PROCURA POR VIAGENS NO MÊS DE JULHO TEVE UM AUMENTO SIGNIFICATIVO PRINCIPALMENTE PARA DESTINOS NACIONAIS, AFIRMA AGÊNCIA

Procura por viagens no mês de julho cresce mais de 50%, dizem agências de viagens

Destinos nacionais são mais buscados que os internacionais e os preços médios das passagens variam entre R$ 882 e R$ 1.716

Nathalie Hanna Alpaca

da CNN*

no Rio de Janeiro

Getty Images/izuse

Diferente do ano passado, a procura por viagens no mês de julho teve um aumento significativo, segundo agências de viagens. A empresa Decolar observa que houve uma procura 51% maior em abril em relação a março deste ano, mas a tendência é que esse índice continue em crescimento.

A diretora de Voos da Decolar, Daniela Araújo, explica que há um conjunto de fatores que influenciaram as pessoas a procurarem por novos destinos, como o aumento do dólar, das passagens e da flexibilidade das restrições contra a Covid-19.

“Aumentou um pouco o preço do mercado, mas não diminuiu a busca porque há uma demanda reprimida. Tivemos um período de dólar alto, as tarifas internacionais contribuíram para que as pessoas optassem a viajar pelo Brasil, mas nós também vemos destinos internacionais com preços retraindo em relação a 2021. Existem destinos para todos os perfis. Ficamos quase dois anos sem viajar, então as pessoas se adequam ao momento”, ressalta a diretora.

Daniela também analisa a alta procura pelos destinos nacionais. Segundo ela, o turismo no país sempre foi forte, mas o mercado apresenta um novo tipo de busca de itinerários.

“Sempre tivemos um volume de pesquisa importante para o nacional. O turismo no Brasil sempre foi forte. Claramente ele estava muito mais concentrado nos destinos coringas, mas o que vemos agora é um leque de possibilidades do turismo doméstico se expandindo”, diz.

Em relação aos destinos nacionais, a empresa norte-americana KAYAK, cujo principal produto é o buscador de viagens, notou que São Paulo, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife, Maceió, Natal, Brasília e Porto Seguro foram os locais que entraram no top dez de 2022 quando comparado a 2019. O preço médio desses destinos varia entre R$882 e R$1.716.

Voos internacionais

Já nos internacionais, Lisboa, Buenos Aires e Santiago lideram as buscas, seguidos por Paris, Orlando, Miami, Londres, Porto, Nova York e Roma. Segundo a KAYAK, o menor preço médio foi marcado por Buenos Aires, Argentina, que chegou a R$ 2.023. Já o mais caro foi da cidade de Londres, com R$7.980.

A agência de viagens CVC também reparou um aumento no setor. A empresa afirma que essa procura cresceu 54% em comparação com 2021. De acordo com a gerente executiva de vendas da CVC, Viviane Piovarcsik, o motivo é a demanda reprimida.

“Muitas pessoas tiveram planos adiados, então as férias estão chegando para materializar isso. Temos uma situação agora com a guerra da Ucrânia que não é isolada. Tudo influencia na passagem aérea, mas o setor está otimista com a retomada. Nós apostamos muito em promoções e flexibilidade no pagamento, o que atrai o consumidor”, analisa a gerente executiva.

O levantamento da CVC aponta que os destinos nacionais concentram a maior parte da procura para as próximas férias. Segundo a empresa, os destinos mais procurados estão na região Nordeste, como Natal, Maceió, Porto Seguro, Salvador e Recife. Já os internacionais mais buscados são: Orlando, Bariloche, Cancun, Paris e Santiago.

A CVC afirma que as reservas confirmadas no primeiro trimestre de 2022 cresceram 110,5% em comparação com o ano passado. Além disso, a empresa revela que, nesse mesmo período, a receita líquida subiu 76,5% e a CVC Corp embarcou 1,9 milhão de passageiros – um aumento de 15,2% em relação ao primeiro trimestre de 2021.

Fonte: CNN

Deixe uma resposta