INTERNACIONAIS

Por France Presse

 

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acena em frente ao número 10 de Downing Street, em Londres, na quarta-feira (24) — Foto: AP Photo/Frank Augstein

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acena em frente ao número 10 de Downing Street, em Londres, na quarta-feira (24) — Foto: AP Photo/Frank Augstein

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou neste sábado (27) que o Brexit é uma “enorme oportunidade econômica”, mas que tinha sido tratado como “uma adversidade climática iminente” por sua antecessora, Theresa May.

Em um discurso em Manchester (noroeste), onde prometeu novos investimentos nas regiões que votaram a favor do Brexit, Johnson garantiu que intensificará as negociações sobre acordos comerciais pós-Brexit e implementará portos francos para impulsionar a economia.

“Sair da União Europeia é uma enorme oportunidade econômica para fazer coisas que não nos permitiram fazer durante décadas”, declarou Johnson.

“Quando as pessoas votaram para sair da União Europeia, não estavam votando apenas contra Bruxelas, mas também contra Londres”, afirmou.

Johnson também prometeu dar mais poder às comunidades locais e reforçar infraestruturas de telecomunicações e de transporte, durante um discurso centrado em assuntos nacionais.

“Recuperar o controle não se aplica apenas a Westminster recuperar sua soberania da UE, significa que nossos povoados, condados e cidades tornem-se mais autônomos”, acrescentou.

Questionado sobre as negociações do Brexit, Johnson afirmou estar disposto a se comprometer com os sócios da UE, mas apenas caso a salvaguarda irlandesa seja retirada do atual acordo, fechado por May.

A salvaguarda é um artigo destinado a evitar o restabelecimento de uma fronteira física entre a província britânica da Irlanda do Norte e sua vizinha República da Irlanda após o Brexit.

“O enfoque do governo do Reino Unido não é deixar de se comprometer, nem ser distante, nem esperar que venham a nós. Vamos tentar resolver este problema”, declarou.

“Não podemos fazer isso enquanto permanecer essa salvaguarda antidemocrática, essa salvaguarda que busca dividir nosso país, dividir o Reino Unido. Precisamos tirá-la, e aí poderemos avançar”, concluiu.

Novas eleições descartadas

Mais cedo, o novo líder tentou dissipar os rumores de que convocaria eleições antecipadas.

O ex-prefeito de Londres, que assumiu seu posto nesta quarta-feira, prometeu tirar os britânicos da UE antes da data-limite de 31 de outubro, com ou sem acordo.

Nos primeiros dias no cargo, Johnson se concentrou em questões nacionais.

Johnson descartou “absolutamente” a possibilidade de convocar eleições antecipadas nesta sexta-feira antes de o Reino Unido deixar o bloco. O novo pleito serviria para tentar recuperar a maioria no Parlamento.

“Os britânicos votaram em 2015, em 2016, em 2017”, disse ele durante uma visita à cidade inglesa de Birmingham (centro).

“O que eles querem que façamos é cumprir seu mandato, deixar a UE em 31 de outubro”, acrescentou. “Eles não querem outro evento eleitoral, outro referendo, eles não querem uma eleição geral”.

Fonte: G1

Por France Presse

 

Mais de 13 toneladas de cocaína apreendidas nas costas do México e da América do Sul Central são descarregadas do navio da Guarda Costeira dos EUA, Steadfast, em um porto de San Diego. — Foto: Mike Blake/Reuters

Mais de 13 toneladas de cocaína apreendidas nas costas do México e da América do Sul Central são descarregadas do navio da Guarda Costeira dos EUA, Steadfast, em um porto de San Diego. — Foto: Mike Blake/Reuters

A Guarda Costeira dos Estados Unidos anunciou na noite de sexta-feira (26) que desmantelou uma rede de tráfico de droga e apreendeu 13 toneladas de cocaína em operações recentes na América Latina.

A droga, com valor de US$ 350 milhões, foi encontrada em pacotes que flutuavam em águas internacionais no leste do oceano Pacífico, ao longo da costa do México, da América Central e da América do Sul, entre o fim de junho e meados de julho, informou a Guarda Costeira (USCG, na sigla em inglês) em um comunicado.

Seis embarcações suspeitas de transportar a droga também foram interceptadas por lanchas rápidas americanas.

“São 13 toneladas de cocaína que não foram parar nas ruas dos Estados Unidos, e isso nos dá a oportunidade de afirmar que continuamos lutando contra as organizações criminosas internacionais, que diariamente transportam cocaína pelo Pacífico”, declarou Peter Gautier, comandante do distrito 11 da USCG.

Desde o começo deste ano, os guardas costeiros americanos interceptaram mais de cem barcos, apreenderam mais de 100 toneladas de cocaína e prenderam mais de 400 suspeitos nas zonas de trânsito da droga no leste do oceano Pacífico.

Fonte: G1

Por G1 PR — Curitiba

 

Navios do Irã parados no Brasil começam a ser abastecidos por determinação do STF

Navios do Irã parados no Brasil começam a ser abastecidos por determinação do STF

O navio Termeh, de bandeira iraniana, começou a sair do Porto de Paranaguá, no litoral do Paraná, por volta das13h deste sábado (27), de acordo com a instituição. Ele seguiu para Santa Catarina.

O outro navio iraniano, o Bavand, deve deixar a área na manhã deste domingo (28), segundo a administração do porto. Eles estavam parados na litoral paranaense desde junho, por falta de combustível.

Os dois navios começaram a ser abastecidos nesta madrugada, após uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). A Petrobras havia se recusado a vender combustível para as embarcações, por receio de ferir sanções norte-americanas aplicadas a empresas iranianas.

Contudo, o presidente do STF, Dias Toffoli, obrigou a estatal a fornecer o combustível. A decisão dele é de quarta-feira (24).

O Termeh começou a ser abastecido pela Petrobras por volta das 4h.

Já o abastecimento do Bavand começou uma hora depois e terminou pouco antes das 18h, conforme o Porto de Paranaguá. A previsão é de que ele saia ainda na manhã de domingo.

O navio Termeh, de bandeira iraniana, começou a sair do Porto de Paranaguá, no litoral do Paraná, por volta das 13h deste sábado (27) e seguiu para Santa Catarina — Foto: Vanessa Rumor/RPCO navio Termeh, de bandeira iraniana, começou a sair do Porto de Paranaguá, no litoral do Paraná, por volta das 13h deste sábado (27) e seguiu para Santa Catarina — Foto: Vanessa Rumor/RPC

Os navios

O MV Bavand seguirá para o Porto de Bandar Imam Khomeini (IRBIK), no Irã. Já o MV Termeh irá para o Porto de Imbituba, Santa Catarina.

O Bavand, que chegou a Paranaguá no dia 8 de junho e parte carregado com 48 mil toneladas de milho para o Irã, recebeu 1,3 mil toneladas de combustível. Conforme o porto, a viagem de volta para o Irã dura 37 dias.

O Termeh, que aguardava desde 9 de junho pela liberação do combustível, seguiu para o Porto de Imbituba para embarcar cerca de 60 mil toneladas do grão. A embarcação recebeu 600 toneladas de combustível.

Navios que estavam a 50 dias no Porto de Paranaguá são abastecidos

Navios que estavam a 50 dias no Porto de Paranaguá são abastecidos

Segundo a empresa que presta serviço para a Petrobras no abastecimento de navios, eles estão alinhando com a agência marítima a programação para o abastecimento.

O governo afirmou ainda que nenhum dos dois navios iranianos movimentou carga nos portos paranaenses. As embarcações apenas fizeram parada técnica de apoio, para abastecimento.

Este ano, de janeiro até o dia 25, seis navios passaram no Porto do estado para apenas abastecer. As origens das embarcações foram, além do Irã, Libéria, Bahamas e Dinamarca, conforme o governo.

O impasse

A Petrobras foi obrigada judicialmente a fornecer combustível para os navios após Dias Toffoli rejeitar o recurso da Petrobras, que pedia para não efetuar o serviço.

Em trecho da decisão de 10 páginas, o presidente do Supremo afirma que não vê riscos para a soberania nacional com o abastecimento dos navios iranianos.

Segundo Toffoli, a análise dos documentos apresentados mostrou que a decisão do Tribunal de Justiça do Paraná que determinou a venda do combustível não prejudicaria o país.

O presidente do STF destacou ainda a Petrobras “saltou instâncias” ao recorrer diretamente ao Supremo. Toffoli ponderou que a estatal deveria ter questionado o fato em instâncias inferiores antes de ajuizar recurso na mais alta Corte do país.

Na visão do ministro, há no caso “premência da decisão judicial por razões humanitárias”, em razão de os navios iranianos estarem transportando alimentos para o país do Oriente Médio.

De acordo com o magistrado, o fornecimento do combustível no caso foi exigido por decisão judicial, o que supera a “convergência de vontades” das empresas envolvidas.

Petrobras tinha se recusado a fornecer o combustível porque, segundo a estatal, a empresa dona dos navios está sob sanção dos Estados Unidos, e temia ficar sujeita às mesmas sanções caso prestasse serviço para as embarcações iranianas.

Os iranianos estão entre os maiores importadores de milho do Brasil. O país asiático também é um dos principais compradores de soja e carne bovina brasileira.

Abastecimento

Os navios foram abastecidos com cerca de 1,2 mil toneladas de combustível cada, em uma operação que dura, em média, de seis a dez horas.

De acordo com o governo, o abastecimento de navios pode ser feito com as embarcações atracadas no cais ou fundeadas. A operação é segura, com barreiras de contenção para evitar que qualquer produto caia no mar.

No Porto de Paranaguá apenas uma empresa faz esse serviço para a Petrobras. Sete marinheiros foram envolvidos no serviço, segundo o governo.

Navios estavam parados desde junho no litoral paranaense — Foto: Divulgação/Portos do ParanáNavios estavam parados desde junho no litoral paranaense — Foto: Divulgação/Portos do Paraná

Fonte: G1

 

NACIONAIS

Por Blog do BG

Carla Ubarana e George Leal conseguem direito ao indulto de Temer e serão soltos

O casal Carla Ubarana e George Leal, acusados de liderar um esquema de desvio de verbas para o pagamento de precatórios, conseguiram a liberdade e a extinção da pena neste sábado (27).

Carla Ubarana estava cumprindo pena em regime fechado e George Leal já se encontrava em liberdade, porém assistida e monitorada.

O casal foi beneficiado com o indulto concedido pelo juiz Henrique Baltazar, por já terem cumprido um quinto da pena sem antecedentes e por ser um crime sem sem grave ameaça ou violência a outros. O indulto que beneficiou o casal foi editado pelo ex-presidente Michel Temer em 2017 e garantiu o perdão da pena.

Os advogados Paulo Leão e Paulo Leão Júnior fizeram a defesa.

Comments

Hacker se vangloriou de invadir conta de Moro, diz colega preso à Polícia Federal

Gustavo Henrique Elias Santos, 28, preso na última terça-feira (23), afirmou à Polícia Federal que seu colega Walter Delgatti Neto, 30, também preso, mandou-lhe uma mensagem se vangloriando de ter invadido a conta do aplicativo do Telegram do ministro Sergio Moro (Justiça).

Delgatti é apontado pela PF como líder do grupo que fez ataques hackers nos últimos meses, atingindo especialmente procuradores da Lava Jato.

O teor do depoimento de Gustavo foi revelado neste sábado (27) pelo site G1. Ele disse ainda que também teve sua conta invadida pelo amigo, que conhece há mais de dez anos.

Para a polícia, Delgatti confessou ter sido autor dos ataques.

Na quinta (25), a Folha revelou que ele afirmou na oitiva que encaminhou as mensagens ao jornalista Glenn Greenwald de forma anônima, voluntária e sem cobrança financeira.

No depoimento, Gustavo falou que, em um dia no mês de fevereiro, logo que acordou viu seu celular com diversas mensagens do Whatsapp e do Telegram, com códigos de acesso.

Em seguida, percebeu que não podia mais entrar em suas contas nos aplicativos e começou a desconfiar que poderia ter sido Delgatti, por ser uma pessoa que teria “audácia” para fazer realizar a invasão.
Segundo ele, Delgatti assumiu ter sido o autor e, dias depois, enviou uma reportagem de um veículo da imprensa para Gustavo que falava sobre a invasão ao celular de Moro, se “vangloriando”.
Gustavo ainda disse que recebeu uma chamada de FaceTime do amigo, que mostrou uma tela do computador com pastas de supostas vítimas dos ataques que tinha feito. Um dos ícones tinha justamente o nome do ministro da Justiça.

O juiz Vallisney de Oliveira, da 10a Vara Federal do Distrito Federal, afirmou em um despacho nesta sexta-feira (26) que há firmes indícios de que o grupo de hackers cometeu ao menos três crimes.

O magistrado aponta quadrilha, invasão e captura ilegal de dados —penas vão de 3 meses a 8 anos de prisão.

Quatro pessoas suspeitas de terem participado da invasão de celulares de autoridades foram presas de forma temporária na última terça (23) em uma operação da PF. A Justiça determinou a prorrogação da prisão, por mais 5 dias.

Comments

Representação feminina nas Assembleias não passa de 15%

De cada 100 deputados estaduais brasileiros, 15 são mulheres. Dos 1.060 eleitos em 2018 para os legislativos nos Estados, 163 são mulheres. Ainda que esta seja a maior participação feminina alcançada nos parlamentos brasileiros, ela é um retrato da subrepresentação. No Amapá, um terço das cadeiras é ocupada por mulheres, enquanto no Mato Grosso do Sul nenhuma parlamentar tem vaga na assembleia local.

A baixa representação feminina na política tem fatores sociais, culturais e econômicos e não está livre de freios. Passa pela divisão sexual do trabalho, que toma mais tempo e energia das mulheres, e chega à resistência de dirigentes partidários em abrir espaço para lideranças femininas, o que colabora para reproduzir o caráter masculino da política.

Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta