REFLEXÃO: PARAR DE PENSAR! COMO CONSEGUIR ISSO?

O brilhante texto do gênio chamado Eckart tolle com o título Parar de pensar é o seu instrumento de REFLEXÃO nesta terça-feira, aqui na coluna. Quando falamos em parar de pensar sempre nos remetemos a meditação. Algo que a maioria das pessoas tem a capacidade, mas não têm interesse. Talvez porque ache que é pura perda de tempo, que tem mais o que fazer ou que é coisa de pirado. Então a vida passa e a pessoa só viveu a superficialidade dela. Por isso lhe convido a ler esse texto de grande profundidade, refletir e fazer o seu juízo de valor!

Parar de Pensar

 em

“O maior obstáculo à experimentação da realidade da ligação da pessoa é a sua identificação com a mente, que faz com que o pensamento se torne compulsivo. Não ser capaz de parar de pensar é um padecimento terrível, porém não nos apercebemos deste fato porque quase toda a gente sofre dessa mesma maleita, sendo por isso considerado normal. Este ruído mental incessante impede a pessoa de encontrar esse reino de calma interior que é inseparável do Ser. Gera ainda um eu falso engendrado pela mente que lança uma sombra de medo e sofrimento.

A identificação do leitor com a sua mente cria uma divisória opaca de conceitos, rótulos, imagens, palavras, juízos e definições, que bloqueia todo o relacionamento verdadeiro. Interpõe-se entre o próprio leitor, entre o leitor e o próximo, entre o leitor e a sua natureza, entre o leitor e Deus. É esta divisória de pensamento que gera a ilusão de afastamento, a ilusão de que há o leitor e um «outro» completamente distinto. Nessa altura, o leitor esquece o facto essencial de que, sob o nível da aparência física e das formas separadas, o leitor é uno com tudo o que existe.

A mente é um instrumento maravilhoso se usado adequadamente. No entanto, quando utilizada de forma errada, torna-se muito destrutiva. Para ser mais preciso, não se trata tanto de usar a mente de maneira errada: em geral, nem sequer a utiliza. Ela é que o usa a si. É esta a doença. A pessoa acredita que é a sua mente. É esse o engano. O instrumento apoderou-se de si.
É quase como se estivesse possuído sem saber que o estava e, por esse motivo, tomasse a possessão como sendo você mesmo.

O início da liberdade é a sua percepção de que não é a entidade que possui – o pensador. Sabê-lo permite-lhe observar a entidade. Na altura em que se começar a observar o pensador, desperta um nível superior de consciência.
Nesse momento, perceber-se de que existe um vasto mundo de inteligência para além do pensamento, que este é apenas um aspecto ínfimo dessa inteligência. Apercebe-se ainda de que todas as coisas que realmente importam (a beleza, o amor, a criatividade, a alegria, a paz interior) nascem além da mente.
(Eckhart Tolle)

Luz e Paz!

Fonte: Sabedoria Universal

Deixe uma resposta