SERÁ QUE A IGREJA CATÓLICA ESTÁ SENDO MANIPULADA NA CAMPANHA DA FRATERNIDADE DE 2021?

Campanha da Fraternidade de 2021: Estão querendo manipular a Igreja Católica

Imagem em destaque

Os católicos sabem da importância aqui no Brasil da Campanha da Fraternidade, que ocorre todos os anos no período da Quaresma, como meio de conversão e evangelização popular.

Nesse contexto, a CNBB – Confederação Nacional dos Bispos do Brasil publicou o texto-base da Campanha da Fraternidade de 2021, que incluiu a ideologia de gênero e agenda LGBT.

Isso é um completo absurdo.

É a comprovação evidente do sucesso de um velho plano comunista idealizado por Kruschev no final dos anos 50.

Simples assim!

Não relativizemos isso. Não procuremos justificativas para tolerar o intolerável. Não confundamos o pensamento secular dogmático da Igreja Católica, construído por pessoas como Agostinho e Tomás de Aquino, com os ativismos baratos de militantes de esquerda cuja única função é implodir a Igreja por dentro, enfraquecendo-a.

Que me perdoem pelo que afirmo: os bispos da CNBB responsáveis por uma campanha dessa não são homens santos, movidos pela “imitação de Cristo”, como ensinado lá na Idade Média pelo padre Tomás de Kempis. São meros “agentes da transformação”, com a missão de implementar o plano de desinformação comunista clássica no seio da Igreja.

Mais atual do que nunca se apresenta o artigo constante do meu livro, “escritos conservadores”, chamado “a infiltração marxista na Igreja Católica” (pp. 72-75), onde analisei o fenômeno.

Cada vez mais me convenço de que esse meu livro é, em certo ponto, profético.

Foto de Guillermo Federico Piacesi Ramos

Guillermo Federico Piacaense Ramos

Fonte: Jornal da cidade Online

Deixe uma resposta