OPINIÃO: SUSPENSÃO DA PRÉ-CANDIDATURA DE CIRO É MAIS UMA ESTRATÉGIA POLÍTICA DA VELHA RAPOSA

Caro(a) leitor(a),

Ao contrário do que Eduardo Negrão, o autor do artigo a seguir, que estamos publicando nesta edição da coluna OPINIÃO, pensa sobre a atitude de Ciro Gomes com relação a suspensão da sua pré-candidatura  à Presidência da República para as eleições de 2022. Eu acho que foi mais uma estratégia de mestre da velha raposa. Na verdade ele encontrou uma forma bastante contundente de pressionar a bancada do PDT a reverter a aprovação da PEC dos precatórios em segundo turno. Caso obtenha sucesso irá usar o episódio como capital político a seu favor na corrida às eleições presidenciais e mostrará a sua força e influência no Congresso Nacional. Então aguardemos o desfecho final de mais esse round no cenário político nacional. 

O desespero de Ciro, a “fuga” às escondidas e a iminente derrota

Ciro Gomes - Foto: José Cruz/Agência BrasilCiro Gomes – Foto: José Cruz/Agência Brasil

O eterno candidato à presidência, Ciro Gomes, comunicou a suspensão de sua pré-candidatura à Presidência da República para as eleições de 2022.

A desculpa dessa vez foi o apoio de deputados federais do PDT, seu partido, à PEC dos Precatórios. O ‘ex-presidenciável’, diz que sua decisão vai valer até que seus correligionários na Câmara dos Deputados reavaliem sua posição no segundo turno da votação, que pode ocorrer ainda nesta quinta ou na semana que vem.

Pelo menos esse foi o discurso, mas o que isso significa na verdade?

O fato é que numa campanha nunca, em hipótese nenhuma, se cogita a desistência. Isso desmobiliza a militância – ainda mais no caso de Ciro que aparece em 4º nas pesquisas.

Nessa mesma semana outro presidenciável, o apresentador Jose Luiz Datena, também jogou a toalha. Ou seja, esse seria o grande momento para Ciro se apresentar como líder da ‘resistência oposicionista’ mas ele preferiu abrir mão dessa oportunidade para choramingar no Twitter:

“Há momentos em que a vida nos traz surpresas fortemente negativas e nos coloca graves desafios. É o que sinto, neste momento, ao deparar-me com a decisão de parte substantiva da bancada do PDT de apoiar a famigerada PEC dos Precatórios. A mim só me resta um caminho: deixar a minha pré-candidatura em suspenso até que a bancada do meu partido reavalie sua posição. Temos um instrumento definitivo nas mãos, que é a votação em segundo turno, para reverter a decisão e voltarmos ao rumo certo”.

Dos 24 deputados do PDT, 15 votaram a favor da proposta do governo Bolsonaro, 6 contra e três não compareceram à sessão. O texto-base da PEC foi aprovado com 312 votos a favor, apenas quatro a mais do que o mínimo necessário.

O partido de Ciro foi o único de oposição a orientar pela aprovação da proposta. A verdade é que Ciro, assim como Lula e Datena estão sentindo nas ruas o maciço apoio popular à Jair Bolsonaro e não tem Datafolha que segure a população.

Foto de Eduardo Negrão

Fonte: Jornal da Cidade Online

Deixe uma resposta