Por G1

 

100 dias do governo Bolsonaro. De 58 promessas feitas durante a campanha eleitoral, o presidente cumpriu 12, segundo levantamento feito pelo G1. Veja detalhadamente cada uma dessas propostas e em que pé elas estão. No centésimo dia de Bolsonaro na presidência, relembre também os fatos que marcaram o início da nova gestão, entre anúncios, viagens e uma coleção de polêmicas. Depois do temporal, o Rio tenta se recuperar dos estragos. Gripe: começa a campanha nacional de vacinação. Brexit: o Conselho Europeu se reúne e pode adiar de novo a saída do Reino Unido da União Europeia. O que é notícia hoje:

INTERNACIONAIS

Brexit

A Câmara dos Comuns do Reino Unido aprovou ontem moção que respalda o pedido de uma prorrogação do Brexit até 30 de junho feito pela primeira-ministra britânica, Theresa May, à União Europeia. O Conselho Europeu se reúne hoje e pode prorrogar essa saída.

Apagão na Venezuela

Caracas e várias outras regiões da Venezuela ficaram sem luz na noite de ontem, na véspera de uma nova jornada de protestos convocada pelo líder opositor Juan Guaidó contra o colapso dos serviços básicos. O apagão afeta ao menos 20 dos 23 estados do país.

Eleições em Israel

Israelenses passam por cartazes do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, líder do Likud, e dos candidatos do partido Azul e Branco, Moshe Yaalon, Benny Gantz, Yair Lapid e Gabi Ashkenazi, em Tel Aviv — Foto: Oded Balilty / AP Photo

Israelenses passam por cartazes do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, líder do Likud, e dos candidatos do partido Azul e Branco, Moshe Yaalon, Benny Gantz, Yair Lapid e Gabi Ashkenazi, em Tel Aviv — Foto: Oded Balilty / AP Photo

partido Likud, do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, está na frente com uma vantagem apertada sobre a coalizão centrista Azul e Branco, de Beni Gantz, com 99% dos votos apurados, após as eleições gerais realizadas ontem no país. Segundo os dados do comitê central eleitoral, com mais 3,9 milhões dos votos apurados, o Likud obteria 26,47% dos votos, contra 26,11% do Azul e Branco.

NACIONAIS

100 dias de governo Bolsonaro

O novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, após receber a faixa presidencial do ex-presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, em Brasília — Foto: Evaristo Sá / AFP Photo

O novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, após receber a faixa presidencial do ex-presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, em Brasília — Foto: Evaristo Sá / AFP Photo

Em 100 dias, Jair Bolsonaro cumpriu 1/5 das promessas feitas durante a campanha eleitoral. Dos 58 compromissos firmados no período e que podem claramente ser mensurados, 12 foram cumpridos.

No mesmo período, Dilma Rousseff cumpriu 5 das 55 promessas, e Michel Temer, 3 das 20.

Essa é a primeira avaliação que o G1 faz das promessas de campanha do novo presidente. O objetivo é medir até 2022 se ele cumprirá o que prometeu.

O projeto “As promessas dos políticos” começou em 2015, com a verificação das promessas de Dilma. Desde então, o G1 avaliou promessas de governadores e prefeitos. E agora começa um novo ciclo. Os novos governadores serão avaliados mais para frente.

Temporal no Rio

Ruas alagadas no Jardim Maravilha, em Guaratiba — Foto: Reprodução / TV Globo

Ruas alagadas no Jardim Maravilha, em Guaratiba — Foto: Reprodução / TV Globo

maior chuva em 22 anos no Rio de Janeiro causou 10 mortes, deixou bairros submersos e provocou destruição. A chuva castigou a cidade por mais de 24 horas e só perdeu força ontem à noite. Encostas deslizaram e ruas foram varridas por enxurradas. Sete das mortes foram registradas na Zona Sul, entre elas a avó e neta que foram soterradas em Botafogo. Outras três ocorreram na Zona Oeste. A cidade continua em estágio de crise.

Rio ainda sofre as consequências da chuva forte que caiu nesta segunda-feira (8)

Rio ainda sofre as consequências da chuva forte que caiu nesta segunda-feira (8)

Previsão do tempo

Previsão do tempo para quarta (10/04)

Previsão do tempo para quarta (10/04)

Inflação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga hoje o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de março, considerado a inflação oficial do país. Em fevereiro, a inflação ficou em 0,43%, impactada principalmente pela alta dos preços de educação e alimentação.

Vacinação contra a gripe

Começa hoje a campanha nacional de vacinação contra a gripe. Segundo dados do Ministério da Saúde, até março deste ano já foram notificados 232 casos de influenza e a morte de 50 pessoas no país. A circulação maior do vírus se encontra no Amazonas, onde foi preciso antecipar a vacinação para o dia 20 de março.

Mega-Sena

 — Foto: Marcelo Brandt / G1

— Foto: Marcelo Brandt / G1

O concurso 2.141 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 40 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) em Botucatu (SP).

Imposto de Renda

 — Foto: Arte G1

— Foto: Arte G1

Curtas e Rápidas:

Futebol

  • 19h15: Fluminense x Luverdense
  • 21h30: Avaí x Vasco
  • 19h15: Cruzeiro x Huracán
  • 19h15: Cerro Porteño x Atlético-MG
  • 21h30: Grêmio x Rosario Central
  • 21h30: Palmeiras x Junior Barranquilla
  • 16 horas: Ajax x Juventus
  • 16 horas: Manchester United x Barcelona
 Fonte: G1

Jean Wyllys deveria ter ficado no Brasil para a gente protegê-lo, diz Mourão

vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta terça-feira (9) que o ex-deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) deveria ter ficado no Brasil para que a polícia e o governo pudessem protegê-lo.

Segundo o general, não há nenhuma política do governo de perseguição às minorias e Wyllys deveria ter acreditado na lei, na política e na polícia brasileira.

“No caso especifico de Wyllys, particularmente acho que ele deveria ter continuado [no país] e acreditado na nossa lei, na nossa política e na nossa polícia, então a gente poderia protegê-lo. Acho que ele deveria ter ficado. É muito triste quando coisas assim acontecem”, disse Mourão em palestra no Brazil Institute, do Wilson Center.

O ex-deputado renunciou ao mandato e saiu do país alegando estar preocupado com sua segurança e integridade física. Ele diz ter recebido ameaças de morte, intensificadas após o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ).

Questionado sobre o caso de Wyllys, o vice afirmou que o presidente Jair Bolsonaro –conhecidas por suas declarações tidas como racistas e homofóbicas— acredita que foi eleito para todo mundo que está no Brasil e que ele “não tem problemas com minorias”.

“Nosso governo não tem política para perseguir minorias, esse não é o jeito que nos comportamos. Todo mundo que é brasileiro deve continuar no Brasil e deve estar livre de medo”, afirmou Mourão.

“O que posso assegurar é que não há política do governo para perseguir quem quer que seja”.

Primeiro parlamentar assumidamente gay a encampar a agenda LGBT no Congresso, Wyllys se tornou um dos principais alvos de grupos conservadores, principalmente nas redes sociais.

Durante a votação do impeachment de Dilma Rousseff na Câmara, Bolsonaro dedicou seu voto ao torturador Brilhante Ustra e levou uma cusparada de Wyllys, que alegou ter sido insultado pelo então deputado e hoje presidente.

FOLHAPRESS

 

LOCAISCommentsComments

Administração do Governo do RN publica informativo do quadro de pessoal da Educação e Cultura. São 21400 servidores ativos

Os dados relativos ao quadro de pessoal do Governo do Estado estão sendo compilados, segmentados e disponibilizados para consulta. A primeira edição do “RH em Números” disponibiliza informações da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura – SEEC. O trabalho contemplará inicialmente as três maiores secretarias: Educação, Saúde e Segurança, mas o objetivo é compilar dados dos demais órgãos da Administração Estadual.

A ação é uma iniciativa da Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos (SEARH) e visa tornar públicos os dados relativos aos Recursos Humanos do quadro de pessoal do Governo do Estado, em observância aos princípios constitucionais da Administração Pública, como também auxiliar na tomada de decisão com relação às políticas de RH do Executivo Estadual. O documento é produzido pela Coordenaria de Gestão de Pessoas e a Subsecretaria de Recursos Humanos da Searh.

“A transparência é um compromisso assumido pelo Governo do Estado e a SEARH, no âmbito da sua competência, abrirá espaço para que os cidadãos tenham acesso às informações de interesse público e exerçam o controle social, conforme preconiza a Constituição Federal. Para além da transparência, esperamos que a formulação do “RH em Números” contribua, também, para subsidiar as decisões estratégicas do Governo que interfiram, direta e indiretamente, na vida dos servidores e da população”.

A primeira edição apresenta de forma detalhada o quadro de pessoal da SEEC, com foco nos profissionais do magistério. O documento apresenta, entre outras informações: o impacto dos professores na folha de pagamento do Governo do Estado; o número de professores ativos, inativos e dos pensionistas; e a média de remuneração dos professores por faixa etária, tempo de serviço e gênero.

A SEEC conta com 21.483 servidores ativos, entre efetivos, cargos comissionados, trabalhadores temporários e estagiários. Esse número representa 41,04% do total de servidores ativos do Governo do Estado do Rio Grande do Norte. Em relação à Folha de Pagamento dos servidores ativos do Poder Executivo Estadual, os ativos da Secretaria de Educação representam 28,33%.

O RH em Números faz parte de uma séria informativa da área de RH, que está sendo publicada pela Searh e teve início com a publicação do Boletim de Informações da Administração – informativo mensal com dados da Folha de Pagamento do quadro geral de servidores estaduais.

Assim como os boletins, o documento fica disponível para consulta no site da Searh. Confira a primeira edição do RH em Números: https://bit.ly/2G53RqwComments

Tia do Deputado Rafael Motta e irmã do ex-deputado Ricardo Motta é investigada por receber pensão ilegalmente

A irmã do ex-deputado Ricardo Motta e tia do deputado federal Rafael Motta e filha do ex-deputado Clóvis Motta, Cristiane Motta, é investigada por receber ilegalmente há vários anos uma espécie de aposentadoria oriunda do pai, o ex-deputado Clóvis Motta.

Pelo que o Blog apurou, Cristiane vinha recebendo há anos o benefício ilegalmente, porque não poderia ser casada. Ela conseguia receber o benefício porque renovava o cadastro junto aos Correios, sem necessidade de entrevistas mais profundas.

Só que no ano passado, como ela estava em Brasília, ela foi recadastrar a aposentadoria, que é uma exigência anual, na própria Câmara dos Deputados, em Brasília. Durante o questionário, ela terminou confessando ser casada. Ao ser informada que casada não poderia receber o benefício, ela deixou o ambiente e não apareceu mais.

A atitude causou estranheza no funcionário da Casa que terminou encaminhando o caso para investigação. Agora, o Ministério Público vai solicitar a devolução de tudo que ela recebeu ao longo dos últimos anos com a devida correção monetária.

Semana passada, uma equipe da policia legislativa da Câmara dos Deputados foi deslocada de Brasília para o Rio Grande do Norte para investigar o caso e comprovar que ela era casada.

Essa equipe flagrou ela e o marido em algumas ocasiões e também conseguiu localizar a sua certidão de casamento.

Cristiane chegou a ser intimada a depor sobre o caso essa semana mas quem prestou esclarecimento foi seu advogado.

Segundo fontes do blog, a Câmara vai suspender imediatamente a aposentadoria e vai pedir a devolução de tudo que ela recebeu.

Fonte: Blog do BG

 

Vereadores criticam bancada por corte de 70% em emenda voltada ao turismo de Natal

Parlamentares de Natal destacam enfraquecimento do turismo e da economia da cidade com a medida adotada pelos representantes do RN em Brasília

José Aldenir / Agora RN

Vereadores Robson Carvalho, Kleber Fernandes e Nina Souza

O corte protagonizado pela bancada federal do Rio Grande do Norte nos recursos que seriam destinados a construção/revitalização do Terminal Turístico da Redinha, em Natal (de R$ 24 milhões para R$ 8,5 mi), continua rendendo reações na classe política da cidade. Nesta terça, 9, três vereadores emitiram opiniões contrárias a decisão que partiu de Brasília.

Para Nina Souza, do PDT, o corte de quase 70% nos recursos que seriam destinados à capital penaliza a cidade e contribui para o enfraquecimento da economia local, vez que os valores seriam destinados a um investimento significativo no turismo natalense, o que, consequentemente, acarretaria em uma movimentação maior de valores no município.

“Dentre as emendas que estavam previstas, a única que tinha viés estruturante era essa. Ela poderia ter sido cortada de forma proporcional (com as demais). O RN tem problema de recursos e o que fomenta a economia daqui hoje é o turismo. Os parlamentares precisam aprender que, se não fomentarmos o turismo, não sairemos nunca deste buraco”, criticou.

O corte proporcional dos recursos (que é uma determinação do Governo Federal) foi também o centro da crítica emitida pelo vereador Robson Carvalho (PMB). De acordo com ele, se o corte de apenas 20% fosse aplicado, o prejuízo não teria sido tão grande quanto está sendo para o turismo da cidade.

“Eu sugiro que haja sensibilidade e respeito com a população de Natal. O ideal era que fosse feito um corte linear, igual para todas as áreas, de modo a não ter um impacto tão negativo como teve no nosso turismo. Essa obra iria revitalizar a Redinha e resultaria numa melhora para o comércio. Queremos que a bancada federal olhe com mais respeito para Natal”, pediu.

Por fim, o vereador Kleber Fernandes (PDT) também corroborou com a opinião dos colegas e ainda denunciou que Natal não recebe uma emenda coletiva da bancada federal há anos, afirmando também que, na sua avaliação, esse corte se deu por razões individuais da maioria dos deputados federais e senadores que representam o RN.

“Foi um absurdo e um desrespeito. A falta de uma emenda coletiva – que a capital não merece dos parlamentares federais há anos – para contemplar uma intervenção de tamanha importância econômica e, por consequência, social, só prova, a meu ver, que a maioria da bancada se preocupou mais com as emendas individuais em detrimento da visão coletiva”, acusou.

Na justificativa para o corte, que inicialmente era muito maior (de R$ 24 milhões para R$ 1 milhão), a bancada federal alegou que quis priorizar setores mais importantes para o Estado como saúde, educação e segurança. Por isso, tiraram a verba que seria destinada ao turismo de Natal e mantiveram as destas áreas prioritárias.

No fim de semana passado, no entanto, uma corrente se formou na Redinha em defesa da revitalização do Terminal Turístico e acabou sensibilizando a bancada, que reduziu o corte e direcionou o montante de R$ 8,5 milhões para que a obra seja tocada pela Prefeitura do Natal. Todavia, a ideia da classe política local é de que o corte seja, apenas, de 20%.

Nesta terça-feira, foi lido no plenário da Câmara Municipal de Natal um texto que sugere moção de repúdio a atitude da bancada federal. Ficou agendada para hoje a votação do texto, que segundo o vereador Robson Carvalho “deverá ser aprovado” pela grande maioria.

Fonte: Agora RN

 

Governo do RN inicia discussão sobre operação do Projeto São Francisco

Realizado nesta terça-feira, 9, o encontro teve a participação do advogado-geral da União, André Mendonça, do ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e dos quatro governadores dos estados beneficiados

Vinícius Borba

Fátima Bezerra, de vermelho, durante reunião com ministro e governadores do Nordeste

A governadora Fátima Bezerra reforçou a necessidade de agilidade do Governo Federal para concluir o projeto de integração das bacias do Rio São Francisco. “Tão importante quanto implantarmos e participarmos deste espaço, é termos um cronograma de quando essas águas chegarão ao Rio Grande do Norte, que será o último estado a receber a transposição”, enfatizou durante reunião de instalação da Câmara de Conciliação e Arbitragem da Administração Federal (CCAF).

O encontro, realizado nesta terça-feira (9), teve a participação do advogado-geral da União, André Mendonça, do ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e dos quatro governadores dos estados beneficiados para discutirem as tratativas de conciliação para o início da operação comercial do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF).

Fátima afirmou que o Governo do RN está disposto a colaborar com esta discussão para que haja viabilidade do ponto de vista financeiro e operacional do projeto. “Esse debate é muito importante para que tenhamos segurança hídrica em nossa região, mas devemos observar o uso sustentável dessas águas para que o custo seja compatível com as pessoas beneficiadas”, disse. Ela reforçou também, junto ao ministro, a importância de conclusão das obras complementares como o Complexo de Oiticica, o Projeto Seridó e a inclusão do ramal Apodi-Mossoró no Plano Nacional de Recursos Hídricos.

De acordo com André Mendonça, a reunião deu início ao procedimento de conciliação entre a União e as unidades federativas a fim de obter uma solução consensual. “A ideia é que possamos aproximar as partes, conhecer e compreender todos os interesses envolvidos e trabalhar as opções, quais as possíveis soluções para esse modelo de operação do projeto”, frisou. Ele disse que será debatida a cobertura dos custos envolvidos com a transferência e o formato de abastecimento da água que será usada por 390 municípios dos quatro estados nordestinos.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, enfatizou que o momento foi o primeiro de muitos que ainda estão por vir. “Este é o primeiro passo de uma jornada que trará alegria a todos nós. A gente precisa avançar, chegarmos a um consenso em relação aos contratos, colocar o PISF realmente em operação comercial para poder evoluir.”

Acompanhando a governadora, o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), João Maria disse que a Câmara se constitui em um fórum para afinar o discurso de cada Estado. “É importante porque oportuniza o debate real dos conflitos de cada envolvido.”

Também estiveram presentes os governadores de Pernambuco, Paulo Câmara; do Ceará, Camilo Santana, e da Paraíba, João Azevêdo Lins Filho, além de representantes da AGU.

Fonte: Agora RN

Deixe uma resposta