OPINIÃO: SE A CORDA ARREBENTAR AS CONSEQUÊNCIAS SÃO IMPREVISÍVEIS

Caro(a) leitor(a),

A corda está esticando muito e pode arrebentar a qualquer momento. Algo que venho alertando aqui na coluna OPINIÃO há algum tempo. Até o momento as Forças Armadas têm conseguindo se manter à margem dessa celeuma política entre os três poderes da república. Também tenho alertado que Bolsonaro não é diferente de nenhum outro governante extremista, seja da esquerda ou da direita. Até porque esses polos se encontram nos extremos e o que os caracteriza é o “autoritarismo”. Lula tentou muito dar um golpe, mas nunca conseguiu a adesão das Forças Armadas. Bolsonaro não é diferente. O infindável número de postos ocupados por militares em seu governo que o diga, mas ele sabe que as Forças Armadas não o apoiariam numa ofensiva autoritária contra as instituições dos outros poderes. Entretanto, ao que parece está preparando uma cartada arriscada, mas que poderá dar certo. Ao colocar as Forças Armadas nas ruas para garantir o restabelecimento do artigo 5º da Constituição poderá provocar um clima de confronto com os poderes legislativo e judiciário que arrebentará a corda e teremos uma situação sem volta, onde as Forças Armadas finalmente serão obrigadas a se posicionar e ai, só Deus sabe o que poderá acontecer. Elas poderão se submeter a imposição de Bolsonaro ou se rebelar e destituí-lo. Então, vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos!

Bolsonaro diz que pode colocar Forças Armadas nas ruas para “restabelecer todo o artigo 5º da Constituição”

Se aplicada, medida deve ser feita cumprindo todos os requisitos da Constituição.

Publicado em 25.04.2021

Alan Santos | PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (23) que há, sim, um plano para um eventual ‘caos no Brasil’.

Segundo ele, existe a possibilidade de as Forças Armadas irem às ruas para “restabelecer todo o artigo 5º da Constituição [que estabelece o direito da livre locomoção no território nacional em tempo de paz]“.

“O que eu me preparo? Não vou entrar em detalhes. Essa política de lockdown, fique em casa, toque de recolher, isso é um absurdo. Se tivermos problema, nós temos o plano de como entrar em casa. Eu falo ‘o meu [Exército]’ o pessoal reclama, mas eu sou o chefe supremo das Forças Armadas. Se precisar, iremos para as ruas, não para manter o povo dentro de casa, mas para restabelecer todo o artigo 5.º da Constituição”, afirmou o presidente, em entrevista à TV A Crítica, do Amazonas.

Ainda segundo o mandatário, medidas que promovem o distanciamento social extremo descumprem a Constituição e retiram as liberdades individuais do cidadão.

“Se eu decretar isso, vai ser cumprido esse decreto. As Forças Armadas podem ir para a rua sim, dentro das quatro linhas da Constituição, para fazer cumprir o artigo 5.º, direito de ir e vir, acabar com essa covardia de toque de recolher, direito ao trabalho, liberdade religiosa e de culto, para cumprir tudo aquilo que está sendo descumprido por alguns governadores e alguns poucos prefeitos, mas trabalha toda a sociedade. É um poder excessivo que lamentavelmente o Supremo Tribunal Federal delegou”, afirmou.

Por fim, garantiu à população que se tal decisão for aplicada, não haverá nenhum tipo de excesso.

“Agora, eu não posso extrapolar. Isso que alguns querem, que extrapole. Estou junto com os 23 ministros, da Damares ao Braga Netto, praticamente conversado sobre isso daí: o que fazer se um caos generalizado se implantar no Brasil. Pela fome, pela maneira covarde que alguns querem impor essas medidas restritivas para o povo ficar dentro de casa. O caldo não entornou ano passado em função do auxílio emergencial”, completou.

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.

Fonte: Conexão Política

Deixe uma resposta