Caro(a) leitor(a),

Chegamos ao oitavo processo em que o ex-presidente Lula é RÉU protagonista da Ação Penal, em 03 estados diferentes: Curitiba, São Paulo e Brasília. Já foi condenado em um em 1ª instância por Moro, com pena aumentada na 2ª Instância para 12 anos e um mês, cuja sentença ele cumpre neste momento, recluso na Polícia Federal de Curitiba. Daqui para frente vamos apenas contabilizar as próximas sentenças e denúncias que virão, ver quem vai ter o maior número de condenações  e quantidade de anos a mofar na cadeia. Se ele ou o seu grande amigo e comparsa Sérgio Cabral. Muito em breve, num país de um povo tão sui-generis deverão surgir até casas de apostas para tirar proveito dessa disputa.

Entretanto, a justiça está esquecendo de uma coisa muito importante e de alta relevância. O gatuno filho está soltinho da silva e gozando do melhor da vida enquanto o pai mofa na cadeia. O gatuno filho é que administra toda a fortuna amealhada pelo Gatuno Pai e até agora não foi indiciado em nenhum processo por enriquecimento ilícito. Não nos esqueçamos que até dez anos atrás o Lulinha, como é mais conhecido, limpava bosta de elefante no Zoológico de São Paulo. Muitas são as evidências que tem circulado nas redes sociais sobre o bilionário patrimônio que o Gatuno Filho tem e não via a justiça se pronunciar em nada até agora.

Só sei de uma coisa: “Quando o povo diz ou foi ou é ou será”.

Lula, o recibo da propina e a cartinha para o comparsa


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tornou-se no decorrer desta semana, réu em mais um processo, o oitavo em sua já extensa ficha criminal.
Com esse novo caso, Lula agora tem processos criminais em andamento perante as varas da Justiça Federal de Curitiba, Brasília e São Paulo, totalizando oito processos, sendo que num deles, o do tríplex, já possui condenação em 1ª e 2ª instâncias.
No processo que tramitará em São Paulo, o petista é acusado do crime de Lavagem de Dinheiro, por supostamente ter recebido R$ 1 milhão para intermediar discussões entre o governo de Guiné Equatorial e o grupo brasileiro ARG para a instalação da empresa no país.
Segundo denúncia do Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo, Lula recebeu a quantia dissimulada em forma de uma doação da empresa ao Instituto Lula, entre setembro de 2011 e junho de 2012.
Entre os documentos juntados pelo Ministério Público, dois chamam a atenção. O recibo fornecido pelo Instituto Lula e uma carta assinada pelo próprio ex-presidente, onde agradece ao ditador da Guiné Equatorial Teodoro Obiang.

Em contrapartida, Cristiano Zanin, o abobalhado advogado do petista, tem a pachorra de prosseguir na enfadonha tese de que Lula sofre perseguição política. Não cola mais, mormente quando o ex-presidente é processado em três estados diferentes, por inúmeros crimes, todos eles corroborados por farta documentação e por delações premiadas de pessoas muito próximas, caso do ex-ministro Antonio Palocci.
Lula caminha a passos céleres no mesmo rumo de seu grande amigo e parceiro Sérgio Cabral.

Otto Dantas

Articulista e Repórter
otto@jornaldacidadeonline.com.br

Fonte: Jornal da Cidade On Line

Deixe uma resposta