidade de Parnamirim por não ter condições de viajar para outra cidade.

Continuar lendo ESCALA DE MÉDICOS SEM OBSTETRAS DEIXA PACIENTES SEM ATENDIMENTOS NA MATERNIDADE DE PARNAMIRIM

ANÁLISE POLÍTICA: O MÉDICO E O VÍRUS, POR ALEXANDRE GARCIA

O artigo de Alexandre Garcia, publicado em 38 jornais nesta semana que passou, com o título “o médico e o vírus”, aborda a luta dos médicos nessa pandemia mundial para salvar vidas, feito cego em tiroteio, já que não se sabia de nada sobre o coronavírus até bem pouco tempo e só agora, depois de quase a metade da população mundial vacinada é que se sabe das primeiras verdades sobre o assunto, mas ainda com muitas dúvidas. Ainda assim, muitos profissionais foram e continuam sendo atacados em consequência de achismos, como sempre. Portanto, convido você a ler o vídeo completo a seguir, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Fonte:

Continuar lendo ANÁLISE POLÍTICA: O MÉDICO E O VÍRUS, POR ALEXANDRE GARCIA

BOAS NOTÍCIAS: O ANTINEOPLÁSICO BEXAROTENO É A NOVA VEDETE NA LUTA CONTRA O CÂNCER DE MAMA

O Bexaroteno é a nova vedete na luta contra o câncer de mama e destaque desta edição da coluna BOAS NOTÍCIAS. Bexaroteno é um medicamento antineoplásico para facilitar esse processo antes da quimioterapia que ainda é o tratamento padrão básico. Ele converte células cancerosas altamente agressivas para o formato menos agressivas. Leia o artigo completo a seguir e conheça todos os detalhes!

Médicos descobrem novo tratamento para câncer de mama agressivo

Uma equipe de médicos e cientistas do Centro Nacional do Câncer de Cingapura identificou um novo método para tratar o câncer de mama.

Ele será utilizado para o chamado triplo-negativo (CMTN), mais agressivo do que outros tipos de câncer de mama. A descoberta foi publicada na revista News Medical.

A equipe usou um medicamento antineoplásico chamado bexaroteno para facilitar esse processo antes da quimioterapia que ainda é o tratamento padrão básico.

Bexaroteno

Ser Yue Loo e seus colegas descobriram que as células cancerosas mudam entre diferentes estados celulares, incluindo mudar de menos agressivas (epiteliais) para mais agressivas (mesenquimais) e vice-versa.

Ao converter células cancerosas altamente agressivas para o formato menos agressivas, os tumores são “preparados” para responder melhor à quimioterapia, que funciona eliminando as células cancerosas.

Este processo biológico é denominado transição mesenquimal-epitelial, e a equipe usou um medicamento antineoplásico chamado bexaroteno para facilitar esse processo no trabalho pré-clínico do câncer de mama, antes da aplicação da quimioterapia.

Testes clínicos

A equipe já anunciou o início de um ensaio clínico humano, com previsão de duração de três anos, para investigar se esta abordagem funciona fora do ambiente de laboratório. O ensaio chama-se BEXMET, sigla em inglês para transição mesenquimal-epitelial induzida por bexaroteno.

O bexaroteno, vendido sob a marca Targretin, é um agente aprovado nos EUA e na Europa para o tratamento de linfoma cutâneo de células T.

“As descobertas laboratoriais publicadas em um jornal científico nem sempre se traduzem no ambiente clínico por várias razões. Para nosso estudo, existe uma versão de grau clínico do indutor de transição mesenquimal-epitelial (bexaroteno), o que facilitou significativamente a tradução direta para o cenário clínico. Esperamos que os resultados do BEXMET sejam o primeiro passo na introdução de um novo conceito no tratamento do câncer,” disse a Dra. Elaine Lim, coordenadora do estudo.

Com informações do Diário da Saúde

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: O ANTINEOPLÁSICO BEXAROTENO É A NOVA VEDETE NA LUTA CONTRA O CÂNCER DE MAMA

DETRAN-RN INICIOU MULTIRÃO PARA ATENDER BENEFICIADOS DO PROGRAMA CNH POPULAR

CNH Popular: Detran-RN faz mutirão de exames médicos e psicológicos

Atendimento para beneficiados com programa do governo acontece até sexta-feira 15

Redação
14/10/2021 | 15:02

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) iniciou nesta quinta-feira (14), um mutirão para atender os beneficiados do Programa CNH Popular, que tem a finalidade de conceder o documento de Habilitação a pessoas carentes. O mutirão é direcionado a realização dos exames médico e psicológico, e acontece até amanhã (15), das 8h às 14h, na sede administrativa do Detran, no bairro Cidade da Esperança, em Natal.

Nessa fase, os beneficiados com a CNH Popular passam por uma bateria de procedimentos que estão sendo organizados pela Coordenadoria Médica e Psicológica do Detran. O processo compreende o exame médico oftalmológico, o exame psicológico de aptidão, a captura das digitais e da imagem do cidadão, além da digitalização dos documentos pessoais.

Após essa etapa, todos os aprovados serão direcionados ao Centro de Formação de Condutores (CFC) para que sejam iniciadas as aulas teóricas de aprendizagem para a condução de veículo automotor, de acordo com a categoria da CNH almejada pelo usuário.

A coordenadora Médica e Psicológica do Detran, Ana Xavier, explicou que a Direção do Órgão montou uma estratégia de trazer as clinicas credenciadas no Programa para atender exclusivamente os beneficiados num mesmo local, de maneira a agilizar o andamento do processo. “Montamos uma estrutura para atender todos os classificados no Programa CNH Popular. Trouxemos duas clínicas médica e seis clínicas psicológicas que vão atuar nos dois dias de atendimento”, informou.

Todos os contemplados no Programa CNH Popular têm a isenção dos pagamentos de taxas e das despesas referentes aos exames médico, psicológico, e cursos teórico e prático de direção veicular ministrados pelos CFCs credenciados no Programa. Neste ano, o investimento realizado pelo Governo do RN é de R$ 600 mil.

O programa abrange a primeira habilitação e mudança de categoria, para quem já é habilitado, compreendendo 353 vagas, distribuídas da seguinte forma: 200 para Primeira Habilitação Categoria “A”, 111 para Primeira Habilitação Categoria “B”, 15 para Mudança de Categoria “C”, 15 vagas para Mudança de Categoria “D” e 12 para Mudança de Categoria “E”.

Fonte: Agora RN
Continuar lendo DETRAN-RN INICIOU MULTIRÃO PARA ATENDER BENEFICIADOS DO PROGRAMA CNH POPULAR

GOVERNO DO RN PAGA DÍVIDA À COOPERATIVA E MÉDICOS VOLTAM A FAZER CIRURGIAS ELETIVAS

Por G1 RN

 

Cirurgias eletivas serão retomadas no RN — Foto: Breno Esaki/Agência SaúdeCirurgias eletivas serão retomadas no RN — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Médicos cooperados suspenderam uma paralisação iniciada na última quinta-feira (1º) e decidiram retomar a realização de cirurgias de média e alta complexidade contratadas pelo governo do Rio Grande do Norte.

A decisão foi tomada após pagamento de parte dívidas do governo com as cooperativas, desde 2020, e a elaboração de um pagamento dos serviços já faturados em 2021. Os valores envolvidos não foram divulgados.

O comunicado sobre a suspensão da paralisação foi enviado pela Cooperativa Médica do Rio Grande do Norte (Coopmed) aos profissionais ainda nesta terça-feira (6).

Os médicos ligados à cooperativa atendem em unidades como o Hospital Walfredo Gurgel, o Hospital Memorial e a Liga Contra o Câncer, de acordo com a Coopmed.

Em nota, a Secretaria de Saúde Pública afirmou que pagou o débito com cooperativas de médicos e de anestesistas nesta terça-feira (6), para viabilizar o retorno das cirurgias eletivas.

“O pagamento cumpre o acordo feito em reunião na sexta-feira (2), com representantes das cooperativas. Na ocasião, foi acertado o pagamento dos anestesistas e outros profissionais para que as categorias continuem os serviços cirúrgicos no estado, evitando assim o prejuízo para a população”, afirmou a pasta.

Segundo a Cooperativa, foi pago valor referente a novembro de 2020 e o governo marcou data para o pagamento de dezembro de 2020.

Fonte: G1 RN
Continuar lendo GOVERNO DO RN PAGA DÍVIDA À COOPERATIVA E MÉDICOS VOLTAM A FAZER CIRURGIAS ELETIVAS

MÉDICOS DA COOPERATIVA MÉDICA VOLTARAM A ATENDER EM ESCALA COMPLETA NOS CENTROS DE ENFRENTAMENTO À COVID-19 DE NATAL

Médicos voltam a atender nos Centros Covid de Natal em escala completa

Os médicos da Cooperativa Médica (Coopmed) voltaram a atender nos Centros de Enfrentamento à Covid de Natal em escala completa nesta segunda-feira (7). A manutenção de três profissionais em cada Centro foi acertada em acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS).

O problema da falta de escala completa de médicos aconteceu principalmente entre os meses de abril e maio criando longas filas de espera e chegando até a ter registros de limites de atendimento por dia.

Continuar lendo MÉDICOS DA COOPERATIVA MÉDICA VOLTARAM A ATENDER EM ESCALA COMPLETA NOS CENTROS DE ENFRENTAMENTO À COVID-19 DE NATAL

COMPORTAMENTO DE SENADORES NA CPI CAUSA REPÚDIO NO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

Conselho Federal de medicina repudia comportamento de senadores na CPI

Da CNN, em São Paulo
 Atualizado 03 de junho de 2021 às 12:03Conselho Federal de Medicina – Wikipédia, a enciclopédia livre

O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou nota de repúdio ao tratamento dado aos médicos por alguns senadores durante os depoimentos na CPI da Pandemia.

De acordo com o documento, “o CFM, em nome dos mais 530 mil médicos brasileiros, vem publicamente manifestar sua indignação quanto às manifestações que revelam ausência de civilidade e respeito no trato de senadores com relação a depoentes e convidados médicos no âmbito da comissão parlamentar de inquérito”.

E continua: “Os médicos brasileiros têm se desdobrado na linha de frente contra a Covid-19. Graças a eles e às equipes de saúde, milhões de pessoas conseguiram recuperar a sua saúde e hoje estão em casa com suas famílias e amigos. Essa atuação tem ocorrido com dedicação e empenho e, muitas vezes, sem condições de trabalho.”

Segundo consta o documento, médicos que estão na linha de frente no combate à pandemia buscaram o conselho para manifestar sua insatisfação com a postura de membros da CPI nas oitivas em que profissionais da medicina participam como convidados ou testemunhas.

“É com eles que o CFM se solidariza nessas críticas. A classe lamenta que esses médicos chamados a depor estejam sendo submetidos a situações de constrangimento e humilhação. Ao comparecer na CPI da Pandemia, qualquer depoente ou testemunha tem garantido seus direitos constitucionais, não sendo admissíveis ataques a sua honra e dignidade por meio de afirmações vexatórias.”

Fonte: CNN

Continuar lendo COMPORTAMENTO DE SENADORES NA CPI CAUSA REPÚDIO NO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

LENTIDÃO NO PROCESSO DE IMUNIZAÇÃO ESTIMULA PRÁTICA CRIMINOSA DE VENDA ILEGAL DE VACINAS NA VEZUELA E MÉDICOS PEDEM INVESTIGAÇÃO SOBRE O CASO

Médicos da Venezuela alertam sobre venda ilegal de vacinas

Entidade que representa a categoria pediu que a Procuradoria Geral do país abra uma investigação sobre essa prática criminosa

pandemia venezuela

RAYNER PEÑA/EFE – ARQUIVO

A Academia Nacional de Medicina da Venezuela pediu nesta sexta-feira (28) que a Procuradoria Geral do país abra uma investigação sobre vendas ilegais de vacinas contra a covid-19 e comentou que a “lentidão” no processo de imunização estimula essa prática criminosa.

Em uma carta, a academia pediu ao procurador geral, Tarek Saab, “para determinar a veracidade das informações sobre o suposto mercado ilegal com a venda de vacinas contra a covid que estão sob a custódia do Estado venezuelano com o Ministério da Saúde como órgão competente”

O pedido foi feito, segundo o texto, com o objetivo de “identificar aqueles que poderiam promover esta práeção dos venezuelanos e que sejam tomadas as medidas necessárias para erradicar esta prática criminosa odiosa”.

Os médicos também destacaram os perigos que este mercado ilegal provoca e que podem ser traduzidos em dosagens que “não tenham cumprido a devida manutenção da cadeia de frio essencial para sua viabilidade como produto biológico ou que seu conteúdo não corresponda à formulação adequada” da vacina.

A academia também vê esta prática como uma consequência da lenta implementação do plano nacional de vacinação que, segundo ela, “não foi devidamente oficializado”.

A entidade cobrou o Ministério da Saúde a divulgar imediatamente o plano de vacinação a fim de identificar aspectos técnicos “inerentes” aos grupos prioritários a serem vacinados, os períodos de tempo para imunização, as quantidades disponíveis e outras questões.

De acordo com organizações nacionais e internacionais, a Venezuela está entre os países da América Latina menos imunizados contra a covid-19, uma situação que o governo do presidente Nicolás Maduro evita mencionar.

A quantidade de vacinas que chegaram ao país não é conhecida com precisão, pois os dados anunciados pelas autoridades são contraditórios, variando em até 500 mil unidades, dependendo de quem os divulga.

Fonte: R7
Continuar lendo LENTIDÃO NO PROCESSO DE IMUNIZAÇÃO ESTIMULA PRÁTICA CRIMINOSA DE VENDA ILEGAL DE VACINAS NA VEZUELA E MÉDICOS PEDEM INVESTIGAÇÃO SOBRE O CASO

MÉDICOS DE PARIS DESTACAM QUE EM BREVE SERÃO FORÇADOS A FAZER UMA TRIAGEM ENTRE OS PACIENTES “PARA SALVAR MAIOR NÚMERO DE VIDAS POSSÍVEIS”

Lockdown em Paris não funciona e médicos vão escolher pacientes

Em carta, médicos intensivistas alertam para o colapsto nos hospitais da capital francesa apesar de o governo impor restrições

Dezenas de pessoas se reúnem em frente ao Jardin du Luxembourg, em Paris, neste domingoDezenas de pessoas se reúnem em frente ao Jardin du Luxembourg, em Paris, neste domingo STEPHANE DE SAKUTIN / AFP – 28.03.2021

Um grupo de 41 médicos intensivistas da França publicaram uma carta neste domingo (28) no Journal du Dimanche, alertando para o colapsto nos hospitais de Paris por causa dos altos índices de infecção pelo novo coronavírus. Nem mesmo a estratégia de lockdown tem surtido efeito. Os médicos destacam que em breve serão forçados a fazer uma triagem entre os pacientes “para salvar o maior número de vidas possível”.

Desde o dia 19, o governo da França aplicou o fechamento do comércio não essencial e a proibição de deslocamentos entre diferentes regiões em 16 departamentos do país, incluindo Paris, que somam quase um terço da população nacional. As novas medidas buscam limitar a progressão do coronavírus Sars-CoV-2, causador da covid-19, principalmente no norte do país.
Em Paris, neste domingo, centenas de pessoas se aglomeraram, com e sem máscaras, para participar de uma manifestação contra o aquecimento global.

“A epidemia de covid-19 está de novo em constante progressão em todas as regiões”, destacam os médicos. “É muito cedo para a campanha de vacinação melhorar significativamente o curso da epidemia durante este período crítico. Lembramos, se necessário, que a vacinação continua sendo a arma essencial a médio e longo prazo. Todos os indicadores concordam que as medidas atuais são e serão insuficientes para reverter rapidamente a alarmante curva de contaminações.”

“Com o objetivo de informar e alertar legitimamente nossos concidadãos, nossos futuros pacientes e seus familiares, queremos explicar de forma transparente a situação que vamos ter que enfrentar e como vamos enfrentá-la. Nesta situação de medicina de desastre, onde haverá uma incompatibilidade flagrante entre as necessidades e os recursos disponíveis, seremos forçados a fazer a triagem de pacientes para salvar o maior número de vidas possível. Essa classificação afetará todos os pacientes, Covid e não Covid, em particular para o acesso de pacientes adultos a cuidados intensivos.”

“Nunca experimentamos tal situação, mesmo durante os piores ataques dos últimos anos. Antes de chegar a este período doloroso, mas iminente, faremos todo o possível para atrasar o prazo utilizando todos os recursos humanos e materiais disponíveis, realizando as evacuações médicas tanto quanto possível, mesmo que estas sejam reduzidas. da epidemia em todas as outras regiões. Usaremos todas as soluções inovadoras que possam limitar a progressão para formas graves e reduzir o tempo de internação em terapia intensiva. Essa triagem será feita com o objetivo permanente de garantir a disponibilidade de recursos de cuidados críticos de forma coletiva, equitativa e homogênea em todo o nosso território.”

“A triagem de pacientes já foi iniciada, uma vez que já nos foi imposta uma grande desprogramação médica e cirúrgica e sabemos muito bem que estas estão associadas à perda de oportunidade e ao não acesso aos cuidados de alguns pacientes. Essa desprogramação terá que se intensificar nos próximos dias, logo poupando apenas emergências vitais. Por vários dias, já fomos forçados a pesar cuidadosamente as indicações de certas técnicas excepcionais, como a assistência circulatória.”

Fonte: R7
Continuar lendo MÉDICOS DE PARIS DESTACAM QUE EM BREVE SERÃO FORÇADOS A FAZER UMA TRIAGEM ENTRE OS PACIENTES “PARA SALVAR MAIOR NÚMERO DE VIDAS POSSÍVEIS”

QUEIROGA SÓ PODERÁ ASSUMIR O MINISTÉRIO DA SAÚDE QUANDO DEIXAR O CARGO DE SÓCIO-ADMINISTRADOR EM EMPRESA DE SERVIÇOS MÉDICOS

Cargo em empresa retarda posse de Queiroga no Ministério da Saúde

A equipe de Jair Bolsonaro esqueceu-se de checar se Queiroga constava como administrador de alguma empresa na Receita Federal

Fernando Molica

Por Fernando Molica, CNN  

Atualizado 20 de março de 2021 às 15:26

O cardiologista Marcelo Queiroga, indicado para ser o novo ministro da SaúdeO cardiologista Marcelo Queiroga, indicado para ser o novo ministro da SaúdeFoto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Anunciado, no último dia 15, como futuro ministro da Saúde, o médico Marcelo Queiroga só poderá assumir o cargo quando deixar a função de sócio-administrador de uma empresa de serviços médicos em João Pessoa (PB), o Cardiocenter – Centro de Diagnóstico e Tratamento das Doenças Cardíacas.

A lei 8.112, de 1990, proíbe que servidores públicos da União participem “de gerência ou administração de sociedade privada”. Consultado, a advogado Bruno Barata, especialista em direito administrativo, explicou  que ministros de Estado podem ser sócios, mas não administradores de empresas privadas.

Disponível na página da Receita Federal e consultado no fim da manhã deste sábado (20), o CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) do Cardiocenter informa que Queiroga é, entre os 19 sócios da empresa, que funciona no Hospital Alberto Urquiza Wanderley, da Unimed, o único com a função de administrador.

O currículo do futuro ministro, disponível na plataforma LinkedIn, informa que ele é diretor do Cardiocenter e diretor técnico do Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Hospital Unimed João Pessoa.

Na manhã de sexta (19), a CNN enviou mensagem para o Whatsapp de Queiroga, perguntou se sua condição de sócio-administrador do Cardiocenter estaria atrasando sua posse no ministério e se ele deixaria o cargo na empresa privada. Até o início da tarde deste sábado (20), Queiroga não havia respondido aos questionamentos, também encaminhados à assessoria de imprensa da Sociedade Brasileira de Cardiologia, entidade que o médico preside.

A CNN também entrou em contato com o Ministério da Saúde e, através da assessoria de imprensa, a pasta informou, por telefone, que não responde por Queiroga uma vez que ele ainda não é ministro e que só responderia às perguntas depois da posse do futuro  ministro.

Fonte: CNN

Continuar lendo QUEIROGA SÓ PODERÁ ASSUMIR O MINISTÉRIO DA SAÚDE QUANDO DEIXAR O CARGO DE SÓCIO-ADMINISTRADOR EM EMPRESA DE SERVIÇOS MÉDICOS

METADE DOS MÉDICOS EM HOSPITAL DE BUENOS AIRES SE NEGAM A FAZER ABORTO ALEGANDO ‘OBJEÇÃO DE CONSCIÊNCIA’

Médicos usam ‘objeção de consciência’ para negar aborto na Argentina

Raphael Coraccini, colaboração para a CNN
04 de fevereiro de 2021 às 20:04
Protesto por legalização do aborto na ArgentinaMilitantes defendem a aprovação do aborto na Argentina. O verde é a cor-símbolo da campanha pela legislação no país.Foto: Reprodução/Twitter @florenciacanali

Metade dos médicos de um hospital público na região da Grande Buenos Aires estão se negando a realizar o aborto em mulheres que chegam ao local solicitando o procedimento, respaldadas na Lei da Interrupção Voluntária da Gravidez (IVE, na sigla em Espanhol). O aborto foi legalizado no país no dia 30 de dezembro, depois da aprovação no Senado.

Os profissionais se valem de um mecanismo previsto na lei: a objeção de consciência (art. 11), que garante ao médico o direito de se negar a interromper a gravidez, se assim decidir.

A lei só obriga o profissional a seguir com o procedimento no caso de a vida da mãe estar em risco. Também está proibido de negar atendimento pós-aborto.

A objeção de consciência é um conceito defendido em códigos de ética da medicina, que concede o direito a todo profissional de seguir princípios religiosos, morais ou éticos de sua consciência

No entanto, o mesmo art.11 da lei Lei da Interrupção Voluntária da Gravidez é categórico ao afirmar que “a objeção de consciência institucional e/ou ideológica é proibida”.

Embora Juan Ciruzzi, diretor do hospital Alberto Antranik Eurnekian, que fica no município de Ezeiza, tenha garantido que seus funcionários estão tecnicamente prontos para realizar o procedimento, a realização do aborto tem encontrado forte oposição ética na equipe médica.

“Entre os servidores da área de Ginecologia e Obstetrícia, que estão envolvidos nesses casos, há 50% que se declararam contra o procedimento”, afirmou o diretor ao jornal argentino Clarín.

O texto da Lei aponta que, caso a paciente não encontre atendimento no hospital, ela precisa ser encaminhada a outro centro de atendimento com urgência. “No entanto, se houver alguma complicação médica no processo de interrupção, como hemorragia ou infecção, os médicos são obrigados a cuidar”, destacou Ciruzzi ao jornal argentino.

Todas as meninas com mais de 16 anos e mentalmente capazes são consideradas aptas a abortar na Argentina desde a aprovação da Lei. Para adolescentes até 16, o procedimento precisa ter o consentimento dos pais.

Pela lei aprovada em dezembro. O papel do estado é oferecer a condições apropriadas para isso no prazo máximo de 10 dias. Um levantamento feito pelo International Journal of Obstetrics & Gynaecology apontou que, só na América Latina e no Caribe, 760 mil mulheres precisam passar por tratamento médico todos os anos por conta de complicações derivadas de abortos clandestinos.

Fonte: CNN Internacional

Continuar lendo METADE DOS MÉDICOS EM HOSPITAL DE BUENOS AIRES SE NEGAM A FAZER ABORTO ALEGANDO ‘OBJEÇÃO DE CONSCIÊNCIA’

PARA CONTRATAÇÃO DE MÉDICOS PARA AS UBSs, PARNAMIRIM LANÇA PROCESSO SELETIVO

Parnamirim lança Processo Seletivo para contratação de médicos para UBSs

Redação / Portal da Tropical

Atualizado em:

A Prefeitura de Parnamirim lançou neste sábado (28) o processo seletivo simplificado para contratação de 40 profissionais na função de Médico Clínico da Estratégia de Saúde da Família, e formação de cadastro de reserva. O processo se dá para o fortalecimento da atenção primária, em virtude da necessidade de profissionais para as Unidades Básicas de Saúde, visto que, mesmo convocando todos os médicos clínicos aprovados no Concurso Público de 2019, as vagas (ESF) ainda não foram todas preenchidas.

O processo de seleção será online, exceto a apresentação dos documentos originais e assinatura do contrato, em caso de aprovação e eventual convocação. A seleção busca profissionais com certificado de formação no curso de medicina e registro no conselho profissional. A carga horária é de 40h e a remuneração será de R$13.800,00, já incluído o adicional de insalubridade.

As inscrições serão feitas exclusivamente via internet, do dia 28 de novembro até as 23h59 de 30 de novembro de 2020. O candidato poderá se inscrever pelo link, ambiente virtual que dará acesso à página de envio da documentação comprobatória, que deve estar nítida e legível, e também do currículo profissional atualizado.

Documentação exigida

Documento de Identificação com foto, dentro da validade, quando exigido pela legislação;

Cadastro de Pessoa Física (CPF);

Programa de Integração Social (PIS) / Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP);

Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) – página dos dados cadastrais e foto;

Título de Eleitor;

Certidão de Quitação Eleitoral;

Comprovante de residência com Código de Endereçamento Postal no Brasil (CEP) emitido nos últimos 03 (três) meses anteriores a data da convocação;

Comprovante de Alistamento Militar, se do sexo masculino até 45 anos completos até a data da inscrição;

Comprovante de Situação Cadastral do CPF, obtida junto à Receita Federal;

Certidão negativa de antecedentes criminais, Federal e Estadual;

Comprovantes de todas as experiências profissionais em serviços de saúde;

Currículo Profissional Atualizado.

Fonte: Portal da Tropical_ Notícias

Continuar lendo PARA CONTRATAÇÃO DE MÉDICOS PARA AS UBSs, PARNAMIRIM LANÇA PROCESSO SELETIVO

RETORNO DOS MÉDICOS PERITOS DO INSS É SUSPENSO PELA JUSTIÇA FEDERAL EM TODO BRASIL

Justiça Federal suspende retorno dos peritos médicos do INSS em todo o Brasil

 JUDICIÁRIOSAÚDESOCIAL


Foto: Sérgio Lima/Poder360

A Justiça Federal da 1ª Região decidiu nesta quarta-feira (23) suspender o retorno dos peritos médicos ao trabalho presencial, em todo o Brasil. Na última sexta-feira (18), o governo convocou a volta dos profissionais de 150 agências vistoriadas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

O magistrado foi o responsável por julgar a ação movida pela ANMP (Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social). O grupo diz que as agências reabertas do INSS não cumpriram todas as medidas sanitárias para garantir a segurança dos profissionais em meio à pandemia de covid-19.

Além da suspensão do retorno, a decisão da Justiça também proíbe o corte de ponto dos períodos que não comparecem às agências. Determinou ainda que o governo faça novas vistorias para liberar a reabertura com segurança.

“Diante do risco de dano ao meio de trabalho e à saúde do trabalhador, cabe invocar o princípio da prevenção para suspender os atos administrativos que suprimiram ou relativizaram os itens básicos de proteção”, afirmou o juiz Márcio de França de Moreira.

A AGU (Advocacia Geral da União) pode recorrer da decisão. Atualmente, mais da metade dos 1,5 milhão de processos na fila do INSS aguardam perícia. O país tem cerca de 3.500 peritos, mas alguns seguirão trabalhando remotamente e outros atuam em agências ainda não autorizadas a reabrir.

Imbróglio

O governo publicou na sexta-feira (18) edital de convocação para que os servidores retomem os atendimentos de forma imediata nas 150 unidades vistoriadas.

Os servidores resistiram. A ANMP já havia informado que os médicos só voltarão ao trabalho depois que eles mesmo inspecionassem as agências.

O retorno das perícias médicas estava previsto para segunda-feira (14), quando o INSS deu início ao retorno gradual do atendimento presencial nas agências. Depois de 5 meses de portas fechadas por causa da pandemia, as agências reabriram com filas e atendimentos atrasados.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo RETORNO DOS MÉDICOS PERITOS DO INSS É SUSPENSO PELA JUSTIÇA FEDERAL EM TODO BRASIL

JUSTIÇA É ACIONADA POR SINDICATO DOS MÉDICOS DO RN PARA IMPEDIR TRANSFERÊNCIAS DE LEITOS DO HOSPITAL RUY PEREIRA

Por Quézia Oliveira, Inter TV Cabugi

 

Sindicato dos Médicos do RN entrou na Justiça para evitar transferências de leitos do Hospital Ruy Pereira — Foto: Quézia Oliveira/Inter TV CabugiSindicato dos Médicos do RN entrou na Justiça para evitar transferências de leitos do Hospital Ruy Pereira — Foto: Quézia Oliveira/Inter TV Cabugi

O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte (Sinmed-RN) e a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV-RN) acionaram a Justiça para interromper o processo de transferência de leitos e pacientes do Hospital Estadual Ruy Pereira para o Hospital da Polícia Militar, que vai receber a partir deste mês os casos cirúrgicos e de UTI – o Hospital João Machado receberá os casos clínicos.

Essa transferência acontece após decisão judicial, resultado de um acordo entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Ministério Público Estadual e Federal e Conselho Regional de Medicina.

Para o médico Gutenberg Gurgel, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia, uma das autoras da ação, os outros hospitais não têm a estrutura adequada para atender a demanda vascular e ortopédica no Estado. Com a saída dos leitos, os médicos temem pelo fechamento da unidade.

“A gente não pode pactuar com o fechamento de um hospital desse porte, que tem três salas de cirurgia disponíveis para cirurgia vascular e de repente você é encaminhado para um hospital com uma sala de cirurgia disponível para cirurgia vascular e ainda vai desmobilizar toda a equipe”, falou Gutenberg Gurgel.

O hospital foi inaugurado em 2010 e é referência em cirurgias vasculares e em tratamento para pessoas diabéticas. Desde o início do ano, 20 dos 80 leitos clínicos e de UTI já foram transferidos para outras unidades. De acordo com o secretário de saúde do estado, Cipriano Maia, o prédio onde funciona hoje o Hospital Ruy Pereira foi condenado pelo Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária.

“Em novembro e dezembro do ano passado nós recebemos uma notificação daVigilância Sanitária Municipal interditando o Ruy Pereira, porque ele não tinha mais condições de funcionamento. É um prédio construído nos anos 70 que não se adequa mais às exigências de funcionamento de um hospital ao que hoje e exigido pelas normas sanitárias da Anvisa”, falou o titular da pasta.

Em janeiro deste ano, durante uma visita, o Sindicato dos Médicos constatou carência de leitos no hospital, dificuldades no abastecimento de medicamentos e materiais, além de problemas estruturais do prédio. Eles alegam que por causa dessa falta de estrutura o hospital hoje não consegue realizar todos os procedimentos que teria condições.

“Esse hospital, se der condições, tem condições de tratar os pacientes. O que a gente vê é que nos últimos anos a unidade tem sofrido uma desmobilização progressivamente”, alegou o médico Gutenberg Gurgel, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular.

Pacientes se preocupam

Para quem depende desse serviço, a mudança gera receios, como é o caso Carlos da Silva, que é diabético e precisa de uma cirurgia no dedo do pé. O aposentado explicou que já passou por várias unidades hospitalares até chegar no Ruy Pereira, onde ele tem esperança de realizar logo o procedimento cirúrgico.

“Minha situação é crítica porque essa cirurgia era pra ter sido feita há um mês atrás. Todos os médicos que eu fui disseram: ‘É urgente!’. Fui para um canto e outro até chegar aqui. Vim ao médico para me encaminhar pra fazer a cirurgia. Acho que as autoridades tem que se manifestar e dar uma injeção de ânimo para essa saúde funcionar”, disse.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Angiologia, atualmente 120 pessoas aguardam por uma cirurgia vascular no estado. O secretário de saúde do estado afirmou que a transferência de leitos não vai prejudicar esse tipo de atendimento. O objetivo, segundo ele, é qualificar e ampliar o serviço no estado.

“Reorganizar o cuidado ao paciente para que ele seja atendido mais oportunamente e mais precocemente próximo a onde ele mora e antes de ter complicações. Temos também nesse processo de reorganização, a parceria com o Hospital Universitário Onofre Lopes, que faz a parte dos diagnósticos de arteriografias e arterioplastias, que é de tratamento e a gente quer qualificar isso pra aumentar essa oferta”, falou Cipriano.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo JUSTIÇA É ACIONADA POR SINDICATO DOS MÉDICOS DO RN PARA IMPEDIR TRANSFERÊNCIAS DE LEITOS DO HOSPITAL RUY PEREIRA

SEGUNDO IBGE, DO NORDESTE O RN TEM MAIOR PROPORÇÃO DE PESSOAS QUE CONSULTARAM MÉDICOS

Por G1 RN

 

75% dos potiguares se consultaram — Foto: Marcos Santos/USP Imagens75% dos potiguares se consultaram — Foto: Marcos Santos/USP Imagens

O Rio Grande do Norte é o estado do Nordeste com maior proporção de pessoas que fizeram algum tipo de consulta médica entre 2019 e 2020. Ao todo, 75,4% da população potiguar se consultou neste período. O dado é da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) e foi divulgado nesta sexta-feira (4) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar de ser o principal estado nordestino – e também ficar a frente de todos os estados do Norte – no quesito, o RN fica atrás da média nacional, que é de 76,2%.

O PNS 2019 apresenta dados sobre domicílios, acesso e utilização de serviços de saúde. A coleta dos dados ocorreu entre agosto de 2019 e fevereiro de 2020.

Outro dado apontado na pesquisa é que 82,3% da população potiguar procura sempre o mesmo médico ou serviço de saúde quando necessita de atendimento. Esse percentual é maior que as médias do Brasil (76,5%) e do Nordeste (76%). No ranking das federações, Alagoas (82,3%) e São Paulo (82,5%) tem proporções semelhantes – as mais altas do país.

Segundo o IBGE, “quanto maior o nível de instrução, menor é a parcela da população que costuma repetir o lugar ou profissional de quem recebe atendimento”. No RN, são 84,6% das pessoas sem instrução ou com ensino fundamental incompleto que procuram o mesmo médico ou serviço de saúde. Entre as pessoas com ensino superior completo, esse número é de 76,9%.

Plano médico ou odontológico

Segundo a pesquisa, 18,7% dos potiguares têm plano médico ou odontológico, número abaixo da média nacional, que é de 28,5%, e maior que a média do Nordeste (16,6%). Segundo o IBGE, “esse dado evidencia a elevada dependência dos norte-rio-grandenses da rede pública de saúde, tendo em vista que 81,3% não têm plano nem médico nem odontológico”.

Outro dado levantado é de que 16,4% dos potiguares têm plano de saúde médico (não inclui os planos exclusivamente odontológicos), o que representa a terceira maior proporção entre os estados do Nordeste. A média nacional é de 26%. Quanto aos planos odontológicos, 10,5% dos norte-rio-grandenses têm o serviço, menos que a média do Brasil (12,7%).

Cachorro e gatos vacinados

A Pesquisa Nacional de Saúde levantou ainda o dado de que dos 1.128.000 de domicílios potiguares, 39,3% deles têm cachorro e 20,6% têm gato. Desse total, 74,3% (ou 560 mil) lares possuem o animal vacinado contra a raiva – a maior proporção do Nordeste. Esse número também é maior que a média nacional, que corresponde a 72% dos domicílios.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo SEGUNDO IBGE, DO NORDESTE O RN TEM MAIOR PROPORÇÃO DE PESSOAS QUE CONSULTARAM MÉDICOS

EM MEIO À PANDEMIA MÉDICOS NO PERU CONVOCAM GREVE POR 48 HORAS

 

Médicos convocam greve de 48 horas no Peru em meio à pandemia

Entre as principais reivindicações estão a necessidade de equipamentos de proteção individual adequados. Paralização ocorrerá nos dias 26 e 27 de agosto

INTERNACIONAL

Da EFE

Esta homenagem foi feita aos médicos peruanos que morreram de covid-19

A Federação Médica do Peru convocou uma greve de 48 horas para os dias 26 e 27 de agosto, enquanto o país reporta um aumento no número de casos ativos de covid-19, mas garantiu que os pacientes serão atendidos normalmente.

Inicialmente, a greve havia sido convocada para os dias 15 e 16 de julho, mas acabou não sendo realizada porque a entidade começou a negociar com o ministro da Saúde anterior, Víctor Zamora.

Os médicos retomaram a convocatória após não verem avanços nas conversas com a nova minsitra, Pilar Mazzetti, que substituiu Zamora como parte da reformulação do governo peruano feita pelo presidente, Martín Vizcarra, em meados de julho.

“Estamos dispostos a falar, mas, se não tivermos propostas concretas, não podemos falar. Já suspendemos a greve de 15 e 16 de julho para conversar, mas acreditamos que fomos enganados por Vizcarra. Fomos chamados para o dia 16 e, no dia 15, o ministro da Saúde e o primeiro-ministro mudaram”, disse o presidente da Federação Médica do Peru, Godofredo Talavera.

Prioridade aos pacientes

O presidente do sindicato garantiu que nenhum paciente ficará sem atendimento por causa da greve porque apenas os médicos que estiverem de licença ou tiverem terminado as atividades sairão para protestar.

Entre as principais reivindicações estão a necessidade de equipamentos de proteção individual adequados para tratar casos de covid-19 e assegurar que os médicos autônomos contratados pelo Ministério da Saúde para lidar com a pandemia sejam pagos durante os três meses combinados, dinheiro que não chega devido à lentidão dos procedimentos administrativos.

Talavera também garantiu aos meios de comunicação locais que os médicos receberam apenas uma pequena parte do bônus especial que o governo anunciou para os profissionais que tratam de casos de covid-19.

Segundo ele, ainda são necessários 16 mil médicos no sistema de saúde pública peruano, além de mais medicamentos, camas e oxigênio. A principal reivindicação é aumentar o orçamento da saúde para 5% do produto interno bruto (PIB).

Na opinião de Talavera, o orçamento de 20 bilhões de sóis anunciado por Vizcarra para 2021 não vale para os médicos peruanos, pois mal representa 2,44% do PIB, 0,18% a mais do que o orçamento inicial para este ano.

Continuar lendo EM MEIO À PANDEMIA MÉDICOS NO PERU CONVOCAM GREVE POR 48 HORAS

VACINA APROVADA EM TEMPO RECORDE NA RÚSSIA CAUSA DESCONFIANÇA EM MÉDICOS

Médicos russos desconfiam de vacina aprovada no país

Pesquisa com mais de três mil profissionais mostrou que a maioria não se sente à vontade para receber a medicação aprovada em tempo recorde

SAÚDE

por Reuters

Médicos russos dizem que faltam dados sobre vacina

A maioria dos médicos russos não se sentiria à vontade para receber a nova vacina contra covid-19 da Rússia devido à falta de dados suficientes sobre ela e à sua aprovação acelerada, revelou nesta sexta-feira (14) uma pesquisa com mais de 3 mil profissionais médicos do país.

A Rússia disse que a primeira vacina do mundo contra o novo coronavírus será disponibilizada até o final do mês, e os médicos estão entre aqueles que devem ser inoculados voluntariamente.

A vacina, batizada de “Sputnik 5” em homenagem ao primeiro satélite do mundo, lançado pela antiga União Soviética em 1957, ainda não passou pelos testes em estagio avançado, e alguns cientistas dizem temer que Moscou esteja colocando o prestígio nacional acima da segurança.

Uma sondagem com 3.040 médicos e especialistas de saúde realizada pelo aplicativo “Doctor’s Handbook” e citada nesta sexta-feira pelo diário RBC mostrou que 52% não estão dispostos a ser vacinados e que 24,5% disseram que aceitariam receber a vacina.

Só um quinto dos entrevistados disse que recomendaria a vacina a pacientes, colegas ou amigos.

Seus receios são compartilhados por alguns russos que dizem ter medo demais de experimentar a vacina, enquanto outros concordam com o governo que o ceticismo expresso por especialistas estrangeiros é motivado pela inveja.

A aprovação da vacina russa vem antes dos chamados testes de estágio avançado, que normalmente envolveriam milhares de participantes. Tais testes costumam ser vistos como precursores essenciais para uma vacina obter aprovação regulatória.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse que a vacina desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Moscou é segura e que foi administrada a uma de suas filhas.

O ministro da Saúde, Mikhail Murashko, rejeitou os temores de segurança ventilados por alguns especialistas a respeito da aprovação rápida do remédio por parte de Moscou, considerando-os “infundados”.

Fonte: R7

Continuar lendo VACINA APROVADA EM TEMPO RECORDE NA RÚSSIA CAUSA DESCONFIANÇA EM MÉDICOS

SAÚDE: BOLSONARO SENTE FRAQUEZA E EXAMES ATESTAM INFECÇÃO NO PULMÃO

Bolsonaro tem infecção no pulmão, mas médicos não atestam relação com Covid

Presidente chegou a fazer piada dizendo que depois de 20 dias de quarenta em casa ‘pegou mofo no pulmão’.

Por UOL – Publicado em 31/07/2020 às 09:39

Após sentir fraqueza, Bolsonaro foi submetido a uma bateria de exames.

O presidente Jair Bolsonaro revelou na noite desta quinta-feira (30) que havia sentido uma fraqueza e estaria com uma infecção. Sem especificar que tipo de infecção tinha, ele chegou a fazer piada dizendo que depois de 20 dias de quarenta em casa “pegou mofo no pulmão”.

Na realidade, o presidente teve justamente uma infecção no pulmão. Segundo fontes ouvidas pela coluna, Bolsonaro foi ao Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, no dia anterior, como ele mesmo disse, após sentir uma “fraqueza”. Lá foi submetido a uma bateria de exames.

“Teve uma infecção leve no pulmão, mas nada que um antibiótico não possa curar”, afirmou uma fonte. O presidente segue acompanhado pela sua equipe médica e, de acordo com outro interlocutor, já estaria se sentindo bem melhor.

Justamente por isso o presidente decidiu manter a agenda desta sexta-feira na cidade de Bagé, no Rio Grande do Sul. “Amanhã, barra pesada, porque a temperatura lá em Bagé tá zero grau”, disse ontem Bolsonaro, que tossiu algumas vezes durante a live.

Não é de hoje que o temperamento do presidente deixa a equipe médica e também a de segurança de mãos atadas em relação às decisões do presidente. Assim que anunciou que havia testado negativo para coronavírus, Bolsonaro decidiu passear de última hora de moto por Brasília.

“Ele inventou de fazer a revisão da moto. Alertamos os riscos, mas ele que decide”, disse um auxiliar. Sobre a agenda em Bagé, auxiliares disseram não saber sobre alguma restrição médica imposta pela equipe do presidente.

Relação com a Covid

De acordo com interlocutores, os médicos não conseguem afirmar com precisão se a infecção pulmonar de Bolsonaro está diretamente relacionada ao coronavírus. O pulmão é um dos órgãos mais atingidos pelo vírus.

“É uma infecção pequena. Ainda não é possível dizer que foi causada pela Covid”, disse um general que acompanha o estado de saúde do presidente. “Pode ser outra causa”, completou.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo SAÚDE: BOLSONARO SENTE FRAQUEZA E EXAMES ATESTAM INFECÇÃO NO PULMÃO

MÉDICA TEM VÍDEO RETIRADO DO FACEBOOK E TWITTER EM QUE GRUPO DE MÉDICOS DEFENDEM O USO DA HIDROXICLOROQUINA

 

Stella Immanuel: DNA alienígena, bruxas e cloroquina, o que pensa médica elogiada por Trump após vídeo viral

Facebook e Twitter retiraram vídeo viral em que Stella Immanuel aparece, dizendo que viola suas políticas sobre desinformação — mas não antes de ser retuitado pelo presidente americano e um de seus filhos

INTERNACIONAL

por 

BBC NEWS BRASIL

Stella Immanuel também é pastora cristã e fundadora de uma igreja em HoustonStella Immanuel também é pastora cristã e fundadora de uma igreja em Houston

Stella Immanuel, médica no centro de um vídeo que viralizou nesta semana e depois foi retirado do Facebook e do Twitter, em que um grupo de médicos defende o uso de hidroxicloroquina como tratamento para covid-19, não é estranha às teorias da conspiração.

O Facebook e o Twitter retiraram o vídeo na terça-feira (28/7), uma live de cerca 45 minutos gravada nas escadarias em frente à Suprema Corte dos EUA em Washington, dizendo que viola suas políticas sobre desinformação — mas não antes de ser retuitado por Donald Trump e um de seus filhos.

O presidente dos Estados Unidos se defendeu, dizendo que considerou Immanuel, que nasceu nos Camarões e vive na cidade texana de Houston, “muito impressionante”.

“Ela disse que teve um tremendo sucesso com centenas de pacientes diferentes, pensei que sua voz era uma voz importante, mas não sei nada sobre ela”, disse ele na terça-feira (28).

No vídeo, juntamente com outros médicos de um grupo chamado America’s Frontline Doctors (Médicos da Linha da Frente dos Estados Unidos, em tradução livre), Immanuel, que também é pastora cristã, disse que os americanos estavam negando uma cura potencial para a covid-19.

O vídeo foi publicado pela primeira vez pelo site de direita Breitbart, na segunda-feira (27), onde teve milhões de visualizações e centenas de milhares de compartilhamentos.

“Ninguém precisa ficar doente. Este vírus tem uma cura — é chamada hidroxicloroquina, tratei mais de 350 pacientes e não tive uma morte”, disse Immanuel.

Apesar de alguns estudos iniciais terem aumentado esperanças de que o medicamento pudesse ser usado para curar o coronavírus, um estudo subsequente em larga escala mostrou que não é eficaz como tratamento.

O que sabemos sobre a hidroxicloroquina?

A Organização Mundial de Saúde (OMS) interrompeu seus testes, dizendo que não reduz as taxas de mortalidade em pacientes com coronavírus.

No mês passado, a Food and Drugs Administration (FDA), a agência de vigilância sanitária americana, alertou contra o uso da droga no tratamento de infectados, após relatos de “graves problemas de ritmo cardíaco” e outros problemas de saúde.

E Anthony Fauci, um dos principais membros da força-tarefa contra a covid-19 na Casa Branca, reiterou essas opiniões.

“Sabemos que todo bom estudo — e por bom estudo, quero dizer estudo aleatório de controle no qual os dados são firmes e confiáveis — mostrou que a hidroxicloroquina não é eficaz no tratamento para a covid-19”, disse ele à BBC na quarta-feira (29 de julho).

Mas Immanuel reiterou que hidroxicloroquina não é prejudicial porque é amplamente utilizada em seu país natal, Camarões, onde a malária é endêmica.

Bruxas e demônios

Nascida em 1965, Immanuel se formou em medicina pela Universidade de Calabar, na vizinha Nigéria — e possui uma licença médica válida, de acordo com o site do Texas Medical Board, a associação médica desse Estado americano.

Ela também é pastora e fundadora do Fire Power Ministries em Houston, uma plataforma que usou para promover conspirações ligadas à medicina.

Seus sermões estão disponíveis em uma conta do YouTube criada em 2009.

Há cinco anos, ela alegou que DNA alienígena estava sendo usado em tratamentos médicos e que os cientistas estavam preparando uma vacina para impedir que as pessoas fossem religiosas.

Algumas de suas outras alegações incluem culpar bruxas e demônios pelo surgimento de doenças — uma crença bastante comum entre alguns cristãos evangélicos — embora ela diga que eles fazem sexo com pessoas em um mundo de sonhos.

“Eles se transformam em uma mulher e depois dormem com o homem e coletam seu espermatozoide … depois se transformam em homem e dormem com um homem, depositam o esperma e se reproduzem mais”, disse ela durante um sermão em 2013.

Immanuel também é ferozmente contra o casamento gay, que, segundo ela, pode resultar em adultos se casando com crianças, de acordo com o site Daily Beast.

Ela também oferece uma oração para remover uma maldição geracional, originalmente recebida de um ancestral, mas transmitida através da placenta, diz o perfil dela no site de notícias.

‘Jesus vai fechar o Facebook’

Em seu último vídeo postado no Twitter na última terça-feira (28), ela pede a pacientes que ela teria curado de covid-19 para virem a público.

“Se você não se manifestar, estamos sendo prejudicados”, diz ela, incentivando-os a usar uma hashtag ao publicar suas mensagens em vídeo.

Seu tuíte já foi compartilhado mais de 27 mil vezes.

Depois que o Facebook tirou o vídeo dos America’s Frontline Doctors na terça-feira, ela declarou que Jesus Cristo destruiria os servidores da gigante das mídias sociais se seus vídeos não fossem restaurados na plataforma.

Quem são os America’s Frontline Doctors?

É um coletivo de médicos críticos do consenso científico em torno da pandemia de covid-19. O evento na segunda-feira foi apoiado pelo Tea Party Patriots, uma organização conservadora que busca reeleger o presidente Trump.

Os médicos acreditam que nem máscaras nem confinamentos são necessários para combater a disseminação do coronavírus.

A fundadora do grupo, Simone Gold, organizou uma carta a Trump pedindo o fim das medidas de confinamento em maio.

Membros do grupo foram incentivados a buscar entrevistas com influenciadores de mídia social, pois essa foi determinada como a melhor maneira de atingir o maior número de americanos.

Ralph Norman, congressista republicano da Câmara dos Representantes (o equivalente à Câmara dos Deputados no Brasil), estava ao lado dos médicos quando eles fizeram sua entrevista coletiva.

O debate tem dividido cada vez mais os americanos. Defensores da hidroxicloroquina contam com o apoio de Trump, enquanto acusam os críticos de encobrir a possível eficácia da droga.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro já defendeu repetidas vezes o uso do medicamento no combate ao coronavírus.

Fonte: R7

Continuar lendo MÉDICA TEM VÍDEO RETIRADO DO FACEBOOK E TWITTER EM QUE GRUPO DE MÉDICOS DEFENDEM O USO DA HIDROXICLOROQUINA

OPINIÃO: MÉDICOS SÃO OS PROFISSIONAIS COM MAIS CREDIBILIDADE DENTRE OS BRASILEIROS

Médicos são os profissionais em quem os brasileiros mais depositam credibilidade

Segundo pesquisa Datafolha, 35% dos entrevistados aprovam e depositam maior grau de confiança e credibilidade nestes profissionais.

Por Redação – Publicado em 22/07/2020 às 09:46

Médicos são os profissionais em que os brasileiros depositam maior credibilidade, aponta pesquisa

“Qual o profissional em quem você mais confia e acredita?” Com essa pergunta em mãos, o Instituto Datafolha foi às ruas para saber o grau de confiabilidade da população brasileira em diferentes categorias de trabalhadores. O resultado confirmou os médicos, com 35% de aprovação, como aqueles que são depositários de maior grau de confiança e credibilidade por parte da população. Na segunda posição, aparecem os professores, com 21%, e os bombeiros, com 11%.

O mesmo levantamento indica que a situação provocada pela Covid-19, em que informações desencontradas têm deixado a população insegura, contribuiu para o aumento do percentual de confiabilidade dos médicos. Na pesquisa anterior, realizada em 2018, também pelo Datafolha a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM), os médicos tinham um índice de 24%, que agora cresceu nove pontos percentuais.

Atrás de médicos, professores e bombeiros, aparecem policiais (5%), militares e juízes (cada categoria com 4%) e advogados, jornalistas e engenheiros (3%, cada). Na sequência, surgem os procuradores de Justiça (com 1%) e os políticos (com 0,5%). A pesquisa ouviu 1.511 pessoas, com 16 anos ou mais, em entrevistas estruturadas por telefone, de todas as regiões do país. A amostra contemplou a distribuição da população segundo sexo, classes sociais e níveis de escolaridade.

Boa imagem

O alto nível de confiança e credibilidade depositado nos médicos de deve, principalmente, à percepção das mulheres (42%), da população com ensino fundamental (42%) e com idade a partir de 45 anos (37%). A boa imagem da categoria também é maior entre os que ganham até dois salários mínimos (41%) ou mais de 10 salários mínimos (33%). Do ponto de vista da distribuição geográfica, os percentuais são muito próximos, com ligeiro destaque para os estados do Nordeste (37%) e Sul (38%).

Os dados coletados pelo Datafolha ainda permitiram captar qual a percepção dos brasileiros com respeito à atuação dos médicos brasileiros no enfrentamento da pandemia de Covid-19. Na opinião de 77%, o trabalho desses profissionais é considerado ótimo ou bom. Outros 17% consideram essa performance como regular e apenas 6% como ruim ou péssimo.

As mulheres (78%), a população com idades de 45 a 59 anos (82%), os com nível superior (81%) e com rendimento maior do que dez salários mínimos (78%) são os segmentos que se destacam no que se refere à imagem positiva dos médicos. Geograficamente, o bom conceito não apresenta grandes variações por região, ficando, em média, em 76%.

Pandemia

Essa avaliação do trabalho dos médicos durante a pandemia vem amparada em percepções específicas. Por exemplo, 79% dos brasileiros avaliam como ótimo ou bom o empenho dos profissionais para atender os pacientes e 73% classificam da mesma forma a qualidade da assistência oferecida. Para 64%, o nível de confiança depositada no trabalho realizado durante a pandemia é alto.

Por outro lado, 49% dos brasileiros acreditam que o trabalho do médico não tem recebido a valorização merecida, considerando-a como regular, ruim ou péssimo. Já 65% avaliam com esses mesmos conceitos as condições de trabalho oferecidas aos médicos, ou seja, entendem que o trabalho desses profissionais tem sido prejudicado por falta de infraestrutura.

De forma geral, independentemente do período da pandemia, os brasileiros mantêm o entendimento de que os médicos são vítimas de problemas de gestão. Para 99% dos entrevistados, esses profissionais carecem de condições adequadas para o pleno exercício de suas atividades. Já na percepção de 95%, eles merecem ser alvos de medidas de valorização, como maior remuneração e plano de carreira.

Continuar lendo OPINIÃO: MÉDICOS SÃO OS PROFISSIONAIS COM MAIS CREDIBILIDADE DENTRE OS BRASILEIROS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar