Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

REFLEXÃO: PARA REFLETIR COMO FUNCIONA A MANIPULAÇÃO DE MASSA

A nossa coluna REFLEXÃO desta sexta-feira está um pouco diferente, pois não nos chama a refletir sobre espiritualidade pura, mas sobre algo que tão importante quanto, pois aborda a psicologia das massas, para nos fazer entender como funciona a ideologização política sob a qual as massas mundo afora está se submetendo, tal qual uma rã quando colocada em uma panela em banho maria e vai cozinhando lentamente até entrar em inanição e morrer sem saber que morreu. O texto a seguir: IMINIZAÇÃO COGNITIVA vai te fazer compreender o porquê de ladrões como Lula estarem livres e correndo um sério risco de se eleger presidente da república depois de tudo que passamos nesse país por causa dele.

Ataque Aberto: A IMUNIZAÇÃO COGNITIVA

IMUNIZAÇÃO COGNITIVA

Porque ladrões ainda ganham seu voto!!

Como trabalho com Neurociência aplicada a negócios, e ministro cursos de psicologia e neurociência aplicada ao comportamento, trabalhamos em algumas formações temas como “Lavagem cerebral” e “Manipulação de massa”, de tal forma que fui levado ao termo “Imunização Cognitiva”…

Através deste viés conseguimos compreender como funciona a crença e a fidelização de pessoas inteligentes em defender políticos evidentemente corruptos e ladrões, e, ainda que em seu intimo, busquem a mudança real para o país e o bem comum, continuam buscando seus ídolos antigos como salvadores, desconstruindo e desconsiderando contextos, provas, evidências, imagens, depoimentos e tudo que tange o real perfil de seu ícone/líder supremo…

Muito usado em ambientes que envolvem a fé como premissa de construção de crença, a imunização cognitiva é um escudo que permite que as pessoas se agarrem a valores e credos, mesmo que fatos objetivos demonstrem que eles não correspondem à verdade. A pessoa cognitivamente imunizada transita no terreno da fé da ideologia e do sonho futuro, que dispensa o raciocínio lógico. Para ela, argumentos lógicos não têm relevância, sendo os argumentos, minimizados, desacreditados ou menos relevantes, sendo o fim, justicando os meios.

E então assistimos gente estudada, inteligente, articulada, evidentemente sem intenção de tirar nenhuma vantagem ou proveito material de tal situação, defendendo em público o indefensável.

Como é que essas pessoas chegam a esse ponto?

Bem, existem ao menos cinco fases no processo de imunização cognitiva.

Primeira fase: Isolamento de quem tem opiniões contrárias, protegendo suas ideias. A pessoa vai eliminando de seu convívio ou mesmo de sua atenção, quem pensa diferente.

Segunda fase: Redução da exposição às ideias contrárias. Passa a ler e ouvir apenas as opiniões em linha com seus credos. Nos estados totalitários, é quando a liberdade de expressão passa a ser ameaçada, quando a imprensa perde a liberdade, quando vozes dissidentes são caladas. É quando os processos educacionais adotam opiniões selecionadas, com autores e textos cuidadosamente escolhidos para seguir apenas uma visão de mundo.

Terceira fase: Conexão dos credos à emoções poderosas. Se você não seguir aquelas ideias, algo de ruim pode acontecer. Lembra do “Se você pecar, vai para o inferno?”, ou, “Se você não votar naquele candidato, sua vida, suas economias, seus benefícios estarão em perigo”…

Quarta fase: Associação a grupos que trabalham para combater as idéias dos grupos contrários. Isso acontece não só em política, mas até mesmo na ciência, quando métodos de investigação científica focam nas fraquezas das teorias adversárias, ignorando os pontos fortes. Em outra perspectiva, buscar enfatizar somente o lado ruim da outra parte, justificando a apatia, ou pensamentos contrários que possam contribuir como colapso alheio.

Quinta fase: A repetição. Repetição, repetição, repetição. Cria-se um tema, um lema, simbolo ou slogan que materializa um determinado credo ou visão, que passa a ser repetido como um mantra, numa técnica de aprendizado incondicional. Os gritos de “Não vai ter golpe”, por exemplo, não é uma criação espontânea, obra do acaso. É pensado, calculado. Sua repetição imuniza cognitivamente as pessoas contra os argumentos a favor do impeachment, assim como tantos outros, de fácil absorção, e fácil repetição para qualquer classe, credo ou nível intelectual.

Os especialistas em psicologia das massas sabem que nossas mentes evoluíram muito mais para proteger nossos credos que para avaliar o que é verdade e o que é mentira.

Principalmente quando este senso de percepção tem relação com elementos como “Justiça, moralidade e ética”, elementos coordenados pelo nosso córtex pré frontal, porém profundamente afetados pelas questões emocionais, como Raiva, Desprezo, Nojo, Vergonha, Tristeza, entre outras, ativadas no sistema límbico, e, que, sobre forte estimulo, superam as áreas morais, amortecendo sua atividade, ou seja, você, literalmente deixa de raciocinar sob forte pressão emocional.

Além das vias normais que geram as emoções interpretadas como negativas, como medo e ansiedade, nas quais razão e emoção se integram e neste ponto há um equilíbrio nas tomadas de decisões, Joseph Le Doux descobriu uma via que ele chamou de “Shortcut”. Essa via é ativada quando a situação é de extremo perigo ou extrema raiva. Neste caso, ela não passa pela área racional, o pré-frontal, então as emoções instintivas ficam livres para agir, nos tornando cegos a quaisquer tipo de evidências racionais.

Os especialistas em comunicação constroem retóricas fantásticas, com intenção de desviar o tema principal e, especialmente, imunizar cognitivamente os soldados da causa.

E aí, meu caro, minha cara, não adianta mostrar o vídeo, o recibo, o cheque, o testemunho do caseiro, a ordem da transportadora, o grampo telefônico… O imunizado cognitivo está vacinado contra fatos objetivos tangíveis ou intangíveis.

Tá explicado então? Se você está se sentindo entorpecido das idéias, incapaz de descer do muro, disposto a olhar o outro lado, cego diante de uma crença totalmente unilateral, provavelmente alguém está lhe ministrando umas doses de imunizante cognitivo.

Estar “Consciente”, é um exercício de grande esforço, estamos 95% de nosso tempo em estado automático “Inconsciente”, de tal forma que, somente mediante muito esforço e análise critica, conseguimos discernir as reais intenções do imunizantes cognitivos a nossa volta, principalmente diante de tanta falta de informação, informações alteradas, maquiadas e distorcidas, fica quase impossível colocar-se em um lado, assumir uma luta, ou dar a cara a tapa por algo ou alguém que nem sabe, ou, não da a mínima se você existe.

Prof. Alexandre Rodrigues
Continuar lendo REFLEXÃO: PARA REFLETIR COMO FUNCIONA A MANIPULAÇÃO DE MASSA

LENTIDÃO NO PROCESSO DE IMUNIZAÇÃO ESTIMULA PRÁTICA CRIMINOSA DE VENDA ILEGAL DE VACINAS NA VEZUELA E MÉDICOS PEDEM INVESTIGAÇÃO SOBRE O CASO

Médicos da Venezuela alertam sobre venda ilegal de vacinas

Entidade que representa a categoria pediu que a Procuradoria Geral do país abra uma investigação sobre essa prática criminosa

pandemia venezuela

RAYNER PEÑA/EFE – ARQUIVO

A Academia Nacional de Medicina da Venezuela pediu nesta sexta-feira (28) que a Procuradoria Geral do país abra uma investigação sobre vendas ilegais de vacinas contra a covid-19 e comentou que a “lentidão” no processo de imunização estimula essa prática criminosa.

Em uma carta, a academia pediu ao procurador geral, Tarek Saab, “para determinar a veracidade das informações sobre o suposto mercado ilegal com a venda de vacinas contra a covid que estão sob a custódia do Estado venezuelano com o Ministério da Saúde como órgão competente”

O pedido foi feito, segundo o texto, com o objetivo de “identificar aqueles que poderiam promover esta práeção dos venezuelanos e que sejam tomadas as medidas necessárias para erradicar esta prática criminosa odiosa”.

Os médicos também destacaram os perigos que este mercado ilegal provoca e que podem ser traduzidos em dosagens que “não tenham cumprido a devida manutenção da cadeia de frio essencial para sua viabilidade como produto biológico ou que seu conteúdo não corresponda à formulação adequada” da vacina.

A academia também vê esta prática como uma consequência da lenta implementação do plano nacional de vacinação que, segundo ela, “não foi devidamente oficializado”.

A entidade cobrou o Ministério da Saúde a divulgar imediatamente o plano de vacinação a fim de identificar aspectos técnicos “inerentes” aos grupos prioritários a serem vacinados, os períodos de tempo para imunização, as quantidades disponíveis e outras questões.

De acordo com organizações nacionais e internacionais, a Venezuela está entre os países da América Latina menos imunizados contra a covid-19, uma situação que o governo do presidente Nicolás Maduro evita mencionar.

A quantidade de vacinas que chegaram ao país não é conhecida com precisão, pois os dados anunciados pelas autoridades são contraditórios, variando em até 500 mil unidades, dependendo de quem os divulga.

Fonte: R7
Continuar lendo LENTIDÃO NO PROCESSO DE IMUNIZAÇÃO ESTIMULA PRÁTICA CRIMINOSA DE VENDA ILEGAL DE VACINAS NA VEZUELA E MÉDICOS PEDEM INVESTIGAÇÃO SOBRE O CASO

EMBARGO DOS EUA À CUBA IMPOSSIBILITOU A FABRICAÇÃO DE DOSES SUFICIENTE PARA SUA POPULAÇÃO

Cuba diz que sanções dos EUA impedem fabricação de vacinas

País tem dois imunizantes que aguardam autorização para uso emergencial e outros três em fase de desenvolvimento

Frasco da vacina Soberana 2 desenvolvida pelo governo de Cuba

ERNESTO MASTRASCUSA/EFE – ARQUIVO

Cuba, que desenvolveu seus próprios imunizantes contra a covid-19, denunciou nesta sexta-feira (28) que o fortalecimento do embargo dos Estados Unidos à ilha impossibilitou a fabricação de doses suficientes para sua população, retardando sua campanha de vacinação.

“É preciso dizer que não vacinamos mais cubanos porque não tivemos recursos para fabricar mais vacinas, que fique claro para o mundo”, afirmou Yuri Valdés, vice-diretor do Finlay Institute of Vaccines, durante uma sessão da Assembleia Nacional (Parlamento, unicameral), na qual legisladores convocaram parlamentares de todo o mundo a se juntarem ao pedido pelo fim das sanções e do embargo, imposto há 60 anos pelos Estados Unidos.

A insuficiência das doses “não é por falta de evidência técnica, é porque não tivemos os recursos, porque esses recursos foram bloqueados”, explicou o cientista perante parlamentares de seu país e outras personalidades internacionais que participaram virtualmente.

Se o governo de Joe Biden “não pode ter tempo para rever toda a política com Cuba, (revise) a que tem a ver com todos os cubanos que são internados [em hospitais por covid-19], com os cubanos que estamos vacinando”, afirmou Valdés.

“Você tem que convocar o governo dos Estados Unidos, digamos, está bem, não verifique tudo, mas verifique se, faça algo, você pode ser (significar) a diferença entre mortos e não mortos”, ressaltou.

Cuba tem cinco vacinas candidatas desenvolvidas pelo próprio país. Duas delas, Soberana 2 e Abdala, aguardam autorização para uso emergencial ou condicional pelas autoridades sanitárias do país, data prevista para junho.

Dado o crescente número de casos registrados nos últimos meses, o governo lançou uma campanha de vacinação em populações de risco com esses imunizantes no dia 12 de maio, e planeja vacinar 70% da população até agosto.

Durante o governo de Donald Trump, Washington impôs cerca de 250 sanções contra Cuba, que o governo Biden manteve intactas.

“Os Estados Unidos reforçaram a agressão contra Cuba diante da covid-19”, denunciou o presidente da comissão de Relações Internacionais, Alberto Núñez.

Organizações solidárias com Cuba nos Estados Unidos, Chile, Espanha, Itália e outros países se organizaram para obter 20 milhões de seringas para poder vacinar a população de 11,2 milhões.

Além disso, uma entidade governamental suíça e a ONG MediCuba Europe concederam em abril um financiamento urgente de US$ 600.000 para a compra de seringas.

Fonte: R7
Continuar lendo EMBARGO DOS EUA À CUBA IMPOSSIBILITOU A FABRICAÇÃO DE DOSES SUFICIENTE PARA SUA POPULAÇÃO

EM NATAL, IDOSA FECHA CICLO DE IMUNIZAÇÃO CONTRA COVID-19 COM VACINA TROCADA

Idosa recebe dose trocada de vacina contra covid-19 em Natal

Redação / Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Wilson Moreno / Prefeitura Municipal de Mossoró

Uma idosa foi ao dirigir pela UnP da Roberto Freire para tomar a segunda dose da vacina contra a covid-19 em Natal, nesse domingo (23). Ela havia tomado a primeira dose da vacina de Oxford e acabou fechando o ciclo da imunização com uma dose da Coronavac.

Após perceber o erro, quando já estava retornando para casa, o neto da mulher voltou ao local da aplicação e a equipe de vacinação admitiu que houve o erro. Até o momento, a idosa não registrou problemas pela vacinação equivocada.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde Natal orientou que “se uma pessoa adequada a dose diferente já informe na unidade onde foi aplicada a dose para que possa ser feita a notificação”. Além disso, a pasta acrescentou “se a pessoa apresentar qualquer tipo de intercorrência durante 30 dias após a segunda dose da vacina também é solicitada adquirir uma unidade onde foi ministrada a vacina para notificar”.

De acordo com Janeusa Trindade, médica em imunologia, a orientação do Minitério da Saúde é não fazer uma terceira dose e registrar como erro de imunização. Ainda não se sabe se a imunização está comprometida, pois não foi feito o estudo de intercambialidade com Oxford e Coronavac.

Com Pfizer e Oxford foi feito e não há comprometimento, pois uma reforça a outra, mas com Coronavac e Oxford ainda não se tem informações ainda.

Continuar lendo EM NATAL, IDOSA FECHA CICLO DE IMUNIZAÇÃO CONTRA COVID-19 COM VACINA TROCADA

MÉDICOS OMITEM IMUNIZAÇÃO COM DUAS DOSES PARA TOMAR A TERCEIRA COMO REFORÇO

Médicos são denunciados por tomar terceira dose de vacina contra a Covid-19

Os casos foram denunciados ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp)

José Brito,
da CNN, em São Paulo
Atualizado 20 de maio de 2021 às 00:54

 

A Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo registra pelo menos dois casos de médicos que omitiram já estarem imunizados com duas doses de vacina contra a Covid-19 para conseguirem novas aplicações do imunizante como reforço.

Os casos ocorreram nos dias 27 de março e na última segunda-feira (17), e foram denunciados ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp).

Em comunicações internas da Prefeitura, às quais a CNN teve acesso, um pedido de orientação é feito pela direção da Covisa à Coordenação do Programa Municipal de Imunização.

Os relatos mostram que, mesmo tendo tomado duas doses da Coronavac, nos dias 26 de janeiro e 26 de fevereiro, no Hospital Estadual de Sapopemba, o médico ortopedista Alexandre Felicio Pailo se dirigiu ao Mega Posto de vacinação do Clube Hebraica, no dia 17 de maio, para uma nova aplicação da vacina.

Na denúncia também encaminhada ao Cremesp, é explicado que Pailo omitiu a informação de ter recebido anteriormente as doses, e, como o sistema Vacivida – o banco de dados do governo do estado para acompanhamento individualizado e em tempo real dos registros de pessoas imunizadas contra o novo coronavírus – estava oscilando, foi realizado o registro manual da aplicação do imunizante e ele recebeu uma terceira dose, dessa vez, da vacina Pfizer.

“O mesmo foi questionado e orientado que, caso tivesse tomado dose anterior, não seria vacinado; porém, notando que o sistema não estava online, fez uso de tal recurso para se vacinar novamente”, explica a Direção Regional de Vigilância.

A reportagem entrou em contato com Alexandre, que confirmou ter tomado a terceira dose da vacina, mas contestou que tenha sido questionado por equipes de saúde se já havia tomado alguma dose anterior.

Ele não quis dar entrevista, mas afirmou que é portador de doença autoimune e, por isso, não teria sido imunizado contra o novo coronavírus, mesmo com as duas doses da vacina recebidas.

Outro caso

Um outro caso foi constatado e configurado como erro de imunização, no dia 27 de março, em um mega drive-thru da Subprefeitura de M’Boi Mirim, na zona sul da capital paulista.

Ofício da Covisa, também encaminhado ao Cremesp, conta que o médico Antônio Miguel Santiago dos Santos recebeu duas doses da Coronavac, nos dias 20 de janeiro e 12 de fevereiro, na Unidade Básica de Saúde Parque Reide (UBS), em Diadema.

Mesmo assim, segundo a equipe de enfermagem conta por e-mail, Antônio não disse que já estava imunizado contra a doença e uma terceira dose de Coronavac também foi aplicada novamente sob a justificativa de instabilidade no sistema de registro de controle.

“No entanto, a UBS constatou que o usuário está ciente da sua prática, ou seja, ter mais de duas doses da vacina Covid-19 de forma intencional, visto ter realizado contato telefônico na UBS Zumbi dos Palmares, com o tom de intimidação informando que irá receber a 4ª dose (seja na UBS ou em qualquer lugar do MSP). Diante do exposto encaminhamos o presente para as medidas cabíveis pertinentes a este conselho”, diz o coordenador da Covisa.

Procurado, o médico Antônio dos Santos não foi localizado para comentar o caso. Por nota, o Cremesp confirma que recebeu duas denúncias e que está apurando os casos. As investigações tramitam sob sigilo determinado por lei.

Em nota, a Prodesp, empresa de Tecnologia do governo de São Paulo e responsável pelo desenvolvimento do Vacivida, diz que, para garantir que a imunização seja feita por doses do mesmo fabricante, a plataforma possui trava que impede inclusive o registro de dose adicional.

O órgão destacou também que, mesmo diante de eventuais lentidões sistêmicas, a recomendação do governo é que o registro das doses seja feito posteriormente, de forma correta, e que a responsabilidade é de cada município.

CNN aguarda um posicionamento das secretarias municipais de Saúde.

Continuar lendo MÉDICOS OMITEM IMUNIZAÇÃO COM DUAS DOSES PARA TOMAR A TERCEIRA COMO REFORÇO

NESTA SEGUNDA-FEIRA (17), PREFEITURA DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE VAI RETOMAR IMUNIZAÇÃO DA 2ª DOSE DA CORONAVAC PARA QUEM COMPLETOU PRAZO DE 28 DIAS, ENTRE 4 E 7 DE MAIO

São Gonçalo retoma 2ª dose da Coronavac para quem completou o prazo de 28 dias no período de 4 a 7 de maio

Covid-19 - Prefeitura de São Gonçalo do Amarante

Na segunda-feira (17), a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN vai retomar a imunização da 2ª dose com a Coronavac para quem completou o prazo de 28 dias (desde aplicação da primeira dose) no período de 4 a 7 de maio, nas 29 unidades de saúde do município. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) recebeu 550 doses do imunizante na sexta-feira (14).

Também estão sendo vacinados, com a Oxford/AstraZeneca, idosos com 60 anos ou mais, pessoas com comorbidades entre 50 a 59 anos, pessoas com Síndrome de Down (18 a 59 anos) e pessoas com doença renal crônica, em diálise (18 a 59 anos), conforme ‘Fase I’ do Plano Nacional de Imunização. “Vamos receber doses da Pfizer e já estamos discutindo a possibilidade de avançar com a faixa etária para esse grupo”, observa Jalmir Simões, secretário da SMS.

Ainda de acordo com o gestor, São Gonçalo do Amarante precisa receber 600 doses da Coronavac para cobrir o público vacinado com a primeira dose do imunizante.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo NESTA SEGUNDA-FEIRA (17), PREFEITURA DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE VAI RETOMAR IMUNIZAÇÃO DA 2ª DOSE DA CORONAVAC PARA QUEM COMPLETOU PRAZO DE 28 DIAS, ENTRE 4 E 7 DE MAIO

NOS EUA ADOLESCENTES ENTRE 12 E 15 ANOS COMEÇAM A SER VACINADOS

Vacinação para adolescentes entre 12 e 15 anos começa nos EUA

Em diversos estados norte-americanos, pais e filhos mostraram alívio e alegria com a imunização dos mais jovens

INTERNACIONAL

Da AFP

Adolescente de 13 anos recebe vacina contra covid em centro de imunização na Virgínia

ANDREW CABALLERO REYNOLDS / EFE – 13.5.2021

Harrison Hunger, de 14 anos, recebeu sua vacina contra a covid-19, nesta quinta-feira (13), em uma clínica de Bloomfield Hills, no estado de Michigan, e agora só pensa em comer donuts

Questionado sobre qual será a primeira coisa que fará após a vacinação, não hesita: “Provavelmente irei ao Krispy Kreme, porque estão oferecendo donuts de graça para quem tem um destes”, responde ao mostrar o cartão de vacinação.

campanha de imunização de 17 milhões de adolescentes entre 12 e 15 anos começou com força nesta quinta-feira após a extensão da autorização da vacina Pfizer/BioNTech para essa faixa etária, parte da estratégia do presidente Joe Biden de tentar alcançar a imunidade de rebanho no país.

Em todo o país, jovens fizeram fila com seus pais em centros de vacinação, cerca de 15.000 farmácias e clínicas pediátricas, ansiosos para retornar a alguma normalidade pré-pandêmica.

“Isso vai me ajudar a sair mais”, afirmou Daniel Fox, de 13 anos, um dos primeiros na porta do Javits Center, em Nova York, centro de convenções que virou local de vacinação.

“Se encontrar online para jogar é muito divertido, mas também é divertido nos vermos pessoalmente de vez em quando”, completou.

Harrison, por sua vez, planeja viajar para o Alasca com sua família duas semanas após receber a segunda dose.

“Segura” e “eficaz”

“A vacina para jovens de 12 a 15 anos é segura, eficaz, prática, rápida e gratuita”, garantiu Biden na quarta-feira.

Os gêmeos de 14 anos, Anaya e Jay Tsai, também receberam sua primeira dose em Nova York.

“Há muito tempo que espero por este dia. É extremamente importante”, comemorou a mãe, Purva Tsai, de 47 anos.

“Espero que isso signifique que as coisas voltem ao normal para os meninos e que eles possam socializar com os amigos”, acrescentou.

 

Não havia muitas pessoas no posto de vacinação montado no Walter E. Washington Convention Center, na capital americana.

Kandall Frederick, de 15 anos, chegou cedo com sua mãe de carro, antes de entrar na escola.

“Eu estava emocionada”, admitiu a jovem. “Eu fui a última na família a ser vacinada, então agora estaremos todos seguros e podemos sair e fazer as coisas com mais liberdade”.

“É melhor prevenir do que remediar”, estimou Maya, de 15 anos. Sua mãe, Amy, diz estar “encantada” com a vacinação permitida pelas autoridades sanitárias. “Queremos que seja seguro e contribua o máximo possível para a imunidade coletiva”.

Uma pesquisa da Kaiser Family Foundation, que entrevistou pais de adolescentes em abril, revelou que três em cada dez queriam que seus filhos fossem vacinados imediatamente, um quarto vai esperar para ver como funciona, um quinto vai vacinar apenas se a escola pedir e o resto é contra a vacinação.

A vacina para adolescentes é a mesma que para adultos, incluindo o número de doses.

Os adolescentes são menos vulneráveis à covid do que as pessoas mais velhas, e a principal razão para vaciná-los é diminuir a transmissão.

Mas casos extremamente raros da covid ainda podem ocorrer entre adolescentes e crianças, bem como uma complicação pós-viral conhecida como síndrome inflamatória multissistêmica.

O que o nova-iorquino Theo Bernstein, que fez 12 anos há poucos dias, mais deseja é “voltar para a escola cinco dias por semana”, em vez dos dois atuais. Sua mãe, Daphna Straus, diz que está disposta a fazer “o que for preciso para deixar os professores mais confortáveis e voltarem a ensinar pessoalmente”.

Charles Muro, de 13 anos, que escreve para o jornal de sua escola em Hartford, Connecticut, diz que está “aliviado” após receber a vacina e quer promover a imunização entre seus amigos.

A vacina “é o futuro: se querem poder ir à pizzaria no domingo à noite, é assim que podemos voltar à normalidade”, lembrou.

A Academia Americana de Pediatria disse esta semana que a autorização da vacina da Pfizer é uma ferramenta importante para que mais escolas voltem às aulas presenciais em setembro, quando o novo ano letivo começa.

Fonte: R7
Continuar lendo NOS EUA ADOLESCENTES ENTRE 12 E 15 ANOS COMEÇAM A SER VACINADOS

BOAS NOTÍCIAS: O PROJETO S DO INSTITUTO BUTANTAN COLHE OS PRIMEIROS FRUTOS DA VACINAÇÃO EM MASSA EM SERRANA

A cidade de Serrana, na região metropolitana de Ribeirão Preto no interior de São Paulo, foi a escolhida pelo Instituto Butantan para realizar a vacinação em massa. O estudo imunizou 98% da população adulta da cidade e quase um mês após o término da vacinação verificou que os casos de Covid-19 caíram 66%. Uma ótima notícia em meio a tantas agruras. Leia o artigo completo a seguir e conheça o projeto S do Instituto Butantan.

Casos de Covid-19 caem 66% em Serrana, após vacinação em massa

Por redação

Quase um mês após o término da vacinação em massa na cidade de Serrana – Região Metropolitana de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo – os casos de Covid-19 caíram em 66% no município.

Os dados preliminares são do projeto S, do Instituto Butantan, responsável pelo estudo que imunizou 98% da população adulta da cidade.

Entre março e abril – período mais crítico da pandemia – as mortes em Serrana caíram de 19 para 6. A quantidade de casos diminuiu 66% e a de testes, 55%.

Leitos

Neste momento, dos seis leitos de enfermaria disponíveis na cidade, somente um está ocupado. Mas há também outros dez moradores da cidade internados em outros municípios – sete em UTIs e três em enfermarias, segundo dados da última quarta-feira (5).

O município que recebeu o Projeto S não possui leitos de UTI.

Queda de casos

O mês passado apresentou a menor proporção de casos descartados (ou negativos) do ano: 74% das notificações de testes resultaram em casos negativos.

Relatos de funcionários de postos da cidade indicam que os casos confirmados têm surgido quase sempre com sintomas leves.

Os dados de maio, embora ainda iniciais – computados até o dia 5 – seguem a mesma proporção de abril: queda em relação a março.

Nos cinco primeiros dias do mês, 43 casos foram confirmados e 101 foram descartados – sendo dois ainda em investigação e que podem ser alterados. A média diária de casos (8,6) é pouco superior à do mês passado (7,8).

Até o momento, um único óbito por covid-19 foi registrado este mês: trata-se de um paciente que estava internado em um hospital particular na cidade de Ribeirão Preto, próxima de Serrana.

Cautela

Por enquanto, porém, pesquisadores do Butantan e responsáveis pela saúde na cidade, evitam fazer relação direta com a imunização em massa até que os números sejam apresentados de forma robusta pelo instituto.

Segundo os coordenadores do Projeto S, os primeiros resultados oficiais do estudo devem sair a partir da segunda semana de maio.

Com informações do R7

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: O PROJETO S DO INSTITUTO BUTANTAN COLHE OS PRIMEIROS FRUTOS DA VACINAÇÃO EM MASSA EM SERRANA

JUSTIÇADETERMINA O GOVERNO DO ESTADO E O MUNICÍPIO DE NATAL QUE DEVEM SE ABSTER DE INCLUIR OU MODIFICAR A ORDEM DOS GRUPOS PRIORITÁRIOS DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19

Justiça determina que Governo e Prefeitura do Natal se abstenham de modificar ordem dos grupos prioritários para a imunização

06 abr 2021

Covid-19: Justiça determina que Governo e Prefeitura do Natal se abstenham de modificar ordem dos grupos prioritários para a imunização - Senadinho

O Governo do Estado e o Município de Natal devem se abster de incluir ou modificar a ordem dos grupos prioritários de vacinação contra Covid-19 sem prévia autorização do Ministério da Saúde (MS). Trata-se de uma determinação judicial obtida em ação civil pública movida pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e pela Defensoria Pública, visando ao cumprimento do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a COVID-19 pelo Estado e Município.

Na ADPF 754, o Supremo Tribunal Federal decidiu que eventual alteração na ordem dos grupos prioritários só pode ser realizada pelo Ministério da Saúde e com apresentação de critérios técnico-científicos, epidemiológicos e índices de vulnerabilidade social. As doses são remetidas pelo Ministério da Saúde em quantitativos pré-definidos para os grupos indicados no Plano Nacional de Imunização, de forma que a alteração pelo Estado ou Município poderia prejudicar os grupos da fase 1 (idosos de 60 anos e mais institucionalizados, pessoas com deficiência de 18 anos de idade e mais institucionalizadas, trabalhadores de saúde, idosos de 75 anos e mais, quilombolas, indígenas, comunidades ribeirinhas) e 2 (idosos de 60 anos de idade e mais) que se encontram em processo de imunização.

A decisão ainda expressa que o Estado e o Município precisam divulgar amplamente na imprensa e em suas mídias sociais que a vacinação dos profissionais/trabalhadores de saúde contempla apenas aqueles que estão com vínculo ativo e efetivamente prestando serviços nos estabelecimentos públicos ou privados de assistência à saúde, vigilância à saúde, regulação e gestão à saúde ou nos serviços de interesse à saúde definidos pelo Ministério da Saúde (ILPIs, casas de apoio e cemitérios), uma vez que devem ser imunizados, no grupo prioritário, apenas os profissionais/trabalhadores de saúde que estejam efetivamente “envolvidos na resposta pandêmica nos diferentes níveis de complexidade da rede de saúde”.

Na ação civil pública, o Ministério Público e a Defensoria Pública não pleitearam a suspensão da vacinação dos profissionais/trabalhadores de saúde, mas apenas a adequação ao disposto no Plano Nacional de Imunização e no Ofício nº 57/2021 do Ministério da Saúde, uma vez que devem ser priorizadas a manutenção do funcionamento dos serviços de saúde e efetivamente comprovada a maior exposição a risco de contaminação pelo coronavírus, não bastando apenas ter registro ativo em conselho de classe ou ter formação profissional em uma das profissões classificadas como de saúde.

Determinação para o Município do Natal

Para o Município de Natal, a ordem da Justiça é que não vacine as pessoas que não possuam vínculo ativo e que não estejam nos serviços de assistência à saúde, vigilância à saúde, regulação e gestão à saúde (estabelecimentos públicos ou privados de saúde) ou nos serviços de interesse à saúde expressamente elencados pelo Ministério da Saúde (cemitérios, casas de apoio e instituições de longa permanência). Também não deve vacinar pessoas do grupo de profissionais/trabalhadores de saúde autônomos com base apenas em autodeclaração e sem a  apresentação do registro ativo no conselho de classe respectivo, devendo exigir, nesse caso, a apresentação de no mínimo três contratos de prestação de serviços de assistência à saúde ou três declarações de pacientes atestando a prestação/contratação dos serviços ou notas fiscais de prestação de serviços de assistência aos pacientes ou contrato de vinculação a planos de saúde privados.

Também está proibida a imunização, no grupo prioritário, de profissionais de saúde que, mesmo sendo habilitados em áreas de saúde, desempenham atividades exclusivamente acadêmicas, como professores ou pesquisadores (excetuados os que trabalham rotineiramente em laboratórios e hospitais) ou acadêmicos e estudantes da área técnica em saúde que não estejam em estágio hospitalar, em atenção básica, clínicas e laboratórios sem a apresentação de declaração do serviço de saúde ao qual esteja vinculado (o documento deve conter a indicação do curso da área de saúde e do local do estágio).

Igualmente fica vedado vacinar: profissionais/trabalhadores de saúde de áreas administrativas dos serviços de assistência à saúde, vigilância à saúde, regulação e gestão à saúde ou dos serviços de interesse à saúde que não exerçam atividade laboral com exposição ao risco, ainda que intermitente, de contaminação pelo coronavírus; trabalhadores de saúde do sistema funerário, do Instituto Médico Legal (IML) e do Serviço de Verificação de Óbito (SVO) que não tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados

Outra medida imposta pela Justiça ao Município de Natal é que proceda a retenção de cópia de toda documentação comprobatória dos profissionais/trabalhadores de saúde para fins de fiscalização e auditoria.

O Município deve também complementar a autodeclaração do grupo dos profissionais/trabalhadores de saúde de modo que a pessoa que vai se imunizar declare, sob as penas da lei, o serviço de saúde ao qual está vinculada e o local de prestação deste, o tempo de exercício da atividade funcional/laboral, não sendo suficiente a mera apresentação de registro ativo em conselho de classe.

No que se refere à vacinação dos idosos, o Município deverá concluir, no prazo máximo de 30 dias, a aplicação da Dose 1 aos idosos acamados/domiciliados que ainda não foram imunizados e que estejam cadastrados no sistema eletrônico disponibilizado pela SMS/Natal ou em listas apresentadas pelos Distritos Sanitários e Unidades Básicas de Saúde de Natal; manter a estratégia de vacinação para os idosos acamados/domiciliados que se encontrem na mesma faixa etária e estejam registrados em listas dos Distritos Sanitários e Unidades Básicas de Saúde; estabelecer estratégias de vacinação em locais distintos, para os idosos e demais grupos prioritários.

A decisão judicial determina ainda que o Município deve ampliar os postos de vacinação para as Unidades Básicas de Saúde/Distritos nas áreas de maior vulnerabilidade social; aplicar, nos postos de vacinação, os protocolos sanitários de prevenção e controle da Covid-19, como forma de evitar a exposição das pessoas dos grupos prioritários a risco; obedecer às recomendações dos fabricantes das vacinas quanto ao intervalo de aplicação das doses para todos os grupos prioritários, como forma de evitar a perda ou redução da eficácia da primeira dose aplicada.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo JUSTIÇADETERMINA O GOVERNO DO ESTADO E O MUNICÍPIO DE NATAL QUE DEVEM SE ABSTER DE INCLUIR OU MODIFICAR A ORDEM DOS GRUPOS PRIORITÁRIOS DE VACINAÇÃO CONTRA COVID-19

PLANO DE IMUNIZAÇÃO NA VENEZUELA FAVORECE PARLAMENTARES, IMUNIZOU MENOS DE 10% DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE E EXCLUIU IDOSOS

Venezuela: Parlamentares recebem vacina contra covid antes de idosos

Três membros da oposição denunciam que já receberam a primeira dose da vacina russa Sputnik V

INTERNACIONAL

 Da EFE

O início da vacinação na Venezuela, com Sputnik V, excluiu os idosos

MIGUEL GUTIERREZ / EFE – 22.2.2021

Os 277 integrantes da Assembleia Nacional (parlamento) da Venezuela começaram a receber a vacina Sputnik V, seguindo o plano contra a covid-19 proposto pelo governo, que até esta terça-feira imunizou menos de 10% dos profissionais de saúde e excluiu os idosos.

Pelo menos três deputados da oposição relataram em redes sociais que foram vacinados com uma dose do medicamento russo, cujo primeiro lote, com 100 mil doses, chegou ao país em meados deste mês e será destinado a menos de 0,5% da população.

Os parlamentares Alfonso Campos, Anyelith Tamayo e Rubén Limas anunciaram que já tinham sido vacinados, mas a lista de deputados imunizados é mais longa e inclui, até o momento, pelo menos dez, de acordo com fontes legislativas consultadas pela Agência Efe.

Plano privilegia parlamentares

Está prevista a vacinação total do plenário, onde 92% dos integrantes são pró-governo. No entanto, o plano do governo dizia que os trabalhadores da saúde seriam os primeiros a receber proteção nesta primeira fase.

Esse esquema de vacinação incluirá os parentes diretos do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, uma vez que tanto a sua esposa, Cilia Flores, como o seu filho, Nicolás Maduro Guerra, ocupam cadeiras na câmara.

O presidente explicou na semana passada que depois de toda a vacinação para os profissionais da saúde seriam imunizados trabalhadores sociais, as forças de segurança e as autoridades do Governo, incluindo os deputados do Parlamento.

Desta forma, vários líderes chavistas também se beneficiarão deste tratamento preferencial, entre eles o deputado Diosdado Cabello, que sofreu com a doença em 2020.

Entretanto, o plano de vacinação que começou na quinta-feira passada proporcionou proteção a dezenas de trabalhadores da saúde, mas nenhum balanço oficial foi divulgado até agora.

Vários governadores e prefeito pró-governo relataram a chegada de algumas doses de Sputnik V às suas regiões, enquanto o governo assegura que o imunizante já está sendo aplicado em todo o país, sem explicar as quantidades.

A governadora de Táchira (na fronteira com a Colômbia), a opositora Laidy Gómez, denunciou o “desvio” de algumas vacinas na região, para a qual pediu ao governo que aderisse às normas internacionais e priorizasse os trabalhadores da saúde.

Continuar lendo PLANO DE IMUNIZAÇÃO NA VENEZUELA FAVORECE PARLAMENTARES, IMUNIZOU MENOS DE 10% DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE E EXCLUIU IDOSOS

PARA DISCUTIR IMUNIZAÇÃO CONTRA COVID-19, GOVERNO DO RN SE REÚNE HOJE COM GESTORES MUNICIPAIS

Governo reúne gestores municipais para discutir imunização contra a Covid-19 no RN

07 jan 2021

Fátima Bezerra (@fatimabezerra) | Twitter

O Governo do Estado convocou os gestores dos 167 municípios do Rio Grande do Norte para discutir, nesta sexta-feira (8), o Plano de Vacinação contra a Covid-19, as ações do Pacto pela Vida e a aplicação do inquérito sorológico da doença no estado.

Marcada para as 10h30, a reunião será híbrida. Parte dos convidados e da equipe do Governo estará no auditório da Escola de Governo e os demais participarão de forma virtual. Na ocasião, será disponibilizado momento para captação de imagens e ao final da reunião serão concedidas entrevistas.

O encontro também contará com a presença de representantes da Assembleia Legislativa do RN e dos conselhos Estadual de Saúde (CES) e de Secretarias Municipais de Saúde do RN (Cosems-RN).

SERVIÇO

Reunião com prefeitos sobre plano de imunização estadual contra a Covid

Data/Horário: 8 de janeiro de 2021, às 10h30

Local: Auditório da Escola de Governo – Centro Administrativo do Estado

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo PARA DISCUTIR IMUNIZAÇÃO CONTRA COVID-19, GOVERNO DO RN SE REÚNE HOJE COM GESTORES MUNICIPAIS

SAÚDE: A REINFECÇÃO POR COVID-19 JÁ É UMA REALIDADE. O QUE PODEMOS FAZER COMO PREVENÇÃO?

A reinfecção por Covid-19 é o destaque da edição desta sexta-feira, aqui na coluna SAÚDE. O artigo a seguir procura esclarecer e tirar dúvidas sobre como, quando e por que ela ocorre. Então não deixe de ler, refletir e tirar suas conclusões!

Reinfecção por COVID-19: o que se sabe até o momento

A confirmação de novos casos de reinfecção da doença gera alerta sobre a importância dos meios de prevenção

Escrito por Paula Santos

Redação Minha Vida

Em 17/12/2020

Estudos sobre os efeitos e impactos do novo coronavírus seguem sendo feitos em grandes quantidades. Apesar de algumas informações ainda serem limitadas, o surgimento de novas descobertas traz uma maior compreensão e alerta a respeito de medidas de segurança que devem ser tomadas para conter a pandemia.

A possibilidade de reinfecção se tornou um dos principais tópicos analisados recentemente. O primeiro caso confirmado no Brasil ocorreu no dia 09 de dezembro, quando uma paciente do Rio Grande do Norte testou positivo para a COVID-19 quatro meses após ter tido o primeiro diagnóstico da doença.

Com isso, o Ministério da Saúde estabeleceu um protocolo de segurança que servirá como base para a realização de futuros diagnósticos que confirmem uma nova contaminação em pacientes que já apresentaram quadro de coronavírus anteriormente.

Como ocorre a reinfecção

Embora as pesquisas sobre a reinfecção ainda estejam em fase de análise no mundo todo, cientistas já utilizam alguns critérios para realizar o diagnóstico de uma nova infecção. De acordo com o Ministério da Saúde, novos casos só podem ser confirmados após a aplicação do teste RT-PCR em tempo real para o vírus SARS-CoV-2, feitos num intervalo de tempo igual ou superior a 90 dias desde a primeira infecção.

“Os estudos mais recentes na literatura sugerem que os dias de apresentação entre duas reinfecções variam muito, um período entre 48-120 dias entre dois episódios de sintomas característicos de infecção por SARS-Cov-2. Além disso, a reinfecção é confirmada com o sequenciamento do genoma viral, que nos mostra se a pessoa foi infectada com vírus diferentes”, explica André Báfica, médico e pesquisador do projeto Equipe Halo, iniciativa da ONU que reúne cientistas de diversas partes do mundo com o objetivo de estudar a COVID-19.

O especialista explica que é preciso considerar que o PCR tenha apontado negativo nos dias entre os diferentes episódios de infecção. Dessa forma, é possível confirmar que houve a reinfecção e não a recaída do primeiro quadro de coronavírus apresentado. “Portanto, um período de três meses aumenta as chances de triar para casos de reinfecção, para que estudos mais específicos com o sequenciamento do genoma viral possam ser realizados”, conta André.

Reinfecção x Imunização

Com a confirmação de novos casos de reinfecção, muitas pessoas questionaram os impactos que essa situação pode promover com a chegada da vacina. Entretanto, André Báfica explica que há uma série de coleta de dados e análises que ainda devem ser feitas para entender as consequências da COVID-19.

“Vírus podem escapar do sistema imune e, na natureza, estão fazendo isso o tempo todo. Se SARS-Cov-2 sofrer mutações a ponto de modificar o seu genoma e certas proteínas, isso poderia influenciar negativamente a imunização. Felizmente, até o presente momento, não há evidências de que a reinfecção reportada aconteça por uma nova variante de SARS-Cov-2 que apareceu devido a mecanismos de escape do sistema imune. Ou seja, a vacinação em larga escala deve dar conta dos vírus que estão circulando neste momento”, conta o pesquisador.

O que fazer ao suspeitar de reinfecção?

As novas diretrizes do Ministério da Saúde passaram a recomendar que qualquer pessoa com suspeita de infecção por coronavírus busque auxílio imediato. Logo, mesmo que o quadro ocorra pela primeira ou segunda vez, é indicado que se siga os protocolos estabelecidos pelas secretarias de saúde de cada cidade.

Os principais sintomas provocados pelo novo coronavírus são:

Como se prevenir do coronavírus

A possibilidade de se contaminar com o coronavírus mais de uma vez reforça a importância de seguir as orientações divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar o aumento da disseminação da doença. Algumas das medidas preventivas mais recomendadas são:

  • Lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos
  • Desinfetar as mãos com álcool em gel 70%
  • Evitar tocar a região facial
  • Evitar contato com pessoas doentes
  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar
  • Manter o distanciamento social
  • Usar máscara sempre que sair de casa
  • Não compartilhar itens de uso pessoal
  • Evitar locais fechados e com aglomeração de pessoas

Fonte: Minha Vida

Continuar lendo SAÚDE: A REINFECÇÃO POR COVID-19 JÁ É UMA REALIDADE. O QUE PODEMOS FAZER COMO PREVENÇÃO?

GOVERNO FEDERAL PREVÊ 3 CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO DA VACINA EM PLANO DE IMUNIZAÇÃO

Plano de imunização do governo federal prevê 3 centros de distribuição; veja quais

 SAÚDE

Plano de imunização do governo prevê 3 centros de distribuição; veja quais | CNN Brasil

O governo federal entregou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o plano nacional de imunização. De acordo com o documento, serão três centros de distribuição do imunizante, localizados em Brasília, Rio de Janeiro e Recife.

O transporte do medicamento ocorrerá pelas estradas e por vias aéreas. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, declarou que já fechou acordos com algumas companhias para distribuírem as vacinas

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo GOVERNO FEDERAL PREVÊ 3 CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO DA VACINA EM PLANO DE IMUNIZAÇÃO

BOAS NOTÍCIAS: ISSO É QUE É EXEMPLO! PRIMEIRO-MINISTRO DE ISRAEL SERÁ O 1º A SE VACINAR.

Um líder de verdade faz assim! Coloca o dele na reta e dá o exemplo à população se vacinando antes de qualquer outro cidadão. Cabra macho, que eu tiro o chapéu. Por isso eu convido você a ler o artigo completo a seguir e conhecer os detalhes desse ato de coragem e liderança!

Primeiro-ministro de Israel será 1º a tomar vacina: incentivar a população

Israel começa a vacinação contra a Covid-19 no próximo dia 27 de dezembro e o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, informou nesta quarta, 9, que será um dos primeiros a receber a imunização para dar exemplo à população.

“Espero que os cidadãos de Israel se vacinem e, para garantir isso, gostaria de servir como um exemplo pessoal. Estamos vendo a luz no fim do túnel”, disse o premiê na pista do aeroporto Ben Gurion, onde um avião pousou com milhares de doses da vacina.

Assim, Netanyahu pode ser o primeiro líder de um país a receber uma injeção contra o coronavírus, e sua inoculação viria em um momento em que as autoridades em todo o mundo estão tentando aumentar a confiança do público em várias dessas vacinas, desenvolvidas com base repentina.

“Eu acredito nessa vacina. Espero que receba a devida aprovação nos próximos dias”, disse Netanyahu.

Pfizer

O país começará a administrar as vacinas após ter recebido um primeiro lote do imunizante produzido pela Pfizer. (foto acima)

“As primeiras vacinações serão em 27 de dezembro”, disse Benjamin Netanyahu.

Ele também falou que os serviços de saúde pública poderiam administrar 60 mil doses diárias – o que chamou de “grande número”, considerando os 9 milhões de habitantes do país.

Israel comprou em novembro oito milhões de doses na Pfizer com entrega prevista a partir de janeiro de 2021, mas as primeiras doses da vacina chegaram antes do previsto, nas vésperas do Hanukkah, a festa judaica das Luzes celebrada a partir de quinta-feira.

O país, que também está trabalhando em sua própria vacina, encomendou ainda seis milhões de doses aos laboratórios Moderna.

No total, esses 14 milhões de doses podem proteger cerca de sete dos nove milhões de israelenses, que receberão duas doses por pessoa.

Com informações da Exame

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: ISSO É QUE É EXEMPLO! PRIMEIRO-MINISTRO DE ISRAEL SERÁ O 1º A SE VACINAR.

BOAS NOTÍCIAS: APÓS DÉCADAS DE TRABALHO INCANSÁVEL A ÁFRICA CONSEGUE ERRADICAR O VÍRUS DA POLIOMIELITE

Um marco importantíssimo na saúde pública do continente africano é o destaque da coluna BOAS NOTÍCIAS desta quinta-feira. Após 24 anos de luta para erradicar o vírus da poliomielite, desde que Nelson Mandela ajudou o Rotary International a lançar sua campanha Chute a Pólio para Fora da África , o continente africano finalmente está livre do poliovírus selvagem. Leia o artigo completo a seguir e conheça os detalhes.

Um ‘marco importante’: a África finalmente erradica o vírus selvagem da poliomielite de seu continente, após décadas de trabalho

A Organização Mundial da Saúde está comemorando a notícia de que o continente africano finalmente está livre do poliovírus selvagem, 24 anos depois de Nelson Mandela ajudar o Rotary International a lançar sua campanha Chute a Pólio para Fora da África .

“Hoje é um dia histórico para a África, que cumpriu com sucesso os critérios de certificação para erradicação da pólio selvagem, sem casos registrados na região por quatro anos”, disse a professora Rose Gana Fomban Leke, que dirige a Comissão Regional de Certificação da África para a erradicação da pólio (ARCC).

O sucesso vem após um processo exaustivo de décadas de documentação e análise da vigilância e imunização da poliomielite dos 47 estados membros da região, que incluiu a realização de visitas de verificação de campo a cada país.

Em 1996, os líderes africanos de todos os países se comprometeram a erradicar a poliomielite, em uma época em que o vírus paralisava cerca de 75.000 crianças anualmente. Embora não haja cura para a poliomielite, a doença pode ser prevenida com a administração de uma vacina simples e eficaz.

O apelo de Mandela naquele ano mobilizou nações africanas em todo o continente para intensificar seus esforços para alcançar todas as crianças com a vacina contra a pólio – e o último caso de poliovírus selvagem foi detectado e derrotado em 2016 na Nigéria.

Funcionários da OMS dizem que os esforços de erradicação da poliomielite impediram até 1,8 milhão de crianças de paralisia vitalícia e salvou aproximadamente 180.000 vidas.

“Este é um marco importante para a África. Agora as futuras gerações de crianças africanas podem viver livres da poliomielite selvagem ”, disse o Dr. Matshidiso Moeti, Diretor Regional da OMS para a África. “Essa conquista histórica só foi possível graças à liderança e compromisso de governos, comunidades, parceiros globais de erradicação da pólio e filantropos. Presto homenagem especial aos profissionais de saúde e vacinadores da linha de frente, alguns dos quais perderam suas vidas, por esta nobre causa. ”

O anúncio desta terça-feira marca apenas a segunda erradicação de um vírus da face da África desde a varíola, há 40 anos.

Embora a erradicação do poliovírus selvagem aqui seja uma conquista importante, 16 países africanos relataram casos de cVDPV2. Embora raros, esses casos de poliovírus derivados da vacina podem ocorrer quando o vírus vivo enfraquecido usado na vacina oral da pólio passa entre as populações subimunizadas e, com o tempo, muda para uma forma que pode causar paralisia. Se uma população for adequadamente imunizada com vacinas contra a poliomielite, ela estará protegida contra a poliomielite selvagem e os poliovírus circulantes derivados da vacina.

“A África demonstrou que, apesar dos sistemas de saúde fracos e dos desafios logísticos e operacionais significativos em todo o continente, os países africanos têm colaborado de forma muito eficaz na erradicação do poliovírus selvagem”, disse o Dr. Pascal Mkanda, Coordenador da Erradicação da Pólio da OMS na Região Africana.

“Com as inovações e experiência que o programa de poliomielite estabeleceu, estou confiante de que podemos manter os ganhos, pós-certificação e eliminar cVDPV2,” acrescentou o Dr. Mkanda.

Graças à dedicação dos governos, da OMS, Rotary International, UNICEF e Fundação Bill & Melinda Gates, os casos de pólio foram reduzidos em todo o mundo em 99,9% desde 1988. Apenas o Afeganistão e o Paquistão ainda têm casos do vírus selvagem.

“A experiência adquirida com a erradicação da poliomielite continuará a ajudar a região africana a lidar com o COVID-19 e outros problemas de saúde que têm atormentado o continente por tantos anos. Este será o verdadeiro legado da erradicação da pólio na África ”, disse o Dr. Moeti.

Fonte: Good News Network

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: APÓS DÉCADAS DE TRABALHO INCANSÁVEL A ÁFRICA CONSEGUE ERRADICAR O VÍRUS DA POLIOMIELITE

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho