PRIMEIRAS NOTÍCIAS DESTA QUINTA-FEIRA

Por G1

 

Câmara impõe derrota ao governo e tira o Coaf de Moro; veja como votou cada um dos deputados. Hoje, os parlamentares votam o dispositivo que proíbe auditores da Receita de investigar crimes que não sejam de ordem fiscal. O STF retoma julgamento que restringiu acesso a remédios de alto custo sem registro da Anvisa e decide se o governo é obrigado a fornecer medicamentos que estão fora da lista do SUS. Europa elege novo parlamento a partir de hoje.

INTERNACIONAIS

Exclusivo: HIV na Venezuela

Opositora de Nicolás Maduro de Caracas segura cartaz com a mensagem ‘ruína ou morte’ em crítica contra a falta de medicamentos na Venezuela — Foto: Martin Mejia / AP Photo

Opositora de Nicolás Maduro de Caracas segura cartaz com a mensagem ‘ruína ou morte’ em crítica contra a falta de medicamentos na Venezuela — Foto: Martin Mejia / AP Photo

Falta de exames, tratamento irregular e ‘remédio caseiro’: portadores de HIV contam como enfrentam a crise na Venezuela. Distribuição de antirretrovirais melhorou em 2019, mas testes clínicos fundamentais para o tratamento seguem indisponíveis. Paciente ouvido pelo G1 conta com ajuda de amigos para comprar remédios na Colômbia; outro pensa em deixar o país em breve.

Parlamento europeu

Membros do Parlamento Europeu — Foto: Vincent Kessler / Reuters

Membros do Parlamento Europeu — Foto: Vincent Kessler / Reuters

Eleitores começam a escolher hoje os novos membros do Parlamento da União Europeia (UE), em uma eleição de quatro dias que influencia não só a formulação de políticas em Bruxelas nos próximos cinco anos, mas também o próprio futuro do projeto da UE. São 751 representantes.

Fronteira com o México

Os Estados Unidos anunciaram que irão construir seis acampamentos temporários nas áreas de fronteira com o México, nos estados do Texas e Arizona, para abrigar 7,5 mil imigrantes.

Por Blog do BG

Compra da Avon pela Natura garante à empresa a liderança mundial em venda direta

Loja da Natura em Florianópolis Foto: Agência O Globo

Foto: Agência O Globo 

A Natura fechou nesta quarta-feira um acordo para comprar a Avon, garantindo à empresa a liderança do mercado de cosméticos no país e, com US$ 10 bilhões em faturamento anual, o primeiro lugar em vendas diretas no mundo, segundo o ranking DSN Global 100. Com mais de 6 milhões de consultoras em cem países, a união das duas empresas também deverá criar o quarto maior grupo de beleza do mundo, numa lista atualmente liderada pela francesa L’Oréal.

A operação será feita com base na troca de ações das companhias, mas haverá um desembolso de até US$ 530 milhões por parte da Natura para uma parcela dos acionistas da Avon Products, detentores de papéis preferenciais série C. Da união surgirá a Natura Holdings, em que os atuais acionistas da brasileira terão 76% de participação. Cada ação Avon será convertida numa fração de 0,3 do papel da nova companhia.

A conclusão da operação está prevista para o início do ano que vem, após a aprovação dos órgãos reguladores. O acordo prevê sinergias de até US$ 250 milhões e envolve os negócios da Avon na América Latina, Leste Europeu e Ásia — a divisão americana já havia sido vendida para o fundo Cerberus em 2015.

Essa não é a primeira aquisição internacional da Natura. Em 2013, comprou a australiana Aesop e, em 2017, a The Body Shop . “A união de hoje cria uma força importante no segmento. A venda direta já era uma rede social antes mesmo de a palavra existir, e a chegada da tecnologia e da globalização apenas multiplicou as oportunidades”, afirmou, em nota, Luiz Seabra, cofundador da Natura.

A conclusão do negócio foi anunciada após o fechamento da Bolsa de São Paulo (B3). As ações da Natura tiveram alta de 9,43%, impulsionadas, desde cedo, pela antecipação do acordo em reportagem do jornal britânico Financial Times. O valor de mercado da empresa bateu R$ 26,6 bilhões, um ganho de R$ 3,3 bilhões em apenas um pregão. O Ibovespa, principal índice da Bolsa, teve nesta quarta leve queda de 0,13% . Em Nova York, os papéis da Avon subiram 9,06%, com a empresa avaliada em US$ 1,54 bilhão.

Na avaliação de Andres Estevez, analista do banco Brasil Plural, a operação é positiva para a Natura porque não comprometerá o caixa da empresa. A compra será financiada por um conjunto de bancos.

– A maior preocupação dos investidores era com um aumento do endividamento, mas será uma aquisição feita principalmente por troca de ações. A Natura se beneficia com a força da marca da Avon e com os ganhos de sinergia no Brasil — avaliou Estevez.

Para especialistas, a união entre Natura e Avon é vista como um passo para enfrentar a maior concorrência em mercados como o Brasil, que vem recebendo investimentos de diversas empresas do setor de vendas diretas, como Hinode, Jequiti, Mary Kay e Jeunesse.

Segundo a consultoria Euromonitor, o faturamento da categoria de itens de beleza no Brasil, que reúne produtos como cosméticos, desodorantes, itens para cabelos e protetores, entre outros, chegou a R$ 109,7 bilhões, um aumento de 5,1% em 2018 em relação ao ano anterior. A Natura, com o negócio fechado com a Avon, passará a ter 16,6% desse mercado. No mundo, responderá por uma fatia de 2,6%.

Renato Cotta, professor do Coppead, lembra que a estratégia da Natura é buscar novos mercados, e a união com a Avon dará mais fôlego no Brasil e acesso ao mercado internacional. Para Eduardo Yamashita, da Gouvêa de Souza, o segmento de vendas diretas enfrenta muitos desafios:

O GLOBO

Fonte: Blog do BG

 

NACIONAIS

Derrota do governo

Câmara transfere o Coaf da Justiça para a Economia

Câmara transfere o Coaf da Justiça para a Economia

O plenário da Câmara aprovou texto-base do projeto referente à Medida Provisória (MP) da reforma administrativa, que estruturou o governo do presidente Jair Bolsonaro e reduziu o número de ministérios de 29 para 22. A conclusão da votação depende da análise de dois destaques (propostas de alteração do texto), que ficou para esta quinta-feira.

proposta tirou de Sérgio Moro o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), pois o texto-base transfere o órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública para o Ministério da Economia.

Auditores da Receita

Os destaques com previsão de votação hoje são os seguintes:

  • Destaque para votação em separado do trecho que limita competência do auditor fiscal, em matéria criminal, à investigação dos crimes contra a ordem tributária ou relacionados ao controle aduaneiro;
  • Destaque para votação em separado do artigo que estabelece que o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações exercerá as atribuições de Secretaria-Executiva do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

Desistências no Mais Médicos

Desistências já somam 1,3 mil no Mais Médicos; edital em andamento busca preencher 2 mil vagas ociosas — Foto: Reprodução / TV Liberal

Desistências já somam 1,3 mil no Mais Médicos; edital em andamento busca preencher 2 mil vagas ociosas — Foto: Reprodução / TV Liberal

Cerca de 19% dos médicos brasileiros que entraram no Mais Médicos desistiram de participar do programa até o mês de maio. Dados obtidos pelo G1 junto ao Ministério da Saúde mostram que 1.325 profissionais com registro profissional brasileiro se desligaram do programa até agora. O número de desistências cresceu 25% em relação ao balanço anterior. Edital em andamento busca preencher 2 mil vagas ociosas.

Augusto Heleno na GloboNews

O ministro Augusto Heleno, do GSI — Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

O ministro Augusto Heleno, do GSI — Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, defendeu em entrevista à GloboNews o decreto presidencial que flexibilizou as regras sobre o uso de armas de fogo e munição. Ele afirmou que a posse de armas é um “direito do cidadão”, assim como ter uma televisão ou uma geladeira. Leia mais.

Remédios de alto custo

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu impor restrições para que o poder público forneça medicamentos sem registro na Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). O tribunal finalizou uma de quatro ações sobre saúde. Hoje, o Supremo ainda vai analisar se o poder público deve fornecer remédio de alto custo fora da lista do SUS.

Cortes na Educação

O Ministério da Educação informou que vai manter o contingenciamento de R$ 5,8 bilhões no orçamento da pasta para 2019, apesar do desbloqueio de R$ 1,587 bilhão anunciado pelo Ministério da Economia.

Arrecadação

A Receita Federal anuncia o resultado da arrecadação de abril de 2019. Em março, a arrecadação de impostos, contribuições e demais receitas federais registrou queda real (descontada a inflação) de 0,58%, na comparação com o mesmo mês do ano passado, para R$ 109,854 bilhões.

Azeredo trabalha na cadeia

Eduardo Azeredo na quadra do batalhão do Corpo de Bombeiros, em BH. — Foto: Pedro Ângelo/G1

Eduardo Azeredo na quadra do batalhão do Corpo de Bombeiros, em BH. — Foto: Pedro Ângelo/G1

Preso há um ano em BH, Eduardo Azeredo trabalha com elaboração de roteiros turísticos. O ex-governador de Minas Gerais foi condenado em segunda instância a 20 anos de prisão por peculato e lavagem de dinheiro dentro do mensalão tucano. Ele cumpre pena em um batalhão do Corpo de Bombeiros e recebe 3/4 do salário mínimo.

Presídios no RJ

Obras pendentes em unidade prisional do RJ — Foto: Thathiana Gurgel / Divulgação / Defensoria Pública do RJ

Obras pendentes em unidade prisional do RJ — Foto: Thathiana Gurgel / Divulgação / Defensoria Pública do RJ

Em 3 anos, o Rio de Janeiro só gastou 17% dos R$ 74 milhões de verbas federais para investir em presídios. Do total recebido via Fundo do Departamento Penitenciário Nacional, estado só executou R$ 13 milhões. Prazo final para aplicação de recursos é 31 de dezembro ou verba retorna à União; MP investiga.

Mortes de motociclistas em SP

Motofretistas protestam na Avenida Paulista — Foto: KEVIN DAVID / A7 PRESS / ESTADÃO CONTEÚDO

Motofretistas protestam na Avenida Paulista — Foto: KEVIN DAVID / A7 PRESS / ESTADÃO CONTEÚDO

O número de mortes no trânsito de motociclistas em São Paulo ultrapassou o número mortes de pedestres pela primeira vez, de acordo com o Relatório Anual de Acidentes de Trânsito de 2018, da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e dados da Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana. Em 2018, a capital paulista registrou 828 acidentes fatais de trânsito que vitimaram 849 pessoas. O número é 6,5% maior do total de mortes em 2017: 797 pessoas.

Bagagem de mão

Um fiscal confere as medidas da bagagem de passageiros na entrada da sala de embarque do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. — Foto: Renato S. Cerqueira / Futura Press / Estadão Conteúdo

Um fiscal confere as medidas da bagagem de passageiros na entrada da sala de embarque do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. — Foto: Renato S. Cerqueira / Futura Press / Estadão Conteúdo

Começa a valer hoje o despacho obrigatório da bagagem de mão fora do padrão nos aeroportos de Guarulhos (SP) e Salvador (BA). Nas últimas duas semanas, os passageiros foram orientados sobre a determinação. Padrão determina 55 cm de altura, 35 cm de largura e 25 cm de profundidade, com até 10kg.

Patinetes compartilhados

Patinete ainda não tem regulamentação na maioria das cidades — Foto: Marcelo Brandt / G1

Patinete ainda não tem regulamentação na maioria das cidades — Foto: Marcelo Brandt / G1

‘Febre’ no Brasil, patinete elétrico ainda não está regulamentado na maioria das cidades. Apenas São Paulo, Florianópolis e Vitória definiram regras para esses veículos, de um total de 13 cidades que já possuem o serviço de compartilhamento, segundo balanço do G1.

Desafio Natureza

Desafio Natureza: as formas positivas de interação com a Amazônia

Desafio Natureza: as formas positivas de interação com a Amazônia

Movelaria, extração de óleo, produção de mudas: veja os bons exemplos de interação com a Amazônia.

Crochê na cadeia

Detentos fazem peças em crochê momentos antes do desfile na penitenciária Adriano Marrey, em Guarulhos (SP) — Foto: Marcelo Brandt / G1

Detentos fazem peças em crochê momentos antes do desfile na penitenciária Adriano Marrey, em Guarulhos (SP) — Foto: Marcelo Brandt / G1

Detentos aprendem crochê na cadeia e peças vão para SPFW, Anitta e Pabllo Vittar. Na quarta-feira (22), estilista Gustavo Silvestre, idealizador do projeto ‘Ponto Certo’, levou desfile apresentado na última semana de moda à Penitenciária Adriano Marrey, em Guarulhos. Veja mais.

Saúde

Pré-operatório deve ser cumprido à risca para garantir segurança do paciente em qualquer tipo de cirurgia. — Foto: Shutterstock

Pré-operatório deve ser cumprido à risca para garantir segurança do paciente em qualquer tipo de cirurgia. — Foto: Shutterstock

Satisfeito com seu nariz? Conheça os tipos de cirurgia e os riscos envolvidos. De motivação estética ou para reparar problemas de saúde, os procedimentos devem priorizar a respiração, alertam os especialistas.

Fonte: G1

Por Blog do BG

Governo decide repor 21% da verba cortada na educação

Uma semana após protestos em todo o país contra os cortes na educação, o governo Jair Bolsonaro anunciou que irá repor parte da verba da área. Com o uso de recursos de uma reserva, será destinado ao Ministério da Educação um total de R$ 1,6 bilhão —21% do valor que havia sido contingenciado (R$ 7,4 bilhões).

Os cortes na área atingiram do ensino infantil à pós-graduação. Nas universidades federais, a verba para despesas discricionárias (não obrigatórias) foi reduzida em 30%.

No final de abril, ao anunciar a medida, o ministro Abraham Weintraub(Educação) atribuiu-a a uma resposta a uma suposta “balbúrdia” em algumas instituições. Depois, disse que se devia à previsão de menor arrecadação.

Após as manifestações contra a medida levarem às ruas milhares de pessoas em mais de 170 cidades, entidades ligadas à educação já convocaram um novo megaprotesto para a semana que vem, no dia 30.

Nesta quarta, o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, negou qualquer influência dos atos de rua na decisão e disse que só analisou números. “Governar é estabelecer prioridades. Vimos o altíssimo impacto que os dois ministérios têm e fizemos uma recomposição do contingenciamento orçamentário”, declarou, referindo-se também à pasta do Meio Ambiente, que também teve parte da verba reposta.

Nesta quarta (22), em audiência na Câmara dos Deputados, o ministro da Educação falou sobre os cortes na pasta e voltou a defender maior incentivo à produção científica de algumas áreas, como medicina e odontologia, em detrimento de outras, como as ciências humanas.

Afirmou, sem detalhar, que estuda apresentar até o fim do mês medidas em apoio às universidades, como incubadoras de empresas nas instituições e fundos imobiliários.

Para ele, há pessoas que impedem a produção na academia. “Tem gente que quer produzir, quer trabalhar e não consegue. Não é 100% de anjo que está nas universidades”, disse.

“Optei por dar aula em uma universidade federal, não para playboy, me identifico com o povo. Tem gente de partido da oposição que dá aula em universidade de rico. Prefiro estar com o povo com quem me identifico, com o povo moreno como eu, que sou moreno também.”

Ele ainda se manifestou contra a cobrança de mensalidade na graduação, apoiada recentemente pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT), mas defendeu que isso ocorra em parte da pós-graduação.

FOLHAPRESS

Comments

Centrão articula derrota de Moro que perdeu o COAF

Centrão seguiu o script que traçou desde o início e retirou na noite desta qaurta-feira o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) das mãos do ministro da Justiça, Sérgio Moro. O órgão deve voltar para o Ministério da Economia.

A votação foi apertada. Com uma diferença de apenas 18 votos – o placar foi 228 a 210–, o governo não conseguiu evitar o novo revés imposto pelo Centrão, mais uma vez aliado a partidos de oposição. Deputados justificaram que em vários países o órgão de inteligência financeira é vinculado ao Ministério da Economia e não faria sentido o Brasil mantê-lo na Justiça apenas para agradar a Moro.

“Muitos dos que votaram pela mudança do Coaf votaram com medo, porque têm ficha corrida”, disse o líder do DEM, Elmar Nascimento, um dos principais nomes do Centrão. Após o discurso inflamado do colega de partido, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou a sessão sem que todos os destaques ao texto tivessem sido votados. “O clima ficou pesado”, justificou. Nova sessão foi marcada para as 9h desta quinta-feira, 23.

Coaf teve participação ativa na Lava Jato

Moro não escondeu sua decepção com o resultado, que representou mais uma derrota para sua gestão. “Lamento o ocorrido. Faz parte do debate democrático. Agradeço aos 210 deputados que apoiaram o Ministério da Justiça e o plano de fortalecimento do Coaf”, afirmou ao Estado.

O órgão teve participação ativa na Operação Lava Jato e sua incorporação à Justiça foi um pedido do ex-juiz a Bolsonaro ao assumir a pasta.

Placar. O resultado foi mais uma demonstração de força do Centrão – DEM, PP, PR, PRB e Solidariedade. Dos 118 parlamentares desses partidos na sessão desta quarta, 87 votaram contra Moro. Outros 89 votos foram dados por deputados da oposição – PT, PSOL, PSB, PCdoB e PDT. Por outro lado, todos do PSL, do PV, do Podemos, do PHS, do PMN, do Cidadania e do Novo votaram com o governo. Já o PSDB ficou dividido: foram 21 a favor de Moro e 5 contra. Um dos principais articuladores do Centrão, o líder do PP na Câmara, Arthur Lira (AL), se limitou a dizer que o “placar fala por si”.

Comments

STF desbloqueia R$ 31 milhões e Governo do Estado já pode usar

O Ministro Edson Fachin deu uma bela vitoria ao Governo do Estado no STF.

O Ministro desbloqueou R$ 31 milhões de repasses da União que estavam retidos desde 30 de abril para ser utilizados na área de saúde.

O Secretário de Planejamento, Aldemir Freire informou que esse dinheiro vai ser usado para complementar o duodécimos aos poderes e também para a folha de pagamento.

 

Senado também aprova abertura do setor aéreo a estrangeiros e volta da bagagem gratuita

O Senado aprovou nesta quarta-feira, 22, a medida provisória que abre o setor aéreo para o capital estrangeiro. O texto perderia a validade se não fosse votado. Os senadores mantiverem o texto como saiu da Câmara, retomando a franquia gratuita de bagagem. Como sofreu modificações no Congresso, o texto terá de ser confirmado pelo Palácio do Planalto.

Editada ainda no governo Michel Temer, a MP autoriza o investimento de até 100% de capital estrangeiro nas companhias aéreas que operam rotas nacionais. Até então, o limite era de 20%. A medida era defendida por empresas nacionais, como Latam e Gol, e passou a ser vista com interesse por companhias estrangeiras, como a Air Europa.

O Senado aprovou nesta quarta-feira, 22, a medida provisória que abre o setor aéreo para o capital estrangeiro. O texto perderia a validade se não fosse votado. Os senadores mantiverem o texto como saiu da Câmara, retomando a franquia gratuita de bagagem. Como sofreu modificações no Congresso, o texto terá de ser confirmado pelo Palácio do Planalto.

Editada ainda no governo Michel Temer, a MP autoriza o investimento de até 100% de capital estrangeiro nas companhias aéreas que operam rotas nacionais. Até então, o limite era de 20%. A medida era defendida por empresas nacionais, como Latam e Gol, e passou a ser vista com interesse por companhias estrangeiras, como a Air Europa.

ESTADÃO CONTEÚDO

 

LOCAIS

Natália Bonavides e Beto Rosado tiram COAF de Moro. Benes, Girão e Walter Alves queriam o COAF com Moro

Vejam como votaram os deputados da bancada Potiguar na Câmara dos Deputados em relação a deixar o COAF nas mãos de Sérgio Moro no ministério da Justiça ou de tira-lo da justiça e deixar sob responsabilidade do ministério da Economia.

VOTOU PARA TIRAR O COAF DE MORO:

Deputada Natália Bonavides

Deputado Beto Rosado

VOTOU PARA DEIXAR O COAF NA MÃO DE MORO:

Deputados Benes Leocadio

Deputado General Girão

Deputado Walter Alves

NÃO VOTARAM – AUSENTES

Deputado João MAIA

Deputado Fábio Faria

Deputado Rafael Motta

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0