SEGUNDO PRESIDENTE DA CÂMARA, DECISÕES DA JUSTIÇA SE CUMPREM MAS “NINGUÉM É OBRIGADO A CUMPRIR DECISÃO INCONSTITUCIONAL”

Decisões corretas se cumprem; as inconstitucionais, não, diz Lira

Segundo o deputado, a fala do presidente Jair Bolsonaro nos atos de 7 de Setembro está em análise na assessoria jurídica da Câmara dos Deputados,

da CNN

São Paulo

▷ Decisões corretas se cumprem; as inconstitucionais, não, diz Lira | CNN 360º » DomiplayDecisões corretas se cumprem; as inconstitucionais, não, diz Lira | CNN 360ºGuilherme Venaglia

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira (9) que decisões da Justiça se cumprem, mas ponderou que “ninguém é obrigado a cumprir decisão inconstitucional”.

Lira foi instado a comentar a declaração do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) poderia cometer crime de responsabilidade caso descumprisse, como afirmou em ato do dia 7 de Setembro, decisões do ministro Alexandre de Moraes.

“Ninguém é obrigado a cumprir decisão inconstitucional, mas decisão correta, da Justiça, lógico que se cumpre. Decisão da Justiça se recorre, se contesta, mas se cumpre”, afirmou o presidente da Câmara.

Segundo Lira, a fala do presidente está em análise na assessoria jurídica da Câmara dos Deputados, incluindo uma interpretação de que Bolsonaro estaria falando apenas de decisões inconstitucionais.

Arthur Lira afirmou que a Câmara vai continuar a tramitação das reformas econômicas, que, diz, estariam alinhadas às propostas de campanha apresentadas em 2018. O deputado disse que pretende seguir com o plano de votar o Código Eleitoral nesta quinta.

Impeachment

O presidente da Câmara afirmou que o PP não discutiu até o momento a hipótese de prosseguir com um processo de impeachment contra Bolsonaro.

O Progressistas é o partido ao qual estão filiados tanto Arthur Lira quanto o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Na quarta-feira (8), o Podemos se declarou contra a cassação de Bolsonaro, enquanto o PSDB e o PSD abriram comissões para estudar a possibilidade de apoiar a cassação do presidente da República.

Continuar lendo SEGUNDO PRESIDENTE DA CÂMARA, DECISÕES DA JUSTIÇA SE CUMPREM MAS “NINGUÉM É OBRIGADO A CUMPRIR DECISÃO INCONSTITUCIONAL”

VICE-PRESIDENTE HAMILTON MOURÃO AFIRMOU EM REDES SOCIAIS QUE PERMANECERÁ NO GOVERNO ‘ATÉ O FIM’

Após ser aconselhado a renunciar, Mourão diz que segue no governo ‘até o fim’

O general da reserva ressaltou que é abordado por pessoas em viagens que dizem que votaram na chapa Bolsonaro-Mourão por confiar nele

Gustavo Uribe e Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 31 de julho de 2021 às 15:44

Após ser aconselhado a renunciar, Mourão diz que segue no governo 'até o fim '

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), foi às redes sociais afirmar que seguirá no governo federal “até o fim”.

Na publicação, o general da reserva ressaltou que é abordado por pessoas em viagens que dizem que votaram na chapa Bolsonaro-Mourão por confiar nele.

“Em respeito a essas pessoas e a mim mesmo, pois nunca abandonei uma missão, não importam as intercorrências, sigo neste governo até o fim”, disse.

Apesar de ter negado a possibilidade de renúncia, Mourão disse à CNN que não descarta sair candidato em 2022. Ele avalia se candidatar a senador ou a deputado federal pelo Rio Grande do Sul.

O general da reserva lembrou que a legislação eleitoral permite ao vice-presidente candidatar-se a outros cargos, preservando o seu mandato, desde que não tenha substituído o presidente nos últimos seis meses antes da eleição. “Pela legislação, não necessito renunciar para ser candidato”, disse.

Nesta semana, vice-presidente foi aconselhado no início da semana por um general da reserva muito próximo a ele a renunciar ao cargo. Mourão respondeu que não seria ainda o momento para deixar o governo.

A informação é do analista da CNN, Caio Junqueira.

Mourão, porém, segundo interlocutores, tem refletido sobre o assunto desde a última observação que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez sobre ele comparando-o com um cunhado indesejado. Ele estava em viagem oficial a Lima, no Peru, quando soube da fala do presidente e desde então mostrou-se indignado.

Nos próximos dias, deverá ter uma conversa a sós com Bolsonaro para demonstrar seu incômodo, aumentado pelo fato de ele ter tido uma reunião com o presidente na última semana sem qualquer indisposição.

A decisão sobre deixar o governo, porém, sempre foi rechaçada por ele, mas nos últimos dias passou de improvável para possível. O impacto que isso teria tem sido analisado pelo vice-presidente.

A sua percepção é a de que sua saída abriria espaço para o impeachment de Bolsonaro tendo em vista que sua presença como sucessor direto tem servido como anteparo para o universo político apoiar a abertura do impeachment.

Se ele deixar o posto, o sucessor direto de Bolsonaro passa a ser Arthur Lira (PP-AL), o mesmo que tem sob sua mesa o poder de decidir sobre o impeachment.

Em uma conversa que teve no final do ano com Bolsonaro, Mourão teria questionado o presidente sobre seu desempenho, pediu orientações sobre sua conduta e deixou claro a ele que se o presidente quisesse, iria embora. O presidente, segundo fontes, desconversou. A relação continuou distante e com as mais recentes declarações de Bolsonaro, ameaça afastar o vice de vez da órbita do presidente.

Fonte: CNN

Continuar lendo VICE-PRESIDENTE HAMILTON MOURÃO AFIRMOU EM REDES SOCIAIS QUE PERMANECERÁ NO GOVERNO ‘ATÉ O FIM’

SE HOUVER PROBLEMAS NO MINISTÉRIO DA SAÚDE CHEGAREMOS AOS CULPADOS, AFIRMOU BOLSONARO

Se houver problemas na Saúde, vamos chegar aos culpados, diz Bolsonaro

Presidente cumpre agenda em Presidente Prudente, no interior de São Paulo; ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o acompanhou

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo

 Atualizado 31 de julho de 2021 às 16:34

Bolsonaro comenta possíveis irregularidades na Saúde: 'Se aparecer, vamos responsabilizar culpados' | Brasil | O Dia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou neste sábado (31), durante cerimônia de federalização de um hospital oncológico em Presidente Prudente, no interior de São Paulo, que se houver problemas no Ministério da Saúde, o ministro Marcelo Queiroga e ele chegarão aos “possíveis culpados”.

“Pode ser que apareça algum problema no Ministério dele [Marcelo Queiroga]. Afinal de contas, o orçamento diário dele é de R$ 550 milhões, não é fácil coordenar, fiscalizar esses recursos. Se aparecer problemas, seremos os primeiros a colaborar com investigações e chegar na responsabilização dos possíveis culpados”, disse Bolsonaro.

Ao mencionar um possível “problema” na pasta comandada por Queiroga, o presidente não citou as suspeitas levantadas pela CPI da Pandemia sobre a aquisição da vacina Covaxin.

Segundo depoimento do deputado Luis Miranda (DEM-DF), Bolsonaro foi informado sobre um suposto pedido de propina na compra dos imunizantes indianos e teria relacionado o nome do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, ao saber das supostas irregularidades. Barros nega envolvimento com a negociação do imunizante.

O presidente voltou a afirmar que não há denúncias de corrupção em seu governo. “Estamos completamos dois anos e meio sem qualquer denúncia de corrupção.”

Segundo Bolsonaro, Queiroga se adaptou rapidamente “ à nossa maneira de trabalhar”. O presidente citou ainda a realização da Copa América no Brasil como exemplo da agilidade do ministro da Saúde diante dos protocolos que precisavam ser feitos para o campeonato acontecer.

“Falei para ele: vamos ter Copa América no Brasil, Queiroga. Ele disse que teria protocolo dentro de uns dias. Falei: Queiroga, é agora, é o protocolo da Libertadores, ele me disse que sim e resolvemos em 10 minutos.”

Mais cedo, o presidente realizou um passeio de moto com apoiadores em Presidente Prudente. Esse foi o sexto passeio de moto do presidente com seus apoiadores e o primeiro após ele ter sido internado com suboclusão intestinal.

Fonte: CNN

Continuar lendo SE HOUVER PROBLEMAS NO MINISTÉRIO DA SAÚDE CHEGAREMOS AOS CULPADOS, AFIRMOU BOLSONARO

PRESIDENTE DO PSDB AFIRMOU QUE SE O ATUAL PREFEITO DE NATAL ÁLVARO DIAS RESOLVER CONCORRER AO GOVERNO DO RN ESTARÁ ENTRE AS PRIORIDADES DO PARTIDO

Se topar ser candidato a governador do RN, Álvaro será ‘prioridade nacional do PSDB’ diz presidente

Por 

Em Slideshow

25 jul 2021

Se topar ser candidato a governador do RN, Álvaro será 'prioridade nacional do PSDB' diz presidente - Tribuna de Noticias

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, afirmou que se o prefeito de Natal, Álvaro Dias, decidir concorrer ao Governo do Estado no próximo ano, estará entre as prioridades do partido.

Ele disse ainda que o partido investiu fortemente nas eleições do Rio Grande do Norte, “de modo especial na reeleição no primeiro turno do prefeito Álvaro”, que na avaliação do presidente nacional “fez uma excepcional primeira gestão e seguramente vai fazer um excepcional segundo mandato”.

“Eu posso garantir que se Álvaro fizer uma reflexão com o conjunto das forças políticas locais de que topa disputar uma eleição para governador do Estado ele terá absoluta prioridade dos investimentos do recurso do partido”, afirmou em entrevista à Tribuna do Norte.

Se Álvaro vier a tomar essa decisão na construção do ambiente local, no diálogo com os parceiros de outras lutas eleitorais no Rio Grande do Norte, será prioridade nacional do PSDB”, destacou.

Fonte: Política em Foco
Continuar lendo PRESIDENTE DO PSDB AFIRMOU QUE SE O ATUAL PREFEITO DE NATAL ÁLVARO DIAS RESOLVER CONCORRER AO GOVERNO DO RN ESTARÁ ENTRE AS PRIORIDADES DO PARTIDO

MINISTRO PAULO GUEDES AFIRMOU QUE A REFORMA TRIBUTÁRIA ESTÁ TODA CERTA A DOSE ENTRE EMPRESAS E DIVIDENDOS QUE ESTAVA ERRADA

A reforma está toda certa. A dose é que estava errada’, afirma Guedes à CNN

As mudanças vieram após um grupo de mais de 120 entidades do setor empresarial ter reclamado, em uma carta ao presidente da Câmara, Arthur Lira

Basília Rodrigues

Por Basília Rodrigues, CNN  

 Atualizado 14 de julho de 2021 às 15:38

Ministro da Economia, Paulo GuedesMinistro da Economia, Paulo Guedes Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino/File Photo

ministro da Economia, Paulo Gued , afirmou à CNN que a reforma tributária está toda certa, mas, segundo ele, a dose, quanto a tributação de empresas e dividendos, estava errada. Na terça-feira (13), o relator Celso Sabino apresentou ajustes no texto. Guedes enfatizou que, nem por isso, a reforma estava errada.

“Os princípios da reforma estão mantidos, o que houve foi um cálculo super conservador da Receita. Erramos a dose. Queremos tributar dividendos, e não as empresas. O Brasil taxa demais as empresas e de menos os empresários. Os princípios estão mantidos, queremos realmente reduzir impostos”, disse à coluna.

As mudanças vieram após um grupo de mais de 120 entidades do setor empresarial ter reclamado, em uma carta ao presidente da Câmara, Arthur Lira. Para Guedes, “foi bom” o setor empresarial ter se posicionado.

Continuar lendo MINISTRO PAULO GUEDES AFIRMOU QUE A REFORMA TRIBUTÁRIA ESTÁ TODA CERTA A DOSE ENTRE EMPRESAS E DIVIDENDOS QUE ESTAVA ERRADA

LÍDER DA COREIA DO NORTE AFIRMOU QUE SEU PAÍS DEVE SE PREPARAR PARA O “DIÁLOGO E O CONFRONTO” COM OS EUA

Coreia do Norte antecipa ‘diálogo e confronto’ com EUA, diz Kim

Líder norte-coreano diz que país deve se preparar para negociações difíceis com o governo Joe Biden

INTERNACIONAL

 por AFP

Líder norte-coreano fala durante reunião do comitê central do partido

KCNA / DIVULGAÇÃO VIA AFP – 17.6.2021

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, afirmou que seu país deve se preparar para “o diálogo e o confronto” com os Estados Unidos sob a presidência de Joe Biden, informou a agência estatal KCNA nesta sexta-feira (18, quinta 17 de Brasília).

Durante uma reunião nesta quinta-feira do comitê central do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte, atualmente no poder, Kim Jong-un delineou sua estratégia para as relações com Washington e a tendência política da nova administração americana, revelou a KCNA.

Kim “enfatizou a necessidade de se preparar para o diálogo e o confronto e, especialmente, estar bem preparado para o confronto a fim de proteger a dignidade de nosso Estado” e garantir um “ambiente de paz”, acrescentou a agência oficial de notícias.

O líder norte-coreano “pediu uma reação rápida e clara para enfrentar a mudança da situação e concentrar esforços para assumir o controle estável da situação na península coreana”.

Política hostil

Pyongyang já havia acusado Biden de seguir uma “política hostil” e advertido que seria um “grande erro” do presidente norte-americano dizer que enfrentaria a ameaça do programa nuclear norte-coreano “com diplomacia e dissuasão”.

O antecessor de Biden, o republicano Donald Trump, fez manchete — embora tenha resultado em pouco progresso prático — com uma série de encontros diretos com Kim, uma política que Biden disse que não seguirá a menos que os termos mudem dramaticamente.

Após cúpula, Rússia saúda ‘bom senso’ dos EUA sobre diálog

Em uma visita a Washington em maio do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, Biden anunciou que não se encontraria com Kim a menos que houvesse um plano de negociação concreto sobre o arsenal nuclear de Pyongyang.

A Casa Branca disse que buscará uma “abordagem política calibrada”, que no jargão diplomático é entendida como manter um perfil baixo e a mente aberta.

“Entendemos onde esforços anteriores encontraram dificuldades e tentamos aprender com eles”, afirmou um alto funcionário da Casa Branca.

Fonte: R7
Continuar lendo LÍDER DA COREIA DO NORTE AFIRMOU QUE SEU PAÍS DEVE SE PREPARAR PARA O “DIÁLOGO E O CONFRONTO” COM OS EUA

O ENEM 2021 ACONTECERÁ NOS DIAS 21 E 28 DE NOVEMBRO TANTO PARA VERSÃO IMPRESSA QUANTO PARA DIGITAL, AFIRMOU MINISTRO DA EDUCAÇÃO

MEC anuncia que Enem 2021 ocorrerá em 21 e 28 de novembro

Inscrições serão abertas em 30 de junho e poderão ser feitas até 14 de julho

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo

31 de maio de 2021 às 20:21

Tela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o EnemTela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o EnemFoto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil (28.mai.2020)

Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021 acontecerá no mês de novembro, nos dias 21 e 28, tanto para a versão impressa quanto para a versão digital. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (31) pelo ministro da Educação, Milton Ribeiro, em publicação no Twitter.

Segundo o ministro, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela prova, publicará ainda nesta semana os editais do Enem 2021. As inscrições serão abertas no dia 30 de junho e irão até 14 de julho, pela Página do Participante do Enem na internet.

“A segurança e a isonomia do Enem serão sempre mantidas pelo Inep e pelo Ministério da Educação (MEC)“, afirmou Milton Ribeiro, na postagem.

Fonte: CNN

Continuar lendo O ENEM 2021 ACONTECERÁ NOS DIAS 21 E 28 DE NOVEMBRO TANTO PARA VERSÃO IMPRESSA QUANTO PARA DIGITAL, AFIRMOU MINISTRO DA EDUCAÇÃO

FAMÍLIAS DE MIGRANTES QUE FORAM SEPARADAS DURANTE O GOVERNO TRUMP SERÃO REUNIDAS NOVAMENTE, AFIRMOU SECRETÁRIO DE SEGURANÇA INTERNA DOS EUA

EUA reunirão famílias migrantes separadas no governo Trump

Joe Biden criou uma equipe especialmente dedicada a rastrear as cerca de 1.000 crianças que estão separadas de seus pais no país

INTERNACIONAL

 Da AFP

JUSTIN HAMEL / AFP

Os Estados Unidos vão começar a reunir esta semana algumas famílias de migrantes separadas durante o governo do ex-presidente republicano Donald Trump – anunciou nesta segunda-feira (3) o secretário do Departamento de Segurança Interna (DHS), Alejandro Mayorkas.

Mayorkas informou que quatro mães que fugiram de “situações extremamente perigosas em seus países de origem” serão reunidas com seus filhos depois de serem separados na fronteira entre os Estados Unidos e o México.

O secretário comemorou esse avanço depois que a administração Joe Biden estabeleceu uma equipe especialmente dedicada para rastrear as famílias e reuni-las, chefiada pelo próprio secretário.

“A força-tarefa fez um progresso crítico em alguns meses e continuará a trabalhar incansavelmente para dar às famílias a oportunidade de se reunir e se curar”, disse Mayorkas, que é o primeiro latino e o primeiro imigrante a chefiar este Departamento que trata, entre outras tarefas, da segurança nas fronteiras.

A política de “tolerância zero” de Trump sobre a imigração irregular começou a ser aplicada em 2017 e foi formalmente anunciada em 2018. Ao separar famílias – a maioria de centro-americanos fugindo da violência -, o governo republicano procurava dissuadir os migrantes a iniciar a jornada para o norte.

Sua implementação, que estima ter afetado cerca de 5.000 menores de idade, foi suspensa devido a uma onda de indignação nacional e global.

Mayorkas manifestou sua alegria pelo início do processo de reunificação e pelo fato de estas “quatro mães poderem abraçar os seus filhos depois de tantos anos”. Ele indicou que este é apenas o “início” do programa.

O presidente democrata denunciou a política de seu antecessor como uma “desgraça moral e nacional”. Não está claro quantas crianças ainda estão longe de seus pais, mas estima-se em cerca de 1.000.

Muitas são originárias de áreas rurais e comunidades localizadas em zonas montanhosas de difícil acesso, tarefa logística também complicada pela pandemia e pelos dois furacões que assolaram a América Central durante o outono boreal.

O governo não esclareceu se as famílias terão permissão para residência legal nos Estados Unidos.

Fonte: R7
Continuar lendo FAMÍLIAS DE MIGRANTES QUE FORAM SEPARADAS DURANTE O GOVERNO TRUMP SERÃO REUNIDAS NOVAMENTE, AFIRMOU SECRETÁRIO DE SEGURANÇA INTERNA DOS EUA

“ESPERAMOS CONTINUAR A TRABALHAR JUNTOS PARA COLOCAR NOSSO MUNDO NO CAMINHO DE UM FUTURO SEGURO, PRÓSPERO E SUSTENTÁVEL”, AFIRMA ENVIADO DOS EUA APÓS CONVERSA COM MINISTROS DO MEIO AMBIENTE E DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO BRASIL

EUA anunciam diálogo com governo do Brasil sobre metas climáticas

Nas redes sociais, John Kerry disse ter conversado, nesta sexta-feira (30), com ministros das Relações Exteriores e do Meio Ambiente

INTERNACIONAL

por Reuters

John Kerry vai conversar com ministros brasileiros sobre clima

REUTERS – 30.4.2021

O enviado dos Estados Unidos para o clima, John Kerry, afirmou nesta sexta-feira (30) ter conversado com o ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, e com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a respeito de novas metas climáticas do Brasil.

“Eu falei hoje com os ministros do Meio Ambiente, Salles, e das Relações Exteriores, França, do Brasil sobre as importantes novas metas climáticas do Brasil”, disse Kerry no Twitter.

“Esperamos continuar a trabalhar juntos para colocar nosso mundo no caminho de um futuro seguro, próspero e sustentável”, acrescentou.

Na semana passada, em discurso durante a Cúpula do Dia da Terra, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil irá atingir a neutralidade climática em 2050, e reafirmou a intenção de zerar o desamamento ilegal em 2030, mas voltou a pedir recursos internacionais para o país atingir essas metas.

O Brasil e os Estados Unidos negociam desde fevereiro um possível financiameto norte-americano a medidas de combate ao desmatamento da Amazônia, com o Brasil pedindo recursos para financiar ações, enquanto os EUA pedem resultados antes de liberar dinheiro.

O desmatamento na Amazônia explodiu em 2019, depois da eleição do presidente Jair Bolsonaro, e atingiu em 2020 o maior índice desde 2012, com 11.088 km² de mata desaparecendo entre agosto de 2019 e julho de 2020, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

Aliado do ex-presidente norte-americano Donald Trump, Bolsonaro foi pego de surpresa pela eleição do democrata Joe Biden, que não acreditava que aconteceria.

Com a mudança de governo nos EUA, o tema das mudanças climáticas –e, consequentemente, o desmatamento da Amazônia– mudou de patamar e passou a ser central no relacionamento entre os dois países, o que forçou o governo brasileiro a uma mudança de postura.

Procurados, o Itamaraty e o Ministério das Relações Exteriores não responderam de imediato a pedidos de comentários sobre a conversa dos ministros com Kerry.

Fonte: R7
Continuar lendo “ESPERAMOS CONTINUAR A TRABALHAR JUNTOS PARA COLOCAR NOSSO MUNDO NO CAMINHO DE UM FUTURO SEGURO, PRÓSPERO E SUSTENTÁVEL”, AFIRMA ENVIADO DOS EUA APÓS CONVERSA COM MINISTROS DO MEIO AMBIENTE E DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO BRASIL

REFERINDO-SE A DISTRIBUIÇÃO DE VACINAS CONTRA COVID-19 DO GOVERNO FEDERAL, MINISTRO DA SAÚDE AFIRMOU QUE “NEGACIONISMO É QUERER NEGAR O ÓDIO”

Negacionismo é querer negar o ódio’, diz ministro da Saúde em chegada de doses

Marcelo Queiroga esteve no aeroporto de Viracopos, em Campinas, para receber primeira remessa de doses da Pfizer

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo
Atualizado 29 de abril de 2021 às 21:24
Negacionismo é querer negar o ódio', diz ministro da Saúde em chegada de doses

Após receber o primeiro lote de vacinas da Pfizer no aeroporto de Viracopos, em Campinas, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que “negacionismo é querer negar o ódio”, referindo-se ao cronograma de distribuição de vacinas contra Covid-19 do governo federal.

A primeira remessa com um milhão de doses da Pfizer chegou ao Brasil nesta quinta-feira (29). O ministro da Saúde e outras autoridades acompanharam a chegada dos imunizantes.

“Nos próximos seis dias nós vamos distribuir 16 milhões de doses de vacinas. Não há como negar, negacionismo é querer negar o ódio. Nós vacinamos a nossa população [em uma escala] sem precedentes. A verdade vos libertará, vamos conhecer a verdade, vamos confiar no governo”, afirmou o ministro, citando versículo da Bíblia.

A expectativa é que o governo federal inicie a entrega das doses da Pfizer aos governadores a partir deste sábado (1). Ao longo da semana, mais 650 mil doses do imunizante serão enviadas ao Brasil. No mês de maio, o acordo é de 2,5 milhões doses, e até o final de junho, 15 milhões de vacinas Pfizer/BioNTech deverão ser entregues.

“Recebemos a incumbência do nosso líder, o presidente Jair Bolsonaro, de estar hoje no aeroporto de Viracopos para receber os imunizantes. O governo federal tem que levar imunizantes que sejam efetivos e que sejam aprovados pelas nossas vigilâncias sanitárias, é assim que vamos conquistar a confiança”, disse Queiroga.

O ministro destacou que o imunizante teve pesquisa realizada no Brasil. “Milhares de brasileiros participaram de ensaios clínicos, esse é o compromisso do governo federal com a ciência, com o desenvolvimento de pesquisas de qualidade. Vamos continuar firmes para vacinar a nossa população”.

Fonte: CNN

Continuar lendo REFERINDO-SE A DISTRIBUIÇÃO DE VACINAS CONTRA COVID-19 DO GOVERNO FEDERAL, MINISTRO DA SAÚDE AFIRMOU QUE “NEGACIONISMO É QUERER NEGAR O ÓDIO”

A TURQUIA RESPONDERÁ DE VÁRIAS MANEIRAS A DECLARAÇÃO DE BIDEN SOBRE O MASSACRE DE ARMÊNIOS, AFIRMOU O PORTA-VOZ DO PRESIDENTE TURCO

Turquia promete resposta após EUA reconhecerem genocídio armênio

Porta-voz do presidente Tayyip Erdogan disse que haverá reação de diferentes formas e graus nos próximos dias e meses

NTERNACIONAL

 por Reuters

I5/04/2021 – 14H48

Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan

ADEM ALTAN / AFP

declaração do presidente norte-americano, Joe Biden, de que o massacre de armênios pelo Império Otomano constituiu um genocídio é “simplesmente ultrajante” e a Turquia responderá de várias maneiras nos próximos meses, disse o porta-voz presidencial da Turquia neste domingo (25)

Biden rompeu no sábado (24) com décadas de comentários cuidadosamente calibrados da Casa Branca sobre os assassinatos de 1915, para deleite da Armênia e a comunidade armênia nos Estados Unidos, mas tensionando ainda mais a relação entre Washington e Ancara, dois aliados da Otan.

“Haverá uma reação de diferentes formas e graus nos próximos dias e meses”, disse à Reuters Ibrahim Kalin, porta-voz e conselheiro do presidente Recep Tayyip Erdogan.

Kalin não especificou se Ancara restringiria o acesso dos EUA à base aérea de Incirlik no sul da Turquia, que tem sido usada para dar suporte à coalizão internacional que luta contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque, ou outras medidas que possa tomar.

As autoridades turcas condenaram imediatamente a declaração de Biden feita no sábado, e Kalin disse que Erdogan trataria do assunto após uma reunião de gabinete na segunda-feira.

“Em um momento e local que consideramos apropriados, continuaremos a responder a esta lamentável e injusta declaração”, disse ele.

A Turquia aceita que muitos armênios que viviam no Império Otomano foram mortos em confrontos com as forças otomanas na Primeira Guerra Mundial, mas nega que as mortes tenham sido sistematicamente orquestradas e constituído um genocídio.

Continuar lendo A TURQUIA RESPONDERÁ DE VÁRIAS MANEIRAS A DECLARAÇÃO DE BIDEN SOBRE O MASSACRE DE ARMÊNIOS, AFIRMOU O PORTA-VOZ DO PRESIDENTE TURCO

PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS AFIRMOU QUE DIA 03/05 O TEXTO INICIAL DA REFORMA TRIBUTÁRIA SERÁ APRESENTADO

Lira diz que texto inicial da reforma tributária será apresentado em 3 de maio

Eleito para o cargo com o apoio do governo do presidente Jair Bolsonaro, Arthur Lira sempre defendeu a aprovação de uma reforma tributária

Da Reuters
 Atualizado 24 de abril de 2021 às 19:36
Arthur Lira (PP-AL, presidente da Câmara (20.abr.2021)

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou neste sábado que um primeiro texto da reforma tributária será apresentado no dia 3 de maio. Ele disse que o objetivo da iniciativa é discutir e aprimorar a proposta com a sociedade.

“Como sinalização de que a política do cabo de guerra não vai alterar nossa missão, estaremos tornando pública na segunda-feira, dia 3 de maio, a versão inicial do texto da reforma tributária”, informou Lira no Twitter.

“O objetivo é discutir com a sociedade, fazer consultas públicas, receber as críticas e os aprimoramentos, com transparência e participação de todos. Temos de enfrentar os problemas do Brasil, apesar das crises, passageiras”, acrescentou.

Segundo o presidente da Câmara, o Congresso não pode ficar prisioneiro da paralisia política das guerras legislativas. “Mais do que nunca, temos de cumprir nosso dever com a sociedade”, ressaltou.

Eleito para o cargo com o apoio do governo do presidente Jair Bolsonaro, Arthur Lira sempre defendeu a aprovação de uma reforma tributária.

O governo, entretanto, está na mira de enfrentar uma CPI da Pandemia no Senado. A comissão de inquérito, com maioria de integrantes de oposição e  independentes, deve começar formalmente seus trabalhos a partir da próxima semana.

Fonte: CNN

Continuar lendo PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS AFIRMOU QUE DIA 03/05 O TEXTO INICIAL DA REFORMA TRIBUTÁRIA SERÁ APRESENTADO

MINISTRO DA SAÚDE MARCELO QUEIROGA, AFIRMOU QUE VAI RETOMAR A DIVULGAÇÃO DO CRONOGRAMA E ENTREGA DE VACINAS SEM SUBTRAIR DADOS

Não vamos subtrair dados’, diz Queiroga sobre retorno do cronograma de vacinas

Ministro da Saúde diz que nova versão não irá incluir marcas ainda não validadas pela Anvisa

Basília Rodrigues
 Basília Rodrigues, CNN  
21 de abril de 2021 às 09:21
O ministro da Saúde Marcelo QueirogaO ministro da Saúde, Marcelo Queiroga Foto: Mateus Bonomi/Agif – Agência de Fotografia/Estadão Conteúdo (24.mar.2021)

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou à CNN que vai retomar a divulgação do cronograma de entrega de vacinas em uma nova versão em que não irá incluir marcas ainda não validadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Em nenhum momento queremos subtrair dados”, afirmou.

Com críticas a gestões passadas pela divulgação do cronograma considerado artificial, o ministro afirmou que não quer frustrar expectativas. Desde o início de sua gestão, a pasta deixou de divulgar as informações de longo prazo e tem se limitado a pontualmente informar quais e quantas vacinas vão ser distribuídas por semana. Isso tem sido criticado por governadores que reclamam da falta de um cronograma mais completo para prepararem os postos.

Queiroga explicou que voltará a divulgar o cronograma, porém, marcas como Sputnik e Covaxin, que estão em negociação com o Brasil, vão ser retiradas do texto informativo. Os dados sobre elas vão ser exibidos, segundo o ministro, provavelmente na internet, com a observação de que não possuem autorização de uso no Brasil. “Não vou ficar divulgando o que ainda está em negociação, isso envolve mercados, comércio, não pode ser algo online”, disse.

“Estamos reestruturando o portal do ministério da Saúde para as pessoas acessarem melhor. Antes divulgava vacina não aprovada pela Anvisa. Aquilo é uma expectativa, e o não cumprimento frustra a expectativa das pessoas”, complementou.

Como a CNN antecipou, o Ministério está em tratativas para compra de outros 100 milhões de doses da Pfizer. De acordo com interlocutores da pasta, também há em curso novo acordo de compra para a vacina da Moderna.

Coquetel

O ministro também não deu prazo para a inclusão no SUS do coquetel de anticorpos para o tratamento da covid-19. O medicamento teve uso emergencial autorizado pela Anvisa, nesta terça-feira, para o tratamento de pacientes, desde que não estejam em estágio grave da doença. Mas, a exemplo do Remdesivir, também estima-se que o coquetel seja uma droga cara. “Exige análise técnica, não foi fixado preço ainda, qual custo efetivo, impacto no orçamento”, explicou.

Queiroga afirmou que vai colocar o uso do medicamento em discussão por um painel de especialistas, em audiências públicas. “Se tiver efetividade comprovada, maravilha”, enfatizou.

Continuar lendo MINISTRO DA SAÚDE MARCELO QUEIROGA, AFIRMOU QUE VAI RETOMAR A DIVULGAÇÃO DO CRONOGRAMA E ENTREGA DE VACINAS SEM SUBTRAIR DADOS

MINISTRO DA SAÚDE AFIRMOU QUE USAR MÁSCARA NÃO É QUESTÃO DE LEI OU MULTA E SIM DE CONSCIENTIZAÇÃO

Ministro da Saúde diz que uso de máscara é questão de conscientização

Queiroga pediu também para que a população use o acessório de proteção durante o feriado de Páscoa

Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

Atualizado 27 de março de 2021 às 20:34

Ministro pede que pessoas usem máscara durante a PáscoaCardiologista comemorou o fato do Brasil estar próximo da meta de vacinar 1 milhão de pessoas por dia Foto: Reprodução/Instagram/@marceloqueiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou neste sábado (27) que não é com uma lei que obrigue as pessoas a usar máscaras e nem as multando na rua que “vamos resolver esse problema”. Segundo o médico, a utilização do acessório de proteção é uma “questão de conscientização”.

“Cada um tem que saber o seu papel de ajudar as autoridades municipais, estaduais e federais a por fim nessa pandemia que tem comprometido muito a vida de cada um de nós. Alguns pagam com a própria vida, outros ficam gravemente enfermos e muitos ficam com sequelas”, disse.

Queiroga pediu também para que a população use máscaras durante o feriado de Páscoa, principalmente se houver encontros com parentes durante as festividades. Na última sexta-feira (26), em reunião com governadores, o médico anunciou que baixou uma portaria interna obrigando o uso de máscaras de proteção por todos no Ministério.

“As máscaras ajudam a bloquear a circulação do vírus, o efeito seria semelhante ao da vacina. No feriado, aproveite para fazer sua reflexão cristã em casa, com suas famílias porque sabemos que nesses feriados as famílias brasileiras gostam de se reunir, façam isso mas usando máscara e guardando o distanciamento”, declarou.

Por fim, o cardiologista comemorou o fato do Brasil estar próximo da meta de vacinar 1 milhão de pessoas por dia. “Na sexta, foram 800 mil, isso mostra a força do Programa Nacional de Imunizações. Fortalecer o SUS é a saída para resolver o problema da pandemia e a vacina é uma meta que precisa ser cumprida, levar vacina para os brasileiros de toda essa grande nação”, afirmou.

Continuar lendo MINISTRO DA SAÚDE AFIRMOU QUE USAR MÁSCARA NÃO É QUESTÃO DE LEI OU MULTA E SIM DE CONSCIENTIZAÇÃO

O NOVO MINISTRO DA SAÚDE, MARCELO QUEIROGA AFIRMOU QUE VAI TRAZER O MINISTÉRIO DE VOLTA À GESTÃO CIVIL

Vamos trazer o ministério de volta a sua gestão civil, diz Queiroga à CNN

Ministro já decidiu fazer pelo menos duas trocas na equipe do ministério: na Secretaria Executiva e na Secretaria de Atenção Especializada à Saúde

Igor Gadelha

Por Igor Gadelha, CNN  

Atualizado 23 de março de 2021 às 22:16

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ao lado do general Eduardo PazuelloO novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, ao lado do general Eduardo PazuelloFoto: WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Em sua primeira declaração pública como ministro da Saúde empossado, o cardiologista Marcelo Queiroga afirmou à CNN, na noite desta terça-feira (23), que chega ao comando da pasta com a missão de trazê-la de volta para sua gestão civil.

“Vamos criar a ideia na população de que o ministério está trabalhando para combater a Covid-19. Vamos trazer o ministério de volta para sua gestão civil”, afirmou o médico, que substituiu o general do Exército Eduardo Pazuello no comando da pasta.

Queiroga já decidiu fazer pelo menos duas trocas na equipe do ministério: na Secretaria Executiva e na Secretaria de Atenção Especializada à Saúde. Na gestão Pazuello, ambas eram comandadas por militares: os coronéis de Exército Élcio Franco e Franco Duarte, respectivamente.

Segundo apurou a CNN, o novo ministro pretende indicar como seu secretário-executivo o engenheiro Rodrigo Cruz, atual número 2 do Ministério da Infraestrutura. Já para a Secretaria de Atenção Especializada à Saúde, o nome mais cotado é o do ortopedista Sérgio Okane.

Prioridade máxima

O novo titular da Saúde disse ainda à CNN que sua “prioridade máxima” será o combate à pandemia, com foco na ampliação da vacinação. “Vamos fazer uma gestão técnica, com diálogo com a comunidade científica, para fortalecer o SUS”, afirmou.

Queiroga ressaltou que, nesta quarta-feira (24), deverá participar do encontro do presidente Jair Bolsonaro com outros chefes de poderes, pela manhã, no Palácio da Alvorada. À tarde, tem prevista uma reunião com secretários estaduais de saúde.

O cardiologista foi empossado como novo ministro da Saúde no início da tarde desta terça-feira (23) em uma cerimônia fechada no gabinete de Bolsonaro, no Planalto. “Não é hora de celebrações. É hora de trabalhar para vencer essa doença”, disse à CNN.

Continuar lendo O NOVO MINISTRO DA SAÚDE, MARCELO QUEIROGA AFIRMOU QUE VAI TRAZER O MINISTÉRIO DE VOLTA À GESTÃO CIVIL

PRESIDENTE DA CHINA AFIRMOU, NÃO QUERER CONFLITO COM QUALQUER OUTRA NAÇÃO

China diz que não ter intenção de travar ‘guerra fria ou quente’

Presidente Xi Jinping afirmou em discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas não querer conflito com qualquer outra nação

INTERNACIONAL

Do R7, com Reuters

 

Xi Jinping adotou tom conciliador em discurso

Carlos Garcia Rawlins/Reuters – 8.9.2020

O presidente da China, Xi Jinping, disse nesta terça-feira à Assembleia-Geral das Nações Unidas que Pequim “não tem intenção de travar uma guerra fria ou quente com qualquer outra nação”, à medida que as tensões entre a China e os Estados Unidos aumentam.

“Continuaremos a reduzir as diferenças e resolver disputas com outros por meio do diálogo e da negociação. Não buscaremos desenvolver apenas a nós mesmos ou nos envolver em um jogo de soma zero”, disse Xi em discurso gravado para o encontro anual virtual de líderes mundiais durante a pandemia de coronavírus.

A fala de Xi Jinping ocorreu logo após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugerir, na mesma assembleia, que a China tem responsabilidade pela disseminação do coronavírus, o qual chamou de  “vírus chinês”.

Segundo ele, o país asiático proibiu viagens domésticas, mas continuou permitindo voos para o exterior.

Fonte: R7

Continuar lendo PRESIDENTE DA CHINA AFIRMOU, NÃO QUERER CONFLITO COM QUALQUER OUTRA NAÇÃO

“NÃO TEMOS MAIS PAPEL” AFIRMOU BOLSONARO SOBRE A CRIAÇÃO DA CÉDULA DE R$ 200

Governo não tinha mais papel’, diz Bolsonaro sobre criação de nota de R$ 200

Gabriel Passeri*, da CNN, em São Paulo
25 de agosto de 2020 às 23:14

Notas de dinheiroNotas de dinheiro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (25) que a criação da cédula de R$ 200 ocorreu “porque não temos mais papel”. A fala ocorreu durante abertura do 32° Congresso da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

Segundo Bolsonaro, todo o papel moeda foi colocado no mercado. “Por isso que criou-se a nota de R$ 200 que alguns ficam falando aí coisas né, não tem nada a ver. Os R$ 200 é porque não temos mais papel. Mas papel demais no mercado leva à inflação. Isso aí é o pior mal que pode existir. E nós estamos investindo na criação de empregos que é o melhor projeto social que pode existir “, disse o presidente.

Diante de toda repercussão após o anúncio da nota de R$ 200, o Banco Central decidiu explicar as razões que justificam a necessidade de sua criação. “Desde o início da pandemia da Covid-19, é possível observar um aumento do uso de dinheiro em espécie. Em momentos de incerteza como é o caso de uma pandemia, dinheiro simboliza segurança. Pessoas e empresas fizeram saques para constituir reserva”, afirmou o BC no seu site.

A quantidade de dinheiro vivo em circulação subiu de aproximadamente R$ 260 bilhões no fim de março para R$ 350 bilhões em meados de agosto, segundo o governo. Trata-se de um aumento de 35% em pouco menos de cinco meses.

“Como não é possível mensurar por quanto tempo os efeitos da pandemia vão persistir e considerando que o dinheiro em espécie ainda é a base das transações em nosso país, o BC entende que o momento é oportuno para lançamento de projeto de cédula pré-existente”, completou o banco.

Além disso, o BC explicou que parte desse volume de R$ 350 milhões não está à disposição das pessoas, na medida em que uma crise tão imprevisível como a atual estimulou o fenômeno conhecido como “entesouramento”: as pessoas passam a guardar dinheiro em espécie em casa.

Será a sétima nota da segunda família do real, lançada em 2010: atualmente existem as cédulas de R$ 2, R$ 5, R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100.

Fonte: CNN

Continuar lendo “NÃO TEMOS MAIS PAPEL” AFIRMOU BOLSONARO SOBRE A CRIAÇÃO DA CÉDULA DE R$ 200

RN RECEBERÁ NOVAMENTE A VISITA DE BOLSONARO EM 2021 PARA RECEBER ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO, AFIRMOU ROGÉRIO MARINHO

Ministro promete voltar com Bolsonaro em 2021 para receber águas do São Francisco; “RN acima de todos”, diz o presidente

Rogério Marinho, garantiu a presença dele com o presidente Jair Bolsonaro no RN entre junho e julho de 2021

Redação
21/08/2020 | 11:03

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, afirmou durante a entrega de 300 unidades habitacionais em Mossoró, no Oeste potiguar, na manhã desta sexta-feira 21, que voltará com Bolsonaro ao Rio Grande do Norte, entre junho e julho de 2021, para entregar a obra de transposição das águas do Rio São Francisco na região.

Jair Bolsonaro faz sua primeira visita oficial ao Rio Grande do Norte. Em terras potiguares, o presidente participa da inaugurações de moradias, obras contra a seca, além do anúncio de medidas para ampliar o acesso da população à internet e apoio ao setor produtivo de camarões.

“Junho ou julho do próximo ano estaremos no Rio Grande do Norte para receber as águas da transposição do Rio São Francisco”.

Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional

Além disto, Marinho reforçou o carinho do presidente com o Nordeste e disse que o quantitativo na equipe levada para o local é uma prova disto.

“Bolsonaro nunca sai com uma equipe tão grande. Isto só mostra o apreço dele com o Nordeste”, afirmou.

O residencial entregue, que leva o mesmo nome da cidade, contou com investimentos de R$ 18,3 milhões do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

Em discurso, o presidente enalteceu o apoio que tem recebido do povo do Rio Grande do Norte e encerrou com: “Brasil acima de tudo e RN acima de todos”.

Chegada

Bolsonaro foi ovacionado ao desembarcar na manhã desta sexta-feira 21 no Rio Grande do Norte. Imagens da chegada dele foram postadas pelo próprio presidente em suas redes sociais. O vídeo mostra uma grande aglomeração de pessoas sem máscara de proteção contra o coronavírus.

Espera

Credenciados para cobrir a visita presidencial, jornalistas tiveram que passar por detectores antibomba e cães farejadores antes da chegada do presidente.

Apelo e música

As redes sociais registraram manifestações em razão da visita de Bolsonaro ao Rio Grande do Norte. Prefeito do município de Jardim do Seridó, no interior potiguar, o forrozeiro Amazan fez uma música para dar “boas-vindas” ao presidente.

Já os moradores da comunidade do Piató, do município de Assu, no Oeste potiguar, produziram um vídeo pedindo um canal de concreto para encher a lagoa do local. De acordo com os sertanejos, se o lugar tivesse o acesso à água através do canal, nenhum auxilio seria necessário para os manter, pois a renda das pessoas da região é baseada no fluxo de água.

Bolsonaro no RN

MOSSORÓ: Às 10h, na Rua Isaura Rosado, no bairro Nova Betânia, entrega de 300 unidades habitacionais. O residencial que leva o mesmo nome da cidade contou com investimentos de R$ 18,3 milhões do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

Entrega de 5 veículos ABTS provenientes do Pró-Vida e de material da Força Nacional de Segurança Pública (Ministério da Justiça e Segurança Pública- MJSP).

IPANGUAÇU: Data: 21/8 (sexta-feira) / Horário: 12h30 / Local: Comunidade Angélica, zona rural de Ipanguaçu (RN)

  • Perfuração de poço e entrega de sistemas dessalinizadores (MDR);
  • Entrega de 1.060 Títulos de Domínio (Incra/MAPA);
  • Emissão de 750 contratos de crédito no valor de R$ 3,75 milhões (Incra/MAPA);
  • Autorização de início de obras para beneficiar 6 assentamentos da região (Incra/MAPA);
  • Anúncio de medidas para ampliar o acesso da população à internet: Programa Wi-Fi na Praça (Mcom-Telebras), atendimento de áreas com potencial turístico, TAC Tim;
  • Doação de computadores recondicionados para telecentros e região (Mcom).

Fonte: Agora RN

Continuar lendo RN RECEBERÁ NOVAMENTE A VISITA DE BOLSONARO EM 2021 PARA RECEBER ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO, AFIRMOU ROGÉRIO MARINHO

SECRETÁRIO DE ESTADO NORTE-AMERICANO AFIRMOU QUE EXISTE APOIO INTERNACIONAL PARA AS POLÍTICAS APLICADAS PELOS EUA CONTRA A CHINA

Pompeo: atuação dos EUA contra a China tem apoio de outros países

Nos últimos dias, Washington e Pequim fecharam consulados respectivos, os EUA o da China em Houston, e a China o norte-americano em Chengdu

INTERNACIONAL

por 

Reuters – Internacional

 

Pompeo falou sobre a China na audiência do orçamento anual do Departamento de EstadoPompeo falou sobre a China na audiência do orçamento anual do Departamento de Estado

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse nesta quinta-feira (30) que “a maré está virando” para a China ao afirmar que existe apoio internacional para as políticas aplicadas pelos Estados Unidos contra o país asiático.

Os EUA intensificaram as manobras militares marítimas no Mar do Sul da China e vem fazendo uma campanha de oposição e ameaças de sanções contra a compra e uso de tecnologia chinesa 5G por outros parceiros comerciais da China.

Como reflexo das tensões crescentes entre Washington e Pequim, Pompeo adotou uma linha dura contra a China durante um depoimento ao Comitê de Relações Exteriores do Senado dos EUA.

“Vemos o Partido Comunista chinês como ele é: a ameaça central de nossos tempos”, disse Pompeo.

Nos últimos dias, Washington e Pequim fecharam consulados respectivos –os EUA o da China em Houston, e a China o norte-americano em Chengdu–, e recentemente Pompeo anunciou o fim do status comercial especial de Hong Kong.

“Fechamos o consulado de Houston porque era um antro de espiões”, afirmou.

Ele não quis tratar diretamente das reportagens segundo as quais a Rússia ofereceu recompensas pelo assassinato de soldados dos EUA no Afeganistão. “As devidas pessoas estão cientes de qualquer ameaça a nossos soldados em ação no Afeganistão”, disse ele em resposta a uma pergunta do senador Bob Menendez, o democrata mais graduado do comitê.

Debate sobre orçamento

Pompeo depôs publicamente em uma audiência do Comitê de Relações Exteriores do Senado pela primeira vez em 15 meses e debateu o pedido de orçamento anual do Departamento de Estado.

O governo do presidente Donald Trump vem tentando reduzir este orçamento desde que ele tomou posse, o que o Congresso tem rejeitado todos os anos. Parlamentares democratas disseram à audiência que tampouco apoiarão cortes profundos neste ano.

Na semana passada, os democratas do comitê divulgaram um relatório que criticou duramente o período de Pompeo no cargo, dizendo que ele prejudicou a capacidade do departamento para conduzir a diplomacia deixando postos desocupados durante meses, tratando mal diplomatas de carreira e incentivando uma cultura de retaliação.

Parlamentares também perguntaram ao secretário a razão de Trump ter demitido abruptamente Steve Linick, o inspetor-geral do departamento, em maio enquanto ele investigava vendas de armas à Arábia Saudita e alegações de que o próprio Pompeo ordenou indevidamente que um subordinado pago pelos contribuintes se encarregasse de tarefas pessoais.

Pompeo negou irregularidades, repetindo afirmações anteriores de que Linick vazou informações indevidamente.

Fonte: R7

Continuar lendo SECRETÁRIO DE ESTADO NORTE-AMERICANO AFIRMOU QUE EXISTE APOIO INTERNACIONAL PARA AS POLÍTICAS APLICADAS PELOS EUA CONTRA A CHINA

EX- MINISTRO SERGIO MORO AFIRMOU QUE BOLSONARO USOU SUA PRESENÇA NA EQUIPE PARA DEMONSTRAR QUE ESTARIA TOMANDO MEDIDAS CONTRA CORRUPÇÃO

Governo Bolsonaro me usou como desculpa’, diz Moro sobre discurso anticorrupção

Estadão Conteúdo

 Atualizado 26 de julho de 2020 às 13:02

O presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça, Sergio MoroO presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro disse em entrevista ao jornal britânico Financial Times que o governo de Jair Bolsonaro usou sua presença na equipe ministerial como desculpa para demonstrar que medidas anticorrupção estariam sendo tomadas.

Moro afirmou que o governo não estava fazendo muito e que esta agenda tem sofrido reveses desde 2018, quando Bolsonaro se elegeu.

“Uma das razões para eu sair do governo foi que não estava se fazendo muito (pela agenda anticorrupção)”, disse Moro à publicação.

“Eles estavam usando minha presença como uma desculpa, então eu saí. A agenda anticorrupção tem sofrido reveses desde 2018”.

O Financial Times lembrou que a saída de Moro foi marcada pela acusação de que o presidente Bolsonaro teria interferido politicamente na Polícia Federal. Um inquérito no Supremo Tribunal Federal investiga as declarações do ex-ministro.

Moro comentou que não se combate corrupção sem respeitar a lei e as instituições. “Ele mudou o diretor da Polícia Federal sem pedir minha opinião e sem uma boa causa. Não acho que dá para combater corrupção sem respeitar a lei e a autonomia das instituições que investigam e denunciam crimes.”

Moro também comentou a aproximação de Bolsonaro com o Centrão, o “controverso bloco de partidos conhecidos por oferecer apoio em troca de cargos políticos”, de acordo com o jornal. “No começo, o governo parecia evitar esse tipo de prática, mas hoje em dia não tenho tanta certeza”.

Na semana passada, o jornal Estado de São Paulo mostrou que um dos motivos que fizeram integrantes do Centrão se aliarem a Bolsonaro é justamente o medo de uma possível candidatura presidencial de Moro em 2022.

Sem um candidato próprio na direita ou mesmo da centro-direita, o grupo teme que um eventual afastamento de Bolsonaro fortaleça a eleição do ex-ministro, caso Bolsonaro tenha o mandato interrompido ou em 2022. Quando era juiz da Lava Jato, Moro teria sido algoz de vários dirigentes do Centrão.

O ex-ministro também comentou sobre os vazamentos de mensagens atribuídas a ele a procuradores da Operação Lava Jato da época em que ele atuava como juiz federal em Curitiba.

As mensagens divulgadas pelo jornal The Intercept Brasil “machucaram a reputação da operação”, de acordo com a publicação. “Não reconheço a autenticidade daquelas mensagens. Não havia nada lá que pudesse comprometer o caso”, afirmou Moro.

Fonte: CNN

Continuar lendo EX- MINISTRO SERGIO MORO AFIRMOU QUE BOLSONARO USOU SUA PRESENÇA NA EQUIPE PARA DEMONSTRAR QUE ESTARIA TOMANDO MEDIDAS CONTRA CORRUPÇÃO

Fim do conteúdo

Não há mais páginas para carregar