AUTOCONHECIMENTO: O EGO MENTE E FAZ VOCÊ ACREDITAR NA MORTE

O Ego é o destaque da nossa coluna AUTOCONHECIMENTO deste sábado. O ego mente  e nos faz a creditar que somos apenas um corpo destinado a morte. Leia o brilhante texto a seguir e tire suas conclusões!

Resultado de imagem para O Ego Mente – a morte como realidade

O Ego Mente – a morte como realidade

Kryon, Saint Germain e Abraham

Mensagem de 3 de Fevereiro de 2020

Ego sempre mente, e o ego leva inexoravelmente a experimentar a morte como uma realidade. Lembre-se desta dica útil. Quando você sente que algo está errado, quando sente algo que não seja a profunda paz de alegria, está acreditando em uma mentira. O sentimento que você está sentindo é um indicador, um aviso, de que você está acreditando em uma mentira do ego. Acordar é descobrir sua vontade de ter todas as mentiras varridas para que você possa finalmente ver o que é Real.

Você pode se lembrar de que não pode morrer e que não é um corpo. O ego depende da sua crença de que você é um corpo destinado à morte. Imagine essas mentiras que você acredita estar aparecendo em sua mente, sendo varridas. Imagine a luz da claridade surgindo. Sinta a profunda paz e alegria lá, além de todo conceito ou identidade separada.

Você é a própria vida, e se você é a própria vida, o mesmo acontece com todos os outros. A própria vida não pode ser outra coisa senão inocente. É impossível ser algo que não seja inocente, e isso vale para todos. Sempre que você percebe culpa ou injustiça, você é pego no sonho que estava sonhando para evitar o Amor. Você sempre tem o poder de ver a inocência viva em tudo, de ver essa centelha de luz no coração de todos e permitir que ela se expanda. Ao fazer isso para aqueles que você chama de outro, você faz isso por si mesmo. Você olha além de todas as mentiras e ilusões e volta à sua própria inocência. Veja-os verdadeiramente para que você possa ver o seu Eu.

Se você acredita que um de vocês não é inocente, significa que acredita que não é inocente. O que você vê nos outros está sempre refletindo o que você acredita sobre o seu eu separado, mas tem medo de ver. É por isso que você pensa que resulta em ver as coisas que considera indesejáveis fora de si. Inocência não é um rótulo que damos àqueles que são bons o suficiente. A inocência é compartilhada, sempre, e você está aqui para ver a inocência em todos.

Aproveite a inocência da própria vida, antes de qualquer sonho, antes de qualquer conspiração. Aproveite a inocência que você é, a inocência que eles são, antes de qualquer conceito ou evento, e os convide de volta à alegria eterna que sempre foi deles. O que você faz pelos outros, você faz por si mesmo. Nunca pode ser de outra maneira, uma vez que existe apenas um de nós.

Nós permanecemos com você porque não há outro lugar para estar, e continuamos na alegria porque você é a própria alegria.

Fonte: https://eraoflight.com/ — Cíntia Pratis e Marco Iorio Júnior — Tradutora e Editor exclusivos do Trabalhadores da Luz

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: O EGO MENTE E FAZ VOCÊ ACREDITAR NA MORTE

DICA DE LIVRO: QUEM JESUS FOI? QUEM JESUS NÃO FOI? POR BART D. EHRMAN

Quem Jesus foi? Quem Jesus não foi?, é a nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira. O livro faz um levantamento das principais inconsistências por trás do Novo Testamento, principalmente com relação à vida de Jesus. A obra se coloca como um documento de análise histórica que recupera textos antigos da Bíblia, lançando sobre eles a luz de novos conhecimentos.Cristãos, pesquisadores ou curiosos, pessoas com os mais diversos interesses já leram a Bíblia, mas a maioria percorreu seus milhares de páginas sem perceber quantas contradições existem entre os diferentes textos e autores. Em Quem Jesus foi? Quem Jesus não foi?, o renomado estudioso da Bíblia e autor de best-sellers da lista do New York Times, Bart D. Ehrman, faz um levantamento das principais inconsistências por trás do Novo Testamento com relação à vida de Jesus. O autor revela, por exemplo, que a morte de Jesus ocorre, surpreendentemente, em momentos diferentes nos Evangelhos de João e de Marcos. E mais:― As contradições inimagináveis nos textos sobre a vida de Jesus, desde sua concepção até a ressurreição;― Os relatos desconexos sobre os ensinamentos de Cristo;― E o porquê de as doutrinas fundamentais ― como a dicotomia entre céu e inferno ― não terem sido baseadas nos ensinamentos de Jesus. Depois de ler Quem Jesus foi? Quem Jesus não foi?, sua mente estará aberta para compreender a Bíblia de forma inovadora. Mais uma vez, Ehrman conseguiu recuperar textos antigos, lançando sobre eles a luz de novos conhecimentos, para torná-los mais acessíveis a todos os interessados na Bíblia e na história do cristianismo.

Fonte: Amazon

Continuar lendo DICA DE LIVRO: QUEM JESUS FOI? QUEM JESUS NÃO FOI? POR BART D. EHRMAN

DICA DE LIVRO: QUEM JESUS FOI? QUEM JESUS NÃO FOI? DE BART D. EHRMAN

A nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira é uma obra polêmica que tem como objetivo levantar das principais inconsistências por trás do Novo Testamento, principalmente com relação à vida de Jesus. A obra se coloca como um documento de análise histórica que recupera textos antigos da Bíblia, lançando sobre eles a luz de novos conhecimentos. Todas as espécies de pessoas com os mais diversos interesses já leram a Bíblia, mas a maioria percorreu seus milhares de páginas sem perceber quantas contradições existem entre os diferentes textos e autores. Em Quem Jesus foi? Quem Jesus não foi?, o renomado estudioso da Bíblia e autor de best-sellers da lista do New York Times, Bart D. Ehrman, faz um levantamento das principais inconsistências por trás do Novo Testamento com relação à vida de Jesus. O autor observa, por exemplo, que a morte de Jesus ocorre, surpreendentemente, em momentos diferentes nos Evangelhos de João e de Marcos. E mais:― As contradições inimagináveis nos textos sobre a vida de Jesus, desde sua concepção até a ressurreição;― Os relatos desconexos sobre os ensinamentos de Cristo;― E o porquê de as doutrinas fundamentais ― como a dicotomia entre céu e inferno ― não terem sido baseadas nos ensinamentos de Jesus. Depois de ler Quem Jesus foi? Quem Jesus não foi?, sua mente estará aberta para compreender a Bíblia de forma diferente e inovadora. Mais uma vez, Ehrman conseguiu recuperar textos antigos, lançando sobre eles a luz de novos conhecimentos, para torná-los mais compreensíveis a todos os interessados na Bíblia e na história do cristianismo.

Fonte: Amazon

Continuar lendo DICA DE LIVRO: QUEM JESUS FOI? QUEM JESUS NÃO FOI? DE BART D. EHRMAN

REFLEXÃO: SE APROFUNDANDO NA ESPIRITUALIDADE COM MAITÊ PROENÇA

Na nossa coluna REFLEXÃO desta terça-feira estou publicando um texto escrito pela famosa atriz Maitê Proença que conta um pouco da sua biografia e revela o seu lado espiritual e a sua experiência com o etéreo, o sutil. São experiências que ela afirma ter vivido da maneira mais sóbria possível e dá forma que foi escrito não dá pra duvidar que seja verdade. Portanto, caro(a) leitor(a), convido você a ler o texto a seguir completo, refletir sobre o assunto e tirar suas conclusões sobre o que realmente é a ESPIRITUALIDADE!

Resultado de imagem para espiritualidade

MAITÊ PROENÇA – ESPIRITUALIDADE – por Maitê Proença

(Publicado na Revista Época, número 286 – 10 de novembro de 2003 – Ed. Globo)

Eu acredito em Deus. Acredito pra caramba!
Meus pais eram ateus convictos, do tipo que acha ingênuo quem crê no que a lógica não explica. Mesmo assim aos 5 anos, por praticidade, me enfiaram numa escola de freiras onde vivi meus primeiros conflitos, digamos, existenciais.
Falava-se em pecado o tempo todo e eu passei a andar obcecada pelo chão tentando não matar formigas, já que matar era pecado e eu não podia imaginar nada tão mortífero quanto meu próprio pé, ou tão matável quando aquelas criaturas em quem até então eu só havia pensado para esmagá-las se me picassem. Além disso o mundo ia fazer primeira comunhão e lá em casa ninguém falava no assunto. Quando perguntei a minha mão se Deus existia, ela disse: “É igual papai-noel, existe pra quem acredita nele”.
Ela sabia que eu já não acreditava. Por fim, não deu certo a experiência com as freiras, me trocaram de escola e por uns bons anos fiquei livre daquelas questões.

Aí minha mãe morreu, meu pai pirou e eu fui parar num pensionato pra filhos de missionários americanos e luteranos. Ali, rezava-se pra acordar, pra dormir, pra comer e pra louvar ao final de cada dia com cânticos espirituais.
As coisas eram certas ou muito erradas e não havia meio-termo.
O bom senso não servia pra nada e o que valia era a palavra de Deus segundo a interpretação que aquela gente fazia da Bíblia. Bom, eu vinha de uma casa onde as pessoas filosofavam a vida e onde o pensamento era a maior diversão, então demorou um pouco pra eu conseguir aceitar o maniqueísmo que ditava as regras de minha nova moradia. Mas o mar não estava pra peixe, e aquela gente religiosa tinha o coração puro e bom. Eles tinham amor pra dar e eu uma cratera de carências pra preencher. Nessa união justa, Deus entrou na minha vida pela primeira vez. Entrou, claro, pela vala do amor e me encheu de conforto.
A cabeça viciada na lógica pensava: “Se eu nunca tivesse visto a cor azul não saberia imaginá-la, então se Deus não existisse, a imaginação do homem não o teria concebido.”
Assim, li a Bíblia toda, o velho e o novo, e de resto sintonizei no amor divino e deixei rolar. A primeira vez que me aconteceu uma experiência transcendental eu tinha 14 anos. Estava deitada no chão, à toa, e sem mais nem menos meu espírito se descolou do meu corpo. Não, eu não tinha fumado nada e também não estava em estado elevado de consciência, rezando ou coisa assim. Estava ali de bobeira mesmo, quando uma sensação de sublime leveza me arrebatou pra fora do corpo deitado, que meu outro ser, suspenso, passou a observar. Eu ia subindo acompanhada por seres cuja forma eu não via, mas sentia, e o chão, o campo, o quarteirão, minha cidade foram se mostrando cada vez mais distantes e sem cor. Tudo parecia preto e branco. Então o mundo com meu corpo ali era cinza e sem graça, mas dentro do meu ser etéreo e cada vez mais distante havia uma festa de soberana harmonia. Eu era dona de uma paz magnífica!
Não sei dizer por quanto tempo meu espírito ficou em êxtase, pode ter durado 30 minutos ou uma hora, mas guardo até hoje a sensação e acho que por causa dela não tenho medo da morte.
Naquela época fiquei uns três anos envolvida com coisas de Deus, e aí, não sei bem por que, larguei mão por um tempo. Mas não totalmente. Sempre viajei muito e em cada cultura buscava os locais e templos sagrados. Na maioria, independentemente da corrente religiosa, senti a presença de Deus.
Às vezes, quando era muito forte, passava horas tentando sintonizar a forma de louvor local, para então me abastecer de luz. Aliás, Ele não liga, sabe, se a gente quer chamá-lo de Buda, Iemanjá, Maomé ou Jesus. Ele não liga nem se a gente deixar de chamá-lo por um tempo. Ele é dono do infinito e não tem pressa. Mas então retomando, há 15 anos voltei a ter uma prática religiosa diária e pessoal, hoje devotada à face feminina de Deus, sendo Nossa Senhora o ponto alto de meu altar. De lá pra cá os fenômenos foram muitos. Não vou descrevê-los porque você vai achar que eu estou doidinha. Mas o fato é que na minha vida essas coisas acontecem. Se não ocorrer o mesmo com você, amigo, não quer dizer que eu tenha um botão a menos, apenas que me abri para uma experiência a mais.
E tem mais uma coisa, que é o seguinte: “Eu acredito que o Senna, nosso ídolo, viu mesmo Deus naquela curva em Mônaco (2). Ele estava num estado especial de concentração e aconteceu. Não tinha por que se expor ao ridículo, dando a cara a bater para um bando de céticos, se não houvesse de fato visto o que viu. Você não viu, mas ele viu, oras.”
Copérnico afirmou que a Terra era redonda e girava em torno do Sol.
Foi chamado de maluco, hoje sabemos que não era. O Dhomini diz que ganhou o Big Brother porque estava com seu ponto firmado na oração de otimismo que recebeu de seu mestre. Tereza D´Ávilla em êxtase levitava contra a própria vontade, tamanha a força de seu louvor, e na Índia, onde não se questiona o sagrado, essas coisas são corriqueiras. Elas acontecem. Acontecem na pausa.
Acontecem na hora do silêncio, entre uma respiração e outra. Acontecem simplesmente. Talvez estejam pra acontecer pra você. Sshhhhh…- Maitê Proença (1) –

-Notas:

1. Maitê Proença é uma das atrizes mais conhecidas do Brasil. Fez parte do elenco de várias novelas famosas. Atualmente está no elenco de “Malhação”.
2. Aírton Sena declarou numa entrevista para a revista Plaiboy (em 1990) que havia experimentado uma experiência fora do corpo no Japão, dentro do carro, momentos antes do início de uma prova. Nessa experiência rápida, ele narrou que viu Jesus. Daí em diante ele assumiu a condição ostensiva de cristão convicto.
Fonte: IPPB.org
Continuar lendo REFLEXÃO: SE APROFUNDANDO NA ESPIRITUALIDADE COM MAITÊ PROENÇA

DICA DE LIVRO: TAO TE CHING – O LIVRO QUE REVELA DEUS DE HUBERTO ROHDEN

Na nossa DICA DE LIVRO desta quarta-feira indico um livro que deveria estar em todas as mesas de cabeceiras, pois é pura sabedoria e autoconhecimento e foi livro de cabeceira de mutos personagens da história da humanidade. Traduzido e interpretado por uma sumidade em filosofia, Huberto Rohden, é leitura obrigatória para quem é buscador. Pela sinopse você vai sentir o peso que tem esse livro. 

SINOPSE:

Tao Te Ching, ou O livro que revela Deus, é composto de antigos escritos chineses de importância profunda na inspiração de diversas religiões e filosofias, principalmente o Taoísmo e o Zen-Budismo. Escrito há cerca de 600 anos a.C por Lao-Tsé, esta obra imortalizou provérbios relacionados com o Tao ― que se traduz pelo caminho intuitivo do universo, o absoluto, o uno e os opostos yin e yang. Tao Te Ching tornou-se o livro de cabeceira de reis, chefes de estado, filósofos, políticos, executivos e grandes líderes religiosos da História. É uma obra imortal, uma vez que o Tao é o princípio e o fim de tudo, é o algo que não dominamos ou manipulamos, mas que aceitamos enquanto intuição. Neste clássico de todos os tempos adquirimos a sabedoria de que o caminho é a totalidade de todas as coisas; e que o Criador não é classificável nem compreendido, somente sentido como fluido permanente do universo.

Fonte: Compra Zen

Continuar lendo DICA DE LIVRO: TAO TE CHING – O LIVRO QUE REVELA DEUS DE HUBERTO ROHDEN

AUTOCONHECIMENTO: DECRETO DE RENASCIMENTO – EXERCÍCIO DE MENTALIZAÇÃO

Na nossa coluna AUTOCONHECIMENTO desta quinta-feira trago mais um texto consciencial do médium Carlos Torres, que é um exercício de mentalização para ser lido e relido muitas vezes como um mantra de autocura inspirado no Decreto de Renascimento ensinado pelos antigos sacerdotes da Escola de Mistérios do Olho de Horus. Leia o texto completo a seguir dê um salto quântico!

Decreto de Renascimento

Hoje acordei para uma nova vida!

Hoje deixo de lado, tudo aquilo que me entristece e que não faz mais sentido para minha evolução.

Hoje decreto do fundo do meu coração que estou pronto (a) para viver uma nova vida.

Hoje determino que tudo aquilo que é ruim vá embora da minha vida.

Hoje determino que tudo aquilo que me fez mal no passado, desapareça e nunca mais retorne.

Hoje já consigo sentir meu corpo mais leve e meu espírito cuidando da minha mente.

Hoje já compreendo melhor meus anseios e meus desejos e não me engano mais.

Hoje sinto todos os antigos sentimentos de amargura, fraqueza, preguiça e desânimo se dissolvendo.

Hoje consigo ver todas as pessoas que um dia me ajudaram e me incentivaram. E me sinto grato (a) por todas elas. Hoje consigo ver todos aqueles que se foram desse mundo e deixaram um espaço vazio em meu peito. E me sinto confortado (a), pois tenho certeza que um dia reencontrarei todos eles pelas entranhas da eternidade.

Hoje vejo meu espírito sorrindo e me dizendo obrigado por eu ter despertado para uma nova vida.

Hoje sinto o amor e a paz dentro do meu espírito.

Hoje, eu e meu espírito somos UM em comunhão com Aquele que um dia nos criou.

Hoje me sinto feliz e vejo a luz da verdade iluminando novamente os meus caminhos.

Assim é, e assim será para todo o sempre!

Gratidão Eterna!

* Decreto de renascimento ensinado pelos antigos sacerdotes da Escola de Mistérios do Olho de Hórus — Egito 1546 A.C.

Texto de Carlos Torres — escritor e mensageiro.

Fonte: medium.com

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: DECRETO DE RENASCIMENTO – EXERCÍCIO DE MENTALIZAÇÃO

AUTOCONHECIMENTO: ENSINAMENTOS DOS INICIADOS

Agradeço sempre ao divino quando encontro um texto tão iluminado. Posso dizer que literalmente ganhei o dia ao ler esse texto consciencial muita luz e sabedoria infinita. Ter a honra de receber e ler um texto como esse é toque de luz e honra na senda espiritual, coisa rara e deve ser comemorado. Assim enxergo, mas se você não enxerga não leia, siga seu caminho.

Resultado de imagem para ensinamentos dos iniciados

Ensinamentos dos Iniciados

Mourejar na gleba terrestre e, ao mesmo tempo, carregar a Luz, é uma dádiva.
Ser servidor da Luz é uma honra, pois faz a jornada rica e ilumina a própria vida.
Saber que o Eterno sussurra o Bem em seu coração, é fortaleza!
Que nos momentos de provas, os estudantes espirituais lembrem-se disso!
Que não se afastem da Fonte Imanente que os protege e inspira na jornada.
Que não reneguem seus ideais por causa de ingratidões ou coisas de ego.
Que não se esqueçam de orar ao Pai-Mãe de todos, pela melhoria da humanidade.
Que não se deixem levar por modismos alienantes nem por questões esdrúxulas.
Que se mantenham firmes na senda, porque é isso que o iniciado espiritual faz!
Que não esperem entendimento do mundo, para aquilo que só o coração sabe.
Que o ceticismo dos homens não envenene os ideais de quem conhece a Luz.
Que haja sabedoria para reagir contra as más companhias e suas seduções…
Que haja compreensão e humildade para saber perdoar os que caem na senda.
Que haja abertura e inteligência para não julgar, pois só o Alto sabe tudo.
Que haja muita alegria na volta de um irmão perdido e que o coração faça festa.
Que ninguém olhe o passado dos outros, mas o seu potencial de melhoria.
Que ninguém se iluda: o caminho da ascese evolutiva é árduo e cheio de provas.
Que haja sabedoria para se fortalecerem nas asas luminosas da prece lúcida.
Que os estudantes e trabalhadores vigiem mais, não aos outros, mas, a si mesmos.
Que reconheçam a Luz como o grande presente de suas vidas.
Honra e Compreensão.
Equilíbrio na Senda.
Harmonia e Serenidade.
Tenacidade e Gratidão.
Amor e Perdão.
Paz e Luz.
– Ramatís e Os Iniciados*** –
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges).
– Notas:
* Teurgia – a relação secreta da Luz do coração com a Luz celeste; a arte de conectar-se com os espíritos celestes, pela prece, para a consecução das artes da cura espiritual. Por esse parâmetro, Jesus praticava a teurgia. Aliás, ele era O Grande Taumaturgo!
** Agentes das Trevas – obsessores espirituais; assediadores extrafísicos; espíritos negativos.
*** Ramatís – Para mais informações sobre esse sábio mentor espiritual, basta acessar o seguinte link do site do IPPB:
– Os Iniciados – grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.
Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são “iniciados” em fazer o bem, sem olhar a quem.
Obs.: Enquanto eu passava essas linhas a limpo, lembrei-me de dois outros textos de Ramatís e dos Iniciados, nessa mesma sintonia, postados pelo site do IPPB em 1998 e 1999. Penso que a sinergia desses textos possa enriquecer esses escritos de hoje. Então, estou postando-os na sequência.
Fonte: IPPB
Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: ENSINAMENTOS DOS INICIADOS

REFLEXÃO: A SABEDORIA DAS CRIANÇAS

Na coluna REFLEXÃO deste sábado trago mais um texto sensacional da Redação do Momento Espírita: A Sabedoria das Crianças. Um texto que merece uma REFLEXÃO especial, pois chegamos ao mundo como criança e partimos dele também como criança. Entenda o porquê!

Resultado de imagem para a sabedoria das crianças

A sabedoria das crianças

Certa feita, Jesus serviu-Se de um menino como exemplo, dizendo que o reino dos céus é daqueles que lhe fossem semelhantes.

As crianças, em verdade, nos surpreendem. Com sua argumentação, com sua lógica e conclusões, mais de uma vez.

Foi assim que um menino de 13 anos ligou para uma determinada rádio no Texas.

Ele mora em uma fazenda no meio do Estado do Nebraska. Identificou-se como Logan Henderson e começou um diálogo com o locutor do programa.

Contou que um bezerro nascera de uma vaca muito velha, na fazenda onde mora e, por ter algumas dificuldades, como falta de vitamina C, era muito fraco.

Narrou que, na noite anterior, o bezerro quebrara a coluna e, por isso tivera que ser sacrificado.

Com a morte do animal, Logan ficara muito triste e passou a interrogar a Divindade:

Por que, Deus? O animal era muito especial para mim. Por que ele teve que morrer?

Até aí, a narrativa não tinha maiores novidades. Uma criança falava de sua perda, do sentimento que a tomara pela morte do seu animal.

Contudo, o que viria na sequência é que deixou impressionados o locutor e os ouvintes. O garoto disse mais ou menos assim:

Deus me respondeu:

“Logan, Meu filho era especial, mas Ele morreu por um propósito.”

E antes que a surpresa se diluisse, concluiu o menino:

Sabe, aquele bezerro era muito querido por mim. E o Filho de Deus era querido por Ele.

Eu só queria dizer a você que isso é muito importante.

Quando você perde uma pessoa que você ama ou um animal de estimação, lembre-se que Deus deu Seu Filho também.

E Ele entende você. Ele sempre vai entender. Somente corra para Ele.

Emocionado, o locutor lhe respondeu: Logan, você é mais sábio do que imagina.

* * *

O fato é singelo. A fala do garoto, dependendo da crença religiosa que se abrace, pode soar um pouco estranha. Talvez infantil demais.

Ou ousada, pela comparação que faz entre a morte do nosso Irmão e Mestre Jesus e a perda de um animal.

Mas, a conclusão a que chega é que importa.

Deus sempre entende os Seus filhos. Entende quando eles sofrem pela perda de um animal, de um ser amado.

Entende as lágrimas da infância e a dor madura de quem já viveu muitas experiências e vai enfrentar a solidão, porque seu grande amor partiu.

Pensemos nisso. Pensemos na Sabedoria Divina que Se serve de fatos aparentemente corriqueiros para grandes lições.

Que Se serve da palavra de um menino para dizer ao mundo: Não se desespere se o seu amor morrer. Volte-se para Deus. Ele entende você. Ele vela por você.

É só pedir. É só chamar por Ele. É só se voltar para Ele.

Redação do Momento Espírita, a partir de diálogo que circula pela Internet, atribuído a Logan Henderson, de uma fazenda do Estado do Nebraska, USA.

Continuar lendo REFLEXÃO: A SABEDORIA DAS CRIANÇAS

AUTOCONHECIMENTO: REIVINDIQUE SUA CONCESSÃO OU ORDENE E LHE SERÁ REALIZADO

Na coluna AUTOCONHECIMENTO desta sexta-feira trago mais um texto espetacular de Emmet Fox sobre o poder da nossa mente sobre o subconsciente. Tudo que ordenares ao teu subconsciente será realizado. Porque o subconsciente não sabe o que é certo ou errado. Ele apenas realiza tudo que ordenares, seja para o bem ou para o mal! 

Resultado de imagem para o poder do subconsciente

Reivindique sua concessão

Nos dias da corrida do ouro nos Estados Unidos, os mineradores iam para as montanhas em busca do metal amarelo. Com frequência, a tarefa era longa e árdua, com poucos resultados que compensassem dias inteiros de luta e privações. Mas quando encontrava ouro, o minerador reivindicava sua concessão, para que os outros soubessem que aquela descoberta pertencia a ele. De fato, algumas das concessões eram apenas pequenos veios de pouco valor, ao passo que outras tornaram seus proprietários imensamente ricos.

Em metafísica, com frequência falamos em reivindicar nosso bem, e este é um dos meios mais seguros de trazer o bem que desejamos para nossa vida. Se queremos saúde, então temos de reivindicar todos os dias que a Vida divina traga o bem-estar a todas as partes do nosso corpo. Se queremos prosperidade, então reivindicamos todos os dias que Deus seja o doador de todo bem, pronto para suprir todas as nossas necessidades.

O que quer que desejemos trazer para nossa vida, nós reivindicamos nossa concessão.

Naturalmente, com frequência reivindicamos coisas negativas para nós, sem o percebermos. Cada vez que dizemos “meu resfriado”, “minha dor de cabeça”, “minha indigestão”, estamos reivindicando essas coisas para nós e, eventualmente, trazendo-as para nossa vida.

Afirme seu parentesco divino. Tudo que o pai tem é nosso – se reivindicarmos nossa concessão com Deus.

(…) porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino. (Lucas 12:32)

Fonte: Emmet Fox, 2008

Continuar lendo AUTOCONHECIMENTO: REIVINDIQUE SUA CONCESSÃO OU ORDENE E LHE SERÁ REALIZADO

REFLEXÃO: UMA RESPOSTA PARA A QUESTÃO, ONDE ESTÁS DEUS QUE NÃO RESPONDES?

É como muita alegria e contentamento que publico na coluna REFLEXÃO desta terça-feira um texto sensacional, de pura sabedoria, da Redação do Momento Espírita, que trata de um questionamento que todo ser humano pelo menos uma vez na vida o fez, mas a grande maioria já perguntou muitas vezes e muitos quase todos os dias: Onde estas Deus, que não respondes? Leia o texto completo a seguir e encontrarás a resposta!

Resultado de imagem para onde estás deus que não respondes

Onde estás Deus, que não respondes?

Assim, o poeta Castro Alves inicia seu poema Vozes da África. É o lamento do Continente Africano, vendo seus filhos serem levados como animais ao mercado de escravos.

Deus! Ó Deus! Onde estás que não respondes!

Em que mundo, em qu´estrela tu t´escondes

Embuçado nos céus?

Há dois mil anos Te mandei meu grito,

Que embalde, desde então, corre o infinito…

Onde estás, senhor Deus?

À semelhança dos versos do poeta, muitas vozes se ergueram quando aconteceu o 11 de setembro de 2001, para indagar onde estava Deus naquele momento.

Por que permitiu que mais de duas mil vidas fossem destroçadas naquela manhã?

Por quê?

Poder-se-ia perguntar ainda onde estava Deus quando fomentamos a Primeira e a Segunda Guerra Mundial.

Quando eliminamos seis milhões de judeus, em nome de uma inexistente superioridade ariana.

E quando empreendemos as cruzadas, levando a morte àqueles que qualificávamos como infiéis.

E durante a Inquisição de tanta barbárie.

E todos os dias, onde está Deus?

Onde está Deus quando enganamos nosso irmão? Quando mentimos para conseguir favores que desejamos?

Quando desonramos o lar, com o adultério? Quando eliminamos a vida no ventre materno, porque não desejamos o ser em gestação?

Onde está Deus quando deixamos nossos filhos à matroca, sem orientação, porque preferimos a acomodação?

Onde está Deus quando, utilizando o poder que o mundo nos confere, ferimos pessoas, destruímos a honra de outras vidas?

Onde está Deus quando levantamos as bandeiras da pena de morte ao nosso irmão? Ou da eutanásia?

Para todas as perguntas, a resposta é a mesma: Deus está dentro de nós, dentro de cada criatura.

Soberanamente sábio, criou-nos a todos iguais, partindo de um mesmo ponto de simplicidade e ignorância.

Criou os mundos para que neles trabalhássemos, utilizássemos nossas forças e crescêssemos em intelecto e moral.

A ninguém concedeu privilégios. A todos concedeu o livre-arbítrio, com a consequente Lei de Causa e Efeito.

Estabeleceu que a cada um será dado conforme as suas obras e que todos deverão chegar ao mesmo destino, não importa quanto demore: a perfeição.

Ele nos permite a livre semeadura, mas estabelece que a colheita seja obrigatória.

Por isso, uns semeiam ventos e colhem tempestades. Outros lançam ao solo as sementes da bondade, do bem e alcançam felicidade.

Uns estão semeando hoje. Outros tantos estão realizando a colheita das bênçãos ou das desgraças que se permitiram semear.

Conhecedor das fragilidades de Seus filhos, aguarda que cada um desperte, a seu tempo, cansado das dores que para si mesmo conseguiu.

Portanto, não indague onde está Deus, quando você contemple a injustiça. Trabalhe pela justiça.

Não pergunte onde está Deus, quando observe a violência. Semeie a paz.

Não questione onde está Deus quando a miséria campeia. Utilize seus recursos para semear riquezas.

Enfim, onde quer que você esteja, lembre que Deus está em você e com você. E espera que você seja o Seu mensageiro de bênçãos, onde se encontre.

Pense nisso. Pense agora e comece a demonstrar ao mundo o Deus que existe em sua intimidade.

Redação do Momento Espírita.

Continuar lendo REFLEXÃO: UMA RESPOSTA PARA A QUESTÃO, ONDE ESTÁS DEUS QUE NÃO RESPONDES?

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar