Por G1

 

A remoção do avião que fechou o Aeroporto de Confins, em Minas Gerais. O início do verão que terá temperaturas acima da média. Prêmio da Mega da Virada chega a R$ 280 milhões. Na retrospectiva do G1, a economia em 2018 representada por 6 gráficos.

NACIONAIS

Susto e atrasos

Avião da Latam que precisou fazer pouso de emergência é retirado da pista

Avião da Latam que precisou fazer pouso de emergência é retirado da pista

pista do Aeroporto de Confins foi liberada 21 horas após o pouso de emergência do Boeing 777 da Latam. O avião decolou com 355 pessoas de Guarulhos (SP) com destino a Londres, mas apresentou problemas elétricos. A interdição provocou 143 cancelamentos e mobilizou equipes e maquinário para remover a aeronave. A operação está normal na manhã de hoje, segundo a concessionária.

Monitor da violência

O Brasil teve, nos primeiros nove meses de 2018, uma redução de 12,4% no número de mortes violentas com relação ao mesmo período do ano passado. É o que mostra um levantamento feito pelo G1 e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública dentro do Monitor da Violência, parceria que conta ainda com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da Universidade de São Paulo (USP).

Pedido de liberdade

Está nas mãos do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, o novo pedido de liberdade de João de Deus. O recurso anterior foi negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O médium é acusado de abuso sexual e cumpre prisão preventiva.

Vem, verão ☀ 🔥

verão começa hoje, às 20h22 (horário de Brasília), com temperaturas acima da média histórica no Brasil. O calorão é consequência do fenômeno El Niño, que também vai impactar o regime de chuvas.

Fezinha 💰🤞

 — Foto: Aloisio Mauricio / Fotoarena / Estadão Conteúdo

— Foto: Aloisio Mauricio / Fotoarena / Estadão Conteúdo

A partir de hoje as apostas da Mega-Sena são exclusivas para o concurso da Virada, cujo prêmio é estimado em R$ 280 milhões. Os demais sorteios serão suspensos até o dia 31 de dezembro.

Retrospectiva

Recuperação lenta do PIB, desemprego ainda elevado e crescimento da informalidade: o G1 mostra em 6 gráficos a economia brasileira em 2018.

Filmes do ano

Os dez filmes que marcaram 2018

Os dez filmes que marcaram 2018

O cinema em 2018 viu um herói se tornar símbolo político e uma comédia romântica ir contra todas as expectativas e despertar paixão nas bilheterias. Nas salas, alguns pediram silêncio e outros cantaram baixinho. Mas todos (ou quase todos) derramaram pelo menos uma lágrima com os dramalhões deste ano. Veja, em vídeo, os 10 filmes que marcaram 2018.

Rodízio suspenso

A Prefeitura de São Paulo suspende hoje o rodízio para veículos de passeio na capital em horário de pico, que volta a vigorar dia 14 de janeiro.

Curtas e Rápidas:

Previsão do tempo

Confira a previsão do tempo para as últimas horas da primavera

Confira a previsão do tempo para as últimas horas da primavera

Hoje é dia de…

  • Dia do Atleta

Fonte: G1

 

Futuro ministro da Cidadania, Osmar Terra propõe limite para venda de bebidas alcoólicas

Por O GLOBO
Há algumas semanas, o médico gaúcho e deputado federalOsmar Terra (MDB-RS), de 68 anos, recebeu de Jair Bolsonaro a missão de controlar um “monstro”. É como se refere à grandeza do futuroMinistério da Cidadania , que concentrará Desenvolvimento Social, Cultura e Esporte. Formado em neurociência, Terra buscou na medicina os preceitos que passou a defender na política. É radicalmente contra o uso de drogas, incluindo o consumo de bebidas alcoólicas.
Ele recebeu O GLOBO nesta quinta-feira logo após de anunciar seu secretariado: o general Marco Aurélio Vieira, no Esporte, o deputado Lelo Coimbra, no Desenvolvimento Social, e o jornalista Henrique Medeiros, na Cultura. Terra confirma o décimo terceiro do Bolsa Família e revela ter discutido com o presidente um projeto para limitar o horário de venda de bebidas no país.
Como integrar Esporte, Cultura e Ações Sociais?
Antes de sair do governo Temer, fui à Islândia conhecer o programa de juventude que mais reduziu o consumo de drogas na Europa. Eles saíram da juventude que mais usava drogas para a que menos usa hoje. O eixo principal é o esporte, a música e a dança. Ele mantém o pessoal permanentemente ocupado. É claro que é um país de 500 mil habitantes. Eles têm circunstâncias diferentes. Não deixam expor bebidas alcoólicas em nenhum lugar, têm um toque de recolher. Depois das 22h, jovens com menos de 18 anos não podem andar sozinhos na rua. Claro que é uma realidade bem diferente. Mas aqui, por exemplo, se reduzir o horário de venda de bebidas alcoólicas em restaurante, em bar, é uma coisa que se pode pensar. Podemos fazer junto com o Moro, na Justiça, uma política de redução da violência.
Limitar o horário de venda de bebidas no país?
Sim. A maior parte dos acidentes e mortes causadas por pessoas embriagadas acontecem sempre depois da meia-noite. Acho que podemos colocar alguns limites para venda de bebidas em lugares mais violentos. Não precisa ser em todo o país. Dá para mapear a violência. Há lugares que têm mais homicídios. A experiência de Diadema (SP)está publicada em livros. Reduziu muito o número de homicídios. Era a cidade que mais tinha homicídios em São Paulo e hoje é das que têm menos. A bebida ajuda, né. Diadema colocou até meia-noite, uma da manhã o limite. Depois disso, não se pode vender.
O senhor já levou ao presidente esse projeto?
É, a gente está conversando sobre isso. Um projeto integrado com a Justiça. É um assunto que estamos discutindo, mas ainda não tomamos nenhuma decisão a respeito. O objetivo é tornar o esporte o “barato” que a droga dá à juventude. Música e esporte. Esse é o principal.
O começo do governo vai ser marcado pelo improviso visto na transição?
Não sei nem se o presidente esperava ser eleito. Na verdade, foi para marcar uma posição. Bolsonaro começa no movimento contra tudo que estava aí. E a população acreditou e ele se elegeu. É um aprendizado. Todo governo é assim. O próprio governo do Lula, quando começou, todo mundo achava que ele era um cara muito honesto, que ia ser o governo da ética. Ele foi tateando. Eu acho que o Bolsonaro está cercado de gente preparada.
Para acompanhar a entrevista completa é só clicar aqui: https://oglobo.globo.com/brasil/futuro-ministro-da-cidadania-osmar-terra-propoe-limite-para-venda-de-alcool-23320396

COMEÇOU: Juízes dão jeitinho para repor auxílio-moradia em MS e no Maranhão criando auxílio-transporte e aumentando vale-alimentação

Os Tribunais de Justiça de Mato Grosso do Sul e do Maranhão deram um jeito para que juízes compensem eventuais perdas financeiras em seus contracheques com a restrição do auxílio-moradia. Em MS, conseguiram aprovar na Assembleia a criação do auxílio-transporte, que pode chegar a R$ 7,2 mil, o equivalente a 20% dos salários – mesmo porcentual que recebiam de auxílio-moradia. No Maranhão, o TJ elevou o vale-alimentação para 10% da remuneração. A projeção é de que o valor fique em R$ 3,3 mil, o que compra dez cestas básicas/mês.
Limpinho. Por se tratar de subsídios, os dois pagamentos não estão sujeitos ao desconto do IR e não entram na conta do teto.

Vai encarar? Em MS, a criação do auxílio precisa ser sancionado pelo governador Reinaldo Azambuja. A assessoria do tucano diz que ele ainda não analisou. Pelo preço da gasolina no Estado, é possível comprar até 10,5 mil litros/mês.
Se a moda pega… No Maranhão, o benefício custará por ano R$ 11 milhões ao tribunal. Procurada, a assessoria não respondeu.
COLUNA DO ESTADÃO

Comments

Agronegócio terá ‘licença ambiental automática’ no governo Bolsonaro

O governo de Jair Bolsonaro estuda acelerar e simplificar o licenciamento ambiental a partir do ano que vem. Entre as mudanças, está previsto um licenciamento automático para o agronegócio, segundo o futuro presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim. Ele disse ao Estado, em sua primeira entrevista após ser escolhido para o cargo, que vai revisar toda a regulação ambiental porque o processo ainda é “precário e artesanal”.

A ideia é que o produtor rural tenha acesso a um sistema eletrônico pelo qual possa emitir sua própria licença ambiental. Segundo Bim, essa será uma das primeiras mudanças. “Se você vai fazer uma cultura de plantação em uma fazenda, por exemplo, já é obrigado a ter seu cadastro ambiental rural (CAR) regularizado, sua área de supressão e sua reserva legal já delimitadas”, disse. “Então, não precisa ter um licenciamento complexo, como se fosse uma hidrelétrica.”
Atualmente, órgãos ligados ao processo de licenciamento – como Funai, Fundação Palmares e Iphan – levam entre 30 e 90 dias para se posicionarem, mas esses prazos costumam ser renovados, o que deixa, na prática, o licenciamento sem um prazo determinado. “É artesanal, poucas coisas são padronizadas, faltam parâmetros de qualidade. Vamos agilizar a análise das licenças ambientais, diminuindo a insegurança do técnico e do empreendedor”, disse o advogado, com especialidade em Direito Ambiental. Hoje, Bim é procurador da Advocacia-Geral da União (AGU) junto ao Ibama.
Segundo ele, o governo da Bahia já adota um procedimento parecido para o licenciamento. “A pessoa preenche um cadastro prévio, insere seus dados naquelas condições preestabelecidas e tira uma licença eletrônica do sistema”, afirmou. “É claro que, se você fizer uma declaração falsa e estiver fora da linha, é crime, vai ser punido etc., mas esse é um princípio do presidente eleito, o de que devemos acreditar na palavra do cidadão. A gente tem uma cultura de desconfiança histórica. Temos que mudar isso.”
Hoje, o Ibama conta com um quadro de 3.098 servidores, mas esse número vai diminuir no ano que vem porque alguns vão se aposentar. Em 2017, eram 5.462 funcionários. Para reduzir esse déficit, o órgão ambiental pediu autorização para contratar 1.630 servidores, mas não conseguiu.

Fiscalização

O novo comando do Ibama também promete alterar o regulamento sobre a fiscalização em campo feitas pelo órgão federal. Uma das principais ações que devem mudar nessa área, disse Bim, é a queima de máquinas e equipamentos – tratores, caminhões, retroescavadeiras, barcos – que são encontrados por fiscais do Ibama durante suas operações. Segundo ele, esse procedimento deve ocorrer apenas em situações excepcionais. “Há situações em que não tem outro jeito, tem de ser queimado. Mas a crítica é que em alguns casos não precisa. Vamos regulamentar isso para evitar esse tipo de arbítrio.”
Em linha com Bolsonaro, Bim também prometeu mudanças para acabar com o que o presidente eleito define como a “indústria da multa” no Ibama. “Vamos rever esse tipo de posicionamento de nossa fiscalização. A gestão ambiental não tem que ser feita só com base em auto de infração, isso é só um instrumento. Vamos trabalhar de uma maneira diferente”, disse ele. “Fui convidado a levar para o Ibama um perfil de menor criatividade na interpretação da legislação ambiental, trazendo uma legalidade mais estrita na condução do Ibama.”
Eduardo Fortunato Bim tem seu nome defendido pelo futuro ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, que nesta semana foi condenado em primeira instância por improbidade administrativa. Salles nega irregularidades e deve recorrer.

Índios

Bim também defende que os povos indígenas sejam escutados em situações em que empreendimentos do interesse do governo afetem diretamente terras indígenas, mas que não tenham poder de veto sobre essas obras. Foi o que deixou claro ao analisar em artigo a situação da demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, a qual Bolsonaro já declarou que pretende abrir para atividades econômicas por ser “a terra mais rica do mundo”. “É importante frisar que o direito de ser ouvido (oitiva) não é absoluto”, afirmou, em artigo.
Questionado sobre o assunto, Bim disse que vai procurar o diálogo. “Tem de haver uma interlocução com a Funai, com os próprios indígenas. Estamos abertos. Sempre vamos buscar o consenso.”
ESTADÃO CONTEÚDO

LOCAIS

Governo promete pagar 13º de 2017 até dia 28, e militares suspendem operação

Definição sobre o pagamento aconteceu após uma reunião de praças e oficiais militares com a cúpula da área de segurança pública do Governo do Estado. Eles reivindicavam definição sobre pagamentos

José Aldenir / Agora RN

Viatura da PM-RN
O Governo do RN confirmou aos representantes de associações de policiais e bombeiros militares que vai pagar até o dia 28 de dezembro o 13° salário do ano passado para os militares que ainda não receberam o abono. Com isso, a categoria suspendeu a paralisação que pretendiam iniciar nesta sexta-feira, 21, em protesto contra o atraso nos pagamentos.
A definição sobre o pagamento aconteceu após uma reunião de praças e oficiais militares com a cúpula da área de segurança pública do Governo do Estado. Eles reivindicavam uma definição sobre o pagamento do 13° salário de 2017 e 2018 e a folha de dezembro deste ano. Outra reivindicação é a melhoria dos equipamentos utilizados para o trabalho, entre eles o fardamento.
O subtenente Eliabe Marques, presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN), relatou ao Agora RN que o Governo do Estado anunciou que terá R$ 60 milhões em caixa no dia 28 e que R$ 20 milhões seriam suficientes para quitar o 13°. A assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança também confirmou a informação.
OPERAÇÃO PADRÃO
Os militares ameaçaram o Governo de realizar a chamada Operação Segurança com Segurança nos mesmos moldes da que foi realizada no final de 2017. Na oportunidade, os policiais e bombeiros ficaram “aquartelados”, ou seja, não deixaram os batalhões para fazer o policiamento.
O movimento só foi interrompido após a gestão de Robinson Faria firmar um acordo para pagar salários atrasados. Segundo a categoria, grande parte do acordo não foi cumprida.
ATRASO DE SALÁRIOS
No quesito financeiro, a categoria cobra o pagamento integral do décimo terceiro salário de 2017 (até o momento recebeu apenas os que têm salário até R$ 5 mil), o pagamento do 13° salário de 2018 (apenas os servidores públicos com fundo próprio receberam) e previsão de pagamento do salário de dezembro, que ainda está sem data certa para débito.
Fonte: Agora RN

 

Casos de câncer de pele sobem 20% no RN, aponta Liga Contra o Câncer

Em dez anos, o número de mortes em decorrência de câncer de pele aumentou 55% no Brasil; são cerca de 180 mil novos casos por ano

José Aldenir / Agora RN

Evitar exposição prolongada ao sol entre 10h e 16h é uma das dicas para evitar a doença
Se para você o verão é sinônimo de praia, calor e lazer, é bom tomar cuidado com um inimigo que pode se manifestar de repente: o câncer de pele. Segundo dados da Liga Norte Riograndense Contra o Câncer, o número de casos de neoplasias malignas (melanoma e carcinoma) em 2018 aumentou quase 21% com relação ao ano passado.
Em dez anos, o número de mortes em decorrência de câncer de pele aumentou 55% no Brasil. São cerca de 180 mil novos casos por ano, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), e ainda acredita-se que este número deva ser muito maior. O câncer de pele é caracterizado pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a cútis.
De acordo com o dermatologista da Liga Norte Riograndense Contra o Câncer Joseli Batista de Lima, os danos causados pelos raios UVA e UVB têm efeito cumulativo na pele, que começam ainda na infância ou adolescência.
Pessoas de pele clara são mais propensas à neoplasias malignas, principalmente devido à exposição prolongada e repetida ao sol (raios ultravioletas – UV). “Na maioria dos casos, o câncer de pele tem cura. O problema é que muitos só procuram atendimento quando a lesão está séria e esse diagnóstico tardio faz toda a diferença durante o tratamento”, alertou.
De acordo com o médico, a exposição frequente à luz solar, sem proteção, contribui para a maioria dos casos de melanomas e carcinomas. A atenção deve ser redobrada em períodos do dia – entre às 10h e às 16h – em que o índice de radiação ultravioleta chega a níveis extremos. “Esse tipo de câncer surge, principalmente na fase adulta, mas não escolhe o sexo ou profissão. Vai de um surfista que passa horas no mar a um agricultor que diariamente está na roça”.
Segundo Joseli Batista, as pessoas devem suspeitar de lesões na pele que tenha surgido geralmente há meses, que não cicatrizam de modo habitual, e que podem ter o aspecto de uma mancha vermelha, um nódulo ou ferida que sangra ou forma crosta. Diante de lesões suspeitas, é preciso procurar um dermatologista para o diagnóstico e tratamento. “Quanto mais precoce for o diagnóstico, e mais cedo for instituído o tratamento correto, melhores serão os resultados”, observou.
O que aumenta o risco de câncer de pele?
– Exposição prolongada e repetida ao sol (raios ultravioletas – UV), principalmente na infância e adolescência.
– Ter pele e olhos claros, com cabelos ruivos ou loiros, ou ser albino
– Ter história familiar ou pessoal de câncer de pele
– Pessoas que trabalham sob exposição direta ao sol são mais vulneráveis ao câncer de pele não-melanoma
– Indivíduos com sistema imune debilitado
– Exposição à radiação artificial
Como se prevenir da doença?
– Praticar uma exposição solar consciente. E saber que radiação solar em excesso é, sim, prejudicial à saúde
– Evitar exposição prolongada ao sol entre 10h e 16h
– Sempre que possível, ficar em lugares com sombra
– Ao frequentar lugares ao ar livre, usar roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas e barracas
– Aplicar na pele, antes de se expor ao sol, filtro (protetor) solar com fator de proteção 30, no mínimo. Não esquecer de áreas com orelhas e lábios.
Fonte: Agora RN

Deixe uma resposta