Por G1

 

Mesmo esvaziado na véspera do carnaval, o Congresso repercutiu as declarações de Bolsonaro sobre rever alguns pontos da reforma da Previdência. Para alguns parlamentares, é uma chance de facilitar a tramitação do projeto. Já outros não consideram positivo o governo demonstrar que pode ceder antes mesmo da análise na Câmara. E o G1 já está com os tamborins aquecidos para o carnaval! Os blocos de rua dão a largada no Rio; em São Paulo, 7 escolas do grupo especial desfilam no Anhembi. E veja também a folia em Salvador, Olinda e Recife. Tudo ao vivo e em tempo real!

NACIONAIS

Reforma da Previdência

As declarações de Bolsonaro sobre a possibilidade de ceder em alguns pontos da reforma da Previdência repercutiram no Congresso e dividiram líderes partidários. Ontem de manhã, o presidente admitiu que poderia reduzir de 62 para 60 anos a idade mínima para mulheres se aposentarem e rever trecho sobre benefício pago a idosos pobres.

À espera do carnaval para começar a ser discutido na Câmara, o texto é considerado prioritário para a equipe econômica. Para as lideranças políticas, as sinalizações de Bolsonaro podem facilitar ou atrapalhar o andamento do projeto.

Parte dos líderes de partidos consideraram positiva por julgarem que as mudanças facilitarão a tramitação da proposta. Mas houve também quem entendeu como uma sinalização negativa a admissão do presidente de que pode ceder em alguns pontos antes mesmo de a proposta começar a tramitar.

Desenho político

As articulações do governo para a aprovação da reforma foram abordadas ontem à noite pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em entrevista à Miriam Leitão, na GloboNews. Maia afirmou que o governo do presidente Jair Bolsonaro precisa demonstrar se pretende governar com o Congresso Nacional.

“É importante que a gente tenha a referência, porque tendo a referência, a gente vai ter a informação de como o governo pretende dialogar com a Câmara, que tipo de coalizão ou não ele pretende ter com o Poder Legislativo e se ele pretende governar com o Poder Legislativo ou não. Também é uma decisão”, complementou Maia.

Balança comercial

O governo divulga hoje os dados de fevereiro da balança comercial e os indicadores de janeiro da indústria.

Carnaval no Rio

Bloco Carmelitas desfila pelas ladeiras de Santa Tereza, Centro do Rio — Foto: Fernando Maia / Riotur

Bloco Carmelitas desfila pelas ladeiras de Santa Tereza, Centro do Rio — Foto: Fernando Maia / Riotur

Termina hoje o prazo dado pela Justiça do Rio para os bombeiros emitirem laudo liberando a Sapucaí para o carnaval. Ontem, o MP pediu a interdição do Sambódromo. Os desfiles da Série A estão previstos para começar às 22h30, com sete escolas: Unidos da Ponte, Alegria da Zona Sul, Acadêmicos da Rocinha, Acadêmicos de Santa Cruz, Unidos de Padre Miguel, Inocentes de Belford Roxo e Acadêmicos do Sossego.

Blocos

Já nas ruas, a folia já está liberada! Os blocos dão a largada com desfiles em todas as regiões da Cidade Maravilhosa, que hoje completa 454 anos. Até quarta-feira (6), segundo a lista oficial da prefeitura, 295 blocos sairão.

Carnaval em São Paulo

Sete escolas vão desfilar nesta sexta-feira no Sambódromo do Anhembi — Foto: Toninho Cirillo / G1

Sete escolas vão desfilar nesta sexta-feira no Sambódromo do Anhembi — Foto: Toninho Cirillo / G1

Sete escolas do Grupo Especial abrem os desfiles do carnaval 2019 de São Paulo nesta sexta. A primeira noite do carnaval paulista tem transmissão ao vivo pela TV Globo e pelo G1. Os portões serão abertos às 18h e os desfiles começam às 23h15.

Entre os enredos estão homenagens ao Quênia, com uma pitada de ‘Rei Leão’; ao cinema, com um toque de ‘Star Wars’; falam sobre uma lenda africana, a liberdade, guerreiros, sobre o sambista Arlindo Cruz e o pensamento humano. As escolas: Colorado do Brás, Império de Casa Verde, Mancha Verde, Acadêmicos do Tucuruvi, Acadêmicos do Tatuapé, X9 Paulistana e Tom Maior.

E mais:

Blocos em Salvador, Olinda e Recife

G1 mostra a folia nas ruas de Salvador, Olinda e Recife. Na Bahia, a farra está garantida com Saulo Fernandes, Bell Marques, Léo Santana, Claudia Leitte, Anitta, Psirico, La Fúria, Parangolé e Igor Kannário. Em Pernambucoas atrações são a Orquestra Popular do Recife, Belo Xis, Michele Melo, Bia Villa Chan, Luiz de Oliveira, Ronaldinho, Wellington do Pandeiro, Jorge Riba, Maria Pagodinho, Gerlane Gell, Gigantes do Samba, Gerlane Lops, Mariene de Castro, Péricles, Serginho Meriti, Marcelinho Moreira, Maestro Forró, Nena Queiroda, Almir Rouche e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério.

Curtas e Rápidas:

Futebol

  • 16h: Fluminense x Resende

Previsão do tempo

Veja a previsão do tempo para a sexta-feira de Carnaval

Veja a previsão do tempo para a sexta-feira de Carnaval

Fonte: G1

 

Mega-Sena acumula de novo e prêmio chega a R$ 73 milhões

Foto: Arquivo Agência Brasil

O prêmio principal do Concurso 2.129 da Mega-Sena não teve apostas ganhadoras. As seis dezenas sorteadas no Caminhão da Sorte estacionado em Videira (SC) foram: 06 – 12 – 31 – 32 – 46 – 60.

Com isso, o prêmio está acumulado em R$ 73 milhões. O próximo sorteio será realizado no sábado (2 de março).

A quina teve 50 apostas ganhadoras; cada uma vai receber R$ 62.827,80.

Já a quadra saiu para 5113 apostas, que vão receber R$ 877,70 cada.

Mega-Semana de Carnaval

O sorteio dessa quinta-feira(28 de fevereiro)  faz parte da Mega-Semana de Carnaval. O primeiro sorteio ocorreu na última terça-feira (26). No sábado, haverá mais um. Tradicionalmente, os concursos são feitos às quartas e aos sábados.

Os apostadores podem poder fazer seus jogos até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer loja lotérica credenciada pela Caixa, ou pela internet, no site Loterias Online. Clientes com acesso ao Internet Banking Caixa podem fazer suas apostas pelo computador, tablet ou smartphone. Para jogar pela internet, é preciso ter mais de 18 anos de idade. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

Agência Brasil

 

Ministério da Justiça manda PF apurar suposto ataque de militantes contra ministro do Meio Ambiente na BA; MST e o PCO rebatem

 Foto: Reprodução/GloboNews

O Ministério da Justiça e Segurança Pública determinou à Polícia Federal a abertura de inquérito para apurar denúncia feita pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que relatou ter sido alvo de tentativa de agressão por parte de integrantes do Partido da Causa Operária (PCO) e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) durante uma visita à Bahia, na quarta-feira (27). O MST e o partido negam as acusações.

Salles disse que o carro em que estava com servidores públicos foi cercado após solenidade de lançamento da pedra inaugural de concessão para revitalização do Parque Nacional Pau Brasil, em Porto Seguro, no sul do estado e que veículos oficiais foram depredados por manifestantes.

Ele usou o perfil no Instagram para relatar o ocorrido e classificou o episódio como uma “vergonha”.

“Na manhã de hoje, logo após uma bela e comemorativa agenda de Concessão ao setor privado do Parque Nacional Pau Brasil em Porto Seguro -BA, fomos cercados e atacados por membros do MST e do PCO, que agrediram as pessoas e depredaram viaturas oficiais do MMA. Uma vergonha”, escreveu Salles na postagem.

Na postagem, o ministro publicou um vídeo que mostra o momento em que manifestantes se aproximam do carro em que ele estava e também uma foto que mostra um carro com adesivo do governo federal com uma bandeira do PCO estendida na parte da frente e o vidro dianteiro estilhaçado.

Ainda no post, o ministro publicou a foto de um suposto manifestantes que teria relação com o ocorrido.

Conforme relato dos servidores que acompanhavam o ministro, houve momentos de tensão devido à violência dos manifestantes. De acordo com o depoimento colhido pelas autoridades, um dos membros da manifestação chegou a subir no teto do carro oficial, destruindo partes do veículo e, municiado de uma pedra, quebrou o para-brisa, bradando palavras de ordem e palavrões, ameaçando diretamente o ministro Ricardo Salles.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que para identificar os suspeitos, solicitou que a PF, por meio de inquérito, apure o caso como “ameaça e dano qualificado contra um ministro de Estado”.

MST e o PCO rebatem

O MST e o PCO rebateram as acusações do ministro e dos demais servidores que o acompanhavam.

A assessoria de comunicação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra no sul da Bahia divulgou nota em que afirma que repudia o que chamou de “tentativa de criminalização” contra o MST. Disse que os manifestantes realizavam apenas uma manifestação contra a tentativa de privatização do Parque Nacional do Pau Brasil.

A assessoria ainda enviou a imprensa um vídeo com depoimento de Evanildo Costa, da direção nacional do MST na Bahia, sobre o caso.

No vídeo Evanildo diz que “Estamos acompanhando pelas redes sociais mais uma tentativa do governo de criminalizar o MST, mediante a manifestação espontânea que houve da população e diversas organizações no extremo sul da Bahia. As pessoas estavam protestando contra a privatização do parque e em defesa dos indígenas”, disse Evanildo Costa, da direção nacional do MST na Bahia.

“O MST não pratica e nem incentiva a violência, ao contrário, vemos membros do governo incentivando a violência contra os movimentos sociais, quilombolas e indígenas. A gente sabe o tanto de assassinato que já ocorreu nesse país, fruto desse incentivo, tanto de índio, quanto negro, quanto LGBTs. Estamos aqui repudiando essa atitude de violência contra os movimentos e ao mesmo tempo questionando e repudiando todo esse processo de entreguismo, todo esse processo de privatização dos recursos naturais que o governo vem fazendo para o capital financeiro internacional, principalmente”, completou.

O PCO informou que não houve tentativa de agressão contra o ministro e as acusações dele são falsas. O partido divulgou uma nota no site Causa Operária, ligado ao PCO, em que afirma que o carro da comitiva do ministro foi jogado contra os manifestantes que protestavam contra a privatização do Parque.

Além disso, Antônio Carlos Silva, membro da Direção Nacional do PCO, fez uma transmissão ao vivo via YouTube, ainda na quarta-feira, para falar sobre o caso. Ele também negou as acusações de Salles e disse que houve uma “armação” contra os manifestantes.

“Ele fez lá uma cerimônia com assessores, com pessoas que provavelmente tenham interesse na privatização do parque. Quando os manifestantes chegaram, o ministro se retirou do local, foi correndo para o carro com assessores e tentou se evadir do local como um fujão, como uma pessoa, embora sendo um ministro, uma pessoa pública, que se recusa a dar as devidas explicações ao povo. O carro em que o ministro se encontrava se lança contra a multidão. Começa a acelerar, vai de encontro, inclusive ameaçando a vida dos manifestantes”, destacou.

Silva diz que não houve tentativa de agressão.

“Não acontece absolutamente nada que tenha a ver com agressão, como as alegações do ministro. Inclusive, nos vídeos, não há nada que mostre isso, nenhuma foto, nada. Aparece, inclusive nas imagens divulgadas pela imprensa e pelo próprio ministro policiais acompanhando ao lado dos manifestantes. Se tivesse acontecendo alguma coisa que tivesse colocado em risco o ministro, como ele alega falsamente, a polícia tava acompanhando. Não há nenhum enfrentamento, nada disso, apenas o pessoal tentando bloquear a ação agressiva da parte do carro que conduzia o ministro com seus assessores”, destacou.

O diretor do PCO ainda diz que uma bandeira foi roubada dos manifestantes e usada, segundo ele, para “armar” a cena em que o carro oficial aparece com o vidro quebrado.

“momentos depois que o ministro se retira em fuga, atitude covarde, medrosa, que tem medo do povo, medo de conversar com a população, uma bandeira é roubada por parte de alguns policiais. Roubam a bandeira de militantes do PCO que estavam no local, junto com companheiros do MST, de outros setores da esquerda, sindicatos… A bandeira é roubada e aí a gente vai ver algumas horas depois essa bandeira na foto. Se vocês verem a foto postada pelo ministro, é uma armação. O carro está vazio, com a porta aberta, uma bandeira do PCO colocada sobre o carro que supostamente teria o seu vidro quebrado e aparece a acusação do ministro de que tenham sido os manifestantes que fizeram isso daí. O carro foi colocado numa pose para a foto e quem roubou a bandeira, obviamente uma armação da polícia, da segurança do ministro, colocou lá para fazer uma armação e procurar criar uma provocação, numa atitude totalmente de falsificação contra o partido”, disse.

Antônio Carlos Silva ainda nega que o membro do partido cuja foto foi publicada pelo ministro tenha envolvimento com o caso.

“O ministro apresenta aí dossiê com colocações sobre o militante nosso que teria sido responsável por essa atitude, coisa que não houve. Fala de peças quebradas do carro, sendo que o carro se retirou, inclusive, as pressas do local”, destacou.

A assessoria de comunicação do ministro Ricardo Salles disse que não vai divulgar posicionamento sobre o caso, mas pediu que o G1 encaminhasse um email para que o próprio ministro possa falar sobre o ocorrido. A reportagem aguarda um retorno dele.

G1

 

LOCAIS

Contra abuso no tempo de espera, PROCON Natal intensifica fiscalização em bancos; veja agências autuadas

O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon/Natal intensificou a fiscalização junto aos bancos que insistem em desrespeitar os consumidores quanto ao tempo de espera por atendimento, afrontando a Lei Municipal 5.054/1998, que determina que o tempo de espera não pode ser superior a 30 minutos em dias normais ou 45 minutos em vésperas ou após feriados.

O Banco do Brasil sofreu duas autuações, sendo uma na agência do bairro Potengi (conjunto Santa Catarina) e outra na agência da Cidade Alta. Também houve autuação em desfavor da Caixa Econômica Federal da avenida Dr. João Medeiros Filho, na Zona Norte, e no Banco Santander da avenida Engenheiro Roberto Freire. O Bradesco recebeu quatro autuações, três delas apenas na agência da marginal da BR-101 (próximo ao túnel da UFRN), onde o PROCON Municipal constatou durante a fiscalização (foto) que o tempo de espera estava superando, em muito, o permitido pela legislação. Agências dos Correios que atuam como correspondentes bancários também estão sujeitas a mesma legislação e justamente por isso a que fica localizada dentro de um grande supermercado do Conjunto Santa Catarina foi autuada duas vezes.

O Diretor de Assessoria Técnica do PROCON, Vinícius Capuxú, orienta que o consumidor, ao adentrar à agência, solicite a ficha de atendimento e que após o atendimento ser finalizado exija que seja feito o registro do horário de saída na própria ficha.

“Para que o Auto de Constatação seja lavrado, o consumidor pode facilmente comprovar que teve seus direitos consumeristas violados por meio do registro do horário de entrada e de saída na ficha de atendimento. Isso facilita bastante o nosso trabalho. Não é razoável que os bancos ainda utilizem como justificativa o fato de haver considerável aumento da demanda entre as datas entre o final de um mês e o início do outro, pois a lei existe, e é sistematicamente descumprida, há quase duas décadas, de forma que o PROCON/Natal irá se colocar sempre ao lado dos consumidores para coibir esse tipo de abuso”, disse o diretor, que aproveita para comunicar que, por ordem da diretora-geral, as fiscalizações irão se estender por tempo indeterminado.

O PROCON/Natal está à disposição da população natalense, recebendo denúncias presenciais na Rua Ulisses Caldas, 181, na Cidade Alta, mas também pelo WhatsApp 84 98870-3865 e pelo e-mailprocon.natal@natal.rn.gov.br. Também prestamos orientações pelo telefone 84 3232-9050.

 

 

Deixe uma resposta