POESIA: MARÍLIA DE DIRCEU DE TOMAZ ANTÔNIO GONZAGA

Continuando com a série dos 10 melhores poemas da literatura portuguesa hoje vamos ouvir “Marília de Dirceu Soneto II, poema de Tomaz Antônio Gonzaga, poeta da língua portuguesa que nasceu na ilha de Moçambique e viveu de 1744 a 1810.

O nome arcádico é Dirceu, foi um jurista, poeta e ativista político participante da Inconfidência Mineira, movimento pela independência de Minas Gerais, precursor do processo que conduziu à separação do Brasil de Portugal. Considerado o mais proeminente dos poetas árcades, é ainda hoje estudado em escolas e universidades por seu “Marília de Dirceu”. A poesia de Tomás António Gonzaga apresenta as típicas características árcades e neoclássicas: o pastoril, o bucólico, a Natureza amena, o equilíbrio etc. Paralelamente, possui características pré-românticas (principalmente na segunda parte de Marília de Dirceu, escrita na prisão): confissões de sentimento pessoal, ênfase emotiva estranha aos padrões do neoclassicismo, descrição de paisagens brasileiras, etc. O convívio com o Iluminismo põe em seu estilo a preocupação em atenuar as tensões e racionalizar os conflitos.

Fonte:

Deixe uma resposta