PRESIDENTE DA OAB EM MOSSORÓ CAMINHA PARA NÃO FAZER SUCESSOR

OAB MOSSORÓ: Bárbara Paloma alijada do processo

Foto: Izaira Thalita/OAB

A Presidente da OAB Mossoró caminha para não fazer sucessor, fato inédito nos últimos 50 anos da entidade. A advogada Bárbara Paloma faz uma gestão à frente da Subseccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Mossoró, elogiada pela grande maioria dos colegas que representa naquela entidade.

Dedicada, com diálogo aberto e bastante empenhada na defesa das prerrogativas dos advogados e advogadas, Bárbara Paloma, porém, parece não ter muita habilidade e/ou interesse em fazer articulação política. Pelo menos dois fatores apontam nesse sentido.

Bárbara poderá ser a primeira presidente da Subseccional da OAB/Mossoró a não fazer o sucessor. O candidato apoiado por Bárbara, Luiz Carlos, apareceu em terceiro lugar na primeira pesquisa sobre a sucessão na OAB divulgada até agora. Ele foi citado por 14,75% dos entrevistados no levantamento, quase 20 pontos atrás da primeira colocada, Vânia Furtado.

Além de aparecer em último entre os 3 nomes colocados na pesquisa, Luiz Carlos também tem a maior rejeição entre os pré-candidatos postos. Ele tem 11,48% de rejeição, índice maior que a soma dos demais pré-candidatos, que juntos somam 9,84%.

Outro fator que aponta para as dificuldades políticas de Paloma é o fato de ela não ter conseguido se viabilizar em nenhuma das chapas postas até agora como candidata a conselheira federal, como acontece na grande maioria dos casos nas disputas da subseccional da OAB. Ela também não está em nenhum chapa para qualquer cargo nas chapas que disputam a presidência estadual da Ordem.

Bárbara já conversou com a candidata Magna Letícia, tentando vaga de Conselheira, mas não obteve sucesso. Isso porque o nome de Mossoró é o da advogado Izabel Fernandes, irmão do advogado e ex-presidente da OAB, Humberto Fernandes, que até onde se sabe, já disse, inclusive a Bárbara Paloma, que a irmã será a candidata dele e prego batido.

Bárbara também procurou Aldo Medeiros onde propôs união com a a pré-candidata Vânia Furtado, mas entre os cargos, além do Conselho Federal, Paloma queria a cabeça de chapa, que hoje é encabeçada por Vânia. Não e nem preciso dizer que Bárbara Paloma não obteve sucesso com Aldo Medeiros.

Bárbara tentará conversa com a pré-candidata a presidente da OAB Estadual, Elisangela, onde tentará sua vaga para o Conselho federal. Como se observa, a presidente entrou completamente num oito. Sem articulação e sem articulador, os que trabalharam e a elegeram presidente.

Fonte: Blog do BG

Continuar lendo PRESIDENTE DA OAB EM MOSSORÓ CAMINHA PARA NÃO FAZER SUCESSOR

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar