BOAS NOTÍCIAS: GAROTA AUTISTA CONQUISTA VAGA EM 1º LUGAR NO CURSO DE MEDICINA DA UFJ

As BOAS NOTÍCIAS que mais me atraem são aquelas que me emocionam, que contam uma história de vida de dar inveja a qualquer um pela força, pela garra, pela luta e principalmente pela transformação das pessoas. Por isso o destaque da nossa coluna nesta segunda-feira é a história da autista que fez 920 pontos na redação do ENEM e passou em 1º lugar no curso de medicina da UFJ. Ela tem pais humildes.  Dona Iraci Morais, agente comunitária de saúde e seu João Roberto de Morais, que trabalha como cerqueiro. Convido você a ler o artigo completo a seguir e se emocionar como eu com essa bela história de superação!

Autista faz 920 pontos no Enem e passa em 1º em Medicina na UFJ

Que orgulho! Lembra da Carol Nobre, que fez crochê para poder estudar Medicina? Ela conseguiu 920 pontos na redação no Enem e passou em 1º lugar em Medicina na UFJ, Universidade Federal de Jataí, em Goiás. (foto abaixo)

Feliz da vida com a conquista, ela dedicou a vitória aos pais, que sempre a apoiaram e aprenderam a lidar com o autismo da filha: dona Iraci Morais, agente comunitária de saúde e seu João Roberto de Morais, que trabalha como cerqueiro.

“A conquista é por eles”, disse Carol Nobre em entrevista ao Só Notícia Boa.

Autismo

Carol tem 30 anos, e mora em Buritama, no interior de São Paulo.

Ela é formada em Odontologia, mas abandonou a profissão porque tem hipersensibilidade sensorial e não suportava o barulho no consultório.

Foi aí que decidiu fazer Medicina e passou na faculdade, mas não tinha dinheiro para pagar as mensalidades e não conseguiu cursar.

Crochê

A jovem começou então a fazer crochê, como mostramos no ano passado aqui no Só Notícia Boa.

Com o dinheiro das peças vendidas, ela pagou um cursinho online e estudou em casa durante a quarentena para tentar faculdade pública.

Foi assim que Carol passou no Enem e conseguiu entrar na universidade federal. Agora vai poder estudar sem ter que pagar mensalidades.

“Eu sou grata a todo mundo. Não conseguiria sozinha. É difícil falar. Tô feliz e sem acreditar. Parece um sonho”, comemorou.

Agora ela está preparando a documentação e disse que vai fazer a matrícula na UFJ nesta segunda-feira, 19.

Parabéns Carol! Você é um orgulho para os seus pais e pra gente, que vem acompanhando sua história e vibrando com suas vitórias! Mais uma, né?

1º lugar em Medicina na UFJ - Foto: arquivo pessoal
Rúbia Carolina Nobre Morais, 1º lugar em Medicina na UFJ – Foto: arquivo pessoal
Iraci Morais, mãe de Carol - Foto: arquivo pessoal
Iraci Morais, mãe de Carol – Foto: arquivo pessoal
João Roberto de Morais, pai de Carol - Foto: arquivo pessoal
João Roberto de Morais, pai de Carol – Foto: arquivo pessoal

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do Só Notícia Boa

Fonte: Só Notícia Boa

Continuar lendo BOAS NOTÍCIAS: GAROTA AUTISTA CONQUISTA VAGA EM 1º LUGAR NO CURSO DE MEDICINA DA UFJ

CORONEL DA FAB ALEXANDRE GOMES DA SILVA FOI NOMEADO PARA SER O DIRETOR DO INEP

Coronel da FAB é nomeado para diretoria responsável pelo Enem

Alexandre Gomes da Silva, da Força Aérea Brasileira (FAB), assume como novo diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 05 de março de 2021 às 18:16

Tela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o EnemTela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o EnemFoto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil (28.mai.2020)

O coronel Alexandre Gomes da Silva, militar da Força Aérea Brasileira (FAB), foi nomeado nesta sexta-feira (5) para ser diretor do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), entidade ligada ao Ministério da Educação.

O departamento a ser dirigido por Gomes da Silva é a Diretoria de Avaliação da Educação Básica do Inep, que é responsável pela organização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A nomeação foi assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto.

O Inep atravessa mudanças. No último dia 26, o governo exonerou o presidente do instituto, Alexandre Lopes, após a realização do Enem de 2020. Danilo Dupas Ribeiro, que era secretário do ministro da Educação, Milton Ribeiro, assumiu o posto.

Continuar lendo CORONEL DA FAB ALEXANDRE GOMES DA SILVA FOI NOMEADO PARA SER O DIRETOR DO INEP

PRESIDENTE DO INEP, ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELO ENEM É EXONERADO DO CARGO

Alexandre Lopes é exonerado da presidência do Inep, órgão responsável pelo Enem

Ato publicado no Diário Oficial da União durante a madrugada, assinado pelo ministro-chefe da Casa Civil, exonera Lopes, desde 2019 à frente do Inep

Por Diego Freire, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 26 de fevereiro de 2021 às 04:00

Presidente do Inep Alexandre Lopes fala sobre segurança na aplicação do EnemAlexandre Lopes na presidência do Inep (16.jan.2021)Foto: Reprodução / CNN

Em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (26), Alexandre Ribeiro Ferreira Lopes foi exonerado da presidência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação (MEC) responsável pela realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade).

A exoneração foi assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto. Não há, no ato, a nomeação de um substituto.

Na mesma edição, foi publicada a exoneração do chefe de gabinete da presidência do órgão, Marcelo Silva Pontes, em portaria assinada pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro.

Servidor público federal, Alexandre Lopes, é analista de comércio exterior desde 1999. É graduado em Engenharia Química, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e em Direito, pela Universidade de Brasília (UnB). Assumiu a presidência do Inep em 20 de maio de 2019.

Após adiamento em virtude da pandemia, o Enem de 2020 começou a ser aplicado em janeiro de 2021, com recordes de abstenções.

O exame, que teve novidades como a implementação do Enem Digital, foi mantido no início do 2021 em meio a pedidos para que as provas fossem novamente postergadas.

Fonte: CNN

Continuar lendo PRESIDENTE DO INEP, ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELO ENEM É EXONERADO DO CARGO

O SEGUNDO DIA DE PROVAS DIGITAIS DO ENEM TEVE ABSTENÇÃO RECORD DE 71,3%

Enem tem abstenção recorde de 71,3%, no segundo dia de prova digital

Resultado de imagem para Enem tem abstenção recorde de 71,3%, no segundo dia de prova digital

O segundo dia de provas digitais do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) teve abstenção recorde de 71,3%, segundo informou o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) na noite deste domingo (7). Ao todo, 26.709 alunos realizaram a avaliação e 66.370 inscritos não compareceram. O número de abstenção deste domingo superou o do primeiro dia de aplicação de prova, quando 68,1% dos inscritos não compareceram para fazer a avaliação.

Alexandre Lopes, presidente do Inep, considerou o resultado do Enem Digital satisfatório, tendo em vista que é um projeto-piloto. “Como era nossa primeira aplicação, estamos satisfeitos com o resultado, porque conseguimos entregar o que propusemos, a participação no impresso, e digitação é opção do participante. A nossa parte é garantir que as pessoas que queiram fazer a prova façam a prova e, se tiver algum problema, é conseguir fazer a reaplicação”, disse.

Quem não compareceu precisa justificar a falta para pedir reaplicação, que será feita em 23 e 24 de fevereiro em versão impressa. No Amazonas, as provas foram suspensas em razão do agravamento da crise sanitária no estado e as provas serão reaplicadas nas mesmas datas.

Esta é a primeira versão do exame aplicada de forma digital. Os alunos fizeram as provas em 104 cidades espalhadas pelo país. Foram disponibilizados 93 mil computadores.

A versão impressa, aplicada nos dias 17 e 24 de janeiro, também teve abstenção recorde: mais de metade dos cerca de 5 milhões de inscritos (55,3%) não compareceu ao exame.

Neste domingo (7) foram realizadas questões de matemática e ciências da natureza. Já na semana anterior, os estudantes fizeram provas de ciências humanas, linguagens e redação. Embora as questões de múltipla escolha tenham sido feitas pelo computador, a redação teve de ser entregue no papel. O tema da redação da edição foi “O desafio de reduzir as desigualdades entre as regiões do Brasil”.

O Ministério da Educação quer que as provas do Enem sejam 100% digitais até 2026. Para isso, será feita uma transição gradual entre os exames impressos e o formato digital. Além disso, a pasta pretende realizar várias aplicações do exame ao longo de um só ano.

FOLHAPRESS

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo O SEGUNDO DIA DE PROVAS DIGITAIS DO ENEM TEVE ABSTENÇÃO RECORD DE 71,3%

OPINIÃO: UMA QUESTÃO DO ENEM ESCANCARA A DOUTRINAÇÃO DOS FALSOS EDUCADORES

A doutrinação dos falsos educadores escancarada em uma questão do Enem

Foto reprodução

A prova do Enem do dia 17 de janeiro de 2021 trouxe uma questão cujo enunciado descrevia a grande diferença de remuneração entre os jogadores de futebol Marta e Neymar. Comparava a quantidade de gols de cada um pela seleção e o salário anual de ambos. Uma foto montagem com os dois traz a pergunta no alto: “Quanto vale o gol?”, insinuando que a remuneração deveria variar em razão do número de gols marcados pela seleção.

Ao final, o enunciado afirma que “O esporte é uma manifestação cultural na qual se estabelecem relações sociais. Considerando o texto, o futebol é uma modalidade que”. Em seguida vem cinco opções de resposta que constrangem o candidato a concordar que é a identidade masculina do futebol que confere maior remuneração aos jogadores homens.

A leitura dessa questão gera algumas preocupações:

A primeira, é constatar que os professores que formam a banca da mais importante prova do país não conseguiram entender que o futebol é uma atividade profissional e empresarial, que gera remunerações proporcionais ao retorno de público e mídia que os atletas trazem para suas equipes e patrocinadores.

O aspecto cultural do futebol nada tem a ver com o padrão de remuneração, mas o enunciado e as opções da questão induzem os candidatos a afirmarem que a diferença de remuneração é meramente identitária (identidade masculina), e não uma consequência lógica do maior interesse dos expectadores em assistirem o Neymar e sua equipe.

O segundo, e mais grave fator de preocupação, é ver os candidatos ao ingresso nas universidades serem induzidos a concluir que estudar não é tão importante, pois a resposta dessa e de outras questões decorre de uma leitura superficial do texto. A possibilidade de acertar facilmente sem qualquer conhecimento prévio desmoraliza o esforço do aluno, que é essencial para sua evolução. Parece ser esse um dos objetivos dos elaboradores de questões como essa.

Por fim, é preocupante constatar que os alunos são estimulados a pensarem de forma elitista e leviana. Por que comparar apenas a remuneração das estrelas e não dos demais jogadores, homens e mulheres?

Por que escolher o critério dos gols marcados para avaliar a remuneração, se o futebol é um esporte coletivo em que a maioria dos jogadores não tem a função precípua de marcar gols, mas de prepará-los ou evitá-los?

E, principalmente, qual o sentido de escolher os gols marcados pela seleção como critério para aferir a justiça das remunerações se não é a CBF que paga os salários e se a grande maioria dos jogadores, homens e mulheres, não chega à seleção?

A questão induz ao raciocínio simplório, leviano e assistemático, típico dos falsos educadores que imperam nas escolas e universidades brasileiras. A utilização da posição de poder para induzir milhares de alunos a optarem por distorções como essa representa um grande abuso de poder e desserviço à educação brasileira. Não é à toa que a colocação do Brasil nas avaliações do PNUD é repetidamente humilhante.

Fernando Lemme Weiss. Advogado. Mestre e doutor em Direito Público pela UERJ

Fonte: Jornal da Cidade Online

Continuar lendo OPINIÃO: UMA QUESTÃO DO ENEM ESCANCARA A DOUTRINAÇÃO DOS FALSOS EDUCADORES

EDUCAÇÃO: EM ENTREVISTA À AGÊNCIA BRASIL PROFESSORES DÃO DICAS PARA O SEGUNDO DIA DE PROVAS DO ENEM

Professores dão dicas para o segundo dia de provas do Enem

Atualizado em:

Resolver questões de anos anteriores, revisar conteúdos estudados durante o ano e relaxar um pouco são algumas das dicas de professores entrevistados pela Agência Brasil para os estudantes que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (24). No segundo dia de aplicação da versão impressa do exame, os candidatos resolverão questões de matemática e de ciências da natureza.

“Neste momento, quando se fala em exatas, a grande dica é fazer as provas anteriores. Pegar as duas últimas provas e ter calma”, diz o diretor-geral do Colégio e Curso Progressão e professor de matemática, Leonardo Chucrute. “O Enem não quer colocar pegadinha para o candidato. O que ele está cobrando é aquilo mesmo. Acredite no que a prova está pedindo, é aquilo mesmo, é o que você sabe fazer. O que falo para o candidato é, mantenha a calma, você está preparado, você estudou, acredite em você”.

Segundo Chucrute, com base na prova do último domingo (17), primeiro dia de aplicação do Enem, a expectativa é que o exame tenha menos textos longos e que os enunciados sejam mais objetivos.

“Não é o momento de querer aprender conteúdos novos, de tirar o atraso, porque isso pode gerar tensão e cansaço desnecessários nesta reta final. Importante revisar e focar nos conteúdos que mais caíram nas provas”, diz o gerente executivo de Avaliações e Conteúdo Digital do SAS e professor de química, Caê Lavor. Na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) estão disponíveis as provas e os gabaritos dos anos anteriores do Enem.

A expectativa de Lavor é que o Enem mantenha o padrão dos conteúdos das últimas edições. “Será uma prova que repete os padrões do Enem. Tanto no conteúdo quanto na abordagem de problemas e conteúdos que são relevantes para o dia a dia dos alunos, que são relevantes para o cotidiano. O Enem cobra problemas e situações práticas, conteúdos que têm aplicação no dia a dia, conteúdos muito técnicos não costumam ser cobrados”.

Razão, proporção, porcentagem, regra de três são, segundo os professores, conteúdos recorrentemente cobrados na prova de matemática. Em biologia, o conteúdo destacado é ecologia; em física, mecânica, que envolve aceleração, velocidade e troca de energia; e, em química, físico-química, que engloba cálculo químico e aplicações práticas das reações químicas.

Na hora da prova 

Segundo o professor e coordenador de matemática do sistema COC by Pearson, Luiz Fernando Duarte, o estudante deve começar pelas questões com as quais tem mais afinidade. “Deve começar pela situação em que se sente mais forte, com o que tiver mais facilidade, para começar com mais confiança. Deve ser aí o ponto de partida”, diz.

“Em uma leitura cuidadosa é possível identificar as questões que podem ser resolvidas mais rapidamente. Isso significa fazer um bom número de questões e ter mais tempo para fazer questões com exigência maior”, orienta. Segundo Duarte, um tempo médio para a resolução das questões é de três minutos para cada. Uma técnica recomendada é que os candidatos leiam com atenção os enunciados, que grifem as partes mais importantes, que podem ajudar na resolução.

Ao todo, os estudantes terão cinco horas para resolver 90 questões. “Tivemos o caso de um aluno, ainda que ele estava fazendo a prova apenas como treineiro, que passou cerca de 30 minutos em uma questão e não conseguiu concluir a prova. Deixou de resolver questões elementares que só de passar o olho conseguiria resolver”, conta o professor de matemática do Centro de Educação de Tempo Integral (CETI) Augustinho Brandão, de Cocal dos Alves (PI), Raimundo Alves de Brito. “O estudante tem que saber identificar aquelas questões que certamente consegue resolver”, acrescenta.

Respirar

Em um ano atípico como o ano letivo de 2020, com a suspensão das aulas presenciais por causa da pandemia do novo coronavírus e, agora, com a realização do exame com uma série de medidas de biossegurança, os estudantes enfrentam uma ansiedade ainda maior. “A gente nem sabe como pedir, está todo mundo muito agitado, mas eu pediria calma. A prova está difícil para todo mundo, a situação é essa para todo mundo. É preciso calma e concentração para fazer a prova”, recomenda Brito.

Ele conta que enfrentou uma série de dificuldades ao longo do ano, com internet escassa no município, por vezes, estudantes não conseguiam sequer acessar um vídeo de três minutos. “Foi muito difícil, foi um ano horrível. A gente conseguiu mais ou menos cumprir a carga horária, mas as aulas ficam muito deficitárias. Estamos esgotados. A gente consegue sentir que não funcionou como a gente queria”, diz o professor.

Lavor concorda. “É um momento de manter a calma. Sei que é difícil. Muitas vezes, o estudo desenfreado e a busca de conhecimento agora criam tensão. Estudar poucas coisas, manter a calma e pensar que este momento vai ser importante para que sejam definidos os próximos passos, a universidade, mas este momento não define quem a gente é”, diz.

Ele chama a atenção para algo fundamental: a respiração. Uma dica é toda vez que o estudante se perceber nervoso, notar a respiração acelerada, parar e apenas respirar, até que ela desacelere. “Identificar a respiração pode ajudar a ter mais atenção plena. A estar presente no momento. Escutar o barulho da respiração por dez segundos”.

Enem 2020 

O Enem começou a ser aplicado no último domingo (17) e segue no próximo (24). No primeiro dia de aplicação, o exame teve abstenção recorde de 51,5%. Do total de 5.523.029 inscritos para a versão impressa do Enem, 2.842.332 faltaram às provas. Nesta edição, o Enem terá uma versão impressa e uma digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos, nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

As medidas de segurança adotadas em relação à pandemia do novo coronavírus serão as mesmas tanto no Enem impresso quanto no digital. Haverá, por exemplo, um número reduzido de estudantes por sala, para garantir o distanciamento entre os participantes. Durante todo o tempo de realização da prova, os candidatos estarão obrigados a usar máscaras de proteção da forma correta, tapando o nariz e a boca, sob pena de serem eliminados do exame. Além disso, o álcool em gel estará disponível em todos os locais de aplicação.

Os candidatos que tiverem sintomas de covid-19 e de outras doenças infectocontagiosas não devem comparecer aos locais de prova. Devem comunicar ao Inep pela Página do Participante. Esses candidatos terão direito à reaplicação, nos dias 23 e 24 de fevereiro.

Fonte: Portal da Tropical_ Notícias

Continuar lendo EDUCAÇÃO: EM ENTREVISTA À AGÊNCIA BRASIL PROFESSORES DÃO DICAS PARA O SEGUNDO DIA DE PROVAS DO ENEM

APÓS DPU PEDIR ADIAMENTO DO ENEM, INEP DIZ TOMAR MEDIDAS RÍGIDAS DE PREVENÇÃO À COVID-19 DURANTE O EXAME

Inep defende calendário do Enem e diz tomar medidas rígidas de prevenção à covid após DPU pedir o adiamento do Exame

 EDUCAÇÃO


Foto: Cadu Rolim/Agência O Globo

Após um pedido da Defensoria Pública da União e do Ministério Público Federal (MPF) à Justiça Federal de São Paulo nesta sexta-feira, 8, pelo adiamento do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em função do avanço da pandemia, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) defendeu a manutenção do calendário atual. Mais de 5,7 milhões de candidatos se preparam para as provas marcadas para os dias 17 e 24 de janeiro.

Para o órgão responsável pela organização da prova, “a realização do exame na data marcada é perfeitamente possível e segura para todos os envolvidos, não havendo riscos de ordem sanitária”. De acordo com o órgão, houve “um esforço institucional redobrado na adoção e implementação efetiva de todas as medidas de segurança previstas na legislação quanto à prevenção e combate da covid-19”.

Além de reforçar as medidas de segurança, o instituto diz que estudantes que estiverem contaminados com a covid-19 poderão realizar o exame em fevereiro. O posicionamento foi apresentado também nesta sexta-feira por meio da AGU (Advocacia-Geral da União) à Justiça Federal.

Por outro lado, no entendimento da Defensoria Pública da União e do Ministério Público Federal (MPF), “não há maneira segura para a realização de um exame com quase seis milhões de estudantes neste momento, durante o novo pico de casos da covid-19”. O documento, que pede tutela de urgência para o adiamento das provas, foi encaminhado à 12.ª Vara Cível da Subseção Judiciária de São Paulo.

Segundo defensor João Paulo Dorini, o processo sobre o Enem corre desde abril. Inicialmente marcada para novembro de 2020, a prova já foi adiada uma vez.

Uma enquete realizada pelo Ministério da Educação (MEC) com os candidatos inscritos indicou preferência pela realização do exame em maio. Apesar disso, a prova acabou sendo marcada para janeiro, para evitar atrasos nos calendários das universidades. Agora, o fundamento do novo pedido liminar foi a segunda onda de infecções pela covid-19. Não há prazo para que a Justiça Federal analise o pedido da Defensoria Pública.

O Inep afirma ainda que “reorganizar um calendário a nível de Enem é fragilizar e colocar em risco políticas públicas dele decorrentes”. O instituto afirma que a nota do Enem é utilizada em programas educacionais do país, como Sisu (Sistema de Seleção Unificada), Prouni (Programa Universidade para Todos) e Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), que poderiam, segundo o Inep, ser afetados com a suspensão do exame. “Um novo adiamento do Enem pode inviabilizar o início do ano letivo nas universidades federais, bem como a adesão aos programas”.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo APÓS DPU PEDIR ADIAMENTO DO ENEM, INEP DIZ TOMAR MEDIDAS RÍGIDAS DE PREVENÇÃO À COVID-19 DURANTE O EXAME

PARA SE PREPARAREM PARA O ENEM, ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS DO RECIFE RECEBEM AJUDA DE VOLUNTÁRIOS

Por Beatriz Castro, TV Globo

 

Estudantes de escolas públicas se preparam para o ENEM com ajuda de voluntários
Estudantes de escolas públicas se preparam para o ENEM com ajuda de voluntários

Em meio à pandemia do novo coronavírus, voluntários estão ajudando estudantes de escolas públicas a se preparar para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que foi remarcado para o início de 2021. A ideia é incentivar quem tenta manter os estudos, mesmo com as adversidades.

Uma das ações foi criada em Paulista, no Grande Recife. Na cidade, estudantes decidiram ajudar colegas, em março, quando as escolas fecharam, por causa do novo coronavírus.

Assim, surgiu o “Estude Comigo”. Desde então, a iniciativa vem ganhando adeptos. Os idealizadores convidaram 17 professores da escola onde estão matriculados e de cursos particulares.

Jéssica Ângela e Felipe José estudavam na mesma turma de uma escola da rede pública, no terceiro ano do Ensino Médio. Com a pandemia, tiveram que se separar. Mesmo assim, eles estão juntos na ajuda aos colegas mais necessitados.

“Ele estão no mesmo barco do que a gente, mas não estavam tendo aulas”, afirmou Felipe. “Ter resiliência, continuar, em meio à pandemia estudando é o maior desafio pra mim. Todos os jovens eles tem capacidade. Agora, a pergunta é: eles tem oportunidades?”, observou Jéssica, que sonha em ser a primeira pessoa da família com curso superior.

Com a ajuda dos voluntários, 40 estudantes passaram a ter aulas pela internet, todos os dias. Para quem estava parado, foi uma grande ideia.

“Está sendo muito produtivo. Consigo aprender de verdade pelo fato de que são professores excelentes”, elogiou o estudante Bruno Moreira.

Para os professores que foram integrados ao projeto, a ação é importante para vencer os obstáculos. “Acho que a educação é feita disso: não tem outra explicação, é a comunidade”, declarou Tereza Albuquerque, que ensina redação.

Acelerando

Outro projeto que está ajudando na preparação para o Enem é o “Acelere Educação”. Todos os sábados, são realizados aulões pela internet. De graça, cerca de 15 mil alunos acompanham as atividades, ministradas por professores de cursinhos particulares.

Com o projeto, foi possível fazer parcerias com empresas de internet de 16 cidades pernambucanas. Segundo a professora de redação Fernanda Pessoa, é fundamental democratizar o acesso à educação. “Tem muita gente do bem querendo fazer coisa boa”, afirmou.

Para o diretor do Acelere Educação, Rhayann Vasconcelos, quando o jovem recebe a oportunidade, acaba abraçando a ideia. “Não tenho dúvida nenhuma de que ele constrói um futuro melhor para ele, pra família dele, pro bairro dele e, lógico, pra todo estado”, declarou.

Moradora do Recife, Larissa Maria de Abreu destacou a oportunidade de manter os estudos e se preparar apara tentar realizar o sonho da vaga de medicina.

“Para democratizar o ensino, para a gente ter acesso à aula de qualidade, sim, eu acho muito importante. A gente se sente olhado e o estudante se sente prestigiado, na verdade”, ressaltado

Fonte: G1

Continuar lendo PARA SE PREPARAREM PARA O ENEM, ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS DO RECIFE RECEBEM AJUDA DE VOLUNTÁRIOS

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar