NO ORÇAMENTO MILITAR, VETO DE TRUMP É DERRUBADO PELO SENADO

Senado derruba veto de Trump a orçamento militar

Em decisão inédita no governo do republicano, membros de seu partido aprovaram lei que havia sido vetada pelo presidente

INTERNACIONAL

 Da EFE

Líder republicano no Senado, Mitch McConnell coordenou a derrubada do veto

O Senado dos Estados Unidos, de maioria republicada, anulou nesta sexta-feira (1º) o veto do presidente, Donald Trump, à lei do orçamento anual de defesa, avaliado em US$ 741 bilhões (R$ 4,72 trilhões)

Essa foi a primeira vez que o Congresso invalidou um veto do atual chefe de governo, que está em fim de mandato, em quase quatro anos de mandato, depois que a Câmara dos Deputados também votou pela derrubada do veto.

Com 81 votos a favor e 13 contra, o Senado superou folgadamente a maioria de dois terços, que era preciso para anular a decisão de Trump e converter em lei o orçamento de defesa.

A postura do Senado deverá aumentar a tensão entre o ainda presidente e os líderes do Partido Republicano na casa, que começou quando a maioria da casa reconheceu a vitória do democrata Joe Biden nas eleições do país.

Veto inédito

Na semana passada, Trump havia se tornado o primeiro presidente dos EUA, em 59 anos, a se opor a aprovar o orçamento de defesa, na chamada Lei de Autorização de Defesa Nacional, para o ano fiscal de 2021, porque, entre outras coisas, restringe a capacidade do atual mandatário retirar as tropas americanas da Alemanha, Coreia do Sul e Afeganistão, como havia sido prometido.

Além disso, o presidente se opunha à lei porque inclui uma provisão para mudar o nome de uma dezena de bases militares batizadas em homenagem aos líderes militares do sul na Guerra Civil do país, que aconteceu entre 1861-1865, e que eram considerados símbolos racistas, por representar quem defendia a escravidão.

Trump ainda queria que a legislação incluísse uma cláusula para acabar com a chamada “Sessão 230”, que protege gigantes da internet como Twitter e Facebook de qualquer consequência legal pelo que for publicado por terceiras partes, em seus sites.

A Lei de Autorização da Defesa Nacional serve para financiar as operações do Pentágono no exterior e inclui aumentos salariais para os soldados, fundos para novos equipamentos militares e para pagar os cuidados com a saúde das tropas.

Tentativa frustrada

A tensão entre Trump e os líderes republicanos no Senado também aumentou como resultado da demora de cinco dias do presidente em assinar um novo plano de estímulo econômico devido à pandemia da Covid-19, e exigência do presidente de que os auxílios para os cidadãos sejam aumentados de US$ 600 para US$ 2 mil.

Os líderes republicanos do Senado bloquearam nesta sexta-feira, pelo quarto dia consecutivo, uma tentativa dos democratas de aumentar o valor dessas transferências diretas para os contribuintes que tem renda anual inferior a US$ 75 mil.

Isto significa que a iniciativa, que já foi aprovada nesta segunda-feira pela Câmara dos Deputados, não irá adiante por enquanto e, de qualquer forma, teria que ser considerada e votada novamente a partir de domingo, quando um novo Congresso formado nas eleições de novembro tomará posse.

“Seria socialismo para os ricos”, disse o líder republicano do Senado, Mitch McConnell, sobre a aprovação da proposta.

Fonte: R7

Deixe uma resposta