PONTO DE VISTA: DAVI ALCOLUBRE PROMOVE ATO COVARDE E ANTIPATRIÓTICO PERANTE SEUS REPRESENTADOS

Caro(a) leitor(a),

Fim de ano, juntamente com a festa do nascimento do menino Jesus é um momento de reflexão, de perdão e do mais sincero arrependimento, visto que sem essas duas coisas os nós não se desatam. Mas, como tudo na vida é uma questão de interpretação, os egocentrismo humano, naturalmente hipócrita aproveita esse momento para colocar todos no mesmo plano, onde as diferenças desaparecem e as portas das cadeias são abertas até para os piores bandidos, seja dos crimes de colarinho branco ou dos crimes comuns. É o presidente da república que lança mão desse argumento para dar o indulto natalino e nessa mesma esteira o presidente do congresso resolve fazer algo semelhante com os maiores criminosos, responsáveis pelo atual caos político, econômico e sanitário que o país ora está mergulhado. Eis  que o senhor Alcolumbre em sua última canetada do ano decide arquivar para sempre todos os processos de Impeachment contra os ministros do STF. Um ato além de covarde, antipatriótico. Sepultando todas as chances de termos um dia um bandido desses realmente punido, já que a única forma de pararmos os desmandos do STF e a instabilidade jurídica neste país é através de um ato desse para que esses bandidos da capa preta parem de se achar deuses. Enquanto o povo não tomar consciência e der um basta nisso o país vai continuar mergulhado no caos, na lama, e na insegurança jurídica. Resumindo: sem esperança!

O presente de Natal de Alcolumbre para os ministros do STF

Davi AlcolumbreDavi Alcolumbre

Silenciosamente e no último dia do ano legislativo, o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, arquivou todos os pedidos de impeachment contra ministros do STF.

Literalmente, jogou na lata do lixo.

Aproveitou o embalo e também pôs no lixo dois pedidos de impeachment contra o procurador-geral da República.

Foram 38 pedidos de impeachment contra os magistrados e o PGR.

O principal alvo dos pedidos era o ministro Alexandre de Moraes, 17.

“O aceno de paz garante aos ministros do Supremo e a Aras que, independentemente de quem assumir o comando do Senado, não haverá na gaveta um único pedido de impeachment que possa ser despachado rapidamente”, noticiou Lauro Jardim.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Deixe uma resposta