PF CLASSIFICA ESQUEMA DENTRO DO MEC COMO ” ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA”

Foi criada “organização criminosa” dentro do MEC, diz PF

Segundo a Polícia Federal, dupla de pastores que atuava dentro do Ministério da Educação durante a gestão do ex-ministro Milton Ribeiro usou contas de parentes para receber propina decorrente de negócios na pasta

Daniela Lima

da CNN

São Paulo

Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação (MEC)Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação (MEC)Valter Campanato/Agência Brasil

A Polícia Federal afirma que a dupla de pastores que atuava dentro do Ministério da Educação durante a gestão do ex-ministro Milton Ribeiro usou contas de parentes para receber propina decorrente de negócios na pasta.

A informação consta da decisão que autorizou a prisão do ex-ministro e dos pastores Gilmar Santos e Arilton Ribeiro. Todas as detenções foram revogados nesta quinta pelo desembargador Ney Belo, da Justiça Federal.

Segundo a PF, um sofisticado esquema foi montado pelo que a entidade classifica como “organização criminosa” dentro do MEC.

A Polícia também constatou que a esposa do ex-ministro Milton Ribeiro recebeu ou cedeu valores a parentes da dupla de pastores.

A investigação aponta ainda que um aliado da dupla investigada foi nomeado para cargo dentro do Ministério da Educação. Esse personagem, chegou a viajar com os pastores e a participar de eventos com eles.

CNN teve acesso à decisão do juiz Renato Borelli, que tornou-se alvo de ameaças após decretar a prisão do ex-ministro de Bolsonaro. No texto, o juiz aponta achados também da Constroladoria-Geral da União, que subsidiaram a investigação.

Além da prisão de três dos envolvidos, já revogada, o juiz determinou a quebra dos sigilos dos citados no caso, como foi pedido pela PF. Também partiu da PF o pedido de prisão, sob o argumento de que os investigados poderiam obstruir a investigação e destruir provas.

O MPF foi favorável à quebra de sigilo, mas sugeriu medidas cautelares, como proibição de comunicação entre os citados, como alternativa à prisão preventiva, o que o juiz negou.

A defesa do ex-ministro Milton Ribeiro só teve acesso à decisão nesta quinta. Ela classificou a prisão do ex-ministro como ilegal e extemporânea, argumento acatado pelo desembargador do TRF-1

Fonte: CNN

Continuar lendo PF CLASSIFICA ESQUEMA DENTRO DO MEC COMO ” ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA”

ESQUEMA DE EXPLORAÇÃO INFANTIL NO RN É REVELADO POR AUDITORA -FISCAL DO MPT

Crianças são “alugadas” por R$ 30 para pedir em sinais em supermercados do RN

Foto: Reprodução

A auditora-fiscal do Ministério Público do Trabalho (MPT), Marinalva Dantas, revelou um esquema de exploração infantil no Rio Grande do Norte. Com um dossiê “em mãos”, Marinalva afirma que crianças de dez cidades da Região Metropolitana estariam sendo alugadas para pessoas de Natal, com o intuito de fazê-las pedir dinheiro e alimentos.

Conforme revelado pela auditora, que possui vasta experiência na libertação de pessoas em situações análogas à escravidão, o valor cobrado pelos pais é de, em média, R$ 30 para ceder os garotos. Ainda de acordo com Marinalva, informações já foram entregues às autoridades e a Polícia Federal deve agir em breve para desmontar o “esquema”.

“A mendicância é um crime previsto no código penal. Quem pratica isso e leva criança junto ou obriga a trabalhar assim é criminoso também. As pessoas acham que estão ajudando quando dão uma lata de leite no caixa de um mercado, na verdade estão colaborando com o crime organizado. Muita gente tem pena. Gente, a maioria são alugadas, por R$ 30 a diária e são trazidas de dez municípios ao redor de Natal. Tudo já está mapeado e só falta uma denúncia formal ao MPF, pois são condições análogas à escravidão. A Polícia Federal vai começar a agir”.

O Ministério Público do Trabalho realiza, nesta quarta-feira (15), uma audiência para discutir políticas públicas de combate ao trabalho infantil. Conforme números coletados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o RN tem 4,8 mil crianças e adolescentes, com idades inferiores a 14 anos, trabalhando.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo ESQUEMA DE EXPLORAÇÃO INFANTIL NO RN É REVELADO POR AUDITORA -FISCAL DO MPT

FUNDAÇÃO DO PRÍNCIPE CHARLES É INVESTIGADA POR SUPOSTO ESQUEMA DE CONCESSÃO DE TÍTULOS HONORÁRIOS

Polícia britânica abre investigação sobre fundação do príncipe Charles

Organização do herdeiro do trono britânico teria recebido doações em troca da concessão de títulos honorários a um cidadão saudita

Fundação do príncipe Charles é investigada por suposto esquema de concessão de títulos honorários

OLI SCARFF/REUTERS – 09.11.2021

A polícia de Londres anunciou, nesta quarta-feira (16), que abriu uma investigação sobre doações à fundação do príncipe Charles, herdeiro do trono britânico, que teriam sido feitas em troca da concessão de títulos honorários.

“Esta decisão é consequência da análise de uma carta de setembro de 2021. Está relacionada a matérias da imprensa sobre supostas ofertas de ajuda para garantir honras e cidadania [britânica] a um cidadão saudita”, explicou a Scotland Yard em um comunicado, acrescentando que ninguém foi detido.

Os investigadores entraram em contato com “pessoas suspeitas de terem informações relevantes”, assim como com a Fundação do Príncipe, que “forneceu uma série de documentos”.

Esse escândalo veio à tona no ano passado e afetou a imagem do herdeiro do trono.

Suspeita-se que seu agora ex-ajudante de ordens Michael Fawcett tenha usado sua influência para ajudar o empresário saudita Mahfouz Marei Mubarak bin Mahfouz, um generoso doador de instituições beneficentes ligadas à monarquia britânica, a ser agraciado com uma condecoração.

De acordo com o jornal Sunday Times, Mahfouz, de 51 anos, foi nomeado comandante do império britânico pelo príncipe Charles em uma cerimônia privada no Palácio de Buckingham, em novembro de 2016. O evento não foi incluído na lista oficial de compromissos reais.

Receber essa distinção serviu para apoiar o pedido de cidadania britânica feito pelo saudita, relatou o jornal.

Mahfouz nega qualquer irregularidade nesse processo. Ele teria contribuído com grandes quantias para projetos de restauração. Fawcett pediu demissão em novembro de 2021.

A imprensa revelou ainda que a fundação do príncipe Charles aceitou centenas de milhares de euros de um doador russo, o que levou o órgão independente que regula as instituições de caridade na Escócia a fazer uma investigação.

O presidente da fundação, Douglas Connell, renunciou ao cargo, mas negou qualquer irregularidade.

Continuar lendo FUNDAÇÃO DO PRÍNCIPE CHARLES É INVESTIGADA POR SUPOSTO ESQUEMA DE CONCESSÃO DE TÍTULOS HONORÁRIOS

EX-GENERAL VENEZUELANO SERÁ EXTRADITADO DA ESPANHA PARA OS EUA

Espanha decide extraditar ex-general venezuelano para os EUA

Hugo Carvajal denunciou esquema de financiamento de partidos de esquerda pelos governos de Chávez e de Maduro

INTERNACIONAL  
por Agência EFE

Hugo Carvajal se posiciona durante sua audiência de extradição para os EUA em Madri

REUTERS – 20.10.2021

A Justiça espanhola determinou a extradição para os Estados Unidos do ex-general venezuelano chavista Hugo Armando Carvajal, conhecido como “El Pollo”, detido em Madri e considerado o fugitivo mais procurado por tráfico de drogas, após negar sua solicitação de asilo no país europeu.

A Audiência Nacional decidiu nesta quarta-feira (20) que Carvajal ficará à disposição da Unidade de Cooperação Policial Internacional, que deverá concretizar a entrega do ex-general aos EUA.

Carvajal é procurado pelos americanos para ser julgado por crimes que na Espanha equivalem a pertencimento a uma organização criminosa ou colaboração com organização terrorista e tráfico de drogas de forma agravada.

Em 14 de setembro, o tribunal espanhol suspendeu a extradição do ex-general até que o Ministério do Interior resolvesse o pedido de asilo feito por ele.

Pouco depois, a pasta informou que tinha recusado o pedido e Carvajal recorreu da recusa imediatamente. No entanto, na terça-feira (19) havia sido ratificado que o asilo não seria concedido, motivo pelo qual a extradição foi confirmada.

A Audiência Nacional aprovou a extradição do ex-chefe do serviço secreto venezuelano em novembro de 2019, meses depois de ele ter sido preso com documentação falsa. Entretanto, a extradição não se concretizou, uma vez que o acusado não apareceu, pois estava em liberdade e, em seguida, em paradeiro desconhecido.

Quase dois anos após a fuga, Carvajal foi preso, em setembro, em um apartamento em Madri que a polícia espanhola localizou com a ajuda da agência antidrogas americana.

Depois da detenção, ele foi colocado em uma prisão e pediu para ser autorizado a depor perante o tribunal espanhol em que sua extradição estava sendo processada, o que foi aceito pelo juiz encarregado do caso.

Inicialmente, Carvajal disse que falaria sobre questões de terrorismo internacional como ETA e Farc, mas durante o depoimento apontou para supostos pagamentos a ex-líderes do partido espanhol Podemos, aliado do Partido Socialista no governo espanhol, por meio da petroleira estatal venezuelana PDVSA.

Após esse primeiro comparecimento diante do juiz, Carvajal forneceu documentos ao tribunal com os quais pretende provar que tais políticos receberam pagamentos do governo venezuelano. Depois de entregar a documentação, foi convocado a comparecer à Audiência Nacional em 27 de outubro.

O ex-chefe do serviço secreto da Venezuela enviou uma carta de sete páginas ao juiz espanhol em que relata detalhes de um esquema de financiamento de partidos de esquerda na América Latina e na Europa pelos governos de Hugo Chávez e Nicolás Maduro. Entre os beneficiados estaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações foram divulgadas pelo site espanhol Okdiario nesta semana.

Além de citar Lula, o ex-general apontou como exemplos “concretos” de beneficiados pelo esquema de financiamento: Néstor Kirchner, na Argentina; Evo Morales, na Bolívia; Fernando Lugo, no Paraguai; Ollanta Humala, no Peru; Zelaya, em Honduras; Gustavo Petro, na Colômbia; e o Movimento Cinco Estrelas, na Itália.

Fonte: R7

Continuar lendo EX-GENERAL VENEZUELANO SERÁ EXTRADITADO DA ESPANHA PARA OS EUA

EM CARTA ENVIADA À JUÍZ ESPANHOL POR EX-CHEFE DO SERVIÇO SECRETO DA VENEZUELA DIZ QUE LULA FOI BENEFICIADO NO ESQUEMA DE PARTIDO DE ESQUERDA DA AMÉRICA LATINA

Ex-general diz que Venezuela mandou dinheiro para Lula

Partidos da esquerda na América Latina e também na Europa teriam sido financiados ilegalmente por Chávez e Maduro

INTERNACIONAL

 Do R7

Presidente venezuelano, Nicolás Maduro

FAUSTO TORREALBA/REUTERS – 6.12.2020

O ex-chefe do Serviço Secreto da Venezuela, general Hugo Armando Carvajal, conhecido como “El Pollo” Carvajal, enviou uma carta de sete páginas ao juiz espanhol Manuel García-Castellón em que relata detalhes de um esquema de financiamento de partidos de esquerda na América Latina e na Europa pelos governos de Hugo Chávez e de Nicolás Maduro. Entre os beneficiados estaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As informações foram divulgadas pelo site espanhol Okdiario nesta semana.

“O governo venezuelano financia ilegalmente movimentos políticos de esquerda no mundo há pelo menos 15 anos, incluindo o financiamento da criação do partido político espanhol Podemos”, diz Carvajal. “Enquanto eu era diretor de Inteligência Militar e Contrainteligência da Venezuela, recebi muitos relatórios que mostravam que esse financiamento internacional estava acontecendo.”

Carvajal  cita como exemplos “concretos” de beneficiados pelo esquema de financiamento: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; Néstor Kirchner, na Argentina; Evo Morales, na Bolívia; Fernando Lugo, no Paraguai; Ollanta Humala, no Peru; Zelaya, em Honduras; Gustavo Petro, na Colômbia; Movimento Cinco Estrelas, na Itália; e o partido Podemos, na Espanha.

No documento endereçado à Justiça espanhola, ele relata em detalhes como era o envio de dinheiro à Espanha durante a criação do partido de esquerda Podemos. Segundo Carvajal, os valores foram transportados para a Europa por meio de malas diplomáticas, um sistema oficial de correspondência entre governos e o corpo diplomático no exterior e que não permite violação.

Ele conta que o dinheiro era levado por um homem de confiança do governo venezuelano da embaixada de Cuba, em Caracas, para o Ministério das Relações Exteriores, onde era recebido por Williams Amaro, secretário de Maduro.

Amaro seria o responsável por enviar as quantias à embaixada do país na Espanha por meio das malas diplomáticas. Já em território espanhol, o dinheiro era recebido por Ramón Gordils, vice-ministro de Cooperação Econômica da Venezuela e presidente do Bancoex de Comércio Exterior, e entregue a Juan Carlos Monedero, um dos fundadores do Podemos.

Carvajal relata na carta que a última vez que soube desse tipo de operação foi em 7 julho de 2017, quando Ramón Gordils retornou a Caracas em um voo da Iberia.

Ele afirma ter como provar a existência do esquema de financiamento de partidos de esquerda pelo governo da Venezuela. “Tenho informantes que testemunharam diferentes estágios dessa rede. Pedi aos meus advogados que os contatassem enquanto eu estava na prisão para perguntar se eles estariam dispostos a atestar meu testemunho, e alguns responderam sim sobre concordar em testemunhar perante um juiz.”

R7 entrou em contato com a assessoria do ex-presidente Lula, mas não obteve resposta até o momento.

Capturado na Espanha

Carvajal foi preso na Espanha em setembro, acusado de envolvimento no tráfico de drogas. Ele estava foragido desde novembro de 2019, quando vivia em Madri, um dia antes de sua extradição para os Estados Unidos ser autorizada.

“Estou há dois anos trancado em apartamentos. Mudava a cada três meses, menos nesta ocasião, em que fiquei oito meses no mesmo apartamento”, disse aos policiais no momento em que estava sendo algemado.

A agência antidrogas dos Estados Unidos chegou a oferecer uma recompensa equivalente a R$ 50 milhões por informações que levassem à prisão do ex-chefe do Serviço Secreto da Venezuela.

Continuar lendo EM CARTA ENVIADA À JUÍZ ESPANHOL POR EX-CHEFE DO SERVIÇO SECRETO DA VENEZUELA DIZ QUE LULA FOI BENEFICIADO NO ESQUEMA DE PARTIDO DE ESQUERDA DA AMÉRICA LATINA

SEGUNDO DECRETO ESTABELECIDO NO RN, EVENTOS COM MAIS DE 300 PESSOAS TERÁ OBRIGATORIEDADE DO ESQUEMA VACINAL

Decreto estabelece obrigatoriedade do esquema vacinal em eventos com mais de 300 pessoas

01 out 2021

Governo estabelece obrigatoriedade do esquema vacinal em eventos com mais de 300 pessoas - Notícias - Rio Grande do Norte - Nominuto.com

O Decreto Estadual Nº 30.940, de 30 de setembro de 2021, estabelece a obrigatoriedade do esquema vacinal de acordo com o calendário de imunização do Plano Nacional de Imunização. O objetivo é estimular a adesão da sociedade à imunização contra a Covid-19, e garantir um cenário epidemiológico favorável em todo o Rio Grande do Norte.

Estabelecimentos e serviços públicos ou privados destinados ao público em geral, sejam para eventos de massa, sociais, recreativos ou conferências, convenções, simpósios e afins, com participação de público superior a 300 pessoas, deverão controlar a entrada dos usuários exigindo o comprovante do esquema vacinal e um documento com foto. Além de seguir com todos os protocolos sanitários durante a realização dos eventos. A pena para o descumprimento do decreto é aplicação de multa e suspensão do estabelecimento ou do evento.

Para eventos em estádios, ginásios, eventos esportivos, cinemas, teatros, salas de concertos, museus, a obrigatoriedade da comprovação da vacina independe do número de pessoas.

O público pode comprovar a vacinação em dia através do Aplicativo RN Mais Vacina, do Conecta SUS, ou ainda, com a carteira de vacina emitida pelas secretarias de saúde dos estados e municípios, ou por institutos de pesquisa clínica ou outras instituições governamentais, sejam nacionais ou estrangeiras. Pessoas com devido atestado médico desautorizando o uso da vacina ou aquelas que ainda não entraram no Plano Nacional de Imunização estão isentas da comprovação.

Os municípios poderão ampliar essas exigências, no âmbito de suas competências. Permanece a necessidade dos eventos de massa com público superior a 600 pessoas apresentarem requerimento prévio à Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP), devidamente instruído com o protocolo sanitário a ser adotado.

O decreto será publicado nesta sexta-feira (1º), e entra em vigor sete dias a contar da sua publicação, ou seja, dia 08 de outubro de 2021.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo SEGUNDO DECRETO ESTABELECIDO NO RN, EVENTOS COM MAIS DE 300 PESSOAS TERÁ OBRIGATORIEDADE DO ESQUEMA VACINAL

NA ÍNDIA, FORAM APLICADAS MAIS DE 4 MIL DOSES DE ÁGUA DO MAR NO LUGAR DA VACINA

Mais de 4 mil indianos recebem água do mar no lugar de vacinas

Esquema de vacinação envolveu o dono de um hospital particular em Mumbai; o local foi fechado e 14 pessoas foram presas

INTERNACIONAL

Fleury, do R7

Indianos fazem fila em um posto de vacinação em Mumbai

INDRANIL MUKHERJEE / AFP – 4.7.2021

Mais de 4 mil pessoas podem ter recebido água do mar no lugar de uma dose de vacina contra a covid-19 na região de Mumbai, a cidade mais populosa da Índia. Segundo a imprensa local. um elaborado esquema para aplicação de vacinas falsas estava sendo realizado por dirigentes de um importante hospital particular na região.

A polícia já prendeu 14 suspeitos de participarem do esquema, incluindo o dono do hospital Shivam, Shivraj Pataria, e sua esposa, Neeta, além de funcionários e alunos. O hospital foi lacrado pelas autoridades nesta segunda-feira (5) e todo o dinheiro arrecadado pelos fraudadores, 1,24 milhão de rúpias (o equivalente a cerca de R$ 850 mil) foi confiscado, junto com um carro.

De acordo com o Times Of India, o Shivam era um dos hospitais de Mumbai credenciados para realizar a vacinação contra a covid-19. Com a expansão da campanha, os proprietários decidiram fazer um cadastro para realizar a imunização em postos em outros locais da cidade, enquanto buscavam comprar mais 100 mil doses de vacina.

No entanto, eles não conseguiram um empréstimo que seria necessário para pagar as doses. Sem os imunizantes, o grupo decidiu encher ampolas com água do mar e vacinar os inscritos de todo jeito, para ficar com o dinheiro. Ao todo, dos 12 postos volantes montados por eles desde o final de abril, pelo menos 9 aplicaram vacinas falsas em um total de 4.077 pessoas.

Certificados adulterados

A farsa foi descoberta quando funcionários do sistema de saúde indiano notaram a falta de certificados das vacinas aplicadas nesses postos, além de alguns documentos falsificados ou duplicados. Pacientes também relataram à polícia que notaram que os lacres das vacinas estavam violados e que acharam estranho que só poderiam pagar pela vacinação em dinheiro vivo.

“Eles tinham regras bem definidas para esses postos”, explicou um investigador ao Times Of India. “As ampolas eram guardadas em caixas térmicas, para evitar suspeitas. Algumas vezes, eles guardavam os frascos dentro de geladeiras desligadas. Outra regra importante era que eles não deixavam ninguém tirar fotos nesses locais”.

Um estudante de medicina, Kareem Ali, que também foi preso pela polícia, foi usado de cobaia. Os idealizadores do esquema injetaram a água do mar no corpo dele para se certificar de que não causaria nenhum efeito colateral.

Desde abril, a Índia sofre com uma onda brutal de aumento de casos e mortes por covid-19. O governo intensificou os esforços de vacinação e até o momento já aplicou quase 350 milhões de doses de imunizantes. Até o momento, foram confirmados pouco mais de 30 milhões de casos (o 2º maior número do mundo) e 402 mil óbitos (o 3º maior) pela doença no país.

Fonte: R7
Continuar lendo NA ÍNDIA, FORAM APLICADAS MAIS DE 4 MIL DOSES DE ÁGUA DO MAR NO LUGAR DA VACINA

DESEMBARGADORES ENVOLVIDOS NO ESQUEMA DE CORRUPÇÃO DE WITZEL SÃO ALVOS NA OPERAÇÃO DA PF

PF deflagra operação contra desembargadores envolvidos no esquema de corrupção de Witzel

PF cumpre mandado no Leblon — Foto: Anderson Salles/TV GloboPF cumpre mandado no Leblon — Foto: Anderson Salles/TV Globo

Na manhã desta terça-feira, 02, a Polícia Federal deu inicio a Operação Mais Valia, um desdobramento da Operação Tris in Idem, que em agosto de 2020 afastou do cargo o então governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

Desta vez, desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ) e empresários são investigados.

O Ministério Público Federal (MPF) apura o pagamento de vantagens indevidas a magistrados que, em contrapartida, teriam beneficiado integrantes do esquema criminoso supostamente instalado no governo Witzel.

No total, a PF está cumprindo 11 mandados de prisão.

Witzel é réu por corrupção e lavagem de dinheiro.

O Esquema

De acordo com as investigações, o TRT fazia parte de um dos núcleos de esquema de corrupção no governo Witzel.

Esse núcleo beneficiaria Organizações Sociais (OSs) que tinham valores a receber do estado por serviços prestados em anos anteriores, os chamados “restos a pagar”.

Todas as informações investigadas fazem parte da delação premiada do ex-secretário estadual de Saúde Edmar Santos.

Entenda como funcionava o esquema:

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo DESEMBARGADORES ENVOLVIDOS NO ESQUEMA DE CORRUPÇÃO DE WITZEL SÃO ALVOS NA OPERAÇÃO DA PF

UM INÉDITO ESQUEMA DE SEGURANÇA FARÁ PARTE DA POSSE DE BIDEN NESTA QUARTA FEIRA

Posse de Biden terá esquema de segurança inédito nesta 4ª

Ao invés de multidões e desfile em carro aberto, milhares de membros da Guarda Nacional patrulham uma Washington isolada

Do R7

Operários montam cerca perto do Capitólio, em Washington (EUA)

Por conta da pandemia do novo coronavírus, a posse do presidente eleito Joe Biden, na próxima quarta-feira (20) já seria um evento diferente de outras posses ao longo da história dos EUA, sem as multidões de antigamente. No entanto, a invasão do Capitólio por apoiadores do presidente Donald Trump, no último dia 6, mudou tudo isso.

Um imenso esquema de segurança vai tentar garantir que cenas parecidas com as registradas na sede do Congresso não se repitam. Para isso, o Serviço Secreto dos EUA, que organiza a vigilância em grandes eventos no país desde 1998, reuniu dezenas de agências, desde a Guarda Nacional até os departamentos de polícia de Washington e cidades próximas, além das agências de inteligência do país.

 

Mais de 20 mil homens da Guarda Nacional farão a segurança nas ruas e prédios mais importantes de Washington, como o Capitólio, a Casa Branca e monumentos nacionais. O FBI intensificou o monitoramento para localizar possíveis ameaças, além de tentar deter os líderes e participantes da invasão ao Capitólio.

Em várias cidades, pessoas que postaram ameaças em redes sociais contra Biden e outros membros do Partido Democratas já foram detidas. Mesmo com tudo isso, o presidente eleito já afirmou que fará o juramento para o cargo ao ar livre, diante do Capitólio, como vem sendo feito há séculos.

Tradições descartadas

O tradicional desfile em carro aberto pelas ruas da capital foi descartado por questões de segurança. As plateias, que antigamente preenchiam o percurso para saudar o novo presidente, darão lugar a um especial que será transmitido pela TV e internet.

Biden, que durante mais de 30 anos pegou o trem todos os dias para ir da cidade onde mora, Wilmington, no Estado de Delaware, também precisou mudar seu meio de transporte para chegar à posse sem ficar exposto.

Fonte: R7
Continuar lendo UM INÉDITO ESQUEMA DE SEGURANÇA FARÁ PARTE DA POSSE DE BIDEN NESTA QUARTA FEIRA

POLÍCIA ITALIANA DESMANTELA QUADRILHA QUE PRATICAVA CORRUPÇÃO NO RECONHECIMENTO DE CIDADANIA PARA BRASILEIROS

 

Itália apura esquema de corrupção em cidadania para brasileiros

 Quatro pessoas foram presas preventivamente e outras 74 são investigadas por falsidade ideológica. Quadrilha faturou quase R$ 4 milhões

INTERNACIONAL

Da Ansa

Quatro pessoas foram presas no esquema

Flick

A polícia italiana desmantelou nesta quarta-feira (14) mais uma quadrilha que praticava corrupção para facilitar o reconhecimento de cidadania jus sanguinis (“direito de sangue”) para brasileiros.

O caso ocorreu na cidade de Crescentino, situada na província de Vercelli, noroeste da Itália. Por meio de interceptações telefônicas e microcâmeras instaladas em escritórios municipais, os investigadores conseguiram documentar pagamentos em dinheiro para servidores públicos.

A Procuradoria estima que a quadrilha tenha movimentado mais de 600 mil euros, cerca de R$ 3,9 milhões. Quatro pessoas foram presas preventivamente e estão em regime de detenção domiciliar, enquanto outras 74 são investigadas por falsidade ideológica em atos públicos.

Segundo o jornal La Stampa, o que chamou a atenção dos investigadores foi o elevado número de brasileiros, cerca de 150, que buscavam reconhecer a cidadania italiana em Crescentino, município de pouco menos de 8 mil habitantes.

Os candidatos teriam pagado cerca de 4 mil euros por pessoa para obter o reconhecimento, em um pacote que incluía o aluguel de apartamentos para certificação da residência. Os processos de cidadania eram intermediados por uma agência de Verona, no nordeste da Itália.

Esquemas

Ao longo dos últimos anos, a polícia e o Ministério Público desmantelaram diversas quadrilhas que praticavam corrupção e fraudes nos processos de reconhecimento de cidadania italiana jus sanguinis, especialmente envolvendo brasileiros.

O problema mais frequente é a questão da residência. Para obter o reconhecimento, é preciso comprovar moradia na Itália, o que exige a permanência por um período relativamente incerto, mas que pode durar por volta de três meses.

Em alguns inquéritos, existe a suspeita de irregularidades no reconhecimento da residência, papel que cabe a um guarda municipal, o chamado “vigile”. Há também assessorias que vendem a ideia de que tal etapa pode ser concluída rapidamente ou sem a necessidade da presença permanente do candidato em solo italiano, o que vai de encontro ao que estabelece a lei.

No caso da operação deflagrada nesta quarta-feira, a investigação gira em torno da suposta corrupção de servidores municipais para garantir o reconhecimento da cidadania para brasileiros.

 

Fonte: R7
Continuar lendo POLÍCIA ITALIANA DESMANTELA QUADRILHA QUE PRATICAVA CORRUPÇÃO NO RECONHECIMENTO DE CIDADANIA PARA BRASILEIROS

SUPOSTO ESQUEMA DE RACHADINHA NO GABINETE DA DEPUTADA FLORDELIS É ANALISADO PELA PGR

PGR analisa esquema de ‘rachadinhas’ no gabinete da deputada Flordelis

Fernando Molica

Por Fernando Molica, CNN  

16 de setembro de 2020 às 21:35

Deputada FlordelisDeputada Flordelis

O Ministério Público do Rio enviou para a Procuradoria-Geral da República informações que indicam a existência de um esquema de “rachadinhas” no gabinete da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD-RJ).

No último dia 24, Flordenis foi denunciada pelo MP, acusada de ser a mandante do assassinato de seu marido, o pastor Anderson do Carmo. O crime ocorreu em junho do ano passado.

O material enviado para Brasília indica que a deputada ficaria com parte do salário de assessores parlamentares.

Caberá à PGR, que já recebeu as informações, avaliar os documentos e decidir se pedirá abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal para apurar as suspeitas.

CNN entrou em contato com a defesa da deputada, mas ainda não obteve retorno.

Fonte: CNN

Continuar lendo SUPOSTO ESQUEMA DE RACHADINHA NO GABINETE DA DEPUTADA FLORDELIS É ANALISADO PELA PGR

DENÚNCIA : ESQUEMA MILIONÁRIO ENTRE PADRE ROBSON E POLÍTICOS É REVELADO ATRAVÉS DE INVESTIGAÇÕES

Investigações revelam esquema milionário entre Padre Robson e políticos

 DENÚNCIA

As relações escusas envolvendo o nome de Padre Robson, da paróquia de Trindade (GO) e transações milionárias através da associação filantrópica Associação dos Filhos do Pai Eterno (Afipe) atinge agora políticos da região.

Segundo revelou reportagem no programa Fantastico, a Afipe transferiu milhões de reais apenas para uma família de políticos de Trindade. Apenas o vice-prefeito, Gleysson Cabriny, recebeu R$ 287.500, além de mais R$ 1,6 milhão para uma de suas empresas e mais R$ 5,7 milhões para outra. Parentes dele também foram beneficiados.

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) atualizou os valores relacionados à movimentação na (Afipe) nos últimos nove anos. A entidade é alvo da Operação Vendilhões, que apura desvio de R$ 120 milhões de doações feitas por fiéis.

Segundo reportagem do portal G1, entre entradas e saídas, a entidade movimentou R$ 2,2 bilhões. Conforme a promotoria, grande parte é fruto de 1,2 mil transações imobiliárias, como a compra de mais de 50 fazendas. Uma delas custou R$ 90 milhões.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo DENÚNCIA : ESQUEMA MILIONÁRIO ENTRE PADRE ROBSON E POLÍTICOS É REVELADO ATRAVÉS DE INVESTIGAÇÕES

MPF DIZ QUE TEM MAIS DE 100 CITADOS NO ESQUEMA QUE LEVOU O AFASTAMENTO DE WITZEL

Por Pedro Figueiredo, RJ2

 

Mais de 50 pessoas são suspeitas de fazer parte de esquema de corrupção no governo do RJMais de 50 pessoas são suspeitas de fazer parte de esquema de corrupção no governo do RJ

O Ministério Público Federal (MPF) citou mais de 100 pessoas físicas e jurídicas suspeitas de fazer parte do esquema de corrupção que, segundo os procuradores, é encabeçado por Wilson Witzel, afastado na sexta-feira do cargo de governador do RJ.

Os citados na denúncia estão divididos em nove grupos, que têm mais de 50 integrantes, incluindo membros dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do estado, além de empresários, advogados e familiares e dezenas de empresas.

Núcleo Witzel

  • André Moura
  • Claudio Castro
  • Cleiton Rodrigues
  • Gothardo Lopes Netto

Das pessoas mais próximas a Witzel, o governador em exercício Cláudio Castro e o secretário da Casa Civil André Moura foram alvos de mandado de busca e apreensão.

Eles são investigados por terem participado de um esquema para desvio de sobras do orçamento da Alerj para fundos municipais de saúde.

Cleiton Rodrigues foi chefe de gabinete, secretário de Governo e da Casa Civil de Witzel.

Segundo os investigadores, Pastor Everaldo pediu que o ex-secretário de Saúde, Edmar Santos, criasse vagas para Cleiton Rodrigues negociar com secretários, facilitando a aprovação de projetos na Alerj.

Já Gothardo Lopes Netto, ex-deputado e ex-prefeito de Volta Redonda, preso na sexta-feira (28), é amigo pessoal de Witzel. Uma OS ligada a ele venceu uma licitação e, segundo o ex-secretário Edmar Santos, teria sido direcionado pelo governador.

André Ceciliano (PT) após votação que o consagrou presidente da Alerj pelo biênio 2019-2020. — Foto: Otacílio Barbosa/Alerj/Divulgação

Núcleo Alerj

  • André Ceciliano
  • Rodrigo Bacellar
  • Marcio Canella
  • Rosenverg Reis
  • Rodrigo Amorim

Da Alerj, são citados os deputados André Ceciliano (PT), presidente da casa, Rodrigo Bacellar (Solidariedade), Marcio Canella e Rosenverg Reis (MDB).

Eles fariam parte do esquema de repasse das sobras do orçamento da Alerj para os municípios, segundo o MPF.

Rosenverg Reis teria ligação com os pedidos de repasses pra Duque de Caxias. O MPF pediu busca e apreensão contra ele, mas a Justiça não concedeu.

Já Rodrigo Amorim, líder do PSL, seria o responsável por indicações e nomeações de pessoas pra vagas disponíveis na secretaria de Ciência e Tecnologia.

Núcleo Pastor Everaldo

  • Pastor Everaldo
  • Laércio Pereira
  • Filipe Pereira
  • Marcos Dias Pereira
  • Edson Torres
  • Matheus De Paiva Torres
  • Jonathas De Paiva Torres
  • Marcelo Nascimento Andrade (genro)
  • Juarez Fialho
  • Victor Hugo Amaral Cavalcante Barroso

O presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo, foi um dos presos na operação. Ele é suspeito de comandar as contratações irregulares na Secretaria Estadual de Saúde.

Também estão na cadeia os filhos do pastor: Laércio Pereira, advogado do partido, e Filipe Pereira, que é assessor especial do governador.

O irmão de Everaldo, Marcos Dias Pereira, controla a organização social Nova Esperança – que tem à frente um laranja.

Edson Torres, sócio do Pastor Everaldo, também foi preso.

Nas palavras do MPF, ele atua na administração de contratos, fraudes a licitações e pagamentos de propina.

Matheus e Jonathas de Paiva Torres são filhos de Edson Torres e agiriam com ele no esquema, de acordo com a investigação.

Marcelo Nascimento Andrade é genro do pastor e controlava uma empresa que, para os procuradores, cometeu desvios de dinheiro público na época que o ex-secretário Edmar Santos era diretor do Hospital Pedro Ernesto.

O secretário estadual de Cidades, Juarez Fialho, faz parte deste grupo. A prisão dele foi pedida pelos procuradores, mas negada pela Justiça.

Fialho é sócio do operador financeiro Victor Hugo Amaral Cavalcante Barroso, operador financeiro da quadrilha de Everaldo e Edson Torres.

Núcleo Saúde

  • Edmar Santos
  • Claudio Marcelo Santos Silva
  • Gustavo Borges Da Silva
  • Carlos Frederico Verçosa Duboc
  • Maria Ozana Gomes
  • Mariana Scardua
  • Iran Pires Aguiar

O ex-secretário estadual de Saúde Edmar Santos é o delator que ajudou na investigação. O operador financeiro dele, Claudio Marcelo Santos Silva, é citado.

Claudio foi o responsável por guardar os R$ 8 milhões encontrados pelo Ministério Público do RJ.

Gustavo Borges da Silva, ex-superintendente da secretaria de Saúde, e preso na operação Mercadores do Caos, era quem, de acordo com as investigações, garantia que as OSs escolhidas pelo grupo se sagrassem vencedoras.

Carlos Frederico Verçosa Duboc, também preso, e Maria Ozana Gomes receberiam valores em espécie pra liberar recursos pra organização criminosa.

Mariana Scardua foi subsecretária responsável pela gestão das organizações sociais. Segundo os investigadores, teria atuação essencial no direcionamento das licitações.

Já Iran Aguiar, que foi preso, se tornou subsecretário-executivo no lugar de Gabriell Neves, também preso.

Núcleo Iabas

  • Claudio Alves França
  • Roberto Bertholdo
  • Helcio Kazuhiro Watanabe

Claudio Alves França é o presidente do Iabas – que participou diretamente da contratação emergencial dos hospitais de campanha.

Chamou a atenção dos investigadores o grande volume de dinheiro movimentado em espécie por ele.

Roberto Bertholdo seria o dono de fato do Iabas e teria negociado a contratação da organização social de maneira fraudulenta.

Helcio Watanabe é o supervisor do Iabas no Rio e participou das tratativas pra assinatura do contrato.

Núcleo Mario Peixoto

  • Mario Peixoto
  • Vinicius Peixoto
  • Lucas Tristão
  • Cassiano Luiz Da Silva
  • Alessandro Duarte
  • Juan Elias Neves De Paula
  • Luiz Roberto Martins
  • Washington Reis

Já no núcleo do empresário Mario Peixoto, está o filho, Vinicius Peixoto, e o ex-secretário Lucas Tristão, preso na sexta-feira. Ele seria o braço político de Peixoto no governo.

Cassiano Luiz da Silva, também preso, seria um dos principais operadores financeiros de Mario.

Alessandro Duarte, preso, é sócio de Mario Peixoto e o dono formal da DPAD Serviços Diagnósticos, empresa que contratou de maneira suspeita o escritório da primeira-dama, Helena Witzel, junto com Juan Elias Neves de Paula.

Luiz Roberto Martins é o gestor, de fato, da organização social Unir Saúde, ligada a Peixoto, e requalificada por Witzel.

Washington Reis é o prefeito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Nas palavras do MPF, o grupo de Mario Peixoto possuía proximidade muito forte com ele, tendo inclusive, segundo a delação de Edmar Santos, pago propina ao grupo de Pastor Everaldo em nome da família Reis.

O MPF pediu busca e apreensão na casa de Washington Reis, mas a Justiça não concedeu.

Núcleo José Carlos De Melo

  • José Carlos De Melo
  • Pedro Mario Nardelli Filho (Geosmina)
  • Carlos Frederico Loretti Da Silveira (Kiko)
  • Cassio Rodrigues Barreiros

O ex-pró-reitor da UNIG, José Carlos de Melo, intermediava negócios entre empresas e o governo do RJ e era conhecido pelo volume de dinheiro em espécie que tinha sempre disponível.

Pedro Mario Nardelli Filho é amigo de José Carlos e dono de uma empresa contratada, segundo os procuradores, de maneira suspeita, pra resolver o problema de geosmina na água da Cedae.

Carlos Frederico Loretti da Silveira, o Kiko, era o operador financeiro de José Carlo e Cassio Rodrigues Barreiros foi assessor direto do governador. Tinha uma posição estratégica no governo.

Núcleo Educação e Ciência

  • Pedro Fernandes
  • João Marcos Borges Mattos
  • Leonardo Rodrigues
  • Gilson Paulino

O secretário de Educação, Pedro Fernandes, é citado na decisão do ministro Benedito Gonçalves como integrante da organização criminosa de Mario Peixoto.

João Marcos Borges Mattos foi subsecretário dele e era sócio de uma empresa do grupo de Peixoto que pagou o escritório da primeira-dama.

Leonardo Rodrigues é o secretário estadual de Ciência e Tecnologia. Teria relações com Peixoto e José Carlos de Melo – tendo pago valores milionários em contratos com dispensa de licitação para a Atrio – empresa de Mario Peixoto.

Gilson Paulino foi funcionário da Atrio e presidente do Cecierj – Centro de Educação à Distância do Estado.

Teria postergado licitações pra favorecer a contratação emergencial da Atrio.

Núcleo Justiça

  • Marcos Pinto Da Cruz
  • Eduarda Pinto Da Cruz
  • Fernando Antonio Zorzenon Da Silva
  • Manoel Peixinho

O MPF investiga também a participação do Judiciário no esquema de corrupção.

O desembargador Marcos Pinto da Cruz do Tribunal Regional do Trabalho sacou, segundo os investigadores, mais de R$ 500 mil em espécie no mesmo período em que a irmã dele, Eduarda Pinto da Cruz, foi contratada para defender a empresa de Mario Peixoto.

O desembargador teria ainda tentando montar um esquema de liberação de dívidas do governo com as organizações sociais em troca de pagamento de propina.

Fernando Antonio Zorenon da Silva foi o presidente do TRT da primeira região e teria aderido ao esquema de corrupção criado por Marcos Pinto da Cruz.

Já o advogado Manoel Peixinho, que defende Witzel no processo de impeachment, teria procurado organizações sociais pra participar do esquema do desembargador Marcos Pinto da Cruz.

O que dizem os citados

O pastor Everaldo disse que foi surpreendido com sua prisão e disse que confia na justiça.

Os filhos do pastor, Laércio Pereira e Felipe Pereira consideraram a prisão “injusta e desnecessária”. “A ordem se deu apenas para serem ouvidos, mas poderiam ter sido intimados que atenderiam à intimação e prestariam todos os esclarecimentos.”

A defesa do secretário Pedro Fernandes diz que ele não foi alvo da operação. “Não temos conhecimento sobre acusações dirigidas a ele. Depois de saber da citação do nome do secretário pela imprensa, o advogado dele pediu imediatamente acesso ao processo. Causa estranheza a menção ao secretário já que a Secretaria de Educação não tem qualquer contrato com OSs ligadas aos empresários alvos da ação”, diz a nota.

O secretário da casa civil, André Moura, falou que recebeu com surpresa a ação de busca e apreensão na sua casa, em Sergipe. E disse que os agentes da Polícia Federal nada encontraram. “Diante das muitas fake news que vêm sendo divulgadas, André Moura informa que se encontra bem e ratifica não ser alvo da operação ocorrida.”

A defesa do governador em exercício informou que ainda não conhece os autos e disse que Cláudio Castro está disposto a colaborar com as investigações.

A defesa de Gothardo Netto falou que desconhece o motivo da prisão e por isso não vai se pronunciar.

A defesa de Mário Peixoto disse que a prisão dele é ilegal e não está baseada em nenhuma prova.

A defesa de Vinícius Peixoto diz que está sendo “vítima de um erro judiciário”.

Os advogados de Lucas Tristão disseram que vão se pronunciar nos autos.

As defesas de Alessandro Duarte e Cassiano Luiz disseram que as prisões foram desnecessárias e que os dois não cometeram qualquer ato ilegal.

O secretário de Ciência e Tecnologia, Léo Rodrigues, negou qualquer irregularidade.

O Governo do Rio informou que Cássio Rodrigues Barreiros foi exonerado no dia 24 de junho.

Juarez Fialho diz que esteve na iniciativa privada até novembro de 2018 e, ao ser convidado para trabalhar no Governo do Estado, se desligou de toda e qualquer atividade privada para se dedicar exclusivamente ao serviço público. “Sendo assim, não possui qualquer vínculo com as empresas citadas”, diz a nota.

A defesa de José Carlos de Melo informou que ele vai se entregar na segunda-feira.

A Unig disse que José Carlos de Melo nunca foi dono da universidade e que deixou o cargo do pró-reitor há dois meses.

Iabas informou que recebeu com surpresa a prisão temporária do presidente, Claudio Alves França e que está colaborando com a Justiça.

Cláudio França diz que “jamais tratou com o governo do Rio de Janeiro ou qualquer de seus representantes a respeito dos hospitais de campanha”. “Os depósitos e saques em espécies identificados em suas contas são de origem lícita, fruto do seu trabalho, conforme será demonstrado nos autos do processo”, diz a nota da defesa.

O deputado Rosenverg Reis que sempre se dedicou para buscar recursos para Caxias. “Rosenverg Reis não sofreu buscas e apreensão nem no gabinete, nem em sua residência. O deputado sempre se dedicou a buscar recursos para o município de Duque de Caxias, principalmente para a área da Saúde, cujos hospitais atendem moradores de outras cidades da Baixada e do Grande Rio. Lamenta ver essa tentativa de criminalização, e vai continuar cumprindo seu compromisso de buscar ajuda para suprir as necessidades da população”, diz a nota.

A Prefeitura de Duque de Caxias diz que “o prefeito Washington Reis não é réu na ação penal que motivou o afastamento do governador Wilson Witzel, bem como ressalta que seu nome é citado apenas três vezes em mais de 120 páginas de petição, citações essas de forma reflexa, sem qualquer conexão ou envolvimento direto ou indireto com os fatos que ensejaram a denúncia ofertada pelo Ministério Público. O Prefeito refuta qualquer interpretação do texto ministerial que possa sugerir ligação espúria com os denunciados, ressaltando que suas relações com empresários e políticos são pautadas por intensos republicanismo e transparência, controle social e público, e que todas as verbas repassadas pelo Estado ao Município foram empregadas devidamente, não tendo sido apontada qualquer irregularidade por parte dos órgãos estaduais e federais de controle, o que ressalta a lisura das políticas públicas de saúde no âmbito do Município de Duque de Caxias”.

O presidente da Alerj, André Ceciliano disse que desconhece as razões para os mandados de busca e apreensão em seus endereços mas confia na Justiça e que está pronto para colaborar com as autoridades.

Manoel Peixinho disse que todo e qualquer contato realizado junto a determinadas organizações sociais ocorreu às claras. E disse que vai aguardar as investigações com tranquilidade e está confiante na justiça

Rodrigo Bacellar disse que recebeu com surpresa o conteúdo da delação do ex-secretário e disse que gostaria de esclarecer que estiveram juntos em poucas reuniões.

Marcio Canella diz que o próprio delator afirma que recursos não foram liberados e que o trabalho dele é obter verbas que ajudem a população mais carente.

O desembargador Fernando Antonio Zorzenon da Silva negou qualquer irregularidade. Declarou que a concessão do plano especial de execução trabalhista à empresa Atrio se deu em obediência à lei e que os valores mensais a serem pagos pela empresa beneficiada com o plano especial de execução são previamente fixados, publicados e depositados em conta judicial à disposição do juízo centralizador.

O desembargador Marcus Pinto da Cruz não quis se manifestar.

Cleiton Rodrigues diz que, “quanto às citadas vagas, era um agente político, portanto recebia pedido de emprego de várias pessoas e, como o próprio Edmar relatou, os pedidos eram encaminhados via curriculum que eram analisados e aprovados ou não”. “Segundo o próprio Edmar nem 10 por cento dessas mencionadas vagas foram ocupadas, deixando claro que minha interlocução foi por um período apenas. Reiterando que jamais pedi qualquer prática anti republicana. Na condição de secretário de Governo, era meu papel intermediar as relações institucionais, de forma que os pedidos de emprego formulado por deputados, vereadores e prefeitos eram encaminhados à secretaria correspondente, sem qualquer compromisso de atendimento. Os pedidos dirigidos à Secretaria de Saúde não tinham tratamento diferente”.

Em nota, Roberto Bertholdo diz que era um dos advogados contratados pelo Iabas no Rio de Janeiro. “O instituto não possui proprietário, por ser uma associação sem fins lucrativos, portanto, não pode ser vendido. Apesar da afirmação na denúncia, o Ministério Público não indica ter havido qualquer pagamento pela suposta venda da entidade.”

Helcio Watanabe: “Ele de fato era supervisor e nesta função participou da contratação dos hospitais de campanha. De resto, contra ele não há acusação e ele também não consta da decisão judicial.”

Em nota, Cássio Barreiros afirmou que: “Não tem relação de parentesco com José Carlos de Melo e nunca tratou com ele de questões ou interesses ligados ao Estado — o próprio MPF afirma que Melo não tem contratos com o poder público; nunca defendeu interesse privado perante a administração estadual — pelo contrário, concordou por escrito com o parecer de desqualificação da OS Unir, fato que está na origem das investigações em curso; foi indicado ao governo estadual pelo Pastor Ezequiel Teixeira, ex-deputado federal a quem assessorou na Câmara dos Deputados por 4 anos; deixou ainda em junho, por iniciativa própria, o cargo que ocupava no governo estadual; não praticou nenhum crime nem ato ímprobo ou antiético e confia em que isso ficará devidamente esclarecido.”

O deputado Rodrigo Amorim disse que a “suposta discussão” com um secretário estadual “jamais aconteceu” e que já deixou claro que “não existe ‘esquema’ de indicação para cargo algum”. “Ser mencionado numa lista de nomes apontados por um delator que foi preso por desvio de dinheiro público em tempo de pandemia é algo que deveria ser restrito a quem está investigado por crime, o que não é meu caso. Sou mencionado numa situação que não há sequer associação da minha pessoa a crime algum. Aliás, o próprio delator ressalta claramente a ausência de qualquer assunto ilícito. Vale lembrar que é um delator que além de tudo foi indicado em novembro de 2018 por uma pessoa que também se encontra presa”, diz a nota.

Fonte: G1

Continuar lendo MPF DIZ QUE TEM MAIS DE 100 CITADOS NO ESQUEMA QUE LEVOU O AFASTAMENTO DE WITZEL

PONTO DE VISTA: O SÓRDIDO COMPLÔ MONTADO DENTRO DO CONGRESSO NACIONAL PARA TIRAR O PODER DE BOLSONARO

Em entrevista a Jovem Pan ontem o deputado federal Roberto Jefferson fez séria denúncia e esclareceu quais as intenções dos presidentes do Senado e Câmara Federal que estão formando um verdadeiro complô para derrubar o presidente Jair Bolsonaro do poder. Não vou me alongar, pois se você assistir ao vídeo vai entender facilmente o que realmente está acontecendo no antro do Congresso Nacional e o risco que a nossa frágil democracia sofre. Leia também o artigo a seguir e forme a sua opinião!

Fonte: Os Pingos nos Is

O esquema de Rodrigo Maia para tirar Bolsonaro e permanecer no poder

  em 

Jonas Pereira | Agência Senado

Roberto Jefferson fez uma declaração óbvia e polêmica sobre a dinâmica de poder articulada pelo Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para se perpetuar no poder e, como cereja do bolo, entregar o presente que os setores políticos de oposição, centrão e isentões tanto almejam: o afastamento do Jair Bolsonaro da Presidência da República e a sucumbência total do plano estratégico econômico de Paulo Guedes, que daria início a uma forte agenda de retomada de crescimento do país, como já vinha acontecendo desde o início de 2019.

O plano é muito simples: o Presidente da Câmara acata o parecer jurídico que supostamente fundamenta o pedido de impeachment do Presidente e, em contrapartida, exige que o Congresso, unificado pela maioria composta do centrão e a esquerda, colaborem para que a PEC desenterrada pelo Rodrigo Maia tenha a sua aprovação para que ele permaneça no poder.

Talvez esse seja o jogo mais vil e sujo contra a vontade majoritária popular na história, uma vez que Jair Bolsonaro conta com uma base de apoio popular expressiva e um número considerável de pessoas que ainda o acham regular, ultrapassando quaisquer índices de rejeição total, o que concretiza uma atmosfera completamente distinta das que vigoraram durante a época da Dilma Rousseff e Fernando Collor.

Vale lembrar que o processo de impeachment, tomado como base os casos anteriores, só acontece quando uma série de requisitos pretéritos são preenchidos para que haja viabilidade sem resistência popular, com fundamentação jurídica e transição pacífica entre os ocupantes dos cargos.

É válido observar que ambos os Presidentes já impedidos, tanto Dilma quanto Collor, contavam com forte e expressiva rejeição popular, além de manifestações pelo impeachment que pavimentaram a faceta política de todo o processo.

Não basta tão somente a fundamentação jurídica legítima, coisa que vigorou nos dois processos anteriores, mas também um vetor popular de incentivo para que o processo ocorra com total lisura e completamente desprovido de grande resistência civil.

Nenhum desses requisitos são preenchidos no caso do Presidente Jair Bolsonaro, e a fundamentação ventilada pelo ex-Conselheiro da OAB não encontra fortes evidências jurídicas e revela apenas a faceta obscura de uma conspiração política da mais suja que já testemunhamos na história.

O argumento exposto pelo então advogado revela que o Presidente supostamente incorreu em crime de responsabilidade ao contrariar as orientações da OMS de combate à pandemia.

Essa alegação não faz o menor sentido, uma vez que as orientações da OMS não são imbuídas de caráter imperativo e todo o protocolo recomendado já está sendo executado pelas autoridades responsáveis em coordenação máxima pelo Ministério da Saúde. Vale lembrar que a OMS não possui constância nas suas orientações, muitas vezes demonstrando insegurança sobre recomendação de uso de máscaras e até mesmo declaração de que a quarentena horizontal talvez não seja suficiente para impedir a proliferação do coronavírus.

Portanto, embora estejamos passando por uma circunstância de medidas preventivas e combate à pandemia, isso não significa que ingressamos em um Estado de exceção, fundamentando a supressão provisória das liberdades civis e individuais, vigorando então o máximo da vitalidade e manutenção dos nossos direitos que devem ser resguardados mediante nossa Constituição – fator esse solenemente ignorado pelo próprio STF, governadores inescrupulosos e alguns prefeitos que estão brincando de ditadores ao tratar com extrema truculência cidadãos que até mesmo seguem recomendações da OMS de caminhar ao ar livre.

O que se ignora muitas vezes é que a própria OMS também divulga recomendações que implicam em cuidados para a manutenção do nosso sistema imunológico e constância na saúde mental, uma vez que a quarentena total pode culminar numa total quebra de rotina, desequilibrando a condição psicológica de milhares de pessoas, além das devidas recomendações de maximização do sistema imunológico através do consumo de vitamina D, o que pode ser abastecido através das caminhadas ao ar livre e com constante contato recomendado com a luz solar.

Portanto, toda a estrutura de argumentação que fundamenta o pedido de impeachment segue-se sendo completamente inválida, uma vez que desconsidera todo o sistema complexo de estudos e recomendações por autoridades de diversos campos da ciência, incluindo a própria medicina, epidemiologia, psicologia etc.

E para preencher todo o show de horrores temos também a ala que surfou na onda do bolsonarismo em 2018 da forma mais oportunista e vigarista possível inflamando a nova narrativa difamatória contra as recentes manifestações que predominantemente apoiaram novas formas de isolamento para que não haja o sacrifício da economia. Injustamente atribuída como uma manifestação completamente a favor da intervenção militar, essa é a nova narrativa do momento para a mídia abastecer seu arsenal de mentiras contra o Presidente, fortalecendo ainda mais a atmosfera de inviabilidade e desgaste através de constantes ataques irrefletidos.

O esquema de poder que almeja a manutenção da cleptocracia no nosso país procura resistência, e Bolsonaro parece ser um forte obstáculo para tudo isso. A inviabilidade da governança do Presidente Jair Bolsonaro, representado pela agenda chancelada por milhares de brasileiros de maneira democrática, é o novo mecanismo que a elite política e burocrática encontrou para que a renovação política não tenha o seu devido progresso e a velha forma volte a vigorar com loteamento de cargos e trocas de favores.

Os covardes que apoiaram e se aproveitaram da onda do Presidente Jair Bolsonaro já pularam do barco, e agora mostram-se a favor da agenda da velha política e da manutenção da supressão das liberdades individuais, o que curiosamente é completamente dissonante à suposta ideologia liberal de muitos esses que já desistiram no meio do caminho.

Temos então a nefasta reunião do STF e a corja do Congresso para impermear o andamento da agenda de mudança econômica e social encabeçada pelo Presidente e sua equipe ministerial, então faço-lhes uma pergunta: vocês realmente acreditam que tipos do Rodrigo Maia, Alcolumbre e as velhas raposas do STF realmente se preocupam com o interesse público, nossos direitos civis e com a manutenção do processo natural democrático manifestado pela eleição do Jair Bolsonaro? É óbvio e ululante que eles agem à despeito da vontade majoritária popular e lutam tão somente pela manutenção de tudo aquilo que há de mais podre e virulento no nosso país.

Continuar lendo PONTO DE VISTA: O SÓRDIDO COMPLÔ MONTADO DENTRO DO CONGRESSO NACIONAL PARA TIRAR O PODER DE BOLSONARO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar