Em entrevista ao Jornal Nacional na noite de ontem o Presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, foi firme e determinado ao responder a pergunta de William Bonner quanto a sua afirmação que certos veículos de comunicação deveriam desaparecer, se referindo a Folha de São Paulo. Disse que empresas com esse comportamento já estão fora do mercado se depender das verbas governamentais. Veja abaixo crítica feita pelo Jornal da Cidade On Line.

O Governo não é obrigado a gastar dinheiro com veículos disseminadores de Fake News


O presidente eleito Jair Bolsonaro tem todo o direito de determinar que a mídia publicitária do Governo Federal dê preferência aos veículos de comunicação que detenham credibilidade. É um respeitável e justo critério a ser adotado.
Os jornais comprovadamente disseminadores de Fake News devem ser excluídos da verba pública destinada a publicidade oficial.
Nesse sentido, a Folha deve ser enquadrada.
Outro critério a ser adotado é o alcance de cada mídia.
Ou seja, cada veículo recebendo publicidade de acordo com o seu alcance midiático. Sem qualquer tipo de protecionismo. É justo.
Quanto a Folha, o que fez na campanha não foi exercício do direito de critica. Foi calúnia, picaretagem e Fake News.
Demonstrou inidoneidade.
Que arque com as consequências.
É uma empresa privada, que não pode viver na dependência de verbas oficiais.
Jair Bolsonaro, sempre firme, não demonstrou a mínima disposição em recuar.
Fonte: Jornal da Cidade On Line
 
VEJA AQUI A ENTREVISTA COMPLETA DE BOLSONARO NO JORNAL NACIONAL

Fonte: 

Publicado em 29 de out de 2018
 

Deixe uma resposta