POESIA: A PASSAGEIRA – QUANTAS VIDAS CABEM EM UMA SÓ VIDA? POR ALLAN DIAS CASTRO
Allan Dias Castro, como nasce um poema

Na nossa coluna POESIA desta terça-feira você vai assistir a mais uma irretocável apresentação do nosso grande poeta Allan Dias Castro recitando: Quantas vidas cabem em uma só vida? Revisitando o texto “A passageira” para homenagear aos que tem coragem de estar em constante transformação para conseguir manter a sua essência. Este poema está na página 38 do livro “A Monja e o Poeta”, no capítulo sobre MUDANÇA, onde começo com a seguinte pergunta: Quantas vezes você insistiu em permanecer igual por medo de não se reconhecer? O poema “A passageira traz não só minha caminhada na bagagem, mas tem como inspiração toda pessoa que soube diferenciar não ter companhia de solidão, e assim acabou encontrando a si mesmo no (seu próprio) caminho. Abraços, boa viagem. 

Fonte:

Deixe uma resposta