OPINIÃO: A ÚNICA SAÍDA PARA O POVO BRASILEIRO SÃO AS GRANDES MANIFESTAÇÕES

Caro(a) leitor(a),

A situação política deste grande país chegou num check mate, onde o povo brasileiro vai ter de escolher entre ficar em casa obedecendo aos seus governantes estaduais e municipais fazendo o lockdown da burrice ou ir para as ruas empunhar a bandeira verde e amarela do nosso Brasil em nome da manutenção e sobrevivência da nossa jovem e incipiente democracia. Ir para as ruas significa aglomerar, aglomerar significa correr o risco de se infectar com Covid-19, se infectar com a Covid-19 significa correr o risco de morrer. Mas se formos às ruas cumprindo protocolos como usar máscara, portando álcool em gel e tentando manter o distanciamento de pelo menos 1,5 metros, diminuiremos substancialmente esse risco. Ao passo que, se ficarmos em casa, calados, sem tomar nenhuma atitude estaremos apenas esperando a morte chegar e ela virá através do desemprego, da pobreza, da fome e do caos. Ir às ruas requer um risco calculado e cuja chance de morte está abaixo de 1¢ de probabilidade. Ficar em casa será a morte certa da nossa democracia e o iminente caminho para virarmos uma Venezuela, pois o nosso país está desgovernado, já a procuração que passamos para os nossos representantes foi rasgada juntamente com a nossa Constituição, por todos os poderes constituídos. Estamos em guerra e em tempos de guerra o que menos importa é a vida individual de cada cidadão, mas a defesa da integridade e da soberania da nação. Isso é algo pelo qual justifica darmos a vida se assim for necessário. Então só nos resta assumir as rédeas da situação na condição de legítimos detentores do poder. Portanto, vamos às ruas, não em apoio a Bolsonaro, mas a Democracia e vamos mostrar quem realmente manda nesse país e que isso aqui não é uma republiqueta de bananas!

Manifestação em defesa de Bolsonaro tem grande adesão na Avenida Paulista: ‘Eu autorizo’, gritava a multidão

Maior concentração foi registrada entre as ruas Pamplona e Itapeva.

Publicado em 02.05.2021

Reprodução | Douglas Garcia

Em São Paulo, manifestantes foram às ruas neste sábado (1°), Dia do Trabalhador, em um ato de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com pedido de acionamento do Artigo 142 da Constituição, na Avenida Paulista.

A concentração teve início por volta das 9h, nas proximidades da sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Com forte adesão desde cedo, um trio elétrico foi posicionado com uma faixa gigante exigindo a reabertura econômica em todo o estado durante a pandemia da Covid-19.

Utilizando máscaras e trajes nas cores verde e amarelo, apoiadores do presidente registraram maior volume nas ruas Pamplona e Itapeva, em ambos os sentidos da Paulista.

Com bandeiras do Brasil e diversas faixas e cartazes, a multidão gritava: ‘Eu autorizo, presidente’, em referência à recente fala do chefe do Executivo sobre aguardar um sinal da população para intervir com maior vigor contra medidas autoritárias de Estados e Municípios.

Várias figuras políticas discursaram no veículo, entre elas Carla Zambelli (PSL), Douglas Garcia (PTB) e Roberto Jefferson (PTB).

Ao todo, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), os manifestantes ocuparam 4 quarteirões, da Alameda Campinas até a Alameda Ministro Rocha Azevedo.

Jornalista, professor e comentarista político. Cobre os bastidores de Brasília no Conexão Política.

Fonte: Conexão Política

Deixe uma resposta