Por G1

 

As investigações sobre o ataque na catedral de Campinas. Na França, o cerco ao terrorista que matou 3 em uma feira de Natal. Na última reunião do ano, Copom deve manter juro básico em 6,5%. Mais ossadas do tempo da escravidão no Centro de SP. E como não perder a última chuva de estrelas cadentes do ano.

INTERNACIONAIS

Atirador na França

Policiais na entrada do mercado de Natal de Estrasburgo, após um homem disparar no local, na noite de terça-feira (11) — Foto: Frederick Florin / AFP Photo

Policiais na entrada do mercado de Natal de Estrasburgo, após um homem disparar no local, na noite de terça-feira (11) — Foto: Frederick Florin / AFP Photo

Três pessoas morreram e 12 ficaram feridas – seis delas com gravidade – depois que um homem abriu fogo em um mercado de Natal, ontem, no centro de Estrasburgo. O atirador foi ferido, mas segue desaparecido e a caçada continua na França. O caso está sendo tratado como um ataque terrorista.

Fonte: G1

NACIONAIS

Atirador em Campinas

Polícia apreende documentos na casa do atirador que matou quatro pessoas em Campinas

Polícia apreende documentos na casa do atirador que matou quatro pessoas em Campinas

Um dia depois do ataque na Catedral de Campinas (SP) que terminou com quatro mortos e quatro feridos, esta quarta-feira será de buscas por respostas sobre o crime. Algumas questões seguem abertas. A Polícia Civil apreendeu caderno, anotações e notebook de Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos. O material ainda será analisado, para verificar se há indicativos da motivação. Já a Arquidiocese realizará às 12h15 missa em memória dos fiéis mortos. Veja outras questões a serem respondidas.

Juros

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central fará hoje a última reunião do ano. A expectativa do mercado financeiro é que a taxa básica de juros da economia, a Selic, seja mantida em 6,5% ao ano.

Ossadas da escravidão

Arqueóloga Nathalia Rodrigues inicia análise de materiais identificados entre outubro e dezembro de 2018 em terreno particular — Foto: A Lasca Arqueologia/DivulgaçãoArqueóloga Nathalia Rodrigues inicia análise de materiais identificados entre outubro e dezembro de 2018 em terreno particular — Foto: A Lasca Arqueologia/Divulgação

Arqueóloga Nathalia Rodrigues inicia análise de materiais identificados entre outubro e dezembro de 2018 em terreno particular — Foto: A Lasca Arqueologia/Divulgação

Arqueólogos encontraram esta semana mais duas ossadas na área que abrigava o antigo Cemitério dos Aflitos, na Liberdade, região central da cidade de São Paulo. Os trabalhos de pesquisa de campo terminaram. Sete ossadas haviam sido encontradas entre outubro e o início de dezembro, conforme o G1 mostrou com exclusividade. Ao todo nove esqueletos do tempo da escravidão serão submetidos a exames laboratoriais.

Transporte

Em 10 anos, o uso dos ônibus como principal modal caiu 5% na região metropolitana de São Paulo, enquanto as viagens feitas de trem e metrô subiram 55% e 53%, respectivamente. Isso é o que mostra a pesquisa Origem Destino.

Estrelas cadentes

Todo ano, em dezembro, chega a época da chuva de meteoros Geminídeas. Essa é uma das poucas chuvas intensas que são favoráveis de se observar no hemisfério sul. Então é uma chance para não se desperdiçar, se o tempo colaborar. Entenda como observar e conheça a origem rara do fenômeno.

Loteria

O concurso 2.106 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 36 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) em Criciúma (SC).

Curtas e Rápidas:

Futebol

O Atlético-PR decide com Junior Barranquilla esta noite, a partir das 21h45, na Arena da Baixada, a Sul-Americana. O primeiro jogo, na Colômbia, terminou empatado em 1 a 1. O campeão tem vaga assegurada na Libertadores 2019.

Previsão do tempo

Saiba como fica o tempo na quarta-feira (12)

Saiba como fica o tempo na quarta-feira (12)

Hoje é dia de…

  • Dia do Plano Nacional de Educação

Fonte: G1
 

TÁ PIORANDO: Depósitos para ex-motorista de Flávio Bolsonaro coincidiam com pagamento da Assembleia do RIO

Flavio Bolsonaro
O deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) Foto: Alex Silva/Estadão

 
Mais da metade dos depósitos em espécie recebidos por Fabrício José Carlos de Queiroz, ex-motorista do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, aconteceram no dia do pagamento dos funcionários da Assembleia Legislativa do Rio ou até três dias úteis depois. Uma análise do relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que apontou movimentações atípicas em contas de assessores e ex-servidores do legislativo, mostra que 34 das 59 operação financeiras seguiram a mesmo padrão. O restante ocorreu em até uma semana.

Estado identificou que 15 depósitos em espécie na conta de Queiroz ocorreram nos mesmos dias de pagamento dos servidores da Alerj em 2016. Essas datas variaram a cada mês, por causa da crise do Rio, que levou a atraso nos salários, mas foram mapeadas através do cruzamento do relatório do Coaf com o cronograma de pagamentos da assembleia fluminense. Outros 19 depósitos na conta de Queiroz ocorreram em até três dias úteis após os funcionários receberem seus vencimentos.
Os valores depositados mensalmente também se repetem ou são aproximados. Investigadores analisam se há padrão nas ações, em valores ou periodicidade. O jornal Folha de S. Paulo mostrou nesta terça-feira que logo após receber os valores, Queiroz realizou saques em espécie em quantias aproximadas às que haviam entrado em sua conta.
coincidência de datas ocorre logo nos primeiros depósitos feitos em 2016. Em 12 de janeiro, dia de pagamento na Alerj, por exemplo, o então assessor recebeu três depósitos em espécie, nos valores de R$ 4.400, R$ 5.566 e R$ R$1.771. Outra sequência é vista em 14 e 15 de abril, dia de pagamento na Alerj. No primeiro dia, Queiroz recebeu um depósito de R$ 7.400. No seguinte, foram feitos outros dois depósitos, de R$ 1.771 e R$ 4.300, na sua conta.
Em maio de 2016, os funcionários da Alerj receberam no dia 11. Nessa data, Queiroz ganhou três depósitos, novamente no valor de R$ 1.771, outro de R$ 3.071 e um último de R$ 1.000. Um dia depois, em 12 de maio, foi feito na conta outro depósito, de R$ 6.300, e no dia 16 caiu o último valor do mês, de R$ 1.160. Os padrões se repetem em junho e em novembro. O relatório, no entanto, não diz quem realizou os depósitos.
No relatório preliminar da operação Furna da Onça, a delegada Xênia Ribeiro Soares chegou a citar a suposta existência de esquema de funcionários fantasmas e auxílio alimentação que seriam repassados pelos servidores dos gabinetes aos deputados. De acordo com a delegada, o procedimento foi mapeado no gabinete do deputado estadual Paulo Melo, preso pela operação, mas já foi “identificada em outros gabinetes e que se afigura como uma prática criminosa disseminada na Alerj”.
“As informações apresentadas são de máxima gravidade e demandam uma enérgica resposta da Justiça”, diz o texto.
Depoimento. O ex-motorista deve depor na semana que vem no Ministério Público do Rio, que investiga o caso. O Estado apurou que as transações entre funcionários do Legislativo estão entre os motivos que levaram os bancos a classificar as movimentações como atípicas e a advertir o Coaf a seu respeito. O relatório indicou que pelo menos nove funcionários e ex-funcionários do gabinete de Flávio fizeram operações (depósitos ou recebimentos) na conta do ex-motorista e ex-segurança do deputado. Entre elas, estão as filhas de Queiroz, Nathalia e Evelyn Melo de Queiroz, e a sua mulher, Marcia Oliveira de Aguiar.
O próprio Coaf, em seu relatório anexado à operação Furna da Onça, que investiga corrupção no Legislativo do Rio, classificou o fluxo financeiro como atípico. O dinheiro depositado na conta de Queiroz, às vezes, superava o valor do salário do então assessor. Houve casos nos quais a maior parte do que o funcionário recebeu foi parar na conta do então motorista e segurança de Flávio Bolsonaro.
Em nota, a assessoria do senador eleito ressaltou que não é investigado “no assunto relacionado ao ex-assessor (Fabrício) Queiroz, visto que não praticou qualquer ilícito em sua atividade parlamentar”. O texto afirma ainda que o deputado “segue à disposição para prestar esclarecimentos às autoridades, se instado for” e “espera ver, dentro dos trâmites legais, a completa resolução do caso pelas autoridades competentes o mais rápido possível, pois é o principal interessado em que tudo se esclareça o quanto antes.”
ESTADÃO CONTEÚDO
 

LOCAIS

DINHEIRO SOBRANDO: Vereadores de Natal aprovam em urgência aumento de verba de gabinete para R$ 22 mil ao mês. Custo no ano vai para quase R$ 8 milhões

A Câmara Municipal de Natal que atravessa a maior crise financeira da sua historia, devendo a deus e ao mundo aprovou nesta quarta-feira em regime de urgência e sem divulgar o aumento da verba de gabinete dos vereadores de R$ 18 mil ao mês para R$ 22 mil.
O Vereadores de Natal por certo não estão vendo a situação que o Brasil, o estado e a capital está passando e a própria CMN que deve a fornecedores mais de 2 milhões em atrasados e vai ter que exonerar todos os seus cargos comissionados antecipadamente para poder cumprir a folha de pagamentos.
Com o aumento a casa passa a gastar por mês R$ 638 mil, aumentando o gasto com verba indenizatória(cota para exercício parlamentar) de gabinete a quantia de R$ 1,3 milhão no período de um ano.
Se ausentaram da sessão que aprovou o aumento os vereadores Eleika Bezerra, Julia Arruda, Cicero Martins, Ériko Jacome e Ary Gomes.
O Aumento vale a partir de abril de 2019.
Fonte: Blog do BG

Deixe uma resposta