PONTO DE VISTA: AS MANIFESTAÇÕES DE 12 DE SETEMBRO

Caro(a) leitor(a),

As manifestações de hoje capitaneadas pelo MBL vão ser o divisor de águas dessa polaridade extrema que acomete o nosso país e vão nos dizer realmente quem está insatisfeito com o que e com quem. Se o número de pessoas na rua hoje exceder o do dia 7 de setembro conheceremos a real situação da rejeição do presidente Bolsonaro e saberemos que o país já está dominado pelo PCC – Partido Comunista Chinês. Significará que a luta ainda não está nem perto de terminar e dará a real noção e a chance ao brasileiro que ainda dorme em berço esplêndido e ainda não levantou a bunda do sofá para ir protestar contra o avanço do Comunismo ir para as ruas numa próxima manifestação defender a nossa liberdade. Significa que teremos que, pacificamente, tomar o Congresso Nacional e assumir as rédeas dessa nação. Sim o Povo!

Se o movimento de hoje, visivelmente der menos gente do que as manifestações de 7 de setembro significará que a luta já está perto de terminar e que, no pior das hipóteses, nas próximas eleições a coisa vai mudar substancialmente e que até lá teremos realmente uma trégua para legitimar o atual governo com possibilidades de governar em paz até 2022. Então aguardemos até o final do dia de hoje para sabermos o que nos reserva o futuro!

Manifestação reúne políticos zumbis, que tentam voltar a vida, atacando o presidente Bolsonaro

Foto reproduçãoFoto reprodução

As manifestações de Sete de Setembro foram gigantescas e pacíficas. Milhões de pessoas foram às ruas em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, e, para mais uma vez, pedir por liberdade de expressão, e pelo fim da escalada autoritária do STF.

Um movimento lindo e verdadeiramente democrático, que fez tremer de ódio os oposicionistas de diferentes frentes e partidos, que trataram de subestimar mais uma vez, os números das manifestações pró-presidente.

Chutaram um número de 125 mil pessoas (vide imagens), e garantem que nesse domingo (12) vão levar para as ruas, em São Paulo, um número muito maior que isso.

Para tanto, todos os políticos insatisfeitos com a pessoa de Jair Bolsonaro, por questões pessoais e não pelo Brasil, se uniram em uma única causa: pedir impeachment do presidente!

Está circulando um convite para a tal manifestação um painel com as fotografias de lideranças políticas mais bizarras: os traidores, os ressentidos, os maldosos, os invejosos, e os perversos. Entre eles, dois chamam a atenção: Simone Tebet e Mandetta.

Simone Tebet vem surpreendendo com a sua presença maléfica na CPI, apoiando abusos contra os depoentes, principalmente as mulheres.

Posiciona-se com visível ódio e, enaltece qualquer fala mentirosa, que possa ser usada para incriminar o presidente. Vergonha, vergonha.

O que dizer de “o rei do gogó”, o senhor Mandetta, que estrelou na TV, nas tardes de quarentena, com o povo confinado na frente da tela, trazendo orientações para o cidadão(ã) “ficar em casa”, e, em caso de sintomas de COVID-19 , só ir para o hospital quando lhes faltasse o ar.

Não podemos esquecer as imagens de pessoas que morreram dentro dos seus carros, nas portas dos hospitais, sem atendimento, sem nenhuma chance de impedir que a doença chegasse a esse estágio inflamatório e mortal.

Vergonha.

São esses dois políticos “exemplares”, que acusam o presidente de responsabilidade pelos mortos da pandemia e por todos os males do Brasil, que estão hoje nas ruas, junto aos esquerdistas, junto à direita-trans (esquerdista de nascença sem coragem de assumir-se como tal), junto a todos os políticos decadentes que tiveram a “feliz” ideia de aglomerarem-se, para tentar destruir o Bolsonaro e “curar” o Brasil do “fascista-genocida”.

Ambos, Simone e Mandetta, são portadores de delírio de grandeza: ou seja: acreditam serem especiais, dotados de capacidades e poderes superiores aos do presidente. Aliás, INVEJAM-NO! Querem o lugar dele.

Há um vídeo escandaloso, com pessoas nuas, dançando, falando obscenidades, fazendo obscenidades com imagens sacras e crucifixos, fazendo apologia ao aborto, às drogas, ideologia de gênero, uso da linguagem neutra, etc, convidando para as manifestações do dia 12 ( hoje).

O vídeo mostra imagens de outras manifestações de esquerda e o estilo lastimável de protesto.

Trata-se de um povo doente, imaturo e regredido, que usa conteúdos escatológicos, como fezes e urina para chamar a atenção.

Os corpos nus e pintados com frases depreciativas, revelam o grau de fixação a alguma das fases do desenvolvimento psicossexual da infância: oral, anal, fálica…

Essa gente avulsa, que não tem importância política alguma, que espera causar o impeachment do presidente, só porque não pode aceitar que ele foi escolhido por mais de 57 milhões de brasileiros, e mantém o número de apoiadores, visíveis nas ruas, ainda que a esquerda finja não ver.

O maior desrespeito que os políticos oposicionistas cometem não é só contra o presidente, é contra o POVO, que cansado dos arroubos autoritários de alguns ministros do STF, se viu obrigado a ir para as ruas, com seus próprios recursos, em época de pandemia e crise econômica, só para pedir o fim da “ditadura de toga”.

Uma pequena trégua foi gerada, uma carta, um acordo, uma esperança…

Mas, quem disse que esse movimento MBL e seu ecletismo político que reúne a extrema esquerda, a direita-trans, e todos os ambiciosos pelo poder, estão interessados em um país melhor? Com ordem e progresso?

Que moral tem uma classe que luta para derrubar, destruir, desejar o mal, tomar o poder de quem está mais que amparado e apoiado por um poder que nenhum outro brasileiro tem, no momento?

O poder que vem do povo.

O poder que vem do respeito e do apoio incondicional da grande maioria da população.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Deixe uma resposta