PRIMEIRAS NOTÍCIAS DO DIA 12 DE JANEIRO DE 2021 POR G1

Por G1

 

Saída da Ford coloca ponto final a uma história de 100 anos no país. Setor automotivo enfrenta efeito “severo” da pandemia; entenda o cenário no Brasil. Secretário de Segurança Nacional dos EUA deixa o cargo após invasão ao Capitólio. Trump pode sofrer impeachment já fora do cargo? E “O Assunto” desta terça é o presidente norte-americano fora das redes. Brasil registra maior média móvel de casos de Covid da pandemia. Na corrida pela imunização, Pazuello sugere iniciar campanha com apenas uma dose da vacina de Oxford. Dados completos sobre eficácia da CoronaVac serão apresentados pelo Butantan nesta terça.

Fim de uma era

5 pontos: Ford encerra produção no Brasil

5 pontos: Ford encerra produção no Brasil

Ford anunciou na segunda-feira (11) que encerrará a produção de veículos em suas fábricas no Brasil após um século. A montadora mantinha fábricas em Camaçari (BA) e Taubaté (SP) para carros da Ford, e em Horizonte (CE), para jipes da marca Troller. A empresa, que fechou 2020 como a quinta que mais vendeu carros no país, com 7,14% do mercado, continuará comercializando produtos no Brasil. Eles serão importados principalmente da Argentina e do Uruguai.

Motivos da decisão
Em um comunicado divulgado para a imprensa, a fabricante disse que a decisão foi tomada “à medida em que a pandemia de Covid-19 amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”.

5 mil empregos afetados
Questionada pelo G1 sobre quantos funcionários serão demitidos, a Ford disse que aproximadamente 5 mil empregos serão afetados com a reestruturação no Brasil e na Argentina. O país vizinho sofrerá ajustes pelo encerramento da produção no Brasil, mas continuará produzindo veículos.

Começam a ser montados os primeiros carros no Brasil, em 1921. Muita gente aparecia interessada em acompanhar de perto a construção de um automóvel. E isso podia ser feito no prédio da Ford na Rua Solon, no bairro do Bom Retiro, Zona Central de São Paulo — Foto: Estadão Conteúdo/Arquivo

Começam a ser montados os primeiros carros no Brasil, em 1921. Muita gente aparecia interessada em acompanhar de perto a construção de um automóvel. E isso podia ser feito no prédio da Ford na Rua Solon, no bairro do Bom Retiro, Zona Central de São Paulo — Foto: Estadão Conteúdo/Arquivo

A decisão da Ford de encerrar a produção de veículos no Brasil coloca um ponto final em uma história de mais de 100 anos de investimentos no país. A primeira fábrica de automóveis do Brasil foi da Ford. Em 1º de maio de 1919, a montadora abriu as portas de uma planta na Rua Florêncio de Abreu, no centro de São Paulo. O modelo de produção era o Ford T, também chamado de Ford Bigode. As peças eram importadas e a montagem, feita aqui. Relembre um pouco da história da marca no país através de imagens.

Banco do Brasil

O Banco do Brasil anunciou a abertura de dois Programas de Demissão Voluntária com a previsão de adesão de cerca de 5 mil funcionários. Foi anunciado ainda o fechamento de 361 unidades — 112 agências, 7 escritórios e 242 postos de atendimento — no primeiro semestre deste ano.

Corrida da vacina

Vacina contra Covid-19 — Foto: Getty Image/ BBCVacina contra Covid-19 — Foto: Getty Image/ BBC

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou na segunda-feira (11) que o foco da vacinação contra a Covid-19 no Brasil poderá ser a redução da pandemia em vez de, no primeiro momento, assegurar a “imunidade completa”. Para Pazuello, o objetivo é frear a contaminação com a aplicação de pelo menos uma dose do imunizante do laboratório AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.

Ele não informou o intervalo pretendido entre a aplicação da primeira e da segunda dose. Questionada pelo G1 em relação à aplicação de uma única dose, a Fiocruz informou que: “a AstraZeneca recomenda um regime de vacinação com duas doses, considerando um intervalo de 4 e 12 semanas após a primeira dose. No entanto, o regime de doses a ser adotado no país é uma definição do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, do Ministério da Saúde”.

VÍDEO: Imunização 'é uma questão coletiva, não individual', diz Mourão
VÍDEO: Imunização ‘é uma questão coletiva, não individual’, diz Mourão

Também na segunda, o vice-presidente Hamilton Mourão, que voltou ao trabalho após 12 dias em isolamento no Palácio do Jaburu para tratamento da Covid, disse que vai tomar a vacina, mas que não vai “furar fila”.

CoronaVac

Dados da eficácia global da CoronaVac no Brasil serão apresentados pelo Butantan nesta terça (12)
Dados da eficácia global da CoronaVac no Brasil serão apresentados pelo Butantan nesta terça (12)

O secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse que os dados completos referentes à eficácia da CoronaVac aferida nos testes realizados no Brasil vão ser apresentados em coletiva de imprensa no Instituto Butantan nesta terça-feira (12). A CoronaVac é uma vacina contra a Covid-19 que usa vírus inativados. Ela é desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Butantan.

Na semana passada, o instituto anunciou que, nos testes no Brasil, o imunizante atingiu 78% de eficácia em casos leves e 100% em casos graves e moderados, mas não revelou o índice total. A eficácia global aponta a capacidade da vacina de proteger em todos os casos.

Números da Covid

Brasil registra a maior média de casos de Covid desde o início da pandemia
Brasil registra a maior média de casos de Covid desde o início da pandemia

O Brasil registrou 477 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 203.617 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias foi de 1.004. A variação foi de +59% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de crescimento nos óbitos pela doença.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 8.133.833 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 29.153 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 54.182 novos diagnósticos por dia, recorde desde o início da pandemia

Estados Unidos

Chad Wolf, secretário interino de Segurança Interna, em foto de 23 de setembro de 2020 — Foto: Greg Nash/Pool via Reuters

O secretário interino de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Chad Wolf, disse à sua equipe na segunda (11) que estava saindo do governo. A saída é a mais recente renúncia de uma autoridade do governo de Donald Trump após a invasão ao Capitólio na semana passada por apoiadores do presidente.

Por causa do incitamento do presidente à invasão, democratas decidiram pedir o impeachment de Trump, mesmo a poucos dias do fim do mandato republicano. A votação na Câmara deve ocorrer já nesta semana.

🎧 O Assunto

Donald Trump banido das redes é o tema do podcast desta terça. Renata Lo Prete conversa com o jornalista Pedro Doria, colunista do jornal “O Globo” e editor do Canal Meio. Ouça abaixo:

Fonte: G1

Deixe uma resposta