PESQUISA DO IBGE AFIRMA QUE  NATAL É A 2ª CAPITAL BRASILEIRA COM MAIOR PERCENTUAL DE ADULTOS DECLARADOS HOMOSSEXUAIS OU BISSEXUAIS

Por g1 RN

 

Pessoas se reúnem ao redor de uma bandeira do orgulho LGBT — Foto: Mike Blake/ReutersPessoas se reúnem ao redor de uma bandeira do orgulho LGBT — Foto: Mike Blake/Reuters

Natal é a segunda capital do país com maior percentual de adultos que se declararam homossexuais ou bissexuais ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O dado foi divulgado nesta quarta-feira (25) dentro da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) – Quesito Orientação Sexual.

Segundo o instituto, 4% dos natalenses maiores de 18 anos que respoderam à entrevista se declararam homossexuais ou bissexuais.

Entre as capitais, o percentual só é menor que o registrado em Porto Alegre (5,1%). Macapá ficou na terceira colocação, com (3,9%).

Em média, 2,8% dos entrevistados nas capitais de todo o país se declararam homossexuais ou bissexuais. No Nordeste, a média das capitais foi de 2,2%.

A pesquisa colheu os dados em 2019 e investigou, pela primeira vez, em caráter experimental, essa característica da população brasileira.

Ao todo, 93% dos natalenses se declararam heterossexuais e 2,9% dos entrevistados não sabiam ou não quiseram informar sua sexualidade.

Rio Grande do Norte

Ainda de acordo com a pesquisa, no Rio Grande do Norte, 1,8% da população adulta seria homossexual ou bissexual. O percentual é pouco superior à media da região Nordeste, que foi de 1,5%.

93,8% dos potiguares se reconheceriam como heterossexuais e outros 4,4% não sabem ou não quiseram responder.

Pesquisa nacional

Segundo o IBGE, cerca de 2,9 milhões de pessoas se declararam homossexuais ou bissexuais, no país, o que corresponde a 1,8% da população adulta, maior de 18 anos. Já 1,7 milhão não sabe sua orientação sexual e 3,6 milhões não quiseram responder.

De acordo com a pesquisa, o percentual de pessoas que se declararam homossexuais ou bissexuais foi maior entre aquelas com maior nível de instrução e renda.

No grupo de pessoas com nível superior, 3,2% se declararam homossexual ou bissexual, percentual significativamente maior do que os sem instrução ou com nível fundamental incompleto (0,5%).

Os maiores percentuais de homossexuais ou bissexuais também foram observados nas duas classes de rendimento mais elevadas, sendo de 3,1% para os que moravam em domicílios cujo rendimento per capita era de mais de três a cinco salários mínimos, e de 3,5% naqueles com mais de cinco salários mínimos per capita

Primeira edição da pesquisa

Essa foi a primeira vez que o IBGE coletou dados sobre a orientação sexual da população brasileira. As informações foram divulgadas em caráter experimental, segundo o instituto, pois ainda não atingiram um grau completo de maturidade em termos de harmonização, cobertura ou metodologia.

A PNS captou a orientação sexual de forma similar à utilizada em grandes pesquisas domiciliares que realizam esse tipo de investigação pelo mundo. Segundo o IBGE, a comparação dos resultados mostra que os dados da PNS estão coerentes com os gerados por outros países.

“Nos Estados Unidos, por exemplo, onde a coleta da orientação sexual pela autodeclaração é realizada desde 2013, a National Health Interview Survey (NHIS) mostrou que, em 2018, 3,2% das mulheres e 2,7% dos homens norte-americanos se declararam homossexuais ou bissexuais. No Brasil, a PNS, primeira experiência relacionada ao tema, mostrou que esses percentuais foram de 1,8% e 1,9%, respectivamente”, informou o IBGE.

Deixe uma resposta