SAÚDE: SAIBA ATRAVÉS DA CRONONUTRIÇÃO QUAIS OS MELHORES HORÁRIOS PARA SE REALIZAR AS REFEIÇÕES

Na publicação da coluna SAÚDE do dia 26 de janeiro de 2021 o assunto foi sobre a alimentação em função do nosso relógio biológico e do ciclo circadiano (https://blogdosaber.com.br/?s=SA%C3%9ADE%3A+ALINHAR+OS+NOSSOS+%C3%93RG%C3%83OS), que afirmava ser prejudicial a saúde comer antes de dormir. O artigo que trago hoje é sobre Crononutrição, a ciência que estuda os melhores horários para se realizar as refeições e inferir certos alimentos, dentro da mesma linha de pensamento. Então, não perca essa oportunidade única!

Crononutrição: hora que você come pode mudar forma como o corpo funciona | Activia

Crononutrição: alimentação de acordo com o relógio biológico

A crononutrição estuda os melhores horários para se realizar as refeições e ingerir certos alimentos

Escrito por Especialistas

Redação Minha Vida

Em 21/1/2021

Por Saulo Gonçalves, nutricionista (CRN4-20100239)

Você também faz parte do grupo que detesta trabalhar em horário comercial, pois sente que produz mais no início da noite ou que não funciona no início da tarde? Você não está só: cada um de nós possui um ritmo próprio.

O estudo sobre o ritmo certo e o funcionamento do corpo em cada período do dia se chama cronobiologia, sendo a disposição, a fome e o sono funções que seguem padrões estudados por ela. Quando fazemos o recorte desse estudo para a alimentação, aparece a crononutrição.

Em palavras simples, esses estudos visam pensar nos efeitos da alimentação em associação com o relógio biológico. Para quem busca uma alimentação mais saudável, por exemplo, a crononutrição analisa os momentos ideais para realizar refeições e consumir certos alimentos – afinal, o metabolismo dos alimentos sofre efeitos do relógio biológico.

Quem segue os ritmos circadianos – período do ciclo biológico dos seres vivos influenciado pela variação de luz e temperatura – experimenta melhor digestão e absorção dos nutrientes, além de equilíbrio do fornecimento de energia para o corpo.

O relógio do sistema digestivo é sensível à comida e estudos vêm mostrando que não é apenas a contagem de calorias que emagrece, mas a restrição do intervalo de tempo de alimentação – ou seja, comer numa janela de alimentação de 8 a 12 horas (das 10h às 18h, por exemplo), adequando a alimentação ao ciclo circadiano.

De manhã o cortisol (conhecido como hormônio do estresse) está mais alto, estamos mais alertas e ativos para desenvolver as atividades diárias. É hora de uma boa refeição com carboidratos e prática de atividade física, que também pode ser feita à tarde.

À noite, por volta das 18h, o corpo começa a relaxar e há a produção de melatonina. Neste momento não é hora de grandes refeições, bebidas estimulantes ou atividades extenuantes, que vão atrapalhar o sono. Nesse momento, é ideal realizar uma última refeição e preparar o corpo para dormir.

Lembrando sempre que a teoria deve ser adaptada ao caso concreto! Na nutrição não existe regra geral. Tem gente que trabalha à noite e tem gente que não tem fome de manhã. Mudanças de estilo de vida e alimentação são importantes, mas a individualidade também deve ser respeitada.

Por isso é importante buscar ajuda de especialistas da área para um acompanhamento individualizado.

Fonte: 

Especialistas

Minha Vida

Deixe uma resposta