SEGUNDO DADOS DO DESTATIS, ALEMANHA REGISTRA EM MAIO NÍVEL MAIS ALTO DE INFLAÇÃO EM QUASE 50 ANOS

Inflação na Alemanha registra em maio nível mais alto em quase 50 anos

Centro de Estatísticas destacou os preços de energia

Conflito entre Ucrânia e Rússia contribuiu para a situação econômica negativa da Alemanha

Conflito entre Ucrânia e Rússia contribuiu para a situação econômica negativa da Alemanha | Foto: RalfWieckhorst/ Pixabay

O instituto de estatísticas Destatis informou nesta segunda-feira, 30, que a inflação na Alemanha em maio foi de quase 8%. Trata-se do nível mais alto registrado desde dezembro de 1973, observou o Destatis. No mês anterior, o crescimento do índice de preços ao consumidor foi de pouco mais de 7%.

Em nota, o instituto comunicou que os preços de energia impactaram a alta da inflação na Alemanha por causa da invasão russa à Ucrânia — na relação anual, subiram cerca de 40% em maio deste ano. O Destatis observou que o conflito entre os dois países somou-se aos “efeitos sobre os preços das cadeias de abastecimento perturbadas em resultado da pandemia de covid-19”.

Alta da inflação na Alemanha se repete em outros países

A inflação na Argentina chegou a quase 60% em abril, informou o Instituto de Estatística e Censos (Indec). Trata-se do maior avanço da inflação em 12 meses desde janeiro de 1992, sob o governo do então presidente, Carlos Menem.

No quarto mês do ano, os preços aumentaram 6% em relação a março, queda de quase 1 ponto porcentual na comparação com o valor do mês anterior, quando ocorreu o maior aumento mensal dos últimos 20 anos (quase 7%).

Departamento do Trabalho dos Estados Unidos informou que a inflação nos EUA em 12 meses está em pouco mais de 8%. Em abril, o índice de preços ao consumidor teve alta de 0,3% — no mês anterior, 1,2%.

“Aumentos nos índices de moradia, alimentação, passagens aéreas e veículos novos foram os maiores contribuintes para a elevação de todos os itens com ajuste sazonal”, registrou a pasta, em um relatório. “O índice de alimentos subiu 0,9% no mês, enquanto o índice de alimentação em casa subiu 1%.”

No Brasil, no acumulado em 12 meses até abril, o Índice de Preços ao Consumidor chegou a quase 12,15% no acúmulo dos últimos 12 meses, maior alta em 19 anos.

Fonte: R7

Deixe uma resposta