PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

Por G1

20/09/2019 02h00  Atualizado há 14 segundos


INTERNACIONAIS

Nova ofensiva saudita

Arábia Saudita ataca a cidade portuária de Hodeida, no Iêmen

Arábia Saudita ataca a cidade portuária de Hodeida, no Iêmen

A coalizão liderada pela Arábia Saudita iniciou nova operação militar ao norte da cidade portuária de Hodeida, no Iêmen, contra o que descreveu como “alvos militares legítimos”. A ofensiva ocorre em meio à crise internacional gerada pela destruição de instalações petroleiras na Arábia Saudita. Os rebeldes houthis – apoiados pelo Irã na Guerra do Iêmen e que ocupam Hodeida – reivindicaram a autoria dos ataques de sábado, mas os governos saudita e norte-americano sugerem que o regime iraniano esteja por trás da ação.

Mulheres e o futebol no Irã

Mulheres iranianas torcem para poder frequentar estádios

Mulheres iranianas torcem para poder frequentar estádios

Impedidas de ir aos estádios, mulheres do Irã assistem a jogos de futebol em shoppings e cafés. Essas jovens torcedoras pintam os rostos com a bandeira do país e sorriem com alegria. Nesses locais, elas torcem pela seleção iraniana em telões com outros torcedores – do sexo masculino.

Mulheres iranianas são banidas dos estádios em jogos de futebol masculino no país desde a Revolução Islâmica de 1979. E o tema atraiu olhos de todo o mundo após uma torcedora atear fogo nela mesma ao ser presa por assistir a uma partida entre dois clubes do Irã.

NACIONAIS

Novas regras eleitorais

Projeto que muda regras eleitorais está com Bolsonaro para sanção

Projeto que muda regras eleitorais está com Bolsonaro para sanção

A cúpula do Congresso Nacional acompanha com lupa os movimentos de Jair Bolsonaro em relação ao projeto que estabelece novas regras eleitorais. Parlamentares ouvidos por Andréia Sadi avaliam que, se o presidente vetar trechos considerados essenciais, poderá abrir uma crise com o Poder Legislativo.

Entre outros pontos, a proposta cria um fundo eleitoral sem valor definido para financiar as campanhas do ano que vem. Para alguns parlamentares, o presidente até pode vetar um trecho ou outro do projeto sem grandes consequências para os trabalhos com o Legislativo. Mas há preocupação com um eventual veto ao ponto tido como fundamental: justamente o que trata do fundo.

Podcast Papo de Política: descompasso entre Alcolumbre e Maia

No episódio desta semana, Natuza Nery, Andréia Sadi e Julia Duailibi falam sobre o desacordo entre os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, que agrada o governo. Afinados desde o primeiro momento, Maia e Alcolumbre agora são lançados a uma disputa por protagonismo entre deputados e senadores. O Papo de Política conta os bastidores dessa relação e do interesse do governo Bolsonaro na divisão dos dois aliados. Ouça:

Podcast O Assunto: caso Flordelis

As contradições do caso Flordelis e como a deputada passou a ser suspeita da morte do marido. A deputada federal Flordelis estava com o pastor Anderson do Carmo, marido dela, quando ele foi assassinado. Os dois chegavam em casa, em Niterói, quando ele foi atingido por vários tiros. O jornalista Felipe Freire conta as várias versões para o crime – e como a deputada passou a ser suspeita. Ouça:

Fumaça de queimadas

Mapa mostra ventos que levam monóxido de carbono para São Paulo e norte do Paraná. — Foto: Reprodução / Windy.com

Mapa mostra ventos que levam monóxido de carbono para São Paulo e norte do Paraná. — Foto: Reprodução / Windy.com

Os ventos úmidos que sopram da Amazônia para as regiões Sul e Sudeste trouxeram fumaça de queimadas para diversas cidades de São Paulo e Paraná. A fumaça é oriunda de focos de fogo no Cerrado e na Amazônia, mas também de países vizinhos como Bolívia, Peru e Paraguai. O fenômeno foi verificado na quarta-feira (18) e chegou à cidade de São Paulo ontem.

Tragédia da Vale

A Polícia Federal indiciou, na noite de quinta-feira (19), sete funcionários da mineradora Vale e seis membros da consultora TÜV SÜD pelos crimes de falsidade ideológica e uso de documentos falsos. As duas empresas também foram indiciadas.

As ações são resultado de uma primeira parte das investigações sobre o rompimento da barragem I, da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, em 25 de janeiro deste ano, que deixou, até o momento, 249 mortos e 21 pessoas desaparecidas.

Desbloqueio de recursos

O Ministério da Economia divulga relatório de receitas e despesas do orçamento de 2019. A expectativa é de liberação de recursos aos ministérios de, ao menos, R$ 8,3 bilhões. O governo já informou que deverá recompor os valores para o pagamento de bolsas do CNPq.

Visita animal

Menino recebe visita de cavalo em porta de hospital no ABC paulista

Menino recebe visita de cavalo em porta de hospital no ABC paulista

O menino Yuri Maia, de 7 anos, está internado para tratar osteomielite na perna esquerda há mais de duas semanas. Neste período ele passou por duas cirurgias em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. O tempo de internação até receber alta só deve acabar em dez dias, segundo projeções médicas. Apesar de toda a dificuldade que o garoto passa com a rotina hospitalar, ele nunca deixou de lado a paixão que tem por cavalos.

Foi pensando em animar um pouco mais a recuperação de Yuri que uma equipe multidisciplinar do hospital resolveu surpreender o menino com a visita inusitada de um cavalo, na verdade, da égua Lady Bela, da raça Paint Horse.

Cinema

Quinto filme da série "Rambo" é o destaque nas estreias da semana no cinema

Quinto filme da série “Rambo” é o destaque nas estreias da semana no cinema

‘Rambo: Até o Fim’, ‘Midsommar’ e novo ‘Asterix’ são os filmes da semana. Fim de franquia com Stallone, terror moderno e clássico francês são destaques nos cinemas. Veja os trailers e o comentário do G1.

Rock in Rio

Bruce Dickinson pula durante show do Iron Maiden na turnê Legacy of the Beast — Foto: Divulgação / Rock in Rio

Bruce Dickinson pula durante show do Iron Maiden na turnê Legacy of the Beast — Foto: Divulgação / Rock in Rio

A única atração principal do Rock in Rio 2019 mais ouvida no Brasil que em qualquer outro país do mundo é o Iron Maiden. O grupo de metal lidera no Palco Mundo o índice de “brasilidade” (porcentagem de ouvintes brasileiros na audiência total no YouTube – 13,8%).

A lista comprova a força relativa do heavy metal no Brasil. O dia dedicado ao estilo é o que tem bandas estrangeiras com nível mais alto de ouvintes nacionais – além do Iron, Scorpions (10%) e Helloween (8,4%). Veja levantamento do G1.

E mais:

Whitesnake: Como será o show no Rock in Rio 2019?

Whitesnake: Como será o show no Rock in Rio 2019?

David Coverdale lembra voo bêbado com Freddie Mercury e jingle de cigarro no 1º Rock in Rio. Líder do Whitesnake, que volta ao Rock in Rio, relembrou 1985, que teve convite surpresa, voo com o Queen, “ataques” de mulheres em hotel e jingle com músicos do Roupa Nova.

Friends

Joey (Matt LeBlanc) em 'Friends' e Roberto Gómez Bolaños em 'Chaves' — Foto: Divulgação

Joey (Matt LeBlanc) em ‘Friends’ e Roberto Gómez Bolaños em ‘Chaves’ — Foto: Divulgação

O que “Friends” e “Chaves” têm em comum? Seriado mexicano criado nos anos 70 e a série americana, que completa 25 anos neste domingo, têm muito em comum. Autor de livro sobre ‘Friends’ explica fenômeno.

Primeiras impressões

Chevrolet Onix Plus Premier — Foto: Guilherme Fontana/G1

Chevrolet Onix Plus Premier — Foto: Guilherme Fontana/G1

Um dos 10 carros mais mais vendidos do Brasil, o Chevrolet Prisma acaba de “subir na vida”. Nascido em 2006 como um sedã de entrada baseado no espartano Celta, ele passou a integrar a linha Onix em 2013.

Agora, o modelo chega à uma nova geração com status global, mecânica moderna e equipamentos até então só vistos em categorias superiores. Mudou inclusive de nome: Onix Plus.

Disponível a partir de R$ 54.990 na versão LT com motorização 1.0 aspirada, o Onix Plus pode chegar a R$ 76.190 no pacote Premier II com motor turbo. Veja a análise completa

Seleção Brasileira

O técnico Tite — Foto: Reprodução / SporTV

O técnico Tite — Foto: Reprodução / SporTV

Depois do empate com a Colômbia e a derrota para o Peru nos amistosos de setembro, o técnico Tite volta a chamar a Seleção Brasileira nesta sexta-feira, às 11h. A lista de 23 convocados será para as partidas amistosas contra Senegal e Nigéria, que serão disputadas em Cingapura, na Ásia, nos dias 10 e 13 de outubro.

Curtas e Rápidas:

Previsão do tempo

Veja a previsão do tempo para a sexta-feira (20)

Veja a previsão do tempo para a sexta-feira (20)

Fonte: G1

 

Por Blog do BG

‘Gabinete da raiva’ perde espaço no Planalto após alta da reprovação de Bolsonaro

Com digitais na queda de dois ministros de Jair Bolsonaro (PSL), o chamado “gabinete da raiva” do Palácio do Planalto tem perdido protagonismo em um processo de redistribuição de forças das alas que cercam o presidente.

A estratégia de radicalização defendida pelo grupo, tutelado pelo vereador licenciado Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), vem sofrendo reveses desde que pesquisas começaram a apontar erosão da popularidade do presidente.

O bunker ideológico está instalado numa sala no terceiro andar do Palácio do Planalto, a poucos passos do gabinete presidencial.

Tercio Arnaud Tomaz, 31, José Matheus Salles Gomes, 26, e Mateus Matos Diniz, 25, chegaram ao governo com o objetivo de manter viva a militância digital responsável por alçar Bolsonaro à Presidência.

Com forte ligação com o filho 02, o trio passou a conquistar cada vez mais a confiança do presidente e a ditar, em momentos-chave, o comportamento do “mito”, nome a que se referem ao presidente até hoje e que é usado pelos seus simpatizantes.

Para integrantes do núcleo moderado, entre eles a cúpula militar, parte do aumento da reprovação para 38%, apontada pelo Datafolha no início deste mês, deve-se à sucessão de declarações polêmicas de Bolsonaro em julho. A avaliação dessa ala palaciana é a de que o mandatário acabou sendo a principal vítima de seus ataques.

Naquele mês, dizem, o presidente foi estimulado pelo gabinete a entrar numa escalada de radicalização, com o objetivo de acenar a seus apoiadores mais fiéis. A tese do grupo ideológico é a de que ele não pode abandonar o tom de confronto que dominou a tônica de sua campanha eleitoral.

De acordo com relatos feitos à Folha, eles tiveram papel determinante, por exemplo, na decisão de o presidente cancelar, de última hora, uma reunião com o ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian, no fim de julho. A ideia de Bolsonaro aparecer, em seguida, em uma transmissão ao vivo nas redes sociais cortando o cabelo, foi atribuída a eles.

O episódio acabou marcando o início da crise diplomática com o governo francês de Emmanuel Macron.

Há alguns dias, foi divulgada uma conversa em que Macron reclama do episódio com o presidente chileno, Sebastián Piñera. “Isso não é a atitude de presidente”, disse o francês.

Sob a influência de Arthur Weintraub, assessor especial da Presidência e irmão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, o trio está na linha de frente do grupo que estimula Bolsonaro a ir para o confronto.

Procurado pela Folha, o Planalto informou que o grupo possui “alguma relação de trabalho” com Bolsonaro por “demanda dele” e que ela é pautada na “ética” e na “confiança”. Os servidores federais, diz a nota, repassam eventualmente avaliações e diagnósticos diretamente ao presidente.

Em nota, o Planalto afirmou ainda que Weintraub desempenha atribuições inerentes ao cargo e que os integrantes do gabinete “não recebem orientações ou ordens externas”.

Folha enviou uma solicitação ao gabinete do vereador licenciado Carlos Bolsonaro, mas não obteve resposta.

Até o dia 29 de julho, no entanto, o setor moderado não valorizava a influência do “gabinete da raiva” sobre o presidente. Os assessores sempre foram tratados com certo menosprezo pelo núcleo duro. Com salários que variam de R$ 10 mil a R$ 13,6 mil, os três eram tidos como jovens e inexperientes demais para influenciar a cabeça de quem ocupou o cargo de deputado federal por sete mandatos.

Antes, porém, já vinham dando demonstrações de que tinham extrema interferência no dia a dia do governo.

A pressão sobre Bolsonaro para a queda de dois ministros, Gustavo Bebianno (Secretaria Geral) e Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo), é atribuída ao grupo, que turbinou a ofensiva para derrubá-los após os dois terem se envolvido em cizânia pública com o filho 02 —no caso de Bebianno, em meio ao escândalo de candidaturas laranjas do PSL revelado pela Folha.

Desde então, o tratamento dispensado pelo trio do “gabinete da raiva” a auxiliares de Bolsonaro é sempre em tom de ameaça. Funcionários do Planalto relatam que já receberam mensagens como “o Carlos não vai gostar disso”, em referência ao vereador, e “você se lembra o que aconteceu com Santos Cruz e Bebianno”.

A última vítima do bunker palaciano foi o ex-secretário de imprensa do Planalto Paulo Fona, que tinha o apoio do atual ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, e ficou apenas seis dias no posto, caindo em agosto.

Antes mesmo de o jornalista ser nomeado, mensagens contra a sua indicação foram disparadas a auxiliares presidenciais. Nas redes sociais e em sites e blogs ligados à direita, houve uma enxurrada de críticas ao histórico profissional de Fona, que atuou para quadros do MDB, do PSDB e do PSB.

Desde o início deste mês, com a mudança de postura do presidente, as orientações do “gabinete da raiva” têm passado por uma espécie de filtro antes de atingir Bolsonaro em cheio. A ala moderada brinca que, a partir de agora, o grupo passou a tomar Lexotan, medicamento indicado para tratamento de ansiedade.

Além da queda de popularidade, a pressão de grupos econômicos diante das declarações intempestivas fizeram com que o presidente passasse a ouvir mais atentamente outro trio: os ministros Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) —este último, dizem palacianos, tem sido o principal contraponto ao grupo.

Segundo relatos feitos à Folha, desde a ascensão do novo triunvirato as redes sociais têm sido usadas para atacar Ramos e Oliveira, que se queixam em caráter reservado.

A tentativa de blindagem ao presidente, dizem pessoas próximas ao grupo ponderado, deve ficar mais clara no discurso de abertura da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas, no dia 24, em Nova York.

De acordo com esses aliados, Bolsonaro tem estado mais aberto a seguir a liturgia do cargo. A expectativa é a de que na ONU ele faça, mesmo que seja à sua maneira, um aceno à democracia, com duras críticas ao regime ditatorial de Nicolás Maduro na Venezuela.

Antes de ascender ao Planalto, Tercio Arnaud Tomaz e José Matheus Salles Gomes trabalharam na campanha presidencial. A ala que menospreza o trio diz que, na corrida eleitoral, a principal função deles era a de carregar as câmeras.

Eles se aproximaram da família por causa dos perfis que administravam nas redes sociais em apoio a Bolsonaro —entre eles o “Bolsonaro Opressor 2.0”, ativo até hoje.

CONHEÇA O BUNKER IDEOLÓGICO DO GOVERNO

Integrantes 

  • Tercio Arnaud Tomaz, 31
  • José Matheus Salles Gomes, 26
  • Mateus Matos Diniz, 25

Perfil 
Com forte ligação com Carlos Bolsonaro, filho do presidente, trio é considerado jovem e inexperiente. Tomaz e Gomes se aproximaram da família por causa dos perfis que administravam nas redes sociais em apoio a Bolsonaro —entre eles o “Bolsonaro Opressor 2.0”, ativo até hoje

Onde atuam 
Grupo está instalado no terceiro andar do Palácio do Planalto, a poucos passos do gabinete presidencial. Os salários variam de R$ 10 mil a R$ 13,6 mil

FOLHAPRESS

 

Vencedores do bolão da Mega-Sena vão fazer doações para a Vigília Lula Livre

Vencedores do bolão da liderança do PT na Câmara pretendem fazer doações para a Vigília Lula Livre, em Curitiba. O dinheiro da Mega-Sena, no entanto, não deve ser usado pelos novos milionários para viver de renda. A maior parte diz que não vai largar o emprego.

Em meio a piadas e memes, quem não participou do bolão tenta encarar a situação com bom humor. “Paciência. Tem que trabalhar a cabeça para prevalecer a alegria pela sorte da galera”, afirma Rogério Tomaz, coordenador da comunicação da liderança do PT e um dos que não ficaram ricos.

PAINEL FOLHA

Comments

Salas de cinema do Recife recusam exibição de filme do MBL sobre impeachment

Apoiadores do MBL no Recife tentaram exibir em salas de cinema o documentário do movimento sobre o impeachment de Dilma Rousseff (PT), “Não Vai Ter Golpe”. Receberam resposta negativa após revelarem qual seria o filme.

A rede UCI respondeu não poder alugar a sala por não ser “atividade autorizada em nosso contrato de locação”. Já no Cinemark, um funcionário afirmou que a rede não exibe filmes políticos. A empresa, no entanto, declara que nenhum funcionário seu recusou o pedido.

PAINEL FOLHA

Comments

Ação da PF contra senador irrita aliados e põe em xeque articulação do governo Bolsonaro

A operação da Polícia Federal na manhã de quinta-feira (19) pôs em xeque o principal articulador do governo Jair Bolsonaro no Senado, irritou aliados e deixou o Palácio do Planalto preocupado com o andamento da agenda que conduz no Congresso.

O alvo da PF, que acumula atritos com Bolsonaro nos últimos meses, foi o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do governo na Casa e que deixou seu cargo à disposição do presidente.

As buscas e apreensões em endereços ligados a Bezerra e ao deputado Fernando Filho (DEM-PE), filho dele, em Brasília e Pernambuco, foram autorizadas pelo ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal).

A decisão é de 9 de setembro e atende a um pedido da PF. A então procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se manifestou contrária à ação contra o senador.

Sergio Moro, titular do Ministério da Justiça, pasta à qual está subordinada a PF, foi ao Palácio da Alvorada à tarde conversar com Bolsonaro. A Polícia Federal vive uma crise desde que o presidente ameaçou demitir o diretor-geral da instituição, Maurício Valeixo.

A situação criada nesta quinta gera uma nova crise num momento delicado para o governo no Senado.

Além da reforma da Previdência, está nas mãos dos senadores a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, como embaixador do Brasil em Washington.

O governo também pode ficar sem um articulador importante para evitar a derrubada de vetos presidenciais à lei de abuso de autoridade.

A principal reação política ao longo do dia foi do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que criticou a operação e disse que vai questionar oficialmente o STF.

“Há um entendimento no Supremo Tribunal Federal que a operação realizada precisa ter conexão com o mandato. A determinação de um ministro do STF de entrar no gabinete da liderança do governo no Senado… A liderança é um espaço do governo federal. Só que em 2012 e 2014, período a que a operação se refere, Fernando Bezerra não era senador, muito menos líder do governo”, disse Alcolumbre.

As declarações foram dadas no evento “E agora, Brasil?”, organizado pelos jornais O Globo e Valor Econômico.

O presidente do Senado disse que vai defender a Casa como instituição e citou seu esforço para garantir que não haja uma crise institucional entre Legislativo e Judiciário.

Desde o início do ano, Davi Alcolumbre tem segurado reiterados requerimentos para criação de uma comissão parlamentar de inquérito para investigar integrantes do STF, a CPI da Lava Toga.

À noite, Alcolumbre divulgou uma nota em que manifesta perplexidade com a operação, chamando a decisão de Barroso de “grave medida” e “drástica interferência”.

Eduardo Braga (AM), líder do MDB no Senado, também divulgou nota em nome da maior bancada da Casa.

“A independência e autonomia entre os Poderes da República são essenciais para o equilíbrio democrático. Esse equilíbrio não pode ser fragilizado por uma ação extemporânea”, disse Braga.

Nos últimos meses, o ministro Luís Roberto Barroso tem saído em defesa do legado da Lava Jato após recentes críticas à operação.

Em nota, afirmou que a decisão de autorizar a operação “foi puramente técnica e republicana, baseada em relevante quantidade de indícios da prática de delitos”.

Ele ressaltou que a investigação de fatos criminosos pela PF e a supervisão de inquéritos pelo Supremo “não constituem quebra ao princípio da separação de Poderes, mas puro cumprimento da Constituição”.

A PF sustenta que o líder do governo no Senado recebeu R$ 5,5 milhões em propinas de empreiteiras encarregadas das obras de transposição do rio São Francisco e de outros contratos do Executivo federal.

A negociação e o repasse dos valores teriam ocorrido de 2012 a 2014, mas, segundo a PF, Bezerra também teria mantido negociações ilícitas durante o exercício do seu atual mandato, iniciado em 2015.

A negociação e o repasse dos valores teriam ocorrido de 2012 a 2014, mas, segundo a PF, Bezerra também teria mantido negociações ilícitas durante o exercício do seu atual mandato, iniciado em 2015.

[ x ]

De 2011 a 2013, Bezerra Coelho foi ministro da Integração Nacional na gestão de Dilma Rousseff (PT) e integrava o PSB.

Já Fernando, ex-ministro de Minas Energia de Michel Temer (MDB), teria recebido R$ 1,7 milhão.

As investigações da PF se deram a partir das delações premiadas de empreiteiros e dos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, Eduardo Freire Bezerra Leite e Arthur Roberto Lapa Rosal.

As apurações sobre Lyra começaram após a PF descobrir, na Operação Turbulência, que ele era o dono do avião que caiu em 2014, matando o ex-governador pernambucano e então candidato à Presidência pelo PSB, Eduardo Campos.

No decorrer do inquérito, a polícia diz ter identificado supostas operações financeiras ilícitas das empresas dele.

Lyra e os outros dois colaboradores contaram ter feito o “pagamento sistemático de vantagens indevidas” a Bezerra Coelho e ao filho dele por ordem das empreiteiras OAS, Barbosa Mello, Paulista e Constremac Construções, envolvidas nas obras da transposição e em outros projetos do governo federal.

Executivos da OAS fizeram delação e confirmaram as ilicitudes apontadas pela PF.

A pasta da Integração, quando comandada por Bezerra Coelho, era a responsável pelos canais que levam água do rio São Francisco para outras regiões do semiárido.

Para ocultar a origem ilícita dos recursos, pai e filho teriam se valido de operações de lavagem de dinheiro.

A defesa do senador e do deputado disse estranhar que “medidas cautelares sejam decretadas em razão de fatos pretéritos”.

Bezerra Coelho afirmou que Bolsonaro poderia substituí-lo na liderança do governo.

“Quero deixar, desde pronto, o governo à vontade para que, fazendo o juízo da necessidade de um novo interlocutor, que não haverá, da minha parte, nenhuma dificuldade”, disse o senador ao deixar seu apartamento funcional, um dos locais da ação policial em Brasília.

Após conversar com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o presidente do Senado afirmou não haver, ao menos por ora, disposição do governo em substituir Bezerra Coelho no posto de interlocutor na Casa.

A Barbosa Mello disse, em nota, ter disponibilizado todas as informações solicitadas pela PF.

“A empresa reafirma que nunca praticou ou compactuou com práticas ilícitas e segue à disposição das autoridades”, disse.

A Paulista informou que não comentaria. A reportagem não conseguiu contato com os demais investigados ou seus representantes.


PROJETOS DO GOVERNO QUE AGUARDAM APROVAÇÃO NO SENADO

Reforma da Previdência
Depois de ser aprovada na Câmara, a proposta está sendo analisada no Senado. A expectativa é que seja votada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) já na próxima semana. O projeto ainda precisará passar pelo plenário

Aras na PGR
Indicado para a Procuradoria-Geral da República por Bolsonaro, Augusto Aras passará por sabatina na CCJ no próximo dia 25. Depois, sua nomeação precisa ser aprovada no plenário

Eduardo Bolsonaro em Washington
O presidente indicou seu filho, o deputado Eduardo, para o cargo de embaixador em Washington. Para assumir o posto, ele precisará passar por sabatina e ser aprovado pela maioria dos senadores, mas não há data marcada para que isso ocorra

FOLHAPRESS

Comments

Morre Ben Ali, ditador da Tunísia e primeiro a ser deposto pela Primavera Árabe

Morreu nesta quinta-feira, 19, aos 83 anos em Riad, na Arábia Saudita, Zine el-Abidine Ben Ali, o déspota tunisino destituído em 2011 após uma revolta popular que ficou conhecida como Primavera Árabe e ricocheteou no Norte da África e no Oriente Médio. Seu advogado, Mounir Ben Salha, confirmou sua morte. Ben Ali estava sendo submetido a um tratamento contra câncer de próstata.

 

LOCAIS

BOMBA: Reportagem diz que José Agripino recebeu R$ 1 milhão de propina através de assessor em hotel de SP. Henrique Alves também é citado

A Revista CRUSOÉ traz uma reportagem na sua edição desta sexta denominada A LISTA DO DELIVERY DA PROPINA da ODEBRECHT.

Na reportagem a revista enumera a entrega de propina em endereços indicados por políticos por uma transportadora de valores contratada só para este fim realizada pela construtora ODEBRECHT entre os anos de 2013 e 2015 atingindo a bagatela de quase 249 milhões de reais distribuídos.

Entre os políticos que aparecem na reportagem, o ex-senador potiguar José Agripino Maia é destaque tendo recebido duas remessas totalizando R$ 1 milhão de reais. O dinheiro teria sido recebido por um assessor dele em um hotel em SP. O ex-deputado Henrique Alves também é citado mas a revista não da detalhes de valor e endereço.

Segundo a reportagem o codinome do senador era GRIPADO e o intermediário que teria recebido os valores é o primo do senador e assessor de longos anos, Junior Maia.

Junior segundo a reportagem, teria recebido no mesmo dia num hotel que funcionava na rua da Consolação, 2 remessas de R$ 500 mil reais em outubro de 2014.

 

Link da reportagem da CRUSOÉ: https://crusoe.com.br/secao/reportagem/a-lista-do-delivery-da-propina/

 

Presidente da CMN não garante que votação do Plano Diretor saia este ano

O presidente da Câmara Municipal de Natal, Paulinho Freire (PSDB), não garante que a votação da revisão do Plano Diretor da cidade seja ainda este ano, como quer o prefeito Álvaro Dias (MDB). Segundo declarou durante audiência pública nesta quinta-feira (19), os vereadores vão ter “muita paciência para votar o projeto” diante da complexidade do assunto. O principal ponto a ser debatido na revisão do plano vai ser a verticalização da orla de Natal, defendida por Álvaro Dias.

Na semana passada, o prefeito de Natal disse a um grupo de empresários que pretende enviar o projeto de revisão do plano diretor  para a câmara dos vereadores no fim de novembro e pedir uma convocação extraordinária para ser votado durante o recesso parlamentar, entre os meses de dezembro e janeiro. Entretanto, o  presidente Paulinho Freire disse nesta quinta que não vai apressar a votação. “O plano já está atrasado dois anos. Não precisa ter pressa para votar”, ressalvou, lembrando que o plano deveria ter sido revisto em 2017.

Ainda de acordo com Freire, a Câmara vai criar um “fórum de debates” para discutir o projeto. Serão oito sessões. “Isso vai ser tanto para esclarecer vereadores e melhorar o entendimento de cada um, quanto levar também o conhecimento que a população precisa saber como o plano diretor pode atingir o bairro onde mora e a sua vida”.

Um dos vereadores mais experientes da casa, ouvido sob anonimato, acredita que a discussão do plano deve levar cerca de seis meses e, independente de como chegue ao parlamento, vai ter modificações com as emendas parlamentares. O processo que o plano diretor deve passar foi comparado ao do projeto de licitação de transportes, que foi enviado para a Câmara em dezembro de 2017 e aprovado um ano depois, em dezembro do ano passado.

A revisão do Plano Diretor tem cinco etapas. A prefeitura termina a segunda fase nesta sexta-feira, com a realização de audiência pública na zona norte para receber propostas da população. As outras zonas da cidade e segmentos como as instituições de ensino e a classe empresarial já foram ouvidas. Segundo Thiago Mesquita, coordenador do plano diretor, mais de 1.000 propostas foram sugeridas nesse processo.

Para continuar lendo click aqui:

TRIBUNA DO NORTE

Comments

Sexta edição da Meia Maratona do Sol tornou-se uma grande festa pra atletas e não corredores também

Por Breno Perruci/@eaiboracorrer

Neste próximo sábado (21), a capital potiguar será agitada pela 6ª edição da Meia Maratona do Sol que vai reunir mais de 7 mil participantes inscritos, sendo cerca de 3 mil de fora de Natal. Só esses números já denotam a grandeza do evento e resumir essa representatividade apenas ao universo de corredores pode soar como desinformação.

Um acontecimento dessa envergadura mexe com a cidade toda e não só no campo esportivo. Causa impactos diretos no turismo, na economia, nos costumes, e é aí onde quero entrar. É bem verdade que a realização das corridas de rua dentro de uma proposta massificada e profissionalizada é um movimento ainda relativamente recente em se tratando de Nordeste, ainda mais aqui no Estado. Basta ver que a Meia do Sol vai agora pra sua sexta edição apenas.

Em centros maiores do país e por todos os demais continentes já existe uma cultura forte de valorização de corridas assim como símbolos das cidades. As pessoas tomam as ruas pra vivenciar a festa e me refiro aos não corredores mesmo. As famílias vão às calçadas assistir, aplaudir, incentivar, vibrar.

Eu vi e vivi isso pessoalmente no Rio de Janeiro e em Santiago no Chile, por exemplo. E porque não trazer isso pra cá também? É um novo costume saudável para corredores e não corredores que podemos, sim, aos poucos ir incutindo nas nossas tradições. Por que não termos uma grande corrida como um de nossos eventos símbolo?

Neste sábado, escolha seu ponto no percurso da Meia do Sol e vá nos dar essa forcinha. E vale lembrar que terão sete palcos com bandas locais ao vivo tocando durante a prova ao longo do percurso. Tem rock, forró, samba, reggae. Ou seja, além de assistir e viver as emoções de uma prova assim, você ganha uma opção de lazer dançando e se divertindo de uma forma diferente. Pense nisso!

Meia do Sol

Consolidada como uma das mais importantes do país, a prova movimentará a capital potiguar neste sábado (21). Com largada às 16h e chegada na Arena das Dunas, a Meia do Sol conta uma estrutura de nível internacional. Para garantir a qualidade no momento da corrida, aos mais de sete mil atletas que irão correr, mais de 400 pessoas trabalharão durante o evento, em áreas como segurança e assistência aos participantes.

Fonte: Blog do BG

2 comentários em “PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA SEXTA-FEIRA

  • 21 de setembro de 2019 em 07:01
    Permalink

    Adorei as matérias parabéns

    Resposta
    • 21 de setembro de 2019 em 07:04
      Permalink

      Muito boa as matérias, parabéns

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0