Caro(a) leitor(a),

Há muito tempo que falo aqui sobre esse tratamento diferenciado dispensado ao meliante Lula da Silva pela PF e pela Justiça de Execuções Penais. Com certeza existe um conluio entre os dois órgãos envolvidos na administração do cumprimento da pena do meliante e uma explicita e flagrante desobediência à Constituição Federal, cujo preceito máximo é a igualdade de tratamento dispensado a todos os brasileiros. Quando a Carta Magna se refere a igualdade de tratamento entre os cidadãos inclui também os apenados. Estes devem ter tratamento igual dentro das sua condição de apenado. Entretanto o que nós vemos é um flagrante delito por parte destes dois órgãos envolvidos neste caso quando, inclusive torna público e notório que o meliante recebe visitas diárias, a qualquer hora do dia de pessoas que não são seus advogados e outras coisitas mais. Esse conluio vai ficar provado assim que o novo governo tomar posse com a transferência do presidiário para um presídio federal  e nós va,os ter certeza de havia a mão de um outro delinquente agindo neste caso.

Fim da farra: Após a posse de Bolsonaro, Lula irá para um presídio


Desde a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o país assiste a um cidadão, mesmo na condição de presidiário, receber um tratamento diferenciado e extremamente privilegiado em relação aos demais cidadãos brasileiros, na mesma situação.
Lula conseguiu a proeza de comandar uma campanha eleitoral de dentro do xilindró, recebendo semanalmente um candidato a presidente da República – travestido de advogado – e inúmeras outras figuras, inclusive a própria presidente da legenda denominada PT, hoje sabidamente uma articulada Organização Criminosa.
A partir do próximo ano, com a posse de Jair Bolsonaro, essa mamata finalmente vai acabar.
Diz a coluna Radar da Revista Veja, que o presidente eleito tem reiterado aos mais próximos, que quer que Lula seja transferido para uma prisão do Exército, tão logo tome posse em janeiro.
Certamente, num presídio militar, o petista ainda terá um tratamento diferenciado, em função da condição de ex-presidente da República, mas com certeza cessarão as frequentes e impertinentes visitas e as constantes algazarras de seus ‘comparsas’.

da Redação
Fonte: Jornal da Cidade On Line

Deixe uma resposta