MORADORES DAS QUINTAS ESTÃO PREOCUPADOS COM A FALTA DE ESTRUTURA NA PROTEÇÃO DO CÓRREGO

Por Pedro Trindade, Inter TV Cabugi

 

Falta de estrutura no córrego do Rio das Quintas preocupa moradores — Foto: Pedro Trindade/Inter TV CabugiFalta de estrutura no córrego do Rio das Quintas preocupa moradores — Foto: Pedro Trindade/Inter TV Cabugi

A falta de estrutura na proteção do córrego do Rio das Quintas está preocupando moradores do bairro das Quintas, na Zona Oeste de Natal. As placas e muretas que protegem o trecho estão se deteriorando e oferecendo riscos a quem passa pelo local.

Recentemente, uma mulher de 52 anos de idade, que mora há 12 anos na Comunidade do Japão, se escorou em uma dessas placas e caiu no córrego. O acidente aconteceu no dia 24 de abril.

“Eu estava em casa, tinha uma festa lá em baixo, eu decidi dar uma olhadinha. Quando eu cheguei, foi só questão de minutos. Eu encostei, quando eu pensei que não, ela foi desabando comigo. Eu só senti o impacto lá embaixo. E infelizmente estou aqui nessa situação”, contou Luzineide Cruz, que precisou passar por uma cirurgia de emergência e ficou mais de uma semana internada.

Luzineide já retornou para casa, mas ainda não consegue movimentar as pernas após o acidente e por isso está de cadeira de rodas. Ela conta que no dia chegou a ser alertada por uma amiga sobre o perigo da mureta desabar.

“Uma amiga minha avisou pra mim que a mureta estava mole. aí eu fiz só dizer que não, eu achei que não tinha capacidade daquilo cair”, falou.

Problema recorrente

O problema é antigo, segundo moradores. Eles alegam que as muretas não passam por reformas há vários anos.

Moradora da comunidade desde que nasceu, Edila Dias, de 47 anos, conta que antes o rio era usado para as pessoas da região lavarem roupas.

“Quando eu era pequenininha, aqui era um rio, sem essas placas. Então a primeira reforma, eles colocaram uma lona e paralelepípedos, e uma tela por cima”, lembra.

“A segunda reforma já foi essa aqui, que colocaram essas placas, que hoje já estão caindo. Então faz 47 anos praticamente que não tem manutenção. A gente queria uma resposta da prefeitura, de algum órgão”, frisou.

Os moradores contam que uma moradora já chegou a desembolsar cerca de R$ 3 mil para reformar parte dessa área de proteção aos pedestres com medo que o trecho caísse.

Inter TV Cabugi tentou contato com a Secretaria de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov), mas não teve resposta até a atualização mais recente desta reportagem.

Deixe uma resposta