O GENERAL JOAQUIM SILVA E LUNA É O INDICADO DE BOLSONARO PARA PRESIDÊNCIA DA PETROBRÁS

Bolsonaro indica general Joaquim Silva e Luna para presidência da Petrobras

André Jankavski, do CNN Brasil Business, em São Paulo

Atualizado 19 de fevereiro de 2021 às 21:49

Resultado de imagem para Bolsonaro indica general Joaquim Silva e Luna para presidência da Petrobras

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo indicou o general Joaquim Silva e Luna para substituir o cargo do atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco. Ele também vai atuar no conselho de administração da estatal. A decisão foi comunicada por meio de suas redes sociais.

Para assumir o cargo de CEO, Luna precisará ter a aprovação do conselho de administração da companhia. Caso a indicação não seja aceita, o presidente da república pode destituir o conselho e montar outro.

Joaquim Luna é general da reserva do Exército e ocupava a presidência da usina de Itaipu. Antes, ocupou o cargo de ministro da Defesa no governo do ex-presidente Michel Temer. Ele foi o primeiro militar a sentar na cadeira do Ministério, criado em 1999.

Castello Branco está no comando da Petrobras desde o início do governo de Jair Bolsonaro e foi indicado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Na nota, assinada pela assessoria de comunicação social do Governo Federal, Bolsonaro afirmou que Luna assumirá o cargo após o “encerramento do ciclo, superior a dois anos, do atual presidente”.

O mandato de Castello Branco se encerra em março. O conselho de administração deve se reunir na terça-feira para discutir a troca.

A Petrobras, por meio de fato relevante, afirmou que recebeu o ofício para a substituição do governo, mas não foi além.

“A Petrobras esclarece que o presidente Roberto Castello Branco e demais Diretores Executivos da
empresa tem mandato vigente até o dia 20 de março de 2021. A Petrobras informa que novos fatos relevantes serão oportunamente divulgados ao mercado”, diz a nota.

O anúncio acontece após Bolsonaro demonstrar descontentamento com a atual política de reajustes da estatal. Em sua tradicional live de quinta-feira, Bolsonaro já deu sinais de que estava preparando mudanças. Nesta sexta-feira (19), em Pernambuco, foi ainda mais incisivo.

“Anuncio que teremos mudanças, sim, na Petrobras. Jamais vamos interferir nessa grande empresa, na sua política de preço, mas o povo não pode ser surpreendido com certos reajustes”, disse Bolsonaro. “Faça-os, mas com previsibilidade. É isso que nós queremos.”

As falas do presidente repercutiram no mercado nesta sexta-feira (19). As ações da Petrobras lideraram as quedas no Ibovespa: as preferenciais caíram 7,92%, enquanto as ordinárias, que dão direito a voto, recuaram 6,63%.

Mercado surpreso

Para o economista-chefe da corretora Necton, André Perfeito, caso a mudança seja feita dessa maneira abrupta, Bolsonaro “deu um perigoso passo fora da agenda que o sustenta no poder abrindo espaço para especulações sobre suas convicções liberais de fato.”

Para Henrique Esteter, analista da corretora Guide, foi “uma inteferência maior do que se esperava”. Antes, se imaginava uma mudança na política de preços, já que o presidente vinha se posicionando contra as altas.

Por isso, Esteter acredita que a mudança pode tornar a Petrobras mais uma vez um braço do governo no controle de preços dos combustíveis, tirando o foco da lucratividade e crescimento.

“A empresa vinha caminhando muito bem nos últimos meses e Castello Branco estava fazendo um trabalho fantástico”, diz ele.

Para Rafael Panonko, analista-chefe da Toro Investimentos, o discurso do presidente foi contraditório ao da atitude. Segundo Panonko, a interferência política na gestão vai fazer com que as ações despenquem ainda mais na próxima segunda-feira.

Continuar lendo O GENERAL JOAQUIM SILVA E LUNA É O INDICADO DE BOLSONARO PARA PRESIDÊNCIA DA PETROBRÁS

AÇÃO CONTRA FORO DE FLÁVIO BOLSONARO SERÁ RELATADA PELO MINISTRO KASSIO NUNES, INDICADO PELO PRESIDENTE

Indicado por Bolsonaro, Nunes Marques vai relatar ação contra foro de Flávio

Ricardo Brito, da Reuters
06 de novembro de 2020 às 21:54
O ministro Kassio Nunes MarquesO ministro Kassio Nunes Marques
Foto: Fellipe Sampaio – 05.nov.2020 / SCO – STF

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o Supremo Tribunal Federal (STF), o recém-empossado ministro Nunes Marques vai relatar uma ação que contesta o foro especial concedido pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro ao filho mais velho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), na investigação referente ao caso da chamada “rachadinha” na Assembleia Legislativa fluminense.

A ação foi movida pelo partido Rede Sustentabilidade no final de junho para que o caso envolvendo Flávio Bolsonaro tramite na primeira instância da Justiça estadual.

O processo era relatado pelo ministro Celso de Mello, decano do STF que se aposentou no mês passado. Nunes Marques tornou-se relator dele porque o regimento interno do Supremo prevê que o novo ministro herda o acervo de quem se aposentou. Ele tomou posse nesta quinta-feira.

Nunes Marques contou com o apoio do próprio Flávio Bolsonaro para chegar ao Supremo, segundo uma fonte ligada ao senador. Eles conversaram antes da sabatina do magistrado no Senado e foi tido como bem avaliado para ser aprovado na ocasião.

No início de julho, o então relator Celso de Mello decidiu abreviar o rito de tramitação do processo. Ele pediu para ouvir envolvidos no caso e, após a instrução, remetê-lo diretamente para o plenário do Supremo para julgamento. Ainda não há previsão de isso ocorrer.

Recentemente, foi revelado que o senador foi denunciado pelo Ministério Público do Rio pelos crimes de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro.

Continuar lendo AÇÃO CONTRA FORO DE FLÁVIO BOLSONARO SERÁ RELATADA PELO MINISTRO KASSIO NUNES, INDICADO PELO PRESIDENTE

JÁ TEM DATA DEFINIDA A SABATINA DE KASSIO NUNES NO SENADO

Sabatina de Kassio Nunes Marques no Senado já tem data definida

Publicado  

em 06.10.2020

Por Marcos Rocha

 

O desembargador Kassio Nunes Marques, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para suceder o ministro Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF), será sabatinado pelo Senado Federal no dia 21 de outubro.

A informação foi confirmada pela assessoria da presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), nesta terça-feira (6).

Para ser nomeado ministro do STF, os senadores deverão aprová-lo por maioria absoluta, ou seja, o número imediatamente superior à metade de parlamentares. No caso, 41 de 81 senadores.

Se aprovado, Kassio Nunes Marques poderá ocupar uma cadeira na Suprema Corte pelos próximos 27 anos, até 2047 – levando em conta a regra atual de aposentadoria compulsória.

Fonte: Conexão Política

Continuar lendo JÁ TEM DATA DEFINIDA A SABATINA DE KASSIO NUNES NO SENADO

APÓS PROMOVER ACORDO ENTRE ISRAEL E EMIRADOS ÁRABES UNIDOS, TRUMP É INDICADO PARA O PRÊMIO NOBEL DA PAZ

Presidente dos EUA, Donald Trump é indicado para o Prêmio Nobel da Paz

Nomeação veio de um parlamentar norueguês, que creditou o presidente dos EUA na resolução de conflitos e pelo acordo entre Israel e Emirados Árabes

INTERNACIONAL

Do R7

Presidente americano é um dos concorrentes ao prêmio

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi indicado, nesta quarta-feira (9), para receber o Prêmio Nobel da Paz.

A nomeação veio do membro do Parlamento da Noruega, Christian Tybring-Gjedde, que destacou os esforços de Trump em tentar resolver conflitos pelo mundo, especialmente depois do acordo entre Israel e os Emirados Árabes Unidos.

“Eu acredito que ele fez mais para criar paz entre as nações que os outros nomeados para o Prêmio da Paz”, disse o parlamentar em entrevista a emissora norte-americana Fox News.

Tybring-Gjedde disse que o acordo assinado entre os dois países árabes depois do envolvimento dos Estados Unidos “pode ser um fator de mudança que vai transformar o Oriente Médio em uma região de cooperação e prosperidade”.

Além disso, segundo o norueguês, Trump também teve um papel vital na mudança de dinâmica entre países rivais, como a Índia e o Paquistão por conta da Caxemira, nos diálogos e negociações entre a Coreia do Sul e do Norte e na tentativa de desnuclearização da Coreia do Norte.

Essa não é a primeira vez que o norueguês indica Trump para o prêmio. Em 2018, ele e outro parlamentar do país indicaram o presidente dos EUA, que não ganhou o Nobel.

Mesmo com as indicações, Tybring-Gjedde diz que “não é um grande fã de Trump”, e ressaltou que o comitê de avaliação do Nobel devia “olhar os fatos e julgá-lo pelos fatos, não pela forma que ele se comporta às vezes”.

Em 2009, o então presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, recebeu o Nobel da Paz pelos “esforços extraordinários para reforçar a diplomacia internacional e cooperação entre as pessoas”. Para Tybring-Gjedde, o ex-presidente “não fez nada”.

Pelo Twitter, rede de comunicação oficial do presidente, Trump agradeceu a indicação.

Fonte: R7

Continuar lendo APÓS PROMOVER ACORDO ENTRE ISRAEL E EMIRADOS ÁRABES UNIDOS, TRUMP É INDICADO PARA O PRÊMIO NOBEL DA PAZ

NOVA INVESTIDA DO STF PARA IMPEDIR MINISTRO INDICADO POR BOLSONARO ATUAR NA LAVA JATO

STF aciona plano “B” para impedir que ministro indicado por Bolsonaro atue nos casos da Lava Jato

Com a inevitável aposentadoria do ministro Celso de Mello, que tem como data limite o dia 1º de novembro, quando o decano completa 75 anos, um plano “B” parece ter sido acionado com o objetivo de garantir a maioria dos votos contra a Lava Jato, na 2ª turma do STF.

A estratégia é simples.

A ideia é impedir que o indicado por Jair Bolsonaro ocupe o lugar de Celso de Mello.

O novo ministro seria deslocado para a 1ª turma.

Dias Toffoli, que deixa a presidência, completaria a 2ª turma, garantindo o placar de 3 a 2 a favor de todos os condenados pela Lava Jato.

Eles são incansáveis…

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo NOVA INVESTIDA DO STF PARA IMPEDIR MINISTRO INDICADO POR BOLSONARO ATUAR NA LAVA JATO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar