OPINIÃO: UM CHORO DIFÍCIL DE SER ENTENDIDO POR QUEM NUNCA CHOROU

O choro não é livre… É o choro de fome, fraco, doído… (veja o vídeo)

Fotomontagem reprodução

O choro é imposto, obrigado, sofrido.

É choro de fome, fraco, doído.

O choro é de raiva, magoado, sentido.

Um choro difícil de ser entendido por quem nunca chorou.

Eu sou um cara “duro”. É difícil algo me abalar. Mas confesso que assisti esse vídeo com nó na garganta e me perguntando:

“Quais vidas querem salvar?”

Será que a vida que restará, após todos os desmandos destes projetos de tiranetes, vale a pena ser vivida?

O Brasil é um país cruel. Disso eu sempre tive certeza. É um país que castiga o trabalhador, o empreendedor; que só dá boa vida para corrupto e vagabundo. Mas o que está sendo feito, neste momento, é HEDIONDO!

Estamos falando de uma doença que, EM UM ANO, atingiu 5% da população, com uma letalidade de 2,4% dos diagnosticados. Se considerarmos os assintomáticos, que nem foram testados, o número é ainda menor. O “Lockdown” cria MILHÕES de desempregados e famintos em pouquíssimos dias.

Estamos há UM ANO nas mãos de canalhas, que tiveram BILHÕES para adequar o sistema de saúde e não o fizeram. Compraram respiradores superfaturados em loja de vinhos, renovaram a frota da prefeitura, montaram hospitais de campanha para desmontar logo em seguida. Tudo a serviço da narrativa e da corrupção.

São pessoas como esse senhor, que não vivem no fantástico mundo do Projaquistão, nem recebem os salários nababescos dos marajás do funcionalismo, que sofrem as consequências. É a base da pirâmide que suporta toda a carga.

Não resta um pingo de humanidade, somente covardia, em quem assiste a isso e não se revolta, não desperta, ainda aplaude as medidas totalitárias destes bostas de governadores.

O governante responsável por uma cena assim, pelo choro de um homem que a vida inteira trabalhou honestamente e agora depende de caridade para se alimentar, deveria ser extirpado irrevogavelmente da vida pública. Não pode ter espaço na política para quem faz com que isso aconteça.

“Quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme.” (PROVÉRBIOS 29:2)

Fonte: Jornal da Cidade Online

Deixe uma resposta