Por G1

 


Mulher deposita buquê de flores em homenagem a mortos em atentado a mesquita em Christchurch, Nova Zelândia — Foto: Mark Baker/AP Photo

Mulher deposita buquê de flores em homenagem a mortos em atentado a mesquita em Christchurch, Nova Zelândia — Foto: Mark Baker/AP Photo

O comissário de polícia da Nova Zelândia Mike Bush afirmou, na manhã deste domingo (17), tarde de sábado (16) no Brasil, que o número de mortos nos ataques a mesquitas em Christchurch, na ilha sul da Nova Zelândia, aumentou para 50.

Segundo a agência de notícias France Presse (AFP), a polícia afirmou que o balanço de mortos aumentou depois que uma nova vítima fatal foi encontrada no processo de remoção de corpos das duas mesquitas, que só terminou na noite de sábado. Outras 48 pessoas foram feridas, sendo que 20 delas se encontravam em estado grave na sexta (15).

“É com tristeza que eu aviso que o número de pessoas que morreram nesse evento subiu agora para 50. Na última noite, conseguimos retirar todas as vítimas de ambas as cenas. Ao fazer isso, nós conseguimos localizar uma nova vítima”, afirmou Bush em uma entrevista para jornalistas, segundo a agência Reuters.

Além disso, Bush explicou que, dos três detidos na sexta em relação ao atentado, dois foram liberados por não estarem conectados ao caso.

“No momento, só uma pessoa foi acusada em relação a esses ataques”, afirmou o comissário da polícia neozelandesa.

Entre as vítimas estão homens, mulheres e crianças. Os nomes ainda não foram divulgados oficialmente por autoridades neozelandesas, mas famílias confirmam alguns deles à imprensa desde a sexta. Veja quem são algumas das vítimas do atirador

Segundo a agência EFE, o comissário afirmou neste domingo que a polícia, além de investigar o caso, também está atuando para identificar as vítimas, para que elas possam ser enterradas o mais rápido possível. Ele reconheceu a frustração entre os familiares que querem realizar os funerais de acordo com seus costumes.

“Não compartilharemos informação [sobre os mortos] até que eles estejam formalmente identificados”, disse Mike Bush.

Omar Nabi mostra foto do pai, Haji Daoudi, vítima de atentado em Christchurch, Nova Zelândia, neste sábado (16) — Foto: Edgar Su/Reuters

Omar Nabi mostra foto do pai, Haji Daoudi, vítima de atentado em Christchurch, Nova Zelândia, neste sábado (16) — Foto: Edgar Su/Reuters

Resumo

  • Ataques a duas mesquitas de Masjid Al Noor e de Linwood na Nova Zelândia deixaram 50 mortos;
  • Outras 48 pessoas ficaram feridas, sendo 20 em estado grave;
  • 4 pessoas foram detidas na sexta: uma delas foi liberada no mesmo dia, e outras duas foram liberadas na noite de sábado por não terem ligação com o caso;
  • A polícia informou que o assassino é um australiano de 28 anos chamado Brenton Tarrant, que foi acusado formalmente por homicídio;
  • As autoridades ainda não divulgaram a identidade das vítimas, mas os familiares de algumas delas já vieram a público;
  • Numa das mesquitas, o homem armado com um rifle automáticodisparou contra a multidão;
  • Usando uma câmera no capacete, o assassino filmou e transmitiu ao vivo o massacre;
  • O Facebook eliminou as contas do criminoso e trabalha para remover cópias do vídeo;
  • Na rede, o homem se identificou como defensor da extrema-direita e contrário à imigração.
Assassino de ataque a mesquistas é acompanhado por policiais durante sua apresentação à corte do Distrito de Christchurch, na Nova Zelândia, no sábado (16) — Foto: Mark Mitchell/New Zealand Herald/Pool

Assassino de ataque a mesquistas é acompanhado por policiais durante sua apresentação à corte do Distrito de Christchurch, na Nova Zelândia, no sábado (16) — Foto: Mark Mitchell/New Zealand Herald/Pool

Testemunhas

Pessoas que sobreviveram ao ataque relataram cenas de pavor vividas dentro e fora das duas mesquitas. Ramzan Ali, que tinha sangue nas roupas, disse à imprensa local que viu o atirador atingir um homem no peito. Ele estima que o tiroteio durou 20 minutos. “Eu só pensava que ele precisava ficar sem balas. O que eu fiz foi basicamente esperar e rezar. Deus, por favor, acabe com a munição dele”, declarou Ali à emissora de televisão TVNZ.

Com a voz trêmula, Jill Keats, de 66 anos, afirmou que “nunca pensou que fosse presenciar algo assim, não na Nova Zelândia”.

“Eu estava no meu carro. Inicialmente achei que os estampidos eram fogos, mas em seguida vi algumas pessoas correndo e caindo à medida que eram atingidas e então percebi que eram tiros. Um caiu à direita do meu carro, outro à esquerda.”

O atentado na Nova Zelândia se assemelha a outros massacres promovidos por extremistas brancos em países ocidentais, tendo os muçulmanos como alvo. Em resposta, comunidades muçulmanas em todo o mundo prestaram homenagem aos mortos e feridos.

Controle de armas

A primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern, definiu o ataque como “um ato de violência sem precedentes na Nova Zelândia” e afirmou que o dia 15 de março de 2019 foi “um dos dias mais sombrios e sangrentos da história do país”. “Esse tipo de violência não tem lugar na Nova Zelândia.”

Na manhã deste sábado (horário local), Ardern anunciou que as leis sobre armas serão alteradas no país após o ataque. Ela lembrou que o assunto já foi discutido em anos anteriores, mas afirmou que, após este caso, não é mais possível adiar uma ação. “Agora é a hora de mudar”, acrescentou, dizendo que um dos itens que busca implementar é o banimento de armas semiautomáticas.

Segundo a primeira-ministra, foram apreendidas com o assassino cinco armas, entre elas duas semiautomáticas e duas espingardas, e o homem tinha licença e comprou todas legalmente, a partir de dezembro de 2018.

Ataques em mesquitas na Nova Zelândia — Foto: Juliane Souza/G1

Ataques em mesquitas na Nova Zelândia — Foto: Juliane Souza/G1

Fonte: G1

 

Por Giba Bergamin e G1 SP, TV Globo e G1 SP


Carros voltam a circular no viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros após quatro meses de interdição — Foto: Giba Bergamin/TV Globo

Carros voltam a circular no viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros após quatro meses de interdição — Foto: Giba Bergamin/TV Globo

A Prefeitura de São Paulo liberou, no início da tarde deste sábado (16), o trânsito no viaduto da pista expressa da Marginal Pinheiros, próximo ao Parque Villa Lobos, na Zona Oeste, que cedeu na madrugada do dia 15 de novembro do ano passado. A liberação ocorre após quatro meses de interdição.

Segundo o prefeito Bruno Covas (PSDB), os testes realizados nesta manhã fizeram com que a gestão municipal antecipasse a reabertura, prevista para ocorrer na próxima segunda-feira (18). Ele esteve no local acompanhado do secretário Vitor Aly, de Infraestrutura Urbana.

“Os testes estão dando de acordo com os modelos matemáticos elaborados, o que nos permite anunciar que não vamos mais liberar na segunda-feira, vamos liberar no dia de hoje, e não apenas para carro, mas também já para caminhão”, afirmou Covas.

Caminhões enfileirados na manhã deste sábado (16) para realização de testes no viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros — Foto: Marcílio Kimura/G1

Caminhões enfileirados na manhã deste sábado (16) para realização de testes no viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros — Foto: Marcílio Kimura/G1

A expectativa era abrir a via apenas para carros. Entretanto, técnicos asseguraram que não há necessidade de restringir a circulação de veículos.

Ainda segundo Covas, apesar da liberação, os trabalhos ainda não foram concluídos. A gestão municipal espera anunciar o vencedor da licitação das obras de requalificação para dar início à próxima etapa.

“Parte das obras vão continuar, são obras de requalificação que podem ser feitas com ele sendo utilizado. Dia 12 [de abril] sai o vencedor desta obra que vai ser feita complementar à recuperação, que termina no dia de hoje”.

Segundo o prefeito, o custo total estimado das obras, com a requalificação, é de R$ 26,5 milhões.

“Menos de 40% do que seria os R$ 70 milhões, caso a gente tivesse que demolir e construir um novo viaduto.”

Técnicos trabalham para reerguer o viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros, em São Paulo, na manhã de sábado (1º) — Foto: Ronaldo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

Técnicos trabalham para reerguer o viaduto que cedeu na Marginal Pinheiros, em São Paulo, na manhã de sábado (1º) — Foto: Ronaldo Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

Dutra

Bruno Covas também disse no próximo dia 22 de março, a Prefeitura espera ter o cronograma das obras de recuperação da ponte que leva à Rodovia Presidente Dutra pela Marginal Tietê, interditada em janeiro deste ano.

“Os testes lá de carga já foram concluídos. Agora, no dia 22 vamos, ter claro qual a obra de recuperação que precisa ser feita e, portanto, anunciamos qual é o cronograma de liberação”, afirmou o prefeito.

Ponte que liga Marginal Tietê à Via Dutra está interditada — Foto: TV Globo/Reprodução

Ponte que liga Marginal Tietê à Via Dutra está interditada — Foto: TV Globo/Reprodução

Investigações

Na terça-feira (12), Ministério Público entrou na Justiça com uma ação civil pública para que a Prefeitura de São Paulo restrinja o tráfego em pontes e viadutos “em situação de grave risco” na cidade. Em nota, a gestão municipal diz apenas que não foi notificada.

Em fevereiro, a Prefeitura divulgou uma lista com 16 pontes e viadutos que precisam de perícia completa emergencial para identificar o risco de colapso. Metade está localizada na Zona Oeste.

A lista foi concluída após vistoria de 33 estruturas na cidade e o número atualizado pela Secretaria de Infraestrutura e Obras.

Em fevereiro, o MP entrou com uma ação contra o prefeito Bruno Covas por falta de manutenção em pontes e viadutos.

Fonte: G1

Por G1 Rio

 


Carro cai em cratera aberta em Guadalupe neste sábado (16) — Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Carro cai em cratera aberta em Guadalupe neste sábado (16) — Foto: Reprodução/ Redes Sociais

O Rio está em estágio de atenção desde às 14h30 deste sábado (16) após registro de chuva forte em algumas regiões.

Em Guadalupe, um dos bairros mais afetados, uma cratera foi aberta na rua Rua Marcos de Macedo, na altura da Rua Acrízio Mota. Um carro caiu no buraco aberto no meio da pista e equipes da Seconserma, Defesa Civil , Guarda Municipal, Rio Águas e CET-Rio foram acionadas para o local. A Light também está trabalhando na região.

Por volta das 18h45 o carro foi retirado do buraco aberto na rua, mas as interdições permanecem no local, segundo a polícia.

Carro é retirado do buraco por volta das 19h deste sábado — Foto: Reprodução/Centro de Operações

Carro é retirado do buraco por volta das 19h deste sábado — Foto: Reprodução/Centro de Operações

Os bairros mais afetados na Zona Norte foram: Guadalupe, Ricardo de Albuquerque, Marechal Hermes, Pavuna e Anchieta.

Na Zona Oeste, choveu forte em Campo Grande.

Carro afunda em cratera na Zona Norte do Rio — Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Carro afunda em cratera na Zona Norte do Rio — Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Na Avenida Brasil, também na altura de Guadalupe, um bolsão d’água causa transtornos para os motoristas. A prefeitura informou que equipes já estão atuando na região.

Chuva forte provoca alagamentos em Guadalupe, Zona Norte — Foto: Reprodução/Centro de Operações

Chuva forte provoca alagamentos em Guadalupe, Zona Norte — Foto: Reprodução/Centro de Operações

A Defesa Civil informou que, por causa da chuva forte da tarde deste sábado, foram acionadas sete sirenes em três comunidades da Zona Norte (Juramento, Parque Silva Vale e Rua Brício de Moraes).

Centro de Operações Rio

@OperacoesRio

GUADALUPE: devido a um afundamento de pista, está interditado trecho da Rua Marcos de Macedo, na altura da Rua Acrízio Mota (perto da lona cultural). Equipes da Seconserma, @RioDefesaCivil , @GMRio e CET-Rio foram acionadas para o local, além da Light também ter sido acionada.

A previsão ainda é de chuva moderada a forte nas próximas horas.

O sábado (16), o último deste verão, teve céu encoberto no Rio. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), podem ocorrer rajadas de vento moderado e chover forte no litoral sul até a manhã deste domingo (17). A temperatura máxima registrada neste sábado chegou a 31,8°C, em Santa Cruz.

Para domingo (17) a previsão é de tempo ainda mais fechado, com céu nublado e pancadas de

Por G1 Mogi das Cruzes e Suzano

Sobrevivente de Suzano conta do desespero por não conseguir tirar a namorada da escola

Sobrevivente de Suzano conta do desespero por não conseguir tirar a namorada da escola

Na manhã deste sábado (16), mais dois adolescentes feridos no massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, receberam alta. O ataque deixou oito mortos na última quarta-feira (13).

Samuel Silva Félix e José Vitor Ramos estavam internados no Hospital Santa Maria, em Suzano, e foram liberados. Samuel foi o primeiro a deixar o hospital. José Vitor saiu logo em seguida, por volta das 9h. Ele foi ferido por um machado no ombro e deu entrevista ao deixar o hospital (veja no vídeo acima).

José Vitor Ramos Lemos - Aluno que levou golpe de machado sobrevive a ataque em escola de Suzano. — Foto: Reprodução/TV GLobo

José Vitor Ramos Lemos – Aluno que levou golpe de machado sobrevive a ataque em escola de Suzano. — Foto: Reprodução/TV GLobo

Em São Paulo, uma adolescente ferida deixou a UTI do Hospital das Clínicas e segue na enfermaria da unidade. Quadro de saúde dela é estável.

Até o momento, seis estudantes já receberam alta e mais cinco adolescentes continuam internados. Os assassinos eram ex-alunos da escola. A investigação aponta que Guilherme Monteiro matou Henrique Castro e, em seguida, se suicidou. A polícia diz que os dois tinham um “pacto” segundo o qual cometeriam o crime e depois se suicidariam.

São eles:

  • Adna Isabella Bezerra de Paula, de 16 anos: saiu da UTI e segue em estado estável na enfermaria;
  • Anderson Carrilho de Brito, de 15 anos: está internado na UTI do Hospital das Clínicas de São Paulo em estado estável;
  • Jenifer da Silva Cavalcante, 15 anos: está internada na UTI do Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes em estado estável;
  • Leonardo Martinez Santos, 16 anos: passou por cirurgia nesta sexta-feira (15) e segue internado no Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes;
  • Murillo Gomes Louro Benite, de 15 anos: está internado na enfermaria do Hospital das Clínicas de São Paulo em estado estável.

Sobrevivente lutou contra assassino

Aluna de Suzano conta como lutou com assassino em escola estadual

Aluna de Suzano conta como lutou com assassino em escola estadual

Uma das sobreviventes, Rhyllary Barbosa dos Santos, de 15 anos, que é lutadora de jiu-jítsu, contou que lutou contra um dos assassinos.

Ela ainda conseguiu abrir a porta de entrada e da escola para que outros estudantes pudessem escapar. Mas Rhyllary recusa o título: “Sou apenas uma sobrevivente”. (Veja a entrevista acima)

Arma falha e adolescente sobrevive

Gabriel Martins Margarida, 16 anos, sobrevivente do massacre na escola em Suzano — Foto: Arquivo pessoal

Gabriel Martins Margarida, 16 anos, sobrevivente do massacre na escola em Suzano — Foto: Arquivo pessoal

Gabriel Martins Margarida, 16 anos, disse que sobreviveu porque a arma de um dos assassinos falhou. No momento do ataque, Gabriel conta que estava com dois amigos: um deles segue internado e o outro morreu.

De acordo com o adolescente, o assassino chegou perto dele e dos colegas e começou a atirar, acertando três tiros no amigo. “Ele estava a mais ou menos um metro de distância de mim”, diz. Neste momento, diz Gabriel, as balas do revólver acabaram.

“Foi aí que o assassino virou de costas para recarregar a arma e virou para nós novamente. Ele mirou em mim, quando foi pra atirar, a arma falhou”. O estudante conta que naquela hora imaginou que fosse morrer. “Foi um momento de desespero sem reação do que fazer.”

Ataque

Um adolescente e um homem encapuzados atacaram a Escola Estadual Raul Brasil na manhã de quarta-feira (13) e mataram sete pessoas, sendo cinco alunos e duas funcionárias do colégio.

Pouco antes do massacre, a dupla havia matado o proprietário de uma loja da região, tio de um dos assassinos.

Após os ataques, um dos assassinos atirou no comparsa e, então, se suicidou.

Os assassinos, de 17 e 25 anos, eram ex-alunos do colégio. A polícia diz que os dois tinham um “pacto” segundo o qual cometeriam o crime e depois se suicidariam. Ainda não se sabe a motivação do massacre.

As aulas foram suspensas e devem ser retomadas na segunda-feira (18).

Coragem de professores de Suzano impediu que a tragédia fosse maior

Coragem de professores de Suzano impediu que a tragédia fosse maior

Ataque em escola de Suzano — Foto: Juliane Monteiro/G1

Ataque em escola de Suzano — Foto: Juliane Monteiro/G1

Fonte: G1

Acho que base aliada deverá estar organizada em duas ou três semanas, diz Maia

Anfitrião de um almoço que reuniu a cúpula dos Três Poderes neste sábado, 16, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que seu objetivo do encontro foi “dialogar e ouvir o governo”. Segundo o parlamentar, “há um intuito de todos de construir uma nova agenda e de aprovar a reforma da Previdência”. Maia avalia que a base aliada de Bolsonaro na Casa deverá estar formada em até três semanas, prazo suficiente para que seja analisada a reforma da Previdência.

“A base aliada do governo ainda está na fase de construção e precisamos aprender como fazer isso neste novo momento”, disse Maia. “Um governo com vontade de fazer um novo tipo de governo leva mais tempo para organizar mesmo. Acho que base aliada já deverá estar organizada em duas ou três semanas”, afirmou. Participaram do churrasco oferecido por Maia o presidente da República, Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, além de 15 ministros do governo.

Maia prevê que a proposta esteja pronta para votação em dois meses. “Acho que poderemos ter o texto da reforma pronto para votar em plenário em maio”, afirmou Maia.” Este encontro é um sinal importante, estamos construindo um pacto para governar o Brasil.”

Questionado sobre o nome do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) como relator do PEC da Previdência, Maia disse preferi-lo como líder. “O deputado Aguinaldo Ribeiro é sempre um bom nome para qualquer posição, prefiro ele na posição de líder”, disse. Ribeiro é cotado para assumir a liderança da Maioria na Câmara.

“Não podemos achar que uma agenda tão importante para o Brasil é também uma agenda de mais de 300 deputados. É uma construção”, concluiu Maia.

Estadão Conteúdo

Comments

Almirante diz que mudança na aposentadoria de militar exigirá ajustes

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O secretário-geral do Ministério da Defesa, almirante Almir Garnier, disse hoje (16) que as mudanças nas regras de aposentadoria dos militares exigirão ajustes em relação a toda a carreira. “Nosso projeto é bem complexo porque não é apenas uma mudança constitucional. Ele muda várias leis. Se mexe no estatuto, tem que mexer na Lei de Remunerações e, portanto, na Lei de Pensões. Por isso, é mais trabalhoso e difícil afinar todo o projeto”, disse ele. O Estatuto dos Militares regula a situação, as obrigações, os deveres, direitos e as prerrogativas dos integrantes das Forças Armadas.

Almir Garnier participou, neste sábado, de reunião com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, e outros representantes dos ministérios da Economia e da Defesa para analisar a proposta de mudança na aposentadoria dos militares. Elaborado pelo Ministério da Defesa, o projeto deve ser encaminhado ao Congresso Nacional no próximo dia 20, depois que a equipe econômica do governo e os representantes dos militares chegarem a um consenso.

Segundo o secretário, a reunião serviu para que os técnicos “afinassem” alguns pontos da proposta inicial, do Ministério da Defesa. “Há sempre alguns detalhes que precisam ser ajustados. É um processo normal para que, quando o presidente enviar o projeto ao Congresso, o texto esteja o mais alinhado possível, não deixando margens para dúvidas”, comentou Garnier ao fim do encontro.

Ao destacar a necessidade de “afinar todo o projeto”, o almirante afirmou que enquanto houver prazo, os técnicos dos ministérios da Defesa e da Economia continuarão debruçados sobre a proposta. “Estamos trabalhando com o prazo do dia 20 que, para nós, é imexível. Enquanto houver prazo, vão surgir questões para melhorar o texto e vamos afinar [a proposta].”

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, lembrou que entre as preocupações dos representantes dos militares está a futura reestruturação da carreira. “Eles alertam – e eu acho legítimo que o façam – que, daqui para a frente, é preciso pensar a reestruturação das carreiras militares”, disse Almeida, citando fatos que, segundo ele, evidenciam a diferença de tratamento entre as carreiras públicas civis e militares. “Algumas carreiras civis tiveram aumentos brutais e [receberam] algumas coisas que o Tribunal de Contas da União [TCU] tem contestado. Uma série de coisas que os militares não tiveram”, acrescentou.

Para Almeida, outro aspecto a ser encarado é a “grande disparidade” entre as Forças Armadas e as corporações militares de alguns estados. “Em alguns estados, há coronéis da PM ganhando muito mais que um coronel quatro estrelas das Forças Armadas. Em alguns estados com problemas financeiros, o soldo de um policial militar em final de carreira é igual ao de um desembargador.”

Sobre a reestruturação da carreira militar, o almirante Almir Garnier disse que ela pode ajudar as Forças Armadas no processo de tornar-se mais meritocrática e eficiente com os gastos públicos. “Se aumentamos o tempo de serviço [dos atuais 30 anos] para 35 anos, temos que ajustar a carreira militar, pois as atuais idades limites já não servem mais. As pessoas passam a poder permanecer em determinados postos e graduações por mais tempo. Tudo está interligado e reflete também sobre economia e despesas”, acrescentou.

Agência Brasil

Comments

Senado avalia substituir por domiciliar prisão preventiva de lactantes

O plenário do Senado se prepara para votar, na próxima semana, o projeto que substitui a prisão preventiva de mulheres que amamentam por prisão domiciliar. O texto também determina essa substituição em casos de gestantes e mulheres com filhos menores de 12 anos. Se aprovada, a proposta seguirá para a Câmara dos Deputados.

Pelo Código de Processo Penal, os casos atualmente previstos são: maiores de 80 anos; pessoas debilitadas por doenças graves; pessoas imprescindíveis aos cuidados especiais de alguém menor de idade ou com deficiência; gestantes; mulheres com filhos de até 12 anos incompletos e homens, quando forem os únicos responsáveis pelos cuidados de filhos de com até 12 anos de incompletos. O texto troca “poderá substituir” por “substituirá”, o que torna obrigatória a substituição.

Constituição

Há, ainda, a previsão de ser colocada em votação a proposta de emenda à Constituição (PEC) que padroniza as referências a pessoas com algum tipo de limitação física ou intelectual. O texto substitui em dez artigos constitucionais expressões como “pessoa portadora de deficiência” ou “portador de deficiência” por “pessoa com deficiência”.

A proposta foi aprovada em primeiro turno e agora segue para mais uma etapa de discussão antes da votação em segundo turno. Se aprovada, seguirá para a Câmara dos Deputados.

Agência Brasil

Presidentes de Poderes se reúnem para tratar da reforma da Previdência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, recebe hoje (16), os chefes dos três Poderes em um encontro na residência oficial da Casa. Foram convidados para um almoço, às 13h os presidentes da República, Jair Bolsonaro; do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli; e do Senado, Davi Alcolumbre. Entre os assuntos da pauta está a reforma da previdência e a mudança nas regras na aposentadoria dos militares.

Ontem, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o deputado federal Felipe Francischini (PSL-PR), que vai comandar a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A tramitação da reforma da Previdência começa no colegiado, que analisa a admissibilidade da Proposta de Emenda Constitucional (PEC).

Segundo o líder do governo, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), cinco nomes são considerados para relatoria da medida. Sem adiantar nomes, para não gerar “ansiedades”, o deputado disse que os candidatos ao posto pertencem a partidos variados e são todos favoráveis à admissibilidade da PEC.

A escolha do relator é uma atribuição do presidente da CCJ. Segundo Francischini, será adotado um critério técnico nessa definição. “O critério que eu vou adotar é estritamente técnico, tem que ser uma pessoa com ampla capacidade jurídica e, de preferência, que tenha uma experiência já na Casa”, afirmou.

A primeira reunião da CCJ será na próxima terça-feira (19), mas o presidente do colegiado descartou iniciar os debates sobre a reforma da Previdência antes da apresentação, pelo governo, do projeto de lei que altera as regras na aposentadoria dos militares. “A primeira reunião vai ser uma pauta com itens normais, principalmente itens que já estavam na pauta do ano passado. A gente vai aguardar a vinda dos projetos dos militares para que possamos, então, designar o relator e ele possa preparar seu voto”, disse Francischini.

Senado

O presidente do Senado criou uma comissão especial para acompanhar a tramitação da reforma da Previdência na Câmara. A instalação do colegiado está prevista para a próxima terça-feira (19). A comissão é composta por nove titulares com igual número de suplentes e será presidida pelo senador Otto Alencar (PSD-BA), com relatoria do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

O objetivo da comissão é mostrar aos deputados as divergências e expectativas dos senadores para que o texto seja aprovado na Câmara com os principais pontos já pacificados. Como proposta de emenda constitucional não tem Casa revisora enquanto sofrer alteração de mérito, o texto passa da Câmara para o Senado e vice-versa, até que não seja mais modificado. Para evitar esse vai e vem da PEC, a ideia é que os senadores aprovem o texto analisado pelos deputados.

Agência Brasil

Comments

Mega-Sena pode pagar R$ 11 milhões daqui a pouco

Apostadores que acertarem as seis dezenas do concurso 2.134 da Mega-Sena dividirão um prêmio que, segundo a Caixa, pode chegar a R$ 11 milhões. O sorteio ocorrerá as 20 horas de hoje (16), em Itupeva (SP).

Se aplicado na poupança, investimento mais conservador do mercado, o prêmio renderia quase R$ 41 mil por mês. A aposta mínima na Mega-Sena custa R$ 3,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília), em qualquer uma das mais de 13 mil casas lotéricas do país.

Na quarta-feira (13), nenhum apostador acertou os seis números do concurso 2.133. As dezenas sorteadas foram 19, 20, 26, 51, 52 e 57. Mesmo sem aposta contemplada com o prêmio principal, na segunda faixa, com cinco acertos, 32 apostas receberam o prêmio de R$ 58.792,56 cada. Outras 2.790 apostas acertaram quatro números e levaram R$ 963,31 cada.

Comments

Lava Jato completa cinco anos com novo juiz, mudanças nas equipes de investigação e polêmica sobre fundo

A Operação Lava Jato completa cinco anos neste domingo (17) com novo juiz, mudanças na composição das equipes de investigação da Polícia Federal (PF) e a polêmica sobre a criação de um fundo com R$ 2,567 bilhões devolvido pela Petrobras devido a um acordo fechado com as autoridades norte-americanas.

Da deflagração da primeira fase, em uma segunda-feira de 2014, decorreram outras 59 etapas, 49 sentenças e mais de 150 condenados. Ao todo, R$ 13 bilhões são alvo de recuperação por meio de leniências, acordos e Termos de Ajustamento de Conduta (TAC).

Mudanças na Justiça

Depois de mais de quatro anos e meio como o juiz frente às ações penais da Lava Jato do Paraná, na primeira instância, Sérgio Moro pediu exoneração do cargo ao aceitar o convite do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Desde a deflagração da operação, a 13ª Vara Criminal de Curitiba passou a julgar exclusivamente processos decorrentes da operação, mas permaneceu com aqueles que já tramitavam antes da Lava Jato.

De 2014 até deixar o cargo, Moro sentenciou 45 processos da operação. Entre os condenados pelo juiz federal, que teve sua imagem retratada em bonecos infláveis gigantes durante manifestações contra a corrupção, estão doleiros, ex-diretores da Petrobras, empresários ligados a grandes empreiteiras do país, ex-deputados federais e um ex-presidente da República.

Foi Moro quem condenou Luiz Inácio Lula da Silva pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro, no caso do triplex em Guarujá. A sentença foi confirmada na segunda instância e levou o ex-presidente à prisão, em abril de 2018. Lula nega as acusações.

A juíza substituta Grabriela Hardt assumiu os processos da Lava Jato interinamente após o pedido de afastamento de Moro. A primeira sentença dela foi publicada três dias após o pedido de exoneração de Moro.

Entre as quatro sentenças de Hardt no período em que esteve frente à 13ª Vara Federal de Curitiba, está a que condenou Lula pela segunda vez na Lava Jato, no caso do sítio de Atibaia. O ex-presidente disse que é inocente e que vai recorrer.

Em resposta à sentença, as defesas, o MPF e a assistência de acusação pediram algumas alterações no texto. Um dos erros apontados foi o fato de a magistrada ter colocado, em um trecho do documento, o termo “apartamento” no lugar de “sítio”.

Em documento publicado 22 dias após a sentença, Hardt atribuiu o erro ao fato de ter usado, como “modelo” para a redação daquele trecho específico, o texto referente ao triplex do Guarujá.

“Acato apontamentos feitos pelas partes, corrigindo omissões e erros materiais, justificando-os pelo excesso de volume de trabalho durante o período de elaboração da sentença, boa parte do qual exigindo urgência desta magistrada em razão do número de investigados/réus presos em inquéritos e ações penais em tramitação, com a concomitante redução momentânea do número de servidores na unidade”, diz o documento.

Em 6 de março, o juiz federal Luiz Antônio Bonat assumiu a 13ª Vara Federal de Curitiba. Entre os 25 candidatos inscritos para o lugar de Moro frente aos processos da Lava Jato, Bonat, de 64 anos, era o que tinha mais tempo de magistratura – ingressou em 1993. Ele deixou a 21ª Vara Federal, também em Curitiba, especializada em casos da área previdenciária.

O magistrado herdou 41 processos criminais em andamento, 12 dos quais já passaram pela fase de instrução e aguardam a sentença.

Na primeira audiência da Lava Jato, um dia após ter assumido, Bonat ouviu os depoimentos do doleiro Alberto Youssef, do ex-diretor da Odebrecht Fernando Migliaccio e da auditora fiscal da Receita Federal do Brasil (RFB) Ana Paula Souza da Silva, na ação que apura superfaturamento na construção de uma sede da Petrobras em Salvador.

Outro nome que deixou Curitiba com Moro foi Flávia Maceno Blanco, que durante a Lava Jato o assessorou. Ela foi diretora de secretaria na 13ª Vara da Justiça Federal e, atualmente, é chefe de gabinete do ministro.

Mudanças na PF

A PF em Curitiba, onde três equipes atuam exclusivamente na Lava Jato, teve alterações significativas de pessoal neste ano. Ao menos cinco nomes deixaram a capital paranaense, a maioria rumo a Brasília:

– Igor Romário de Paula, que coordenava a Lava Jato, deixou a Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado para ser diretor de Combate ao Crime Organizado da PF.
– Roberval Ré Vicalci deixou o cargo de diretor-executivo da PF no Paraná para assumir o cargo de diretor de Administração e Logística Policial da PF.
– O chefe da perícia em Curitiba, Fábio Salvador, foi nomeado diretor Técnico-Científico da PF em Brasília.
– Já o delegado Felipe Hayashi assumiu um cargo do Governo do Paraná.
– Maurício Valeixo deixou a superintendência da PF no Paraná e assumiu como diretor-geral da PF.

No lugar de Valeixo, assumiu Luciano Flores, que já tinha atuado em fases importantes da Lava Jato e avalia como positivas as mudanças ocorridas na equipe. Em entrevista ao G1, Flores disse que espera chegar, em 2019, a 50 profissionais trabalhando exclusivamente na operação.

“Então, se nós conseguirmos atingir esse objetivo, de pessoas que têm perfil para isso, de formar entre oito a dez equipes policiais, nós chegaríamos a um número de 50 profissionais dedicados exclusivamente à Lava Jato em Curitiba. Esse seria um número ideal para que a gente pudesse dar vazão às nossas necessidades”, declarou.

Flores falou sobre a necessidade de realização de concursos públicos para a contratação de policiais e de agentes administrativos para atender a demanda da PF. Ele disse acreditar que o ministro da Justiça e da Segurança Pública Sérgio Moro, que atuou por mais de quatros anos como juiz da operação, tem conhecimento das carências da corporação.

O G1 entrou em contato com o Ministério da Justiça e Segurança Pública para saber se há previsão de realização de concurso público para contratação de policiais e agentes administrativos e aguarda retorno.

Superintendente da PF do Paraná espera ter até 50 servidores atuando exclusivamente na Lava Jato em 2019: veja aqui a entrevista completa
A polêmica do fundo privado da Lava Jato
A força-tarefa da Lava Jato do MPF do Paraná se envolveu, recentemente, em uma polêmica sobre a criação de um fundo privado bilionário para gerir recursos recuperados na operação.

O projeto previa a constituição de uma fundação de direito privado para destinar parte dos recursos a iniciativas sociais, em áreas como saúde, educação e meio ambiente.

O primeiro passo foi dado em 25 de janeiro, quando a Justiça Federal homologou acordo entre MPF e Petrobras na qual a estatal se comprometeu a depositar US$ 682,56 milhões como restituição dos crimes identificados na Lava Jato. Em 30 de janeiro, a Petrobras depositou o equivalente em reais (R$ 2,567 bilhões) em conta vinculada à 13ª Vara Federal de Curitiba, que julga os casos da operação.

Desse valor, cerca de R$ 1,25 bilhão seria aplicado em um fundo patrimonial gerido por uma fundação independente e distribuídos os rendimentos para projetos de combate à corrupção e promoção da cidadania e da integridade.

G1

Movimentos de direita organizam ato contra o STF neste domingo

Os movimentos de direita do Rio Grande do Norte vão voltar às ruas em Repúdio ao STF e em defesa da Operaçã o Lava Jato. Ato será realizado na tarde deste domingo (16), em várias cidades, e faz parte do movimento nacional #OSTFéUmaVergonha

Em Natal o ato está marcado para às 15h no cruzamento das avenidas Senador Salgado Filho e Bernardo Vieira, em frente ao Shopping Midway Mall.

Em Ceará Mirim, será na Praça de Vargos, as 15h, organizado pelo Movimento Força Popular.

O ato organizado pelo Movimento Brasil Livre, Força Democrática, Endireita Natal, Puro sangue, força popular e Grupo Radar-RN tem o objetivo de chamar atenção para os desmandos do Supremo Tribunal Federal e pressionar para que a decisão do Supremo seja mudada, apoiando o pacote anticrime do Ministro Sérgio Moro e a CPI da Lava Toga. Para Carlos Reny do Grupo Força Democrática “não podemos perder tudo que conquistamos até agora com a lava jato”

Fonte: Blog do BG

 

LOCAIS

Natália Bonavides emite nota sobre sua participação em ato do MST de Goiás

A deputada federal Natália Bonavides, que participou essa semana de uma ocupação do Movimento dos Sem Terra (MST) em Goiás, emitiu uma nota sobre a participação no ato. Ela lembrou que o ato não causou prejuízo à atividade parlamentar e que o dono da terra em que ela protestou é João de Deus, acusado de praticar abuso sexual contra 255 mulheres.


Confira a nota na íntegra

João de “Deus” é o dono da terra ocupada pelo MST dia 13 de março, em manifestação de combate à violência sexual contra mulheres. O latifúndio improdutivo do criminoso fica em Anápolis, próximo a Brasília. João de “Deus” é acusado de praticar abuso sexual contra pelo menos 255 mulheres, desde crianças de 9 anos de idade a idosas de 67. São relatos de centenas de brasileiras e estrangeiras, que, ao buscarem ajuda espiritual, foram não apenas enganadas, mas vítimas de crime sexual. Uma delas chegou a ser abusada 20 vezes!

O Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra ocupou o latifúndio de João de “Deus” como forma de denunciar as violências sexuais sofridas por mulheres e pleitear reforma agrária. A Justiça também decretou a prisão do “médium” por posse ilegal de armas de fogo. O Ministério Público e a Polícia também apuram denúncia de lavagem de dinheiro. Apoiamos a manifestação, que ocorre no mês de março, mês de luta pelos direitos das mulheres.

A participação de Natália no ato, próximo a Brasília, se deu sem prejuízo de nenhuma sessão deliberativa e sem qualquer utilização de recursos públicos ou de cota parlamentar.

Presidente do PSC explica que intervenção no RN segue apenas rito burocrático, mas apoio a Renato Fernandes

O presidente nacional do PSC, pastor Everaldo Dias Pereira, garantiu apoio a Renato Fernandes para continuidade na presidência da legenda no Estado. De acordo com ele, a intervenção atende apenas a um rito burocrático, já que o diretório estadual teve problemas nas prestações de contas de 2015 e 2016.

“O que aconteceu [na última sexta-feira] foi uma reunião tendo em vista uma desorganização, em que a culpa nem é do Renato. Uma situação administrativa de ter que regularizar o partido e que coloquei o Heber [Santana], terceiro vice-presidente nacional, como um supervisor-interventor, até regularizar, pois eu não posso estar aí toda a hora. Heber mora na Bahia e é mais fácil se deslocar para aí”, disse.

As contas a que se refere o pastor Everaldo são de 2015 e 2016. Elas foram reprovadas e precisam ser regularizadas. Nesse período, o presidente do partido era o ex-vereador de Natal, Adenubio Melo.

Ao que tudo indica, ao final das intervenção e regularização das contas do diretório estadual, o PSC deve voltar para as mãos de Renato Dantas.

Boate pega fogo em Pau dos Ferros

Uma boate pegou fogo na madrugada deste sábado (16) em Pau dos Ferros, cidade do alto Oeste potiguar. A cozinha do Coliseu Pub House ficou destruída, mas não houve registro de feridos.

Acredita-se que o fogo tenha começado na cozinha, onde um botijão de gás teria explodido. Porém, o caso ainda está sendo investigado.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o trabalho de combate às chamas durou cerca de 30 minutos. Ao perceber as chamas, funcionários e clientes deixaram o local rapidamente, e não houve registro de atendimentos ou socorro médico.

G1

 

Deixe uma resposta