Blog do Saber, Cultura e Conhecimento!

GOVERNO DO RN ENVIOU A ALERN PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO PARA CONTRAIR EMPRÉSTIMO DE 36 MILHÕES DE DÓLARES JUNTO AO BID

Governo do RN quer empréstimo de 36 milhões de dólares junto ao BID

09 ago 2021

Governo Fátima quer empréstimo de 36 milhões de dólares junto ao BID

O Governo Fátima Bezerra (PT) enviou para a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte um pedido de autorização para contrair um empréstimo de 36 milhões de dólares junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O dinheiro será destinado a programas de modernização do fisco. O projeto tramita na Assembleia desde 26 de fevereiro.

A notícia é destaque na Tribuna do Norte.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo GOVERNO DO RN ENVIOU A ALERN PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO PARA CONTRAIR EMPRÉSTIMO DE 36 MILHÕES DE DÓLARES JUNTO AO BID

CONEP AUTORIZA BUTANTAN INICIAR TESTES CLÍNICOS COM A BUTANVAC

Butantan recebe autorização da Conep para iniciar testes clínicos da Butanvac

Anvisa, porém, ainda precisa conceder autorização após solicitar mais documentos ao Instituto Butantan

Anne Barbosa*, da CNN, em São Paulo

Atualizado 01 de julho de 2021 às 21:31

Butantan recebe autorização da Conep para iniciar testes clínicos da Butanvac

A Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) aprovou nesta quinta-feira (1º) o início dos testes clínicos em humanos da Butanvac, vacina nacional contra a Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan.

Esta primeira etapa de testes deve durar cerca de 17 semanas e ocorrerá no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto. Mais de 93 mil pessoas se inscreveram para os testes, mas serão selecionados 418 voluntários, todos acima de 18 anos.

Agora, a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) precisa fazer uma autorização final, após solicitar novos documentos ao instituto.

Na terça-feira (29), a agência emitiu nota dizendo que o protocolo de pesquisa clínica do imunizante contra a Covid-19 já está aprovado, mas que ainda faltam dados específicos para iniciar os testes em humanos.

Segundo a agência reguladora, um exemplo dos dados faltantes se refere à inativação do vírus utilizado na vacina. O instituto entregou o material solicitado e agora aguarda a aprovação da Anvisa.

‘Preciosismo’

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, avaliou como “preciosismo” a exigência feita pela agência Nacional de realização de teste adicional para que a vacina inicie a testagem em humanos.

Segundo o diretor, nesta semana devem ser recebidos, em Ribeirão Preto, os voluntários para o processo inicial de análise, coletas de sangue e entrevistas para os testes em humanos. Diante do prazo apertado, Covas pediu a compreensão do órgão regulador para a autorização do imunizante.

“Nós aguardamos que haja, por parte da Anvisa, a compreensão do momento, e não se fique a todo momento solicitando testes e testes e testes adicionais que não vão acrescentar nada ao que já foi apresentado”, afirmou o diretor, em entrevista coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

Continuar lendo CONEP AUTORIZA BUTANTAN INICIAR TESTES CLÍNICOS COM A BUTANVAC

PAZUELLO PASSARÁ POR PROCEDIMENTO DISCIPLINAR NO EXÉRCITO POR TER IDO AO ATO POLÍTICO SEM AUTORIZAÇÃO DO COMANDO

Exército decide abrir procedimento disciplinar contra Pazuello

Como general da ativa, ele só poderia ir ao ato com autorização do comando do exército, o que não ocorreu

Caio Junqueira

Por Caio Junqueira, CNN  

Atualizado 24 de maio de 2021 às 22:39

Exército decide abrir processo disciplinar sobre ida de Pazuello a ato

O Exército decidiu abrir um procedimento disciplinar contra o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello por ter ido ao ato no Rio de Janeiro com o presidente Jair Bolsonaro. Como general da ativa, ele só poderia ir participar com autorização do comando do exército, o que não ocorreu.

A investigação irá avaliar se ele descumpriu o Regulamento Disciplinar do Exército, que prevê punição caso “manifeste-se, publicamente, o militar da ativa, sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária”.

Pazuello foi notificado pelo Exército Brasileiro ainda na noite desta segunda-feira (24) sobre a abertura da apuração. A ideia inicial era que o ex-ministro fosse informado pessoalmente pelo comandante do Exército, Paulo Sergio Nogueira, mas fontes das Forças Armadas informaram à CNN que ele não chegou a tempo do Rio de Janeiro.

Inicialmente pensou-se uma reunião pessoalmente entre Nogueira e Pazuello na manhã desta terça-feira (25), mas a reunião foi cancelada.

O episódio é mais uma demonstração da irritação do Alto Comando do Exército com Pazuello. Militares consideraram a participação dele no ato com Bolsonaro uma afronta e agora pressionam para que ele vá para a reserva.

O artigo 24 do Regimento prevê seis tipos de punição:
“I – a advertência;
II – o impedimento disciplinar;
III – a repreensão;
IV – a detenção disciplinar;
V – a prisão disciplinar; e
VI – o licenciamento e a exclusão a bem da disciplina.”

Pazuello será chamado a se manifestar e apresentar sua defesa. A expectativa é de que o procedimento dure até  30 dias.

Procurado pela CNN o ex-ministro da Saúde não retornou as ligações.

Pressão por aposentadoria

O Alto Comando do Exército vai pressionar Eduardo Pazuello a pedir aposentadoria e, caso ele resista, debaterá alternativas para forçar o ex-ministro da Saúde a deixar a instituição. A situação interna, segundo generais, nunca esteve tão ruim.

Em conversa com Pazuello após o ato de domingo, o comandante do Exército, Paulo Sérgio Nogueira, orientou-o a ir para reserva. A solução é considerada pela força a mais diplomática, pois agradaria ao Alto Comando que poderia atenuar sua punição por ter ido ao ato com Bolsonaro. Pazuello, porém, resiste à ideia. Generais continuarão a debater essa possibilidade com ele.

Caso ele mantenha a resistência, alternativas estão sendo avaliadas pelo Exército. Uma delas é a promoção de oficiais generais de turmas mais novas, o que automaticamente o levaria à reserva. Outra é uma punição tão severa pela ida ao ato que o force a pedir aposentadoria.

Ato no Rio de Janeiro

O general Eduardo Pazuello esteve, sem máscara, em um ato político ao lado do presidente Jair Bolsonaro, também sem máscara, neste domingo (23) no Rio de Janeiro. A participação aconteceu dias depois de o militar falar à CPI da Pandemia, no Senado.

O depoimento à comissão deveria ter acontecido no começo do mês, mas foi adiado em duas semanas depois de Pazuello ter contato com casos suspeitos de Covid-19. Ele chegou a enviar uma carta ao Exército pedindo o adiamento. O general também havia sido flagrado sem máscara em um shopping de Manaus.

Continuar lendo PAZUELLO PASSARÁ POR PROCEDIMENTO DISCIPLINAR NO EXÉRCITO POR TER IDO AO ATO POLÍTICO SEM AUTORIZAÇÃO DO COMANDO

PAZUELLO TERÁ QUE EXPLICAR AO EXÉRCITO PARTICIPAÇÃO DE ATO COM BOLSONARO SEM PEDIR AUTORIZAÇÃO AO COMANDO

Exército deverá pedir explicações a Pazuello por ida a ato com Bolsonaro

Pazuello, que é general da ativa, não pediu autorização ao Comando do Exército para ir ao ato

Caio Junqueira

Por Caio Junqueira, CNN  

 Atualizado 23 de maio de 2021 às 17:49

Exército deverá pedir explicações a Pazuello por ida a ato com Bolsonaro

O Exército Brasileiro deverá pedir explicações ao ex-ministro da Saúde e general da ativa Eduardo Pazuello por sua participação em uma manifestação com o presidente Jair Bolsonaro na manhã deste domingo (23) no Rio de Janeiro.

Pazuello, de acordo com fontes das Forças Armadas, não pediu autorização ao Comando do Exército para ir ao ato. A avaliação na força é de que sua participação fere o Regulamento Disciplinar do Exército, que prevê punição caso para quem “manifestar-se, publicamente, o militar da ativa, sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária”.

Ele também poderia se enquadrar em outras transgressões como “desrespeitar, retardar ou prejudicar medidas de cumprimento ou ações de ordem judicial, administrativa ou policial, ou para isso concorrer”, “portar-se de maneira inconveniente ou sem compostura”; “frequentar lugares incompatíveis com o decoro da sociedade ou da classe” e “desrespeitar, em público, as convenções sociais”.

Um decreto em vigor no Rio estabelece o uso obrigatório de máscara em todos os locais públicos.

O artigo 24 do Regimento prevê seis tipos de punição:
“I – a advertência;
II – o impedimento disciplinar;
III – a repreensão;
IV – a detenção disciplinar;
V – a prisão disciplinar; e
VI – o licenciamento e a exclusão a bem da disciplina.”

Fonte: CNN

Continuar lendo PAZUELLO TERÁ QUE EXPLICAR AO EXÉRCITO PARTICIPAÇÃO DE ATO COM BOLSONARO SEM PEDIR AUTORIZAÇÃO AO COMANDO

VACINA COVAXIN TEM AUTORIZAÇÃO DA ANVISA PARA TESTES CLÍNICOS NO BRASIL

Anvisa autoriza testes clínicos da Covaxin no Brasil

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 13 de maio de 2021 às 17:41

Anvisa autoriza ensaio clínico da vacina indiana Covaxin no Brasil - Diário do Poder

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta quinta-feira (13) os testes clínicos no Brasil da vacina Covaxin, contra a Covid-19, desenvolvida pela farmacêutica indiana Bharat Biotech. O pedido foi feito à agência pela empresa Precisa Medicamentos, parceira no Brasil.

Os estudos da Covaxin serão da fase 3, com teste em humanos, seguindo os critérios de qualidade de pesquisas desse tipo. O estudo será controlado por placebo e randomizado. Isto é, parte dos voluntários receberá a vacina e a outra parte, um placebo, a fim de comparação. A distribuição da dose dos placebos deverá ser feita de forma aleatória — isto é, randomizada.

Serão 4.500 voluntários nos testes no Brasil, se juntando a 26.300 voluntários na Índia. A maior parte estará no estado de São Paulo, com 3.000 voluntários, e outros 1.500 distribuídos entre Rio de Janeiro, Bahia e Mato Grosso.

De acordo com a Anvisa, este é o sétimo imunizante a ter autorizado o estudo clínico de fase 3 no Brasil. Em 2020, foram autorizados os testes das vacinas de Oxford/AstraZeneca/Fiocruz, Coronavac (Sinovac/Butantan), Pfizer/Wyeth e Janssen-Cilag.

A Covaxin é a terceira vacina autorizada a testes em 2021. No mês passado, a Anvisa autorizou os estudos clínicos com a vacina da canadense Medicago e com a vacina da chinesa Sichuan Biopharmaceuticals.

No final de março, a Anvisa rejeitou um pedido do Ministério da Saúde para importar a Covaxin.

À época, por 5 votos a 0, a agência aceitou o voto do diretor-relator, Alex Machado Campos, que afirmou que a fabricante não conseguiu comprovar a eficácia e a segurança do imunizante, com falta de garantia da inativação do vírus. A Covaxin é uma vacina de vírion (partícula viral infecciosa) inteiro inativado.

Um dia antes dessa votação, a agência brasileira ainda negou certificado de boas práticas para Bharat Biotech, que produz a Covaxin. O governo federal esperava importar 20 milhões de doses do imunizante indiano.

Fonte: CNN

Continuar lendo VACINA COVAXIN TEM AUTORIZAÇÃO DA ANVISA PARA TESTES CLÍNICOS NO BRASIL

RELIGIÃO: RETORNO DAS MISSAS COM PÚBLICO AOS DOMINGOS É ANUNCIADO POR BISPOS DO RN

Bispos no RN anunciam retorno das missas com público aos domingos

Após novo decreto no RN, Arquidiocese autoriza missas com 20% da capacidade nas igrejas | Rio Grande do Norte | G1AUTORIZAÇÃO DAS CELEBRAÇÕES, COM PARTICIPAÇÃO PRESENCIAL DOS FIÉIS (30%), AOS DOMINGOS E FERIADOS, NA PROVÍNCIA ECLESIÁSTICA DE NATAL

Em consonância com o decreto do Governo do Estado n° 30.516, de 22 de abril de 2021, autorizamos a retomada das celebrações dominicais e nos dias feriados, com a participação presencial de fiéis (30%), até às 15h. A partir deste horário, pode-se celebrar, sem participação presencial de fiéis, com transmissão ao vivo, conforme disposições anteriores.

De segunda a sábado, as celebrações prosseguem normalmente, com público não superior a 30%, respeitando o “toque de recolher” (das 22h às 5h), observando as regras de distanciamento social e as medidas sanitárias.

Esta autorização entra em vigor a partir da data de sua publicação e permanece válida durante todo o período de vigência do decreto estadual ou enquanto não mandarmos o contrário.

Natal (RN), 23 de abril de 2021.

Dom Jaime Vieira Rocha
Arcebispo Metropolitano de Natal

Dom Mariano Manzana
Bispo de Mossoró

Dom Antônio Carlos Cruz Santos, MSC
Bispo de Caicó

Continuar lendo RELIGIÃO: RETORNO DAS MISSAS COM PÚBLICO AOS DOMINGOS É ANUNCIADO POR BISPOS DO RN

O INSTITUTO BUTANTAN DESENVOLVEU UMA NOVA FÓRMULA DA VACINA CONTRA COVID-19 E VAI PEDIR AUTORIZAÇÃO DA ANVISA PARA INICIAR FASE DE TESTES

Butantan desenvolve vacina brasileira contra Covid-19 e quer iniciar testes

Instituto ligado ao Governo de São Paulo já é protagonista na vacinação contra a Covid-19 por meio da parceria na produção da Coronavac

Guilherme Venaglia e Sinara Peixoto, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 26 de março de 2021 às 02:39

Instituto Butantan

O Instituto Butantan desenvolveu uma nova fórmula de vacina contra a Covid-19. A entidade ligada ao Governo de São Paulo pedirá à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar a testagem.

O governador João Doria (PSDB) convocou uma entrevista coletiva para a manhã desta sexta-feira (26), ao lado do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, para dar uma notícia “da ciência, que nos enche esperança na luta contra a Covid-19”. Doria não antecipou o assunto da coletiva.

Diferentemente da Coronavac ou da vacina de Oxford, em que os parceiros nacionais podem produzir uma capacidade limitada de doses, na nova vacina o Instituto Butantan é o principal desenvolvedor dentro de um consórcio e poderá produzir a maior parte dos imunizantes.

A informação do desenvolvimento da vacina, que se chamará Butanvac, foi confirmada pela CNN na noite desta quinta-feira (25). O pedido de autorização para testes contempla as fases 1 e 2 dos estudos, que analisam a segurança e a capacidade de promover resposta imune. A fase da eficácia, na qual as vacinas podem pedir o uso emergencial ou o registro definitivo, é a terceira fase.

O Butantan já é protagonista na vacinação contra a Covid-19 no Brasil com a Coronavac, vacina desenvolvida pela farmacêutica Sinovac. O Instituto Butantan conduziu a testagem do imunizante no país e é o responsável pelo envase do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) que é importado da China.

A vacina já foi cadastrada no sistema da OMS, com as empresas Dynavax e PATH como parceiras. Ao todo, segundo o Ministério da Saúde, há 17 estudos pré-clínicos de vacinas no Brasil.

Vacinação no Brasil

Na terça-feira (23), sem explicar como, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, que o Brasil conseguirá vacinar toda a população até o fim deste ano. “2021 será o ano da vacinação dos brasileiros”, afirmou o presidente. “As vacinas estão garantidas”, disse Bolsonaro sem detalhar de que forma essa previsão será cumprida.

“Não sabemos por quanto tempo teremos que enfrentar essa doença, mas a produção nacional vai garantir que possamos vacinar os brasileiros todos os anos, independentemente das variantes que possam surgir”, disse. O presidente citou as três vacinas já aprovadas pela Anvisa para uso emergencial ou definitivo: Oxford/AstraZeneca, Coronavac e Pfizer.

Levantamento feito pela CNN, indica que o Brasil aplicou, até essa quinta-feira (25), 18.429.337 de doses de vacinas contra a Covid-19. Foram 13.925,178 primeiras doses e 4.504.159 da segunda etapa.

As informações têm base em dados das Secretarias Estaduais de Saúde, que divulgaram o balanço preliminar da vacinação.

O levantamento é preliminar, pois nem todos os estados e municípios publicam informações sobre a campanha de imunização em sua totalidade.

Por enquanto, apenas os imunizantes da CoronaVac e a da AstraZeneca/Oxford estão em aplicação no Brasil, que aguarda a chegada das doses da Pfizer, já com registro definitivo aprovado pela Anvisa, mas com previsão de entrega em até 3 meses.

Nessa quarta-feira (24), a Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, solicitou à Anvisa o uso emergencial do seu imunizante no país.

Impasse entre gestões

Desde o início da pandemia, o governador de São Paulo, João Doria, e o presidente Jair Bolsonaro criticam um ao outro sobre suas posturas no combate à Covid-19.

Especificamente sobre as vacinas, Doria sempre se mostrou favorável ao desenvolvimento e rápida aplicação de imunizantes no país. Já Bolsonaro, teceu críticas ao longo de quase um ano, principalmente à Coronavac, desenvolvida pelo Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

No entanto, no início de março deste ano, em um evento – usando máscara de proteção contra o vírus –, o presidente mudou o tom defendeu a vacinação e reforçou que o governo “não poupou esforços e recursos” no combate à pandemia do novo coronavírus.

“O Brasil está fazendo a sua parte. O governo federal tem mostrado seu trabalho e já foram entregues vacinas para 100% dos idosos acima dos 85 anos de idade, entre eles, a minha mãe. Até o final do ano teremos mais de 400 milhões de doses disponíveis para os brasileiros”.

Segundo o colunista da CNN Caio Junqueira, Bolsonaro teria sido aconselhado pela ala militar do governo a buscar uma agenda mais positiva na saúde, no momento em que o país vive sua pior fase na pandemia.

A importância de uma vacina nacional

Mesmo com imunizantes de farmacêuticas renomadas e de eficácia comprovada contra a Covid-19, já em aplicação no Brasil, especialistas afirmam ser essencial que o país tenha uma vacina nacional.

O desenvolvimento próprio é importante para baratear os custos da vacinação em massa. Uma vacina brasileira permitiria distribuição mais ampla, rápida e barata da imunização.

A demora na chegada do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) em janeiro, por exemplo, gerou atrasos no início da produção da vacina da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e refletiu um problema estrutural da indústria brasileira, segundo o ex-diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Ivo Bucaresky.

De acordo com relatório da Anvisa, publicado em outubro de 2020, 95% dos insumos usados para produção de remédios no Brasil vêm do exterior.

A maior parte vem da Índia (37%), que trava a liberação de doses da vacina de Oxford compradas pela Fiocruz, e da China (35%).

“Quando estava na Anvisa (2013-2016), previ que isso poderia acontecer, por uma guerra, uma crise diplomática. Veio a pandemia e a questão se impôs. Temos um problema estrutural, porque produzimos muito pouco dos insumos que a indústria farmacêutica usa no Brasil”, afirmou Bucaresky.

Fonte: CNN

Continuar lendo O INSTITUTO BUTANTAN DESENVOLVEU UMA NOVA FÓRMULA DA VACINA CONTRA COVID-19 E VAI PEDIR AUTORIZAÇÃO DA ANVISA PARA INICIAR FASE DE TESTES

VACINA CUBANA SOBERANA 2 RECEBEU AUTORIZAÇÃO PARA INICIAR A TERCEIRA E ÚLTIMA FASE DE ENSAIOS CLÍNICOS

Vacina cubana contra covid-19 recebe aval para fase 3 de testes

Imunizante Soberana 2 será testado em 40 mil pessoas e, se for aprovado, será o primeiro da América Latina

INTERNACIONAL

Do R7

Diretor do instituto Finlay, Vicente Verez explicou a próxima fase de testes da Soberana

ERNESTO MASTRACUSA / EFE – 4.3.2021

A candidata de Cuba a vacina contra o novo coronavírus Soberana 02 recebeu autorização para iniciar a terceira e última fase de ensaios clínicos, na qual sua eficácia será testada em larga escala, tornando-se, assim, o primeiro possível imunizante latino-americano a avançar para a última etapa.

A Soberana 02 é o mais avançado dos quatro candidatos pesquisados em Cuba e foi desenvolvida pelo Instituto Finlay de Vacinas (IFV), estatal. O diretor do organismo, Vicente Vérez, declarou nesta quinta-feira que a autorização para o estudo de eficácia é “um dos grandes marcos” na corrida global para encontrar uma cura para a Covid-19.

Das 76 vacinas candidatas atualmente em testes clínicos em todo o mundo, a fórmula cubana é a primeira das que estão sendo desenvolvidas na América Latina a avançar para a fase final de testes.

Soberana 02, para aplicação intramuscular, é uma vacina subunitária que combina o antígeno do vírus e o toxoide do tétano, e também usa hidróxido de alumínio para estimular a resposta do sistema imunológico.

Após receber permissão do Centro de Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dispositivos Médicos (Cecmed), o ensaio começará nos próximos dias em oito municípios de Havana. Os testes incluirão 44.010 voluntários com idades entre 19 e 80 anos e que não tenham sido infectados pelo SARS-CoV-2.

Combate à pandemia

A capital cubana é atualmente o território com a maior taxa de infecção da ilha e, nos últimos dois meses, foi responsável por uma média de metade dos novos casos registrados diariamente.

Além da Soberana 02, Cuba está desenvolvendo três outras vacinas candidatas contra a Covid-19, às quais acaba de ser acrescentada outra, especificamente destinada a prevenir o risco de reinfecção em pessoas em convalescença da doença.

A ilha não adquiriu vacinas no mercado internacional, nem é um dos países que aderiram ao mecanismo Covax, criado sob os auspícios da Organização Mundial da Saúde (OMS) para impulsionar o acesso equitativo à imunização para nações de baixa e média renda.

Cuba tem 53.308 casos de coronavírus e 336 mortes desde o início da pandemia, de acordo com dados oficiais

Fonte: R7
Continuar lendo VACINA CUBANA SOBERANA 2 RECEBEU AUTORIZAÇÃO PARA INICIAR A TERCEIRA E ÚLTIMA FASE DE ENSAIOS CLÍNICOS

PRESIDENTE DA ARGENTINA PEDIU A DEMISSÃO DO MINISTRO DA SAÚDE EM MEIO A POLÊMICA SOBRE AUTORIZAÇÃO DE VACINA EM JORNALISTA

Presidente da Argentina pede saída do ministro da Saúde

Jornalista teria recebido autorização do titular da pasta para ser vacinado sem respeitar o protocolo seguido pela população

INTERNACIONAL

Da EFE

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, pediu nesta sexta-feira (19) a demissão do ministro da Saúde, Ginés González García, em meio à polêmica desencadeada por um jornalista próximo ao partido governista, que revelou ter sido vacinado contra a covid-19 depois de ter pedido ao titular da pasta, sem respeitar o protocolo seguido para a população em geral.Segundo fontes oficiais consultadas pela Agência Efe, o presidente deu a indicação ao chefe de gabinete, Santiago Cafiero, para pedir a saída do ministro, que por enquanto não falou publicamente sobre o assunto.

“Telefonei para meu velho amigo Gines González García, que conheço desde muito antes dele ser ministro, e ele me disse que eu tinha que ir ao Hospital Posadas. Quando eu estava para ir, recebi uma mensagem de seu secretário, que me disse que uma equipe de vacinadores do Posadas estava vindo para o Ministério, e para ir ao Ministério para me dar a vacina”, declarou o jornalista Horacio Verbitsky, de 79 anos, à estação de rádio “El Destape”.

Nas últimas horas, vários meios de comunicação locais divulgaram que outros rostos próximos ao governo teriam acesso à vacina de forma preferencial, mas nenhum deles confirmou a informação.

As declarações de Verbitsky, feitas esta manhã, vieram apenas um dia depois que a província de Buenos Aires, onde está localizado o referido hospital, foi a primeira a implantar a operação de vacinação contra o coronavírus para os maiores de 70 anos. A campanha começou após mais de um mês e meio em que apenas os funcionários da área da saúde foram imunizados em todo o país.

Em sua juventude, o jornalista foi militante na guerrilha Montoneros (esquerda peronista), tem uma longa carreira na mídia e atualmente é presidente do Centro de Estudos Jurídicos e Sociais. Ele admitiu hoje que há alguns meses disse que “preferia esperar um pouco” antes de ser vacinado, e ver “que efeitos colaterais poderia haver”.

“Eu não tinha pressa de me vacinar. Bem, ontem eu recebi a vacina. Decidi me vacinar”, afirmou ele, para revelar que pediu a González García, chefe da Saúde desde a chegada de Fernández ao poder, em dezembro de 2019, e que já havia ocupado o cargo durante o governo de Néstor Kirchner.

Até agora, a Argentina – que tem cerca de 45 milhões de habitantes, dos quais cerca de 7,2 milhões têm mais de 60 anos – recebeu 1,22 milhão de doses da vacina russa Sputnik V, longe dos 5 milhões inicialmente previstos para janeiro e dos 14,7 milhões assinados para fevereiro.

Também nesta semana, 580 mil doses do imunizante desenvolvido pelo Instituto Serum, na Índia, chegaram ao país vizinho, graças à transferência de tecnologia da AstraZeneca e da Universidade de Oxford.

Enquanto em outras cidades da província de Buenos Aires já começou a campanha em idosos, que devem se inscrever previamente em um site para ter acesso à vacinação, a capital, governada pela oposição ao governo nacional, por enquanto só abriu o registro online para aqueles com mais de 80 anos.

Fonte: R7
Continuar lendo PRESIDENTE DA ARGENTINA PEDIU A DEMISSÃO DO MINISTRO DA SAÚDE EM MEIO A POLÊMICA SOBRE AUTORIZAÇÃO DE VACINA EM JORNALISTA

UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA COMO DESAUTORIZAR O FACEBOOK A TER ACESSO A TUDO QUE VOCÊ FAZ NO CELULAR

O nosso serviço de UTILIDADE PÚBLICA, neste domingo trás informações importantíssimas que quase ninguém sabe sobre sua privacidade no seu celular. O FACEBOOK, em suas configurações nos induz a autorizá-lo a ter acesso a tudo que eu faço fora dessa plataforma. Quando você baixa o aplicativo do FACEBOOK no seu celular e clica lá no TERMO DE PRIVACIDADE, automaticamente está autorizando ao FACEBOOK ter acesso a tudo que você faz fora da plataforma. O vídeo a seguir mostra o passo a passo de como desabilitar essa autorização. Então, não deixe de assistir e desfazer a permissão!

Fonte: redes sociais

Continuar lendo UTILIDADE PÚBLICA: SAIBA COMO DESAUTORIZAR O FACEBOOK A TER ACESSO A TUDO QUE VOCÊ FAZ NO CELULAR

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar

Fechar Menu
×

Carrinho