SERVIDORES DA SAÚDE DE NATAL APROVARAM POR UNANIMIDADE INDICATIVO DE GREVE PARA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

Servidores da saúde de Natal aprovam greve a partir da próxima segunda-feira

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Divulgação/Sindsaúde-RN

Os servidores da saúde do município de Natal se reuniram nesta segunda-feira (04) aprovaçãoam, por unanimidade, a deflagração de uma greve. O movimento grevista, de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde-RN), está marcado para começar na próxima segunda-feira (11).

Dentre as principais categorias da categoria a base de dados, a revisão e atualização do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos (PCCV), implantação das gratificações, o não fechamento de serviços estão localizados como é o caso do Hospital Municipal de Natal, entre outros pontos .

A alegação “falta de compromisso da Prefeitura de Natal para com a saúde pública e seus servidores que foram e ainda são linha de frente na pandemia de covid-19, sem sequer receber o que lhe é de direito”.

Em nota, a administração municipal promoveu que, para garantir o cumprimento de todos os compromissos, deve ser reconhecida a importância financeira e a melhor preocupação fiscal, desde que dentro da possibilidade, para garantir o cumprimento de todos os compromissos , inclusive o pagamento em dia de todo o funcionalista”.

Continuar lendo SERVIDORES DA SAÚDE DE NATAL APROVARAM POR UNANIMIDADE INDICATIVO DE GREVE PARA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA

PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE NATAL DECIDIRAM ENTRAR EM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

Professores de Natal entram em greve por tempo indeterminado

Professores da rede municipal de ensino de Natal decidiram nesta segunda-feira 28, durante assembleia presencial do Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinte-RN) entrar em greve por tempo indeterminado. Na última quinta 24, a categoria já tinha aprovado um indicativo de paralisação. As informações são da 98 FM.

Depois da assembleia, professores fizeram uma caminhada pelo Centro de Natal e foram até o Palácio Felipe Camarão, sede da prefeitura, erguendo faixas em protesto contra o prefeito Álvaro Dias (PSDB). Na prefeitura, os professores receberam a confirmação de que serão recebidos na quarta-feira (30) pela secretária de Educação, Cristina Diniz.

A categoria cobra respostas da Prefeitura do Natal quanto à implantação do reajuste salarial de 2022. Os professores têm direito a um aumento de 33,24%, mas até agora a gestão municipal não apresentou uma proposta.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE NATAL DECIDIRAM ENTRAR EM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

PROFESSORES DO RN ENCERRAM GREVE APÓS ACEITAREM A PROPOSTA DO GOVERNO DO ESTADO SOBRE PAGAMENTO DO PISO SALARIAL DE 33,24%

Por Inter TV Cabugi e g1 RN

 

Professores da rede estadual aprovam fim da greve em assembleia do Sinte — Foto: Julianne Barreto/Inter TV CabugiProfessores da rede estadual aprovam fim da greve em assembleia do Sinte — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

Os professores da rede pública estadual aceitaram nesta sexta-feira (4) a proposta apresentada pelo governo do RN para o reajuste salarial de acordo com o novo piso do magistério e encerraram a greve que durava desde o dia 14 de fevereiro.

A nova proposta foi enviada pelo Poder Executivo após reunião com a categoria e analisada pelos professores em assembleia durante à tarde. A maioria aprovou a nova proposta e decidiu encerrar a paralisação e retomar as atividades.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação do RN (Sinte), as aulas retornam de forma presencial e normal a partir de segunda-feira (7).

“Estamos chamando ao retorno das aulas a partir de segunda-feira. Os pais podem mandar, os estudantes podem ir às escolas, que nós estaremos nas nossas salas de aula”, informou a coordenadora geral do Sinte-RN, Fátima Cardoso.

A coordenadora disse o fato de a decisão não ter sido unânime na categoria é normal neste tipo de debate, mas o voto da maioria representou a decisão dos professores. “Um pouco natural [a divisão], porque tem aqueles que tem pensamentos diferentes. É normal. Mas a maioria foi pelo fim da nossa greve”.

O impasse durava desde o início de fevereiroquando o governo federal oficializou o reajuste do piso salarial dos professores da rede básica em 33,24%,. Governo do RN e professores da rede estadual iniciaram uma série de rodadas de negociação, mas não chegavam a um acordo.

Em 2 de fevereiro foi aprovado o indicativo da greve e em 14 daquele mês a paralisação teve início – exatamente no mesmo dia em que as aulas da rede estadual retornaram de forma presencial em 2022.

Nova proposta

A nova proposta do governo do RN é para o pagamento do reajuste de 33,24% até dezembro deste ano. O reajuste será paritário para professores da ativa, aposentados e pensionistas.

De acordo com o governo do RN, o impacto financeiro no orçamento geral do Estado (OGE) em 2022 será de aproximadamente R$ 460 milhões.

A nova proposta contempla o reajuste dos salários dos professores e especialistas em educação que estão abaixo do novo piso já neste mês de março, com efeito retroativo a janeiro, em até 33,24%.

Aos demais professores e especialistas, o reajuste se dará em três parcelas, da seguinte forma: 15,03% em março; 6% em novembro e 9,28% em dezembro.

Segundo o governo, será viável pagar o valor retroativo a janeiro também de forma escalonada – o retroativo da parcela de 15,03%, implantada em março, será pago a partir de abril em nove parcelas. O retroativo restante será pago em 12 parcelas a partir de janeiro de 2023.

Esse parcelamento fica condicionado a ser menor que 2,5% da receita corrente líquida do Estado (gatilho). Caso seja maior, o Núcleo de Ações Coletivas será acionado para rediscutir a forma do parcelamento.

“Dentro deste ano, todos terão seus vencimentos atualizados. Isso é respeito ao magistério. O piso dos professores no RN é aplicado de maneira diferente do resto do país. Aqui, todo o magistério recebe o reajuste, com paridade para professores ativos, aposentados e pensionistas, de forma integral e linear. Esse é um direito que tenho o orgulho de ter sido defensora desde a concepção da Lei, a qual fui relatora”, disse a governadora Fátima Bezerra (PT).

Entre as dificuldades do governo na proposta, uma delas era apresentar uma que estivesse de acordo com as determinações do Tribunal de Contas do Estado e do Tribunal Regional Eleitoral, em virtude da legislação eleitoral proibir alterações salariais nos três meses antes e posteriores às eleições.

Continuar lendo PROFESSORES DO RN ENCERRAM GREVE APÓS ACEITAREM A PROPOSTA DO GOVERNO DO ESTADO SOBRE PAGAMENTO DO PISO SALARIAL DE 33,24%

PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DO RN CONTINUAM EM GREVE APÓS REJEITAREM NOVA PROPOSTA DO GOVERNO DO ESTADO

Por Geraldo Jerônimo, Inter TV Cabugi

 

Reunidos em assembleia, professores do RN rejeitam proposta apresentada pelo governo do RN para pagamento do reajuste do piso salarial — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV CabugiReunidos em assembleia, professores do RN rejeitam proposta apresentada pelo governo do RN para pagamento do reajuste do piso salarial — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi.

Em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (24), os professores da rede estadual do Rio Grande do Norte rejeitaram a nova proposta do governo do estado para reajuste de 33,24% do piso salarial da categoria, seguindo o Piso Nacional do Magistério de 2022.

O governo já afirmou que pretende pagar o novo valor até o fim do ano, mas a discussão gira em torno do parcelamento desse aumento. Os servidores estão em greve desde o dia 14 de fevereiro – data em do início do ano letivo de 2022 na rede estadual de ensino.

A proposta apresentada na tarde de quarta-feira (23) pelo governo seria de implantar, em março, o reajuste de 33,24% para todos os professores que estejam abaixo do novo piso, com retroativo a janeiro.

Já para os educadores que atualmente recebem acima do novo piso, que é de R$ 3,8 mil, a proposta é de implantação do reajuste em parcelas: 14% em março, 4% em novembro e 12,38% em dezembro.

A categoria, no entanto, rejeitou a proposta principalmente pela falta de previsão do pagamento retroativo para quem ganha acima do piso.

“Nós temos uma proposta que precisa ser melhorada, como a definição do retroativo, para que a gente tenha as garantias de que em 2023 o retroativo será pago e a gente não venha passar por constrangimento com o governo que estiver no poder”, diz a coordenadora do sindicato, Fátima Cardoso.

“Vamos esperar uma nova proposta, que ela seja melhorada no percentual a ser implementado no mês de março, bem como reduzir o tempo da segunda parcela, e a definição do retroativo, que é fundamental que esteja no acordo com a previsão de quando vai ser pago”, acrescentou.

Continuar lendo PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DO RN CONTINUAM EM GREVE APÓS REJEITAREM NOVA PROPOSTA DO GOVERNO DO ESTADO

INDICATIVO DE GREVE É APROVADO PELOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE NATAL

Servidores públicos municipais de Natal aprovam indicativo de greve

22 fev 2022

Servidores públicos municipais de Natal aprovam indicativo de greve – Os Libertários por Tota Farache

Reunidos em ato em frente à Prefeitura nesta segunda-feira (21), os servidores públicos municipais aprovaram um indicativo de greve que será posto em prática caso o prefeito Álvaro Dias não receba a categoria para discutir as reivindicações. Segundo o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal (Sinsenat), a Data Base dos trabalhadores não é atualizada há oito anos. Atualmente, existem servidores municipais que recebem valores inferiores ao salário mínimo. A Prefeitura comunicou que a questão está em estudo para, assim que for concluído, posterior deliberação.

De acordo com a coordenação do Sinsenat, os servidores estiveram por diversas vezes na sede da Prefeitura para cobrar um agendamento de reunião oficial com o prefeito e não tiveram sucesso. Nesta segunda-feira, também não houve quem pudesse receber os manifestantes a fim de discutir a matriz salarial e atualização da Data Base. Em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura, foi informado que o prefeito pessoalmente já se reuniu várias vezes com representantes da categoria. Além disso, apontaram que a questão sobre a Data Base está em estudo pela Secretaria Municipal de Educação e pela equipe financeira do Município para futura deliberação.

Sobre o assunto, o coordenador geral do Sindicato disse as tentativas de diálogo tiveram início em dezembro do ano passado. “Tivemos uma reunião na Câmara Municipal, onde foi proposto uma reunião com a Comissão de Finanças, Sindicato e o Prefeito, mas ele não nos recebeu. Enviamos vários oficios em janeiro e fevereiro, pedindo abertura da mesa de negociação, e não se concretizou. Chegamos ao limite, os servidores não aguentam mais essa intransigência. Natal é a única capital do país que tem servidores recebendo abaixo do mínimo. Merecemos respeito, e se não formos atendidos, estamos saindo daqui com uma determinação de que iremos para um processo de paralisação”, afirma.

“Diante da falta de compromisso, da ausência de respeito e da falta de empenho da gestão municipal em debater com o Sinsenat sobre a atualização salarial, o pagamento e correção da Data Base, nosso ato de mobilização busca mostrar à toda a sociedade natalense o descaso que a Prefeitura Municipal evidencia e demonstra para com seus servidores e servidoras que padecem fisicamente, psicologicamente e financeiramente sem a devida atualização dos vencimentos há mais de oito anos”, divulgam em nota.

Com informações Tribuna do Norte

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo INDICATIVO DE GREVE É APROVADO PELOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE NATAL

EDUCAÇÃO: APESAR DO INDICATIVO DE GREVE, AULAS NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DO RN INICIAM NESTA SEGUNDA-FEIRA 14

Aulas da rede estadual começam nesta segunda-feira; greve é ​​incerta no RN

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Arquivo/SEEC/ASSECOM

As aulas da Rede Estadual de Ensino começam nesta segunda-feira (14) em todo o Rio Grande do Norte. Apesar do indicativo de greve por parte da categoria de professores, a paralisação ainda é incerta. Ao todo, 220 mil alunos devem voltar às salas de aulas.

No início da manhã desta escola, as escolas oficiais são enviadas a segunda de alunos e professores. A data marca o início do período letivo de 2022, que até então estava previsto para começar em 7 de fevereiro, mas foi adiado devido à grande quantidade de professores adoecidos pela covid-19 ou síndromes gripais.

“Estamos mantendo para hoje o início das aulas presenciais em todas as nossas escolas. À medida que se preparam, os professores estão chegando, para que as escolas estejam comprometidas com os anos de pandemia que estão comprometidos. Estou aqui clamando para que todos pagos às escolas para o secretário estadual de Educação, Getúlio Marques, em entrevista à emissora estadual de Educação, Getúlio Marques, em entrevista à TV Tropical.

Os professores cobram a atualização do percentual total de 33,24% do Piso Salarial e ameaçam greve a solicitação não seja atendida. Para segunda-feira, está marcada uma audiência, 10h, entre representantes do Governo do Estado e Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sinte-RN), para seguir com as.

“Nós do Governo estamos negociando com o Sinte-RN. Respeitamos todas as diretrizes do sindicato e, ao mesmo tempo, estamos preocupados com os alunos em sala e as escolas preparadas. Continuamos com o nosso papel e conclamamos para que nosso foco principal seja com os alunos. Temos uma reunião com o Sinte-RN e creio que conseguiremos um pouco mais nas proximidades de todos os dias atuais, uma proposta adequada para todos os lados”, acrescentou o secretário.

Continuar lendo EDUCAÇÃO: APESAR DO INDICATIVO DE GREVE, AULAS NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DO RN INICIAM NESTA SEGUNDA-FEIRA 14

VEJA COMO REGISTRAR BOLETIM DE OCORRÊNCIA EM DELEGACIA VIRTUAL DEVIDO GREVE DA POLÍCIA CIVIL

Por g1 RN

 

Delegacia Virtual funciona 24 horas por dia — Foto: Sesed/DivulgaçãoDelegacia Virtual funciona 24 horas por dia — Foto: Sesed/Divulgação

Com agentes, escrivães e delegados da Polícia Civil do Rio Grande do Norte paralisados, a população não consegue registrar boletins de ocorrência desde a segunda-feira (8) nas delegacias da capital e do interior.

Sequer as delegacias de plantão da Zona Sul e da Zona Norte estão funcionando. Uma unidade provisória foi montada na academia da Polícia Militar, mas atende somente aos casos de flagrante levados pela PM.

A Delegacia Geral da Polícia Civil confirmou ao g1 RN, nesta terça-feira (8) que o registro de boletins de ocorrência só pode ser feito, por enquanto, pela internet, através da Delegacia Virtual. O serviço está disponível desde o final de 2020.

A Delegacia Virtual possibilita a comunicação de ocorrências de “menor potencial ofensivo” como:

  • Perda ou extravio de documento ou objeto
  • furtos
  • roubos
  • ameaça
  • estelionato
  • calúnia
  • injúria
  • difamação
  • acidente de trânsito sem vítima
  • dano
  • vias de fato
  • pertubação do sossego
  • desaparecimento de pessoa
  • constrangimento ilegal
  • maus-tratos contra animais

Como usar

Para acessar a Delegacia Virtual e fazer o registro de um Boletim de Ocorrência pela internet, o usuário pode acessar o sistema pela aba no site da Polícia Civil.

Após selecionar o estado, o usuário é direcionado para uma área onde recebe orientações e posteriormente escolhe o tipo de registro que deseja fazer.

Para prosseguir, é necessário ter ou fazer o cadastro para autenticação no site do governo federal.

Paralisação

A categoria informou que espera ser recebida pela governadora Fátima Bezerra para negociar sobre a situação do Adicional por Tempo de Serviço.

Em uma ação na Justiça, o Ministério Público questiona a validade do adicional e pede o fim do pagamento.

Os policiais afirmam que a retirada do benefício representaria uma perda de até 35% nos ganhos da categoria e, por isso, tentam negociar com o governo medidas alternativas.

“A categoria quer a presença da governadora Fátima Bezerra na mesa de negociação, para que ela possa entender a gravidade da situação e dizer se vai atender ou não o pleito dos policiais civis”, disse Edilza Faustino, presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-RN).

Segundo ela, desde abril do ano passado, o sindicato e as outras entidades representativas tentam negociar com o Governo, mas somente em janeiro deste ano, após uma paralisação da categoria, a mesa de negociação foi aberta.

“Mesmo assim, o Comitê Gestor afirmou que não tinha conhecimento da proposta que as entidades protocolaram ano passado. O Governo apresentou outras duas propostas diferentes que foram rejeitadas pelos policiais civis por representarem perda real de salário e de direitos”, comenta Edilza Faustino.

Em nota, o Governo do Estado do Rio Grande do Norte “ressalta que o momento é de construção de uma solução que, primeiro, evite perdas ao trabalhador e que seja exequível do ponto de vista econômico às finanças do Estado. O Governo do Estado destaca a necessidade da busca por esse entendimento nas negociações em curso, sem eventual custo social que uma paralisação traz à sociedade”.

Continuar lendo VEJA COMO REGISTRAR BOLETIM DE OCORRÊNCIA EM DELEGACIA VIRTUAL DEVIDO GREVE DA POLÍCIA CIVIL

DELEGACIAS EM NATAL FECHAM AS PORTAS DEVIDO GREVE DA POLÍCIA CIVIL

Por g1 RN

 

Delegacia de Plantão Zona Norte está fechada em Natal — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV CabugiDelegacia de Plantão Zona Norte está fechada em Natal — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Delegados de Polícia Civil do Rio Grande do Norte decidiram seguir agentes e escrivães e paralisar as atividades por tempo indeterminado. A medida foi tomada após assembleia realizada na tarde desta segunda-feira (7).

Diante desse movimento, as delegacias de plantão da Zona Norte e da Zona Sul de Natal e as de bairro ficaram com as portas fechadas nesta segunda-feira (7).

Segundo a presidente da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Rio Grande do Norte (Adepol-RN), Taís Aires, a categoria optou “por paralisar as atividades também, acompanhando a decisão que foi tomada mais cedo pelos agentes e escrivães, em razão desse problema envolvendo o Adicional do Tempo de Serviço dos policiais, que a gente vem tentando resolver com o governo do estado desde abril do ano passado”.

“Só agora, de janeiro para cá, que o governo realmente veio dar uma atenção a essa situação, apresentou duas propostas que não atendem nem de longe os anseios da categoria”, contou.

A presidente da Adepol relatou que a nova proposta do governo é a tentativa de suspender a ação judicial movida pelo Ministério Público que pede a retirada deste adicional de tempo serviço. Segundo o Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-RN), caso a Justiça acate esta retirada, os servidores poderão ter redução de salário de até 35%.

“Eles estão tentando novamente suspender a ação, e jogar essa negociação, essa resolução para o ano que vem. Isso não atende a classe. Uma nova reunião será realizada amanhã (terça-feira) com o governo para deliberar os novos rumos do movimento”, falou a presidente.

Questionada sobre como fica o atendimento à população e os serviços, a presidente da Adepol disse que “cabe aos delegados associados cumprirem a determinação do que foi decidido pelos colegas em assembleia, mas a decisão de como vai funcionar, onde vão ser realizados os serviços, vai caber à Delegacia Geral de Polícia, que é quem comanda a Polícia Civil”.

Interferências

A situação tem interferido em todas as etapas do serviço. O corpo de um homem assassinado às 8h no Planalto, Zona Oeste de Natal, nesta segunda-feira passou mais de sete horas no local do crime no aguardo de uma equipe da Polícia Civil que pudesse liberar o serviço do Itep.

Durante a tarde, uma viatura do 4º Batalhão da PM estava com um preso por tentativa de homicídio aguardando no camburão em frente à Delegacia Plantão Zona Norte, que estava fechada por causa da greve.

Um delegado e um escrivão estavam registrando as ocorrências na tarde desta segunda na academia da PM.

Paralisação

Os policiais civis do Rio Grande do Norte se reuniram em assembleia geral, nesta segunda-feira (7), em frente à Central de Flagrantes, e decidiram paralisar as atividades por tempo indeterminado. .

A categoria informou que espera ser recebida pela governadora Fátima Bezerra para negociar sobre a situação do Adicional por Tempo de Serviço. “A categoria quer a presença da governadora Fátima Bezerra na mesa de negociação, para que ela possa entender a gravidade da situação e dizer se vai atender ou não o pleito dos policiais civis”, disse Edilza Faustino, presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-RN).

Segundo ela, desde abril do ano passado, o sindicato e as outras entidades representativas tentam negociar com o Governo, mas somente em janeiro deste ano, após uma paralisação da categoria, a mesa de negociação foi aberta.

“Mesmo assim, o Comitê Gestor afirmou que não tinha conhecimento da proposta que as entidades protocolaram ano passado. O Governo apresentou outras duas propostas diferentes que foram rejeitadas pelos policiais civis por representarem perda real de salário e de direitos”, comenta Edilza Faustino.

Em nota, o Governo do Estado do Rio Grande do Norte “ressalta que o momento é de construção de uma solução que, primeiro, evite perdas ao trabalhador e que seja exequível do ponto de vista econômico às finanças do Estado. O Governo do Estado destaca a necessidade da busca por esse entendimento nas negociações em curso, sem eventual custo social que uma paralisação traz à sociedade”.

Confira a nota na íntegra:

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte reafirma a defesa feita até aqui para que não haja qualquer perda de rendimentos aos trabalhadores e trabalhadoras e reitera a disposição quanto à manutenção do diálogo com as categorias que compõem a Polícia Civil, e a defesa da manutenção dos valores recebidos nos vencimentos da categoria, aliás, essa é uma garantia colocada à mesa de negociações com representantes das entidades desde o início das negociações.

O Ministério Público do Estado entende como ilegal o pagamento do adicional por tempo de serviço (ADTS) aos servidores da Polícia Civil do RN e, por isso, ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no ano de 2019.

A definição por uma paralisação vem em momento de diálogo, inclusive com uma audiência solicitada pelo Governo junto à Procuradoria Geral de Justiça, prevista para esta terça-feira (8), para a construção de um entendimento viável e dentro da legalidade. Ressalta que o momento é de construção de uma solução que, primeiro, evite perdas ao trabalhador e que seja exequível do ponto de vista econômico às finanças do Estado.

O Governo do Estado destaca a necessidade da busca por esse entendimento nas negociações em curso, sem eventual custo social que uma paralisação traz à sociedade.

Continuar lendo DELEGACIAS EM NATAL FECHAM AS PORTAS DEVIDO GREVE DA POLÍCIA CIVIL

SEGURANÇA: SEM AVANÇO NAS TRATATIVAS COM GOVERNO POLICIAIS CIVIS DO RN ENTRAM EM GREVE

Policiais civis do RN decidem paralisar as atividades por tempo indeterminado

Redação/Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Reprodução/Instagram

Os policiais do Rio Grande do Norte se reuniram na Assembleia Geral, nesta segunda-feira (7), em segunda à Central de Flagrantes, e frente paralisar as atividades por tempo indeterminado. A categoria espera ser atendida pela Fátima Bera para negociar sobre a situação do Adicional Tempo (ADTS). Até o momento, não houve avanço nas tratativas.

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis do RN (Sinpol-RN), uma ação judicial movida pelo Ministério Público pediu a retirada do ADTS. Caso redução a Justiça acate, os servidores terão de salário de até 35%.

Ainda segundo o Sinpol-RN, desde o ano passado, o sindicato e outras entidades representativas, mas a mesa de negociação foi aberta em janeiro desta categoria, após uma paralisação da categoria. “O Governo apresentou outras duas propostas diferentes que foram rejeitadas pelos funcionários por representantes em reais de salário e de direitos”, comenta Edilza Faustino, do presidente.

“A categoria quer a presença da governadora Fátima Bezerra na mesa de negociação, para que ela possa entender a gravidade da situação e dizer se vai atender ou não o pleito dos policiais civis”, acrescenta o presidente.

Na última semana, representantes do Governo do Estado chegaram a se reunir com os policiais. Em nota, a gestão estadual afirmou que a categoria não terá perda salarial. Para esta semana, o Estado que deve ocorrer uma reunião com o Ministério Público, autor do pedido de suspensão do ADTS. O Ministério Público Estadual alega inconstitucionalidade no pagamento adicional por tempo de serviço da categoria.

Continuar lendo SEGURANÇA: SEM AVANÇO NAS TRATATIVAS COM GOVERNO POLICIAIS CIVIS DO RN ENTRAM EM GREVE

EDUCAÇÃO: PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO RN APROVARAM INDICATIVO DE GREVE PARA DIA 14 DE FEVEREIRO

Professores governamentais aprovam indicativo de greve em protesto sexta

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Internet

Os professores da Rede Estadual de Ensino aprovam um indicativo de greve para o dia 14 de fevereiro, dados previstos para a retomada das aulas no estado. O movimento grevista deve acontecer caso o Governo do Rio Grande do Norte não apresentou, até lá, uma proposta para implementação de 33,24% referente ao Piso Salarial 2022. Já nesta sexta-feira (04), a categoria realiza um ato público, às 9h, em frente à Governadoria. Também nesse dia está agendada uma nova audiência com a gestão estadual.

As deliberações oferecidas em Assembleia- RN virtual pelo Sindicadores em Educação Pública do RN De acordo com a leitura do Sinte-RN, programado uma audiência, estava programado para uma leitura, com a administração e o governo para a agenda de Educação, com a administração do governo e o encontro foi divulgado ontem da Fátima, mas o encontro foi divulgado ontem com os representantes Bezerra na mensagem para os representantes Assembleia Legislativa.

Sem propostas parte do Executivo, a categoria de projeto para o indicativo de greve. Os professores cobram a apresentação de uma proposta para atualizar o Piso Salarial 2022 que contemple os ativos e aposentados. Eles reivindicam a implementação dos 33,24% em fevereiro, retroativo ao mês de janeiro. A cobrança do Sindicato está amparada pela Lei 11.738/2008 e a portaria interministerial do Ministério da Educação (MEC) publicada em dezembro passado.

Durante a abertura do ano legislativo, a governadora Fátima Bezerra voltou a afirmar que pagará o Piso Salarial Nacional do Magistério. A declaração foi feita na leitura da mensagem anual do Governo, na Assembleia Legislativa. Diante dessa nova mensagem, o Sinte-RN destacou que a informação esperada da chefe poderá ser aprimorada quando a mensagem for reajustada e que formará a saída que vai acontecer.

Segundo o Sinte-RN, uma nova audiência com o Governo do Estado deve acontecer nesta sexta-feira (04). A classificação da categoria que nessa determinação é necessária.

Continuar lendo EDUCAÇÃO: PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DO RN APROVARAM INDICATIVO DE GREVE PARA DIA 14 DE FEVEREIRO

UTILIDADE PÚBLICA: SETURN SOLICITA EM CARÁTER DE URGÊNCIA REUNIÃO COM PREFEITO DE NATAL PARA DEFINIR O DISSÍDIO COLETIVO DO SETOR

Seturn cobra intermediação do prefeito para evitar greve dos rodoviários em Natal

Redação/Portal da Tropical

 Atualizado em:

Foto: Letícia França

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn), encaminhou ofício na segunda-feira (10) solicitando reunião em caráter de urgência com prefeito de Natal, Álvaro Dias, para definir o dissídio coletivo do setor (com risco) de greve) e isenção do ISS ou reajuste tarifário.

Ofício reuniãova para a sexta-feira (14) ou solicitação para esta segunda-feira (17) com a presença dos representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do RN (Sintro) e da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, Daliana Bandeira. “Mas até o momento não foi resolvido. A resposta da equipe da prefeitura do Natal não foi alcançada”, disse Nilson Queiroga técnico do Seturn.

Segundo Nil, a reunião se faz necessária para solucionar o dia a dia do prefeito da cidade, pois a própria STTU reconhece a defasagem tarifária.

A greve dos rodoviários está prevista para começar na quarta-feira (19). O edital de greve foi publicado na última sexta-feira (14). A categoria cobra reajusta os salários referentes aos anos de 2020 e 2021. Além disso, eles solicitam o retorno do pagamento integral do vale-alimentação. Segundo o Sintro, o valor pago nos dois últimos anos é de apenas R$ 180 quando deveria ser de R$ 360.

“A STTU em resposta ao TRT sobre o salário do motorista e a tarifa ignorada e os aumentos do diesel e ainda assim a tarifa já está além de R$ 4,00. Com um detalhe: esse valor sem ISS, muito embora a desoneração tenha expirado em 31/12/2021”, explicada Nilson Queiroga.

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: SETURN SOLICITA EM CARÁTER DE URGÊNCIA REUNIÃO COM PREFEITO DE NATAL PARA DEFINIR O DISSÍDIO COLETIVO DO SETOR

GREVE DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL FOI SUSPENSA ATÉ NOVA REUNIÃO COM SINDICATO DA CATEGORIA

Por g1 RN

 

Professores fizeram acampaento em frente à prefeitura de Natal na segunda-feira (27) — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV CabugiProfessores fizeram acampamento em frente à prefeitura de Natal na segunda-feira (27) — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Os professores da rede municipal de Natal suspenderam a greve que acontecia desde o dia 10 de dezembro. A parada no movimento foi deliberada em assembleia nesta quarta-feira (29) e vai durar até o próximo dia 10 de janeiro, quando ocorrerá uma nova reunião no Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública do RN (Sinte).

A parada acontece um dia depois de a Justiça do Rio Grande do Norte ter aumentado a multa diária para R$ 20 mil, limitada a até R$ 100 mil, caso os professores da rede municipal de Natal continuassem descumprindo a decisão judicial de suspender a greve.

O Sinte admitiu que a decisão judicial de bloquear as contas do sindicato dificultou o movimento. O sindicato acredita que a decisão foi “arbitrária” e colaborou para a assembleia suspender a greve neste momento.

Em comunicado, o Sinte informou que a suspensão é um momento de “respiro” para a categoria nesse final de ano e leva em conta também a votação do Projeto de Lei de atualização salarial 2020 dos professores, enviado pelo prefeito Álvaro Dias (PSDB) à Câmara Municipal de Natal.

O projeto prevê reajuste de 6,42% para ativos e aposentados a partir de dezembro, mais o retroativo de 2021. A categoria pontua que o percentual não é o desejado, mas aponta que alguns parlamentares tentarão apresentar emendas para o reajuste ser de 12,84%. O sindicato também acredita que a PL foi enviada pela pressão exercida pela categoria nos últimos dias.

Decisão da Justiça

O movimento foi considerado ilegal em decisão judicial do dia 22 de dezembro. Naquela altura, foi estipulada multa diária de R$ 10 mil, limitada a R$ 50 mil. A categoria não cumpriu a decisão e a Justiça dobrou a multa na terça-feira (28), citando “recalcitrância da parte em cumprir decisão judicial é ato grave, que reclama providências tendentes a assegurar a força da ordem judicial”.

Os professores estão em greve desde o dia 10 de dezembro e reivindicam um reajuste de 12,84%, além de melhoria na estrutura das escolas, redução de alunos por sala, entre outros problemas.

Os profissionais alegam que estão sem reajuste há 2 anos e a Secretaria Municipal de Educação (SME) ofereceu reajuste de 6,42% a ser pago de forma imediata, além do retroativo, para os ativos e inativos.

Protestos

Já após à primeira decisão judicial, do dia 22, os professores da rede municipal protestaram contra a decisão na frente da prefeitura de Natal na segunda-feira (27).

No dia 20 de dezembro, um outro protesto acabou em confusão, quando guardas municipais utilizaram spray de pimenta contra os professores que se manifestaram em frente à prefeitura de Natal (veja no vídeo abaixo).

Continuar lendo GREVE DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL FOI SUSPENSA ATÉ NOVA REUNIÃO COM SINDICATO DA CATEGORIA

EDUCAÇÃO: TJRN DETERMINOU FIM DA GREVE DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL

Justiça frustra greve de professores de Natal e determina retorno das atividades

Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, por meio de uma decisão do desembargador Amaury Moura Sobrinho, determinou que os professores da rede municipal de ensino em Natal voltem ao trabalho integral nas escolas e suspendam a greve.

A decisão atende pedido da Prefeitura, diante da promessa do Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinte), de fazer greve na rede municipal.

“Ante o exposto, defiro o pedido de ID 12444979 – Pág. 2, para, sem declaração, no momento, de ilegalidade ou abusividade da greve, deferir a tutela de urgência postulada, a fim de determinar o retorno integral da força de trabalho dos servidores municipais da educação do Município do Natal, aplicando multa diária ao Presidente do Sindicato no valor de R$ 10 mil reais por dia de descumprimento, limitada a princípio, em R$ 50.000,00”, apontou a decisão.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo EDUCAÇÃO: TJRN DETERMINOU FIM DA GREVE DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL

EDUCADORES DA REDE MUNICIPAL EM NATAL DECIDEM HOJE (06) SE INICIARÃO GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

Professores da rede municipal de Natal decidem sobre greve nesta segunda-feira (6)

Os educadores da rede municipal de Natal decidem hoje (6) se vão iniciar greve por tempo indeterminado. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte-RN) vai se reunir em assembleia deliberativa. Até lá, os professores tentam retomar canal de diálogo para renegociações com a Prefeitura. As informações são da Tribuna do Norte.

O Sinte reivindica melhores condições de trabalho, que viabilizem o retorno presencial de 100% das escolas, com infraestrutura adequada e medidas de biossegurança e merenda garantidas. A Prefeitura de Natal publicou um decreto no dia 18 de novembro deste ano liberando a volta integral às escolas de todos os alunos. No entanto, nem todas as unidades educacionais públicas voltaram, porque faltam alguns materiais.

Segundo o Sinte, há escolas que receberam máscaras inadequadas, escolas com obras inacabadas e que não têm continuidade há meses, além de escolas onde a merenda não vem em uma quantidade que supra todos os alunos, pelo fato de a Prefeitura não estar fazendo seu repasse.

A principal reivindicação dos professores diz respeito à atualização salarial referente ao ano de 2020. Segundo a lei municipal n° 6.425, de 2013, anualmente a remuneração dos educadores da rede municipal deve ser atualizada. O cálculo deve ser feito utilizando o mesmo percentual definido nacionalmente. Segundo Bruno Vital, coordenador-geral do Sinte, esse valor ficaria em 12,84%, mas a maior proposta feita pela Prefeitura, desde janeiro de 2020, ficou em 6,42%.

Antes da pandemia, segundo o educador, a proposta teria sido de 6,22% de aumento, valor equivalente a menos da metade do valor adequado, além de haver o retroativo apenas para os funcionários ativos da rede de ensino, sem contemplar os aposentados. A categoria rejeitou, e 2020 passou sem nenhuma outra proposta ser apresentada.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo EDUCADORES DA REDE MUNICIPAL EM NATAL DECIDEM HOJE (06) SE INICIARÃO GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

IGNORADOS PELO GOVERNO DO RN SERVIDORES DA SAÚDE INICIAM GREVE

Servidores da saúde do RN iniciam greve após serem ignorados pelo Governo

06-07-16- Natal – Mobilização dos Servidores da saúde no Hosp.Giselda trigueiro.( Breno abbott .membro da direção Sind Saúde )
foto/adriano abreu/h/selecionadas

Os servidores da saúde do Rio Grande do Norte irão deflagrar greve a partir desta quarta-feira (27). A primeira mobilização deve ocorrer às 9h, em frente ao Hospital Walfredo Gurgel. O Sindsaúde/RN reivindica a atualização do Plano de Cargos (PCCR) das categorias e a reposição de perdas salariais, além de outras melhorias nas condições de trabalho. A governadora Fátima Bezerra recebe a direção do sindicato nesta quinta-feira (28) para negociar com os trabalhadores.Segundo Breno Abott, coordenador geral do Sindsaúde, a greve segue por tempo indeterminado, sendo respeitado o quantitativo de 30% dos servidores em exercício de suas atividades, para garantir o funcionamento do serviço público de saúde. O indicativo inicial da paralisação ocorreu em ato realizado em frente à Governadoria, após aprovação da categoria, na terça-feira passada (19).

“Estamos nessa luta porque o governo não nos recebeu durante todo esse tempo. Vários sindicatos foram recebidos, mas pedimos audiência desde maio, e precisamos realizar um ato na Governadoria para conseguir uma reunião. Geralmente, negociamos nossas reivindicações no início do ano. Amanhã estaremos no Walfredo Gurgel iniciando nossa greve e na quinta-feira vamos nos reunir com a governadora Fátima”, disse.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo IGNORADOS PELO GOVERNO DO RN SERVIDORES DA SAÚDE INICIAM GREVE

UTILIDADE PÚBLICA: SERVIDORES DA SAÚDE DO RN APROVARAM INDICATIVO DE GREVE PARA QUARTA-FEIRA (27)

Servidores da Saúde do RN anunciam greve para quarta-feira

Foto: Ricardo Araújo / G1

Servidores da saúde do estado do Rio Grande do Norte iniciam uma greve a partir desta quarta-feira (27), após o grupo aprovar a ideia durante um ato realizado em frente à Governadoria no último dia 19 de outubro. A primeira atividade de mobilização está marcada para as 9h de da quarta, em frente ao Hospital Walfredo Gurgel.

De acordo com o Sindsaúde, a greve ocorre para pressionar o Governo sobre diversas reivindicações. Entre elas, reajuste salarial, que a categoria afirma não receber há mais de dez anos; o ponto eletrônico, que supostamente não abarca todas as categorias de forma igualitária; o atraso na apresentação do impacto financeiro das tabelas do Plano de Cargos (PCCR); a defesa de uma produtividade justa para a saúde; e as condições de trabalho nos hospitais.

No dia seguinte ao início da greve, quinta-feira (28), a direção do Sindicato será recebida pela governadora Fátima Bezerra (PT) para que se realize uma negociação das pautas da categoria.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: SERVIDORES DA SAÚDE DO RN APROVARAM INDICATIVO DE GREVE PARA QUARTA-FEIRA (27)

TRANSPORTE PÚBLICO DEVE CIRCULAR NORMALMENTE NA CAPITAL NESTA QUARTA-FEIRA

Apesar do indicativo de greve, transporte público de Natal deve funcionar normalmente nesta quarta-feira

O presidente do Sinto-RN revelou que uma reunião nesta semana definirá o futuro do movimento

Redação
12/10/2021 | 11:25

O sistema de transportes urbanos de Natal deverá funcionar normalmente nesta quarta-feira 13, apesar de existir um indicativo de greve aprovado na semana passada pelo Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro-RN).

O presidente do sindicato, Júnior Rodoviário, revelou que, durante reunião realizada na segunda-feira 11, as representações de trabalhadores e empresários terão uma reunião ainda nesta semana para definir os detalhes sobre o dissídio coletivo, que é uma ação judicial em que as partes buscam a solução de um conflito que ultrapasse as relações individuais de trabalho (conflito coletivo).

Júnior Rodoviário afirmou à imprensa na quinta-feira 7 que haveria greve no sistema de transporte público a partir desta semana. “A [Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana] STTU não funciona. A partir de hoje, toda a população de Natal está ciente que na próxima semana nós estraremos em greve, por prazo indeterminado”, comentou.

A categoria exige o cumprimento das datas-bases salariais deste ano e de 2020, previstas para acontecer em maio passado, que até o momento não foram implementadas pelas companhias de ônibus de Natal. Os rodoviários pedem que o reajuste seja o equivalente à inflação acumulada (IPCA) para os últimos 12 meses, que é 9,68%, segundo dados de agosto do IBGE. Atualmente, o piso da categoria é de R$ 2,110.

Além disso, os motoristas querem a recomposição do vale-alimentação. Até março do ano passado, as empresas pagavam R$ 315 aos trabalhadores, mas, com a redução das linhas em circulação em decorrência da pandemia da Covid-19, o valor foi reduzido para R$180.

“Entrou secretário, saiu secretário, e nada foi resolvido. Vamos enfrentamento a secretaria, porque [a pasta] acha que fazer transporte é só acertar com o empresário e o usuário, deixando de lado os trabalhadores. Não vamos admitir. Se ela [a secretaria] quer uma queda de braço, quem vai sofrer é a população”, disse o presidente do sindicato.

Por outro lado, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn) disse que a busca por melhores condições de trabalho por parte dos rodoviários é um direito legítimo, mas deve ser exercido com responsabilidades, dentro das normas do Estado Democrático de Direito. A entidade reforça que está aberta ao diálogo para discutir as reivindicações dos trabalhadores do sistema rodoviário.

“O Seturn informa que sempre esteve à disposição para o diálogo com o Sintro e qualquer outra autoridade, mas que a crise dos transportes públicos extrapola a sua capacidade de resolução sendo necessário um diálogo intersetorial para as soluções dos problemas de mobilidade urbana em nossa capital”, encerra a nota.

Fonte: Agora RN

Continuar lendo TRANSPORTE PÚBLICO DEVE CIRCULAR NORMALMENTE NA CAPITAL NESTA QUARTA-FEIRA

UTILIDADE PÚBLICA: MOTORISTAS E COBRADORES DO TRANSPORTE PÚBLICO DE NATAL AMEAÇAM INTERROMPER O SERVIÇO POR TEMPO INDETERMINADO A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA (11)

Motoristas de ônibus aprovam greve a partir de segunda-feira (11)

Atualizado: 06:22:13 – 08/10/2021

Rodoviários de Natal paralisam operação de ônibusUTI

Motoristas e cobradores do sistema de transporte público de Natal ameaçam interromper o serviço, por tempo indeterminado, a partir da próxima segunda-feira (11). O Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro) aprovou nesta quinta-feira (07) indicativo de greve, em assembleia geral, após fracasso nas negociações recentes com as empresas de ônibus.
Motoristas fizeram uma paralisação de advertência ontem, o que causou lentidão no fluxo de veículos e irritou passageiros
Segundo o Sintro, o edital de greve foi publicado em veículos de comunicação nesta sexta-feira (08). O prazo para início da paralisação, de acordo com a lei federal 7.783, é de 72 horas. “Como o prazo se encerra no domingo (10), não é interessante fazer a paralisação neste dia. Vamos fazer no início da semana”, explicou Harley Davidson de Andrade, diretor de comunicação do Sintro.
A categoria exige o cumprimento das datas-bases salariais deste ano e de 2020, previstas para acontecer em maio passado, que até o momento não foram implementadas pelas companhias de ônibus de Natal. Os rodoviários pedem que o reajuste seja o equivalente à inflação acumulada (IPCA) para os últimos 12 meses, que é 9,68%, segundo dados de agosto do IBGE. Atualmente, o piso da categoria é de R$ 2,110.
Além disso, os motoristas querem a recomposição do vale-alimentação. Até março do ano passado, as empresas pagavam R$ 315 aos trabalhadores, mas, com a redução das linhas em circulação em decorrência da pandemia da Covid-19, o valor foi reduzido para R $180. “As empresas prometeram a retomada gradual no pagamento, mas ainda segue abaixo do que era pago antes da pandemia. Aguardamos desde o início do ano que as empresas nos chamem para conversar”, reclamou Harley Davidson.
De acordo com o sindicalista, desde maio passado os rodoviários tentam negociar com os empresários. Sem diálogo, os trabalhadores fizeram uma manifestação de advertência no início da tarde desta quinta-feira (07). Durante o protesto, que teve início às 11h53 e se encerrou às 13h, o fluxo na região ficou lento e houve atraso nas linhas que cumprem itinerário entre o Alecrim e a Cidade Alta.
Trabalhadores, estudantes e a população em geral foram surpreendidos pela paralisação dos serviços. Por volta do meio-dia, dezenas de ônibus estacionaram no início da Avenida Rio Branco, na região do Baldo, em frente à sede do Sintro. “É um absurdo ficar no meio do caminho. Eu estava indo para o trabalho. Fui prejudicada”, reclamou Neuzuelika Almeida de Azevedo, que ia para o trabalho na Zona Norte da cidade.
“O protesto é para comunicar à população que na próxima semana entraremos em greve por prazo indeterminado. Se o empresário não tem compromisso e a STTU não tem uma discussão com os empresários, é o que nos resta fazer”, justificou Júnior Rodoviário, presidente do Sintro.
O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn) informou, por meio de nota, que “lamenta a paralisação dos rodoviários no dia”. A entidade relata que a ação dos trabalhadores foi tomada sem diálogo estabelecido com a classe patronal. “Especialmente, pela ausência de comunicação com 72hs de antecedência à população”.
Ainda de acordo com o Seturn, a busca por melhores condições de trabalho por parte dos rodoviários é um direito legítimo, mas deve ser exercido com responsabilidades, dentro das normas do Estado Democrático de Direito. A entidade reforça que está aberta ao diálogo para discutir as reivindicações dos trabalhadores do sistema rodoviário.
“O Seturn informa que sempre esteve à disposição para o diálogo com o Sintro e qualquer outra autoridade, mas que a crise dos transportes públicos extrapola a sua capacidade de resolução sendo necessário um diálogo intersetorial para as soluções dos problemas de mobilidade urbana em nossa capital”, encerra a nota.
Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: MOTORISTAS E COBRADORES DO TRANSPORTE PÚBLICO DE NATAL AMEAÇAM INTERROMPER O SERVIÇO POR TEMPO INDETERMINADO A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA (11)

VEJA O COMUNICADO DO GOVERNO DO RN SOBRE NEGOCIAÇÃO COM SERVIDORES DO DETRAN EM GREVE

Governo do Estado divulga nota e diz que continua negociando com servidores do Detran

28 set 2021

DETRAN RN 2021 → Consultar Multas, Simulado, Licenciamento

O Governo do Estado divulgou um comunicado e afirmou que continua negociando com os servidores do Detran, que estão em greve.

Diz o comunicado do Executivo:

O Governo do Estado continua com diálogo aberto com representantes dos servidores do Detran/RN. As cláusulas sociais já foram acordadas com o Governo, ficando pendentes as econômicas. Porém, a categoria decidiu paralisar as atividades no início de setembro enquanto negociava a pauta de reivindicações.

Os servidores e o Governo já haviam chegado a acordo no que diz respeito às cláusulas sociais da pauta de reivindicações que englobava nove itens, dentre os quais: inclusão do termo “trânsito” na nomenclatura dos cargos efetivos do Detran, modelo de avaliação do servidor com objetivo de promoção na carreira e manutenção do plano de saúde.

A realização do concurso público para o órgão, que também era uma reivindicação da categoria anteriormente atendida pelo Governo, está com processo em tramitação. O certame já tem estudo de necessidade, a Secretaria de Administração apresentou impacto financeiro e agora será analisado pelo Comitê de Gestão.

A negociação com os servidores vem se dando sob a coordenação do diretor-geral do Detran, Jonielson Oliveira, da secretária de Administração, Virgínia Ferreira, sob a orientação da governadora Fátima Bezerra e acompanhada pelo secretário-chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo VEJA O COMUNICADO DO GOVERNO DO RN SOBRE NEGOCIAÇÃO COM SERVIDORES DO DETRAN EM GREVE

SINDICATO VAI RECORRER DA DECISÃO DA JUSTIÇA QUE PROÍBE GREVE DE PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL

Justiça proíbe greve de professores em Natal; sindicato vai recorrer

Redação / Portal da Tropical

Atualizado em:

Foto: Walla Santos

O desembargador Amaury de Souza Moura Sobrinho determinou, nessa sexta-feira (16), que os professores da rede municipal de Natal não podem entrar em greve. O movimento grevista foi decidido pela categoria em Assembleia, que teve participação de cerca de 500 profissionais da educação.

Em nota, o Sindicato dos Profissionais da Educação do Rio Grande do Norte (Sinte-RN) prometeu recorrer da decisão da Justiça, que fixa multa diária de R $ 10 mil para o sindicato em caso de realização de greve. O Sinte avaliou que o desembargador está impedindo o direito de greve.

“Estamos surpresos com o teor da decisão judicial, por decretar ilegal uma greve que nem foi deflagrada. Mais estranha é a velocidade da decisão, que sai em menos de 24h depois de nos pronunciarmos no processo “, afirmou o coordenador geral do Sinte-RN, Bruno Vital.

Ele ainda acrescentou que: “Queremos entender a partir de que dados o juiz diz que a Prefeitura tomar providências para o retorno quando apenas 15 CMEIs, de um total de 74, estavam em condições de retornar. Vamos recorrer da decisão e buscar um outro resultado , dentro da realidade do caos que está a educação em Natal ”.

O sindicato aponta que o magistrado desconsiderou o risco de contaminação e morte por covid-19 de professores e alunos diante de uma retomada imediata ao ensino presencial antes da aplicação da 2ª dose da vacina.

“Portanto, conforme acertado na última Assembleia, realizado em 14 de julho, nenhum educador da capital deve retornar para qualquer escola. Mas sim continuar trabalhando remotamente até 28 de julho, data em que acontecerá novo encontro da categoria em formato virtual”, frisou o Sinte-RN.

Continuar lendo SINDICATO VAI RECORRER DA DECISÃO DA JUSTIÇA QUE PROÍBE GREVE DE PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL

DESEMBARGADOR DECIDE POR ILEGALIDADE NA GREVE DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NARTAL

Greve dos professores da rede municipal de ensino de Natal é ilegal, decide Desembargador

Desembargador decide pela ilegalidade da greve dos professores de Natal – Justiça Potiguar

Decisão do desembargador Amaury Moura Sobrinho, do TJRN, determinou na noite desta sexta-feira (16) que a greve dos professores da rede municipal de ensino de Natal é ilegal. O descumprimento da decisão pode acarretar multa diária de R$ 10 mil.

“Defiro a tutela de urgência postulada, a fim de determinar a manutenção integral da força de trabalho dos servidores municipais da educação do Município do Natal, nos termos fixados pelo Poder Executivo Municipal, aplicando multa diária no valor de R$ 10.000,00 (dez) mil reais por dia de descumprimento”, escreveu o Desembargador na decisão.

Continuar lendo DESEMBARGADOR DECIDE POR ILEGALIDADE NA GREVE DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NARTAL

INDICATIVO DE GREVE É MANTIDO PELOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL

Professores da rede municipal de Natal mantêm indicativo de greve e defendem continuidade das aulas em formato exclusivamente remoto

Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi

Em assembleia virtual realizada nesta quarta-feira (14), educadores de Natal debateram o movimento grevista na Rede Municipal de Ensino. A discussão foi coordenada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/ RN) e professores deliberaram por manter o indicativo de greve na capital e transferir a deflagração para 28 de julho, com paralisação de todas as atividades nos dias 16, 21 e 26 de julho.

A nova data prevista para início da greve considera o calendário letivo do município que prevê o retorno do ensino fundamental para o final do mês. Desse modo, a categoria voltará a se reunir em assembleia na quarta-feira (28).

Os trabalhadores discutiram ainda temas como como a carga suplementar; a deficiência de estrutura de algumas escolas, com falta de abastecimento de água e insegurança sanitária; a imunização contra a covid-19; e o descumprimento da Lei do Piso em Natal.

A categoria mais uma vez defendeu a continuidade das aulas em formato exclusivamente remoto, considerando a necessidade de completar o ciclo de imunização contra a covid, após as duas doses das vacinas, para que ocorra o retorno presencial.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo INDICATIVO DE GREVE É MANTIDO PELOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE NATAL

CAMINHONEIROS CONVOCARAM GREVE, PARALIZAÇÃO FOI MARCADA PARA SEGUNDA FEIRA (1º)

Greve dos caminhoneiros: o que se sabe sobre a paralisação marcada para o dia 1º

Mariângela Castro, do CNN Brasil Business*

30 de janeiro de 2021 às 05:00

Caminhão cruz a divisa entre Goiás e Distrito Federal (22.ago.2014)Caminhão cruza a divisa entre Goiás e Distrito Federal (22.ago.2014)Foto: Pedro França/Agência Senado

Uma greve dos caminhoneiros, como a de 2018, foi convocada por alguns integrantes da categoria para esta segunda-feira (1º). É difícil cravar, com certeza, se haverá ou não a paralisação, nem se será maior ou menor que a de três anos atrás.

Isto porque a categoria dos caminhoneiros é muito pulverizada, representada por diversas entidades de classe, e a comunicação entre os trabalhadores é feita de forma não centralizada, por grupos de WhatsApp.

Na quarta-feira (27), o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), fez um apelo para que os caminhoneiros não cruzem os braços, alegando que “todos vamos perder”. Apesar disso, no dia seguinte, um ofício enviado ao governo pelo Conselho Nacional de Transportes Rodoviários de Cargas (CNTRC) confirmou a greve caso as reivindicações da categoria não sejam atendidas.

Confira abaixo perguntas e respostas para entender o que se sabe até agora a respeito da possível paralisação.

Quem deve aderir à greve?

A greve dos caminhoneiros prevista para segunda-feira (1º) foi convocada pela Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), integrante do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC). A ANTB representa cerca de 4.500 caminhoneiros em todo país e, no dia 13 de janeiro, afirmou que não veria problema em realizar uma paralisação durante a pandemia.

Na última terça-feira (26), a greve recebeu apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística (CNTTL), uma das maiores entidades da categoria no país. A CNTTL possui 800 mil motoristas em sua base e orienta todos a aderirem à paralisação.

Na quarta-feira (27), a Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reúne sindicatos de petroleiros em todo o país, também declarou apoio aos caminhoneiros. Segundo a FUP, este apoio se dará por meio de inúmeras ações e protestos que serão realizados por sindicatos ligados à entidade.

Por outro lado, a Confederação Nacional do Transporte (CNT) negou qualquer tipo de apoio à possível paralisação. A nota foi emitida pelo presidente da CNT, Vander Costa, na última quinta-feira (28).

De acordo com o presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, a paralisação poderá ser maior que a realizada em maio de 2018. Na época, a greve teve duração de 10 dias.

O que querem os caminhoneiros?

De acordo com a ANTB, o principal motivador da greve é a alta do preço do diesel, que teve aumento de 4,4% nas refinarias no final de dezembro e é o combustível majoritariamente utilizado por caminhoneiros.

Também é reivindicada uma revisão no reajuste na Tabela do Piso Mínimo de Frete, realizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), para o transporte rodoviário de carga.

Pelas novas regras do reajuste, não entram no cálculo do piso mínimo a margem de lucro do caminhoneiro, custos com pedágios, custos relacionados às movimentações logísticas complementares ao transporte de cargas, despesas de administração, tributos e taxas.

A categoria também cobra pela implementação do Código Identificador de Operação de Transporte (Ciot), conquista da greve de 2018.

Para resolver essas questões e evitar a greve prevista, os caminhoneiros querem uma reunião com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro –que recebeu o apoio da categoria na última eleição presidencial.

Que medidas o governo tomou para tentar reverter a paralisação?

Numa tentativa de frear a realização da greve dos caminhoneiros, o governo decidiu incluir a categoria na lista do grupo de prioridades para tomar as vacinas contra a Covid-19 no país. Essa ação elava o número de pessoas do grupo prioritário para 77,2 milhões, com a soma de 1,24 milhão de caminhoneiros.

Além disso, a Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério da Economia, zerou o Imposto de Importação de pneus para veículos de carga.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que o governo trabalhava na revisão de normas de pesagem de caminhões nas estradas, para reduzir custos dos autônomos do setor.

Por fim, na última quarta-feira (27), CNN apurou com fontes do Palácio do Planalto e da equipe econômica que o governo deve anunciar em breve a redução do PIS/Cofins sobre o óleo diesel. Os dois impostos, porém, não seriam zerados, e sim atenuados, de acordo com interlocutores.

Fonte: R7

Continuar lendo CAMINHONEIROS CONVOCARAM GREVE, PARALIZAÇÃO FOI MARCADA PARA SEGUNDA FEIRA (1º)

PROTESTOS: DEVE SER PONTUAL A GREVE DOS CAMINHONEIROS NO DIA 1º DE FEVEREIRO, MAS CATEGORIA ESTÁ DIVIDIDA

Caminhoneiros estão divididos e greve de 1º de fevereiro deve ser pontual

 CIDADES

Às vésperas da mobilização anunciada por caminhoneiros contra os preços dos combustíveis e o descumprimento da tabela de frete, há uma categoria dividida. Roberto Stringasi, da ANTB (Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil), diz que o ato marcado para 1º de fevereiro será maior que a greve de 2018.

Segundo o presidente do CNTRC, Plínio Dias, a paralisação vem sendo discutida desde dezembro. Há pressões de todos os lados, com reclamações sobre a relação da categoria com o Ministério da Infraestrutura. Eis a íntegra das reivindicações.

Para alguns segmentos, o grupo está na “UTI” e a insatisfação com o governo Bolsonaro vem crescendo a cada semana. A crise econômica decorrente da pandemia, que fez governadores restringirem o acesso aos Estados, piorou tudo. Uma das queixas é a aprovação da BR do Mar, que estabelece a cabotagem no ramo de transportes e, da forma como está, pode impulsionar a migração dos caminhoneiros de longa distância para a curta, o que deve saturar ainda mais o mercado.

Outra parte dos motoristas avalia que muitos avanços ocorreram nos últimos anos, como a mudança na política de preços das Petrobras. Se a categoria não se unir nos próximos dias, há tendência de haver paralisações pontuais. Tanto em 2019 como em 2020 houve tentativas de mobilização para tentar replicar o ato de 2018, mas acabaram não se concretizando.

O Ministério da Infraestrutura afirma que está em contato permanente com as principais entidades da categoria por meio do Fórum do Transporte Rodoviário de Cargas. Para o órgão, a ANTB não é representativa para falar em nome do setor do como um todo. A associação reúne 4,5 mil caminhoneiros. No Brasil, há 1 milhão de motoristas com registro de Transportador Autônomo de Cargas, segundo ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestre). “Nenhuma associação isolada pode reivindicar para si falar em nome do transportador rodoviário de cargas autônomo, e incorrer neste tipo de conclusão compromete qualquer divulgação fidedigna dos fatos referentes à categoria”, diz o ministério.

Walace Landim, o Chorão, da Abrava (Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores) afirma que está avaliando a possibilidade de aderir à greve. Ele foi uma das lideranças das manifestações de 2018. “Estou conversando para ver a questão da adesão, para saber qual o sentimento da categoria”, declarou ao Poder360. “Uma paralisação vai ser a melhor? Tá todo mundo no limite. A gente precisa ter muita seriedade para tomar uma decisão dessa”.

Junior Almeida, liderança do movimento em 2018 e presidente do Sindicam, diz que muitos caminhoneiros estão passando por dificuldades e não vão aderir ao ato deste ano. Em grupos fechados nas redes sociais, os motoristas divergem sobre o tema. É um cenário muito diferente de 2 anos atrás.

A alta do diesel foi o que desencadeou na paralisação de 2018, ainda no governo de Michel Temer. A greve durou 10 dias. Interrompeu o fornecimento de combustíveis, a distribuição de alimentos e insumos médicos. Houve prejuízos na casa de R$ 15 bilhões em diversos setores econômicos.

Por causa da pandemia, o preço do óleo diesel no varejo teve queda de 3,30% em 2020, segundo dados do IBGE. Para 2021, os preços dos combustíveis no Brasil sofrem pressão para cima, com expectativa de recuperação da cotação internacional do petróleo.

Fonte: Blog do Bg

Continuar lendo PROTESTOS: DEVE SER PONTUAL A GREVE DOS CAMINHONEIROS NO DIA 1º DE FEVEREIRO, MAS CATEGORIA ESTÁ DIVIDIDA

SERVIÇOS DOS CORREIOS NO RN SÃO RETOMADOS, APÓS FUNCIONÁRIOS ENCERRAREM A GREVE

Por Inter TV Cabugi

 

Correios encerraram greve no RN — Foto: ReproduçãoCorreios encerraram greve no RN

Os funcionários do Correios do Rio Grande do Norte encerraram nesta terça-feira (22) a greve da categoria e vão retomar os serviços normalmente a partir das 22h desta noite. A retomada foi decidida em assembleias da categoria que aconteceram em Natal e Mossoró, após a decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST), na segunda-feira (21), que aprovou um reajuste de 2,6% e determinou a volta ao trabalho. Caso a determinação não fosse cumprida, a multa diária estipulada era de R$ 100 mil.

Os funcionários no Rio Grande do Norte aderiram a greve nacional da categoria no dia 18 de agosto. Desde essa data, os serviços ficaram suspensos e foram afetados atendimentos, postagens e entregas.

Das 195 agências do RN, pelo menos 79 pararam completamente, segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios, Telégrafos (Sintect/RN). No Rio Grande do Norte, que conta com 1.060 funcionários, a adesão à greve foi de 70%. Em Mossoró, esse número chegou a 85% dos 112 servidores da cidade.

Além do reajuste, o TST decidiu também que a greve não foi abusiva. Com isso, metade dos dias de greve será descontada do salário dos empregados. A outra metade deverá ser compensada.

Cláusulas do acordo coletivo

De acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresa dos Correios e Similares (Fentect), a paralisação foi deflagrada depois que os trabalhadores foram surpreendidos com a revogação do atual Acordo Coletivo que estaria em vigência até 2021.

Em agosto, o Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a decisão do então presidente da Corte, Dias Toffoli, e suspendeu 70 das 79 cláusulas do acordo coletivo de trabalho dos trabalhadores dos Correios.

O pedido da suspensão foi feito pelos Correios. A empresa argumentou que não teria como manter as altas despesas, e que precisaria “discutir benefícios que foram concedidos em outros momentos e que não condizem com a realidade atual de mercado”.

O acordo coletivo havia sido estendido até o fim de 2021 por decisão do TST em outubro do ano passado.

No julgamento do dissídio, o TST decidiu manter as nove clausulas oferecidas pelos Correios durante a negociação salarial – que incluem a oferta de plano de saúde e auxílio-alimentação – e outras 20 cláusulas sociais, que não representam custos extras aos Correios.

As outras 50 cláusulas do antigo acordo coletivo de trabalho foram canceladas.

Segundo a categoria de trabalhadores, as cláusulas revogadas garantiam direitos como 30% do adicional de risco, vale alimentação, licença maternidade de 180 dias, auxílio creche, indenização de morte, indenização de morte, auxílio para filhos com necessidades especiais, pagamento de adicional noturno e horas extras.

Fonte: G1 RN

Continuar lendo SERVIÇOS DOS CORREIOS NO RN SÃO RETOMADOS, APÓS FUNCIONÁRIOS ENCERRAREM A GREVE

EM MEIO À PANDEMIA MÉDICOS NO PERU CONVOCAM GREVE POR 48 HORAS

 

Médicos convocam greve de 48 horas no Peru em meio à pandemia

Entre as principais reivindicações estão a necessidade de equipamentos de proteção individual adequados. Paralização ocorrerá nos dias 26 e 27 de agosto

INTERNACIONAL

Da EFE

Esta homenagem foi feita aos médicos peruanos que morreram de covid-19

A Federação Médica do Peru convocou uma greve de 48 horas para os dias 26 e 27 de agosto, enquanto o país reporta um aumento no número de casos ativos de covid-19, mas garantiu que os pacientes serão atendidos normalmente.

Inicialmente, a greve havia sido convocada para os dias 15 e 16 de julho, mas acabou não sendo realizada porque a entidade começou a negociar com o ministro da Saúde anterior, Víctor Zamora.

Os médicos retomaram a convocatória após não verem avanços nas conversas com a nova minsitra, Pilar Mazzetti, que substituiu Zamora como parte da reformulação do governo peruano feita pelo presidente, Martín Vizcarra, em meados de julho.

“Estamos dispostos a falar, mas, se não tivermos propostas concretas, não podemos falar. Já suspendemos a greve de 15 e 16 de julho para conversar, mas acreditamos que fomos enganados por Vizcarra. Fomos chamados para o dia 16 e, no dia 15, o ministro da Saúde e o primeiro-ministro mudaram”, disse o presidente da Federação Médica do Peru, Godofredo Talavera.

Prioridade aos pacientes

O presidente do sindicato garantiu que nenhum paciente ficará sem atendimento por causa da greve porque apenas os médicos que estiverem de licença ou tiverem terminado as atividades sairão para protestar.

Entre as principais reivindicações estão a necessidade de equipamentos de proteção individual adequados para tratar casos de covid-19 e assegurar que os médicos autônomos contratados pelo Ministério da Saúde para lidar com a pandemia sejam pagos durante os três meses combinados, dinheiro que não chega devido à lentidão dos procedimentos administrativos.

Talavera também garantiu aos meios de comunicação locais que os médicos receberam apenas uma pequena parte do bônus especial que o governo anunciou para os profissionais que tratam de casos de covid-19.

Segundo ele, ainda são necessários 16 mil médicos no sistema de saúde pública peruano, além de mais medicamentos, camas e oxigênio. A principal reivindicação é aumentar o orçamento da saúde para 5% do produto interno bruto (PIB).

Na opinião de Talavera, o orçamento de 20 bilhões de sóis anunciado por Vizcarra para 2021 não vale para os médicos peruanos, pois mal representa 2,44% do PIB, 0,18% a mais do que o orçamento inicial para este ano.

Continuar lendo EM MEIO À PANDEMIA MÉDICOS NO PERU CONVOCAM GREVE POR 48 HORAS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar