OPINIÃO: A PERVERSÃO NAS IDÉIAS E NOS COMPORTAMENTOS DE PERSONALIDADES CULTUADAS PELAS ESQUERDAS

Pensadores pervertidos do século 20 embasam a ideologia de gênero do século 21

Foto Reprodução/InternetFoto Reprodução/Internet

O texto abaixo foi escrito com base em uma live (vídeo abaixo) feita com a participação de Bernadete Campos, psicóloga em Campo Grande (MS); Nara Resende, psicóloga em Uberlândia (MG); Silvia Kimura, jornalista em São Bernardo (SP); e Vania Moreira, professora no Rio de Janeiro (RJ). A live foi transmitida pelo canal do Jornal Brasil Conservador, no dia 27/10/2021.

No presente artigo são apresentados, com mais detalhes, alguns dos principais pensadores do século 19 e 20, que influenciaram a ideologia de gênero. O que une muitos deles é a perversão contida nas suas ideias e nos seus comportamentos. Mesmo assim, essas “personalidades” são até hoje cultuadas e estudadas mundo afora, pelas esquerdas. Então, o objetivo é esclarecer a influência maléfica que esses autores continuam trazendo, principalmente para a juventude.

Além do embasamento didático, a live traz orientações de duas psicólogas, ambas colunistas do Jornal da Cidade Online, Bernadete Freire e Nara Resende. O artigo de hoje ficou por conta da competente educadora Vania Moreira, professora no Rio de Janeiro (RJ). A estudiosa, que é Âncora e redatora do Jornal Brasil Conservador, nos presenteou com um apanhado histórico, que ajudará os pais e educadores a compreenderem de onde vem essas ideias que fizeram a cabeça dos professores, e que por sua vez estão fazendo as cabeças de nossas crianças e adolescentes.

Por: Vania Moreira, professora no Rio de Janeiro (RJ).

Socorro, abriram as portas do hospício!

E se eu te disser que as sementes de todo esse caos moral, social e familiar, com o qual estamos tendo que finalmente lidar, – ideologia de gênero, pedofilia, feminismo, machismo, abortismo, gayzismo, veganismo, cotas raciais, linguagem neutra, aquecimento global, politicamente correto, desarmamento, “pais e mães de pets”, etc. – são pautas cuidadosa e sorrateiramente plantadas há muitos anos atrás? E que vários “pensadores”, surgidos no final do século 19 e meados do século 20, adubaram esse enorme jardim de ervas daninhas, com suas teses alopradas, e, principalmente, com suas condutas amorais, imorais e totalmente perversas e pervertidas?

Nesse contexto, muitos médicos, psiquiatras, psicólogos, filósofos, pedagogos, professores, influenciaram toda a cultura e contracultura do século 20, com ideias e ideais deturpados, mas meticulosamente planejados, com o não tão evidente propósito de destruir os pilares e as tradições do Ocidente, baseados no tripé Deus-Pátria-Família. E, pasmem, não é que conseguiram?!

Tudo começou no final do século 19, com a publicação do Manifesto Comunista (1848), do alemão Karl Marx (1818-1883), que pregava a destruição de toda a ordem vigente, de todo o status quo, para do caos surgir uma nova sociedade, onde todos seriam iguais, e ele próprio, Marx, seria uma espécie de deus; onde o individualismo daria lugar ao coletivismo, numa utopia socioeconômica insana, que não deu certo em país nenhum; ao contrário, esses regimes mataram e escravizaram mais de 100 milhões de homens, mulheres e crianças ao redor do mundo.

Mesmo com toda a destruição, fome, pobreza e fracasso que estes regimes totalitários – comunismo, nazismo, fascismo, maoismo, etc. – causaram a milhões de pessoas e países, toda uma leva de pensadores do século 20 abraçaram e endeusaram a causa comunista. Tudo foi arquitetado com muito método, pois essa engenharia social tinha por objetivo uma ruptura total e agressiva, mas que deveria ser feita de maneira sorrateira e subliminar.

Antonio Gramsci (1891-1937), filósofo marxista, jornalista, historiador e político italiano, membro-fundador do Partido Comunista da Itália, percebendo que pela força a causa socialista não vingaria, maquiavelicamente promoveu a tomada do poder sem armas, mas sim através da cooptação das mentes dos jovens. E assim tem sido feito, nas escolas e universidades, até hoje. E os reflexos são cada vez mais visíveis na sociedade atual, não há como negar.

Some-se a essa revolução gramscista – sem violência, sem tiro, sem bomba – a chegada aos Estados Unidos dos exilados da Escola de Frankfurt, que estavam fugindo do nazismo. Eram todos comunistas, e tomaram as principais universidades americanas. Eles ocuparam cargos de destaque e inflamaram a sociedade com suas ideias devastadoras. Os principais expoentes, dessa escola do mal, foram Adorno e Marcuse, que pregaram a destruição da família e da religião e incitaram a erotização precoce das crianças. Num campo ávido por novas e revolucionárias ideias, eles plantaram e espalharam as sementes da inovação e da destruição.

Na primeira metade do século 20, o mundo e as mentes estavam em ebulição, surgiram a revolução sexual, a pílula anticoncepcional e a contracultura. O conservadorismo começou a ser tachado de atrasado e isso propiciou uma maciça lavagem cerebral feita por pensadores de grande destaque. Mas, ironicamente, essas pessoas eram totalmente fracas, doentes e pervertidas, porém muito influentes e extremamente perigosas.

Apesar do grande prestígio que adquiriram, essas “celebridades” tinham falhas graves de caráter, no que se referia às suas condutas morais e sexuais. Várias sofreram de psicopatologias como distúrbios bipolares, tentativas de suicídio, prisões por pedofilia ou por condutas sexuais inapropriadas, prática do sadomasoquismo e da ninfomania, uso de drogas pesadas, morte por AIDS, ou acabaram suas vidas em manicômios.

Podemos citar alguns desses representantes, tais como Nietzsche (“Não há nada fora de nós [de nossas mentes] que seja objetivo”/ “Deus está morto”), filósofo reverenciado e lido até hoje pela esquerda, Jean Paul Sartre, Simone de Beauvoir (“Ninguém nasce mulher, mas torna-se uma, pois isso é uma construção social”), Michel Foucault (um dos idealizadores da ideologia de gênero), Alfred Charles Kinsey, Wilhelm Reich, entre tantos outros.

Margaret Sanger, fundadora da Parenthood, abandonou os seus filhos por causa da sua ninfomania. Grande fã de eugenia e controle populacional, especialmente entre a população imigrante e as classes sociais mais pobres, chegou a ser próxima do Ku Klux Klan. Ela morreu em 1966, por ter sido uma alcoólatra incontrolável.

Não acredita ou acha que é tudo exagero? Então pesquise por conta própria, porém, recomendo que o faça em buscadores idôneos e não cooptados (como o google). Procure ter mais informações sobre a vida pregressa dessas “personalidades” enlouquecidas, que tanto mal têm feito à sociedade, há anos, ditando a nossa forma de pensar e de agir, mesmo à nossa revelia!

Essas pautas progressistas absurdas têm como objetivo dividir para enfraquecer, enfraquecer para dominar a mente e a vida das pessoas, tornando-as um fantoche nas mãos dos tiranos. Não permitamos mais! Onde foram parar o bom, o belo, o justo? Estamos batendo às portas da barbárie, em pleno século 21, do Terceiro Milênio? Essa engenharia social vai nos condenar a viver o mundo distópico, tão assustadoramente bem descrito no livro “1984”, de George Orwell, onde nada é o que parece?

Cabe a nós recobrarmos as rédeas da nossa vida e não permitir mais os abusos dessa Era da Informação, onde tudo ou é fake news, ou está ao contrário. Vamos enDIREITAr a nossa vida, de novo! Não é tarefa fácil, pois ficamos por décadas adormecidos, mas, enfim despertamos.

No entanto, o tempo urge…

Foto de Bernadete Freire Campos

Bernadete Freire Campos

Psicóloga com Experiência de mais de 30 anos na prática de Psicologia Clinica, com especialidades em psicopedagogia, Avaliação Psicológica, Programação Neurolinguística; Hipnose Clínica; Hipnose Hospitalar ; Hipnose Estratégica; Hipnose Educativa ; Hipnose Ericksoniana; Regressão, etc. Destaque para hipnose para vestibulares e concursos.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Deixe uma resposta