MUDANÇAS BRUSCAS NA VELOCIDADE PERMITIDA  NA BR 101 EM NATAL CAUSA CONFUSÃO E RECLAMAÇÃO DE MOTORISTAS

Por Inter TV Cabugi

 

Especialista aponta falhas na instalação de radares na BR-101
Especialista aponta falhas na instalação de radares na BR-101

Mudanças bruscas na velocidade máxima permitida na BR-101 em Natal têm causado confusão e reclamação de motoristas próximo à entrada de Natal. Trechos próximos uns dos outros, onde foram instalados radares, têm velocidades que variam entre 80 km por hora e 60 km por hora.

Pelo menos um acidente envolvendo seis veículos foi registrado na última segunda-feira (14), na rodovia, e teria sido motivado pela redução repentina dos carros.

“É como se fossem filiais da fábrica de multas. A sinalização não é concluída, hora é 80 km outra hora cai para 60 km, você nunca sabe se é 80 ou 60”, reclamou o motorista por aplicativo Magno Negreiros.

“Acho totalmente desnecessário, atrasa muito o trânsito, o fluxo já era um pouco defeituoso e agora ficou mais ainda em horário de pico”, disse outro motorista.

Os equipamentos começaram a ser instalados em setembro de 2021. Alguns ainda não foram ligados, porém outros entraram em operação no início de fevereiro.

Para o professor e especialista em legislação de trânsito Emerson Lima, há pelo menos dois erros graves na implantação dos radares redutores de velocidade no trecho – ambas relacionadas à sinalização.

“O que a gente observa aqui na altura do bairro Neópolis é que o motorista sai de 80 km/h e já cai numa redução de 60 km/h. Deveria ter uma placa pedindo que ele primeiro reduzisse a 70 km/h para depois reduzir um pouco mais para 60 km/h”, considera.

Ainda de acordo com ele, a Resolução 798 de 2020, do Conselho Nacional de Trânsito, estabelece que em vias com várias faixas no mesmo sentido haja placas dos dois lados.

“O que observamos é que nesse trecho só tem placa de um lado. Ou o Dnit coloca uma sinalização sobre a via ou coloca de ambos os lados. O radar é para diminuir os riscos de acidentes, aqui, pelo contrário, pode gerar um acidente de trânsito”, considerou o professor.

De acordo com Emerson Lima, multas podem ser questionadas pelos motoristas usando os critérios da resolução.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit) foi procurado para entrevista, mas se pronunciou por meio de uma nota.

No comunicado, o Dnit afirmou que os pontos de radares em instalação fazem parte de um cumprimento de acordo firmado com a Justiça Federal, para controle de velocidade em faixas de tráfego com criticidade ‘média’, ‘alta’ e ‘muito alta’.

“Ressalte-se que a escolha dos locais tem como base os índices de criticidade, levantados através do número de acidentes registrados no banco de dados da Polícia Rodoviária Federal. Portanto, os pontos definidos para a instalação dos equipamentos de controle de velocidade, determinados após a análise técnica realizada pelo DNIT, foram submetidos à apreciação daquele Departamento de Polícia”, diz a nota.

Deixe uma resposta