TALIBÃ FOI ELOGIADO PELOS EUA POR FACILITAR RETIRADA DE CIDADÃOS AMERICANOS DO AFEGANISTÃO

EUA elogiam ‘cooperação’ do Talibã em nova retirada do Afeganistão

113 passageiros, incluindo americanos, canadenses, alemães e ucranianos foram levados em voo fretado até Doha, no Qatar

INTERNACIONAL

 por AFP

Passageiros e tripulação chegaram à noite em Doha, no Qatar

KARIM JAAFAR/AFP – 9.9.2021

Os Estados Unidos elogiaram na quinta-feira (9) a “cooperação” e “flexibilidade” do Talibã no primeiro voo de evacuação desde sua retirada do Afeganistão.

“O Talibã cooperou para facilitar a partida de cidadãos americanos e residentes legais permanentes em voos charter” do aeroporto de Cabul, disse a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Emily Horne, sobre o voo para o Qatar.

“Eles mostraram flexibilidade e foram práticos e profissionais ao lidar conosco nesse esforço”, acrescentou Horne, afirmando que a Casa Branca também agradeceu o Qatar pelos seus trabalhos.

A porta-voz enfatizou que os esforços continuarão para facilitar as evacuações de americanos e afegãos que trabalharam com a missão dos EUA.

O primeiro voo para evacuar civis de Cabul desde a retirada das tropas americanas no final de agosto pousou no Qatar nesta quinta-feira com 113 passageiros, incluindo americanos, canadenses, alemães e ucranianos, disse uma fonte próxima da operação à AFP, na capital Doha.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Pskai, se recusou a dizer quantos americanos estavam a bordo do voo, dizendo que o governo dos Estados Unidos ainda não tem todos os detalhes.

O governo de Joe Biden disse anteriormente que cerca de 100 americanos ainda estavam no Afeganistão e que desejavam ir embora após a conclusão da ponte aérea realizada pelo exército dos Estados Unidos em agosto, em meio à tomada de poder dos talibãs, que levou à retirada de mais de 123.000 pessoas do país.

Continuar lendo TALIBÃ FOI ELOGIADO PELOS EUA POR FACILITAR RETIRADA DE CIDADÃOS AMERICANOS DO AFEGANISTÃO

PARA FACILITAR APROVAÇÃO DA PEC DA IMPUNIDADE, AUTOR ADMITE INCLUSÃO DE MAIS CRIMES

Autor da PEC da Imunidade admite incluir prisão por corrupção na proposta

A decisão de mexer no texto da proposta agora está nas mãos de uma comissão especial que será instalada na próxima semana

Basília Rodrigues

Por Basília Rodrigues, CNN  

Atualizado 27 de fevereiro de 2021 às 20:44

Autor da PEC da Imunidade admite incluir prisão por corrupção na proposta

Para facilitar a aprovação da chamada PEC da Imunidade, o autor da proposta, deputado Celso Sabino (PSDB-PA), afirmou à CNN que admite a inclusão de mais crimes, como corrupção e feminicídio, no rol de atos criminosos pelos quais deputados e senadores podem ser presos em flagrante.

“Por mim, não tem problema, se quiser colocar rol de 70, 100 crimes. Agora, se tirar a imunidade de opinião, melhor nem votar”, disse à coluna.

A decisão de mexer no texto agora está nas mãos de uma comissão especial que será instalada na próxima semana. A ideia de votar em plenário, na quinta-feira passada (25), sem passar pelo crivo de uma comissão, não prosperou, diante da repercussão negativa.

“Admito negociar a forma de escrever trechos da proposta, incluir mais crimes. Muito deputado não teve tempo ainda de parar e ler o texto. Ficou o dito pelo não dito. Só não concordo com tirar a imunidade do que um parlamentar pensa”, afirmou.

À CNN, Sabino falou da pressão de integrantes do PSDB para que ele seja expulso da legenda por ser o autor da proposta. “Estudei muito o estatuto do PSDB e o código de ética. Não tem nenhuma linha ou palavra que eu infringi”, argumenta. Em 2019, o deputado foi relator do pedido de expulsão do tucano Aécio Neves da legenda, o que não foi aprovado.

A versão do texto atualmente permite prisão em flagrante somente no caso de crimes inafiançáveis, como tortura, crimes hediondos, racismo, tráfico de drogas, terrorismo e a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado democrático.

Fonte: CNN

Continuar lendo PARA FACILITAR APROVAÇÃO DA PEC DA IMPUNIDADE, AUTOR ADMITE INCLUSÃO DE MAIS CRIMES

ESTE MÊS EUA E BRASIL DEVEM ASSINAR ACORDO ANTICORRUPÇÃO

 

Brasil e EUA devem assinar acordo anticorrupção neste mês

Acordo faz parte de esforço para facilitar negócios. Outros dois devem ser assinados, todos foram fechados por Trump e Bolsonaro em março

R7 PLANALTO

Thiago Nolasco, da Record TV

 

Brasil e EUA devem assinar acordo anticorrupção neste mês

Tom Brenner/Reuters – 7.3.2020

Três acordos regulatórios entre o Brasil e os EUA estão prontos e devem ser assinados no mês de outubro, disse o ministro das Realções Exteriores, Ernesto Araújo, ao R7 Planalto. Os acordos fazem parte do pacote comercial acertado entres os presidentes Bolsonaro e Donald Trump quando se encontraram em Mar-a-Lago, na Flórida, em março deste ano e devem facilitar a atividade das empresas exportadoras.

Um dos acordos é de facilitação de comércio por meio de redução da burocracia em trâmites aduaneiros. Outro é de convergência regulatória, para facilitar novas técnicas produção de normas e regulamentos compatíveis entre os Países. E um terceiro é um acordo anticorrupção.

Para o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, a negociação “faz parte da nova geração de entendimentos que nós estamos tendo com os Estados Unidos para facilitar a vida dos empreendedores. Sãoo acordos regulatórios, não afetam o acesso aos mercados, mas às vezes têm impacto até maior para o agente econômico, para as empresas”.

 

Continuar lendo ESTE MÊS EUA E BRASIL DEVEM ASSINAR ACORDO ANTICORRUPÇÃO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar